Estado.com.br
Sábado, 01 de Novembro de 2014
Radar
Seções
Arquivos
Tamanho do Texto

Naufrágio de transatlântico tem três mortes

Categoria: Mundo

O naufrágio do navio de cruzeiro Costa Concordia deixou pelo menos três mortos e, de acordo com diferentes fontes, entre 40 e 70 desaparecidos, no litoral do noroeste da Itália. Das 4.229 pessoas a bordo, 53 eram de nacionalidade brasileira – 47 turistas e seis tripulantes, segundo informações do consulado do Brasil em Roma.

A causa do naufrágio, que aconteceu na noite de sexta-feira, ainda está sob investigação. Fontes oficiais informaram sobre um corte de ao menos 70 metros de comprimento no casco do navio com a colisão contra um banco rochoso ou um recife.

Promotores pedem que o capitão do navio, Francesco Schettino, seja acusado de homicídio culposo, naufrágio e abandono do navio. Ele foi o primeiro a deixar a embarcação.

O jantar começava quando um ruído altíssimo interrompeu o pianista. Louças e talheres voaram. O caos tomou conta enquanto a tripulação, de maneira lenta e desastrada, tentava organizar a retirada dos passageiros do navio de 114,5 mil toneladas – a maior embarcação de passageiros a naufragar na História.

Em meio a gritos de terror, os turistas brigavam pelos coletes salva-vidas.

Os passageiros disseram que a tripulação não conseguia dar instruções para a saída da embarcação e demorou demais para começar a retirada pelos botes de salvamento, até que a extrema inclinação do navio não permitiu mais que os equipamentos de fuga fossem colocados no mar.

Apavorados, muitos turistas e tripulantes se lançaram nas águas geladas. Os passageiros compararam a tragédia ao naufrágio do Titanic, que completará cem anos justamente em abril.

O Grupo Costa, responsável pela embarcação, negou que houve demora na retirada das vítimas. “A evacuação começou imediatamente, porém, a posição do navio dificultou a finalização do processo. A companhia trabalha com o compromisso de prover a assistência necessária”, afirmou a empresa em um comunicado.

O comandante da Guarda Costeira, Francesco Paolillo, afirmou que o Costa Concordia se dirigia do porto de Civitavecchia ao de Savona, ambos na Itália, quando atingiu “um obstáculo”. O capitão tentou manobrar o navio em direção a águas rasas para facilitar a retirada pelos botes – que acabou impedida pela inclinação.

O Itamaraty informou que, até a tarde do sábado, não havia registrado brasileiros entre os mortos ou desaparecidos, mas ainda não tinha a lista completa dos passageiros. A embaixada em Roma mantém um plantão de ajuda. No Brasil, informações podem ser obtidas pelos telefones (11)2123-3673 e (11)2123-3679.