Estado.com.br
Sexta-feira, 18 de Abril de 2014
Radar
Seções
Arquivos
Tamanho do Texto

Mãe mata filha e esconde no freezer

Categoria: Mundo

O corpo esquartejado de Diana Farkas, uma menina de 4 anos, foi encontrado no congelador da casa de sua mãe, Juliana Santana Duran, em Chatelineu, Bélgica. Juliana reconheceu ter estrangulado a criança antes de esquartejar o corpo e guardá-lo em bolsas dentro do congelador, mas não explicou os motivos que a levaram a cometer o crime. Ela poderá ser presa.

Diana estava desaparecida desde segunda-feira pela manhã. À tarde, Juliana – cidadã da República Dominicana – procurou a polícia para prestar queixa.

A foto da menina foi divulgada nas telas dos mais de 6,5 mil pontos de venda da loteria nacional, um sistema costumeiramente utilizado pela Child Focus, organização belga para crianças desaparecidas e vítimas de exploração sexual. Além disso, a organização colocou cartazes em oito mil locais em todo o país, com a esperança de que alguma testemunha pudesse fornecer dados que ajudassem a solucionar o desaparecimento.

Em um primeiro momento, a mãe declarou ter segunda-feira de manhã deixado a garota na escola, situada em Gerpinnes, sem saber que nesse dia a aula havia sido transferida excepcionalmente para outro local. <QA0>
Procurada pela polícia, a direção da escola onde Diana estudava informou que a menina não havia comparecido às aulas.

Questionada pelos investigadores, Juliana mudou sua versão. Disse aos policiais que a menina tinha desaparecido de seu carro, estacionado em um supermercado do município de Chatelineau, enquanto ela se ausentou um momento para fazer compras.

Durante a primeira diligência na casa da mãe, realizada na terça-feira, a polícia encontrou em uma lavadora de roupas ensanguentadas que pareciam pertencer à menina e a uma pessoa adulta.

Ao examinar mais detidamente o local, os investigadores abriram as gavetas do congelador, mas não viram os restos da criança, que depois foram achados atrás de várias bolsas de alimentos, disse o procurador Pierre Magnien

A polícia ainda não encontrou a arma usada para esquartejar a menina, supostamente uma faca. A mãe de Diana comparecerá perante o juiz de instrução, que poderá ditar sua detenção.

As distintas versões sobre os fatos apresentadas pela mãe a haviam transformado na principal suspeita e motivado que permanecesse retida, apesar de ainda não ter sido acusada formalmente.

Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo