12:18


15 de Abril de 2010

 

Patrocinado por




José Paulo Kupfer
Filtro
Tamanho de texto: A A A A

Mudança de hábito

12 de junho de 2012 | 7h53

José Paulo Kupfer

Os esforços para, mais uma vez, coordenar uma operação de resgate de bancos na Europa, como já foi feito, aparentemente sem grande sucesso na Grécia, chegam agora à Espanha. É um evidente upgrade, na mesma categoria de problemas. Se a sangria não estancar – o que, à luz do caso grego, ninguém pode garantir que se conseguirá –, as consequências serão, obviamente, mais abrangentes e profundas.

Mesmo que operação de resgate dos bancos espanhóis consiga evitar um colapso, não há dúvida de que o mar na economia global está cada vez menos para peixe. Consolidou-se um suficiente consenso de que este cenário desfavorável se arrastará por um tempo relativamente longo. Desse quadro, resulta um movimento bem nítido de generalizada desinflação de preços.

No caso do Brasil, a oportunidade embutida na crise é a de que seja possível aproveitar os espaços criados pelo alívio geral nos preços para trazer os juros básicos mais rápido aos almejados níveis internacionais. Nos últimos oito meses, já foram cortados quatro pontos, há sinais de que os cortes continuarão e restam poucas dúvidas de que será possível estacionar a taxa real em um máximo de 3%.

O esfriamento da economia global, ao mesmo tempo, indica que dificilmente se devem esperar, para os próximos anos, repiques acelerados de altas na Selic. Haveria assim tempo suficiente para completar a limpeza dos elementos que dificultam, na economia brasileira, uma queda mais consistente dos juros.

Se for possível concordar com esse raciocínio, será possível também compreender que é hora de mudar de hábito e começar a considerar a novidade dos juros baixos nas análises econômicas. Isso ainda não está visível. Exemplo: no debate do momento, há uma convergência em torno da ideia de que a chave do crescimento, para o Brasil, é o investimento na ampliação e qualificação da oferta – e não mais o exclusivo estímulo à demanda de consumo. O tema é propício a se considerar os possíveis impactos do fato inédito dos juros baixos na economia brasileira, mas esse novo condicionante não tem dado muito o ar da graça.

Diagnósticos e alternativas de políticas ainda não levam devidamente em conta as mudanças que juros baixos promoverão. No entanto, ninguém nega que, tanto quanto colaboram para estimular a atividade econômica, juros mais baixos têm potencial para ajudar a remover distorções na economia.

A principal delas diz respeito, justamente, ao modo como se forma a poupança e se financia o investimento. Taxas de juros altas encarecem, numa ponta, o financiamento da produção e, na outra, drenam recursos da aplicação em atividades produtivas, desviando-os para o mercado financeiro. Juros baixos, por analogia, fazem o serviço inverso, não só disponibilizam mais recursos para investimentos em produção como reduzem os custos do seu financiamento.

Reduzem-se, com juros baixos, as alternativas de aplicações puramente financeiras rentáveis e aumentam em muito os espaços para o surgimento de opções atraentes de financiamento privado de longo prazo a atividades produtivas. Não é por coincidência que, no segmento de bancos de investimento, já se observa um movimento mais intenso de elaboração de estudos para o lançamento de debêntures de empresas privadas. Experientes executivos do setor dizem que estão todos à espera de uma melhora nas perspectivas de crescimento e de um primeiro lançamento bem sucedido de papéis privados para que uma fila de negócios se forme na esteira.

Há também a expectativa de inestimáveis ganhos fiscais. A dívida pública agradece pelo alívio nos custos de carregamento das reservas cambiais e nas despesas com as tão polêmicas operações de empréstimo do Tesouro Nacional ao BNDES. Isso sem falar na redução dos subsídios incorridos com os empréstimos do mesmo BNDES com base na taxa de juros de longo prazo (TJLP). São centenas de bilhões de reais que podem ser poupados e, na sequência, mais bem usados na indução a investimentos.

Operam no Brasil, sem qualquer dúvida, entraves consideráveis ao deslanche dos investimentos. Mas num ambiente de juros baixos, parte não desprezível desses custos tende a se dissolver, impulsionando, via ampliação e melhoria das atividades, o lado da oferta. Se o País conseguir manter juros reais em torno de 2%/3% ao ano, surgirão, inevitavelmente, recursos privados dispostos a bancar a ampliação de negócios. É assim que uma economia estável cresce de forma sustentada.

* * *

Vou ali e já volto.  Férias até 10 de julho.

 

Tópicos relacionados

1.223 Comentários Comente também
  1. Enviado por: Mario Pw

    Kupfer,

    Parabéns Kupfer. É preciso tratar bem o capital do bem para que ele possa vir se instalar.
    Esta é a janela de oportunidade que estavamos conversando há mais de 1 ano atrás. Há males que vem para o bem: a crise do eurozone e daqui a pouco dos bancos nos states e china…podem é muito nos ajudar. Mas é hora de “varrer” e “faxinar”….

    • Enviado por: Mario Pw

      Quanto a parceria bancos e governo que levam à perda da soberania e atiram os cidadãos à miséria eterna quero relembrar:

      However, Nobel Prize-winning economist Joseph Stiglitz criticized the bank bailout. “The system … is the Spanish government bails out Spanish banks, and Spanish banks bail out the Spanish government,” Stiglitz said on Friday. “It’s voodoo economics. It is not going to work and it’s not working.”

      • Enviado por: Mario Pw

        Li no Valor Economico/WSJ:

        “Dois anos atrás, o governo espanhol juntou sete caixas regionais de poupança em dificuldades, criando com isso o Bankia. Embora essas caixas estivessem carregadas de créditos e investimentos podres, funcionários do governo e reguladores esperavam que a nova instituição fosse ter cacife para sobreviver.

        O Bankia virou o terceiro maior banco espanhol em termos de ativos, atrás apenas do Banco Santander SA e do Banco Bilbao Vizcaya Argentaria SA. Sua carteira de crédito imobiliário somava mais de 38 bilhões de euros — mais do que a de qualquer outro banco.

        Os problemas do Bankia têm raízes no estouro da bolha imobiliária do país. As caixas regionais — muitas delas controladas por políticos — emprestaram pesado para incorporadoras e governos locais. Quando o mercado imobiliário começou a fazer água em 2007, bancos pequenos se viram com montanhas de empréstimos podres e investimentos ruins. “Ter políticos em cargos de gestão nas caixas foi o verdadeiro câncer do sistema bancário espanhol”, disse Jordi Fabregat, professor de finanças da faculdade de administração Esade, de Barcelona.

        No começo do ano, o Bankia preparou uma oferta pública inicial de 4 bilhões de euros para levantar capital. Ali, os sinais de alerta já estavam piscando.

        Grandes bancos de investimento americanos contratados para a operação incentivaram executivos do Bankia a elevar o porte da transação para até 10 bilhões de euros, segundo pessoas com conhecimento do assunto. O motivo: possíveis investidores estavam dizendo àqueles bancos que precisaria uma cifra dessa magnitude para convencer investidores de que o Bankia estava adequadamente capitalizado.

        http://online.wsj.com/article/SB10001424052702303901504577461041935188550.html?mod=rss_americas_portugues

        • Enviado por: Vicente

          Mario PW,

          O mais grave é que essas fusoes( Bankia), e a sua saida a bolsa contaram com a “vista gorda” dos reguladores espanhois, pondo em “dúvida” a seriedade do banco central espanhol.

          E pessoalmente tenho a opiniao que a formaçao de Bankia foi uma manobra para criar um banco o qual tivesse tamanho suficiente para ser sistemico, assim obrigando seu resgate.Alem de aumentar a confusao dificultando futuras investigaçoes.

          E outro dado escabroso é que o primeiro balaço que fizeram dava beneficios( e aconsequente repartiçao dos dividendos), e poucos dias depois corrigiram o balanço, o qual dava um prejuizo trilhonario, sem falar que se os dados reais tivessem vindo a público em sua época o actual presidente nao teria sido eleito.

          Abrç.

          • Enviado por: Mario Pw

            Foi realmente uma manobra para criar ameaça sistemica e fazer chantagem ao tesouro além de aliviar imediatamente os próprios bolsos.

            Sei que Jr vai me chamar de reacionario da direita por escrever isto: “É a cleptocracia em ação”.

            Mas como paulista filho e neto de imigrantes, sei que não sou direita reacionario…então é isso aí.

          • Enviado por: claudio

            ok. Apenas reacionário.

        • Enviado por: Mario Pw

          Claudio,
          se voce tem me acompanhado neste blog talvez me chamaria de eterno rebelde…hehehe.
          Meu, eu andava 9 blocos para pegar busão com 8 aninhos de idade e estudei em escola pública. A mãe tinha que guardar o dinheiro para pagar busum dos meus irmãos menores. Precisei trabalhar aos 13 anos para pagar meu ensino médio e faculdade.Estudei e trabalhei nos states sendo cucaracho e fui chefe dos gringos…reacionario é pouco para mim.

          Mas bem vindo….

  2. Enviado por: Mario Pw

    Kupfer e Caros colegas,

    Falando em faxinar,como sabem faço campanha ferrenha para redução da carga tributária e da desburocratização a ela associada que hoje é base de uma indústria imensa inclusive de propinas.

    Admiro os empreendedores brasileiros e como pai quero continuar inovando este ambiente.

    Vamos ficar de olho nestas alterações da LR :
    A intenção de fazer o que senadores têm considerado como uma minirreforma tributária surgiu na terça-feira passada, em uma reunião entre líderes da base aliada com o ministro da Fazenda, Guido Mantega, ocorrida à noite. Na manhã daquele dia, o governo lançou um pacote de medidas para estimular a economia. Na ocasião, cobrou apoio do Senado para aprovar o projeto que acaba com a guerra dos portos, ao unificar a alíquota do ICMS interestadual para produtos importados.
    Na conversa com Mantega, senadores aliados sugeriram-lhe também a discussão e votação ao mesmo tempo do indexador. O ministro, que já vinha dando sinais de que aceitaria a troca do fator de correção, concordou. Mas o acerto só foi tornado público dois dias depois, na quinta-feira, quando a ministra da secretaria de Relações Institucionais, Ideli Salvatti, convocou uma entrevista coletiva para dizer que o governo aceitou condicionar uma mudança do indexador das dívidas à aprovação de duas propostas: a que põe fim à guerra dos portos e a que equipara, para fins tributários, o comércio eletrônico às formas tradicionais de comércio – outro ponto da pauta do governo.

    http://economia.estadao.com.br/noticias/economia,no-senado-avanca-apoio-para-troca-do-indexador-das-dividas-estaduais,108819,0.htm

  3. Enviado por: Mario Pw

    Kupfer,

    honestidade e trabalho duro no nosso país é uma “mercadoria” que precisa ser muito trabalhado ainda. Mas há muito para se trabalhar. Veja as possibilidades de um projeto aqui mesmo onde moro de um private equity apostando em cloud computing:

    http://www.youtube.com/watch?v=ngJkqP9eeWc

    O governo precisa ser enxuto e eficiente, tributos justos e simples, judiciario veloz….não apenas para poucos mas para todos. O microempresario é vital.

  4. Enviado por: Mario Pw

    Boas férias Kupfer.

    Em relação ao seu post anterior não creio que seja hora de fazer grandes obras de infraestrutura ainda:
    http://blogs.estadao.com.br/jpkupfer/nova-prioridade/anterior

    • Enviado por: Mario Pw

      Precisa terminar o que governo Lula começou na geração de energia principalmente.

      • Enviado por: Mario Pw

        Falando nisto acho muito bom a participação do Exército na area de construções, acho que os meninos são educados com disciplina. E ao invés de ensiná-los a carregar e usar armas aprendem a engenharia civil.

        • Enviado por: Vicente

          Mario PW,

          Cuidado, pois o exército tem um historico recente de corrupçao em obras públicas.Acho melhor que fiquem longe do que gere tentaçoes, assim preserva-se entre muitas coisas a imagem da instituiçao, aqual deu muito trabalho para resgatar depois do periodo ditatorial( corrupçao, assasinatos, sequestros, atraso economico, etc…).

          Abrç.

          • Enviado por: Vicente

            Mario PW,

            Se as forças armadas contribuirem na vigilancia das fronteiras e combate a : Desmatamentos ilegais, mineraçao ilegal, trafico de armas, drogas,escravidao,contrabando, evasao de veiculos roubados a Paraguay, Bolivia, etc…Já estaria satisfeito.

            Abrç.

          • Enviado por: Mario Pw

            Tem razão Vicente, sou de uma geração mais nova e não senti tanto ditadura como meus pais. Mas o que eu acho que é melhor o Exercito do que as grandes empreiteiras de sempre ou estas que nem do Cachoeira.

  5. Enviado por: Renato

    Discordo totalmente deste parágrafo:

    “Há também a expectativa de inestimáveis ganhos fiscais. A dívida pública agradece pelo alívio nos custos de carregamento das reservas cambiais e nas despesas com as tão polêmicas operações de empréstimo do Tesouro Nacional ao BNDES. Isso sem falar na redução dos subsídios incorridos com os empréstimos do mesmo BNDES com base na taxa de juros de longo prazo (TJLP). São centenas de bilhões de reais que podem ser poupados e, na sequência, mais bem usados na indução a investimentos.”

    Este negócio de custo de carregamento de reservas é uma bobagem.

    Fazendo uma conta de padeiro:

    Há oito meses o BC do B tinha R$ 1,60 e comprou US$ 1,00 a troco (venda) de papel promissório de dívida pública br mais 12,5% SELIC. Com esse US$ 1,00 comprou títulos da dívida USA que paga 0,25%.

    Só que:

    Na hora da venda o BC do B vende US$ 1,00 por R$ 2,05.

    Ora, se o cara tinha inicialmente R$ 1,60 no bolso e no final termina com R$ 2,05 ele só pode ter tido lucro ou será que não?

    (2,05/1,60)*100 = 28,12%

    pagou 12,5% em cima de 1,60 que dá 1,80
    recebeu 0,25% de um dólar ou 1/4 de um cent, ou seja: nada.

    por fim: (2,05/180)*100 = 13,88%

    resumindo: o custo de carregamento das reserva é um lucro de 13,88%.

    O negócio é o BC comprar na baixa e vender na alta. É assim que o mercado funciona.

    Não tem este negócio de custo de carregamento de reservas não.

    • Enviado por: José Paulo Kupfer

      Prezado Renato,

      Está tudo certo na sua conta… na hora da venda. Enquanto mantém a posição, o BC tem de se financiar. E aí carrega na dívida bruta. Abrs.

    • Enviado por: Ferruccio

      Renato,

      Você tocou num ponto importante.

      Fiz a mesma conta de padeiro, mostrando os valores envolvidos.

      Reservas = $ 352 bi X taxa média de aquisição de 1,70 = R$ 598,4bi

      Reservas = $ 352 bi X taxa atual 2,00 = R$ R$ 704,0 bi

      Ganho cambial = R$ 704,0 menos R$ 598,4 = R$ 105,6 bi

      Custo das reservas = Juros pagos = 12,5% X R$ 598,4 = R$ 74,8bi menos IR 25% = R$ 56,1.

      Ganho líquido sobre reservas = R$ 105,6 – R$ 56,1 = R$ 49,5bi.

      Não foram considerados os juros em dólares, por irrelevantes.

      Se os meus cálculos estiverem certos, a conclusão que eu chego é igual à tua, Renato, isto é, o governo teve um ganho com o carregamento das reservas, ao invés do tão falado custo.

      Isso não quer dizer que vai continuar tendo esse ganho no futuro, já que isso depende do comportamento da taxa de câmbio. De qualquer forma, a redução da taxa básica de juros irá reduzir o custo futuro de carregamento das reservas, como disse o Kupfer, e isso é boa notícia.

      Abr

      • Enviado por: Ferruccio

        Mandei meu comentário antes de ler o comentário do Kupfer, que já diz tudo em poucas palavras. É verdade, o ganho só é realizado na venda dos dólares, mas a dívida líquida já fica reduzida em volta de R$ 100 bi, devido à valorização das reservas.

    • Enviado por: Renato

      Sim, é verdade a dívida bruta vai carregando, mas por enquanto damos graças por não termos que enxugar a liquidez do mercado (compra), no momento temos que fornecer liquidez (venda). Dá para ir levando.

      Boas férias, vai fazer falta.

    • Enviado por: Pillon

      Muito bom Renato e Ferruccio.

      A conta entra no caixa do BC que apresenta um balanço anual e quase sempre teve lucro.

      Acho que você pode tirar o IR que o BC não paga.

      Não sei analisar balanços muito bem mas neste relatório de 2010 vale a pena olhar as páginas 343, 344 e 345 nos ganhos e perdas com juros e ME.

      Se encontrarem o de 2011 mandem o link que quero ver.
      Um detalhe, o eles precisam descarregar (vendê-las) as reservas toda para realizar o lucro em reais às taxas atuais. Quando fizeram isso, a tendência é do real se valorizar novamente. Até o momento somente venderam uma pequena parte e promoveram uns swaps cambiais ou coisas do gênero.

      http://www.bcb.gov.br/pre/audit/relgest/Relatorio_de_Gestao_2010-Consolidado-TCU.pdf

      Abs.

  6. Enviado por: Romanelli

    opa ..agora é só chamar o Mantega e explicar tudo isso

    .explicar o óbvio, que a atual tentativa de turbinar o consumo já nasceu condenada, com a população criminosamente induzida a ficar endividada em prestação de bolso, comprando porcaria e pagando juros de agiota

    Agora é só chamar a DILMA e dizer que em momentos de crise não se faz discurso pessimista nem contenção de INVESTIMENTO que vise movimentos contra-cíclicos e aumento da produtividade

    desista

    a propósito, vai ali e já volta, em 11/07 ? ..caraca ..então boas férias

  7. Enviado por: Alexandre

    Férias? De novo?……não vai levar o lap-top não, o professor sai a turma faz a festa.

    JPK, basicamente discordo do artigo. Como já disse, os juros para investimento já são bons à muito tempo. Um dos problemas é que boa parte dos recursos foram utilizados para aumento da participação do estado na economia.

    É hora de começar a investir em educação, massivamente, se a questão produtividade vai ser levada à sério para o futuro deste país.

    Sinceramente, até agora não vejo nenhuma iniciativa de destravar a economia. Somente ficar se escorando nos juros não quer dizer nada observando as taxas internacionais e a paradeira.

    Pior, a dupla Mantega/Dilma fizeram questão de afungentar mais ainda os investimentos.

    A oportunidade que estamos desperdiçando é colocar todos sentados e traçar um plano de longo prazo, um compromisso supra partidário, o que não ocorrera enquanto ficarmos perdendo tempo com CPIs, mensalões, agora banco do nordeste……mais 100 milhoes….complicado.

  8. Enviado por: Nick

    Boas férias JPK!! Vou ficar de molho até o dia 10 também.

  9. Enviado por: Pillon

    Javier,

    Comentando aqui sobre o seu do blog anterior…

    Sim, concordo que a Alemanha tem lá seus problemas também, claro. O maior sindicato daqui já saiu às ruas pedindo reajuste salarial e criticando frontalmente os trabalhos temporários. E tem esse tal de mini-jobs que dá uma disfarçada legal nos índices…

    Comento da Espanha porque se fosse a Itália, ou Alemanha, que estivesse nas manchetes, o faria da mesma forma. O assunto do momento é a Espanha e Grécia, entrando a Irlanda.

    Se chegar a vez da Alemanha e tenho certeza que não, vamos encher as páginas do JPK com comentários. Ainda não notamos nenhuma bolha por aqui, nenhum banco pediu água, as empresas se solidificaram. Só uma de comércio, Schleker, empresa do tipo drug/convenience store que empregava 52.000 pessoas, pediu falência em Janeiro mas continua em atividade. Mas não era para menos, não tinha preço.

    Lembrei-me agora do Japão, a terceira maior economia do planeta, com um dívida pública que, em relação ao GDP é o dobro da alemã. Nem por isso há reboliço e ninguém anda arrancando os cabelos por isso. Porque?

    Fazendo algumas simples comparações, o Japão tem um NIIP de 60% do GDP, acima da Alemanha a qual tem um de 37%.

    Já o Brasil e Espanha tem dívida pública relativa razoavelmente boa mas NIIP negativos (-37% e -87% respectivamente). Grécia (-83%), Itália (-24%), Irlanda (-98%), Portugal (-108%)…

    Vejamos Áustria (-0,5%), Belgiva (45%), França (-10%), Noruega 79%, Suíça (136%, êta fera!), Russia (17%), UK (-13%), USA (-17%), Polonia (-63%).

    São dados de 2009 que obtive na Wikipedia:

    http://en.wikipedia.org/wiki/International_investment_position#cite_note-65

    Eu acho que isso conta muito numa hora dessas, não acha?

    Abs.

  10. Enviado por: Pillon

    Mudança de hábito mas que não larga o vício.

    Chegou a hora de livrar dos entulhos das inflações passadas para já dar um pontapé inicial numa meta de inflação abaixo de 2%. Assim os juros reais continuam reais e BAIXOS.

    Como que os economistas chamam isso de olhar pelo lado da oferta, “choque de oferta”?

    Com isso e o momento propício, providenciar uma consolidação dos títulos públicos em um só com juros de Selic e desindexação geral e irrestrita.

    Paradigmas sendo quebrados, um a um.

    Estou sonhando?

    Boas férias JPK!

  11. Enviado por: Mario Pw

    Pillon,
    vamos enfrentar turbulencias e anarquias “brabas” mas vai valer a pena. Tem que varrer e faxinar mesmo mudando assim os procedimentos.

    Alexandre,
    Eu acordei inspirado mesmo, não sabia da saída do Kupfer de férias.
    Eu escrevo como anônimo aqui para contribuir honestamente.
    Porque no valor economico eu tenho que me identificar…aí não dá neh????
    Já pensou, com licença Cristiano ou Mendonção ou Delfim…mas acho que não gostei do que voce escreveu. Além de rude e incivilizado vai só me detonar não.
    Aqui posso realmente contribuir positivamente inclusive contrariando o Kupfer, o que agradeço muito a ele.

    • Enviado por: Alexandre

      Mario …. :) …. não entendi o que voce não gostou, se quiser me chamar de chato, à vontade, sou mesmo, reconhecidamente por gente próxima.

      Qto ào anonimato, meu sobrenome é único e possuo comércio, … o Pillon ia dar risada……

      Qto àos comentários que faço, não acrescentam muito pois boa parte já são divulgados pela imprensa, valem mais como lembretes que algo de novo.

      • Enviado por: Mario Pw

        Alex,

        Só me justifiquei quanto ao seu comentario “a turma faz a festa” porque realmente é de estranhar vários post meus relacionados a um artigo do Kupfer, normalmente sou extremamente comedido.

    • Enviado por: Pillon

      Nome engraçado é do meia da seleção alemã:

      Bastian Schweinsteiger

      Para mim Sebastian é Sebastião e Bastian seria Bastião

      Então fica Bastião Trepaporco :D :D

      • Enviado por: Alexandre

        Não é deste tipo, garanto-lhe, voce nem imagina, morando ai na Alemanha….um dia se resolver parar de escrever eu conto!

        • Enviado por: Alexandre

          Mario, não era específico para voce, mas que voce começou bem, isto foi mesmo!

  12. Enviado por: Ferruccio

    Boas férias, Kupfer.
    Aqui vamos continuar com os nossos comentários, seja on ou off topic. Assuntos é que não faltam.
    Abr.

  13. Enviado por: Ricardo

    Após décadas de taxas de juros reais elevadas vivenciamos uma taxa real muito baixa, mas ainda não percebemos nenhuma movimentação/mudança nas aplicações, exceto a recente mudança dos fundos de investimento para a caderneta de poupança antes da mudança da regras.

    Entretanto a continuidade da redução da selic e a persistência na baixa remuneração irão alterar o comportamento financeiro, em especial dos fundos previdências abertos e fechados, pois a meta atuarial não será atingida com a facilidade que se atingia anteriormente.

  14. Enviado por: Jr.

    Prezado Kupfer,
    Boas férias pra vc. Vamos tentar bater o recorde de comentários aqui no seu blog. No ano passado, acho que chegaram a mais de 500 no seu último post antes das férias. Nesse ano, talvez esse número dobre … Aliás, o seu blog é, disparado, o de maior sucesso da área de economia e negócios, se avaliado pelo número de comentários. Nenhum outro chega perto. Parabéns.
    Abraços.

  15. Enviado por: Vicente

    JPK,

    Boas férias.

    E venha uns dias para España, pois à parte dos problemas é um país muito bom para passear e comer.

    Abrç.

    • Enviado por: Alexandre

      Ué, tá passeando e comendo, ainda? E o Javier reclama dos alemães….vai entender…não sei onde li que o Brasil deveria querer também esta ´´crise´´ de primeiro mundo… :)

      • Enviado por: Vicente

        Alexandre,

        E ai, como foi de viagem?Parece que vc esteve por estas bandas.

        O Jr. pode ficar tranquilo quanto ao blog atingir 500 comentarios.Com a JPK de férias Eu e vc temos um grande potencial…já quanto á qualidade dos comentários ..bem.. deixemos para Pillo, Jr., Nick,Ronaldo, etc…

        Abrç.

        • Enviado por: Alexandre

          Antes tivesse tempo de visitá-lo, por mim iria 2x por ano para a europa…mas não fui não, nem para o litoral norte, a ultima foi em Fevereiro, que por sinal vem sofrendo com a violencia.

          Quem entende de economia somos nós, voce na frequencia e eu como propiotário, repare que alguns já estão fazendo conta de padeiros, medida real da inflação e da renda…. :)

          • Enviado por: Javier Vidal

            PREZADO ALEIXANDRE
            Como incluso eu fico farto de criticar a Merkel e defenderme con “uñas y dientes” y antes de que a Espanha desapareza, e como ha comentado que gostaría viaxar a onde mora Vicente ( e ben cerquinha,eu) abusando moitissimo da sua confianza e da dos demais, e aproveitando que o SR.Rajoy (que nao e unha “marioneta”, aunque certamente tampouco de Einstein)nasceu onde naci eu, voulle mostrar onde mora Vicente e donde moro eu.Como xa se falou, Corunha e Galicia en Geral e unha comunidade moi por debaixo do indice de riqueza na Espanha.Onde eu moro ten 65.000 habitantes (tipo ouro preto, por exemplo) e donde mora Vicente ten 245.000 habitantes (tipo Juiz de fora, un pouco menos).E so pra que voçe de unha ollada e se decida a deixar aqui alguns “reais”, que nos venhen moi ben.Sabe que na minha casa esta sempre invitado.Tamen lhe deixo, so por curisidade unha reportagen de helicoptero feita fai dez anos (na que tuve a oportunidade de participar invitado e foi impresionante)con uns movementos de camara realmente espectaculares, de aquela moi innovadores.
            A lastima e que you tube nao permite alta definiçao pra ver con optima cualidade.Pero da pra imaginar.
            Nao e vanidade, xa lhe falei que a minha terra e unha das menos desenvolvidas da Espanha, pero e tamen unha das mais bonitas.Espero que goste, si e que a o fiuanl decide velo.
            Aqui ten a cidade de Rajoy e a minha:

            http://www.youtube.com/watch?v=I3xbUNXAJPo&feature=related
            Aqui ten a Corunha:

            http://www.youtube.com/watch?v=zpqeBp0kFSo&feature=related

            E aqui ten o caminho de Santiago pola costa dende Santander (a cidade do banco espanhol) ata Santiago de Compsotela, donde eu trabalho.Este caminho o fixen eu de bicicleta fai dez anos.
            Espero que gosten e disculpen o exceso.
            Saudos.

          • Enviado por: Javier Vidal

            ALEIXANDRE
            Caminho de Santiago pola costa dende o aire:

            http://www.youtube.com/watch?v=ratqRS9M1Y0&feature=related

            Espero que goste.

  16. Enviado por: speridião

    Estamos com décadas de atraso nessa mudança de hábito. Antes tarde do que nunc.

    Longe de ser uma questão de retórica as empresas que não operaremcom taxas de juros mais baixas nas sua projeções poderão perder paticipação de mercado para outras mais ágeis que lucrarão mais no volume .

    Vejam o caso dos bancos: se os estatais continuarem com as políticas de juros decrescentes os privados que se cuidem pois os assim chamados pelo burro da Febraban de “cavalos” vão preferir a água fresca dos estatais ao invés da água salobra dos privados e migrarão por qualquer migalha.

    Da mesma forma pode ocorrer com as indústrias de tangíveis.

    Especialmente considerando possível redução de preços de insumos importados tudo indica redução de inflação, portanto menores juros nominais.

    Os hiperconservadores que se cuidem.

  17. Enviado por: Ferruccio

    Já comentei aqui várias vezes, mas não custa repetir.

    Juros básicos é uma coisa, juros pagos por quem produz é outra coisa. Precisamos reduzir os juros efetivamente pagos por quem produz a níveis internacionais, para realmente incentivar o investimento.A premissa de que esses juros serão reduzidos na mesma proporção dos juros básicos terá que ser provada.

    Essa distinção é normalmente esquecida quando se analisa o impacto dos juros na economia.

    Em outras palavras, é preciso atacar o problema do spread bancário, uma das maiores jabuticabas brasileiras.

    • Enviado por: Jr.

      Ferruccio,
      Eu acho que as 2 coisas andam juntas, mas concordo que a maior imoralidade são os spreads. E em relação a isso, acho que a política de corte de juros dos bancos estatais ainda é uma estratégia eficiente. É só o governo federal manter a determinação de baixar mais ainda os spreads do BB e da Caixa que os bancos privados serão forçados a fazê-lo também. É só uma questão de tempo. E quanto mais baixa a SELIC, mais espaço há para os bancos estatais cortarem os juros na ponta.

      A única forma de quebrar o cartel é assim. Fora disso, não há como aumentar a competição no setor, a menos que o Banco Central entre em campo com um grande porrete para coibir as práticas abusivas, o que acho que não acontecerá pelos motivos que todos sabemos.
      Abs.

    • Enviado por: speridião

      Boa tarde Ferruccio, não vejo necessidade de provar correlação entre juros básicos e juros de financiamento ao setor útil-produtivo pois o mal que o juro básico causa ao setor produtivo é que mesmo empresas produtoras de bens tangíveis aplicam em títulos quando têm caixa e em especial quando o risco de investir em produção está alto tomando assim decisão conservadora e não aplicando recursos próprios em produção e tendo esta decisão partido de uma conjuntura desfavorável esta empresa também não estará propensa a tomar empréstimos.

      Concluindo: Taxas básicas de juros (ex. Selic) quando altas fazem migrar os recursos existentes em caixa para títulos ao invés de produzir, é a União (pessoa jurídica) fazendo concorrência (autêntica inimiga) com os interesses da sociedade .

      O segundo caso desconexo do primeiro é o spread. Mas esse também tende a ser mais alto quando a tx Selic é alta pois bancos também (óbvio) são empresas e podem tomar a atitude conservadora, ou seja, se a conjuntura fica desfavorável (inadimplência por exemplo) reduz o disponível para empréstimo e eleva a taxa aos poucos que se aventurarem a tomá-los mantendo o mercado reprimido. Enquanto isso ganham menos com a Selic mas garantem rendimento mínimo (conservador).

      Assim, mesmo compravada a desnecessidade de correlacionar taxas de financiamento com os juros básicos é obrigação do governo emitir títulos pagando os juros mais baixos possíveis até para não delapidar o patrimônio público via saídas de caixa para honrá-los ou endividamento .

      Portanto derrubar ainda mais tx Selic, e concordo com o Jr. que deveria ser mais rápida a queda, é imperativo pois as condições são favoráveis. E o dólar que suba, não tem problema, nada de gastar reservas para equilibrá-lo.

      • Enviado por: Ferruccio

        Speridião, boa tarde.

        Concordo com você que reduzindo o rendimento dos títulos públicos, estaremos incentivando as aplicações na produção.

        Mas, você deve concordar comigo que o nível de juros pagos pelo produtores para financiar seu capital de giro e seus investimentos de longo prazo também é importante. Com a redução da Selic é de se esperar que esses juros para os produtores caiam também, mas isso pode não acontecer tão rapidamente como seria de se esperar. Eu só quis salientar esse aspecto.

        Eu estou torcendo pela redução da Selic tanto quanto você e o Jr.

        Abraços.

        • Enviado por: RONALDO GOMES FERREIRA

          Caro Ferrúccio
          Aqui está, mais uma vez, um monumento a estupidez, naturalmente com a participação do ministro Mantega: http://veja.abril.com.br/blog/ricardo-setti/politica-cia/o-naufragio-do-etanol-de-cana-e-a-maior-vergonha-do-brasil-na-rio-20-que-comeca-amanha/

          • Enviado por: Alexandre

            Não é estupidez, é esperteza, é um plano, aumentar a participação do estado na economia….além de sempre querer coletar mais impostos, é um processo repetitivo, qdo algum setor cresce ou investe, cria-se ou aumenta-se as aliquotas, até chines está reclamando da falta de regras, imagine.

            Ve se alguém esta neste momento discutindo o longo prazo, nem querem, para que vão assumir compromissos com um eleitor que não está nem aí.

          • Enviado por: Alexandre

            Uma que li do Bob Fields:

            ´´No Brasil, empresas privadas são controladas pelo governo, empresas estatais ninguém consegue controlar´´

            Mais ou menos isto….

          • Enviado por: Ferruccio

            Ronaldo,

            Não tenho opinião formada sobre os problemas do etanol de cana, porque não tenho acompanhado o assunto. Meus comentários são apenas para tentar entender melhor o problema.

            O autor do artigo menciona três problemas básicos: 1)ineficiência do setor produtivo, 2)fatores de mercado, principalmente preço internacional do açúcar e 3)política do governo.O autor não gasta uma palavra para comentar sobre a ineficiência do setor, nem sobre o problema do preço internacional do açúcar. Também não fala porque o capital estrangeiro está interessado em investir no setor, se o setor está indo tão mal.

            Eu concordo que temos que proteger um setor tão importante como o etanol, inclusive por razões de segurança energética nacional. Mas o governo não pode compensar por ineficiências produtivas do setor e por preços internacionais declinantes, através de medidas como, por exemplo, aumentar o preço da gasolina, o que permitiria o aumento do preço do etanol no mercado nacional.

            Concluindo, não quero dizer que o governo não poderia fazer mais pelo setor. Apenas que, além de ouvir as reclamações do setor, deveríamos ouvir as razões do outro lado.

            Abraços

  18. Enviado por: Pillon

    Ok,

    Havia um impedimento para que a taxa de juros da Selic caísse abaixo daquilo que se pagava na poupança.

    Agora o impedimento é outro, amigos, é o índice de INFLAÇÃO, cuja meta este ano é de 4,5%, se não me engano, com 2% de variação absoluta (que é muito, no meu entender, devia ser somente de 20% relativa)

    O Brasil não pode se conformar com uma taxa Selic de 7% ao ano com inflação de 4,5%. Noves fora, o juro real pago aos títulos é de 2,5%, o qual me parece, aceito pelo mercado.

    Mas para haver competição internacional da produção brasileira e por os importados na rabeira, a inflação precisa cair para 1,5% a 2,0% ao ano.

    Com isso, vai-se eliminando aos poucos esse vício psicológico de os títulos da dívida pública precisam pagar juros reais. A Alemanha recentemente lançou títulos a juros reais negativos!

    Para que se estabeleça uma nova meta de inflação para 2013 nesses níveis, o governo precisa esquecer por um momento essa história cansativa de pibão e pibinhos, parar de turbinar a economia com medidas paliativas e imediatistas, aproveitar o momento e DESINDEXAR a economia por completo, fazer uma faxina geral, organizar a economia com medidas consistentes e permanentes para preparar o país a entrar 2013 de peito aberto.

    DESINDEXAÇÃO JÁ E INFLAÇÃO ZERO!

    PS. As linhas de financiamento à indústria e à agricultura são repasses do BNDES aos bancos, com taxas de juros em torno de 5% ao ano, como exemplo há o PSI-Finame.
    Recentemente, reduziram os juros de financiamento para capital de giro a 6% a.a.

    • Enviado por: Pillon

      Bem, o mestre JPK abordou o assunto com maior abrangência incluindo o custo do carregamento das reservas.

      As taxas de financiamento do BNDES permitirão custo perto de zero no repasse, mesmo porque a captação é feita através do Tesouro pela dívida pública.

      Se houvesse uma poupança vinculada aos investimentos, administrada pelo BNDES tendo como agentes de captação e repasse os bancos estatais num primeiro momento e depois uma abertura à rede privada de bancos, o custo cairia ainda mais.

      • Enviado por: Alexandre

        Desconfio que nunca teremos poupança suficiente, o dinheiro não fica aqui, tamanha instabilidade e besteirol….ontem foi mais uma, comparar a tx de endividamento das famílias brasileiras com as do primeiro mundo, SABENDO que os alimentos no Brassil transformaram-se em commodities e a renda lá fora é bem maior.

        Sem falar na inflação daqui e lá….hum, já desconfiava que íamos receber menos pelos nossos produtos para equilibrar o primeiro mundo, ainda acho que este cambio tinha que ser lá embaixo…. indústria nacional, qual?

        E dá-lhe inflação, crescimento zero para controlá-la.

      • Enviado por: Mario Pw

        Meu caríssimo Pillon: Amém.

  19. Enviado por: Javier Vidal

    Prezado Pillon
    Concordo con moito do que fala, pero o que nao posso soportar sao os ataques mediaticos do FT, der Spiegel e imprensa de ese calibre.Por que eles , simplesmente, miemten pra tapar o seu.E lhe posso demostraR con miles de casos.Nao entendo que a gente fale de Bankia, cuarto banco (no terceiro como se dixo aqui)da Espanha, como si fora o primeiro banco intervenido na europa.Ese e sempre o meu discurso, como sabe.Acho dun cinsimo absoluto que un pais que recibiu mais dinheiro publico da UE que naide, e se o demostro cando queira, entre 1992 e o plan Hart IV e n 2003, venha agora dando leçoes a o resto da europa.Nao que en España, maior aliado historico da alemania en europa, desde fai 500 anos, fique un pouco farta de tanto ataque mediatico contra ela (e porsuposto tamen Italia e os demais, incluida Francia), cando alemania gastou mais de 350 bilhoes de euros pra sanear as pesimas contas da banca alema en 2007-2009.Ou Inglaterra, que gastou mais de 250 bilhoes.Ou Holanda que tivo que ponher 85 bilhoes,nun pais de 17 milhoes de habitantes, pra sanear fortis e ING.Y en os EEUU, so as axudas publicas a ING forn de forOn de 140 bilhoes de €.E as axudas pra tuda a banca dos EEUU foron de 600 bilhoes, ata agora.¿e que a gente nao lembra disso?¿e que a gente nao lembra do que debe EEUU (15 TRILHOES dolares)ou ALemania (3 trilhoes de dolares), ou Inglaterra (2.5 trilhoes de dolares)?.
    Pero nao e so isso, Pillon.Voçe di que Alemania nao pidiu axuda ¿pero de que me esta a falar?.Alemania foi o pais que mais dinheiro publico recibiu nos ultimos 20 anos na UE.So os fundos estructurais e os de cohesion para ex-alemania (21 milhoes de habitantes,dois Grecias xuntas o meia Espanha) forn moito maiores que a ningun pais da UE.
    ¿Me di que Alemania nao ten problemas industriais cando e un dos paises mais afetados pola deslocacion industrial?.¿Sabe canto vai crecer Alemania no 2012?¿e que os alemaes da dereita nao se dan conta que si Francia, Italia e Espanha afondan su crisis, alemania vai detras de cabeza, porque depende industrial e financieramente deles?

    • Enviado por: Javier Vidal

      Parece que a gente xa esqueceu como foi a coisa

      http://www.diariovasco.com/20081003/mas-actualidad/economia/congreso-ultimo-paso-antes-200810031824.html

      Parece que Espanha e o novo caso de intervencion bancaria, e que os demais nao sufreron o mesmo o mais:

      http://www.diariovasco.com/20081005/mas-actualidad/economia/posibles-salvadores-banco-aleman-200810051053.html

      O caso de Hippo, del que falo moito porque conhoçi de primeira mao, foi exatamente igual al de Bankia, exatamente igual (pero dous veces mais caro), eles arrastraban os problemas da filial dedicada ao ladrillo, Depfa, que tinha a sua sede en Dublin, para pagar menos impostos.
      E por tudo isto que, as veces, fico moi enfadado, como si o asunto da maquiagen da banca alema nao fora tao grave como o caso espanhol, como si nos foramos a ovelha negra e eles, os que fan tudo correto.O tempo dira, Pillon, si Alemanai fica tao ben como voçe acha, especialmente si os gregos deciden nao seguir o xogo sicopata de Merkel de reducir a la nada un pais, a cambio dun dinheiro que ponhemos TUDOS OS EUROPEOS nao so os alemaes.¿Por que alemania ten que ponher tantos obstaculos a as axudas, que eles recibiron mais que nadie, cando somos tudos os que as pagamos?-Ese e o problema, Pillon.Si voçe supera as malas vibraçoes que a pòlitica de Merkel estan a producir nao so na Espanha, tamen na França, na Italia, na Holanda,etc,etc, nao diria que Alemania e “paternalista e solidaria con os seus socios”, por que Alemania necesita mais a europa, que europa a Alemania.
      Eu nao falaria asim deles si eles nao falaran asi de nos.Si eles pasan o dia enteiro a facer burla dos espanhois , da forma mais primitiva e ruin,como comprendera, os espanhois nao vamnos quedar calados, nin os franceses, nin os italianos.Ao fin e ao cabo esos tres paises suman o 65% da riqueza da area euro.
      Saudos.

  20. Enviado por: Pillon

    Vocês já viram isto

    http://www.youtube.com/watch?v=8dNvi4apE8s

    Vale a pena ver.

    Abs.

    • Enviado por: Vicente

      Pillon,

      Realmente emocionante!!!

      No meio de assuntos tao tristes e preocupantes que tratamos aqui, isso foi um…, sem palavras.

      Abrç.

      • Enviado por: silvio corrêa

        Pillon

        Bom o vídeo

        segurança e determinação

    • Enviado por: Pillon

      De fato Silvio, segurança, tranquilidade e determinação!

      Vicente, simplesmente emocionante!

      (Depois comento mais)

      • Enviado por: Mario Pw

        Caríssimo,

        mais um que já era vencedor antes mesmo de entrar no programa. Trabalha com idosos, tem compaixão e generosidade. Deixou os 2 Howie de boca aberta. Cada vez mais somos conhecidos lá fora não só batucando tambor.

        • Enviado por: Mario Pw

          Em compensação os elementos que temos lá no Congresso e no Senado…é embaraçoso demais.
          Mas cada povo tem o governo que merece, vamos continuar tentando melhorar.

  21. Enviado por: silvio corrêa

    Particularmente acho que haverá pouca mudança de hábitos com o ambiente juros baixos e inflação baixa.

    A não ser por parte do governo que talvez tenha dinheiro para investimentos.

    Acho que empresários em geral, micros , médios e a população em geral continuarão com o pensamento no curto prazo, isso devido à grande influência do Governo no mercado, só um choque de competitividade muda hábitos.

    Seria como convencer um dono de clube de futebol a profissionalizar sua administração ao invés do mesmo priorizar seu próprio patrimônio (terras no MT, soja, ) e dever INSS e atrasar salarios.

    Não há motivos financeiros para a visão de longo prazo, mesmo com a tomada de juros baixos, pois isso é apenas parte (apesar de ser o principal) do problema.

    Na situação de juros baixos e se o governo ao invés de tributar insumos básicos à produção, começar a subsidia-los (não só nos insumos, dar dinheiro vivo a quem ganha mercado no exterior), é o sinal que o governo estará começando a delegar a tarefa de inovação e competitividade e pensamento de longo prazo ao empresário, que por consequencia seria o início da mudança de hábito

  22. Enviado por: Alexandre

    Javier, lindos lugares, obrigado.

    Para te animar um pouco, apesar de toda a especulação imobiliária na Espanha, aqui também, este setor tem a vantagem da permanencia dos investimentos nos locais que ocorreram, um dia voces verão que as estradas, casas, prédios e etc serão utilizados e lembrarão que nem tudo foi desperdício. Vamos dizer que a infraestrutura estará pronta para uma nova fase de desenvolvimento sustentável.

    Agora, para visitá-lo e conhecer seu lindo país, vou esperar voces voltarem para a peseta, mais barata, já que o real também está dançando….. :)

    • Enviado por: Alexandre

      Javier, é o seguinte, todos os países se beneficiaram com o euro, cada um à sua maneira e aproveitando de maneiras diferentes seus recursos.

      Voces criaram uma moeda na paridade com o dolar e aproveitaram a alavancagem para investir, cresceram muito neste período e assumiram dívidas, conscientemente.

      O que não ocorreu por falta de vontade política foi a unificação fiscal pois esta exigiria a abertura das contas internas de cada governo e do sistema financeiro de cada país.

      O resultado desta unificação fiscal seria abrir mão da independencia política, submeter-se à um orgão europeu que ditadiria não somente políticas economicas como sociais também.

      Esta na cara que a maioria dos páises não estavam prontos ou talvez nunca quiseram.

      Fica agora o alerta do Soros que voces tem 3 meses para resolverem seus problemas, sendo que a Lagarde deu menos tempo ainda…

      Volto a afirmar, como brasileiro, que esta tática de um jogar a culpa no outro é do arco da véia, muito utilizada aqui.

    • Enviado por: Javier Vidal

      Caro Alexandre
      So mandei isso pra sair un pouco da locura de estos dias na europa.E o fixen porque ese caminho (cuasi 800 km)o fixen nunha epoca de mi vida moi triste (morrera un irmao..).Aquelo foi unha salvacion, aquelos sitios que o documental apenas passa polo aire, sao un paraiso precisamente porque nao foron invadidos polo ladrillo e a especulaçao.Si lhe mostro a costa mediterranea, dificilmente encontrara tanta praia virgen.E outra coisa.
      En canto a o outro o tema do dia,si eu escribo aqui con certa dureza contra Merkel e os conservadores europeus que a siguen (cada vez menos) e porque eles, a traves dos seus organos mediaticos, Der Spiegel na Alemania e Financial Times na Inglaterra, nao paran de facer criticas brutales, a maioria mentiras da peor cualidade, con certo tono racista, xenofobo, que sempre aparece cando un ten algun complexo de algo.
      ¿De verdad que voçe nao lhe parece extrano, bizarro, que Inglaterra conserve por exemplo a triple A de clasificacion, con treinta puntos mas de deuda publica que Espanha?¿nao lhe parece que o pais mais endevidado do mundo nao deberia tenerla?¿nao lhe parece extrano que con un deficit publico do 9.5 (Espanha, 9) Inglaterra nao haya sido rebaixada de clasificaçao?.Nao lhe parece extrano que Alemania conserve a triple A debendo o 30% do dinheiro da area euro (casi tres trilhoes de euros, Espnha 0.8)?¿Nao lhe parece raro que un pais con 8 milhoes de minijobs y un 23% de pobreza nao salga nunca nas opiniones de Standar and poors?
      ¿Nao lhe parece raro que se focalice constantement a Espanha na midia anglo e nao se fale de eles, que fican igual o pior?.Si digo que EEUU intervino 420 bancos en dous anos, e que e certo.E si digo que alemania gastou cinco veces mais que Espanha en tapar o lixo dos seus bancos, e porque e asim, nao o invento.Hippo Bank foi o maior rescate europeu ata agora.Pero nao defendo nin a banca espanhola (ni ningunha, tudas sao iguais, aqui parece que hay gente, e nao vou decir naomes, que pensa que so a banca da Espanha minte.Que lhe pergunten a Leman Brothers ou a Citibank)
      Saudos.

  23. Enviado por: Vicente

    Mario PW,

    Leia esta matéria sobre oque estavamos falando sobre Bankia ter sido criado a propósito( ser sistemico), infelizmente os “criminosos” se deram bem, continuarao com seus bancos “estaduais”.

    Os bancos pequenos( e inviaveis) vao para o buraco, e o governo de España garantizara SÓ AS CONTAS até 100 000 euros( o resto, acionistas, etc… que se F…), no entanto com essa manobra de criar Bankia, preservaram (Caixa Madrid e aValenciana, as quais na verdade eram as mais podres e que se prestaram para todo tipo de sujeira para os “governadores” de Madrid e Valencia( eram , e sao território eleitoral privado do partido do actual Presidente Rajoy, o PARTIDO POPULAR).

    http://www.elmundo.es/elmundo/2012/06/13/economia/1339600691.html

    Abrç.

    • Enviado por: Mario Pw

      Vicente,
      Preciso primeiro te pedir desculpas porque na maioria das vezes não consigo responder no dia. Eu sou aquele paulista estressadíssimo. Naquela manhã que conversamos eu estava trabalhando em casa porque era dia dos namorados e queria agradar à esposa e minhas filhas também.

      Voltando ao FROB, que é uma agente espanhol,vai ter lambança. Estamos às voltas com BC, FGC e Cruzeiro do Sul.

      Não tem jeito, vai acontecer uma série de “resoluções” de desalavancagens e só tem 100bi para fechar os negócios e limpar os débitos ruins, e os mais vulneráveis vão dançar. Se salvarem os grandes “B….as” como diria o Riccardo, mais para à frente talvez 1 a 2 anos, vai ter crise soberana. Mesmo que os banqueiros ganhem seu eurobônus, divida é dívida, a economia espanhola vai sofrer mais do que já esta sofrendo.Torço por você.

      • Enviado por: Vicente

        Mario Pw,

        Nem esquente com isso, é o normal aqui, escreve-se quando tem vontade, e responde quando se pode.

        Abrç.

  24. Enviado por: Pillon

    Javier,

    Muito bonito o vídeo, parabéns.

    Quanto ao que discutimos, você passou “batido” (se não entender o termo, eu explico) pela falência da empresa Schlecker, fundada em 1965, com CINQUENTA E DOIS MIL funcionários – sabe quantos funcionários tem a KIA que exporta para o mundo todo? 42.000!
    Pois é a firma Schlecker pediu FALÊNCIA e o governo atendeu! Espero que que não feche de vez, que haja uma solução.
    Pois então, pelo que vejo, aqui não tem essa de “too big to fail”!
    A empresa é PRODUTIVA, distribui produtos com capital próprio, nem preciso dizer mais.

    Claro, você tem razão, a Alemanha tem sido esperta e obtido benesses para este ou aquele fim. E ainda dá as cartas, diz o que este e aquele país tem que fazer.

    Pois é, alguém tem que fazer o trabalho sujo!

    Abs.

    • Enviado por: Pillon

      Novamente se discute aqui o imposto sobre transações financeiras (uma CPMF).
      Se ele ficar na esfera de operações que não incluam aplicações financeiras e poupança de pessoas físicas, ainda tenho restrições.
      Mas se vier com a abrangência e estupidez que foi a CPMF no Brasil, vendo tudo e vou me juntar ao meu sobrinho lá em Auroville!

      • Enviado por: Alexandre

        Uma que também li este final de semana, era em relação ào Brasil mas serve:

        Dizem que o Kruchev ào passar o poder para o Breshznev(tá errado o nome, mas vá lá), entregou 3 envelopes para serem abertos em caso de crise.

        Na primeira crise ele abriu o envelope e estava escrito “ Jogue a culpa em mim´´, veio a segunda crise e o segundo envelope ´´ Jogue novamente a culpa em mim´´, na terceira crise ele abriu o último enevelope e estava lá ´´Escreva mais 3 envelopes´´….

        Lembrando desta época, podemos dizer que evoluímos. Antigamente à primeira ameaça de crise, calotes, desvalorizações, os tanques iam para as ruas. Hoje emitem papéis, dívidas à torto e à direito, onde todos os países acabam sendo obrigados à comprá-las. Legal né!

      • Enviado por: Mario Pw

        Sabe que não é má idéia para voce retornar à pátria amada, morando numa cidade pequena e tranquila….Tem os Alphaville também de Curitiba, Goiania….Estou dando uma força em homenagem ao Takaoka Albuquerque hehehe

    • Enviado por: Pillon

      :D

      Boa, Alex! Eu pensava que Frau Merkel, depois de tantas críticas e pressão, fosse passar três envelopes adiante.

      Hum…

      Notou que quando realmente há uma crise troca-se o primeiro-ministro, que nem tem a cortesia de passar ao outro um envelope sequer? Simplesmente some, desaparece. Onde anda Berlusconi, com os seus 6 bilhões de euros?

      Pois é, ao contrário, a Alemanha troca o presidente, não por que houve crise, mas porque um entrou numa controvérsia sobre a ação da Alemanha no Afeganistão e ou último por alegada corrupção quando era P.M. da Saxônia.

      Jr, eu já peguei o meu pedaço de Europa enquanto se esfacela e não largo dele. :)
      Daqui não saio, daqui ninguém me tira. Só a CPMF, se vier.

      Como não houve bolha imobiliária, não tem problema, o Bundesregierung providenciou a construção de muitos viadutos para que o povo alemão tenha um lugar para morar.

      E vamos vivendo enquanto a civilização ocidental vai à falência. Apesar de “too big to fail”, pelo jeito, ao que noto, se depender da Frau Merkel, ela vai falir mesmo. Espero que aconteça depois do Oktoberfest.

      A inflação aqui, à beira dessa falência, fechou em maio, 1,9% no acumulado de 12 meses (não é Core Inflation como nos US é Consumer Price Index, similar ao brasileiro!). Houve aumento dos preços de energia, principalmente gás russo.

      XOXO

    • Enviado por: Javier Vidal

      Prezado Pillon
      Nada mais longe de min que criticar as industrias alemas.Escribo tao mal en portunhol que probablemente me explico mal.Eu o unico que digo e que parece que agora Espanha e a culpable da crise do euro, a unica culpable, cando todos sabemos donde e cuando empezou esta crise.Tudo o mundo fala do moito que gastou espanha, cando como voçe sabe Espanha fai tres, cuatro anos, tinha unhas cifras estructurais moito, pero moito melhores que as de Alemania.Nin Espanha gastou mais que outros paises, porque se nao a sua deuda seria maior e nao é, ao contrario, sigue sendo moito mais baixa y eso e asim.Nada mais.
      Me fala de empresas produtivas como si so Alemania as tivera.Nunca as empresas espanholas tiveron tanta externalizaçao como agora.Aqui tamen temos empresas produtivas, nao so alemania.No hay ninguna empresa alemana que valga mais que Zara en bolsa, por exemplo.Tampouco alemania ten unha empresa con 350 milhoes de clientes con un valor en bolsa maior que wolkswagen, por exemplo, como e telefonica, que tamen e a empresa europea que mais invierte en I+D.Acs se fixo con a amior empresa de ingenieria alema fai dous anos.E Santander e 4 veces mais grande que o Deuscthe bank.Sigue sendo o maior banco europeou con moita diferencia.As empresa de construçao de buques espanholas sao moito mais diversificadas e avanzadas tecnologicamente que as alemas, de feito a maior parte da flota alema e, a de noruega ou a de Venezuela, Rusia ou Japon, foi feita na Espanha.O sistema Galileo (Instalaçao de 150 satelites para competir con o GPS dos EEUU en 2020), que e con moito unha das maiores inversoes tecnologicas, xunto a o CERN e airbus (donde a colaboraçao da Espanha e fundamental) que se vai facer na europa nos proximos 20 anos, foi diseñada en boa parte por Indra, o maior constructor de satelites europeu, que e espanhola.
      Poderia seguir asim, pero nao creo que sea a forma.Simplesmente lhe digo que Alemania tera os seus graves problemas e os continuara tendo si sigue presionando e criticando da forma en que o hace a os demais.
      Alemania e Espanha e viceversa, isso e o que eles nao entenden.Chegara un momento Pillon en que Alemania vai ficar sosinha, xa casi o esta.E Merkel nao ten nin o poder nin a capacidade pra tentar convencer a o resto de paises,e a o resto do mundo que clama por un cambio na europa,pra seguir asim.Alemania, unha vez mais, nao e capaz de ver mais ala das suas narices.Tuda europa fica cada vez mais farta de Merkel, nao e so eu.Incluso Rajoy, que e xunto con o presidente da Polonia, Tusk,E algun pais minimo en habitantes , como austria ou Finlandia, os que , de momento, lhe apoian no europarlamento.Xa veremos despois das eleçoes na Grecia.
      Saudos

  25. Enviado por: Marcelo Aguiar

    Boas férias Kupfer.

  26. Enviado por: Marcelo Aguiar

    Da crise da dívida soberana, financeira e bancária já foi tudo dito. A solução é que não vai ser aplicada, isso tenho pouca dúvida. O Japão quando quis sair do caos pós 2ª guerra, a população trabalhou 14 hrs dia, 7 dias por semana (exageros a parte), empreendedorismo árduo, expansão internacional das empresas, fusões, etc etc. Acha que é possível um mínimo disto tudo na Europa?. Sindicatos atados à extrema esquerda manipulados constantemente para derrubar governos, por isso essa gangorra nos parlamentos. Hoje partido socialista (trabalhistas incluidos), amanhã partido popular (social democracia, sociais cristãos, conservadores. Empreendedorismo não funcionaria, porque o número de empresas já é elevado, com faturamento médio por empresa muito baixo. Um exemplo: Portugal tem 90000 estabelecimentos no setor da alimentação, bebidas e similares, uma taxa 3x superior à média européia por 1000 habitantes. E uma geração inteira que tem o empreendedorismo como um ataque ao estado social, tendo sido doutrinada anos a fio com a dependência do estado para tudo. Já no ventre da mãe o cidadão já está inserido no estado social como dependente e é levado ao colo até a morte. Uma situação muitissimo parecida com o comunismo de estado que levou ao colapso do leste europeu. Em países como Espanha, Grécia e Portugal as fusões de pequenas e médias empresas me parece um cenário utópico. Na Irlanda, por razões culturais, ainda acho que é possível, mas nos restantes é difícil. Esses países têm uma estrutura muito familiar e fundir empresas ameaça o nepotismo reinante. Uma situação também presente nas grandes empresas, até mesmo as cotadas em bolsa, que dispersam capital mas só até 49%. O resto fica na família. Qualquer aumento de capital é traumático para o mercado e muito difícil sem recorrer a empresários predadores. Estamos diante de um beco sem saída na Europa, acho eu, ou pelo menos um beco muito apertado. Nos países ditos periféricos a expansão internacional de empresas para ganhar mercados está amarrada por uma aposta apenas na expansão de exportações e pela existência de marcas pouco apelativas.

    • Enviado por: Javier Vidal

      Prezado Marcelo
      Con tudos os meus respetos, eu acho que nao ten boa imformaçao: as pequenas empresas familiares de tecnologia han crcido mais en Espanha que en ningun pais da UE.
      Nao e so que a externalizaçao das industrias de pequeno porte crecera mais que ninguna, se nao que e un dos poucos motivos de orgullo que quedan en este pais.
      Espanha e o terceiro maior exportador da UE, tras Alemania e Italia.E tamen o unico que produce mais do 50% do PIB FORA do seu territorio.E o maior inversor en mais de 20 paises do mundo (Mexico, Peru, Chile, Colombia,o segundo inversor en Brasil, donde ten mais de 800 empresas de grande e pequeno porte, o terceiro en EEUU, etc,etc).
      Con tuda a pocaria que esta a caer, que Espanha tenha agora superavit comercial graças a moitas pequenas empresas que sairon fora, pra mi e un logro, o unico boo que pasou nos ultimos anos.
      Lhe deico o link do INsttito tecnologico de massachussets, referencia mundial en tecnologia, donde aparecen algunhas das mais de 5000 patentes tecnologicas da Espanha, que por si nao sabia e un dos paises con mais patentes tecnologicas nos ultimos dez anos.SAO tudas empresas pequenas, familiares, que han externalizado o seus produtos moitos mais do quer se podia esperar:
      http://www.spaintechnology.com/icex/cda/controller/pageGen/0,3346,1559872_6406659_6419171_0,00.html
      So pra que vote unha ollada.
      Saudos.

      • Enviado por: Javier Vidal

        Prezado Marcelo
        Si ten a ben, voçe vote so unha ollada nas paginas da parte de abaixo, e logo me di si as empresas familiares nao han feito as coisas moi, moi ben a pesar da horribel coyuntura economica.Tudo un orgullo, o unico do que me sento orgulloso, en realidade, deste pais encalacrado.Pra min, estas empresas sao verdaeiros heroes, e me merecen mais respeito que os bancos, os politicos, as instituçoes e os presidentes barangos e semianalfabetos que nos ha tocado soportar na europa.
        Isto e o futuro, Marcelo.O unico que Espanha fixo ben de verdade.Pode criticar a Rajoy, e con razao,pode criticar o que queira, pero as microempresas espanholas que sairon fora, esas sao modelo de futuro, un verdadeiro orgullo.
        Se nota que trabalho no ICEX (Instituto de comercio exterior) pero o que di o M.I.T e certo.A crise tapa estos grandes logros de empresas familiares que se convirtiron en referencias tecnologicas mundiais, pero eso e asim.
        Me parece que o que di dos temas familiares corresponde a outra epoca e outro siglo.Xa lhe gostaria a moitos paises ter isto, o unico bon, repito, que Espnah a feito nos ultimos anos.
        Saudos.

        • Enviado por: Marcelo Aguiar

          Há um certo padrão mundial, pelo menos entre países ditos desenvolvidos e em vias de desenvolvimento, que aponta para que pelo menos 70% dos empregos existentes são gerados pelas PME. Há países onde esse valor ultrapassa os 85%. Há alguma coisa errada em Espanha. Admito que hajam empresas em Espanha de alto valor tanto PME com grandes empresas, mas reafirmo que alguma coisa vai errada nos números espanhois, porque o desemprego, agora e mesmo antes da crise (quando a Espanha crescia a uma média de 3% ou mais ao ano), quando era apontada como exemplo de saúde econômica, era acima dos 15% (quase 4 milhões de pessoas). Agora vai já em 5,4 milhões. A subida não se explica apenas com a crise, até porque a recessão ainda nem chegou com força à Espanha. Esse valor subiu tanto com uma economia com baixo crescimento ou leve queda do pib (excessão 2009). 5,4 milhões de empregos nem se criam com grandes empresas e mega projetos empresariais, nem se perde num cenário de PME competitivas, dinâmicas e internacionalizadas. A realidade é que há uma real e crítica fragilidade destas PME, em muitos casos descapitalizadas há anos, gerando assim baixo investimento privado. Tudo tem sido escamoteado com injeção de dinheiro bancário via setor imobiliário e obras públicas, que agora implodiram, mostrando toda a verdade da economia espanhola.

          • Enviado por: Marcelo Aguiar

            Corrigindo: Exceção e não Excessão. Pensei recessão ao mesmo tempo que escrevia.

          • Enviado por: Mario Pw

            Caro Aguiar,

            Acho que você apontou aspectos pertinentes:
            “Espanha crescia a uma média de 3% ou mais ao ano), quando era apontada como exemplo de saúde econômica, desemprego era acima dos 15% (quase 4 milhões de pessoas). A realidade é que há uma real e crítica fragilidade destas PME, em muitos casos descapitalizadas há anos, gerando assim baixo investimento privado”.

            Não conheço a economia da Espanha, traga mais informações.
            Mas como turista, eu tive a impressão que houve baixo investimento privado para as PME principalmente no seu sistema educacional que não foi voltado para este segmento e sim voltado à filosofia de P&D como as universidades americano.
            Parce haver um descompasso entre a realidade dos pequenos que tem uma necessidade específica vs o desejo da elite e das grandes companhias.

          • Enviado por: Javier Vidal

            pREZADO MARCELO
            Por suposto que hay coisas que van mal en Espanha.Eu nao estou dicendo que fique ben, so digo que Espanha nao e o pais que se pretende dibuxar na midia inglesa ou dos EEUU.Cando falo de esas pequenas empresas e porque algo conhoço, pero nao falo por “compara” o por arrogancia, entendame.E so pra nao esquecer, por si existen dudas, que este pais de “P.I.G” , ou de “periferico” nao ten nada.Os insultos de Jim O neal, famoso neoliberal que lhe da por ponher nomes despectivos a os paises,resultan tan despectivos, tao mentiroso e manipulados, tan ofensivos que e un dos motivos principais das minhas aparicoes aqui.Si hay algun pais periferico na euroapa, esse e Inglaterra, sin ningun genero de dubida.
            En cuanto a esso 5.4 milhoes de persoas sen trabalho, unha tragedia terrible, lhe recordo que sao postos de trabalho FORMAIS.Aqui, ao contarrio que en Brasil ou Argentina, a economia imformal NAO SE CONTA nas estadisticas do estado.Si Espanha fixera como o IBGE,enquisas so a o 10% da populaçao, sen discriminar que e formal e informal, o desmprego seria moito mais baixo (e artificial).
            Tamen lhe recordo que de esos 5.4 milhoes, mais de tres sao extrangeiros que moran na Espanha.
            E so para recordarle, nao para justificar o paro na Espanha, que e tremendo e moi duro.Pero o unico que lhe digo e que si nos tiveramos un 40% da economia imformal, como di o IBGE que ten en Brasil, o nosso paro seria do 40%.
            Espero haberme explicado ben.
            Saudos.

    • Enviado por: Mario Pw

      Caro Aguiar,

      muito boa colocação.

      • Enviado por: Mario Pw

        Aguiar e Caros,

        Olha só o que aqueles “quantitatives and easy liquidity” fez com o mercado de dividas soberanas. É claro que todos vão correr para a segurança dos seus tesouros de alguma maneira:

        “Spanish banks are buying Spanish bonds, Italian banks are buying Italian bonds and British banks are buying British bonds — this home bias is escalating and it is unlikely to abate anytime soon,” said Carmen M. Reinhart, an expert on international finance and sovereign debt at the Peterson Institute for International Economics in Washington.

        Aside from the immediate effect of diverting banks from their primary charge of making loans to businesses and individuals, Ms. Reinhart points out that this practice backfires if the country reaches the default point, as was the case with Greece. “Then you are doomed,” she said.

        http://www.nytimes.com/2012/06/08/business/global/madrid-leans-on-its-troubled-banks-for-financing.html?_r=1

        E nós já vivíamos esta situação há décadas: ”diverting banks from their primary charge of making loans to businesses and individuals”.
        Claro que preferem emprestar aos estatais e aos governos, sim temos os municipais, os estaduais,além do federal, uma estrutura gigantesca.

        Até o Prof. Krugman escreveu que ia pedir desculpas ao Imperador…..hehehe.
        Só o Japão conseguiu sobreviver uma década deste “loop” junto a deflação e estagflação porque tinha e ainda tem as suas empresas exportadoras como colchão.
        E lá a economia privada é que tem comprado há mais de 10 anos títulos públicos sustentando mais de 220% de dívida pública. Conseguiram comprar tempo precioso para as 4 ilhas, porque há capital para a nova geração e suas empresas migrarem para investir em outros territórios se houver o “doom” e o “boom”.

        Não é lutar contra banqueiros para baixar juros, estes já sabiam que os juros tem que baixar se quiser receber os serviços da dívida…hehehe.
        É o que Nick já escreveu : eles tem que ter gratidão.

        Pillon, fique tranquilo se quiser ficar na Alemanha. Alemanhã construiu um colchão tecnológico enorme lá na china nestes últimos 10 anos….hehehe

  27. Enviado por: Marcelo Aguiar

    Novamente digo boas férias Kupfer. O meu comentário parece não ter entrado, portanto boas férias.

  28. Enviado por: Marcelo Aguiar

    Quanto a solução para a crise européia não vejo jeito de resolvê-la. Voce vê os estadio da Eurocopa todos cheios em junho. Depois vem férias e vai todo mundo de trailer e low cost para a praia. Resolver a crise como? Até o Pm da Espanha foi ao Euro enquanto pedia ajuda externa. A coisa está feia.

  29. Enviado por: Riccardo(California,USA)

    Tranquilidade em JPK, ferias de um mes!!!…

    Da um abraco na Luluzinha pra gente…

    Boa viagem

  30. Enviado por: uma curiosa

    Fiquei aliviada…A Grécia e o declínio da civilização ocidental terão que esperar o seu retorno para qualquer movimento importante. Bom descanso, Kupfer.

  31. Enviado por: Jr.

    Às vezes a gente ouve as tolices do Fantástico e das novelas da Globo e acha que idiotice é privilégio das ondas televisivas do nosso país.

    Pois bem: há alguns dias a Cristiane Ananpour, de volta à CNN, entrevistou a Christine Lagarde, a atual diretora do FMI. Entre umas e outras, a Cristiane Ananpour sai com a seguinte pérola: “would Ângela Merkel get so much criticism if she weren’t a woman ?” Resposta de Lagarde: “No.”

    Convenhamos: a Europa se desmanchando aos pedaços, a Espanha sendo rebaixada novamente pela Moody’s, a “Crônica da Morte Anunciada” (do Euro) em pleno andamento à espera das eleições gregas no domingo que vem: … e essas duas preocupadas com susceptibilidades feminísticas …

    Ora, bolas. Tudo tem limite. O que importa não é a natureza do órgão sexual do(a) atual chanceler da Alemanha, mas sim o tamanho do estupro que a mesma causou à economia européia e à economia mundial.

    • Enviado por: Riccardo(California,USA)

      Ahhhh….Jr,

      Recebeu a dose do proprio remedio…seus comentarios sao anti-women…

    • Enviado por: Jr.

      Riccardo,
      Peraí, anti-women não. Em absoluto. São anti-tolice e anti-Merkel. Isso você pode dizer.
      Abs.

  32. Enviado por: Riccardo(California,USA)

    Ooops, A Presidenta Dima deu uma bofetada nos amigos Javier e Vicente…

    “Nós vamos continuar ampliando o consumo da população brasileira, sim. E mais. E mais. Esse mercado é um mercado ainda incipiente do ponto de vista de crédito. (…) não nos comparem com países que estão com desemprego de 54% na faixa jovem.”

    beijocas…

    • Enviado por: Javier Vidal

      PRezado Riccardo
      Bofetadas, meu caro, recibimos aqui tudos os dias.Mais que bofetadas, cuchilladas no figado, pra que a morte sexa mais lenta e dolorosa.A sua presidenta ten razon en moitas coisas, pero que tampouco se suba tanto en arrogancia, nao vaia a ser que de tanto pregar polo consumo acabe consumindo de mais, e logo endevidandose.
      Por cero, os meu pesame pola morte de un dos mais queridos e brillantes escritores USA do seculo XX: O Sr.Ray Bradbury, con o que pasei a minha xuventude leendo as suas maravilhosas historias.
      En cuanto a comprar dolares…vou ter que acabar dandolle a razon a o paso que vamos.Pero de momento prefiro o ouro que os dolares.Xa sabe que os espanhois temos unha fascinaçao historica con o ouro, je, je ,je.
      Saudos, outro dia lhe falo das aventuras do seu queridinho Mitt Ronney na Espanha cando era mormon.

  33. Enviado por: Jr.

    Pillon,
    Realmente, se depender de Ângela Merkel, a Europa (que é “too big to fail”) vai mesmo afundar cada vez mais, haja visto o discurso dela hoje no Bundestag.

    Agora, é bom fazer uma distinção entre as políticas de Ângela Merkel e a de outros alemães. Hoje, também, o líder do SPD, Frank Walter Steinmeier, disse:

    “When 27 European nations simultaneously do nothing but tightening their budgets, then this is not a way out of the crisis, that is the way into recession,” German opposition leader Frank-Walter Steinmeier said in a response to Ms. Merkel’s speech.

    Fiscal consolidation must be accompanied by growth stimulating measures, he said. “Ever new bailouts do not help if we strangulate growth in Europe,” he added, referring to the rescue loan packages European nations provided to Greece, Portugal and Ireland to keep those nations afloat.

    Vale ressaltar que Frank Walter Steinmeier é do mesmo partido que Gerhard Schoeder (SPD), que foi quem fez as reformas que deram impulso à competitividade alemã. Ou seja, se a Alemanha está colhendo algum benefício de reformas econômicas, estas foram realizadas pelos opositores de Ângela Merkel e não por ela e pelo partido dela, que estão apenas colhendo os frutos do passado e agindo no sentido de destrui-los, através de sua intransigência míope. Fora, Ângela Merkel ! Os alemães precisam acordar pra o abismo onde a estupidez dessa senhora os está conduzindo e colocar outro partido no poder agora. Ou será que vão continuar apoiando a estupidez mais uma vez ? Ninguém aguenta esperar até 2013.

    • Enviado por: Pillon

      Isso mesmo fora Merkel!!! Quer dizer, Frau Merkel!

      No entanto eu, você, os políticos alemães, os de outros países da zona do euro e o resto do mundo, que “enxergam” esses problemas na Frau Merkel, só ficam no discurso, não fazemos nada para afastá-la, protestamos e continuamos nossa estupidez.

      Hum…

      Outro palavrão que parece o dragão da inflação: RECESSÃO

      Isso é problema mesmo…

      …para países que “gospem” gente pela janela, que não fazem uma distribuição de renda ou não tem um aparato de atendimento social adequado, que se basearam num esquema ponzi, de pirâmide, precisam crescer, crescer, crescer…

      O grande problema do Brasil, e outros ditos “em desenvolvimento”, ao ingressar na onda neo-liberalista (que forçou o Sarney assinar uma lei de ajuda aos desempregados) residiu na sua parca estrutura de atendimento social enquanto que países europeus avançaram nesse sentido, que os permitiu promover as privatizações e nadar de braçada nessa empreitada.
      Jr (talvez nem precise nem falar, você que mora no sul pode avaliar) entenda que a cultura alemã (e as daqui para o norte) se acostumou com vacas magras e magérrimas, trabalha duro quando pode e economiza o que pode. Não diria que gastam pouco, não. Gastam mas gastam parcimoniosamente.

      Na minha avaliação, um país em que o “welfare state” tem privilégio, pode encarar uma recessão de 5 a 8 anos. Eu poderia, sem utilizar-me de recursos do estado e ainda dando emprego, tipo mini-job, porque sou pequeno.

      Estude o caso da Noruega, como sugestão.

      Agora, vou me preparar para o Oktoberfest fazendo um alterocopismo.

      XOXO

    • Enviado por: Pillon

      E o Mario Pw me alegra ainda mais!

      PROST!

    • Enviado por: Jr.

      Pillon,
      Isso que você fala é verdade. É por este motivo que a Espanha, com um desemprego superior a 20 %, ainda não entrou numa convulsão social. E imagine que tem muitos que atribuem as mazelas da Europa ao Welfare State. Agora, numa situação de descrescentes receitas públicas, como no caso atual, daqui a pouco vão surgir várias vozes propondo cortes no Welfare como forma de reduzir as despesas públicas e equilibrar o orçamento. É só esperar para ver.

      Sobre a defenestração de Frau Merkel, acho que o pessoal do SPD e dos Verdes poderia começar a fazer uma campanha nesse sentido. Pelo menos alertando a população para os riscos da política econômica nefasta e equivocada dessa física crescida na Alemanha Oriental e guindada à condição de primeira ministra por indicação de um dos maiores apoiadores do Euro e da integração européia, Sr. Helmut Kohl, o qual, imagino, hoje deve se arrepender de tal indicação.

      Abs e bom levantamento de copo.

    • Enviado por: Pillon

      Vou levantar uns em homenagem à sua “resistência”.
      Cê num gosta dela mesmo, ehm?
      Depois de uns tragos ela até lembra a Catherine Deneuve, não acha?
      Já levantei uns!
      Abs.

      • Enviado por: Mario Pw

        Pillon,

        voce pode ficar tranquilo aí e beba por mim!!!!!
        Só bebo quando viajo de férias.

        Mas, sabe como é gato escaldado.Por precaução e hedge diminua as suas alavancagens já.
        Garantir cash para poder ter mobilidade nestes próximos 5 anos.

    • Enviado por: Jr.

      Hehehe. Catherine Deneuve é ótima. Como é mesmo que diz a música do Kleiton e Kledir ? “… depois do terceiro ou quarto copo, tudo que vier eu topo …”.

      Mas voltando ao seu outro comentário e deixando de lado “La belle de jour” da Pomerânia, talvez o Welfare permita suportar 5 a 8 anos de recessão. Mas será que aguentaria de 5 a 8 anos de “depressão” ? Qual a diferença entre recessão e depressão ? Segundo alguns práticos, é: “recessão é quando o seu vizinho perde o emprego; depressão é quando você perde o emprego!”.

      Abraços.

    • Enviado por: Pillon

      La belle de Jour da Pomerânia! :D

      As vezes a imagino como uns daqueles bonecos de ventríloquo, com aquelas marcas na boca. Obviamente o ventríloquo não é o Kohl.

      Já levantei muitos copos…

    • Enviado por: Pillon

      Só precisava ter os republicanos, e principalmente o BUSH, fora do governo que isso iria acontecer.
      Boas notícias, Renato. Engraçado que a produção mundial diminuiu, li de passagem em algum lugar!

      Quando o Clinton deixou o governo, o barril Brent era cotado em torno de US$ 25. Chegou a US$ 150 durante o governo Bush…

      A Petrobrás nem pode pensar em reavaliar seus preços, ao menos para cima. Pode pensar no contrário!

      Abs

  34. Enviado por: Pillon

    Marcelo, bom “approach” mas não dá para generalizar assim. A Europa não se resume a 4 países. E lembre-se que há interligações importantes com Rússia (importante fornecedor de energia) e países da periferia que não fazem parte da EU.
    Mario PW fez uma importante colocação que diz respeito a entrada da China nessa globalização, com o investimento alemão lá. Ela não teria conseguido isso sem a tecnologia de alguns desses países, empreendimento e capital destes e de outros.
    Abs.

    • Enviado por: Mario Pw

      Pillon,

      Alemanhã é campeão em patentes e softwares.

      E vamos torcer para a renovação do novo politburo chines..Hehehe.

    • Enviado por: Pillon

      E nem dá para fazer uma comparação com o socialismo soviético.
      Para você ter uma ideia, associar-se aqui, coisa comum, ocorre até em “datcha”, clubes de horticultores que compram um terreno e o dividem em pequenas chácaras de 50 m2. Constroem uma casinha de 8m2 e dedicam-se a essa segunda residência, plantando.
      O aspecto associativo não pressupõe um estado socialista, de imposição horizontal, de cima para baixo, mas deriva um estado, e governo, dessa filosofia, sem prejuízo da iniciativa individual.

      • Enviado por: Mario Pw

        Caro Pillon,

        14 de junho de 2012 – 14:08
        Enviado por: Pillon
        O aspecto associativo não pressupõe um estado socialista de imposição , de cima para baixo, mas deriva um estado, e governo, dessa filosofia, sem prejuízo da iniciativa individual.

        Eu conheço umas coisas dos alemães,holandeses e suíços: na verdade as comunidades são mais como associações e cooperativas.
        As pessoas assumem cada qual a sua responsabilidade e são proativos.

        Saiu uma notícia , fofoca, que vai te tranquilizar. O imperador vai segurar deflação até 15 anos, eu acho que a Alemanhã vai aguentar até 8 anos:
        “Investors should buy assets in U.S. dollars and other currencies of strong developed nations because Japan may default within five years, said Takeshi Fujimaki, former adviser to billionaire investor George Soros.
        “Japan is likely to default before Europe does, which could be in the next five years,” the president of Fujimaki Japan, an investment advising company in Tokyo, said in an interview yesterday. Japanese should hold foreign-currency products, such as those denominated in the greenback, Swiss franc, sterling, Australian and Canadian dollars, Fujimaki said.

        • Enviado por: Mario Pw

          Ele deveria ter pensado ou dito:
          Japan will default before “core eurozone” does.

  35. Enviado por: Ferruccio

    Prezados,

    O discurso da Dilma nesta quarta feira, dia 13, no Rio, indica o caminho que o governo quer seguir nestes tempos de crise. O governo persistirá na estratégia de incentivos ao consumo, já executada quando da crise mundial de 2008, pois “…milhões e milhões de brasileiros não têm acesso a vários bens de consumo”. Além de incentivar o consumo, através do aumento do credito, a Dilma pretende continuar com os investimentos programados.

    http://economia.estadao.com.br/noticias/economia,governo-nao-interrompera-investimento-e-incentivo-a-consumo-diz-dilma,116003,0.htm

    Nem todos os analistas econômicos concordam com essa política. Alguns dizem que nós já chegamos ao limite do aumento do crédito para consumo, e outros afirmam que o crescimento futuro depende de investimentos pesados (infraestrutura, educação etc) e de reformas, que o governo não está fazendo.

    Muitos críticos erraram no final do ano passado, quando criticaram a redução dos juros básicos, antecipando o aumento da inflação. Os fatos mostraram que o governo estava certo.

    O que o governo está fazendo agora é apostar no aumento do mercado interno como forma de se proteger contra a crise. Será que o governo está novamente certo, e os críticos errados?

    • Enviado por: Pillon

      Nós aqui na Alemanha temos uma demanda reprimida para iates, casas de campo, fazendas de 2000 alqueires, casas em praias tropicais, verão gostoso de mais de dois meses, safári na África, visita ao Dalai Lama, galgar o Everest, viajar o mundo sem parar, comprar um fusca…

      De fato temos uma demanda super-reprimida!

      Sabe porque?

      Não ganhamos o suficiente para isso!

      • Enviado por: Ferruccio

        Pillon,

        Você está totalmente certo. Demanda efetiva requer renda. Milhões de brasileiros sem acesso a bens de consumo não constituem demanda, a menos que tenham renda.

        O que é preciso fazer é continuar a política de distribuição de renda e inclusão social que, no governo Lula, conseguiu trazer para o mercado vinte milhões de novos consumidores. Temos que desenvolver nosso mercado interno.

    • Enviado por: RONALDO GOMES FERREIRA

      Ferrúccio
      Fico feliz em ver que a Dilma tenha resolvido começar a investir, por que o investimento dela no ano passado foi o menor, mesmo pelos números divulgados pelo IPTEA opa, pelo IPEA desde 1995. Já tem empreiteira por aí chamando o PAC de EMPAC.
      Abraços

    • Enviado por: RONALDO GOMES FERREIRA

      Ferrúccio
      Fico feliz em ver que a Dilma tenha resolvido começar a investir, por que o investimento dela no ano passado foi o menor, mesmo pelos números divulgados pelo IPTEA opa, pelo IPEA desde 1995. Já tem empreiteira por aí chamando o PAC de EMPAC.
      Abraços
      http://www.joserobertoafonso.com.br/index.php?option=com_acymailing&ctrl=archive&task=view&listid=1-informes&mailid=354-nvestimento-publico-no-brasil-539&Itemid=57

  36. Enviado por: Alexandre

    Javier, criticar o conservadorismo e o neoliberalismo juntos, é complicado.

    No meu entender, as agencias de classificação utilizam parametros comparativos com algo e de longo prazo, a capacidade de honrar as dívidas, a capacidade de mudanças diante de uma crise, cortar gastos para pagar as dívidas, lógico.

    No entanto, qdo todo o mundo está na merda, um triplo A ingles pode significar nada, ou muito já que não são euro, assim como o AA americano somente existe porque acima de deus não tem ninguém…..deu para entender? Po, boa parte dos comentários sugerem a compra de dólares, financiando quem?

    Não sei ào certo, mas estas agencias de risco não são auditores, trabalham com números que lhes fornecem, à confirmar.

    • Enviado por: Javier Vidal

      CARO ALEXANDRE
      As agencias de clasificçao sao os instrumentos que utiliza el capitalismo mais reaccionario pra indicar a quen hay que destruir ou donde e melhor blanquear o dinheiro,ou como se pode mentir de melhor maneira pra que a gente,a gente como nos, acredite o que di o FT,que forma parte do mesmo grupo que as agencias, os bancos que crearon esas agencias, pra quen trabalhan, e os grupos de inversion que sao os que os que mandan, nao os gobernos.Tres meses antes da caida de Leman Brothers, estas agencias clasificaban con triple A a este mosntruo que robou, mintiu e manipulou mais que ninguen.Si lhe comento isso e precisamente pra decirlhe na clase de mundo nossento donde vivimos,que sao os grupos financieiros os que marcan as directrices a media que e propiedade deles, nao os gobernantes.
      As agencias, Aleixandre , nao tenhen en conta nada,soamente funcionan como medio pra crear estados de alarma injustificados.A Inglaterra, pais completamente encalacrado, con unha industria morta fai anos, con unha cifras macro que, de estar nao euro, habrian feito xa obrigatoria unha intervemçao das suas contas, nunha escala moi superior a Espanha ou Italia, lhe aseguro, con cifras da eurostat, que ten bastante mais crEdibilidade que Rupert Murdoch ou FT. Nos fai creer isso a o pobo.Eles pensan que aqui tudos somos tontos e que so leemos a imprensa reaccionaria da Inglaterra, sostida por grupos cuyo unico afan e acabar con o euro e o pior de tudo, nao e por ideologia ou economia real porque eles saben que o euro lhes perjudica (a ver entonces como se financia EEUU si nao e con dolares das resevas de moitos paises, da compra do petroleo en petrodolares, etc,etc,) nao, e por LUCRO, porque apostar contra un pais, a ultima moda do dia, lhes da moitissimos beneficios a curto.Aqui moita gente fala como si a realidade que nos pintan fora a realidade total.Y eu lhe insisto¿Como e posible que paises como Inglaterra ou Alemania mesmo, que imcumplio mais que ninguen o tratados aprobados en Bruselas, el pacto de estabilidade, ata 14 veces, que fica mais endevidado que ningun pais da europa nao tenha sido rebaixada de clasificaçao?.
      E asim como eles pretenden dibuxar a historia.Por isso sempre digo que nos proximos meses/anos se vera quen mintiu, quen ficaba de verdade mal, a pesar de facer creer que nao, e quen saiu adiante.

  37. Enviado por: RONALDO GOMES FERREIRA
    • Enviado por: Alexandre

      Ronaldo……falar o que? Viu a humildade dos governadores da CPI? Suas casas, obviamente em condomínios….. :)

  38. Enviado por: Pillon

    Javier, lá se vão os 100 bi!
    40 bi?
    Deram mais porque já sabendo que precisava mais.
    XOXO

  39. Enviado por: Alexandre

    Pillon….Pillon….sugiro voce passar uma temporada no Brasil, 1 mes é o suficiente…..condomínios…..criaram um ambiente hermético onde a maioria dos moradores confundem busca por segurança com status….piada!… além das perguntas, voce é aquele que mora na casa que tem carro x, y, fusquinha… ruim hein?

    Olhe só, o jardineiro é mais caro, a empregada é mais cara, o piscineiro é mais caro, o IPTU é mais caro, paga-se mais o condomínio, poucos decidem por muitos nas reuniões…. depois de tudo, tem mais uma carguinha tributária, ora, só mora rico em condomínio….. :) …. :)

    Sobra o que para a indústria?

    • Enviado por: Alexandre

      Daí voce conclui o grande negócio que foi e ainda é a falta de segurança no Brasil. Simplesmente não se vende mais casa fora de condomínio, além dos bairros abertos pagarem rondas particulares.

      Pega-se um sítio ou uma fazenda próximo à cidade, paga-se uma minharia pela terra, aprova-se um projeto na prefeitura, que para aprovação não preciso nem falar o resto…….

      Então acaba-se morando numa cidade cuja medida social é se mora em condomínio, pior, em qual deles!

  40. Enviado por: Pillon

    Para se ter uma ideia de como os alemães levam a sério a crise do euro:

    http://www.youtube.com/watch?v=cUjylbh2XLY

  41. Enviado por: Riccardo(California,USA)

    Jr e amigos da esquerda,

    Uma coisa que nao saiu ai nos jornais e que os estados dos EUA que tiveram eleicoes no dia 5 de junho.

    A tea party ganhou bonito em Wisconsin votaram para defasar sindicatos do setor publico e ate aqui na California votamos para cortar a aposentadoria do setor publico, agora estes preguicosos vao ter que trabalhar que nem pessoas do setor privado…

    bom demais…

  42. Enviado por: Riccardo(California,USA)

    E eu ja nao disse que a vergonha da Petrobras ia pras picas.

    As vezes eu fico cansado de sempre estar certo.

    CERTO…

  43. Enviado por: Alexandre

    http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,novo-plano-marshall–,886103,0.htm

    O que ele não explica é se caso vier apenas 1 trilhão de investimentos para cá, cabe folgado, até mais, o que fazer com o cambio?

    O Mantega vai ficar nervosinho de novo com a enxurrada de dólares…. tenham dó, só aqui mesmo para reclamar de muito dinheiro!

    Agora libera o IOF….e sobe e desce e sobe e desce….

    • Enviado por: RONALDO GOMES FERREIRA

      Alexandre
      O Adolpho Sachida diz, hoje, que considera esta a pior equipe econômica de todos os tempos. Na minha opinião ela disputa a taça com a do Fernando Collor.
      Como você deve se lembrar eu tenho defendido a ação do BC que, acredito, tem sido proativa, embora deixe a desejar na comunicação para a formação das expectativas.
      Acontece que a Dilma e o Mantega abandonaram o ficção de autonomia do BC como tem ficado claro nos pronunciamentos e assim perderam a vergonha de ditar as ações. Assim o tripé econômico virou um animal quadrúpede, quando às outras 3 metas foi adicionada a meta de juros. Hoje conforme a reportagem abaixo parece que o BC pretende criar uma meta sócio-ambiental. Na falta de um nome conhecido para um bicho de cinco patas estou pensando em chamá-lo Alexandrúpede (Alexandre Tombini).:)
      Brincadeiras a parte esta declaração é um ato político, que não veste o figurino do BC. É uma declaração oportunista (Rio+20), que cabe a um político e não a um funcionário concursado. O BC começa a perder seu patrimônio de credibilidade.
      Quanto ao trilhão de dólares, não se preocupe. Existem formas de contornar o problema, que já forma praticadas com êxito por outros países. Mas você tem razão, esta equipe econômica jamais conseguiria implementá-la.
      Abraços

    • Enviado por: Riccardo(California,USA)

      Como o Alberto Tamer e burro heim!!!…

      Vixe maria ele nao entende que o problema do pouco crescimento dos Paises e justamente o contrario que ele falou.

      Ignorancia total…

      • Enviado por: Alexandre

        Ronaldo, concordo com voce, mas fico sem saber como contorna-se o problema do cambio caso criemos condições para investimento, considerando que havendo condições, passaria pela desoneração o que compensaria a valorização do real…. mais ou menos isto?

        Ricca, boiei, dá para explicar melhor?

  44. Enviado por: Jr.

    Banco Itaú Econômico abaixa expectativa de SELIC até o final do ano para 7,5 %. Quando eles abaixam essa expectativa, significa que eles se já conformam, já se resignam com essa taxa. A publicação dessas expectativas é uma espécie de negociação silenciosa e implícita. É como se fosse uma proposta para o Banco Central. Mas se eles admitem 7,5 %, é porque sabem que a taxa pode baixar mais ainda.

    Na verdade, o Banco Central já devia ter cortado a SELIC com mais veemência e há mais tempo. Chega de corte a conta-gotas. Dona Dilma precisa interferir com mais firmeza no Banco Central e mandar o Tombini baixar mais e mais rápido. A SELIC só está a 8,5 % por causa dela. Se deixar o BC agir por conta própria (com a decantada independência, ao sabor da influência do mercado), como ocorreu até pouco tempo atrás durante funesta era que não deixa saudades, certamente que os juros não cairão como deveriam e os interesses que determinarão a política monetária certamente não serão os interesses da maioria do povo brasileiro.

    • Enviado por: Mario Pw

      Jr

      humildemente, a conta gotas é bom. Porque precisa de tempo para “desembaraçar” outros nós na área fiscal.

  45. Enviado por: Jr.

    Javier,

    Após analisar os últimos acontecimentos, inclusive o discurso de ontem de Ângela Merkel no Bundestag, infelizmente cheguei à conclusão de que a vários países da Zona do Euro só restam duas opções, no médio prazo: (1) abandonar a zona do Euro e preservar a soberania nacional; (2)submeter-se à Alemanha e germanizar-se, a fim de poder continuar na Eurozona. É a dura realidade. A repercussão da crise de 2008 na Europa e a presença de Ângela Merkel no poder nesse período fizeram com que a situação chegasse a esse ponto.

    Segue um artigo interessante (meio fantasia e meio realidade) sobre esse assunto (o Ferruccio também vai gostar de lê-lo):

    http://www.nytimes.com/2012/06/15/business/as-europes-currency-union-frays-conspiracy-theories-fly.html?ref=europeansovereigndebtcrisis

    Abraços.

    • Enviado por: Javier Vidal

      Prezado JR
      O artigo e interesante e din algunha verdades.O problema e que o New York Times e outros medios dos EEUU enfocan sempre tudo como un conflicto de “nacions” que se enfrentan a “nacions” pra ficar xuntos nunha moeda unica nun “espacio comun” etc, etc.
      Si a UE ten sentido e precisamente porque foi creada pra suprimir os nacionalismos europeos, as falsas naçoes da europa que unha e outra vez foron cambiadas , que unha e outra vez brigaron unha contra outras por conflictos nacionais absurdos,porque tudas elas forman parte dunha unidade comun, cultural, antropologica,historica, chamelle como queira,que e o unico que nos fai, si e que o somos, verdadeiramente importantes.Cando eu critico a Merkel, nao a Alemania porsuposto, suponho que se entende a diferencia, e porque ela, con as suas demoras pra ter contento a o seu partido a hora de pagar xuntos (conviene nao esquecelo, pagar xuntos, nao alemania)os problemas de Grecia, con as suas constantes instigaciones mediaticas (ela e os seus ministros,e os seus midia) a considerar a griegos, italianos, espanhois como un “problema”, e a chegar a faltas de respeito mais que grossas, o unico que fixo foi enardecer a extrema dereita en tuda europa,crear unha situaçao limite a vista do mundo,e favorecer unha perdida de apoyos dos seus socios ideologicos mais que grave.Cando eu me obstino en presentar unha relaidade diferente do supsuesto “poderio” alemao, e so como contraresposta dos insultos constantes da dereita alema a meia europa, e dicir, por “encher o saco”.O problema e que o que conto, e certo.

      • Enviado por: Javier Vidal

        CONTINUO
        Si lhe digo a verdade, pra min Rajoy, ,Zapatero,Aznar,etc,etc forman parte da misma clase de mediocridade e mala gestion.Nao tenho ningun problema en admitilo:Espanha nao fixo ben moitas coisas,criou unha burbulha inmobiliaria, gracias a Rodrigo Rato e Aznar, que aprobaron leyes de solo inauditas, e desgravaban ( e moito,o siguen facendo, de feito) a tudo aquel que comprara pisos,foron responsabeis, en boa parte de esta sirtuaçao.Tamen se incitou a un consumo desmedido, como xa dixen moitas veces,graças as teorias neoliberais de Greenspaan:credito barato, crecemento a base de deuda.
        Tudo bon, Espanha fixo coisas mal.
        Agora ben ¿so Espanha?¿Inglaterra, EEUU nao tiveron unha burbulha moitas veces maior que a espanhola?¿Alemania nao tivo unha decada perdida ata o 2003 con o HART IV, polos excesos dos anos 90?.¿Japon nao leva 20 anos con unha deuda publica de mais do 200% do seu PIB?¿Cantos bancos foron intervenidos na europa, nos eeuu so nos ultimos tres anos?
        ¿E se ha producido un ataque contra un pais, con publicacion de articulos brutales, con tremendismo e sentido apocaliptico, como se esta a facer con Espanha?.

        A resposta es no.Desvian a atençao pra outros sitios.
        Hoxe mesmo,JR, fai apenas duas horas , Inglaterra acaba de anunciar que vai dispor un rescate a banca inglesa de 98 bilhoes de euros.98 Bilhoes,o mesmo que a Espanha.Lhe aposto o que queira que apenas se vai falar disso, e moito menos o Financial Times, que leva seis meses falando da Espanha como si fora Afganistao.Pero, claro, a merda britanica, que e moita, nao sae fora dos circulos financieiros.
        Alguen pode decir que Inglaterra ten capacidade pra pagar esos 98 bilhoes.Nao acredito, fica mais endeudada que nos, ten maior deficit.E tampouco crece.As suas exportaçoes, aoa contarrio que a Espanha, caen en`picado.Aun habiendo devaluado un 20% a libra, e dicir, habiendo “recortado” a riqueza per capita un 20%, Inglaterra necesita 98 bilhoes.
        Mentiras, manipulaçoes, diferente trato.A min pareceme que agora mesmo nada ten credibilidade.
        Abraços.

        • Enviado por: Javier Vidal

          jr
          Xa acabo.E so pra que vexa o que lhe dixen do “prestamo” do banco de Inglaterra a a banca.Isso despois de haberlhe “prestado” 400 bilhoes (Espanha ata agora, menos de 40).O George Osborne, ministro britanico de economia, e unho dos homes mais arrogantes e racistas que comhoço, ten o valentía de dicir que e por culpa da eurozona.Si e que asim, JR, a verdade nao sempre sae nos medios.Pero logo o FT fala da Espanha como si foramos unha peste.Complexo de inferiridade, ademasis de desvio da atençao.Clarissimo.
          http://www.rtve.es/noticias/20120615/reino-unido-prestara-su-banca-mas-98000-millones-euros-para-impulsar-credito/536363.shtml

        • Enviado por: Alexandre

          Javier, todos países estão com problemas. Descascar o verbo na mesma mídia e imprensa que também abre espaço para apresentar os problemas na Inglaterra, nos EUA e etc. do que adianta? Voce sugere controle da imprensa? Eles mesmos devem ter sugerido para que muitos investissem na Espanha e outros países alguns anos atrás divulgando excelentes resultados.

          Pode ter certeza também que a Alemanha está sofrendo e sofrerá se os países para os quais ela vende pararem de comprar.

          Se voce insiste que a solução está na Alemanha voce admite quem segura o euro são eles, portanto é natural que eles façam certas exigencias. Não é assim qdo vamos no banco pedir emprestado? Não tem que dar uma garantia? Qdo deixaram de pedir garantias deu no que deu.

          Desde qdo o futuro é garantido?

          • Enviado por: Javier Vidal

            Aleixandre
            A solucion esta na Merkel, nao Alemania, pra que lhe forcen a mudar a sua estrategia suicida.Eso foi o que dissen.Tuda europa, tudo EEUU e tudas as organizaçoes do mundo piden a Merkel, no alemania,que deixe de obstaculizar a s axudas que tudos damos a Grecia, entre outros, como tampuco se obstaculizaron as inmensas axudas que alemania recibiu do resto da europa.
            A solucion, obviamente nao esta so na alemania.Nin pode, como e natural, ni nadie quiere eso.Soamente Merkel.
            ¿Entendiu?.Que se vaia en bora dunha vez.O que a depongan , como a Berlusconi.Sao do mesmo partido politico.

        • Enviado por: RONALDO GOMES FERREIRA

          Javier
          Os anos tendem a mudar as coisas e devagarinho criam-se mitos que assumem feição de verdade histórica. Os objetivos do MCE eram muito modestos a curto e médio prazo. Tratava-se mais de estabelecer uma via para dissolver as tensões entre os países membros e impedir que se engalfinhassem em guerras sangrentas.De 1992 para cá a quase supressão das fronteiras internas no MCE foi um grande agente diluidor das tensões. Quando olho para trás não tenho dúvidas de que o euro foi vítima de seu sucesso. Deu tão certo que pularam-se fases, em sua implantação, cuja falta coloca em risco, hoje, a existência do Euro. Sim, o Riccardo tem razão, é elevadíssima a chance de um grande número de países saírem do Euro e do MCE. Tenho lido os jornais europeus e visto, com pesar, que está de volta a Europa da minha juventude. Os países medem-se através de suas fronteiras como crianças no pátio do colégio prontas para brigar. Como transparece nas tuas intervenções aqui, discute-se mais a avaliação que terceiros fazem da crise, num incrível concurso de quem está pior, trata-se mais de orgulho do que de solucionar a crise. É um discurso sem nenhum sentido, pois sempre prevalecerá o critério cadastral de quem tem os recursos para dar tempo para as soluções funcionarem. Sim, porque dinheiro não resolve os problemas, só podem adiá-los, cada país terá que colocar sua vida em dia e se viabilizar. E vai ser difícil, muito difícil.
          Já não adianta discutir a História, Javier, melhor se sairá quem primeiro se tornar proativo.
          Abraços

          • Enviado por: Javier Vidal

            Ronaldo
            O euro e un recien nascido.Ten dez anos de vida.Tranquilo, nao vai desaparecer, ni ningun pais vai sair do euro.Voçe, perdoe que lhe diga, exagera un pouquinho.Aqui nadie, nadie fala da desapariçao do euro,esceto como dixen, o FT, o economist e imprensa que mente e que trabalha pra destruilo, como tudos sabemos na europa, porque eso nin e posible nin vai passar.Nao lhe deixan quebrar.El 40% das reservas de russia sao en euros.Y el 30% das de China.En realidade, el 25-30% das resrvas do mundo.
            Cando alguen en america me fala que o euro vai desaparecer, eu voto a reir, sinceramente.

    • Enviado por: Jr.

      Alexandre,
      A solução NÃO está na Alemanha. Como o Javier já disse, a parcela alemã é de apenas 23 % do total. Os 77 % restantes saem dos bolsos dos contribuintes italianos, franceses, espanhóis, portugueses, gregos, belgas, irlandeses, etc. O que acontece é que essa senhora está querendo se aproveitar das circunstâncias para tentar submeter o resto da Europa às suas exigências e à sua visão de mundo. Ou seja, o ponto de vista dela é que ela só vai parar de boicotar as soluções que os outros indicam se o resto da Europa se submeter à receita que ela preconiza. Vale ressaltar que há outros partidos na Alemanha que não pensam com ela, a exemplo do SPD e do Partido Verde.

      Agora, como eu falei acima, acredito que os países hoje em dificuldades terão que fazer uma escolha entre ter uma moeda própria e poder decidir os seus próprios destinos ou então permanecer no euro e ficar susceptíveis a ter que se submeter aos ditames de políticos do tipo de Ângela Merkel quando esses estiverem no poder na Alemanha.

      • Enviado por: Alexandre

        Bem colocado Ronaldo, se a união realmente tivesse dado certo, estariam discutindo-a como um todo e não caso a caso….a alemanha deveria estar abaixo de um orgão europeu…..hum, eh,… parece o Brasil, melhor não…. acho que o Alan tem suas razões, complicado, faltou evoluirem durante os 10 anos, tens razão, só o dinheiro neste caso não adianta.

        • Enviado por: Javier Vidal

          CARO ALEXANDRE
          Nao me sexa asim, meu amigo.VOu acabar achando que voçe nao ten unha boa imformaçao e adora falar do fin do mundo.A UE foi o maior exito de union politica no mundo nos ultimos 60 anos.Fica a anos luz de calquer coisa que se fixera.E por isso que ten tantos enemigos, sobre tudo nos EEUU.Logico.Envexa e medo de perda de influencia.
          Se nao houbera sido pola crise nascida nos EEUU, haber si o memorizamos ,o euro iria moi ben, de feito o euro vai moi ben.E a UE e un exito, nao un fracaso.Tal vez tenha que volver a explicar que quen manda na UE nao e Merkel, eso e un invento dos medios que citei.Quen manda e bruselas, deixe de dicir o contrario, porque nao e asim.E BRUESELAS A QUE FAI O 70% DAS LEYS NA EUROPA, incluindo, porsuposto a Alemania.Sao os comisarios europeos os que toman as ultimas decisoes, nao merkel, por Dios Aleixandre ¿voçe acha que os europeus somos tontos?.El BCE,dirigido por un Italiano, es independiente da poilitica nacional dos paises.De feito, moitas veces nin lhe fai caso a Merkel e fai o que deberia se nao fora pola presion conservadora no europaRlamento, que e o sitio donde se gobierna en europa, alexandre, nao o bundestag.Que mErkel ten influencia e logico, tamen Sao Paulo a ten no Brasil, o Nova York nos USA.A mesma coisa, exata.Pero que manda e Bruselas.Incluso, se queren, a poden deponer de forma suave, como se fixo con Berlusconi.
          Ten que leer un pouco mais imprensa seria, nao so de Economist ou FT.Temos outros periodicos que falan da realidade, e nao dos desexos dos neoliberais donos de esa imprensa mentirosa e manipuladora.
          Por certo, ninguen falou do rescate dos 100BILHOES para Inglaterra.¿Por que?.Porque eses medios nao falaron dissso.Asi de triste.

  46. Enviado por: Alexandre

    http://economia.estadao.com.br/noticias/economia,uniao-monetaria-europeia-tem-sido-fracasso-diz-ex-presidente-do-fed,115983,0.htm

    Jr., somados os países do euro representam um PIB considerável, um volume de negócios entre eles e o restante do mundo de dar inveja à muitos. Não acho que a Merkel sozinha seja responsável pela salvação tendo em vista a desalavancagem em escala global. Não acredito que as instituições alemãs permeiam-se apenas pela vontade dela.

    O Javier não lembra, talvez voce sim, já foram 1 trilhão para 800 bancos da zona do euro que na época não divulgaram os nomes. Por enquanto ainda estão salvando o sistema financeiro, para depois preocuparem-se com uma volta ào crescimento.

    Na minha opinião, não dá para por dinheiro em instituições que não estão com seus balanços em ordem, não são confiáveis.

    Continuando desta maneira, os primeiros à abandonarem o euro serão os alemães, que já devem ter o Plano B preparado, fazendo contas o que é melhor.

    • Enviado por: Alexandre

      Salientando que ele também alerta para uma crise de dívida americana…..onde vai parar tudo isto?

    • Enviado por: Jr.

      Alexandre,
      A Merkel (e os seus partidários) não tem que salvar nada. Ela só tem é que parar de atrapalhar. Sair do caminho. Só isso. O problema é que só tem eleição federal na Alemanha em 2013. Até lá, ela já terá causado um estrago enorme, provavelmente irreversível.

      Olha, eu lhe diria que a última coisa que a indústria alemã quer é sair do Euro. Se eles retornassem à sua moeda nacional, essa moeda automaticamente se sobrevalorizaria em relação ao Euro e as exportações alemãs, que são o motor da economia deles, iriam sofrer um grande impacto. Tanto as exportações para o resto da Europa como para países fora da Europa. Não tem plano B alemão com relação ao Euro. É muito vantajoso para eles.

    • Enviado por: Javier Vidal

      ALEIXANDRE
      E que nao e como di, de verdade que nao.Nao e “sumados xuntos os paises do euro”.E que a UE e unha entidade politica, un bloco economico,con capital en bruselas, con moeda propia, con banco central,con leyes de obrigado cumplimento pra tudos, sen indepencia de quen sexa, Chipriotas, alemanes ou espanhois,con comisarios que tenhen mais poder que os ministros e os presidentes (¿como pensa , entonces, que se quito a Berlusconi do poder?)igual que otros blocos economicos.¿Me quere decir enton que é a India, donde se falan 400 idiomas distintos e mais de 200 etnias nun mismo bloco?¿e Russia, que e sino unha confederaçao artificial formada por centos de etnias e sistemas politicos diferentes?.
      Por suposto o caso da UE e diferente porque eun gigante economico y, de momento porque xa lhe digo que o euro ten dez anos de vida,o maior mercado do mundo, o que mais PIB ten.
      Precisamente, Aleixandre, e Merkel, que depende do euro mais que ninguen na europa, a que , paradojicamente, esta destruindo esa idea de solidaridade común y esta intenando imponer a sua vision politica, nefasta, suicida e profundamente egoista.Merkel causou as divisoes ,e nao me diga que a culpa nao foi dela.Nao, a culpa foi de tudos, incluida ela.Pero ela tratou de dirigir a UE, sen ter nin capacidade, ni apoio, porque isso nao e o que queren os demais, que sao o 77% restantes.
      En cuanto a os bancos intervenidos na europa e a grana inmensa que han posto os paises pra tapar os seus buracos…..meu caro, pero si nao paro de falar disso, si levo meses dicindo eso, Aleixandre:Alemania, Inglaterra, Francia, gastaron moitissimo mais dinheiro publico que Espanha pra frear a sangria dos seus bancos.Me esta a dar la razon,levandome a contraria.E logo di que eu nao discrimno entre conservadores e neoliberais.E que, agora mesmo, os conservadores europeus se han convertido en neoliberais da pior caualidade.Europa quere calidade de vida, respeito a o seu modo de vida,reparto mais ou menos xusto da riqueza e que o estado, en menor medida, epro todavia en grande cuantidade, ampare os derietos laborais, civiles, y economicos?.Nao queremos un estilo neoliberal al modo de EEUU.Ninguen o quere en europa, nin brincando.Da mesma forma que els, suponho, nao queren un sitema europeou.Nos gastamos os dinehiros en procurar calidade de vida.Eles gastan 550 bilhoes de euros /ano so pra manter a su ejercito.550 BILHOES/ANO E moito mais que os gastos soiciais en tuada a UEcada ano.Sao visioes distintas, nada mais.

      • Enviado por: Javier Vidal

        E me manda un link dun cara como Greenspan, un dos maiores promotores da crise subprime nos USA, o home que vendeu a ideia de credito barato, exigencias minimas da banca e incitaçao a o consumo,que levou a EEUU a sua pior crise de deuda, e financiera nos ultimos 80 anos?¿ese senhor ten credibilidade pra criticar a UE, cando el foi o causante mais direto de que EEUU tenha unha deuda publica do 90% do seu PIB?.¿Ese senhor se atrev a falat , sen saber, do exito o do fracaso da UE cando o seu pais afogase en deudas tanto como a europa, en realidade mais, porque a UE ten unha debida publica do 85%, algo mais baixa que a de EEUU?.
        O unico cara que ficaria a altura de ese home, que na minha opiniao debria ficar na carcel, E Trichet, xefe do BCE antes de Draghi.Ele fixo exatamente o mesmo que Greenspan:credito barato e sen limite-E asim ficamos agora.
        Lhe aseguro que Greenspan ten tanta credibilidade como Micky Mouse, y eso xa e moito dicir.
        Saudos.

        • Enviado por: Alexandre

          ….:)…..:) Javier, tratem de trabalhar mais para pagarem suas dívidas, acabem com os feriados, aumentem a carga horaria….. agora já estou ficando irritado que ate o movimento do meu comércio caiu, coisa hein! Voce leu a estória dos 3 envelopes, é bem da esquerda, concorda? joga culpa até em Darwin e sua evolução…. :)

    • Enviado por: Jr.

      Alexandre,
      Veja as coisas pelo lado positivo. Se o movimento do comércio caiu, por outro lado essa movimentação fraca deixa você mais tranquilo em relação às suas preocupações com o “dragão da inflação”.

      • Enviado por: Alexandre

        Jr., no Brasil a lei da oferta e procura não existe, voce deve saber disto, é só observar as características estatais e oligopolizadas que este governo fez questão de ampliar.

        Para resolver isto tinha que abrir as porteiras, que iriam contra os interesses do prório governo.

        Depois de tantas décadas não é possível que voce não admita que o maior concentrador de riqueza deste país é o estado, disparado.

        • Enviado por: Alexandre

          Quero dizer que é melhor crescer os 3% o resto da vida que produzir estes solavancos economicos, ainda mais qdo decidem aumentar o endividamento da media e classe pobre, estão gerando um trauma observado no primeiro mundo, ninguem quer mais emprestar, sentem-se traidos, por isto que os juros baixos não surtem efeito, crise de confiança.

          Nesta lambança toda mundial chega uma hora que não são mais os contratos que irão reger a economia, é a confiança pessoal, são as pessoas e as instituições, venho insistindo nissso pois estamos à beira de vários calotes e este negocio de sair na tv dando tapas na iniciativa privada só piora.

          • Enviado por: Alexandre

            O seguinte também, o movimento cai, os custos fixos não, então começam as demissões, já que não adianta eu ficar gritando, baixa impostos! ainda mais na recessão qdo precisam aumentar, é o que fizeram com cervejas e refrigerantes e mais alguns itens, que numa loja como a minha respondem por 25% do faturamento. Concordo com o Ronaldo na imcopetencia às vezes, é inverno, desalavancando, vendas baixas destes intens e ainda aumentam impostos….

          • Enviado por: Alexandre

            Lembre Jr., do outro lado existe uma enorme iniciativa privada, com investimentos anunciados, milhares de pessoas trabalhando em produção e distribuição, Ambev, Femza, centenas de microcervejarias que vinham bem….., claro, cade o investimento, cade a indústria?

  47. Enviado por: Mario Pw

    Nick,

    Lembrei de voce pois tem sido nomeado promotor da Teoria da Conspiração….mas parece que foi destituido.

    Olha só a conspiração que ficamos sabendo hoje: Libor tem ficado estavel por 21 dias !!! Com todos estes tremores da Espanha e Grecia… Hum…..Quantos trilhoes será que estão voando???

  48. Enviado por: Mario Pw

    Caros,

    Muito interessante este artigo:
    http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,a-saida-e-o-investimento-,886609,0.htm

    É objetivo:

    - Concordei com os primeiros parágrafos principalmente: “Assim, pensar que o deslanche econômico seja feito só pelo investimento do governo federal é olhar a formiga de 3% e não ver o elefante de 90% das empresas”.

    - Mas depois não dá nehhh????
    Para começar: “ reduzir o superávit primário do que optar pelo investimento com os problemas citados”.

    Se você já tem que “alimentar” as estatais é claro que não há outra opção de investimento. E se “não reduz a alimentação destas” não tem como não passar a mão no superávit primário.
    Quem é que esta “pagando” a banca estatal? Não é o próprio contribuinte? É só um “loop”.

    • Enviado por: Alexandre

      Mario, de maneira nenhuma acho que o investimento deva ser feito pelo estado, não o brasileiro que desvia boa parte dos recursos, suas obras custam mais que da iniciativa privada, xi vai longe….

      È só ele manter a estabilidade economica, o valor da moeda, investir em educação, a coisa se resolve por si só, e bem mais rápido que estes sobes e desces provocados pela imcompetencia e outros interesses.

      Controlando a inflação, o consumo aparece de forma sustentavel, não é óbvio isto, até pela natureza dos acontecimentos?

      • Enviado por: Mario Pw

        Alex,
        o artigo do Khair já parte do pressuposto de maioria de investimentos em empresas.

  49. Enviado por: Alexandre

    O que fizeram não se faz nem para um inimigo, jogar o PIB em 7,5 e depois 2,7% e agora 0%, creio ser a maior oscilação dos desenvolvidos e subs. Foi molecagem.

    • Enviado por: Pillon

      Mas tava todo mundo “buzinando” a Vuvuzela e ninguém viu a “mandraquinagem”, o estelionato eleitoral…

      Tinha que emplacar um sucessor para amaciar o estrago.

      Se entra um do contra, lá vai o carismático Lula pro espaço. Tudo culpa dele!

      Cá entre nós, não é que é mesmo?

  50. Enviado por: Pillon

    Ferruccio,

    Sua conclusão me fez concluir que a demanda reprimida, pelo que lemos, não tem sido e não será por falta de produtos. O Alexandre pode atestar.

    Alexandre, você no dia-dia recebe vendedores ou encomenda de um distribuidor, em ambos casos lhe apresentam uma lista de preços. Eles podem até alegar falta de um ou outro produto sazonal, mas se você pagar o que pedem, tem para entregar!
    Não há falta de produto, mas não há é preço que possa atender sua freguesia.
    Mas se freguesia tem renda, nem olham o preço!

    Li agorinha mesmo sobre “O investimento é a saída”. ao final o autor dispara:

    “Em síntese, a saída para o crescimento pode estar na ampliação do estímulo ao consumo e na redução do superávit primário. O investimento, com ou sem regulação e/ou concessão, é consequência natural da expansão do consumo. Vale acompanhar.”

    Crédito à vista?

    Abs.

    • Enviado por: Alexandre

      Pillon, não é tão simples, durante o crescimento mais acelerado, faltou sim produto e LOGISTICA, que incluem caminhoes, entregadores e motoristas, claro, estradas e ruas….. :)

      Um exemplo, as vendas de um x refrigerante 2Lts. estão baixíssimas, ontem por conta do aumento da aliquota, de 3,80 ele ira para 4,10, de custo, sem choro.

      Qto ào euro, visitei a europa antes da conversão, França, Alemanha, Belgica, Italia, Austria, Suiça, lindos e maravilhosos…..e baratos!

      Depois da conversão tive um inquilino alemão que reclamou da desvalorização salarial que houve, então fico sem entender quem ganhou e quem perdeu neste negocio.

      • Enviado por: Alexandre

        Desculpe Pillon, sim, agora não vão faltar produtos, mas também não significa queda dos preços, carnes cairam, um pouco, considerando os preços que haviam atingido, commoditie, to irritado com este nome também, para exportar tudo bem, mantenha o nome, para o mercado interno é alimento básico, po!.

        Escuta, se eu anuncio uma meta de inflação, que é uma média, de 5%, é lógico que indexo a economia acima deste indice, gatos escaldados, com os indices e com as mudanças das regras, uma vez que os administrados sobem acima.

        Sua afirmação meta 0% é extremamente oportuna, mas cade a coragem de assumir tal evento?

        • Enviado por: Alexandre

          Sim também, se a freguesia tem renda nem olham o preço já que a demanda tem sido reprimida aqui à séculos e a inflação faz parte e as redes varejistas cada vez maiores e concentradas e ainda iam dar dinheiro para PAçucar se juntar com Carrefour…..tudo ào contrário!

          Outra excelente observação sua, sobre a renda, mas fico aqui quebrando a cuca se o credito deve ser considerado como renda. Favor considerar que a maior inadimplecia esta com os cartões de credito, meus clientes…..65% dos pgtos com este meio….inadimplente num cartão com juros de 15% ào mes…..estão fritos!

    • Enviado por: Pillon

      Alex, por favor, se atenha ao momento. Não estamos falando de uma ano atrás. Falo agora!!!
      Você viajou na maionese, desculpe!

      • Enviado por: Alexandre

        Desculpas acima….. to irritado também que encontrei meu ex gerente trampando e recebendo o seguro desemprego…. era para ele estar aqui no meu lugar no sabadão!

        Veja bem, coloco algumas situações que vivo para esclarecer como a coisa funciona, consciente que 1 caso isolado nem sempre reflete a realidade de um país deste tamanho e distorcido em termos de desenvolvimento. O caso é que muitas leis aqui são criadas para poucos e acabam penalizando a maioria, são reacionárias à opinião pública que reage à informação nem sempre adequada.

    • Enviado por: Pillon

      Bem, zero é até meio absurdo (acho eu)! Nem conveniente, segundo alguns pontos de vista!
      Mas se o governo chegasse a 2%, a taxa básica Selic pode chegar a 4% com juros reais de rendimento em títulos.

      Portanto, ao trabalho amigos, a oportunidade é esta!

      • Enviado por: Alexandre

        Pillon, é 0% mesmo, aqui não pode dar moleza, obriga ào estado rever seus gastos, mostra seriedade na política economica atraindo investimentos externos.

      • Enviado por: Alexandre

        Javier, de curiosidade, como era a vida na Espanha antes do euro?

        • Enviado por: Javier Vidal

          ALEIXANDRE, DE CURISIDADE
          A vida antes do euro era complicada, e houbera sido mais e mais complicada de sEguir con moedas nacionais.Aqui se fala que Inglaterra , por exmplo, al estar fora do euro o ten mais facil.Nin o entendo, nin o vexo.A unica forma que un pais ten para sair da crise e devaluar a sua moeda, e dicir, baixar, como fixo Inglaterra un 30% a capacidade adquisitiva do pobo.Unha forma indirecta de recortar.E imprimir dinheiro, como van a facer os ingleses rescatandose a si mesmos con 100 bilhoes de euros (pòr certo, como xa dixen, ningun xornal ingles nin dos EEUU fala disso, engrasado ¿nao?).Nao vexo a os ingleses melhor , nin mais protegidos con a libra.Tampouco vexo que a cualidade de vida melhorara, ao contrario, Londres sigue sendo a cidade mais cara de europa e os ingleses sao so que mais poder adquisitivo perderon en esta decada.Inglaterra en estos dez anos baixou 15 postos en el indice de desnvolvemento humano por desigualdade, fica no posto 29.Espanha ata 2008, no posto 12 e despois da crise, no 17.Espanha e triplicado as suas exportaçoes en estos dez anos, sobre tudo nos ultimos catro, Inglaterra ha perdido cuota, e moita, na mesma epoca.
          E verdade que a vida ficou mais cara, pero por contra a inflaccion en el area euro e do 1.9%.Con a peseta ou con o franco frances ou con a lira,era imposible ver algo assim.
          O poder adquisitivo dun espanhol o dun frances , por ponher exemplos, hoxe moito mais alto que fai dez anos.E desde logo unha moeda compartida por 320 milhoes de europeus, que ha rebaixado as tasas dos fluxos de mercado, que ha melhorado a renta e as condiçoes de vida de eles nunha cuantidade moi superior a o que houbera sido con moedas nacionais.
          Si os chinese tenhen unha moeda pra 1500 milhoes, os indianos outra pra 1300 milhoes, os brasileiros tenhe o real, criado por certo poucos anos antes que o euro,¿por que existe tanta critca, especialmente desde america a o euro?.¿Por que se ponhen tan nervisoso os americanos con o euro e nao con o yuan, que se devalua cada semana para competir?.
          Gostaria que alguen me iluminase.Porque nao hay que esquecer que o euro ten dez anos de vida e lhe a colhido polo meio unha crise economica mosntruosa, que no nasceu na area euro, se nao na area dollar.
          Saudos.

  51. Enviado por: Pillon

    Ronaldo,

    Muito bom seu comentário ao Javier, envolvente.

    Mas discordo de que a Europa se vê numa situação como a da sua juventude, acredito por volta dos anos 70 :)

    Ninguém põe culpa em ninguém porque o euro vai acabar porque como o Barroso disse, não vai.

    Apenas destacamos porque uns e outros países se encontram na situação que se encontram. No caso grego, o caso grego, no caso italiano, o caso italiano e assim por diante. O euro está acima dessas condições particulares de um país ou de outro.
    Se o BCE começar a fazer um QE (e o Brasil já abriu a porteira), os países tomadores de euro vão alegar uma cesta de moedas (como a Russia já faz há muito tempo) para contrabalançar sua exposição de reservas externas.
    Abs.

  52. Enviado por: Pillon

    O JPK tem um(a) assistente nov(a/o). Por precaução e não a/o condeno(a) (esse negócio de politicamente correto às vezes enche), cai tudo na moderação. Eu tenho uma sugestão: libera geral e quando alguém passar do limite, clicamos o ícone “denunciar abuso”. Aí você pode apagar o que for inconveniente.
    Por exemplo: Eu e o Alexandre só falamos asneira!
    Brincadeirinha, essa é só a opinião do Riccardo.

    • Enviado por: Alexandre

      O Ricca sabe que em economia falando muito vai com certeza falar besteira e se contradizer….ele daria um bom ditador, da Venezuela, sempre está certo….. :)

      • Enviado por: Javier Vidal

        ALEXANDRE
        Disculpe si lhe irritei, de verdade que nao e a minha intençao,so faltaría,eu simplesmente opino das coisas de europa e de Espanha.Y lhe aseguro que temos moitos menos feriados que os alemaes e trabalhamos 300 horas mais que eles a o ano,e temos menos “holidays” que eles.O problema nao e trabalhar mais,porque si nao italianos e espanhois seriamos os primeiros da europa!.
        Cando escribo aqui, con o permiso de tudos e de Kupfer en especial e so por dar unha vision diferente e porque penso que existen moitos “prejuicios” contra Espanha totalmente absurdos, nada mais.E que as coisas nao sao sempre como a imprensa nos quere mostrar.
        Se lhe sirve de consolaçao lhe dire que aqui fecharon 300.000 negocios en cuatro anos, o dez por cento do total.Unha tragedia tremenda,que nao se pode explicar so votandolle a culpa a o euro, como si agora o problema fosse a moeda, cuando o problema nao e o euro, se nao o sistema de produccion e de consumo instalado na europa e nos EEUU dende fai dous decadas.
        Pero isso nao quere decir que sexa pouco menos que comunista.Nao gosto do comunismo, Alexandre, nin tampouco da actual socialdemocracia, que nao e mais que capitalismo puro e duro, con certa sensibilidade social, nada mais.
        A gente nao ten por que ter unha ideologia sempre.Al menos na europa, donde nao e obrigatorio o voto, existe o dereito a nao ser nada, a nao votar ou a votar a o melhor dependendo do momento.Neste momento a austeridade e logica en tuda europa.Pero unha austeridade ben pensada, ben organizada, ben gestionada, nao esta histeria de cumprir en dous anos, ata 2014, uns recortes brutales, monstruosos, feitos a tuda velocidade, sen medir as consecuencias futuras, sen ter en conta que en europa a estructura economica nao e como nos EEUU, nao ten nada a ver, e que si aqui fai recortes bruscos e tao rapidos, destruye boa parte da industria , dos servicios,xa que miles, deceas de milees de empresas trabalhan para os estados ou en aparceria con eles.Incluso grandes multinacionais europeias, como o sector automovilistico frances, tenhen parte da sua matriz de origen publico.Tamen o sector petroleiro, porsuposto o sector de I+D, as universidades, o secotor espacial, energetico, de infraestructuras.Tudo esta moi imbricado.Si chega alguen querendo recortar tudo e instalar na europa un sistemna capitalista sen proteçao, sen dereitos de nada,e sin control, europa deixa de ser europa e se converte e n outro “mercado” mais.Y esso, Aleixandre, na europa, nin funciona nin o queremos.E unha involuçao socila y economica.Asim de claro.

  53. Enviado por: Benedicto Dutra

    Uma situação inédita com novas possibilidades. Esperemos que sejam bem aproveitadas, pois o maior volume de recursos nas contas do governo, devido ao menor encargo com os juros, devem ser canalizados para investimentos essenciais à melhora das condições de vida e da qualidade humana,dando a necessária capacitação para desenvolver o potencial que dispomos.

    • Enviado por: Pillon

      Lembrou bem Dutra. Eu já vinha dizendo em blogs anteriores que não só basta reduzir os juros. Não podem esquecer que há uma economia imensa no custo de carregar a dívida e que precisamos ficar de olho!

      Já disseram aí que o governo participa muito pouco no investimento. Então, ajudaria muito mesmo utilizar essa economia reduzindo a dívida pública indexada e com base na Selic por motivos óbvios. Se a inflação volta a ameaçar, a política de controle de inflação para mante-la na meta passa por aumento da taxa Selic. E há títulos com indexação de todo o tipo…

      Com dívida pública interna baixa, digamos abaixo de 30% do PIB, investimento governamental em infra-estrutura de distribuição (logística), educação, saúde, saneamento básico, energia, etc, tem consistência e permanência.

      O caso do empréstimo ao Rodoanel de São Paulo. Um bom exemplo de como se pode utilizar crédito, barato e sem esses solavancos que a Selic sofre.

      Espero que não tenham vacilado e aceito juros reajustáveis!

      Abs.

  54. Enviado por: Jr.

    Entrevista do Ministro da Fazenda. Vale a pena ler para conhecer o seu pensamento sobre o momento atual.

    http://guilhermebarros.istoedinheiro.com.br/2012/06/16/para-mantega-brasil-sera-o-pais-da-producao-nao-da-especulacao/

    • Enviado por: Pillon

      Gostei muito!

      Disso: “as aplicações que estavam no mundo financeiro começam a ser deslocadas para o mundo real.”

      Aplicação (notem bem, APLICAÇÃO, o que é bem diferente de investimento) financeira não é do mundo real, é irreal!

      Caiu na real!

  55. Enviado por: Pillon

    Ferruccio,

    Também concordo totalmente com você que é preciso continuar com a política de distribuição de renda. Alguns casos precisam até de caridade.

    Uma forma de incentivar o consumo sem entrar no crédito seria voltar a antiga fórmula de aposentadoria, 35 anos trabalhados. A Previdência tem condições sim de fazer isso e precisa de uma auditoria geral lá e uma rapa nessas aposentadorias e benefícios de militares, políticos e funcionários públicos, etc.

    Falando nisso, se você pudesse me dar uma orientação (ou quem dos colegas souber) como funciona o atual sistema na prática. Eu tenho muitos anos de contribuição. Soube que há a obrigatoriedade de eu pessoalmente me cadastrar e obter uma senha. É correto isso ou posso delegar ao um parente meu ou advogado especializado?

    Grato

    Abs.

  56. Enviado por: Pillon

    Alex, refletindo no que você disse, sobre crédito também ser renda. Podemos considera-lo ANTECIPAÇÃO de renda, tudo bem. Mas tem limite como o que acontece agora, esgota a capacidade de tomar crédito e em alguns casos, o juros come uma perna do cidadão. O perigo mora também no descontrole e na empolgação das pessoas.

    Nos US você pode ir comprando até estourar o cartão ou a conta. Depois, volta lá na loja e devolve tudo. Vale para quase tudo. Eu disse quase porque uma casa não tem como devolver e há um bem que não tem período de “cooling off” e não aceitam devolução.

    Sabe qual é?

  57. Enviado por: Pillon

    Mario Pw,

    Agradeço seu encorajamento! Eu tenho procurado me proteger um pouco mas me mantenho tranquilo. Quando mencionei mudar-me daqui se vier o CPMF européia, se valer para o mundo todo sem exceção, claro que seria uma bobagem. Mas se só atingir a área do euro, não sei não…

    Auroville é uma comunidade internacional planejada que fica na Índia. Não pretendo voltar ao Brasil.

    Quando fiz aquele comentário sobre associação, quis dizer vertical, não sei porque escrevi horizontal.

    Você lembrou bem, um bom exemplo brasileiro é o sucesso das cooperativas agrícolas no sul nos anos 70 e 80 e em São Paulo, com os japoneses. Depois alastrou para o Brasil todo.

    Um primo agricultou montou uma super-estrutura de armazenagem em silo e beneficiamento quando foi presidente da cooperativa que ele e outros ajudaram a fundar. Uma beleza!

    Há histórias de grande sucesso no Brasil. Há muita gente muito competente e muito inteligente! E muito trabalhadora!

    Abs.

    • Enviado por: Alexandre

      Ta parecendo aquelas comunidades zenhs, nao imagino voce numa barca furada desta, vai ter que abdicar do bom vinho e do bom carro.

    • Enviado por: Pillon

      E quem disse que eles abdicaram do bom vinho e do carro? :)

      • Enviado por: Alexandre

        Pillon, nao conheco a India, mas tem no Brasil algumas comunidades ate para contatos extraterrestres, logico que veem um enxame de OVNIS depois de umas cachacas…. :)

    • Enviado por: Pillon

      Muitas e muitas cachaças!
      Amigo, tenha disposição pra isso, na minha idade…!
      :)

    • Enviado por: Pillon

      Não paro de rir…
      Um enxame de OVNIS…
      muito bom!
      :D :D :D

    • Enviado por: Mario Pw

      Herr,

      A questão de finanças pessoais na Alemanha são duas, o imposto de renda pessoa física e este tobin aí. Vai ser complicada, mas enquanto houver retorno social não tem problema pois em princípio voce não tem um governo de estelionatário.

      O que vai ser complicado aí é que o mercado de trabalho vai ter que se reinventar novamente…e eu não sei por onde.

      • Enviado por: Mario Pw

        Estive em Mumbai 1 vez apenas, e foi difícil para mim. Prefiro Singapura.

  58. Enviado por: Pillon

    Agradeço ao moderador por ter liberado a moderação.
    Prometo me comportar, já fiz um curso de “anger management”.

  59. Enviado por: Alexandre

    Javier, grato pela explicacao, estava tentando comparar a qualidade de vida antes e depois do euro.

    Nao tenho nada contra o euro, entretanto uniao entre povos nao devem ser fundamentadas apenas na moeda.

    • Enviado por: Alexandre

      Javier, sei nao, desconfio que a criacao do euro foi feita exatamente para implanatar este capitalismo que voce nao gosta, para manter o euro, sera assim.

  60. Enviado por: Alexandre

    Pillon, nananinana…. no meu manual economico o credito deve ser subtraido da renda, a parcela TEM que ser paga, posso reduzir minhas compras a vista, mas uma vez assumida a divida o valor esta la mensalmente, posso comer menos, posso viajar menos, mas deixar de pagar a divida nao!

    Nao tenho ideia do prazo de devolucao nos EUA, mas do jeito que o credito evoluiu e facilitaram la, nao e atoa que devem ate as cuecas…..logico, tudo bonito se o resto do mundo ajuda a financiar a divida deles.

    • Enviado por: Alexandre

      Temos que ajudar a pagar a divida deles para obter uma seguranca democratica, sem duvida tem muito doidinho no mundo, se estao certos ou errados melhor nao arriscar…

  61. Enviado por: Pillon

    Nuooossa, Alexandre você anda muito high :)

    Eu faço uma perguntinha e você dá uma viajada, cara!

    Estou em gargalhadas aqui :D :D

    Lá nos US não podem devolver um automóvel. Em todo dealership havia uma placa na parede dando essa explicação (ao menos na Califórnia) e depois no contrato.

    Quanto ao crédito, pode ser considerado uma antecipação da renda, sim. No momento que você toma essa decisão, compromete sua renda futura. Pense bem. Naturalmente que todo mês uma parte dela vai para o pagamento do bem ou serviço que você JÁ recebeu.
    Por isso tem que se subtrai o crédito se que recebe da renda, a FUTURA.
    Capisco?

    • Enviado por: Alexandre

      Exato, comprometi a renda futura e o futuro depende das decisoes dos outros….mas apos o comprometimento subtrai-se da renda o valor da parcela, adquiri algo sim, nao importa o que, mas nao tive aumento de renda, a nao ser que saio a luta para gerar mais renda atraves de investimento, ou faco horas estras, ou 2 empregos…..

      Como o Nick cansou ja de afirmar, a falha esta no credito para consumo, exagerado, nao faz sentido, talvez com esta crise comecem a pensar em poupanca e renda ou ganhos reais de salarios.

      • Enviado por: Alexandre

        Nao entendi o too high! Ora, estou apenas gerando polemicas EUA x Europa, os caras gastam um absurdo com armas, o Javier tem razao, mas sera que estao tao errados, outro dia li que os chineses tambem, para que?

    • Enviado por: Pillon

      Bem para fazer renda, você pode apelar:

      Olé, Mulher Rendeira,
      Olé mulhé rendá
      Tu me ensina a fazer renda,
      eu te ensino a namorá.
      Olé, Mulher Rendeira,
      Olé mulhé rendá,
      Tu me ensina a fazer renda,
      Que eu te ensino a namorá.(2x)

      Lampião desceu a serra
      Deu um baile no Cajazeiras
      Botou as moças donzelas
      Pra cantar “mulher rendeira”

      As moçá de Vila Bela
      Não tem mais ocupação
      Sé que fica na janela
      Namorando Lampião

      Olé, Mulher Rendeira,
      Olé mulhé rendá,
      Tu me ensina a fazer renda,
      Que eu te ensino a namorar.

      Olé, Mulher Rendeira,
      Olé mulhé rendá,
      Tu me ensina a fazer renda,
      Que eu te ensino a namorar.

      http://letras.terra.com.br/demonios-da-garoa/957979/

  62. Enviado por: Ferruccio

    Pillon,

    Só agora lí teu comentário sobre aposentadoria.

    Infelizmente, eu não entendo muito sobre o assunto.

    Na verdade, fico nervoso toda vez que falam em aposentadoria. Eu contibuí o teto durante quase toda minha vida profissional, e estou atualmente recebendo uma micharia.

    Abr

    • Enviado por: Pillon

      Agradeço da mesma forma. Mas essa ideia de voltar ao cálculo anterior, além de ser um bom momento, consagraria o governo Dilma. Não acha?

  63. Enviado por: Pillon

    Javier,

    Na Alemanha tiram 30 dias em média de férias e não trabalham (nem todo mundo) 10 dias que são feriados cívicos ou religiosos.

    No recorte que eu tenho aqui do Sudkurier, jornal local, os espanhóis tiram 22 dias de férias e têm 14 feriados cívicos e religiosos.

    Estou lendo seu comentário.

    Abs.
    seu compatriota europeu
    Pillon

    • Enviado por: Javier Vidal

      PREZADO PILLON
      Obrigado polas suas palabras.Esqueceu dicir que en Espanha o numero de horas anuais trabalhadas e de 1850.En Alemania fica por debaixo de 1500, se nao me equivoco.Pero e igual !tudos trabalhamos moito en tudas partes!!.

  64. Enviado por: Pillon

    De fato Javier, não há como se instalar na Europa uma economia pura capitalista de mercado.
    Até mesmo no caso da assistência médica nos US que o Obama pretendia modificar baseando-se no sistema europeu, em particular no da Alemanha.

    Vou citar um caso de uma brasileira, ilegal nos US, que precisou de atendimento urgente médico. Ainda no setor de emergência lhe perguntaram como iria pagar. Ela pediu que chamassem a assistente social do hospital. Daí em diante não pagou um tostão. E recebeu todo tratamento necessário e da melhor qualidade.

    Quem pagou por isso?

    Abs.

    • Enviado por: Alexandre

      Penso que este purismo ja foi, talvez na china ainda, nos desenvolvidos e ate no Brasil e capitalismo de estado, em alguns mais disfarcados…

    • Enviado por: Javier Vidal

      PILLON
      En realidade Obama vino a Espanha varias veces y segun el se inspiro no servico publico de saude espamhol, no alemao, pra tentar criar,con evidente fracasso, algo parecido nos EEUU.Pero nao vou discutir por isso.Os paises sempre se queren otorgar triunfos propios.
      O que si lhe digo, y e algo que se oculta, especialmente na Alemania de forma deliberada, e que este pais, Espanha, atende a centos de miles de alemaes, ingleses,franceses, etc, etc, na saude espamhola, porque nos seus paises sae moi caro ou nao cubre.Espanha gastou cada ano cuasi mil milhoes de euros pra atender a alemaes e ingleses (700.000 cada ano) que nos seus paises nao tinhan esa cobertura medica.Eso e asim, ata que Espanha suprimiu esa “axudas” que lhe costaron mais de 20 bilhoes ded euros nos ultimos 20 anos.

      Afortunandamente, como tuvimos que “recortar” tanto porque Merekel empeñouse, se lha acabou a boa vida a os aposentados alemaes que nao tinhan dinheiro para operarse nos seu pais, como pode ver aqui:
      http://www.elconfidencial.com/espana/2012/04/19/se-acabo-el-turismo-sanitario-para-700000-extranjeros-y-con-1000-millones-de-coste-96429/
      Xa lhe dixen que nao e ouro tudo o que reluce.
      Saudos,nao esqueza que so estou compartindo con voçe, nao discutindo.

  65. Enviado por: Pillon

    O destino do euro se equipara ao do dólar.

    Os catastrofistas de plantão, aprergoavam que as dívidas da Califórnia, New York e outros países forçariam a fragmentação dos US e consequentemente esses estados abandonariam o dólar, criariam sua moeda própria e a desvalorizariam.

    Pois é, o país entrou numa decadência tal qual a da civilização ocidental, se encontra tão fragmentado que ainda faz muitos correrem ao dólar como proteção.

    Hum…!

    • Enviado por: Pillon

      digo, outros estados…

      • Enviado por: Alexandre

        Pode dar risada, mas e a maior forca armada…oras bolas, alem de uma estabilidade institucional mais clara, economia de mercado.

        • Enviado por: Alexandre

          Pillon, o pais entrou em decadencia, em termos, mas o conceito de crescimento atraves de alavancagem foi absorvido muito bem pelos europeus conservadores…..

          • Enviado por: Alexandre

            Risadas e ouvir os discursos da antiga esquerda aqui falando que falta muito fogao, geladeira e microondas para a populacao…….apelam de tudo qto e lado.

    • Enviado por: Pillon

      Não entendi Alex.

      • Enviado por: Alexandre

        Nao entendi o que voce nao entendeu, estou com o teclado do filho, nao achei os assentos….

  66. Enviado por: Pillon

    Interessante!

    Se você entra numa loja querendo comprar qualquer coisa, um sapato, uma roupa, uma máquina de lavar, uma câmera, etc, ou se precisa de um serviço, um telefone novo, um encanador, um massagista, um astrólogo, ou se precisa de crédito, um cartão, um cheque especial…

    Todos esses desejos se tornam realidade, ou melhor, se colocam à sua disposição se você pode pagar por eles.

    Eu, por exemplo, quero comprar um p. barco para navegar no Bodensee. Mas…

    Minha proposta acima visa um ponto: produto e serviço existem, sejam eles locais ou internacionais, mas existem!

    Consumo deprimido existe em todos os níveis, depende do que se define como consumo e como o que é deprimido.

    Se uma comunidade depende de crédito para consumir, talvez seu consumo sequestrado não a definiria melhor? Depois paga-se um resgate para o obtê-lo?

    Muito filosófico hoje!
    Abs

    • Enviado por: Alexandre

      Compre logo um veleiro, deprecia menos, nao sei como sao os ventos no Bodensee, mas regatas sao otimas….financie, desconfiando da sua idade, dane-se a divida, se e que me entende. Aproveite e leve alguns turistas cobrando algo…

    • Enviado por: Pillon

      Verdade!
      Vou comprar um!
      Abs.

  67. Enviado por: Jr.

    Pillon,
    Vi esse link aí:
    http://www.auroville.org
    Abs.

    • Enviado por: Pillon

      Esse aí mesmo, Jr.
      Muito interessante, a concepção e o “modus vivendi”.
      Você constrói lá e a propriedade pertence à comunidade. Coisa difícil de ocidentais baseados na propriedade e consumistas como nóis…

      O Guilherme e esposa se mandaram para lá, não querem mais sabem da gente daqui.

      abs.

  68. Enviado por: Pillon

    Grande expectativa!

    Eleições na Grécia, hoje!

    Vai da a lógica!

  69. Enviado por: Alexandre

    Javier, se entendi a inflacao na Espanha com o euro foi maior que com a pesesta, correto?

    • Enviado por: Pillon

      Não!

      • Enviado por: Alexandre

        Como nao? Os precos subiram e os salarios nao foram convertidos como eles, verdade?

        • Enviado por: Alexandre

          Aposto que a infla na euroespanha foi maior que na euroalemnaha, preciso pesquisar?

          • Enviado por: Alexandre

            Nao tem como a europa se segurar se a populacao vai envelhecendo, a decadencia economica esta relacionada a decadencia cultural, de valores, sem preconceitos, por favor….

        • Enviado por: Javier Vidal

          ALEIXANDRE
          Foi xusto a o reves, a inflaçao baixou en comparaçao con a peseta.E moito.Nos anos 90 nao era extrana unha infaçao do 5,6%, en Espanha e tamen en o resto da eurozona.Na era euro,nunca chegou a mais do 4.5%.
          Os salarios tamen suberon.Na minha opinao en conxunto foi moito melhor a etapa euro que a peseta, sin comparaçao.Nao so os produtos europeus, alemania, francia, italia, holanda,baixaron ou se equipararon de precio pra nos, se nao que en conxunto foi moito melhor pra a economia espanhola, alema, italiana, etc,etc.E nao digamos pra moverse de carro por a rea euro (unha das minhas aficçoes en cuanto podo).
          Saudos.

    • Enviado por: Pillon

      Pesquise.
      Continuo dizendo não!
      Abs.

      • Enviado por: Alexandre

        Pillon,….analisei os dados abaixo e nao consegui chegar em nada, alias as 2 infla sao similares, ai ai.

        Javier, agora entendo porque voces apegaram-se ao euro, claro, moeda FORTE!

        Como nao gosto de deixar barato, da para voce explicar para os brazucas que moeda forte faz bem….aqui ainda estamos na fase desvaloriza para resolver nossos problemas.

        Sim, viajar de carro pela europa e demais, concordo

  70. Enviado por: Ferruccio

    A discussão sobre o destino do euro e da Europa é fascinante. Parece que o partido a favor da manutenção da Grécia no euro vai ganhar.Enquanto esperamos pelo resultados, vamos falar um pouco sobre os problemas do nosso Brasil varonil. Basicamente, como reativar o crescimento e combater a crise.

    Recentemente, o Kupfer falou sobre a necessidade de estimular o investimento, considerando que o estímulo ao consumo estaria esgotado.

    Os cometários do Amir (link do Mário Pw) e do Mantega (link do Jr) se inserem nessa discussão do que vem primeiro, o investimento ou o consumo.

    “É um equívoco fazer essa dicotomia entre o consumo e o investimento. Os dois têm de ser estimulados. O investimento não ocorre sem um mercado de consumo e vice-versa”(Mantega).

    “Em síntese, a saída para o crescimento pode estar na ampliação do estímulo ao consumo e na redução do superávit primário. O investimento, com ou sem regulação e/ou concessão, é consequência natural da expansão do consumo” (AMIR).

    O incentivo ao consumo pode ser a forma mais rápida para sair dessa estagnação, mas no médio/longo prazo, teremos que fazer investimentos na infraestrutura, e nisso o governo terá que tomar a iniciativa, através das parcerias público/privadas, ou investindo diretamente, já que o setor privado não está interessado em assumir os riscos de investimentos de longo prazo de maturação e nós ainda não temos um mercado de financiamento de longo prazo.

    • Enviado por: Jr.

      Ferruccio,
      Um subproduto muito importante da queda da SELIC é o esperado redirecionamento do dinheiro que estava imobilizado nos títulos públicos para investimentos em atividades produtivas, conforme disse o Mantega.

      E em relação à infra-estrutura, concordo com você que o caminho é o investimento público / misto.

      Quanto às eleições na Europa, os eleitores gregos deram um novo fôlego ao Euro e aos outros países em dificuldades. Espera-se que a Dona Ângela Merkel compreenda agora a situação a que ela levou a Europa e alivie as condições draconianas impostas à Grécia, em face do resultado das eleições, permitindo que medidas de estímulo ao crescimento sejam adotadas naquele país, de modo que os gregos possam enxergar alguma luz no fim do túnel.

      Importante nesse aspecto é o pacote de 120 bilhões de medidas de incentivo ao crescimento propostas pelo Hollande para a Europa e mais os 80 bilhões também para estímulo ao crescimento na Itália lançados pelo Mario Monti no final de semana passada Parece que o eixo Hollande-Monti está se articulando para se contrapor aos absurdos impostos pelo governo alemão aos outros países. Espera-se que o Rajoy também se junte à tabelinha França-Itália, em virtude dos últimos acontecimentos na Espanha. Enfim, Ângela Merkel está caminhando para ficar cada vez mais isolada nas suas posições na Europa.
      Abs.

      • Enviado por: Javier Vidal

        JR
        Concordo con voçe 100%,aunque dubido que Rajoy se una a Monti y Hollande.Infelizmente Rajoy seguira apoiando a Merkel, Igual que Tusk, o presidente polones,o goberno fines, o austríaco e algun outro pequeno pais.Pero e verdade que o ciclo de gobernos conservadores esta acabando en europa, o que e un alivio para tudos.Si os norteamericanos esperan controlar o seu deficit publico do casi 9% en cinco anos,¿por que a eurozona pretende facer o mesmo en so dous anos?.¿Por medo a os mercados?.Pois si, probablemente.Pois os mercados teran que esperar e deixarse de brincar con movementos especulativos a curto como si esto fora un casino.Mentras nao exista un ferreo control de estos movementos e da presion insoportable de a midia que estos fundos sostenhen (¿alguen sabe quen esta detras do grupo Pearson, dono do Financial Times?¿e detras das agencias de clasificaçao?¿quen as financia?:os mesmo grupos sen nome que especulan nas cuatro maiores bolsas europeias, os mesmos que fican detras de Goldman Sachs o de Citibank de Black-Rock,ou de outros tantos grupos de inversion , norteamericanos, europeiso, chineses ou rusos,tan opacos e perigosos que manexan cuantidades de dinheiro inmensas e apostan a curto contra paises so por o lucro momentáneo).
        Si eso nao se para, e nao creo que se faga, nao so europa si nao o mundo enteiro nunca ficara tranquilo.O que passa agora na europa ben pode pasar en poucos anos en AL.De feito me temo que pasara, en cuanto aqui se estabilice pòuco a pouco a cousa, si se chega a isso, estos grupos de inversion acabaran buscando o lucro en outros lugares.Xa verá.E un ciclo.Sempre buscan o lucro mais rapido.

        • Enviado por: Ferruccio

          Javier,
          A especulação internacional já está atuando no Brasil faz tempo, devido às altas taxas de juros pagas pelos títulos brasileiros. Acho que a permanência por muitos anos de taxas de juros altas no Brasil tem a ver, em parte, com a influência desses grupos sem nome que você menciona.

          Com a redução das taxas básicas de juros, as aplicações estrangeiras têm se tornado menos atraentes, razão pela qual os comentaristas econômicos internacionais estão agora menos otimistas a respeito do Brasil.

          A grande questão é como controlar esses “grupos sem nome, opacos e perigosos”. Eles têm o poder de avançar sobre os governos, estabelecendo as regras. É o interesse privado avançando sobre o interesse público.

          • Enviado por: Alexandre

            Bem observado, como controlar e se devemos controlar. Na minha opinião depende do caminho que queremos seguir, com mais dividas ou com menos dividas. Acredito que sendo para consumo, incluindo imoveis, o capital especulativo esta aí, esperando oportuindades de curto prazo.

            Na afirmação o Mantega esta correto, consumo e investimento, balanceados, mas não foi isto que fizeram, apesar que ele esta tentando ainda corrigir o passado e sem um plano definido para o futuro, capital de longo prazo.

            Novamente volto para o controle da inflação, deixando ela girar nestes patamares, não há longo prazo, depois para corrigi-la tem que jogar novamente na recessão e o mercado sabe disto.

            Estamos cansados de saber que os preços avançam sobre a renda, sempre.

            Por isto que não tiro as razoes da Merkel, não há milagres, como nós muito bem sabemos.

            Agora, ca entre nós, enquanto não resolverem a questão corrupção, o investimento através do estado fica comprometido, muito. E da-lhe Maluf ganhando algumas secretarias, assim é demais.

    • Enviado por: RONALDO GOMES FERREIRA

      Ferrúcio
      O que vem primeiro é o investimento, sem ele não há produto para ser consumido. O investimento só é realizado quando o capitalista detecta vontade de consumir ou como dizem nossos amigos economistas, potencial de consumo.
      Abs

  71. Enviado por: Ricardo

    Mudança de hábito

    Vivemos um cenário novo, talvez a redução homeopática da selic não tenha permitido à população a percepção do momento econômico atual.

    Supondo a selic em 8,0% ao ano e uma inflação de 4,5% ao ano, teríamos uma rentabilidade de 3,5% ao ano. Descontando o imposto de renda – come-cotas de 15% (longo prazo), teríamos 2,3% de rentabilidade ao ano, descontando ainda uma taxa de administração de 0,5% a rentabilidade líquida seria de 1,8% ao ano.

    É uma diferença muito grande para um passado de grandes rentabilidades na renda fixa.

    Os analistas recomendam que para aumentar a rentabilidade ter-se-ia que correr mais riscos. Mas o que é isso? Qual o teto para tais aplicações?

    Como se comportarão os aplicadores frente a essa realidade?

    E os fundos de complementação de aposentadoria quais os caminhos aumentos de prazo ou de valores para o atingimento das metas.

    São profundas mudanças que talvez ainda não estejam clarificadas no dia a dia da população.

  72. Enviado por: Ferruccio

    Está difícil colocar comentários.

    Vou tentar de novo.

    Achei neste link um bom sumário da crise na Europa.

    http://www.bbc.co.uk/news/business-16290598

    • Enviado por: Javier Vidal

      PREZADO FERRUCCIO
      Os dados que manda da BBC (organicmo publico britanico) nao sao corretos de tudo.A deuda publica alema e bastante mais alta, e a privada tamen.De feito a deuda externa alema e mais do dobro que a espanhola.E a ddeuda britanica (engrasado, “tipical british”, eles falan da area euro e esquecen a sua horrible situaçao)
      http://www.indexmundi.com/map/?v=94&l=es

      Como pode ver polos dados da CIA, que nao acredito que sexan maquillados, a situaçao nao e como fala a BBC, e pior.E o que sempre digo, hay que ter coidado con o que se fala, en relaçao a que y en ademas en que proporçao,cuanto e a cuantidade exata, para saber por donde caminhamos.Si a isso lhe añade que os alemas nao imputan os gastos da seguruidade social como si fan o resto dos paises euro, como pode ver aqui:

      http://www.presseurop.eu/pt/content/news-brief/981671-divida-oculta-da-alemanha
      A coisa e bastante pior.Resulta que a deuda publica alema nao e do 83% do PIB, se nao do 185 do PIB.
      ¿A quen acreditar?: a os numeros, que sempre sao tercos.
      Saudos.

  73. Enviado por: Jr.

    Cena triste e deprimente essa foto do Lula e do Maluf hoje à tarde. Todos eram sorrisos. A que ponto o Lula e o PT chegaram !!! Somente lembrando que o movimento das diretas-já em 1984, que levou milhões às ruas no ocaso da ditadura, tinha como objetivo justamente impedir que Maluf assumisse a Presidência da República via Colégio Eleitoral.

    Alguém mudou muito nesses últimos 28 anos e esse alguém não foi o Maluf. Ele continua onde sempre esteve, fazendo o que sempre fez.

    Qual é o ideal maior por trás da aliança do PT com Maluf ? O PT tornou-se, há muito tempo, um partido parnasiano. Os poetas parnasianos de antigamente reinvidicavam que faziam “arte pela arte”. O PT pratica o ideal do “poder pelo poder”.

    Triste… Pobre Brasil sem opções.

    • Enviado por: Alexandre

      Jr.,. :) …. :) até que enfim um manifesto seu, pois é, não voto mais no Maluf, como pode?

      È uma piada, viu?

      • Enviado por: RONALDO GOMES FERREIRA

        Muito boa Alexandre!

        • Enviado por: Alexandre

          Obrigado, tenho tentado imputar um senso de humor no JR, mas sem sucesso…… :)

  74. Enviado por: Renato

    Ô Alexandre:

    Eu não falei que o ser humano é cheio de falhas de caráter?

    Desde quando alguém foi preso neste país por falha de caráter?

    Até o relator guardião da ficha limpa tinha falhas de caráter.

    E fica tudo por isto mesmo. Vai-se fazer o quê?

    • Enviado por: Jr.

      Renato,
      Não se importa não com o Alexandre. Ele não é sério. Só tá aqui pra esculhambar.
      Abs.

      • Enviado por: Alexandre

        Jr., agora voce foi tao profundo qto o DeGaulle….

    • Enviado por: Renato

      Veremos no palanque o cumpanheiro Maluf juntamente com a cumpanheira Erundina apoiando o cumpanheiro Hadad. Hebe gracinhas e selinhos.

      • Enviado por: guilherme

        vc acha que uma foto do lula com maluf precisa ser esculhambada??????

        kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

        • Enviado por: Alexandre

          Guilherme, realmente….. :)

          • Enviado por: Alexandre

            Renato, vou falar o que, teria, mas prometi respeitar o blog do JPK…..

    • Enviado por: Jr.

      O Guilherme some, desaparece, passa séculos sem dar o ar da graça e sem se lembrar da gente aqui, deixando-nos a todos com saudades das suas intervenções. Mas é só alguém falar a palavra mágica (“Lulinha”), que ele, em qualquer lugar que esteja, como por um passe de mágica reaparece e ressurge de imediato, irônico, todo contente e gargalhando de alegria.

      Que fascinação pelo Lulinha, hein, Guilherme !!!! Freud explica ?

      • Enviado por: guilherme

        não é fascinação , começou como decepção e passou pro desprezo……

        mas o advento “lulinha” na história do brasil vai ser sempre explicado por outro pensador , o italiano maquiavel , que foi devidamente interpretado , atualizado e muitas vezes aprimorado pela republica petista , e pelo cardeal mor Zé Dirceu….

        mas eu não estou sumido não , passo sempre por aqui pra ver se tem novidades…..

        e me surpreendo sempre com vc falando da culpa do BC em não baixar os juros , como se ele fosse realmente independente da ditadura petista ……

        vejo o riccardo tomando umas e provocando as mais diversas reações ……

        vejo o renato se agarrando sempre a alguma noticia que possa ser interpretada como justificativa de um exito lulista…..embora sinta que ele esteja sempre mais perto da verdade , só ainda não viu por medo…..

        vejo o ferrucio credulo como um adolescente que ainda acredita na pureza das pessoas , principalmente se forem petistas….

        vejo o speridião , mas não consigo saber o que passa pela cabeça dele….

        e os meus preferidos nick , pela clareza de rasciocinio e alexandre por ser o unico com uma conecção com a realidade…….

        enfim gosto de passar por aqui , principalmente pelas novidades , inclusive com esperança de um dia ver o jpk falar diretamente alguma coisa e que essa coisa seja uma critica ao governo…..

        • Enviado por: guilherme

          P.S.

          gosto muito do que o ronaldo e o fazendeiro falam tbm….

          • Enviado por: Alexandre

            O Fazendeiro que anda sumido…. disse que ia voltar com umas novas….

    • Enviado por: speridião

      Renato, bom dia, pego carona para responder ao Guilherme:

      Bom dia Guilherme, o que passa na minha cabeça?

      Sinapses com endorfina e eleição para prefeitura sem Erundina.

  75. Enviado por: Riccardo(California,USA)

    Ja falei antes mas vou repetir:

    estas tentativas de salvar o EURO so fazem a miseria dos Piigs continuar por mais tempo e com isto o sofrimento daquelas populacoes.

    Mas que vai acabar vai acabar e dai paises como a Espanha vao voltar a serem os grandes paises que ja foram…

    verdade…

    • Enviado por: Javier Vidal

      PREZADO RICCARDO
      Obrigado polo seu aviso.Nao habíamos escoitado “todavía· a sua opiniao sobre o euro.Nao fai falta que a repita, con 200 bilhoes de avisos xa vamos entendendo.
      A salvacion do dollar por meio de injeçoes masivas de deuda publica a os 420 bancos dos EEUU tampouco e un modelo de gestion brilhante, na minha humilde opiniao.Total, 15 trilhoes de dolares os paga EEUU a o seu banqueiro favorito, e dicir China, en catro dias ¿verdade?.
      Me temo que tampouco os EEUU van a voltar a seren o grande pais que foi.
      So o digo por si nao se habia dado conta….
      Saudos.

    • Enviado por: Riccardo(California,USA)

      Javier,

      As vezes a gente ate que concorda a divida Americana tambem eh um absurdo total.

      Nos temos a oportunidade de ameliorar isto nas eleicoes daqui a 140 dias.

      Porem a realidade e que nos devemos este dinheiro a nos proprios a China so tem 1 tri desta divida, como voce bem sabe todos as fundos soberanos do mundo seguram elas em dolares.

      abs

    • Enviado por: Jr.

      Daqui a 140 dias, se for eleito, o Mitt Romney vai cortar impostos e o rombo no orçamento (e, por consequência, a dívida americana) vai aumentar ainda mais. Foi isso que o Bush Jr. fez. Pegou um superávit deixado pelo governo Clinton, cortou os impostos para os ricos, arranjou guerras no Iraque e Afeganistão e o resultado foi a dívida estratosférica e o rombo enorme no orçamento deixado ao final da administração Bush. Pra o Romney ser igual ao Bush, só vai faltar ele dar o sinal verde para a guerra no Irã. Aí vai ser repeteco total. Vai “apiorar” um bocado, Riccardo.

  76. Enviado por: Renato

    Fico pensando aqui com meus botões…

    Se o Euro afunda, quem tem euro vai correr para o Real ou para o Dólar?

    Nem quero pensar no futuro mais à frente…

    (que golpe de mestre…)

    • Enviado por: Renato

      A verdade está lá fora.

      e a verdade é o câmbio…

  77. Enviado por: Jr.

    Se o Lula continuar fazendo essas m. que vem fazendo, o legado dele vai todo pra lama. Tá mais do que na hora dele pendurar as chuteiras e ir cuidar da vida particular dele. O exemplo de Fernando Henrique tá aí pra todo mundo ver. Enquanto está fora da política, consegue manter uma certa sobriedade. Mas quando FHC se mete a dar palpites políticos e a articular, só faz m. também e prejudica o partido dele. O Lula está indo pelo mesmo caminho. A atividade política dele hoje já está sendo prejudicial ao País. Só está dando mau exemplo. Tá na hora de parar. A Erundina hoje já desembarcou da canoa furada.

    • Enviado por: RONALDO GOMES FERREIRA

      Jr.
      Se eu estivesse em São Paulo votaria na Erundina, ela tem o que mais falta nos políticos brasileiros, VERGONHA NA CARA.
      Uma vez disse em um comentário que não sentia nenhuma pena dos gregos. Pelos comentários não pegou bem junto aos nossos amigos, mas vejo este site:
      http://veja.abril.com.br/blog/ricardo-setti/vasto-mundo/grecia-as-enormes-dificuldades-de-um-novo-governo-comecam-pela-obrigacao-de-eliminar-as-bandalheiras/

    • Enviado por: Jr.

      Ronaldo,

      Concordo com sua observação em relação a São Paulo. A falta de vergonha na cara dos políticos brasileiros é estarrecedora.

      Por este mesmo motivo, discordo da sua observação em relação à Grécia. Se fôssemos adjetivar todos os brasileiros olhando apenas para a classe dos políticos, todos nós, inclusive você e eu, poderíamos ser considerados como sem-vergonhas também.

      Às vezes um povo sofre coletivamente por uma série de circunstâncias que não são tão linearmente dependentes da sua vontade e do comportamento individual de cada um. Eu acredito que entre os gregos, assim como em outras sociedades, a maioria das pessoas é constituída por gente de bem. Na verdade, a grande maioria das pessoas está aprisionada a uma sistema político e econômico putrefato. O primeiro-ministro que ganhou a eleição é do mesmo partido daquele que falsificou as contas nacionais e deixou a bomba para o seu sucessor no final de 2009.

      Nós também, no Brasil, tivemos a infelicidade de “perder” a década de 80 sob governos corruptos, ineficientes e incompetentes. Somente pudemos sair desse círculo vicioso graças a um acontecimento fortuito (uma briga familiar entre os irmãos Collor), que desembocou no impeachment e na posse de Itamar Franco. Desde essa época, apesar de todos os pesares, pudemos sair do círculo vicioso que puxava o País todo para baixo.

      Por causa dos nossos repetidos azares e da corrupção entranhada no poder naquela época (somente citando a década de 80), você teve alguma vez a infeliz oportunidade de viajar ao exterior nos anos 80 e começo dos 90 e ser tratado como um cidadão de terceira categoria pelo simples fato de ser um nacional de uma país cuja elite era tão podre ?

      Eu acho que toda generalização é, acima de tudo, injusta. Lógico que a Grécia tem seus problemas, assim como a Alemanha também teve problemas gravíssimos na década de 20, de 30 e de 40. E outros países também os tem atualmente, embora com diferentes nuances e intensidades.

    • Enviado por: Jr.

      Ronaldo,
      Ainda sobre a Grécia, dê uma olhada no desabafo de um “grego comum” sobre o dilema das últimas eleições por lá: “é triste ter que escolher entre um ladrão e um louco”. Segue reportagem completa:
      http://internacional.elpais.com/internacional/2012/06/17/actualidad/1339926249_538416.html

      • Enviado por: RONALDO GOMES FERREIRA

        JR
        Nós temos que aceitar que somos responsáveis pelos governos que temos, mesmo não tendo votado neles. O que eu mostro é que a sociedade grega estava apodrecida como um todo e o povo que se permite chegar a tal situação e vota nos políticos que estavam no poder, tem que assumir suas responsabilidades. È o que a Grécia precisa fazer. Torno a dizer, o caso da Grécia foi de pura de total vigarice, vigarice no micro e vigarice no macro. Não tem nada comparável com os outros países europeus em dificuldades, embora, aqui ou acolá se possa criticar numa ou outra falta de lisura. Nada é comparável a imensa trampolinagem praticada pelos gregos. Eu sei. Trabalhei muito para pagar os juros escorchante das dívidas do meu país. Era o meu governo, só estava lá porque eu permitia, mesmo que não votasse nele. Democracia é um contrato de co-responsabilidade.
        Abraços
        PS. Eu também já tive que escolher entre um louco e um desonesto. O sujeito em que eu votei era os dois.

        • Enviado por: Javier Vidal

          Prezado Ronaldo
          Comentar un artigo tao ofensivo contra un pais enteiro, tan cheio de mentiras, nao e de moi bon gosto.Nin os gregos se aposentan a os 50 anos, e menos aun os autonomos,nin os casos que sao,sao os unicos na europa.Nin os gregos viven do estado nin tonterias de ese tipo.O numero de funcionarios gregos per capita e a terceira parte do dos alemaes ou francese, que ademais tenhen salarios moito mais altos, e gastos publicos moitissimo maiores.Tamen os alemaes maquilaron as suas contas, como xa dixen e mostrei.Y eso que eles foron os que mais dinheiro recibiron da UE nos anos 90, como tudos sabemos aqui.Criminalizar a un pais, e mais desde fora da UE, e mais sin saber do que se escribe e de pessimo gusto.
          ¿Que pasaria si un meio europeu falara de moitos casos de corrupçao institucional do Brasil, de milhoes de persoas que viven na imformalidade, aunque oficialmente figuaran como empregados,que farian Dilma si alguen lhe dixera, mintindo, que os brasilerios se aposentan a os 50 anos?.Voçe se queixa de que foi criticado por falar asim de Grecia, e con raçao, Ronaldo, ao margen do pais que sexa, hay que ter respeito.Grecia ten 11 milhoes de habitantes, a polulaçao de Rio de Janeiro, menos do 2% da area euro.Trabalhan moito mas horas que os alemaes ou os franceses.Nao sao ninguns privilegiados, ao contrario.Tudo isto se houbera arrumado si Merkel e os seus aliados houberan posto o dinheiro ben rapido, como fiximos o resto de paises, e sim facer tonterias.A crise griega se arrumaria en 10 minutos se nao fora por Merkel, que demorou meses e meses e arruinou tudo.Merkel, e alemania, tamen maquiaron as contas, como xa dixen aqui.Y Goldman Sachs, banco rescatado, foi que o fixo, con axuda da dereita griega, aliada de Merkel.Hay moitissimos mais milhoes de alemaes que viven do estado, ou francese, ou espanhois, que gregos.

    • Enviado por: Jr.

      Ronaldo,
      Concordo com o Javier. Colocar um rótulo na testa de um povo e chamá-los a todos de apodrecidos, trampolinistas e vigaristas é algo que não é apenas extremamente ofensivo, mas também muito perigoso. Rotular um povo inteiro e dizer que o mesmo merece a expiação coletiva por causa dos seus pecados é a ante-sala da xenofobia e da intolerância mais violenta.

      Guardando as devidas proporções, mas preservando as semelhanças, devemos nos lembrar que os nazistas alemães grudavam literalmente um rótulo nos judeus (a estrela de Davi) e culpavam esse povo inteiro (sem exceção) pelos infortúnios alemães, inclusive por terem tramado a rendição da Alemanha na 1a. guerra mundial.

      Não é pelo fato de eu ter pago e continuar pagando juros altíssimos decorrentes dos erros do governo brasileiro que eu encontro justificativa para querer impor a mesma coisa para os gregos. Aprendi desde muito cedo uma regra de bem viver que diz que “o que eu não quero mais mim, eu não devo desejar para os outros”.

      Discordo também do fato de que todos os cidadãos devam ser responsabilizados pelas infelicidades e infortúnios de uma democracia viciada que muitas vezes está aprisionada por forças poderosas e que não oferece os elementos adequados para uma mudança. De forma alguma eu me considero responsável pelos erros e crimes daqueles que se apoderam do aparato de Estado, mesmo em uma democracia. As pessoas, antes de tudo, são pessoas. O Estado é um ente com vida própria que opera alheio à atividade cotidiana das pessoas, pilotado por aqueles que “levaram a melhor” em uma disputa eleitoral cujo desfecho foi influenciado por uma série de fatores, os quais nem sempre são os mais nobres ou os mais corretos.

      Devemos todos lembrar que em 1933 Hitler foi alçado ao poder pelo voto popular. Nem por isso devemos condenar todos os alemães que viveram nessa época e dizer que todos eles eram criminosos nazistas que mereciam uma severa punição pelo simples fato dos nazistas terem tirado proveito eleitoral da situação caótica vigente lá naquela época.

  78. Enviado por: Riccardo(California,USA)

    Nossa pela primeira vez na vida concordo com o Bunda do Krugman…

    No seu ultimo post sobre o Euro e a Grecia…

    • Enviado por: Alexandre

      Javier, voce já está pronto para o governo único?

      Criar uma moeda e enche-la de dívidas, a parte mais fácil já foi, e agora?

      • Enviado por: Alexandre

        http://economia.estadao.com.br/noticias/economia,ue-estuda-integrar-sistemas-bancarios-de-paises-membros,116520,0.htm

        E pelo jeito vão começar pelos bancos…. sei não Ricca, eles vão em frente.

      • Enviado por: Javier Vidal

        Prezado Aleixandre
        Voçe gosta de,como dirian no Mexico, “chingar ben chingado”¿nao?.Ta bon, nao ligo.A o contrario.
        Goberno Unico na UE existe fai decadas.E a o que aspiramos tudos desde que se criou a UE, fai 50 anos.Quizas o problema, comprensible, e que o mundo todavia lhe costa entender, que Alemanaia, Francia, Portugal, ou Espanha sa nao son paises, aunque a midia dos EEUU ou de Sudamerica fale en terminos de nacion (un concepto europeu do seculo XVIII que xa nao vale no seculo xxi), a realidade e que , sim, a UE e un gobierno Unico, con capital en Bruselas y un parlamento europeu por encima dos gobernos nacionais,unha moeda unica,unhas leys unicas e unhas fronteiras comuns.Efectivamente e un bloco unico.Voltamos a o que sempre fumos, unha entidade unica formada por pueblos y culturas moi emprendedores.Igual que os chinos, os norteamericanos, os brasileiros ou os Indianos.
        E igual que voçe ou calqueria nao concorde, nao goste, ou nao fique de acordo,a coisa e asim DE FACTO, de maneira obxetiva y obvia.Ningun pais de europa e soberano, e so un estado membro mais,un entre pares.
        Por suposto queda moito,moitissimo por facer.¿Nao queda moito por facer no Brasil a nivel Institucional, economico, social?¿e nos EEUU , nao queda moitissimo por facer?¿e na India,na China, na Rusia,bloques economicos moito maiores, moito mais artificiais (A India se criou en 1947, a China en 1949)?.
        Parece que a ninguen lhe gosta a UE, ou parece que a UE e o epicentro de tudas as forzas negativas do universo.
        Pero nao e asim:esta crise ten un fator inesperado boissimo pra que tenha vista; a UE, por culpa da crise a acelerado tanto a unificaçao que nos ultimos 4 anos se fixo mais que nos ultimos 25 anos.A crise foi o melhor pra a unidade da UE.Xa o vera en poucos anos.As criese sempre tenhen unha parte boa.En este caso obrigar a europa a ser mais europa que nunca.Agora si que e irreversivel, porque sabemos que so unidos seremos fortes.A pesar de Merkel, o estamos consiguindo.
        Saudos.Porsuposto que estou a favor dunh banca unificada,e dos eurobonus.O mundo enteiro clama por isso.Merkel pode querer ter poder na UE, pero fora o mundo lhe obriga a mudar.

    • Enviado por: Javier Vidal

      RICCARDO
      Con tudo o meu respeito e o meu “love”. voçe e a persoa mais contraditoria que conhoço: !O que din o bunda de Krugman e o que digo eu!!:Grecia nao tivo ese rombo que tanto se fala y si o tivo despois foi pola demora de Merkel en colaborar e ser solidaria como o sao tudos na europa,e injetar dinheiro en Grecia, como fixo EEUU en Florida ou California.Si aqui faltou a forza do Goberno unico foi so por culpa de Angela Merkel,que demorou dous anos obstaculizando tudo, achando que ela era a dona de europa, sin que ninguen lhe pidira,por suposto.E como si o gobernador de Nova York ou California obstaculizara as injeçoes de dinheiro publico na Florida.E asim, Riccardo.Lhe pode ponher o nome que queira, pero e asim.Grecia fica moito pior do que deberia porque Merkel obstaculizou o parlamento europeu,pola sencilla raçao de que ela nao quere compartir as debedas con o resto de europa a traves do banco central europeu.Se chama Eurobonus e tuda europa reclama isso dende fai anos.

      • Enviado por: Alexandre

        Javier, nao sou contra o euro, sou contra dividas, mascaram ineficiencias, corrupcoes, falta de produtividade e etc.

        Muito bem, da maneira que voce escreve o governo unico ja foi absorvido culturalmente por voce e acredito que por muitos europeus, falta apenas implanta-lo em definitivo.

        Ainda acho que a Merkel esta certa, para a coisa funcionar tem que cortar os gastos e nao amplia-los, falam muito em injetar mais dinheiro mas nao falam onde e como, mal tem dinheiro para salvar todos os bancos, imagine para consumir mais, outra incoerencia muitas vezes afirmada.

        Diria o seginte, se fosse eleicao para presidente da europa eu votaria na Merkel. Este negocio de crescimento com inflacao nao chega a lugar nenhum, inflacaozinha……nao foi a inflacaozinha que quebraram voces? Voce disse 3 ou 4% ao ano com o euro e voce acha pouco?

        • Enviado por: Alexandre

          Eurobonus….. num momento de crise mundial, correm o risco de terem que oferecer titulos com juros maiores que os brasileiros, o que seria uma vergonha europeia, ja pensou nisto? Estariam voces entregando cada vez mais a europa, inteira ao proprio sistema financeiro que voce critica.

          • Enviado por: Alexandre

            Sinceramente, estou ficando cada vez mais assustado com a facilidade que emitem trilhoes, titulos, dividas, nao estao esquecendo que um dia terao que ser pagos ou resgatados?

            Quer colocar um pais e sua populacao de joelhos?

            Emita titulos, empurre-os para o consumo e depois jogue uma inflacaozinha, so para quebrar uns 10% deles, dar-lhes um susto, vai todo mundo correr, a produtividade vai la em cima.

            Nick…..

  79. Enviado por: Renato

    Virus sirefef:

    Toda vez que entro no site da Revista Carta Capital acabo sendo infectado.

    Disfarça-se de instalando-se como antivirus.

    Alguém conhece a ferramenta para remoção?

    Arranquei-o em modo de segurança, mas o virus tinha desabilitado o firewall. Consegui resolver, mas não sei se ainda tem cópias deste virus em outros diretórios.

    Encontrei isto no site do Microsoft:

    Ferramenta de Remoção de Software Mal-Intencionado (KB890830) Microsoft® Windows®

    http://www.microsoft.com/pt-br/download/confirmation.aspx?id=16

    • Enviado por: Jr.

      Renato,
      Como você descobriu isso ? A infecção ocorre pelo simples ato de entrar no site ?
      Abs.

      • Enviado por: Renato

        Não tenho certeza, mas dois computadores meus foram contaminados enquanto estava visitando a página principal da revista. O virus apareceu como sendo uma instalação de um programa tipo virus protection, matou meus antivirus e desabilitou o firewall, também deixou um ícone na tela e uma pasta em programas. Através do ícone, botão direito, propriedades encontrei o path para o virus. Rebootei em modo de segurança (F8) e consegui deletá-lo, fiz uma restauração de sistema para uma condição anterior e isto acabou me reabilitando o firewall. No Windows 7 deu certo, já no windows XP, tive que reinstalar tudo novamente. Não sei ainda qual é a ferramenta certa para matar este virus.

        abs

        • Enviado por: guilherme

          kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

          até isso os veiculos de propaganda petista usam de meios “duvidosos” ……….

          kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

          • Enviado por: Renato

            Caro cumpanheiro Guilherme, você não viu ainda os virus que tem lá no site do Nassif.

            Brincadeiras à parte, de fato, tem mesmo umas coisas estranhas nestes sites. Acho que é a turma do Linux (software livre) que embute estes virus sei lá com que propósito.

            Guilherme, você é de esquerda ou de direita?

            Qual é a sua opnião à respeito do lulinha?

    • Enviado por: Jr.

      Renato,
      Incrível isso. Acho que seria interessante comunicar isso aos donos do site, pois muita gente deve estar sendo infectada desse modo.
      Abs e obrigado pela dica.

      • Enviado por: Renato

        Jr., eu estou em dúvida, não sei se isto só está acontecendo comigo ou se tem mais gente sendo infectado. Conhece mais algum caso?

        • Enviado por: guilherme

          eita….

          do nassif eu saio correndo , as poucas vezes que tive a curiosidade de ler me deram ansia de vomito , então não volto mais por nojo , igual ao que nós temos por uma barata esmagada……kkkkkkk

          agora esse negócio de direita e esquerda , acho ultrapassado , ha vinte anos ainda fazia algum sentido , depois do governo de ultra direita do lula , fiquei muito confuso…..

          vcs costumam dizer que FHC era neoliberal , mas acho , hoje , que ele estava muito mais a esquerda que os cumpanheros……

          • Enviado por: Ferruccio

            Guilherme,

            No fim, todos queremos entender melhor o que se passa em volta de nós e, principalmente, não cair na “massa de manipulação”.

            E, por falar em análise imparcial, vamos analisar o que você disse lá em cima:

            “…e ainda digo , a mesma farra que deixou a europa nessa situação , é a que o governo PT de lulinha vem fazendo….lembrem-se que FHC saiu com 600 bi de divida , lulinha saiu com 1,7 tri e dilminha vai chegar aos 2 tri em breve……”

            Eta análise profunda e imparcial!

            Um grande abraço.

    • Enviado por: Jr.

      Renato,
      Não, eu não sei de outro caso. Mas talvez fosse bom alertá-los sobre o que aconteceu com você para que eles investiguem se há alguma coisa irregular no site deles.
      Abs.

    • Enviado por: Jr.

      Guilherme,

      Ontem o Maluf também disse exatamente o que você acabou de falar: “… esse negócio de direita e esquerda … não existe mais…”.

      Vai ver que ele anda lendo seus comentários aqui no blog … heheheh.

    • Enviado por: Ferruccio

      Tenho acessádo regularmente o site do Nassif (apesar do conselho em contrário do Guilherme), mas não tenho notado problemas.

      Mas vou prestar mais atenção.

      • Enviado por: Ferruccio

        O Ronaldo deveria fazer o mesmo, já que gosta de ouvir opiniões contrárias.

        • Enviado por: Alexandre

          Qdo é para reprimir a população revoltada, esquerda e direita não existe, idem qdo trata-se de $$$$$$….assim como existem democracias e ´´democracias´´.

          • Enviado por: Alexandre

            …. :) …. Guilherme, neoliberalismo…. perceba o qto os europeus, conservadores, estão pedindo pelo amor de deus para mais uma rodada de neoliberalismo, em euroneoliberal.

          • Enviado por: guilherme

            ferrucio ,

            essa é a prova de que vc não tem interesse em ser isento , vc visitando o nassif regularmente perde totalmente a possibilidade de encarar os fatos sem viés politico….. e ainda corre o risco de se transformar em “massa de manobra” , repitindo as asneiras comentadas por lá….

            eu não leio nassif assim como tbm não leio o azevedo , são iguais e totalmente partidários , o nassif ainda tem a cara de pau de dizer que faz uma “analise” dos fatos…..kkkkkkkk ele é pago pra dar versões…….vc dá um tiro no pé lendo esse tipo de gente….

          • Enviado por: guilherme

            alexandre ,

            é verdade , depois de anos de social-endividamento-democratico , uma dose de “neoliberalismo” seria interessante pra tentar sanar as contas deixadas pela farra……

            e ainda digo , a mesma farra que deixou a europa nessa situação , é a que o governo PT de lulinha vem fazendo….lembrem-se que FHC saiu com 600 bi de divida , lulinha saiu com 1,7 tri e dilminha vai chegar aos 2 tri em breve……

            “cronica de uma morte anunciada”……..

          • Enviado por: Ferruccio

            Guilherme,

            Isenção é um problema sério. Todas achamos que somos isentos em nossos julgamentos, principalmente você, que se considera já ter alcançado a verdade e em posição de dar conselhos aos outros.

            Precisamos ter a humildade de reconhecer que, às vezes, ou muitas vezes, podemos estar errados. Não reconhecer isso seria burrice.

            Você usa a velha técnica de desclassificar o autor quando não consegue contestar o argumento. Vamos discutir os argumentos, deixando de lado as intenções do autor. É a única forma de tentar fazer um julgamento isento.

            Vamos aproveitar o exemplo de isenção do JPK neste blog. Ele não precisa apelar para “lulinha”ou outros nomes depreciativos para fazer uma análise isenta.

          • Enviado por: guilherme

            que isso ferrucio!!!!

            verdade não é minha meta…. sou humilde o suficiente pra ficar lendo um monte de comentaristas , profissionais ou não , e busco olhar pelos diversos angulos que me são apresentados……

            agora ler pessoas contratadas pra apresentar versões é que realmente eu não entendo , é como se vc soubesse que vai ser traido mas casa com a mulher errada assim mesmo….

            não acho inclusive que o jpk seja totalmente isento , ele mostra uma simpatia exagerada pelo min da fazenda , mas o hambiente aqui é mais diverso , gosto de ler o nick , o ronaldo , até mesmo o pillon e o jr , acho que me faz bem….

            e só te dou esse conselho porque sinto que vc é do bem e merece coisa melhor , tem outros que nem ler eu faço…..

          • Enviado por: guilherme

            que isso ferrucio!!!!

            verdade não é minha meta…. sou humilde o suficiente pra ficar lendo um monte de comentaristas , profissionais ou não , e busco olhar pelos diversos angulos que me são apresentados……

            agora ler pessoas contratadas pra apresentar versões é que realmente eu não entendo , é como se vc soubesse que vai ser traido mas casa com a mulher errada assim mesmo….

            não acho inclusive que o jpk seja totalmente isento , ele mostra uma simpatia exagerada pelo min da fazenda , mas o ambiente aqui é mais diverso , gosto de ler o nick , o ronaldo , até mesmo o pillon e o jr , acho que me faz bem….

            e só te dou esse conselho porque sinto que vc é do bem e merece coisa melhor , tem outros que nem ler eu faço…..

  80. Enviado por: Ferruccio

    Ainda não entendi porque alguns comentários têm a opção “responder” e outros não.

    Fiz um comentário para o Guilherme, que deveria ter caido após o comentário dele de 16:30, mas acabou indo lá para cima.

    Alguem pode ajudar?

    • Enviado por: silvio corrêa

      Ferruccio

      Quando não há a opção responder é porque outro nick já usou essa opção antes de voce. Creio que isso seja para que se permita a réplica logo na sequencia.

      Não sei se ajudei

      Abç

      • Enviado por: Ferruccio

        Obrigado, Sílvio. Acho que é isso mesmo.
        Abr

  81. Enviado por: guilherme

    ferrucio ,

    o que está errado no comentário que eu fiz sobre a divida?

    fhc endividou até 600 bi , lulinha foi até 1,7 tri e dilma fecha o ano com 2 tri….

    onde está a parcialidade????

    falei mentira ????

    a curva de endividamento está errada???

  82. Enviado por: Riccardo(California,USA)

    O Tombini ontem falou na imprensa Americana que o Brasil vai crescer no minimo 4,5% este ano a reporter da World Exchange pela sua fisionomia deu pra perceber que ela segurou a expressao pra nao dar risadas.

    E as desculpas agora estao comecando…

    http://economia.estadao.com.br/noticias/economia,mundo-atravessa-efeitos-da-mais-grave-crise-desde-a-2-guerra-diz-dilma,116714,0.htm

    beijocas…

  83. Enviado por: Pillon

    Considerando alguns fatores positivos sobre a Grécia levantados pelo Sr. Krugman:

    1)antes do euro MAIS OU MENOS (ela) se mantinha à tona nos mercados mundiais, ganhando o suficiente com as exportações, o turismo, o transporte marítimo, e conseguia pagar MAIS OU MENOS as suas importações (o que ele quer dizer com MAIS OU MENOS? Que era uma ginástica todo ano para fechar as contas e o balanço? Uma ano mais outro menos?)

    2)0s gastos na área social da Grécia, enquanto porcentagem do PIB, são bem inferiores aos da Suécia ou da Alemanha (até que enfim algo aceitável!)

    Agora alguns dos fatores negativos, levantados por ele:

    1)são enormes as falhas na economia, na política e na sociedade da Grécia

    2)é grande a corrupção e a sonegação de impostos, e o governo grego tem o hábito de viver além dos próprios recursos

    3)(apesar dos) gregos não serem preguiçosos a produtividade grega é baixa pelos padrões europeus

    4)há 15 anos, a Grécia não era nenhum paraíso… o desemprego era elevado…

    Com essas observações, o Nobel dispara:

    “Então a Grécia aderiu ao euro (observação minha: aderiu dois anos depois da criação da moeda, teve tempo para pensar e se juntar ao Reino Unido, Suécia, Dinamarca), e aconteceu algo terrível: passou-se a acreditar que era um lugar seguro para investir, financiando em parte, mas não totalmente, os déficits do governo… e a Grécia se tornou cada vez menos competitiva.”… “Na verdade, os gregos dilapidaram GRANDE parte, quando não a maior parte do dinheiro que entrava incessantemente”… “a economia cresceu”.

    Bem, daí eu concluo:

    Quem passou a acreditar que a Grécia era um lugar seguro para investir deveria ter contratado o Sr. Krugman para os orienta-los e precave-los. Se quem não sabia disso, não se preveniu, ou se sabia, investiu assim mesmo, então que vá morder os políticos e os burocratas gregos na bunda deles!

    Nenhum deles fez fez vistas grossas para as mandraquinagens e falsificação de informações; nenhum dos investidores teve o cuidado de examinar e ponderar se a capacidade de endividamento grega, se poderia chegar onde chegou, já que que uma hora era MAIS, outra hora era MENOS; nenhum dos políticos e burocratas gregos imaginava que, ao levarem o país a um impasse financeiro, quem tinha a grana iria ter que aprovar os recursos de resgate e saneamento financeiro e iria fazer exigências?

    E apesar de tudo isso acima citado por ele, no frigir dos ovos, o Sr. Krugman põe a culpa na moeda. E na Alemanha, em artigos anteriores. O Sr. Krugmann não quer realmente examinar a origem do problema e por o dedo na ferida, apontar o verdadeiros causadores dessa crise, os bancos franceses, alemães, ingleses, italianos, americanos…

    Errou no desfecho em seu artigo, Sr. Krugman. A história futura mostrará a Grécia como a vítima da própria incompetência e sacanagem de seus políticos.

    • Enviado por: Alexandre

      Pillon, quem me fez dar gargalhadas agora foi voce, no bom sentido, a maneira que voce colocou…..

      Fui tentar fazer a liçao de casa para verificar os gastos sociais gregos em relação ào PIB, analisando também pelo PIB per capita.

      Para meu espanto em 2008 o PIB per capita grego era de US$32mil e o alemão de US$ 35,4. Os gregos aumentaram seu poder de compra em mais de 2x em 10 anos. Não é por acaso que nas pesquisas eles queiram permanecer no euro, com a crise estao nos 29 mil, o site index.com nao tinha em euros.

      Tem que considerar uma desvalorizaçao do dolar, mas mesmo assim.

      • Enviado por: Alexandre
        • Enviado por: Alexandre

          Pillon, para que voce nao entenda errado, muito bem colocado sua analise da analise do Krugman. Excelente!,,,,logico que as vitimas no final das contas acaba sendo a populacao.

          • Enviado por: Riccardo(California,USA)

            Pillon,

            voce falou e disse, e eh por isto que mais cedo ou mais tarde o EURO acabara.

            Para o beneficio de todos…

      • Enviado por: Javier Vidal

        ALEIXANDRE
        Gostaria saber por que lhe espanta que os gregos ganharan no 2008 27.000€ (nao dollares) e os alemaes un 10% mais, ademais de ter, claro esta,un estado do benestar moi superio e moitssimo mais caro que o grego, esqueceu de dicir.
        E como si eu lhe pergunto:¿cuanto ganha alguen en Sa.Paulo, en Minas y en Acre ¿tamen quedara espantado?¿Voçe enton prefire que tenhan diferencias maiores, nao, pra que europa deixe de ser o bloco con menos desigualdades do mundo e se convirta en unha region experimental do capitalismo financieiro neoliberal, donde a pobreza e as desigualdades nao importen e so importe o crecemento pra os ricos ¿Nao?.
        ¿Sabe voçe canto e o salario da gente da ex-alemania oriental, 21 milhoes da habitantes (dous Grecias xuntas) completamente subvencionada con dinheiro publico europeu, con unha industria obsoleta, hipercontaminante, con un grao de desnvolvemento moi inferior a o resto da Alemania,con uns problemas tremendos de envejecimiento,desmprego e malas condiçoes laborais?
        Averigue canto ganhan e a costa de quen e logo deixeme de falar dos 11 milhoes de pobres gregos que o estan pasando moi mal.
        Egoismo alemao, con tudas as letras postas.Merkel nao fuica preparada pra gobernar alemania ou a UE.Nao sabe o que é.Nao ten ideia.

    • Enviado por: Pillon

      Não tive muito trabalho para escrever o texto, bastou selecionar e colar. A conclusão me parece óbvia, nem eu precisava expô-la, não?

      Apesar de ter minhas reservas à forma com que o Sr. PK analisa a situação na eurozona, precisamos parabeniza-lo por ter apresentado os fatos marcantes da Grécia e ter sido justo. Mostrou o lado bom e o lado ruim, independente do euro, do dólar, do dracma, do yen. Mostrou sim, o caráter e a imprudência dos administradores públicos gregos.

      Suas análises, dessa situação por aqui, me faz lembrar aquela história de um indivíduo que tem uma caixa de ferramentas na mão e só sabe usar o martelo. No fim, só procura prego. Qual prego o Sr. PK procura para martelar?

      Como muitos, ouviu o galo cantar mas não sabe onde!

    • Enviado por: Pillon

      Meu caro Riccardo,

      Eu ainda acho que muitos, como o Sr. PK, não entenderam que o problema não se encontra na moeda em si, encontra-se no entrelaçamento das nações que a usam e seus sistemas de controle das finanças. Todas, com exceção da Espanha até recentemente (e depois desandou na reta final), quebraram as regras e tem “rabo preso” uns com os outros. Não há moeda que conserte esse estrago, nem euro, nem marco, nem franco francês e por esse, e não o único, motivo tem que faze-lo funcionar, na marra. Ou vai ou vai, não tem racha, porque se rachar, muita gente vai “rodar à baiana”, if you know what I mean. Tudo não passa de uma grande chantagem, levando o público a pensar exatamente como você, que o euro acabará que se a Alemanha não mudar sua posição isso será inevitável. Correto? E se ela mudar de estratégia, passar a fazer o que os colegas aí disseram, um choque euroneoliberal, o euro permanece incólume?
      O outro, depois eu exponho o que penso, para mim um muito importante e ninguém ainda tocou nesse aspecto.

      Grande abraço e fico feliz que tenhamos chegado a um bom termo em relacionamento de bloguistas.

    • Enviado por: Pillon

      Eu entendi Alexandre, você escreveu como alemão escreve e esse não é um problema para mim :)

    • Enviado por: Javier Vidal

      PREZADO pILLON
      !Agora si fala como un alemao da direita!!votandolhe a culpa a os gregos, que sao corruptos,imcumplidores e como di Alexandre, tehnen a osadia de ganhar un pouco menos que os seus vecinhos da UE!!.
      isso, si me permite sao os comentarios que feren, que sao unha absoluta mentira, e que nao comtemplan a realidade economica da eurozona.Voçe fala como si os alemaes, que maquilaron as suas contas publicas tanto o mais que os gregos, como xa lhe demostrei aqui, e como tudo o mundo sabe.Voçe se obceca en falar do mal goberno griego, un pais que ten o 2% do PIB da area euro,como si os gregos foran o causante da crisis traido da dollarzona.
      Alemania foi moitossimo mais imcumplidora que Grecia, Pillon.Imcumpliu 14 veces o pacto de estabilidade de Lisboa.Imcumpliu o seu defict en 7 dos ultimos dez anos,imcumpliu a sua inflaçao constantemente (nao deberia ficar por encima do 3% e o fixo mais de 14 veces nos ultimos 10 anos).Imcumpliu brutalmente a sua debida publica, que fica nun escandaloso 85% do PIB VEITICINCO veces maior que a de Grecia,un verdadeiro drama que un so pais deba casi o 30% do total da area euro.
      Imcumpliu tamen os criterios pra medir o gasto sanitario, maquillando as suas cifras ata o punto de NAO incluir os gastos medicos e sanitarios na conta publica.E tamen manipulou as dados de emprego ponhendo a 8 milhoes de pobres que ganah 400/€ mes como si foran empregadosa tempo completo.
      Cando o home que trabalhaba en Enron antes da quebra,o senhor P.Krugman, fala sen conhocer en absoluto a economia griega e europea (ele NUNCA estivo na Grecia) seguirlhe a paso e perder o tempo.Gostari ter aqui a un mandado como e ele pra falar da critica situaçao de moitos estados dos EEUU como le fala da Grecia.Gostaria moito que o sENHOR k.En vez de ficar obsesionado con o euro, sin haber morado nunca aqui, sin conhocer nada do euro, falara mais do seu querido dollar e deixara de meter cunhas donde nao sabe.
      Tal vez a o presidente-rey da alemania, expulsado por corrupto fai un mes, lhe goste escoitar tanta tonteria, tanta criminalizaçao por parte du economista que vive dos artigos que escribe contra o euro o SR.Krugman.

    • Enviado por: Javier Vidal

      PILLON
      A origen do problema foi a politica neoliberal dos EEUU ,a permisividade e pouco control financieiro que tivo,a incitaçao a o consumo desmendido, o endevidamento constante a credito,a gigantesca burbulha inmobiliaria dos EEUU e a escandalosa corrupçao financierira da banca dos EEUU.Esa e a origen e o posterior contagio a a banca europeia, nao so a espanhola ou grega ou inglesa, tamen a deuthsche bank, maior inversor do ladrillo dos EEUU, por si nao sabia, nada que ver con os gregos e moito que ver con os alemaes, Pillon, diga o que diga, foi Merkel a que demorou as injeçoes a Grecia, e soamente Merkel, nao me venha con que ela fixo tudo ben, porque eso si que e para reir, .Voçe fala dun pais cuasi encalacrado nunha gigantesca crise de deuda, que e o caso actual da Alemania, que fao tudo o posible por bascular o problema a os gregos, a os espanhois ou a os italianos, como si ela nao tivera culpa de nada.Cando foi ela que obstaculizou tudo, ponhendo a a UE a o borde do precipicio.Pillon, Alemnia recibiu mais dinheiro da UE que ningun pais nos anos 90.¿Entendiu? ,parece que os alemaes tenehn vergonha de recordar como foi: recibiu fundos de cohesion, fundos de estabilidade, fundos estructurais e axudas inmensas pra sair da tremenda situaçao economica que tinha con a unificaçao alema, pagada por tudos nosotros.Eu nao sei si fai 20,25 anos voçe moraba na europa.Parece que esquezeu o que fiximos tudos pra sacar alemania adiante, sinceramente.Deberia imformarse para saber o que aconteceu en realidade.
      O terrible egoismo alemao, que nos levou en este continente a dous guerras monstruosas pola sua culpa, volve a nascer en maos de esta mulher que morou 35 anos baixo a pior ditadura comunista da europa, e dicir que nao ten a mais minima ideia do que e o capitalismo ben entendido.
      Pillo, Merkel e a que provoca estas divisoes absurdas, nao Grecia.Grecia, efetivamante, e unha vitima do egosimo alemao, da falta de solidaridade con que foi solidario.

      • Enviado por: Alexandre

        Javier….. pqp!!!! Nao sou contra ninguem ganhar bem! Meu ponto e que com um PIB per capita parecido com alemao, precisa a Grecia de esmolas?

        PIB nao quer dizer que as dividas serao pagas e nem renda da maioria da populacao, se fossem mais honestos nao teriam jogado fora a excelente oportunidade de participar de uma uniao de primeiro mundo.

        • Enviado por: Alexandre

          Javier, tem outra, se o PIB alemao eh maior, os emprestimos e os investimentos serao maiores tambem, o mesmo aplica-se aos EUA.

  84. Enviado por: Nick

    Fala pessoal, venho lendo sempre que posso, mas não escrevendo. As coisas estão ficando interessantes mundo a fora, Grécia e Egito, corrupção nos EUA, tem tanta coisa acontecendo que está divertido. O que mais me surpreendeu foi o povo Grego votando para continuar sendo escravo do BCE. Não entendo os Gregos. Mas enfim, vamos assistindo o mundo sendo enterrado em papel pelos banqueiros… Mais cedo ou mais tarde a casa de cartas vai cair de novo.

    • Enviado por: Alexandre

      Ora, bem vindo novamente!

    • Enviado por: Pillon

      Eu entendo, ou não pararam para pensar ou não há nada disso que falam na imprensa, o povo gostou e quer permanecer no euro!
      Por outro lado, se o cidadão não tem outra escolha entre votar entre um louco e um ladrão, não vote!
      Já sacou o dinheiro, euro, que tem circulação mundial, vai perder o emprego, vai ter que pagar mais imposto, vai se aposentar mais tarde…
      Se não houver solução política, ninguém for à urna, e impuserem uma ditadura disfarçada de governo interino…
      Caia fora! Debandada geral! Tem a EU inteirinha para se acomodar, o Brasil, a Namíbia (eheheh)

    • Enviado por: Pillon

      Brincadeiras à parte, situação política difícil por lá, para o povo, ter que ter decidido entre somente duas visões e posições opostas. Já dizia um cientista político, que quando há uma disputa assim (no caso brasileiro, o segundo turno) prevalece o conservadorismo, pois uma mudança cria instabilidade ao retirar as pessoas da zona de conforto…
      Por isso, amigos, precaução e canja de galinha…
      Não tem jeito, todos nós temos que ter um “schwarzes” Geld bem guardadinho, porque se a moda pega, vão tributar nosso próprio dinheiro.

      Voltando às piadas sem graça, como eu nasci num momento de muita fé e fé demais cheira mal:

      Tem que pagar prá nascer
      Tem que pagar prá viver
      Tem que pagar prá morrer
      Deus lhe pague

      Hoje, temos a geração de “pôca fé”, “Funk na cabeça”. Boa sorte a eles!

    • Enviado por: silvio corrêa

      Nick

      O capitalismo financeiro parece que está superando a maior das barreiras, a cultural e sectária, ao menos na Grécia.

      Não há muitas riquezas naturais por lá mas ainda resta o suor do trabalho dos cidadãos.

      Indiretamente acabaram ganhando o aval do povo Grego para se intrometerem em assuntos que vão além do financeiro , acho que ao longo do tempo será ensinado alemão e uma nova visão de austeridade nas pré-escolas gregas.

      Provavelmente acontecerá o mesmo na Espanha , dado a simpatia da população pela ilusão que o Euro proporcionou.

      Acho que independente do mérito, a Merkel ou quem ela representa, venceu.

      Como dizem em lutas, win by ‘technical submission’

      • Enviado por: Alexandre

        Dinheiro compra ate adidas e nike para indio ir protestar em Brasilia…..caras pintadas com Avon cosmeticos….. :)

  85. Enviado por: Qwerty

    Ola rapeizes, li algumas das mais de 300 postagens do blog. Nessa toada, ate o Jpk voltar, estaremos em alguns milhares… ;o)

    Agora imaginem so o que o 2o semestre nos guarda:
    1 – eleicoes americanas;
    2 – reducao do pib chines;
    3 – abismo fiscal dos eua;
    4 – teto divida americana;
    5 – recessao europeia;
    6 – pibizinho brazuca;
    7 – julgamento mensalao.

    Gente, assim nao sobra emocao pra eu falar de Hercolubus, rupturas geodesicas, ondas solares etc. Coisa mais sem graca…

  86. Enviado por: Renato

    Barril do brent a 91.

    http://economia.terra.com.br/mercados/commodities/detalle.aspx?idtel=CM000BRENT

    Mesmo assim vão fazer a grande besteira de aumentar o preço dos combustíveis.

    Vou xingar muito este governinho do lulinha e da dilminha! Bah!

    • Enviado por: Alexandre

      O Ricca esta certo. reparou que as acoes subiram por conta da perspectiva de aumento, ou seja, a gente pagao mais caro o combustivel para valorizar a empresa, estatal….de capital aberto…..financiada pelo BNDEs….estatal tambem……cada uma!

      Compare a Petrobras com a Exxon e voce chegara a mesma conclusao que ele.

  87. Enviado por: Alexandre

    Ricca, por incrivel que pareca o PIB anunciado de 4,5% refere-se a expectativa do 2nd semestre, assisti ontem na TV que encurtaram este ano, sumiram com o primeiro semestre…..

  88. Enviado por: Jr.

    Javier e Pillon,
    A D. Ângela Merkel (que está enfrentando o mundo por causa da sua inflexibilidade e egoísmo – como disse o Javier), certa feita disse que se inspirava nas donas de casa da Suábia (a sua região, Pillon).

    As donas de casa da Suábia são conhecidas por terem a excelente virtude de uma rigorosa ética de trabalho. Mas são também caricaturadas (inclusive em outras regiões da Alemanha) como sendo muito sovinas.

    Três anos e meio depois do seu famoso discurso de Stuttgart, quando ela reinvidicou os traços do estereótipo suábio para sua atuação na Chancelaria, vemos qual foi o resultado da sovinice e do egoísmo desse estereótipo: crise euroopéia generalizada, recessão, desemprego, rancores e ressentimentos entre os países da União Européia e o mundo todo assustado com a intransigência dessa senhora.

    Fica ainda mais uma questão no ar relativa a essa diplomada em física que atualmente ocupa a Chancelaria alemã (esta questão foi inclusive levantada durante as últimas eleições em que ela concorreu): se ela tivesse tido filhos (ela não os tem), será que o coração dela não seria mais tolerante e ela teria mais flexibilidade para aceitar mais os fatos da vida que fogem à sua cartilha ortodoxa ? Às vezes, os filhos mostram aos pais ranzinzas que o mundo não é do jeito que eles imaginam. Ângela Merkel não contou com essa ajuda do destino.
    Abs.

    • Enviado por: Jr.

      Mais uma revista que publica um artigo recheado de “elogios” à atuação da Chanceler.
      http://www.newstatesman.com/politics/politics/2012/06/angela-merkels-mania-austerity-destroying-europe

    • Enviado por: Ferruccio

      Jr e Javier,

      Basicamente concordo com vocês. Mas tenho uma dúvida. Vocês colocam toda a culpa na Merkel, mas pergunto: se fosse outro político no cargo da Frau, teria feito diferente?

      O que eu quero dizer é que não é a política da Merkel, é a política que a maioria do povo alemão quer. Esou certo?

      Abr

    • Enviado por: Jr.

      Ferruccio,
      Eu não tenho uma resposta fácil para essa sua questão. Aparentemente, as políticas ranzinzas e míopes da Sra. Merkel tem o apoio de boa parte da opinião pública alemã atual.

      Por outro lado, todos os seus antecessores no cargo de chanceler foram claramente pró-europeus e se fossem eles que estivessem no governo na ocasião em que a crise grega eclodiu (ocasião que terminou por ser a mãe de toda a crise européia atual), eu diria (quase com certeza) que eles teriam reagido à crise de forma totalmente oposta à que Merkel adotou. Fossem eles políticos do mesmo partido que a Merkel (CDU), como o mentor dela, Helmut Kohl, ou políticos da oposição do SPD ou do Partido Verde, como o Gerhard Schroeder, Helmut Schmidt ou mesmo o Joschka Fischer. Todos esses políticos tem demonstrado profunda decepção com a forma como Merkel vem lidando com a crise grega desde o início e com as resultantes tensões na relação da Alemanha com o resto da Europa criadas pela intransigência da chanceler.

      Daí eu concluir que, mesmo que ela tenha respaldo na sua ranzinzice e intransigência entre uma parcela significativa dos alemães, eu acredito que outros políticos teriam facilmente contornado o problema surgido em 2010 quando a Grécia pediu ajuda à Europa. Teriam explicado à opinião pública que, para o bem da União Européia, seria necessário que a Alemanha também contribuísse para o pacote de resgate grego. Não acredito que políticos da estatura de um Kohl ou um Schmidt tivessem transformado uma ajuda irrisória de menos de 10 bilhões de Euros em um cavalo de batalha de cunho moralista que hoje já custa mais de 1 trilhão, somente em termos de pacotes e fundos de resgate. Sem falar nos custos da recessão e no custo humano que tem sido altíssimo em todo o continente.
      Abs.

      • Enviado por: Ferruccio

        Jr,

        Concordo que outro líder poderia ter feito diferença e que personalidade influi.

        Mas será que a falta de uma união fiscal e a competição interna entre os países da eurozona por exportações eventualmente não iriam provocar uma crise, crise essa antecipada pela crise nos EUA?

        Tenho uma teoria, que gostaria de expor aos mais entendidos sobre o assunto.

        Me parece que ajuda a entender a posição da Alemanha se considerarmos que havia uma luta entre os próprios países da eurozona pela conquista do mercado exportador. Exportações são vitais para a economia alemã (representam mais do que trinta por cento de seu PIB), e cerca de 50% dessas exportações são para a eurozona. Portanto era de se esperar uma luta entre os países da eurozona pelas exportações.

        E a Alemanha ganhou a luta da competitividade.

        Enquanto países como a Espanha, Itália e França aumentaram entre 30 e 35% seus custos de mão de obra, desde 1999, os salários da Alemanha permaneceram inalterados, com isso tornando seus produtos mais competitivos (num regime de moeda comum, competitividade só pode ser ganha através de redução de salários).

        Por isso, desde a criação do euro, o saldo comercial da Alemanha aumentou constantemente, enquanto os saldos dos outros países diminuíam constantemente. Ao mesmo tempo, o excedente de exportação da Alemanha, e os juros excepcionalmente baixos, incentivaram o endividamento dos outros países. Se não acontecesse a crise bancária nos EUA, talvez o endividamento crescente desses países agora em crise pudesse ter continuado por mais algum tempo.

        Concluindo, a Alemanha fez o sacrifício inicial de manter os salários sob controle, com a concordância dos sindicatos , sacrifício esse que, por qualquer razão, os outros países não quiseram ou não puderam fazer. Com isso ganhou a vantagem competitiva, e poder. É compreensível que agora não queira se privar dessa vantagem e poder.

        Abr

    • Enviado por: Jr.

      Ferruccio,
      A questão salarial e a organização da economia alemã para a exportação explica uma parte da diferença de competitividade.

      Mas não tudo. Quando o euro foi formado, nivelando todas as moedas, a Alemanha, que tinha uma moeda mais forte que o Euro (o Marco), teve o seu poder exportador aumentado em função da sua nova moeda valer menos que a anterior. Exportar para os Estados Unidos, para a Ásia, para a América Latina ficou mais barato para os alemães com a introdução do Euro. Por outro lado, os beneficiou também no comércio bilateral com seus vizinhos da zona do Euro, que agora já não podiam mais lançar mão do recurso da desvalorização cambial da peseta, da lira e do escudo, que era uma ferramenta usada para tornar suas economias competitivas em relação à alemã. Com o fator de troca engessado (a moeda comum) e partindo de uma situação competitiva desigual em relação a seus vizinhos, a economia alemã começou a acumular superávits comerciais crescentes, sem que isto se refletisse na apreciação da sua taxa cambial, o que deveria acontecer se a Alemanha ainda tivesse moeda própria. Por isso que os alemães não se interessam em sair do Euro e voltar a ter o marco.

      Essas assimetrias de competividade provavelmente teriam que ser consertadas no médio e longo prazo, inclusive através de medidas para aumentar a produtividade de outras economias. Nesse ponto, eu reconheço que faz sentido a reinvidicação alemã de que as outras economias européias melhorem suas produtividades.

      Agora, o que não podia ter acontecido era essa crise artificial criada pela Sra. Merkel, de cunho preponderantemente moralista, que lançou todo o continente em um redemoinho de tensões, recessão e desemprego.

      Se ela tivesse contribuído para o pacote europeu no começou de 2010, nada disso que estamos vivendo hoje teria acontecido e todos os países teriam mais tranquilidade e fôlego para fazer as reformas necessárias e eventualmente corrigir as assimetrias existentes.

      Abs.

    • Enviado por: Jr.

      Ferruccio,
      Tenho mais dois comentários a fazer sobre o seu texto acima:

      1) “num regime de moeda comum, competitividade só pode ser ganha através de redução de salários”. Concordo com você que a redução de salários é uma das formas de ganhar competividade. Mas existem outras, como por exemplo a otimização de processos produtivos, incluindo a automação industrial (infelizmente), eliminação de desperdícios e retrabalho no chão de fábrica e ganhos de escala. A nível de país, a competividade pode ser ganha também pela montagem de uma infra-estrutura eficaz de escoamento da produção (ferrovias, portos, etc.), eliminação de burocracias de forma a otimizar a velocidade de fluxo das exportações, eliminação de encargos e impostos e uma atitude exportadora agressiva junto a potenciais clientes no exterior. Isso tudo para não falar na contínua busca pela inovação e no investimento básico em educação e treinamento de recursos humanos. Dê-se a César o que é de César: se olharmos para a Alemanha (assim como, em parte, para a China), perceberemos que eles fizeram muito bem o dever de casa em relação a esses assuntos. Mas note-se que o dever de casa dos alemães tem sido feito há vários anos. Não começou sob o governo dessa auto-intitulada “dona de casa da Suábia” hoje no poder.

      2) “Se não acontecesse a crise bancária nos EUA, talvez o endividamento crescente desses países agora em crise pudesse ter continuado por mais algum tempo.” Nesse caso, eu tenho uma opinião diferente da sua. Antes da crise bancária dos EUA, o nível de endividamento de boa parte dos países europeus estava controlado e o déficit anual estava limitado pelo percentual de 3% do PIB. Exemplo típico era a situação das contas públicas espanholas nessa época. O grande endividamento (aumentando a relação dívida/PIB) aconteceu justamente depois e como consequência da crise bancária dos EUA, quando muitos governos se endividaram para poder lançar mão de medidas de estímulo à economia, evitando portanto que a economia global caísse em uma nova depressão. Ao mesmo tempo, a arrecadação de impostos caiu como consequência da crise e o PIB também diminuiu, fazendo com que a relação dívida/PIB disparasse. Apesar desses fatos, a economia global vinha se recuperando ao longo do ano de 2009/2010 de forma consistente até que começou a novela da Grécia, fazendo com que estejamos hoje mergulhando na segunda perna do W da crise iniciada em 2008.

      Abs.

      • Enviado por: Ferruccio

        Jr,

        O meu comentário foi basicamente baseado na matéria da BBC. Se você já não viu, dá uma olhada neste link:

        http://www.bbc.co.uk/news/business-16301630

        Veja principalmente os gráficos do salário e do endividamento.

        Se eu entendi bem o gráfico, o aumento dos salários já considera o aumento da produtividade da mão de obra. Repetindo o comentário que coloquei noutro lugar em resposta ao comentário do Javier:

        “Segundo o gráfico, o custo dos salários na Espanha subiu (acima da produtividade) aproximadamente 30% entre 1999 e 2009. Após esse ano, o custo começou a cair, o que está confirmado pela queda da renda per capita da Espanha em relação à média dos países da União Europeia, desde o início da crise”.

        “Por outro lado, a Alemanha começou a reduzir os salários já em 2004/2005 sendo que em 2007/2008 estavam aproximadamente 5% abaixo do que estavam em 1999. Após essa queda, os salários começaram a subir, até atingir o nível de 1999. A Alemanha percebeu antes do que outros países a chegada da crise e tomou a iniciativa de reduzir os salários já em 2005.”

        “Concluindo, nos anos recentes, a Espanha reduziu os salários, enquanto a Alemanha os aumentava, o que está refletido na renda per capita”.

        Além da contenção dos salários há outras formas de melhorar a competitividade das exportações, como você disse, mas acho que o maior impacto é o dos salários, além de que não deve haver muito diferencial de produtividade entre os países mais desenvolvidos.

        Quanto ao segundo comentário, o problema não foi o endividamento público e sim o privado, como você poderá constatar no gráfico da BBC.

        Abraços

  89. Enviado por: Ferruccio

    Guilherme,

    Para entender melhor a “farra” que o PT de Lulinha vem fazendo com o endividamento público, conforme você afirmou lá em cima:

    1. Os seus números sobre a evolução da dívida pública estão certos, mas você se esqueceu de adicionado que o FHC iniciou seu governo com uma dívida de 60 bi e terminou com 600 bi, depois de ter feito as privatizações que supostamente deveriam ter reduzido a dívida pública.

    2. O FHC deixou a dívida pública líquida em 55% do PIB. Lula deixou o governo com a dívida pública líquida em 38%. Hoje está em volta de 35% e caindo. Comparado com outros países, o Brasil está numa situação relativamente confortável, mesmo se considerarmos a dívida bruta.

    3. FHC deixou o governo sem reservas e devendo ao FMI. Lula deixou o governo com US$ 330 bi. Hoje temos cerca de US$ 375 bi em reservas.

    4. A taxa de juros era 27%. Lula baixou para 11% e hoje está em 8,5% e tendendo a reduzir. Isso significa que o custo da dívida ficou substancialmente reduzido.

    5. A inflação era 14% ao ano. No fim do governo Lula era cerca de 6%. Hoje está em 5,5%.
    Baseado em que números você conclui que o PT está conduzindo o Brasil para a mesma crise da Europa? (Aliás, acho que essa comparação com a Europa não tem nada a ver).

    Para sermos imparciais ao julgarmos o desempenho do governo FHC, Lula, Dilma, ou qualquer outro governo, temos que considerar as circunstâncias que favoreceram ou tornaram mais difícil seu trabalho.

    É preciso reconhecer que o governo Lula se beneficiou de uma conjuntura internacional favorável, devido ao aumento das exportações. Em outras conjunturas, talvez não tivesse conseguido os resultados que conseguiu. Entretanto, o mérito do Lula tem que ser avaliado pelo tamanho dos desafios que teve que enfrentar no começo de seu governo. Foram esses: situação econômica difícil deixada pelo governo FHC, desconfiança dos empresários em relação a um governo do PT e a implacável oposição da grande mídia, comprometida com grandes interesses privados (diferente da mídia internacional, que reconheceu logo os méritos do governo Lula).

    Abr.

    • Enviado por: guilherme

      ta vendo como vc está contaminado….

      eu não comparei o fhc com lula , apenas alertei para uma curva ascendente de endividamento…..

      pagamos 250 bi de juros e rolagem que é 25% da arrecadação…

      esquece a relação divida/pib , só existe pra maquiar a verdade…

      a divida tem crescido 150 bi por ano a muito tempo , isso tem que parar…

      comparar os resultados dos dois governos é extremamente desonesto , e é o tipo de argumento usado pelos blogueiros contratados que eu te falo…… se for pra falar de sircunstacias , que vc citou do lula , porque não falar do pais quebrado que fhc pegou…..

      as comparações só podem ser nos legados de cada um , e ai meu caro , é melhor ficarmos por aqui….

      vc acabou de provar que eu estava certo quanto ao mal que o nassif faz….pense bem

      • Enviado por: guilherme

        circunstâncias

      • Enviado por: Ferruccio

        Guilherme,

        Não, meu caro Guilherme, você não alertou “apenas” para uma curva ascendente de endividamento. Você afirmou que o governo PT de lulinha está fazendo a mesma farra (endividamento?) da Europa. Você está sugerindo que o governo do PT está levando o país para a crise.

        Deixando de lado o viés político contido na sua afirmação (e eu é que estou contaminado…), e para não entrar numa discussão tipo fla X flu, vamos nós concentrar no que acredito ser o ponto essencial da nossa discussão: o endividamento público brasileiro.

        Pelos comentários que eu tenho lido, parece que o tamanho da dívida pública do Brasil não é causa de grande preocupação atualmente. Evidentemente, gostaríamos que fosse menor, mas tudo indica que está numa tendência de redução e a custo menor, devido à queda da Selic.

        Eu apresentei alguns números, mas parece que números não interessam muito para você. Então sugiro que você explique melhor seu ponto de vista.

        Abraços

        • Enviado por: guilherme

          como assim ????
          tendencia de redução????
          kkkkkkkkkkkkkk

          aumenta 150 bi por ano e a tendencia é de redução?????

          dos 250 de juros nós só pagamos 100 todo ano ….cadê tendencia?????

          • Enviado por: Alexandre

            Ferruccio, aumentaram as despesas de custeio do estado acima do PIB, a divida publica, a divida privada, a inflacao, a arrecadaçao tributária, a participação do estado na economia, mudaram ponderações de indices e calculo do PIB….tudo junto… para crescermos em media qto?

            Favor colocar 2012 e 2013 neste calculo, pois este negocio de desvincular este governo do passado não cola.

    • Enviado por: Jr.

      Guilherme,
      Alguns números para sua atualização: nesse ano, com a redução da SELIC e do IPCA, os juros da dívida vão custar menos de 30 a 40 bilhões de reais aos cofres públicos. Assim, não vão mais ser 230 bilhões, mas sim algo em torno de 200 bilhões de juros. Então, o que vai ser incorporado à dívida é algo em torno de 100 bilhões (juros – superávit primário), o que significa uma redução significativa em relação ao ano passado.
      Como você percebe, a dívida em termos de percentual do PIB está diminuindo (já que o PIB cresce mais que a dívida) e é realmente baixo se for comparado com todos os países do chamado “primeiro mundo”.
      É evidente que todos desejamos que o déficit nominal seja zero, o que não aconteceu até o momento. Mas a iniciativa de baixar a taxa de juros tomada pelo governo Dilma, inegavelmente, tem caminhado nesse sentido.

  90. Enviado por: Renato

    Hoje, o petróleo está em queda de 4,5% aproximadamente.

    http://economia.terra.com.br/herramientas/graficos/graficos.aspx?idtel=CM000BRENT&origen=graficos&TipoPeriodo=6&seccion=CM

    Nenhuma entidade da imprensa dá isto como manchete.
    Não dão nenhuma “importância”.

    Mas aposto que se amanhã, o petróleo subir 0,1% será manchete de primeira página e irão cobrar da Petrobrás o aumento da gasolina.

    • Enviado por: Ferruccio

      Renato,

      Porque será que a imprensa não dá destaque à redução do preço internacional do petróleo?

      Acho que já sei a resposta, mas gostaria de ter sua opinião, já que você acompanha o assunto.

      Abr.

      • Enviado por: Renato

        Ferruccio, na minha opinião, a imprensa não é isenta de interesses e segue afinidades de seus donos, na maioria dos casos, defende interesses do mercado financeiro. Um aumento no preço da gasolina irá desestabilizar o controle da economia e em consequência trará dificuldades para o povo. Entendo que no planeta existam dois povos: o povo rico e o povo pobre. O povo rico já está de posse de quase todo o valor monetário existente, e neste caso o objetivo não é gerar lucros pois, dinheiro eles já têm o bastante, o objetivo principal é somente gerar escravos (endividados, agora países endividados).

        abs

      • Enviado por: Javier Vidal

        PREZADOS FERRUCCIO Y JR
        Como voçes nao escriben “portunhol” como eu , se expresan con moita mais claridade.En esencia, concordo con voçes no que opinan sobre a desastrosa situaçao europeia.Concordo moito con que Helmut Khol o Schroeder nao hubera feito semelhante trapallada, demorando meses e meses o tema griego, cando se podia haber arrumado en dous dias, con discreçao, sen sair na midia como si fora o apocalipse,porque de aquela nao era, era so un problema financieiro menor que o de Florida ou California, por exemplo.Graças a Merkel convirtiuse nun monstruo.Hoxe mesmo, Lagarde e o FMI, sao durisismos con Alemania pola sua irresponsabilidade e demora.Si esta mulher nos seus discursos fala tanto e tao ben do euro, da UE ¿a que ven tudo o que fixo, cando Alemania recibiu mais apoio economico que ninguen?.Tudo o que di JR e certo: a intolerancia germana ha criado moito receio na europa, nao so en Grecia, tamen en Francia ou Italia.O seu comportamento egoista, criticado por tudos os medios do mundo, por tudas as organizaçoes,(FMI, OCDE,Banco Mundial, G-20,G-8,etc,etc), nao e unha paranoia minha, nao e unha cuestion ideologica.E pragmatismo e realidade PURA E DURA, sao numeros, nada mais.
        O unico que discrepo un pouco e o dos salarios,Ferruccio.E verdade que Alemania mantuvo baixo control os salarios, uniendo a productividade a subida de eles, e nao a o crecemento do PIB.Considero que isso e boo e que tuda europa deberia facelo.Tamen considero que a austeridade ben entendida e boa.Nada que decir si en ben enetendida, con un horizonte de anos, sen ponher datas, etc,etc.
        Tudo bon, pero discrepo en algo:onte saiu a renta per capita da area euro 2012, como pode ver aqui:

        http://www.burbuja.info/inmobiliaria/burbuja-inmobiliaria/319257-mas-pobreza-renta-per-capita-de-espana-baja-2012-debajo-de-media-ue-primera-vez-decada.html

        E resulta que nos ultimos 4 anos Espanha pasou do 108 da renta meia a o 99 da renta meia, e dicir baixou casi 9 puntos.Na Italia pasou do 103 a o 101.Na Francia do 108 a o 107.E na Alemania pasou do 116 a o 120 nos ultimos 4 anos.De modo que isso de que alemania contuvo os seus salarios mais que os demas , e simplesmente falso.Espanah contivo moito mais os salarios nos ultimos 4 anos.E nao so Espanha, tamen Italia ou Francia.So Alemania subiu 4 puntos.
        As diferencias de renta dos 4 paises mais grandes, como pode ver , sao moi parecidas.
        E por certo que Grecia, meu caro Aleixandre, fica no 82%da renta meia.18 puntos por debaixo da Alemania.
        Saudos.

        • Enviado por: Javier Vidal

          JR E FERRUCCIO
          Aqui o explica con mais claridade:

          http://www.expansion.com/2012/06/20/economia/1340187015.html?a=a65b92d5a5de4761a30cc32044deb298&t=1340187221

          A renta meia espanhola baixou moito mais en estos 4 anos, como pode ver.Tamen a Italiana,e a francesa .A alema subiu bastante mais que o resto.
          Os numeros sao tercos.
          Saudos.

          • Enviado por: Javier Vidal

            Tamen fumos os que mais contuvimos os salarios da OCDE, as treinta economias mais industrializadas:

            http://www.abc.es/20120621/economia/abci-costes-laborales-ocde-201206211628.html

            En fin, repito: os numeros sao tercos.A midia nunca di TUDA a verdade.
            Saudos,vou pasar o dia a praia.So pra esquecer un pouco a porcaria donde ficamos metidos.

          • Enviado por: Ferruccio

            Javier,

            Vide o link da fonte dos dados sobre salários. Há vários gráficos interessantes nesse link, entre os quais a evolução dos salários.

            http://www.bbc.co.uk/news/business-16301630

            Segundo o gráfico, o custo dos salários na Espanha subiu (acima da produtividade) aproximadamente 30% entre 1999 e 2009. Após esse ano, o custo começou a cair, o que está confirmado pela queda da renda per capita da Espanha em relação à média dos países da União Europeia, desde o início da crise.

            Por outro lado, a Alemanha começou a reduzir os salários já em 2004/2005 sendo que em 2007/2008 estavam aproximadamente 5% abaixo do que estavam em 1999. Após essa queda, os salários começaram a subir, até atingir o nível de 1999. A Alemanha percebeu antes do que outros países a chegada da crise e tomou a iniciativa de reduzir os salários já em 2005.

            Concluindo, nos anos recentes, a Espanha reduziu os salários, enquanto a Alemanha os aumentava, o que está refletido na renda per capita.

            Saludos

    • Enviado por: guilherme

      se a petrobras é independente em petroleo , porque a cotação internacional altera os preços?????

      não seriam só os custos de produção que deveriam ser levados em consideração????

      no caso da importação de gasolina é que poderia ser levado em conta a cotação internacioanal , mas como parcela do custo total……

      agora , um pulguinha me disse ao pé do ouvido que a questão do preço na bomba sempre foi uma questão de arrecadação……fico aqui a pensar……

      • Enviado por: Renato

        .
        O custo de produção do barril de petróleo não chega a US$ 10,00. O resto do preço do barril é gordura especulativa.

        Mas, no Brasil o preço da gasolina serve praticamente de teto para o preço do etanol. Uma vêz que a indústria sucroalcolera não tem produtividade para suprir quantidade de etanol, nem muito menos fornecer a preços baixos e competitivos, então começam com essa campanha imbecil para o aumento da gasolina e por tabela e como objetivo final o aumento do etanol.

        Por mim o programa do etanol brasileiro pode ir para a casa do chapéu. Nunca mais abasteço com álcool. É sacanagem!

    • Enviado por: Jr.

      Guilherme,
      Há quanto tempo os preços dos combustíveis tem estado inalterados, a despeito da variação do preço do petróleo lá fora ?

    • Enviado por: Sellba

      Dá até vergonha, tamanha a trapalhada do nosso governo. Poucos anos atrás, de cima dos palanques, nos faziam acreditar que iríamos nos tornar o maior exportador de etanol do mundo (volta e meia o destino nos manda um messias). Íamos inundar o mercado americano. Tínhamos no etanol um produto sem concorrentes. O que aconteceu? Hoje importamos etanol dos USA. Com o pré sal nos tornaríamos rapidamente um produtor gigantesco. O governo começou a interferir nos preços, mandando o programa de produção de alcool pro brejo e ao mesmo tempo não consegue deslanchar com o o pré sal por falta de caixa. E ainda por cima temos um Lobão chefiando o ministério.

    • Enviado por: Alexandre

      Destaque para conta importa e exporta, importa para refino e exporta o petroleo bruto, mais um tanto de gasolina pois nao consegue refinar pelo aumento do consumo….como é mesmo?… sobe o barril lá fora, cai o valor da empresa e vice versa, sim, agora entendi.

      Por que será? As refinarias atuais não conseguem refinar o tipo do nosso petróleo?

      Então pelo lado do cambio…..real mais fraco, dai não tem esta conta, toma-se na cabeça, correto?

  91. Enviado por: Riccardo(California,USA)

    Agora que os precos do petroleo estao caindo a Perobras vai aumentar os precos.

    Dai voces perguntam porque que eu tenho nojo daquela compania…

    PIADA…

    Lembrem tambem que a compania mais bem sucedida e mais tecnologicamente avancada na exploracao do petroleo a ExoonMobil falou recentemente em noticia na Bloomberg que ela saiu da pre-sal Brasileira porque a exploracao nao e viavel….

    • Enviado por: Paulo Xavier

      Caro Riccardo,

      Gostaria de saber por que essa implicância particular com a Petrobras?

      A ExxonMobil é a maior empresa de petróleo, mas tem suas atividades principais na área de refino, afinal de contas faz parte do espólio do sr. Rockefeller.

      Há outras empresas como a Petrobras, Statoil e outras com excelente tecnologia especialmente na exploração offshore.
      Lembre-se que as empresas americanas consideravam inviável a exploração de petróleo no Brasil, devido às dificuldades tecnológicas, falta de infraestrutura e volumes relativamente modestos (Evidentemente nada comparado a Arabia Saudita, Kwait …).
      No GOM hoje estão adotando (COPIANDO) muitas soluções
      desenvolvidas e utilizadas aqui na terra dos infiéis e incapazes tupiniquins.
      Sugiro que analise mais friamente essa questão e não tire conclusões por motivos ideológicos ou pre concebidos.
      Mas, concordo com você no que diz respeito a utilizar a empresa para regular o mercado, visto que há uma agência reguladora para essa função.
      abrs

  92. Enviado por: toldos

    Oi Jr,
    obrigado por ter respondido minha pergunta feita há tempos neste blog: qual será a economia do Gov. com a queda dos juros ? Seu cálculo é de R$ 30-40 BI, o que é muito dinheiro; isto será muito bom pois o Gov.vai pressionar menos o mercado com constantes “perdidos de empréstimos”(Letras do Tesouro, etc, etc). Espero que isto leve a um “círculo virtuoso” com queda real e continua de todos tipos de juros para a população, maior movimentação no mercado e indiretamente a uma melhor entrada (ou menor perda) das familias, associado a melhor qualidade de vida. Aí sim poderíamos ter a entrada de mais 10 milhões para o mercado consumidor, como almeja a presidenta Dilma. Assim seja.

  93. Enviado por: Riccardo(California,USA)

    Toldos,

    O que voces nao entendem e que tem duas maneiras do juros abaixarem uma positiva (com a diminuicao de dividas) e outra por causas de circunstancias negativas (o que e a razao desta baixada dos juros) neste caso a economisada ao governo na realidade e negativa porque isto vem com a parada da economia que diminui a arrecadacao do governo.

    Entao o resultado e um deficit do governo MAIOR nao tem economia nenhuma…

    Triste mas verdade…

    • Enviado por: speridião

      Boa noite Riccardo C&A, a sua primeira premissa vejo como correta quando se trata de juros dos títulos estatais pelos quais o governo capta capital para fazer alguma coisa com o dinheiro.
      Então não se aplica ao juro cobrado dos empreendedores e dos consumidores que está há anos luz de distância das taxas dos títulos por exemplo tx Selic, muito embora a segurança paternal que os títulos públicos oferecem aos bancos remunerando-os dá-lhes segurança para cobrar da população cativa o que bem entenderem. A meu ver essa face suja do negócio que o imparcial Tombini está desmanchando aos poucos.

      Os juros em queda devido a circunstâncias ocorreriam se o mercado bancário fosse concorrencial, que não é, então de fato o único instrumento legal sem questionamentos jurídicos que dispõe o governo é mesmo usar os bancos estatais para fazer concorrência, e o faz muito bem, ainda que os juros continuem escaldantes.

      Não queda de juros no Brasil por ameaça de crise ou a existência dela, pois como já disse, isso só ocorreria num mercado concorrencial ( lembra-se das teorias sobre a utópica concorrência perfeita? à la Adam Smith?, mão invisível do mercado e todas aquelas baboseiras que não ocorrem na prática?……

      Bancos operam por concessão e não podem espoliar a sociedade, ponto!

      No entanto, lidamos com ações políticas e se elas não vierem acompanhadas de reformas estruturais, que tanto insiste Angela Merkel na Europa, nada se resolverá pois entrará outro governo de outro partido que podem muito bem ser amigo de banqueiros tal qual aconteceu com a Arena, PDS e Dem e tudo volta como antes. Governo de fato tem que cortar o mal pela raiz. A propósito, também nos EUA não vejo reformas de fato que evitem nova crise do mesmo tipo pois injetaram trilhões (deles mesmo é bem verdade) mas a raiz da questão que é a regulamentação do sistema não foi feita, haja vista que Obama manteve velhos figurões nos postos chave, Bernanke por exemplo. Estamos todos sendo feito de bobos.

      • Enviado por: Riccardo(California,USA)

        Speridiao,

        As teorias de mercado funcionam perfeitamente o problema e que os governos sempre intervinem e fazem burraldices…

    • Enviado por: speridião

      Ôpa! Cometi um lapso quando atribui à Arena, PDS e DEM a amizade com banqueiros. A bem da verdade esses partidos tinham sim enorme “afinidade” mas jamais veremos governo tão pró banqueiros quanto o foi o governo Lulla (PT) que com sua absurda política de juros altos atraiu capital especulativo tomado por instituições financeiras daqui proporcionando altos ganhos no câmbio. O absurdo cambial foi tão grande e o spread (taxa externa x taxa interna) tão grande que em matéria de protecionismo ganhou até do FHC (PSDB).
      Portanto a turma da antiga extrema direita foi substituida pela da (fake) esquerda.

    • Enviado por: Pillon

      Mais pró-banqueiro que Laudo Natel (Arena e PDS), o governador caipira, e sua exclusividade com Amador Aguiar.
      Para minha surpresa, ele ainda vive, tem 91 anos de idade.

      • Enviado por: Alexandre

        Sperida, é isso ai, pelo momento economico seria interessantissimo um intercambio presidencial, a Merkel aqui a Dilma la……. :)

  94. Enviado por: Fazendeiro

    Bom dia a todos

    Colheita de cafe de baixo d´agua.Muita chuva, muito prejuizo.Mas como digo, é a vida temos que ser realista. Alguem tem assumir o prejuizo se não a coisa não anda.

  95. Enviado por: Pillon

    Jr,

    Konstanz não pertence à Suábia, pertence à região de Baden. As pessoas daqui se denominam “Badisch” e falam um dialeto “Badenserisch” (no dialeto, não sei se escrevi corretamente), ou “Badisch”, um ramo do Baixo-Alemânico.

    Um pouco de cultura descartável:

    Baden juntou-se à Württemberg (Eistein nasceu lá) formando o estado de Baden-Württemberg, o sudoeste alemão, cuja capital é Stuttgart e muita gente de lá migrou para cá, trazendo um dialeto misturado do “Swabisch”.

    Mas a Suábia, do povo e da língua, que fica à leste, depois de Württemberg, pertence à Bavária (ou Baviera), o sudeste alemão, cuja capital é Munique.

    A família de minha esposa é toda daqui desta região do Lago Constance (da cidade de Orsingen-Nenzingen) e são pessoas extremamente generosas, até com um certo desprendimento, despojadas (no bom sentido). O povo daqui é muito amável, simpático, cordial e hospitaleiro (mas como qualquer um de nós, nem todos os dias, em especial nos de chuva e neve) :)

    Só para fazer constar.

    Abs.

    • Enviado por: Javier Vidal

      PREZADO PILLON
      E que o pobo alemao, especialmente no sul, e maravilhoso, encantador, educado e moi amigable.Eu tamen tenho familia politica (de Munich) eles sao moi boa gente.Nada arrogantes, moi conscientes do que pasa na europa.E nin tudos eles tenhe esa coisa de sentirse superiores.A minha familia politica acha ridiculo ese comportamento, e tamen a actidtude de Merkel.Eles sao ferozmente contrarios a ela, como moita gente na Alemania.
      O feito de que eu critique a Merkel nao quere didir que nao adore a Alemania e a o pobo alemao.Unha coisa nao ten a ver con outra ¿nao?.
      Tampouco aqui somos como Rajoy, y eso que eu o conhoço un pouco, como xa falei aqui,.Eu sempre falo dos politicos nao do pobo.
      Alemania e un ejemplo pra tudos, e nao so na europa, se nao no mundo, en moitos temas.Pero nao en tudos, nada mais.Que eu rechaze a Merkel nao quere dicir nada, suponho que o entende.Nao diria o mesmo que digo, que reconhoço que as veces pode soar forte, se a imprensa alema nao dixera da Espanha coisas moito mais duras.Nin criticaria a Kolh, porque seguro que o faria melhor, ele tinha conciencia europeia, ela nao.
      Suponho que entende o que digo,¿nao?.Eu adoro Alemania e a sua gente.
      So pra facer constar.
      Saudos.

      • Enviado por: Alexandre

        Javier….. :) ….. pare de puxar o saco dos alemaes, que isto? Tá pareceendo o povo mais sipmpatico e educado do mundo….não é bem assim não. Pode falar, sua vontade é dar um bico neles é ou não é?

        O pior que existe sobre diferenças culturais, o que é natural, é tentar explicar que ela não existe.

        O Pillon deve ter levado um cacete dos cunhados para estar assim tão mansinho….. :)

    • Enviado por: Jr.

      Pillon,

      Obrigado pelo esclarecimento. Então a cidade de Konstanz está fora do território considerado como a Suábia histórica. Konstanz e Bodensee também, não é ?.

      Só pra esclarecer também que quem usou o termo “Dona de Casa da Suábia” com a conotação de mão-fechada foi a Sra. Merkel, em um discurso em Stuttgart logo após eclodir a crise de 2008. Ela se referiu a essa expressão pra explicar como ela iria se comportar à frente do governo durante a crise.

      Abs.

    • Enviado por: Pillon

      Prezado Javier,

      O momento, a situação, o humor econômico que todos passamos dificulta um entrosamento maior, descompromissado, desinteressado, de troca de experiências que nos engrandeçam mais.

      Nem pensei que a minha troça sobre o artigo do Sr. Krugman fosse me rotular como um “alemão de direita”. Eu não nasci na Alemanha nem moro aqui há muito tempo. Sou descendente de italianos do nordeste e do antigo Tirol austríaco. Sempre achei que fosse politicamente correto, nem de direita, nem esquerda, nem em cima do muro, muito pelo contrário!

      Naquele comentário, em seguida, me estendi um pouco ao afirmar que o Sr. PK destacou o caráter e imprudência dos administradores públicos gregos. Pois, então, também não quis que com isso todos entendessem que o povo grego devesse levar a culpa por tudo o que ocorreu. Se você reler o texto perceberá que caçoo dos investidores, também pela sua imprudência, sejam eles alemães, franceses, italianos, americanos, ingleses…

      Sobre a solidariedade da Europa com relação a integração das duas Alemanha posso dizer que a extinta USSR lhes entregou uma Alemanha Oriental esfacelada, delapidada, com o povo em desesperança. A ajuda da Europa à essa recuperação foi vital e a Alemanha usou cada centavo do que recebeu para recuperar a irmã. Não me interprete mal mas desse investimento você não ouviu dizer que ouve uma bolha qualquer por lá, nem de salários. A Alemanha cobrou e cobra até hoje um imposto de solidadriedade de 5% da renda tributável no IR anual dos alemães, ocidentais e orientais, para pagar as dívidas e manter os investimentos.

      Na crise de 2008, para não deixar a crise contaminar a Europa ainda mais, a Sra. Merkel deu demonstração de desprendimento dessa ortodoxia e intransigência que hoje reclamam. Prontamente, injetou “na veia” da economia alemã recursos do governo para revigorá-la. Muitas empresas utilizaram-se do “kurzarbeit” para não ter que demitir, com parte paga pelo governo.

      Também concordo com a tese do Ferruccio mas não posso afirmar que mantiveram os salários constantes. Sobre o câmbio, busquei informações em outro blog que me mostraram que não houve vantagem cambial para a Alemanha, dentro da eurozona, quando se converteu ao euro. Fora da eurozona, no lançamento da moeda, o mercado cotava o euro a US$ 1,17 em jan/99 e sua desvalorização em seguida deu uma vantagem inicial a todos da eurozona quando permaneceu abaixo de US$ 1 até meados de 2003, quando se valorizou, ultrapassando o valor de lançamento chegando à 1.30 ou até mais na véspera da crise do sub-prime. Depois, supervalorizou-se com a crise. Mesmo assim, a Alemanha manteve superávits de comércio exterior crescentes.

      Abs.

    • Enviado por: Jr.

      Prezado Pillon,
      Eu não vi você em nenhum momento você criticar o povo grego, mas sim os administradores e a imprudência dos investidores externos. Pelo que eu conheço das suas intervenções, você nunca faria uma crítica dessa natureza.

      Em relação à questão cambial, quando eu falo que o Euro é benéfico às exportações alemãs é quando eu o comparo com o Marco. E eu acho que essa comparação faz muito sentido.

      Em uma economia de mercado, com câmbio livre, existe uma tendência de apreciação da moeda de um país que continuamente obtém superávits comerciais. A apreciação da moeda é necessariamente acompanhada por uma redução do superávit. Isso aconteceria com a Alemanha se ela porventura retornasse ao marco.

      Note que eu falei “câmbio livre”. Duas exceções notáveis entre as nações hoje não utilizam o câmbio livre (ou flutuante): A China, que obtém superávits comerciais contínuos a partir de uma moeda artificialmente desvalorizada e atrelada ao dólar americano. E a Suíça que é é um outro país que abdicou do câmbio livre e atrelou a taxa ao Euro há pouco tempo, depois da crise de 2008. Note que ambos os países tem reservas imensas e circunstâncias, capacidades e motivações bem particulares para utilizar esse regime de câmbio fixo.

      Todos os outros “players” internacionais importantes utilizam o câmbio flutuante e não se esperaria que a Alemanha, tendo o marco como moeda, abandonasse esse regime. Em 1973 ela já havia abandonado o sistema de câmbio fixo, depois do fim do padrão ouro.

      Um outro ponto sobre o qual eu gostaria de aprofundar mais com você é em relação à reação de Frau Merkel à crise de 2008. Na minha opinião, ela fez muito, mas muito pouco para amenizar os efeitos da crise – em relação ao que o governo de outros países fizeram. Os Estados Unidos injetaram somas maciças de dinheiro na economia, para estimular a demanda, salvar as montadoras e recapitalizar os bancos. A China lançou um programa de quase 500 bilhões de aólares para estimular a economia. O Brasil fez o que todos sabemos. A Inglaterra gastou uma fortuna para salvar o sistema financeiro e também estimular a economia. Ao que me consta, as medidas de Ângela Merkel foram muito tímidas em relação ao que os outros países fizeram e ela própria disse que não iria adotar o receituário keynesiano adotado por outros países (daí o discurso da “dona de casa da Suábia”).

      Em relação ao Kurzarbeit, me parece que não se trata de recursos públicos, mas sim de um fundo pago com dinheiro da iniciativa privada, cujo estatuto prevê que deva ser usado em momentos de contração da economia (peço-lhe que me esclareça sobre isso). Não sei se Frau Merkel tinha uma escolha em relação a liberar o dinheiro do Kurzarbeit ou não (peço-lhe também que esclareça esse ponto). Ademais, não sei quanto isto representou em termos de injeção de dinheiro na economia, mas o que eu me recordo do noticiário da época é de um Obama pressionando Ângela Merkel para que a Alemanha “fizesse mais” pela recuperação da Economia mundial.

      Um abraço.

      • Enviado por: Mario Pw

        Caros,

        Jr, humildemente havia interesses da França e a própria Espanha que “atrasaram” o resgate grego.

        Voce já deve ter recebido esta informação do Bild. Mesmo há 2 anos atrás esta questão de legitimidade já existia:
        “The ESM euro rescue fund and the fiscal pact were supposed to be forced through the Bundestag and Bundesrat at top speed. Merkel’s government hoped that it would be signed into law by the president the same night. But that is not going to happen. And justifiably so.”

        “This is because the euro bailout cannot operate according to the motto that necessity knows no law. The president and the constitutional court have to thoroughly examine these laws. And that requires time. Especially when it’s a question of our money.”

        Daí talvez muitos caros blogueiros comecem a entender a minhas contribuições aqui no blog quando apresso os nossos governantes para aprenderem com as lições lá fora.
        Os cidadãos contribuintes brasileiros e empresas precisam ganhar tempo…para poder tentar escapar desta draga toda…por isto o governo precisa desmontar os nossos fardos fiscais mais rapido.

        • Enviado por: Mario Pw

          Me recordei deste artigo do the Economist de 15 de maio de 2008 para relembrar os animos da época sobre admissão Serbia inclusive de Turquia:

          “Moves to expand the EU are more often responses to particular crises, and they trigger big squabbles until it becomes clear that no better alternative exists (the 1995 expansion to take in Finland, Sweden and Austria being the exception). Greece was admitted in 1981 to bind it to the West, even though everybody feared it was not ready. It took nine years of argument to get Spain and Portugal in, amid cries of alarm (loudest in France) over cheap Iberian workers and farm produce. In December 1989, as Communist regimes fell across eastern Europe, the French president, François Mitterrand, proposed that ex-Warsaw Pact nations should be invited to join a loose “European confederation” (the idea died, not least because Mr Mitterrand invited Russia too). The EU hopes of Bulgaria and Romania only became plausible during the Kosovo crisis of 1999, when their airspace was needed to allow NATO jets to bomb Serbia.

          Today’s Serbia and the other Balkan applicants for entry may not be easy cases. But their admission does not pose “existential” questions for the EU, notes one diplomat, just a lot of hard work on building up clean, capable governments, in which scary nationalists are marginalised. Croatian negotiators even talk smoothly of “consolidation” rather than “enlargement” nowadays. Larger candidates for the EU, notably Turkey and Ukraine, cannot do that. They pose big questions, such as how to relate to the Muslim world or how to live with Russia.

          The Serbian election could have been a lot worse. A thumping win for nasty nationalists would have seriously delayed EU expansion into the western Balkans. But supporters of admitting Turkey, say, should avoid premature congratulation. The western Balkans remains an exceptional case. Enlargement as a broader cause was not the winner this week.

          • Enviado por: Mario Pw

            Jr e Javier : “loudest in France”

        • Enviado por: Javier Vidal

          PREZADO MARIO PW
          Se voçe me manda artigos dun xoRnal do grupo DO Financial Times, ferozmente contrario a o euro, fianciado por grupos de inversion e bancos anglo-americanos, nao vamos chegar a ningun sitio.O que di the economist, agora mesmo, ten pouquisima credibilidade.Este xornal tamen alababa a Irlanda, pouco antes das intervençao, e a Alan Greespan,A Jean Claude Trichet e a tuda a banca que quebrou nos States.Tamen falaban moi ben de Aznar e de Sarkozy.Esso sim, da burbulha inmobiliaria inmensa britanica, tres veces e meia maior que a de Espanha, dos cuasi sete millons de parados, da devaluacion dun 20% da renta per capita, ou das cifras increibles de deuda privada (117.000 € per capita, a maior do mundo, frente a deuda de 58.000 dos alemaes ou a de 41.000 dos espanhois….),de deficit publico (9%), de deuda publica ou do rescate de 100 bilhoes de euros para a banca britanica, de tudo isso nao falan con tanta “perspicacia”.¿Por que sera?.
          En absoluto Espanha obstaculizou o tema grego.Eso e mentira.Os 16 bilhoes que Espanha puso, os puso no primeiro moemento, sen ningun problema.Igual que fixo Italia ou a França.Os 32 bilhoes que Alemania iba ponher foron demorados ata chegar a situaçao desastrosa atual.Merkel foi a que obstaculizou tudo.O mundo inteiro o dice menos os manipuladores do grupo Pearson.Ela quiso ser como o FMI, impor condiçoes brutales a paises do mesmo bloco, da mesma area economica.E como si Nova York impusera o mesmo a Florida ou California.Ninguen na europa pidiu a Merkel nada parecido.Ela nao e a preisdenta da europa, nao ten nin autoridade nin dinheiro para facer o que fai.
          Helmut Kolh nunca hubiera feito algo asim.

          • Enviado por: Mario Pw

            Caro Javier,

            sei da situação complicada e da mão pesada da realidade.
            Tenho tido fortunadamente acesso a informações e compartilho aqui contigo e outros inclusive para valida-los.

            Vou tomar a liberdade de escrever que voce esta menos “zangado” do que estava no ano passado, parece que o blog do Kupfer lhe ajudou de alguma forma.

            Me pergunto depois de ler varios posts seus como este último mesmo do BBC que Ferruccio complementou muito bem, alem de outros numeros do Eurostat e BIS que vimos, por que não devemos levar isto tudo à público ?

    • Enviado por: Jr.

      Mario Pw,
      Seus comentários são bem vindos. Mas preste atenção que o artigo do Economist que você postou se refere ao processo de entrada na União Européia. A gente está aqui discutindo apenas a questão monetária referente à Zona do Euro. Muita gente confunde as duas coisas, mas são tópicos distintos. Nem todos na União Européia adotam o Euro como moeda, a exemplo da Inglaterra, Dinamarca e Polônia, entre outros.

      E em relação trecho do Bild sobre o ESM, note que isso que está sendo dito se refere a uma época no final de 2010 … depois que o leite grego já estava derramado. Concordo com o Javier: nem França, nem Espanha obstaculizaram o resgate à Grécia no INÍCIO de 2010. Quem fez isso foi a Ângela Merkel, que se recusou a focalizar esse problema de janeiro de 2010 até maio de 2010 (deixou passar as eleições regionais da Renânia do Norte). Nesse período, o problema grego que era relativamente pequeno (algo em torno de 20 a 30 bilhões de euro) cresceu como bola de neve em função da crescente especulação financeira e da ação simultânea das agências de classificação de risco).
      Abs.

      • Enviado por: Mario Pw

        Caro Jr,

        Muito bem anotado, o artigo de 2008 diz respeito primeiramente às questões políticas antes das economicas. Mas as tendências das motivações econômicas já estavam lá apontadas.

        Quanto a eurozona não era apenas Merkel e Alemanha que apresentaram “demora” no resgate grego, a França enrolou também para ganhar tempo, quase todos na verdade.

  96. Enviado por: Alexandre

    O Ricca deve estar com algum problema, esta escrevendo muito….otima a do juros, mas nao sei como ainda a arrecadação nao caiu….a conferir, a paradeira esta mais em Março, Abril, Maio….

    • Enviado por: Pillon

      Também gostei, porque ele fala dos juros básicos, que são administrados.

      Meu cunhado ainda mora lá na cidadezinha natal e é um tampinha, meu! No primeiro “rabo de arraia” já era!

      Que nada, o homem é uma moça (no bom sentido) e nos damos muito bem :)

      Aliás, só há um ranzinza aqui em Konstanz que reclama muito quando tem que limpar neve da calçada :X

      • Enviado por: Alexandre

        Risos….quem vai tirar a neve?

        Pillon, veja bem, considerando moeda unica e a globalização, é claro que é uma imposição economica dos mais ricos sobre os mais pobres.

        Como brasileiro, após séculos de governos patriotas que não nos levaram ao crescimento digno, tenho que ter a humildade de reconhecer o que será melhor.

        Continuar nesta patriotada fajuta ou abrir as pernas definitivamente?

        Acredito que a mesma situação está agora ocorrendo na europa. A Alemanha é a mais rica? Deve curvar-se ào sistema politico/socio/economico dos outros países?

        O mesmo também aplica-se àos EUA. Devem eles importarem nosso sistema para acomodarmos uma uniao das Americas? Com tantos feriados aqui, iriam adorar….

        Não estou aqui defendendo ninguém, pois acredito que o Brasil poderia, mas ficamos nisto, neste lenga lenga, os outros ficando mais ricos e nós parados no tempo ou correndo la atras.

  97. Enviado por: Alexandre

    Fazendeiro, alem da chuva que tambem provoca a queda do meu movimento, com estão as vendas?

  98. Enviado por: Pillon

    Jr.

    Até aqui fazem essa confusão porque Württemberg quase envolve o distrito de Konstanz, o qual pertence à região de Baden. Lá eles mais para o meio e norte falam o dialeto “schwabisch”. A histórica Suábia pega Württemberg e também tem uma base no Bodensee
    Como ela fez o discurso em Stuttgart, a capital…
    Abs.

  99. Enviado por: Pillon

    http://en.wikipedia.org/wiki/Kurzarbeit

    Jr o link acima da Wikipedia explica com mais detalhes e está correto. Em 2009 o governo destinou 5,1 bilhões de euros. Mas a maior parte vem dos depósitos das empresas que aderem ao sistema.

    • Enviado por: Mario Pw

      Pillon,

      favor não fique intranquilo, mas adicione os dados abaixo às recomendações destes proximos 5 anos. Desalavancar, ter mobilidade e realizar lucros hoje.

      • Enviado por: Mario Pw

        Almost $4.2 trillion of debt issued by European companies will mature by the end of 2016, $507 billion of it by the end of this year, according to Standard & Poor’s. The ratings agency reckons this will rise to $1.3 trillion in 2014, before falling. Utilities and telecoms firms have refinancing needs of over $100 billion each, but financial firms owe the bulk of the debt: $3.3 trillion, or 78% of the total. Funding risks are somewhat mitigated in the near future, thanks to liquidity provided by central banks. But borrowers in troubled Italy, Spain and Greece, which have 68% of their $738 billion debt maturing by the end of 2014, are likely to face unfavourable conditions for refinancing debt and raising capital.

  100. Enviado por: Mario Pw

    Kupfer já fez um artigo mas é bom relembrar.

    Mittelstand: companhias alemãs centenarias, de pequeno e medio porte, muitas familiares e pouquissimas alavancadas.

    http://www.economist.com/blogs/schumpeter/2012/04/germanys-mittelstand

  101. Enviado por: Riccardo(California,USA)

    Jr,

    Ja que o Pillon e muito bem educado pra dizer que o povo Grego e preguicoso.

    Entao deixa eu dizer mais preguicoso que o Grego so o Espanhol…ficam nestas passeatas dos indignados o dia inteiro, dai vem a Siesta…depois choramingam que nao sao competitivos…leis trabalhistas ridiculas…custo de energia na Espanha mais 17% mais altos que na Alemanha.

    Entao sez querem o que…

    • Enviado por: Jr.

      Javier,
      O Riccardo está lhe provocando com esses insultos. Com a sua permissão, eu sugiro que você deixe ele falando sozinho.
      Abs.

  102. Enviado por: Alexandre

    http://blogs.estadao.com.br/paul-krugman/

    Coincidentemente li que a ideia é esta, transformar a europa numa espécie de EUE, é avançar….

    ´´Nesta crise precisamos de mais europa´´, nao lembro o nome do portugues que está em Bruxelas.

    • Enviado por: Riccardo(California,USA)

      Vixe Maria, concordei com o Bunda do Krugman de novo.

      Nos EUA porem estados como Mississipi e Louisiana os custos de producao sao mais baixos que nos estados mais desenvolvidos como a California, entao isto atrae industrias e deixa o nivel de desemprego mais baixo.

      O que nao e o caso da Europa aaonde e mais barato produzir na Alemanha do que na Espanha…

      abs

      • Enviado por: Ferruccio

        Riccardo,

        Se Mississipi e Louisiana atraem indústrias porque seus custos de produção são menores, porque continuam sendo os estados mais pobres?

        Era de se esperear que, com o tempo, se igualariam com os estados mais ricos.

        Estou certo?

        Abr

    • Enviado por: Ferruccio

      Alexandre,

      Em outras palavras, fazer a união política, que incluiria a união fiscal. Mas essa união é muito mais difícil de fazer do que a união dos estados americanos, como todo mundo sabe.

      • Enviado por: Alexandre

        Também acho, repare no pragmatismo do Javier….parece um palanque do século passado, esquerda, direita, abaixo os EUA, gosto do povo e não do governo….como tá a praia Javier?…. :)

        Odoneoliberalismo, já ouviu falar Ferruccio? Nem eu… quem sabe o Pillon ou o Jr., mais uma que li.

        È a maneira que a Alemanha encontrou de crescer após a guerra.

        Fundamenta-se na obrigação do estado de gerar competição e bem estar social para evitar o socialismo.

        Para isto 2 fatores são necessários, trabalho e austeridade, ui, dói até para mim….

        Li também que a Merkel, desde a crise, apesar de seus discursos austeros, já cedeu 3 vezes pelo menos.

        Segundo o autor a Alemanha sofre entre o onus e o bonus de liderar a Europa, uma vez que ela não é maior que a soma dos outros e reconhece que sozinha não dá conta.

        A Merkel não tem como justificar para aqueles alemães que já abriram mão de seus salários para receber a unificação com a oriental e para a introdução do euro.

        Por exemplo, aposenta-se na Alemanha com 67, na Espanha com 65 e na Grecia com 61.

      • Enviado por: Alexandre

        Também acho Ferruccio. Observando os dicursos ´´pragmaticos´´ do Javier….direita, esquerda, gosto do povo mas dos líderes não….. ´´to chateado com a crise, vou para a praia´´….para a praia?????? Onde será que os gregos estão reclamando, nas fábricas ou em Mikonos?

        • Enviado por: Alexandre

          Não é àtoa que ele lembrou da guerra de secessão que finalmente uniu os EUA. Que lembrança fora de hora hein?

          estou escrevendo em partes….

          • Enviado por: Alexandre

            Ferruccio, odoneoliberalismo, já tinha ouvido falar? Nem eu, talvez o Jr. e o Pillon.

            Segundo o autor, foi o que norteou a Alemanha após a guerra. O estado tem a obrigação de gerar competição e bem estar social para evitar o socialismo. Para isto trabalho e austeridade são nescessários.

          • Enviado por: Alexandre

            Ferruccio, odoneoliberalismo. Já ouviu falar? Nem eu, talvez o Jr. ou o Pillon….Foi o que norteou a Alemanha após a guerra.

        • Enviado por: Alexandre

          O estado deve gerar bem estar social e competição. Para isto trabalho e austeridade são necessários.

          • Enviado por: Alexandre

            A Alemanha permanece no dilema de ser líder da Europa, pelos bonus e onus que os obrigariam a ter.

            O problema reside no fato que a soma dos outros países é maior que a própria Alemanha, coisa que a Merkel já reconheceu como sendo incapaz de sozinha ajudar à todos.

          • Enviado por: Alexandre

            Lembra, o autor do artigo, que a Merkel desde o início da crise já cedeu 3x, apesar dos discursos pela austeridade, sentindo-se agora em dificuldades de explicar para o trabalhador alemão, que já apertou seu cinto, que teria que apertar mais ainda para salvar outros páises.

            Exemplo, como explicar que alemães aposentam-se com 67, espanhois com 65 e gregos com 61?

          • Enviado por: Alexandre

            Como explicar para o povo alemão que numa baita crise desta o Javier foi sacar seu dinheiro no banco, descapitalizando-o, para afogar suas mágoas na praia…… :) ….. :) ……..desculpe colegas, mas não consigo evitar, tenho certeza que tudo vai acabar bem, sem guerras, como todos estão atolados em dívidas, ninguém se sente tentado a ´´invadir´´ e ficar com a dívida do outro, ào contrário, querem distancia.

          • Enviado por: Alexandre

            Só que eles não conseguem manter a distancia desejada, estão todos amarradinhos.

            Não falei que estes caras do sistema financeiro são competentes para caramba, para o bem ou para o mal, nem quebrar mais eles se permitem.

            Estão anos à frente de nós e dos governos. Com o advento do dinheiro eletronico, sabem o que compramos, o que queremos, qdo, onde, qto…. fenomenal! :( ….. e nem precisam mais ter cédulas no banco!

          • Enviado por: Alexandre

            Imagine um software que recolhe bilhoes de infos de bilhoes de pessoas. Imagine qtas analises podem ser derivadas destas infos.

            O Nick deve estar começando a ficar arrepiado….

  103. Enviado por: Jr.

    O tempo passa e a direita latino-americana continua golpista e sem-vergonha. No primeiro mandato de Hugo Chávez, tentaram dar um golpe de estado que não obteve sucesso. Há alguns anos, fizeram a mesma coisa em Honduras, depondo um presidente constitucionalmente eleito. Hoje, praticaram um golpe sumário contra o presidente paraguaio democraticamente eleito, através de um julgamento político ultra-rápido, sem que qualquer chance para a defesa fosse oferecida para o presidente deposto.

    O Brasil e os outros países da América Latina tem que excluir o novo governo ilegítimo do Paraguai dos organismos regionais (Mercosul, Unasul, OEA) até que um novo presidente eleito pelo povo assuma o cargo. Tem que fazer isto para que os próximos golpistas da América Latina (e eles sempre existirão) se sintam desencorajados a levar adiante as suas torpes tentativas de usurpar a vontade popular. Isolamento nele !

    • Enviado por: Alexandre

      Jr., a Kirchner pode ser a próxima, mas pela própria população.

    • Enviado por: Jr.

      Alexandre,
      Você já recebeu um esculacho e um esporro muito bem dado pelo Kupfer pelos seus comentários absurdos, mas você não se emenda, não é ?
      Você está torcendo para a Kirchner ser deposta, não é ? Felizmente, você vai ficar só nessa sua torcida impotente e inconsequente.
      Parece que você herdou mesmo os traços da extrema-direita austríaca que apoiou e compactuou e com o bigodinho nazista no século passado.
      Vade retro.

      • Enviado por: Alexandre

        Jr., …. só voce para alegrar meu sábado….. :)

        Se for falar de heranças, talvez não pelo sangue, mas voce deve ter algo de stanlinista, todo o momento com este negócio de esquerda e direita, todo o momento lembrando do bigodinho, para falar mau ou bem, mas sempre lembrando, querendo justificar o que, uma extrema esquerda?

        Qto à descendencia austríaca, e daí? Para sua info, após convocado, ele fugiu de bicicleta para os alpes, correndo o risco de ser fuzilado, mesmo sendo filho de quem serviu, meu avo, que já não teve esta oportunidade.

        Retro, eu? Certeza? explique voce melhor para onde devemos caminhar, o que seria esta esquerda moderna, atual, juros baixos, dívidas altas e inflaçãozinha, e eu que sou de ´´direita´´, neoliberal, isto é avanço, moderninho?

    • Enviado por: Jr.

      Então é isso aí. Acertei na mosca. É coisa de família mesmo. Você sabe quantos judeus seu avô matou ?

      • Enviado por: Alexandre

        Não tenho ideia, e se fez, menos que a turma que voce defende.

        Diga-me Jr., o que realmente te incomoda nos meus comentários?

        • Enviado por: Alexandre

          Jr., sua religião é a judaica? Explicaria sua reação.

          Da minha parte não tenho preconceitos religiosos, de nínguém, sou cristão, não praticante, avo por parte da mae libanes cristão, fugiu também para o Brasil por perseguição mulçumana. Veja que bagunça.

  104. Enviado por: Riccardo(California,USA)

    Ferrucio,

    Sim os estados mais pobres dos EUA hoje estao indo bem a maioria da industria automobilistica foi para la e hoje salarios nestas industrias estao acima de $50 por hora o desemprego deles tambem e menor do que em muitos outros estadfos como a California e Nova Yorke…

    abs…

    Jr.

    Po deixa eu brincar com o Javier vai…ele eh gente boa…

  105. Enviado por: Riccardo(California,USA)

    Agora no futebol contra a Alemanha.

    Eu torci pra Grecia…

    Verdade…

  106. Enviado por: Mario Pw

    teste

  107. Enviado por: Mario Pw

    Bom dia Caros,

    para Alex especialmente que madrugou e já disparou 10 posts….

    Para dar aquela melodia light, uma banda que minhas filhas adoram. A do meio de 14 anos, diz que esta apaixonada pelo Adam …..mas as vezes pelo Josh que é o Peeta…..hehehe:

    http://www.youtube.com/watch?v=9fKTaAOsQM4&feature=results_video&playnext=1&list=PLC7B92B7BBA473970

    • Enviado por: Alexandre

      Minha loja abre às 6:00, a integra não estava entrando…..

      • Enviado por: Mario Pw

        Alex, não entendi

        • Enviado por: Mario Pw

          Bom fim de semana para voce, vou encerrando aqui.

          • Enviado por: Mario Pw

            Para voce também Jr.

        • Enviado por: Alexandre

          Mario, qdo fui postar o comentario inteiro nao entrou e fui fatiando…..

  108. Enviado por: Renato
  109. Enviado por: Renato
  110. Enviado por: Renato
  111. Enviado por: Renato
    • Enviado por: Mario Pw

      Gostei mais do Sicsu

    • Enviado por: Ferruccio

      Alô Alexandre,

      Veja o que o Sicsu fala sobre juros e inflação.

  112. Enviado por: Riccardo(California,USA)

    Jr,

    Que vergonha, voce e a favor do Chavez e do Evo Morales.

    Voce esta se radicalizando heim…sabia que voce era da esquerda mas nao tanto…

    • Enviado por: Jr.

      Riccardo,
      Se você quer saber a minha opinião a favor dos governos de Chávez e Evo Morales, eu não acho que sejam bons. Mas foram eleitos democraticamente pela população desses países e como tal tem que ser respeitados. Assim como o governo do Paraguai que ontem foi deposto.

      • Enviado por: Alexandre

        Brincadeira…..foram eleitos para governarem por um periodo e nao o resto da vida. Castro neste caso seria o maior exemplo de democracia.

    • Enviado por: Jr.

      É o fim da picada: o Alexandre, neto de um militar nazista austríaco, cujo chefe supremo usurpou o poder democrático e só saiu de lá morto, vem aqui criticar governança vitalícia.

      • Enviado por: Riccardo(California,USA)

        Jr,

        Voce acha que o Hugo foi reeleito na democracia???…

        Tambem acho sacanagem de chamar a familia do Alexandre de nazista, se voce entende um pouco da historia se voce estivessa na idade militar naqueles paises voce tinha que servir ou era fusilado…

        A minha familia (do lado do meu pai) fugiram da Polonia mesmo sendo catolicos…isto nao tem nada a aver.

        Agora realmente sobre o Paraguai estou por fora.

        abs

        • Enviado por: Alexandre

          Ele sabe disto, sabe que a Austria foi anexada, mas nao e este o ponto, uma vez que obviamnete devo ter algum parentesco do antigo imperio austro-hungaro, de alguem que serviu em algum lugar, assim como os bilhoes de imigrantes, ou nao, deste planeta…..

          A tatica e conhecida, desclassificar quem ele nao concorda, se eu fosse judeu ele diria que sou banqueiro explorador, manipulador de massas, ou parente de Caim ou Abel, bla bla bla, portanto so me resta classifica-lo de stalinista, um dos regimes mais saguinarios que existiram, pior que o Jr e convicto…..impressionante como a esquerda ameacada reage.

          O raciocinio dele e extinguir todos os netos que serviram no exercito nazista, ou seja, metade da europa…..tenha do!

          • Enviado por: Alexandre

            E olhe Ricca, que os EUA, com todos seus defeitos, se reergam o mais rapido possivel. Senti ate calafrios depois desta…..po, tinha acabado de afirmar que o mundo esta cheio de doidinho, eu hein!

    • Enviado por: Jr.

      Riccardo,

      Você pode até questionar a intenção do Hugo Chávez em se reeleger indefinidamente e eu concordarei com você em relação a isto. Agora, o que eu critico são os golpes de Estado promovidos pela direita golpista que sempre esteve conspirando na América Latina para derrubar governo eleitos pelo povo. Inclusive, o governo do seu país esteve até o pescoço envolvido na tentativa de golpe contra o Chávez, em 2001, quando ele ainda estava no SEU PRIMEIRO MANDATO (observe que ele estava no seu primeiro mandato).

      Agora, o Alexandre é useiro e vezeiro em adotar posições de extrema-direita aqui no blog, o que já sofreu, inclusive, uma severa repreensão e repulsa por parte do Kupfer. E eu sugeri que essas posições dele provavelmente eram herança ideológica do extremismo de direita que prevaleceu em setores significativos da Áustria na época do nazismo e que recebeu o Führer de braços abertos e apoiou fervorosamente o regime nazista. Ele respondeu dizendo, inclusive, que o avô havia sido militar nazista, na época.

      Se o avô do Alexandre empunhou fervorosamente a bandeira do nazismo ou não, isso é algo que vai ficar sempre no campo da dúvida. E é um fato passado, que não pode ser mais mudado. Agora, o neto dele continua defendendo posições bem similares à que o avô defendia com as armas na mão (voluntariamente ou não).

      E, quando você fala em sacanagem, lembre-se que a sacanagem maior foi praticada contra quem perdeu a vida nos campos de concentração, nas mãos dos impiedosos carrascos que vestiam os uniformes nazistas.

      • Enviado por: Alexandre

        E piadista, nao e possivel…. :)

        Entao por avo materno eu empunho a bandeira das cruzadas, ideologicamente….. vai meu, melhore isto!

        Ja disse que respeito seu humanismo em muitos de seus comentarios, sao necessarios, manter o meio, estranha-me voce que nunca apresenta nenhum aspecto pessoal, puxa demais para a esquerda, o que pode fazer ressurgir a extrema direita que voce aparentemente abomina.

        Tens algum parentesco com Gengis Khan?

        • Enviado por: Alexandre

          Jr., nao apele….e feio….faz mal para voce mesmo, deprecia muitas posicoes sua.

          • Enviado por: Javier Vidal

            ALEXANDRE
            Con tudo o meu respeito, que sabe que o ten e lhe demostreia aqui algunha vez esta voçe pasandose un pouquinho conmigo.¿Que pasa, que lhe irrita que tudo o que digo sea certo e voçe nao tenha resposta?¿lhe parece mal que vaia a praia, que a tenho a 100 metros da minha casa?¿lhe irrita o tema do neoliberalismo tanto pra preguntarlhe a Ferruccio (en vez de a mi)?.Agora que acabo de enterarme que voçe e meio austriaco comprendo melhor tudo.Nao sei si sabe que tanto Alemania como Austria forOn parte de Espanha mais de 200 anos (mais tempo do que foron logo nacions artificiais), na epoca da dinastia Habsburgo,cando o emperador Carlos Ide Espanha e V da Alemania entre inIcicios do seculo XVI e finais do XVII.Hoxe se sigue chamandose o Madrid Imperial, Madrid dos Austrias,.O digo porque como sempre esta a falar que somos tao distintos.Tal vez e que voçe nao conhoçe a historia (nin ten porque conhocela) de europa e nao sabe que o primerio estado germanico criouse en Espnha, o reino suevo no seculo V.Ou que nacion espanhola foi feita por germanos, as tribus visigodas que invadiraon o pais tras a caida do imperio romano e ficaron para sempre.O 70% da poboacion espanhola ten origen nos visigodos, tribus germanicas.Por eso nomes como Carlos, Rodrigo,Luis,rOBERTO, ETC,ETC o cidades como Toledo, Burgos,Segovia,Avila, Teruel o zaragoza sao fundadas por germanicos.Pero voçe insistira qen que alemaes e espanhois somos marcianos e nao temos nada a ver.
            Me decoeciona, meu caro amigo.Lhe aconselho que leia un pouco mais sobre europa, o vexo moi verde na materia.
            Saudos.
            Nunca e visto que v´çe me respondera argumantando o que digo, simplesmente me chama de anti todo; anti USA, anti Alemania, anti Inglaterra.
            Que decepçao, achei que voçe era mais dialogante, a pesar de que ficamos a ansos luz en pensamento.

          • Enviado por: Javier Vidal

            ALEIXANDRE
            A aposentaduria na Espanha e a os 67 anos.So Francia ten aposentaduria a os 60.En Grecia e tamen a os 67 anos.En Alemania se trabalhan 300 horas menos que en GrEcia,que en Espanha, que en Francia a os mes, sen embargo os seus salarios sao os mais altos, os que mais subiron nos ultimos catro anos como xa lhe demostreia ariba e nao vou facer outra vez.Por moito que lhe mande coisas basadas en datos, nao en ideologias, que e o que fai voçe, sempre me dira o mesmo.Que Alemania e outra coisa, que no nos parecemos en nada os paises da europa (¿e logo Acre ten algun parecido con Rio Grnde do sul?¿e Roraima e Sao Paulo que similitudes sociais, economicas, culturais tenhen?E como di Krugman, na area dollar se parecen tanto Chicago e Florida,Utah e Nova York?.¿E a China costerira e a do interior tnenhen algo que ver?.
            Voçe acha que todavia vivimos no seculo XX, o seculo das naçoes, das fronteiras, dos nacionalismo histericos.Pero nao, vivimos no seculo dos bloques comerciais.China, India, EEUU, Brasil ,UE.Tudo isso e a mesma coisa:bloques comerciais, entidades politicas por encima dos nacionalismos da era do romanticismo do seculo XIX.E igual o que opine voçe o eu.Esa e a realidade.Ese PRAGMATISMO que tanto lhe irrita e o que domina no mundo.Lhe escandaliza meu pragamatismo:o seu pais acaba de ameazar con votar fora do Mercosul a Paraguai….Mercosul…unha pobre imitaçao dun bloco economico que tardara decadas en ser operativo.Pero que tera que serlo se America do Sul pretende ser algo nen este seculo.
            A voçe a UE lhe parece unha porcaria, pero fica a anos luz de calquer coisa que se fixera no mundo nos ultimos 50 anos.
            No futuro, todos querran ser como a UE; Sudamerica, asia e norteamaerica:tudos fican desesperados por facer alianzas comerciais, blocos economicos pra concurrir con China e India.Europa xa ten un longo, longisimo caminho feito, cheio de problemas pero feito.¿E os demais?.

          • Enviado por: Alexandre

            Javier…… :) …… ate voce com este negocio austriaco? Voce nao reparou nao que partindo deste argumento voce e o Jr. sao nazistas as avessas?

            Era muito mais facil perguntar se eu sou ou nao, independentemente da minha descendencia covardemente utilizada pelo Jr., que se esconde qdo a coisa aperta. Chamei-o varias vezes de sralinista e ele nem nega.

            Enquanto voce fica gritando o nome do seu pais nunca havera europa unida espontanea. A Merkel em segurar o dinheiro esta certa, goste voce ou nao, austeridade eh bom, consumismo exagerado nao.

            O que mais me espanta neste debate, foi a capacidade de trazer sentimentos de 70 anos atras para uma geracao que nem vivenciou. Ta vendo como e facil iniciar uma guerra?

            Voce pensa que eu acho os alemaes perfeitos? Mas o que se discute muito e $$$$$$, o que e um erro. Provavelemnete a qualidade de vida na espanha e grecia eh melhor que na alemanha, dentro das diferencas culturais que sao relativas.

          • Enviado por: Alexandre

            Javier, da praia eh apenas provocacao, voce sabe disto, gostaria de estar com voce na praia, trabalho muito por que gosto, acostumei-me.

            O fato eh que a Alemanha eh mais rica, ponto. A impressao que tenho eh que voces querem que ela distribua sua riqueza, sem ter controle de suas financas e se os alemaes tambem nao tem entao o euro esta furado, assim como o real se continuarem a fazer besteira e enxe-lo de dividas.

          • Enviado por: Alexandre

            Uma ultima Javier, nao eh direta para voce, mas um alerta diante desta crise.

            Muitos estao se utilizando concientemente ou nao, do passado alemao, que foi apoiado por muitos paises da europa, principalmente contra os russos, para fazer uma chantagem psicologica com a Merkel.

            A mesma que tentaram fazer aqui.

            Eh um erro, se eu fosse ela, mandava o euro as favas, a alemanha era mais rica antes do advento da moeda. Se nao ha uniao entre vizinhos, corre-se para alem mar. O Chile aqui eh um belo exemplo disto.

          • Enviado por: Alexandre

            Ora, veja quem foi lutar ao lado de Hitler……

          • Enviado por: Alexandre
  113. Enviado por: Mario Pw

    Ricc,
    Me falaram que talvez haja chances de se ter um Vice latino para Romney, será ? Filho de imigrante cubano. Voce sabia disso ?

    http://www.youtube.com/watch?v=_68GjR6V6zI

    • Enviado por: Mario Pw

      Esqueci de perguntar pro Nick: e aí ele tem alguma chance ?

    • Enviado por: Nick

      Talvez. É o Marco Rubio, que também é Mormon, por isso que tá sendo considerado. Tem o filho do Ron Paul, Rand Paul, que tá na fila também (acho um erro ele se misturar com esse pessoal) mas enfim… a coisa ainda vai longe. Mas tá tudo indo exatamente de acordo com o planejado.

      • Enviado por: Mario Pw

        Eu estou achando Rubio um corredor interessante para nós aqui…

  114. Enviado por: Mario Pw
    • Enviado por: Mario Pw

      Caros Jr e Alex,

      aos 14:31 minutos Marco Rubio começou a falar sobre o nazismo e a ascensão da democracia e liberdade de empreendimentos: “rise of democracy & freedom of enerprise”.

  115. Enviado por: Jr.

    Alexandre,
    Ficou incomodado porque ao fazer a genealogia da sua desumanidade e de seus traços psicológicos fascistas, terminei por expor o passado nazista da sua família ?

    Sim, a crueldade de várias opiniões que você manifestou em várias ocasiões aqui neste blog já levantavam suspeitas há tempos sobre a origem da sua psique.

    • Enviado por: Alexandre

      Jr., agora eh fascista? Voce, que acredito ser brasileiro, como eu, ex-colonia de todos os europeus, vem me falar estas besteiras?

      Ja disse, seu principio nos leva de volta a europa e devolver a terra para para os indios.

      Vem trazer aqui passados qdo lhe interessam?

      Sua familia eh nativa de onde?

      Como ja disse, melhore Jr.! Voce sabe que gosto de debates, sao elucidativos, mas continuo achando-o covarde em nunca expor nada pessoal seu. O que escondes?

      • Enviado por: Mario Pw

        Alex,

        holocausto foi horrível…temos os monumentos erguidos para relembrar e evitar que acontecesse novamente.

        Mas a pior guerra é a guerra civil, a revolução bolchevique do Lenin e Stalin vai completar 1 século daqui poucos anos e a população da Rússia continua oprimida e pobre pelos seus próprios filhos revolucionários e ditadores.

        • Enviado por: Alexandre

          Pois eh….. e o Putin com sua Harley Davidson pregando o socialismo, no poder o resto da vida.

        • Enviado por: Alexandre

          Pois eh, lembram mais que deveriam…..

          O Putin esta la com sua Harley pregando socialismo e eternamente no poder.

        • Enviado por: Alexandre

          Mario, por isto que os monumentos estao la, na minha opiniao lembram ate demais este assunto.

          E o Putin com sua Harley, pregando o socialismo e eternamente no poder.

          • Enviado por: Mario Pw

            eternamento opressor…

      • Enviado por: Javier Vidal

        PREZADO ALEXANDRE
        E voç muy susceptible, de verdade.Disculpr si lhe ofendi, nao e a minha intençao, pero voçe a solatdo aqui coisas moi duras, a falado , dende que comparto con voçe, de castelos, de monarquias,de parados da Espanha, de que nao acredita nunca en mi, de que falo besteira , a pesar de que procuro madarlhe datos, eu acho que bastante imparciais,ala menos asim tamen ten unha vision distinta da europa que a que da o estadao, o FT ou o New York Times…..nunca me senti tao ofendido como voçe agora.
        Eu nao dixen que fora isto o outro alexandre, a mi me da igual.O pai da minha mulher e austriaco tamen.Ten unha vision moi parecida a sua, ata que eu lhe imforme que as coisas han mudado moito na europa, as diferncias economicas, culturais, sociais, tod se ha equilibrado moitissimo en 20 anos.E logico que el tenha esa vision, nao conhoçe e fala sen saber o que paosu na espanha, na alemania e na europa nos ultimos 20 anos.Nao passa nada ,Alexandre, nao se ponha asim.Quen sufriu os espantos de esa guerra fumos nos , os europeus.Sabemos perefeitamente o que pasou, nos o ensinan na escola como materia preferente e nao somos tontos.
        Cando me manda que Franco colaborou con Hitler, coisa que conhoço moito ben porque fissen trabalhos acerca do tema na universidade, eu , supostamente tamen deberia irritarme, posto que me chama franquista, que e o mesmo que nazista, mais ou menos, ou fascista.Franco foi o pior, mais cruel, mais sangunario e mais cinico dos ditadores europeus.O que mais durou e o que mas ficou impune do millon de mortos que deixou y dos dous milhoes de expatriados que provocou.Un asesino miserable, corrupto e nossento que retarsou o desnvolvemento da Espanah 20 anos respcto a europa.De modo que si, sei moi ben quen e Franco, o que fixo con hitler o o dano que sembrou neste pais.Obrigado por recordarmelo.Nao me sinto pra nada orgulloso, pero xa lhe dixen que espanhois e alemaes sempre ficaron xuntos, incluso na brutalidade.
        Saudos

  116. Enviado por: Alexandre

    Javier, sugiro que coloque paragrafos em seus argumentos, sao longos…..

    Sim, voltei a pesquisar e a Espanha aprovou em 2011 a aposentadoria de 67, muito bem, ou nao? Onus e bonus……

    O que ocorre na europa eh o mesmo aqui, distribuicao de riqueza dos estados mais ricos para os mais pobres, decadas e decadas, sem levar o desenvolvimento ate eles, apenas financiado-os.

    Nao vou me alongar, mas os resultados sabemos.

    • Enviado por: Javier Vidal

      Alexandre
      Procurarei ser mais explicito nos meus paragrafos, aunque voçe escribe moito mais que eu neste blog, pero en fin, si me deixa tantos menxases, tamen e dificil ser breve,¿nao eh?.Recorde que eu nao sei escribir ben en portugues.
      Tampouco esta de mais que corte asim as coisas “os alemaes sao mais ricos.Punto”.Nao se ofenda, por favor, pero soa un pouco arrogante, e como querer cortar algo porque voçe quere.Peor se equivoca, Alexandre, as coisas nao sao asim, nao sao tan sencillas.”Sao Paulo e mais rico.Punto”.”California e mais rica.Punto”"Beijing e mais rico.Punto”.Se voçe quere ter a raçao, a pesar de que me esforzei moito pra que vexa que a realidade nunca e o que parece ou o que din certos medios de imformaçao que tudos sabemos por quen sao finaciados e pra que estan, se voçe a quere ter, pois moi ben, Alexandre.Nao passa nada.Por suposto.

    • Enviado por: Javier Vidal

      PREZADO ALEXANDRE
      Unha ultima , como di voçe.Eu nao me considero espanhol.Por encima de tudo , europeu e despois espanhol.Aqui quen pretende falar de antiguas “nacions” e voçe, nao eu.Xa lhe dixen que nin Alemania nin Espanha sao nacions soberanas.Por moito que voçe insista, por moito que se enfade, e asim, na practica economica, na pratica politica, social, cultural e incluso geografica.Xa lhe falei miles de veces da organizaçao da UE, nao vou repetir.E moi irritante que voçe nunca me responda a o respeto, porque mire que lhe contei veces o da Union Europeia, e elimine tudo con un “punto” ou con que falando de Espanha eu mostro unha vision “nacional” das coisas.Pra nada, en absoluto.Sao contrario a o nacionalismo.Prefiro a UE.Prefiro a perda de “soberania”.¿Para que quero eu a soberania?.Eu o que quero e cualidade de vida.A minha patria e europa, Alexandre, e o que voçe nao entende.EU morei casi dez anos en Londres.Estudiei en Oxford,vivi tres anos en Paris.Vou seguido a Alemania, Holanda,Belgica,Italia-.Me sinto como en casa, xa lhe dixen mil veces.Dende fora, dende a midia sempre se quere dar esa vision fatalista, de separaçao, de division, de que somos moi diferentes.E xa lhe dixen con exemplos de tudo tipo que nao somos mais diferentes que outros blocos, nin moito menos.Aqui tudo e patria de tudos:a revoluçao industrial, a revoluçao agricola,a revoluçao francesa, as ideologias de tudo tipo, da dereita e da esquerda, o estilo de vida, a revoluçao religiosa, artistica,social.Dende fai decadas os estudiantes europeus con o Erasmus, estudian e viven en outros paises da union.E cuasi imposible diferenciuar hoxe calquer cidade europeia.Tudas sao cosmopolitas, antiguas,peatonalizadas e mais ou menos ben dotadas das necesidades minimas.Eso e asim,¿lhe quere levar a contraria a milhoes e milhoes de europeios que pensan exatamente igual que eu, a inmensa maioria, incluidos os gregos, que prefirion ficar no euro, como e logico, antes que no precipicio?.¿Nao lhe parece un pouco arrogante?.

      • Enviado por: Mario Pw

        Falei que voce esta menos zangado:

        24 de junho de 2012 – 15:00
        Enviado por: Javier Vidal
        “Sao contrario a o nacionalismo.Prefiro a UE.Prefiro a perda de “soberania”.¿Para que quero eu a soberania?.Eu o que quero e cualidade de vida.A minha patria e europa.

        O capitalismo não é perfeito…..mas é melhor do que o comunismo ou movimento bolchevique….ou mesmo guerras não é mesmo ??

  117. Enviado por: Jr.

    O Blog do Kupfer não é Facebook e eu não frequento aqui pra falar da minha vida pessoal. Se você assim o faz, arque com as consequências da sua boquirrotice.

    • Enviado por: Alexandre

      Tenho culhoes para arcar…..como venho fazendo-o, ha muito tempo, aqui.

      Mas para ser justo, sou covarde tanto qto voce, pois ambos nao migramos para o facebook, qdo o blog foi para la, cada um por seu motivo, que nao importa.

    • Enviado por: Jr.

      Se você se acha covarde, mantenha essa pecha somente para você. Não tenho necessidade de me expor desnecessariamente. Não sou político, não sou filiado a qualquer partido e não obtenho nenhum ganho pessoal pelos comentários que coloco aqui no blog. Além do que, o Facebook invade a privacidade das pessoas. Não tenho motivos para expor minha vida pessoal e minha família à toa. Se você gosta de fazer isso aqui no blog, é problema seu. Como eu disse, arque com as consequências.

  118. Enviado por: Pillon

    Minha família também arma um pé-de-guerra que não é mole, sempre no almoço de domingo, saboreando uma macarronada com brachola, “con qualche fettas di polenta, eh!”

    Também pudera, um tetra-avô era camisa vermelha (só recebia a camisa de uniforme, Garibaldi era meio pão-duro) e o outro, tirolês, soldadinho de chumbo, todo empolado com baioneta e tudo mais, do Keiser Franz Josef II. Depois de se confrontarem lá nos Alpes em 1828, largaram as armas, criaram os filhos, que depois imigraram para o Brasil e casaram seus netos (que nem sabiam dessa confusão toda lá no norte da Itália) e foram felizes para sempre!

    Agora num dá para chamar um de “tedesco, tradidore italiano” e o outro de “sovversivo garibaldino”, em casa.

    Somos todos os dois.

    • Enviado por: Pillon

      Errei a data: 1858

    • Enviado por: Ferruccio

      Pillon,

      “Fette di polenta con formaggio”, nos tempos difíceis da guerra, como era na terra onde nasci e vivi até os 16 anos (Veneto). Um avô de minha mulher era tirolês, outro se dizia austríaco, mas como poderia ser austríaco com o nome Martinelli ?(era tempo da invasão austríaca no norte da Itália).

      Sobre o aprofundamento da questão da Alemanha. Estou tentando formar uma opinião ; nessa tentativa, os comentários seus, do Javier do Jr.e do Alexandre têm me ajudado muito.

      Javier,
      Respondi um comentário seu sobre aumento de salários na Espanha ( dia 22 17:34) que, aparentemente, você não leu.

      No caso da Espanha, o problema maior foi a bolha imobiliária. Você não acha que a atuação do BCE, permitindo juros extremamente baixos da eurozona, incentivou os bancos espanhóis a oferecer crédito fácil ao setor imobiliário e assim criar a bolha imobiliária?

      Acho que a atuação dos bancos centrais, tanto do FED como do BCE, tem grande culpa na crise.

      Tentando entender o que os jornais dizem a respeito da origem da crise, estou chegando às seguintes conclusões, citadas aqui não como certezas, apenas para incentivar a discussão:

      Primeiro, o crescimento exponencial da especulação financeira, em detrimento da economia real. O setor financeiro desenvolveu técnicas e instrumentos de financiamento, como os derivativos, que acreditavam, permitiriam aumentar em muito o crédito, sem aumentar o risco. Os grandes bancos também pensaram que, mesmo que falissem, o governo não iria deixá-los falir.

      Segundo, os bancos centrais dos EUA e da zona do euro permitiram juros excessivamente baixos, o que incentivou ainda mais os bancos a tomarem emprestado e a emprestar.

      Terceiro, a disponibilidade de crédito incentivou as famílias, o setor produtivo privado e os governos a se endividarem. Começaram as bolhas do setor imobiliário.

      Quarto, ao estoura a bolha do subprime nos EUA, os sistema bancário dos EUA entrou em crise, obrigando o governo a usar recursos fiscais (dinheiro do povo) para socorrer os bancos. Como o sistema bancário está interligado, os bancos da Europa também entraram em crise.

      Nessa história toda, vejo dois grandes culpados: o sistema financeiro privilegiando a especulação ao invés da produção, e os bancos centrais que permitiram juros baixos e deixaram de fiscalizar os bancos.

      Aí lanço uma pergunta: a crise da eurozona estourou por causa da crise dos EUA, por causa dos problemas da Grécia ou teria estourado inevitavelmente, devido a problemas internos?

      Saludos a todos

      • Enviado por: Mario Pw

        a terceira opção: teria implodido de qualquer maneira que foi o estouro do subprime americano.

    • Enviado por: Jr.

      Ferruccio,

      Você, como sempre, elegante nas suas colocações.

      Em relação às suas conclusões, eu concordo com a maioria delas, acrescentando que um outro fator (as fraudes financeiras) tiveram um papel preponderante no subprime americano e possivelmente nas bolhas espanholas e irlandesas.

      Quanto ao papel dos juros baixos no que aconteceu, eu acredito que uma fiscalização mais efetiva dos bancos centrais sobre a exposição dos bancos e a formação de bolhas teria evitado a explosão dos subprimes e das bolhas na Espanha e Irlanda. Não acredito que os juros baixos tenham sido determinantes para o que aconteceu. Note que bolhas são formadas em várias circunstâncias diferentes e que nem sempre a ocorrência de juros baixos resulta em bolhas. A bolha da Internet que estourou em 2001 é um exemplo. Por outro lado, o Japão passou toda a década de 90 tentando se recuperar da crise bancária, com juros zero, e nenhuma bolha se formou por lá. Agora também os juros estão muito baixos, já há 3 anos, e não tem nenhuma bolha se formando na Europa, América do Norte e Japão. Por outro lado, mesmo em uma circunstância de juros altíssimos, como os praticados no Brasil, se não houve a formação de uma bolha propriamente dita, houve um endividamento enorme da população nos últimos 3 anos.

      Em relação à crise imobiliária na Espanha e Irlanda, eu acredito que algumas correções seguramente iriam ter que ocorrer ao longo dos anos, independentemente da crise dos subprimes americanos. Mas bem mais suavemente da crise que houve em decorrência dos subprimes americanos e do bloqueio alemão sobre o pacote de resgate à Grécia no início de 2010.

      Bom resto de domingo pra você.

  119. Enviado por: Pillon

    Renato,

    Não consigo abrir os vídeos que você mandou.
    Você poderia só colocar o link para eu o abrir em separado? Grato.

  120. Enviado por: Pillon

    Jr,

    Gostaria de continuar nosso aprofundamento na questão da Alemanha. Mas antes quero esgotar o aspecto que você colocou sobre o marco antes da conversão ao euro.

    Volto a esse assunto assim que tiver um tempinho.

    Riccardo,

    Você leu o Celso Ming sobre a reunião em Roma dos 4 líderes europeus? Sobre essa sacada dele que eu me referi: relação incestuosa.
    Olha a foto que ele colocou: o espanhol, composto, mas como que buscando o olhar da alemã, que mantém o olhar na mesma direção que a do francês, o francês imponente e o italiano de cabeça baixa.
    Abs.

    • Enviado por: Jr.

      OK, Pillon.
      Fico no aguardo do seu comentário sobre a questão do marco.

      Quanto às suas origens, 1858 é muito tempo. 5 ou 6 gerações. Já deu pra diluir, com sobra, quaisquer rivalidades da ascendência européia.

      Por outro lado, os crimes do nazismo, numa perspectiva histórica, ainda são muito recentes. Ainda tem muitos criminosos nazistas vivos e escondidos na Europa, além daqueles que fugiram para a América do Sul depois da guerra e se refugiaram no Brasil, Argentina, Paraguai e Chile, entre outros países. E a ideologia que os motivou, embora esteja recalcada e mascarada pela perseguição que se seguiu à guerra, ainda sobrevive e encontra eco em muitas circunstâncias da atualidade. Dentro e fora da Europa.
      Abs.

      • Enviado por: Mario Pw

        Jr,

        nazismo ou fascismo são facetas da mesma realidade: pobreza extremada e desesperança.

        Voce tem uma didática fantastica e também conhecimentos históricos maiores do que todos nós aqui…

    • Enviado por: Jr.

      MárioPw,
      Obrigado. Em relação ao que você falou sobre o fato da pobreza e da desesperança serem o solo fértil para a ascensão do nazi-fascismo, pode-se ver um exemplo disso na Grécia atual. Em consequência das políticas recessivas impostas à Grécia pelo governo de Ângela Merkel e dos 5 anos de contínua contração do PIB daquele país, o partido neonazista grego Aurora Dourada recebeu mais de 7 % dos votos nas últimas eleições. Fato até pouco tempo impensável naquele país, que sofreu com a ocupação nazista durante a 2a. guerra. A Aurora Dourada é xenófoba e violenta e tem aberto violenta campanha contra as minorias albanesas, paquistanesas e turcas existentes na Grécia. Organizam-se em milícias com o suposto objetivo de proteger os bairros contra o crime. Você percebe nisso a semelhança com o modus operandi da SA da época hitleriana ?
      Abs.

      • Enviado por: Mario Pw

        Caro Jr,
        veja lá os videos do Marco Rubio, esteja à vontade para “descer a lenha”.

        O mais absurdo é o neo-nazismo renascendo nos Estados Unidos…..aí a coisa se mistura com brancos vs latinos, vs judeus, negros…E o Putin e Estado Russo é o modus operandi opressor.

        Tenho uma semana aqui no blog ainda para avançarmos na “draga” da eurozone. Insisto no ponto da realidade de quando não se tem dinheiro para quitar os seus títulos ou mesmo rolá-los que fugiu da fronteira alemã.

        • Enviado por: Mario Pw

          Caro Jr,

          veja as boas novas que temos:
          “Nos anos recentes, a poupança avançou sobre um mercado que era atendido pelos fundos de investimento. Em dezembro de 2007, segundo os dados da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima) o volume total aplicado em fundos de varejo atingia R$ 293 bilhões. O valor era 25% superior ao total dos depósitos na caderneta, que somavam R$ 235 bilhões.
          Dados mais recentes, de abril de 2012, mostram uma inversão. Os fundos de varejo atingiram patrimônio líquido total de R$ 324 bilhões. Já os depósitos na caderneta, devido ao aumento da captação, chegaram ao montante de R$ 433 bilhões e ultrapassaram em 35% o valor aplicado nos fundos mais populares.
          O aumento da rentabilidade da poupança foi o principal motivo para o crescimento da participação de mercado. No período entre 1998 e 2005, os ganhos médios da caderneta foram de 49% da taxa Selic. Mais recentemente, entre 2006 e maio de 2012, o rendimento da caderneta aumentou para 65% da Selic na média do período.
          Com as novas regras em vigor, os depósitos na poupança realizados a partir de 4 de maio de 2012 terão rendimento de 70% da taxa Selic, desde que a taxa básica de juros seja igual ou inferior a 8,5% ao ano.”

          O que nos falta é um governo de credibilidade nos mercados…ainda não temos esta credibilidade.

          • Enviado por: Ferruccio

            Mario,

            O aumento dos depósitos na poupança, comparando 2007 e 2012,poderia ter a ver com a procura pelos poupadores de mais segurança nesses período de crise, além da maior rentabilidade relativa?

      • Enviado por: Javier Vidal

        Prezado JR
        Canta verdade di.Meus parabens polos seus comentarios historicos, e se o din un formado en Historia.Incluso o que di da AL.Nunca entendi como se pode ser conservador nun pais como Brasil, de verdade e sen animo de ofender.Un pais que viviu baixo dictaduras militares e gobernos conservadores absolutamente corruptos, ineficaces,pateticos, que se venderon a os intereses dos EEUU,que financiou tantos e tantos golpes militares en AL….Si Brasil houbera tido socialdemocracia durante os 50,60 ou 70, hoxe seria unha grande potencia, nao so economica, se nao social, nao haberia as diferencias sociais todavia enormes que hay e nao haberia os problemas que o nefasto legado de gobernos de dereitas deisou en AL.Favelas incluidas.
        Se nao fora por esos gobernos, Brasil levaria desde os anos 50 sendo un pais como Canada.
        Saudos.

  121. Enviado por: Jr.

    Ferruccio e Mario PW,

    O texto diz que o aumento da rentabilidade da poupança foi o principal motivo para o crescimento da participação de mercado. Vale lembrar que de 2006 a 2012 a SELIC foi bem menor que no período entre 1998 e 2005. Assim, o temor de migração de recursos dos títulos públicos para poupança, motivo da medida da Dilma em atrelar a poupança a 70 % da SELIC, era justificado. Pena que ela não estabeleceu um percentual mais alto e, para compensar, não eliminou os impostos das aplicações em títulos públicos. Essa teria sido a melhor solução para não penalizar tanto o poupador da caderneta de poupança.
    Abs.

    • Enviado por: Mario Pw

      Caro Ferruccio,

      há temor sim, mas o mais importante é que temos início a um mercado de poupança. Ínfima, mas é a direção.

      E Jr,
      Voces sabem que o acordo de Basiléia é faca de 2 gumes porque assume como risco zero os títulos soberanos. E fica esta relação promíscua de governos salvando bancos que compram os seus títulos,ad eternum, dragando todo mundo.Deixem os impostos nos títulos públicos lá.

      Voces sabem que para relaxar na politica monetária tem que ter contrapartida de disciplina fiscal, senão voce infla a bolha sem ter um “hedge”. Como diz o Riccardo qualquer economista fajuto sabe disso.

      É aqui que entra a credibilidade de um governo…
      Como fazer estas emendas e aprova-las com um Congresso como o nosso retardatário senão retrógrado.

      Voces ouviram o M.Rubio.
      “The rating agencies (the market) are saying : show us how over the next 10 years how to borrow less as a percentage of what you spent”.
      Este é o passaporte, a credibilidade.

      • Enviado por: Mario Pw

        Aliás é o que os alemães estão negociando.

  122. Enviado por: Jr.

    Mercosul suspende Paraguai da próxima reunião do bloco.

    http://www.estadao.com.br/noticias/internacional,mercosul-suspende-paraguai-da-proxima-cupula-do-bloco,890988,0.htm

    É isso aí. Esses golpistas tem que perceber que o golpe não compensa. Se os países do Mercosul não tomassem uma atitude dessa natureza (que ainda é relativamente leve), o inverno de golpes de Estado na América do Sul poderia prosperar. A cláusula democrática do Mercosul tem que prevalecer e somente governos democraticamente eleitos devem ter direito a participar desses organismos multilaterais. Ainda falta suspender o governo ilegítimo do Paraguai da Unasul e da OEA.

  123. Enviado por: Jr.

    Pillon,
    Você que gosta de estudar a psicologia das fotos, veja essa outra referente ao mesmo encontro que você citou. Acho que está até mais sugestiva do que a que o Ming usou.

    http://ep01.epimg.net/elpais/imagenes/2012/06/24/portada/1340506913_349128_1340552297_portada_normal.jpg

    Abs.

  124. Enviado por: Alexandre

    Jr., interessantissima a sua colocacao sobre a privacidade a qual concordo. Mas nunca, nunca esperaria que viesse de voce e somente de voce qualquer tentativa de utilizacao de infos pessoais para desclassificar o argumentador.

    Voce nao me engana mais com esta conversa mole, alguns sim, esconde-se atras de argumentos, defende regimes antidemocraticos na america latina, ultimo refugio de stanlinistas que nao encontram mais espaco e pretendem transformar este continente num reduto de esquerda.

    • Enviado por: Jr.

      Vai lamber sabão, Nazista !

    • Enviado por: Jr.

      Felizmente, no Brasil acabou a ditadura da direita há mais de 20 anos. E tipos nazi-facistas como você perderam o espaço. Goste você ou não, você tem que engolir o Lula e a Dilma aqui no Brasil. E no resto da América Latina, você tem que engolir o Chávez, a Cristina Kirchner, o Morales, o Rafael Correia, o Ortega, o Pepe uruguaio. Reclame, chie, se contorça, chame os outros do que bem quiser. Goste você ou não, o fato é que acabou a fase dos Videla, dos Stroessners, dos Pinochets, dos Médicis, dos Fujimori e de muitos outros ditadores de direita com as quais você simpatiza. Muito parecidos com o ditador do bigodinho que sua família defendeu com armas na mão. Nazista !

    • Enviado por: Jr.

      A sua ignorância é tão grande que nem insultar sabe: pra seu governo, o stalinismo foi denunciado por Nikita Kruschev, que assumiu o poder em 1953 após a morte do carniceiro ditador soviético, Josef Stalin. Nos últimos anos do comunismo, na década de 80, o único regime ocidental que ainda se considerava como abertamente stalinista no mundo era o da Albânia. Hoje, sobrevive apenas a ditadura da Coréia do Norte, a única que possui um regime organizado segundo os moldes stalinistas.

      Na América Latina, todos os presidentes de esquerda atualmente no poder foram eleitos pelo voto popular e nenhum deles segue a orientação stalinista.

      Assim, procure ler e se informar um pouco mais. Serve até para você fundamentar melhor seus insultos.

  125. Enviado por: Alexandre

    Javier, sou a favor da uniao de paises, contra guerras, mas vivemos no dilema globalizador pois esta uniao estabelece ajustes onde nem todos os paises estao preparados e devem adequar-se a regras e crencas de culturas diferentes.

    Nao tenho nada contra o euro, ja afirmei, sou contra dividas, escravizam o cidadao e nacoes.

    Javier, de um lado fala-se em pragmatismo e de outro em esquerda e direita,nao da ne? A Alemanha e mais rica, os EUA sao mais ricos, a China sera mais rica, vai longe…..e dai? Talvez viva-se melhor na Nova Zelandia, da para entender-me?

    O melhor do artigo que li foi esta do onus e bonus, tem que se perguntar qto de onus, que vem antes do bonus, cada um esta disposto, ou seja, muitos so querem o bonus.

    • Enviado por: Mario Pw

      Alex, voce já assistiu aos vídeos do Marco Rubio ?

    • Enviado por: Javier Vidal

      PREZADO ALEXANDRE
      Se o digo con tudo o meu “love”, con tuda a minha paciencia, que con voçe e unha autentica proba de forza, un descreimiento constante e un desprecio, porque de verdade que ficar como fico eu, tendo que escribir a tuda velocidade con faltas, porque nao me deixa mandar mensaxes de vagar e sin erros,e aun por encima nun idioma que nao controlo ben escrito, e aun por encima con a cuantidade de datos que lhe mandei, da eurostat ou de organmismos serios, nao de artigos de prensa, e voçe sigue e sigue e sigue.E cansino, meu caro amigo, de modo que por ultima vez lhe aclaro:
      1)-Alemania na goberna euroapa.Europa se goberna no parlamento de bruselas, elegido por tudos.Ninguen o quere o goberno da alemania, que e a maioria(77%).Ninguen pidiu a mErkel que fixera o que fai:obstaculizar as axudas que tudos (tudos, alexandre, na mesma proporçao, a ver si lhe entra)ponhen no fundo de rescate.
      2)Alemania nin e mais rica, como xa lhe dixen mil veces, ni ten as suas contas de deuda melhor que Espanha ou Francia.Alemania o que ten e 83 milhoes de habitantes , e o pais mais grande , mas superpoboado, con moita diferencia.Su renta meia ficou no 107% da renta meia na europa na ultima decada.A de Francia foi igual, a de Espanha foi do 103 de meia.Italia 102.Por tanto, nin alemania e mais rica, as diferencias sao minimas, como pode ver e lhe dixen miles de veces.
      3)Alemania nao e austera, sus costes sociais sao altissimos, o seu estdao do benestar e moito mais caro que o espanhol ou o frances.Os Lander tenhe gravisismos problemas de financiaçao dende fai anos.Por isso a sua deuda publica e a maior da europa e unha das maiores do mundo:Alemania dbe cuasi tres trilhoes (trilhoes, alexandre, a ver si o ve) de euros, moi por encima de calquer pais da europa.
      5)Espanha reduxo moito mais os costes laborais que Alemania.Francia e Italia tamen.E mentira que alemania sexa mais competitiva que a França ou os demais paises latinos.En calquer pais da area euro se trabalhan mais horas, se tan menos feriados, se ganha menos.
      4)Tampouco e verdade que alemania sexa a unica potencia industrial de europa.Agora mesmo o Norte de Italia, Catalunha, o entorno de Paris ou certas cidades do norte europea, tenhe tanta riqueza industrila como alemania.Tudo mudo, como lhe dixen, moitssimo nos ultimos 20 anos.
      Seguiria moito mais, Alexandre, pero como fala que me extendo, vou parar.
      Fico contento:Merkel volveu a perder.Espanha, Francia e Italia a obrigan a desobstaculiazar as axudas a o fundo, a invertir 130 bilhoes en politcas de crecimeinto e a calarse e asumir que a sua politica suicida arruino o proxecto europeu.Esa e a verdade do que passa.
      Saudos.

  126. Enviado por: RONALDO GOMES FERREIRA

    JR, Ferruccio e outros
    Acho que vocês v~]ao gostar deste artigo sobre a crise européia:
    http://arquivoetc.blogspot.com.br/2012/06/alemanha-vai-destruir-europa-jose.html
    Estou sem tempo para comentar.
    Abs

    • Enviado por: Jr.

      Ronaldo,

      Obrigado pela indicação. O José Roberto Mendonça de Barros (ex-secretário de Política Econômica do governo FHC), além de evidentemente trazer muitos elementos para análise, disse muitas coisas que vários de nós vem repetindo há meses aqui no blog. Ele citou, inclusive, no final do artigo, o comentário do Joschka Fischer que o Ferruccio outro dia mencionou aqui.

      Pillon, ele cita também o que pode acontecer em relação à paridade marco/euro, caso a Alemanha resolvesse retomar a sua própria moeda.

      Abs.

    • Enviado por: Pillon

      Bom dia,

      Deixa ver se entendi.

      Primeiro, o título, muito abrangente escrevendo “EUROPA”, posa uma situação futura, Alemanha VAI destruí-la, o que subentende uma alternativa, pois ela AINDA não a destruiu. Seria mais contundente se dissesse o autor, DESTRUIU.

      Ou seja, depende dos DIRIGENTES EUROPEUS (em particular, do governo alemão) mudar os rumos. E se o governo alemão continuar intransigente, pode causar o colapso econômico da Europa e, por consequência, o colapso da eurozona. Se isso acontecesse, ou não acontecesse, o que a forçaria sair do euro ou ser “expulsa”, a economia alemã leva chumbo do mesmo jeito porque voltaria ao marco, que se valorizaria, cujos efeitos na sua economia todos sabemos.

      Então, concluo que se “correr o bicho pega se ficar o bicho come”, não há solução para ela senão liberar geral e deixar fazerem o que quiseram fazer. Com isso, não carrega mais a responsabilidade tanto a atormentam e passa a “batata quente” adiante.

      Com o colapso da eurozona, o FMI entra, resgata os países em dificuldades e faz suas exigências (as quais nós, brasileiros, conhecemos muito bem.

      (precisamos avisar o Putin e outros que fazem reserva em euros para já ir trocando as moedas na sua cesta – convém lembrar que o euro é a segunda moeda reserva no mundo, participando com 25% e já chegou a 27%, antes havia supremacia do dólar)

      Para evitar esse colapso, me reporto ao que deixa em aberto o título do artigo, uma saída alternativa. Talvez haja uma saída: uma ou várias rodadas de QE a juros zero.

      Depois não digam que a Alemanha vai destruir o mundo!

      Ou que chamem então o General Sherman, como sugere Sr. Krugman!

      • Enviado por: Pillon

        Aliás, um insulto à inteligência, esse paralelo que o Sr. PK traça entre a história da unificação americana com a unificação européia. Nada a ver!

      • Enviado por: Pillon

        Como os dirigentes europeus não querem incomodar o Sr. Putin e demais com essas novidades, não proporão uma saída imediata à la americana, nem a la francesa, nem a la alemã, nem a la grega (a menos que sejam com camarões, aí até ele topa!).

        Para que não digam que a Europa vai destruir o mundo, seguirão o caminho mais conveniente que possa existir.

        Pois é, pois é, até breve, pois tenho que levantar acampamento! Escrevo lá da Índia.

        Abs.

  127. Enviado por: Mario Pw

    Caríssimo,

    pelo que eu saiba Alex gostou do governo petista , do que trouxe à nossa economia.

    Já sonhou em fazer a viagem da vida num daqueles fantásticos resorts em Bali ? Os nativos lá são maravilhosos….

    https://www.atollparadise.com/indonesia-553-TheOberoiBaliIndonesia.htm

    Vamos tentar colaborar para os nossos governantes não nos afundarem….

    • Enviado por: Ferruccio

      Caro Mario Pw,

      Boiei nesse comentário.

      (Chegamos nos 500 comentários!!!)

      • Enviado por: Mario Pw

        Ferruccio,

        desculpe era uma sugestão para Jr …

        • Enviado por: Mario Pw

          para nos centrar em tópicos mais proveitosos…

          • Enviado por: Mario Pw

            Jr,

            desculpe mas deixe a questão do Alex de lado.

  128. Enviado por: Riccardo(California,USA)

    Alex e Javier,

    Uma das metas do EURO seria a unificacao dos Paises e mais harmonia.

    O EURO esta fazendo exatamente o contrario.

    Por isto nao vai sobreviver….

    • Enviado por: Pillon

      Riccardo, bom dia.

      Vou lhe dar um bom motivo para corroborar o que Barroso e Monti disseram. Eles TAMBÉM não querem um russo “putin” da vida cafungando nas costas deles!! :)
      A Europa paga energia com euros o qual entra na cesta de moedas russa.

      (como professor, você conhece o Triffin dilemma; os US não tem economia para dar suporte aos dólares esparramados como reserve currency)

      • Enviado por: Mario Pw

        Bom dia Pillon,

        Estou feliz em tê-lo de volta, agora só falta o Nick entrar mais.

        Na corrida para Nobel tupiniquim 2013/12 aqui no blog hein ?

        • Enviado por: Alexandre

          Ricca, nao ligue, eh um troco que ele esta dando , qdo chamei-o de facista por querer expulsar-me do blog, eh vingaaanca……. :) …. alem disto esta na cara que ele nunca gostou de minhas posicoes e fica tentando achar oportunidades para qualquer coisa que digo, nao somente minhas, mas de mais alguns.

  129. Enviado por: Riccardo(California,USA)

    Jr,

    E com tristeza que leio alguns dos seus ultimos comentarios chamando um dos nossos blogueadores de NAZISTA so porque voce nao concorda com ele.

    Na minha perspectiva quanto mais voce usa este argumento mais fraca fica a sua palavra.

    abs

    • Enviado por: Jr.

      Riccardo,
      Em respeito a vocês e com o intuito de interromper essa discussão, eu parei de falar sobre esse assunto hoje.

      Só quero lhe esclarecer o seguinte: o histórico de intervenções do Alexandre aqui no blog, com repetidas manifestações de crueldade, insensibilidade e falta de humanidade (uma das quais se referindo aos desaparecidos brasileiros da época da ditadura), somadas às revelações mais recentes dele aqui no blog sobre o seu passado familiar me permitem chegar à conclusão óbvia que que ele possui uma psique nazi-facista de extrema direita. Não o chamei disso gratuitamente e nem foi somente porque discordei da opinião dele.

      Várias vezes já discordei de você anteriormente e nem por isso o chamei de nazista.

      Agora, eu lhe sugiro que, ao invés de tomar as dores dele, você escreva algo que faz sentido e pare de repetidamente chamar os gregos e espanhóis de preguiçosos e bundas.

      Essa foi a minha última manifestação sobre o assunto, a menos que o mesmo seja retomado.

  130. Enviado por: Alexandre

    Mario, eh justamente este assunto que estava tentando evitar num momento de crise europeia que o Mister Jr. faz questao de constantemente trazer a tona, gosta, esbanja a palavra….eh aquele negocio de negacao e fascinacao.

    • Enviado por: Mario Pw

      Alex,

      já falei e repito : voce escreve tanto que eu me confundo….

      • Enviado por: Mario Pw

        E para sua informação,

        já discordei muito do Jr e ele nunca me chamou de nome feio…..hehehe…..pelo menos não ainda. Ele me incentiva a aprofundar na questão.

        • Enviado por: Mario Pw

          Acho que voce não viu mas o Ferruccio recomendou voce assistir ao Sicsu vídeo que o Renato postou para encerrarmos a discussão.

          • Enviado por: Alexandre

            Assisti uma parte, eh a Conceicao Tavares, a cara que ela fez sobre a remessa de lucros e sobre a necessidade de capital externo, eh um bonde que ja foi, para o Brasil, infelizmente.

  131. Enviado por: Alexandre

    Javier, sinto voce chateado comigo e com razao.

    Tenho sido gozador, mas entenda que o Brasil tem problemas muito mais graves, comparados com os de voces.

    Nao desemereco a Espanha que estara no meu roteiro na proxima viagem, nao somente por voce mas por varios amigos que ja foram e achan-na maravilhosa.

    Vce constantemente afirma que o governo unico ja esta implantado e que a Alemanha eh minoria entao, sinceramente, nao entendo o problema.

    Informou que na Franca as aposentadorias sao com 60 anos, e nao pretendem mudar?

    • Enviado por: Javier Vidal

      Prezado Añeixandre
      Pra nada.Quizás sao eu, que nao paro de falar de Espanha,so cando ela e aludida con certa falta de sensibilidade)e reconhoço que a meudo sao chato de mais.Nao tenho problema por pedirlhe disculpas a v´çe e a os demais.Fun eu quen decidiu entrar nos comentarios, aun sabiendo que nin sou brasileiro, nin escribo ben, nin tería por que facelo.Pero certamente gosto do Estadao, acho ele moi superior a o Globo e outros, e tamen gosto de voçe, Riccardo, JR, Ferruccio, Vicente e demáis.O feito que as veces briguemos e natural.No meu caso o faço porque adoro Brasil e porque Europa, y Espnha en concreo, estan a passar unha situaçao historicamente inedita, con consecuencias brutais, devastadoras e nunce vistas antes.Sempre que falo aqui sao moi consciente da situaçao.Tenho medo, como tudos os europeus o tenhen.Creo que foi voçe o que dixo que as guerras parecen practicamante da nada.E cando chegan un se pergunta como e que se chegou a algo asim.A velha historia da europa.Se parezo radical, que en realidade nao sou o soamente o sou a nível social, nao economico, e porque sinto que europa, tuda europa nao esta a altura do que deberia ser.Y o problema e que o ten que ser, incluso o mundo se o pide, os brics, EEUU, FMI,OCDE.Tudos, tudos piden maior unidade fiscal, politica, economica.O mundo o pide, por isso fico chateado con a lentitude de tudos:Merkel,Rajoy,Hollande,Monti,.E moi especialmente con Bruselas, e o BCE, que debrian ser os mais preocupados e os que inponheran dunha vez unha cobertura europeia da deuda.Nao hay outra saida.O sistema, os mercados e o que piden.
      Saudos.

      • Enviado por: Javier Vidal

        Alexandre
        Si lhe sou honesto, nao sei si recomendarlhe que venha a Espanha agora.E bastante triste.A gente caminha de mal humor, preocupada.Os animos nao fican en positivo, hay malas vibraçoes en tudas partes.Pra mi rsulta increible que todavía nao acha grandes disturbios sociais, porque e situaçao e moi preocupante.Donde eu moro, unha pequena cidade de 65.000 habitantes, nuca houbo, xamais, gente pidendo pola rúa.Agora hay unha decea.En moitas rúas pode ver loxas fechadas.,moitos extrangeiros, pero que moraban aqui como espanhois e ficaron arruinados da noita pra a mañá.Moitos espanhois, tamen.Gente con titulos universitarios e masters internacionais que ganahban miles de euros, agora os ve nas colas de asistencia de cáritas.Algo nunca visto na Espanha.O mesmo passa en Italia, tamen en Inglaterra.Y en Holanda a situaçao se deteriora dia a dia.Pero en Espanha e horrible.
        Eu acho que si nao comenzou a gente a queimar bancos e porque os espanhois todavia conservamos certo sentido da familia e a gente se axuda uns a outros.
        E algo moi triste, e estou sendo moi sincero.Por isso lhe recomendo que venha no 2070, cando a crise comenzara a melhorar.Risos, pero nao moi sinceros.
        Saudos.

      • Enviado por: Alexandre

        Javier, se a divida eh alta no continente europeu, destaca-se a Merkel em sair pela austeridade.

        Como voce mesmo afirma, Grecia, Italia e Espanha nao sao tao pobres que nao possam ajudar sua propria populacao. Para que voces precisam dos alemaes? Cade a solidariedade dentro de sua propria fronteira?

        As suas criticas aos EUA, numa analise simplista, sao infundadas. Os EUA sao o espelho dos europeus, foram colonizados por europeus e a segunda lingua mais falada eh a espanhola. O mundo ocidental eh feito seguindo moldes e pensamentos europeus, inclusive o sistema financeiro. Nao tem santo ai!

        Qto a brigas, o Jr. apela facil, ele deve lembrar que diante de criticas ao nosso governo ele chega a sugerir que embarquemos silenciosamente no primeiro aeoroporto…..que isto?

  132. Enviado por: Alexandre

    Jr., apesar de culto falta-lhe a capacidade de analise.

    Voce nao percebeu nao que esta suposta esquerda latina pode ser tao burra, imcopetente, corrupta e atrasada que pode nos levar novamente a sucessivos golpes de direita? Volta tudo a estaca zero?

    • Enviado por: Mario Pw

      Assista apenas ao vídeo do Sicsu.

    • Enviado por: Mario Pw

      My “bro” Alex,

      Jr tem te ajudado a se antecipar aos eventos, aliás todos nós aqui no blog, em pelo menos 12 a 18 meses antes dos acontecimentos.

      • Enviado por: Alexandre

        Discordo, achavam que o crescimento brasileiro era real.

  133. Enviado por: Mario Pw

    Caros Ricc e Jr,

    olha só porque a gente não estava entendendo nada.

    “ASSUNÇÃO – A aliança legislativa que votou pela expulsão de Fernando Lugo da presidência do Paraguai era uma coalizão improvável entre os dois principais partidos políticos do país, rivais que por muito tempo competem pelo poder no Congresso.Há três décadas, o Partido Liberal sofria uma perseguição mortal no país. Na semana passada, porém, aliou-se a seus outrora perseguidores, do Partido Colorado, e aprovou o impeachment do presidente, em ação relâmpago criticada por vários países. O que tornou isso possível foi outra tendência política do empobrecido país: o desencanto de centenas de milhares de esquerdistas e campesinos pobres, que haviam formado a base política de Lugo.

    A última decepção da esquerda ocorreu no início do mês, quando Lugo demonstrou evidente indiferença pela morte de manifestantes sem-terra, em um enfrentamento com a polícia por causa de uma luta pela propriedade de terrenos.”

    Não foi exatamente a direita golpista, foi a esquerda da esquerda decepcionada…..meio dejá vu bolchevique?

    • Enviado por: Alexandre

      Pois eh, PT e PSDB, teoricamente sao esquerdas aqui…entendeu?

    • Enviado por: silvio corrêa

      Mario PW

      Isso que voce comentou mostra a fragilidade democrática por essas bandas.

      Quem está lá no poder, é um Liberal, e não há nem papo sobre novas eleições.

      É provavel e perigoso que se deseje esperar essa troca da guarda se concretizar como uma mudança ideológica, de esquerda radical para algo mais ao centro.

      Caso não haja atução da vizinhança ,o mais provavel é que disputas internas deteriorem ainda mais o quadro político.

      Isso para infelicidade do cidadão paraguaio pois vê agora explicitamente que suas já frágeis instituições estão a mercê da vontade que não é a popular e provável ingerência externa.

      Se assemelha muito ao golpe hondurenho, aliás tanto um quanto o outro apoiado pelos USA e cia.

      Alguns dados: o PIB do Paraguai US$21bi é tão pequeno que equivale a menos de ¼ do pib do Parana., 60% do comércio do Paraguai está entrelaçado com o Brasil.

      abç

    • Enviado por: Ferruccio

      Caro Mário Pw.
      Segundo o Wikileaks, a embaixada dos EUA no Paraguai já previa, em 2006, que o Fernando Lugo seria derrubado por meio de um golpe parlamentar, exatamente como aconteceu.
      Poderia não significar nada, se não fossem as inúmeras experiências com intervenções do irmão do norte nos países latinos. Acho que devemos deixar de lado as razões ideológicas e apelar para a realpolitik, perguntando: quem ganha e quem perde com o golpe no Paraguai?
      Ganham os EUA. “O Paraguai é um valioso peão para colocar pedras no caminho do Mercosul, da Unasul e de todos os organismos multilaterais regionais que excluam os Estados Unidos e, portanto, a influência dos Estados Unidos”. Talvez agora consigam instalar uma base militar no Paraguai, que o Lugo não queria.
      Perdem os países da Unasul, em especial a diplomacia brasileira.

      • Enviado por: Mario Pw

        Obrigado Ferruccio.

        Mas eu acho que não foi exatamente planejado pelo irmão do norte. Os eventos foram se desenrolando e se viram nesta posição, e aí eu acho que ou não houve a diplomacia brasileira ou….

      • Enviado por: Javier Vidal

        Prezado Ferruccio:
        Concordo con voçe o que fala de Paraguai.Un asunto de intervencionsimo dos EEUU.E que o triangulo de fronteira de Paraguai,Uruguai,Brasil leva anos sendo un perigoso foco de inestabilidade, que como pasa con demasiada frecuancia en AL, nao se lhe deu a importancia que deberia,apenas saiu na midia (por que a midia de AL sempre fala de os asuntos de fora,e omite graves asuntos internos en toda AL?¿ALguen me pode contestar?¿porque nunca se fala da realidade, con cifras, dos problemas reales, alguns deles realmente perigosos,conflitos territoriasi sen resolver, conflictos economicos silenciados polos gobernos?¿por que sempre se fala das noticias positivas, dadas moitas veces de forma populista, enganhosa, mainipulada e nunca dos problemas reais?.
        Eu penso que estas coisas passan factura, mas cedo ou mais tarde.Parece que agora sae Mercosul e tuda a sua legislaçao legal pra tratar de mudar o que, obviamente e un golpe de estado moi parecido al de honduras.¿Nao habia aqui tanta gente que dudaba da UE, do seu poder de control e agora se clama por Mercosul?.A verdade, estas coisas demostran a importancia neste seculo, como venho dicindo, dos blocos economico-politicos do mundo.Chequi tentou facer unha constituçao fora da democracia e o respeito dos deritos humanos, e bruselas, como e logico, se dixo que nao.Pareceme perfeito que Mercosul tamen reaccione.Ese e o futuro.
        Estou pensando en demandar a Krugman.Tudo o que dice, xa o venho dicendo eu fau meses.Agora fala das diferncias regionais e de riqueza dos EEUU.Se ve con claridade que sao incluso maiores que en na UE, como eu dicia.Tamen dice, como fixen eu, que Alemania nin e o pais que vai dirigir europa sosinho,nin fica tao ben en relaçao a os demais, e aun por encima e o mais endevidado de tudos.Como eu venho dicindo.
        ¿Levar un permio nobel para decir o que digo eu, un vulagar ciudadano?.Vergonha de economista.Vou demandalo por plagio.Que me den a mi o nobel!!!.
        Saudos.

    • Enviado por: Jr.

      Caro MarioPw,

      Os governos atuais do Chile e da Colômbia (Sebastian Piñera e Juan Manuel Santos) tem orientação de direita e chegaram ao poder pela via das eleições. São governos legítimos e democráticos, escolhidos pela vontade das suas populações. Tem que ser respeitados.

      Mas não este atual do Paraguai. O que se está criticando aqui é o “golpismo” latino americano. Parece que realmente a administração do Lugo não era boa. Mas havia eleições marcadas para daqui a um ano e ele poderia ser substituído nas urnas, democraticamente. É para isso que existem as eleições.

      Abs.

      • Enviado por: Mario Pw

        Caro Jr,

        os pobres aqui não conseguem esperar 1 dia sequer.

        Os únicos pobres que eu conheço que são mais obedientes estão lá na Malásia e Indonesia por causa do sistema social de punição de influencia muçulmana e na China.

        • Enviado por: Mario Pw

          Caros,

          voces acham que vai ser ruim termos uma base militar americana no Paraguai ?

    • Enviado por: Jr.

      Mário,
      Quem derrubou o Lugo não foram os pobres. Foi a elite conspiradora. Como tem feito há séculos.

      • Enviado por: Mario Pw

        Ok Jr,
        a elite no poder que quer mais poder usando os reclames dos pobres. Sempre foi.

        Agora uma pergunta para a gente ruminar….seria ruim termos uma base militar americana no Paraguai ????

        Ou vamos ter uma fronteira mais civilizatória e mais próspera economicamente ?????

  134. Enviado por: Mario Pw

    Brother Alex,

    Assim Javier que esta por aqui vai ser o primeiro a dizer que te alertou sim ….

    Generalizando, houve sim o crescimento real nestes ultimos 20 anos. Pontualmente, desde a crise do Lehman, o FED sinalizou que cada um que se vire porque a gente mal sabe o que fazer aqui.

    E aí é que entram as polarizações de cunho político que eu vivo relembrando ao Jr que não é bem assim porque eu acho muito perigosas. “Word matters”.

    Agora só por curiosidade, voce já esta precisando usar óculos para ler de perto ?

    • Enviado por: Alexandre

      Mario, então veja a coisa de maneira mais ampla, nao tão de perto. O Brasil cresce à décadas, mais cresce que encolhe, analise algum grafico desde que começaram a medir o PIB.

      Mais recentemente, sofremos com o impeachment do Collor, o Lula escapou por pouco, somente 20 anos de democracia, 20 anos de ditadura……todos estes problemas recentes geram um impacto economico, ja que a propria Conceicao admite que o Brasil nao cresce sem capital externo. Pragmatica demais?

      O Javier me alertou em relacao ao que?

  135. Enviado por: silvio corrêa

    Afinal a Petrobrás deveria mesmo ter dividido suas atividades do présal, com o golfo do méxico, e cazaquistão (que trocam suas riquezas por miçangas) e apoiado a invasão Líbia.

    Agora, sendo o barril a US$30 ou US$200, vai ter que aparecer petroleo do pré-sal, e o tempo está encurtando.

    http://www1.folha.uol.com.br/mercado/1110100-producao-da-petrobras-no-pre-sal-vai-aumentar-nos-proximos-anos.shtml

    • Enviado por: Mario Pw

      Silvio,

      estou preocupadissimo com Petrobrás há pelo menos 3 anos. No dia que anunciaram o plano de negócios eu preferi ficar mum….para não piorar….pois tinha posto aqui o link do Khair e podia seguir com a idéia.

      O programa de otimização de custos tinha que ser anunciado antes, no mínimo. Em nenhuma empresa de credibilidade se anuncia aumento de investimentos e redução de produção.

  136. Enviado por: Luiz

    os boatos dizem que a Bolsa saiu do ar por causa da pTbras

  137. Enviado por: Nick

    Tenho lido os comentários, e tenho percebido que há bastante discussão em torno de sintomas. Quanto aos mercados, eu acredito que a bolsa nos EUA ainda tem muito que cair, ou ouro subir, para que as coisas meio que voltem ao normal. Em 1980 o dow estava a 1,280 pontos e custava 4 onças de ouro. Hoje está ao redor de 12 mil pontos, e custa 8 onças de ouro. Uso o ano de 1980 como referência, por que foi um período no qual o volume de dinheiro circulando na economia dos EUA era equivalente às reservas em ouro do país. Hoje há uma desproporção enorme, e uma correção grande vem por aí, é inevitável. Eu arrisco até a dizer que uma grande mudança no sistema monetário vai acontecer nessa década, e isso significa também a mudança de moeda reserva. Conselho? Cash is trash.

  138. Enviado por: RONALDO GOMES FERREIRA

    Pessoal
    Dois advogados brasileiros, conhecedores da legislação paraguaia, informam que, por mais que nos pareça estranho, a derrubada do Lugo foi efetuada de acordo com a legislação local. Topei com este artigo da Dora Kramer, comentarista política muito respeitada, que também concorda com isto.
    http://arquivoetc.blogspot.com.br/2012/06/o-afastamento-de-lugo-editorial-estadao.html
    Sds

  139. Enviado por: Alexandre

    Javier, ja tentei varias vezes e nao entra, apenas informa-lo que somente agora li seu comentario na integra….fuerza hombre, lembre que o Brasil ainda eh um pais inexplorado, tem muitas oportunidades.

  140. Enviado por: Alexandre

    Mario, somente agora entendi seu comentário do oculos…..o Pillon ja havia sacado, eh leitura dinamica demais, hora eh filhos hora eh trabalho.

    Duas coisas me farão escrever menos e talvez assim ser melhor interpretado como também interpretar.

    Por incrivel que pareça os 2 motivos são culpa do Jr., uma a crise economica gerada por seus amigos, a outra que ele lembrou-me da família, que anda reclamando….. :)

  141. Enviado por: RONALDO GOMES FERREIRA

    Pessoal
    Muito me preocupa a atuação do governo brasileiro na crise política paraguaia. Me parece que o ´pessoal da Unasul quer reeditar a política intervencionista que tanto censuramos nos EUA. Já há um clima de revolta contra o Brasil no Paraguai e o início de um posicionamento contrário ao nosso país, que já não contava com muita simpatia popular. Os interesse do nosso setor de energia e dos brasiguaios podem ser muito afetados pelo posicionamento diplomático do governo.
    https://www.facebook.com/groups/335027336572583/groups/335027336572583/
    Abraços

    • Enviado por: Jr.

      Ronaldo,
      Desculpe, mas o golpismo na América Latina não pode prosperar. Sob pena de voltarmos 40 a 50 anos no tempo, época em que se derrubavam governos como quem se toma água.

      Tem que haver sanções contra o governo ilegítimo do Paraguai, que assumiu através de uma conspiração de políticos no Congresso, sem que ao presidente deposto fosse imputado qualquer crime de responsabilidade ou a ele fosse dado o direito à ampla defesa. Foi um procedimento sumário que se consumou em menos de 48 horas.

      Eu acho que o governo brasileiro está lidando com o problema com a máxima cautela, evitando tomar medidas unilaterais que eventualmente prejudiquem interesses brasileiros no Paraguai. Está sim, tomando medidas de natureza colegiada, junto com os outros sócios do Mercosul e da Unasul. E a Unasul e o Mercosul estão recebendo o apoio de outros organismos internacionais, inclusive da Comunidade Européia.

      Agora, de forma alguma esse golpe paraguaio pode passar impune. Porque se a moda pega, daqui a pouco poderemos voltar a ter regime de exceção aqui mesmo no Brasil.

    • Enviado por: Jr.

      A ação conjunta dos países do Mercosul não pode ser considerada intervencionista porque existe um documento explícito assinado por todos os sócios que prevê sanções aos países onde houver ruptura da Ordem democrática. Trata-se do Protocolo de Ushuaya, que pode ser visto no link a seguir:

      http://www.mercosur.int/innovaportal/v/3750/1/secretaria/tratados_protocolos_y_acuerdos_depositados_en_paraguay

      Seria intervencionista se o Brasil estivesse agindo sozinho e unilateralmente, ao arrepio de tratados e acordos internacionais, o que não é o caso.

      • Enviado por: Mario Pw

        Caros,

        eu ainda acho que ou “não houve diplomacia brasileira” ou dormiu de olhos abertos. Os jornais já apontam o lado político nacionalista.

        Jr,
        Quem rala na iniciativa privada sabe que a política tende a ser na maioria dos casos controladora e retrógada. São questões amplas e complexas de decidir que lidam com egos e dinheiro e muitas vezes extorsão deste.

        Felizmente chegou-se ao bom senso:
        O governo brasileiro promete uma reação “dura” ao impeachment de Fernando Lugo, por considerar que houve ruptura do processo democrático no Paraguai, mas a presidente Dilma Rousseff descarta sanções econômicas com reflexos sobre o comércio e sobre o desembolso de financiamentos contratados, segundo apurou o Valor com autoridades acompanham as discussões sobre o tema.

        Dilma quer isolar apenas politicamente o Paraguai. Executivos de empresas brasileiras entraram em contato com auxiliares da presidente, para pedir que evitasse medidas capazes de afetar os negócios do Brasil no país.

        O Brasil se oporá às propostas de países vizinhos que representem retaliações com reflexos sobre a população a paraguaia e sobre brasileiros com interesses no país. No Palácio do Planalto e no Itamaraty, menciona-se que adotar o isolamento econômico do Paraguai – como defende, por exemplo, a Venezuela – equivaleria a usar, na América do Sul, a política de embargo que o continente condena quando aplicada pelos Estados Unidos a Cuba.

        • Enviado por: Mario Pw

          A nossa diplomacia acordou…hehehe….finalmente:

          O governo brasileiro deverá encontrar, na Unasul e no Mercosul, parceiros como Argentina, Venezuela e Bolívia que têm defendido medidas mais duras contra o novo governo paraguaio; mas resistirá a bloquear o comércio com os paraguaios ou a interromper, por exemplo, o desembolso dos financiamentos do Focem, o fundo de ajuste estrutural do Mercosul, que tem no Paraguai seu principal beneficiário. Um dos financiamentos mais importantes do Focem, considerado intocável no governo, é a construção da nova linha de transmissão da hidrelétrica de Itaipu a Assunção, compromisso firmado no governo Lula em troca de um acordo sobre as demandas paraguaias em relação ao uso da energia elétrica de Itaipu.

          Deve ser arquivada, no entanto, uma proposta da Argentina para aumentar as contribuições ao Focem – que recebe US$ 70 milhões anuais do Brasil, além da doação específica de quase US$ 100 milhões ao ano para a linha de transmissão de Itaipu. A proposta era uma das principais medidas planejadas pelo governo argentino para marcar a próxima cúpula do Mercosul, em Mendoza. A crise com o Paraguai e a suspensão do país nas atividades do bloco dão ao Brasil bom argumento para adiar indefinidamente essa decisão.

          O principal objetivo do governo brasileiro, com a pressão sobre o Paraguai, é sinalizar a outros países do continente que não aceitará processos sumários ou traumáticos de mudança de poder no continente – risco real, dada a delicada situação política em países como Venezuela, Equador e Bolívia.

          Segundo um auxiliar de Dilma, a reação do governo brasileiro tem duas marcas da diplomacia da presidente, presentes também em casos como a pressão mundial sobre Irã e Síria: recurso ao multilateralismo e rejeição a sanções econômicas.

      • Enviado por: RONALDO GOMES FERREIRA

        JR
        A assim chamada cláusula democrática do Mercossul não se encontra no link que você passou ela foi elaborada dois anos depois no contexto da Cimeira de Ushaia. É este mesmo protocolo que levou o Paraguai, veja a ironia, a criar obstáculos a entrada da Venezuela

        Protocolo de Ushuaia (1998)
        A República Argentina, a República Federativa do Brasil, a República do Paraguai e a República Oriental do Uruguai, Estados Partes do MERCOSUL, assim como a República da Bolívia e a República de Chile, doravante denominados Estados Partes do presente Protocolo,
        REAFIRMANDO os princípios e objetivos do Tratado de Assunção e seus Protocolos, assim como os dos Acordos de Integração celebrados entre o MERCOSUL e a República da Bolívia e entre o MERCOSUL e a República do Chile,
        REITERANDO o que expressa a Declaração Presidencial de las Leñas, de 27 de junho de 1992, no sentido de que a plena vigência das instituições democráticas é condição indispensável para a existência e o desenvolvimento do MERCOSUL.
        RATIFICANDO a Declaração Presidencial sobre Compromisso Democrático no MERCOSUL e o Protocolo de Adesão àquela Declaração por parte da República da Bolívia e da República do Chile,
        ACORDAM O SEGUINTE:
        ARTIGO 1 – A plena vigência das instituições democráticas é condição essencial para o desenvolvimento dos processos de integração entre os Estados Partes do presente Protocolo.
        ARTIGO 2 – O presente Protocolo se aplicará às relações que decorram dos respectivos Acordos de Integração vigentes entre os Estados Partes do presente protocolo, no caso de ruptura da ordem democrática em algum deles.
        ARTIGO 3 – Toda ruptura da ordem democrática em um dos Estados Partes do presente Protocolo implicará a aplicação dos procedimentos previstos nos artigos seguintes.
        ARTIGO 4 – No caso de ruptura da ordem democrática em um Estado Parte do presente Protocolo, os demais Estados Partes promoverão as consultas pertinentes entre si e com o Estado afetado.
        ARTIGO 5 – Quando as consultas mencionadas no artigo anterior resultarem infrutíferas, os demais Estados Partes do presente Protocolo, no âmbito específico dos Acordos de Integração vigentes entre eles, considerarão a natureza e o alcance das medidas a serem aplicadas, levando em conta a gravidade da situação existente.
        Tais medidas compreenderão desde a suspensão do direito de participar nos diferentes órgãos dos respectivos processos de integração até a suspensão dos direitos e obrigacões resultantes destes processos.

  142. Enviado por: Fazendeiro

    amigos…
    A magica agora é como diluir, ou melhor, dissolver a divida gerando renda e empregos.
    O resto é perca de tempo.
    ….não adianta chorar pelo leite derramado

    • Enviado por: Mario Pw

      Fazendeiro,

      sinto saudades do Kupfer.
      Vamos aguardar o seu retorno e seus “presentes” nesta área.

  143. Enviado por: RONALDO GOMES FERREIRA

    DECLARAÇÃO DO GOVERNO DO PARAGUAI

    “Asunción, 24 de Junio de 2012)

    En referencia a la Declaración difundida en la fecha por el Ministerio de Relaciones Exteriores de la República Argentina, por la que se anuncia la decisión de “suspender al Paraguay, de forma inmediata y por este acto, del derecho a participar en la XLIII Reunión del Consejo del Mercado Común y Cumbre de Presidentes del MERCOSUR, así como de las reuniones preparatorias, que tendrán lugar en la ciudad de Mendoza, entre el 25 y 29 de junio de 2012″, el Ministerio de Relaciones Exteriores de la República del Paraguay cumple en manifestar:

    1. Su rechazo a esa decisión, adoptada obviando los procedimientos regulares y sin que se haya dado oportunidad alguna al Estado afectado para pronunciarse sobre el particular, tal como lo determina expresamente el artículo 4 del Protocolo de Ushuaia sobre Compromiso Democrático en el Mercosur suscrito el 24 de julio de 1998.

    2. Que la Declaración, curiosamente, adolece del mismo defecto que se atribuye al proceso interno paraguayo que le dio origen, y que se califica impropiamente como de ruptura del orden democrático, “por no haberse respetado el debido proceso”.

    3. Sin embargo, puede señalarse que en el juicio político entablado en el seno del Congreso Nacional al entonces Presidente Fernando Lugo, de conformidad con las disposiciones constitucionales aplicables, se otorgó a éste la oportunidad de ejercer su defensa, como en efecto lo hizo. En cuanto al principio del debido proceso, por cuya supuesta inobservancia se considera que pudo haber una ruptura del orden democrático en el Paraguay, cabe aclarar que en el caso en cuestión el procedimiento se ajustó estrictamente a lo dispuesto en el artículo 225 de la Constitución Nacional de la República del Paraguay, garantizándose por consiguiente el debido proceso.

    4. En cambio, la Declaración difundida por la Cancillería argentina no fue adoptada conforme a los procedimientos que se observan en el Mercosur, está suscrita por Estados Asociados que no ratificaron dicho Protocolo y, lo que es más grave, fue resuelta sin escuchar previamente al Gobierno de la República del Paraguay, violando de tal manera el debido proceso.

    5. La Declaración de referencia demuestra que no resulta posible negar la constitucionalidad del juicio político, ni la abrumadora mayoría con que se tomó la decisión de condenar al ex Presidente Lugo, ni que el propio afectado se sometió al juicio político y acató públicamente la resolución adoptada.

    6. La Declaración del Mercosur en nada contribuye a la paz y la tranquilidad pública del Paraguay, ni a la integración regional, y se extralimita al descalificar decisiones adoptadas, en uso de sus legítimas atribuciones, por el Poder Legislativo paraguayo, tan electo por el pueblo como el ex Presidente Fernando Lugo y el Presidente Federico Franco”.

    • Enviado por: Mario Pw

      Obrigado Ronaldo,
      Caro Jr, acho que agora dá para concluir que
      não houve exatamente um golpe, foi um movimento legitimado pelas leis e constituição do país. E a diplomacia brasileira ou não houve ou dormiu de olhos abertos….

      • Enviado por: Mario Pw

        Caros,

        acho que recuperei a esperança com relação a nossa diplomacia.

        Ferruccio, Silvio e Jr prestem atenção em quem ganha:

        O primeiro-ministro da China, Wen Jiabao, e Brasil, Argentina e Uruguai, os três países que estão como membros plenos do Mercosul, anunciaram de modo oficial o interesse em firmar uma declaração conjunta estabelecendo uma “aliança estratégica global” entre o país asiático e o bloco econômico. Wen fez o anúncio em uma teleconferência organizada pela presidente argentina Cristina Kirchner na Casa Rosada, com a participação da brasileira Dilma Rousseff e do uruguaio José Mujica.

        Este foi o primeiro evento relativo ao Mercosul sem a participação do Paraguai. O quarto membro do bloco foi suspenso neste domingo em razão da destituição do presidente Fernando Lugo pelo Congresso daquele país. A suspensão paraguaia viabilizou uma postura comum do bloco, já que o país era o único do Mercosul que não reconhece o governo de Pequim como o representante da China. O Paraguai ainda concede este “status” ao governo de Taiwan.

        Ronaldo, always a gentleman, many thanks.

        • Enviado por: Alexandre

          Mario, entao o impeachment do Collor tinha que ser retaliado?

        • Enviado por: Ferruccio

          O Paraguai tem que se decidir em que time quer jogar, se no Mercosul /Unasul ou no time do nosso irmão do norte. Não dá para jogar nos dois. Quando não reconhece a China ou não permite a entrada da Venezuela no Mercosul, está jogando a favor do time contrário.

          A tentativa de jogar nos dois times pode ser estratégia do Paraguai para conseguir maior poder de negociação, mas, desta vez não deu muito certo, já que não conseguiu impedir a negociação do Mercosul com a China.

          A partida está um a zero para o Mercosul. Vamos aguardar o término da partida.

        • Enviado por: Joao

          Brasil e Uruguai votam juntos no Mercosul. Argentina e Paraguai votam juntos . Muitas decisões se arrastam , pois empatadas. O Paraguai votou contra a entrada da Venezuela. Agora o possível desenrolar: Ausente o Paraguai, tem-se a unanimidade pra adesão da Venezuela. Vindo isso, logo entrarão os outros países andinos convidados pelo Chaves, são 5 ao todo. Lá na frente mesmo quando o Paraguai for readmitido no bloco, o Mercosul de baixo, atual, será sempre voto vencido (5 x 4)contra o Mercosul de cima. Dessa forma o Cha**vismo se expande na América do Sul. Aqueles que parecem defender o presidente deposto, fazem papel de vítima, mas podem ter sido os algozes.
          O que acha da tese ? A China já fez andar sua pauta hoje…

    • Enviado por: Jr.

      Mário, o que houve no Paraguai foi um pacto de interesses de políticos (como sempre houve) para derrubar um presidente eleito pelo povo. Simples assim. A análise das formalidades precisa vir acompanhada da análise da essência.

      Não se observou o princípio da ampla defesa e ao ex-presidente Lugo não foi imputado qualquer crime de responsabilidade, que é o determinante, em qualquer país, para que se inicie um processo de impeachment.

      Que acusação pesa contra o Lugo ? Inépcia no exercício do cargo ? Se for assim, todos os governos do mundo estão susceptíveis a impeachment, porque todos são ineptos sob o ponto de vista do adversário.

      No Paraguai vigora um regime presidencialista, não parlamentarista, que se caracteriza por eleições diretas para o cargo de mandatário supremo ao cabo de cada 4 anos. Não se pode afastar um presidente somente porque o Congresso não gosta dele ou tem outros interesses. Pelo menos no regime presidencialista. Tem que haver provas de crimes de responsabilidade cometidos pelo presidente e tem que haver o “due legal process”, com o direito à ampla defesa.

      Foi golpe, sim.

    • Enviado por: silvio corrêa

      Mario Pw

      Os desdobramentos políticos da questão paraguaia estão se tornando interessantes
      (Veja o link da Reuters)

      Parece que nossa diplomacia sempre esteve atenta, e ao meu ver o destino dos paraguaios está sendo direcionado por nós , provavelmente em conjunto com os USA, que mandaram poucos sinais sobre a questão.

      A posição do Brasil permite o pleno exercício da soberania Paraguaia, que podem se alinhar aos USA se quiserem, mas no fim das contas, vai ser melhor tomar o castigo político dos vizinhos, esperar as eleições, que tudo vai ficar bem.

      Ou seja, a postura pragmática do nosso governo dizendo que houve golpe e ao mesmo tempo impedindo sanções que vão além da política, afinal está protegendo o Paraguai do assédio dos outros vizinhos mais radicais, e demonstra liderança.

      No meu entender, mais um crédito à D.Dilma.

      http://www.estadao.com.br/noticias/internacional,analise-reacao-do-brasil-privilegia-isolamento-do-paraguai,891963,0.htm

      • Enviado por: Mario Pw

        Silvio,

        o Itamaraty e por consequente a Dilma estavam preparados e dispostos a fazer sanções economicas e politicas. O povo paraguaio, que não foram às ruas, nos ajudou. Claro ….como é que se pode provar isto.

        João, obrigado.

        Por que voces não estão comentando na página nova ???? Clique no “Comentarios mais recentes” logo aí embaixo….antes de “Deixe um comentario”

    • Enviado por: Ferruccio

      O artigo do jornalida da Folha, Clovis Rossi, ajuda a entender qual a necessidade de dar um golpe nove meses antes das eleições.

      http://www1.folha.uol.com.br/colunas/clovisrossi/1110375-nove-meses-o-parto-do-golpe.shtml

      • Enviado por: Mario Pw

        Então é isso, a disputa pelo uso da máquina pública.

        Não tivemos e continuamos tendo o PT nisto?
        Independe de ideologias esquerdas ou direitas…
        Li uns meses atrás que tem um livro que é best seller lá na Grecia sobre a “cleptocracia”. Mas não estava ainda na lista do Amazon pois queria ler, acabei me esquecendo.
        Obrigado a voces.

  144. Enviado por: RONALDO GOMES FERREIRA

    Já tinha visto este vídeo há tempos atrás, masm so estou publicando hoje porque este fim de semana confirmei com um amigo, industrial da área de calçados (hoje ele tem uma fábrica na China), que ele é verdadeiro.
    http://www.youtube.com/watch?v=2yL7t0j_4tQ

    • Enviado por: Alexandre

      ”Animador”…..os comentarios do agente mais ainda….que mer…. :(

      • Enviado por: Mario Pw

        Agradeça ao Ronaldo que relembrou o que o Javier já nos alertou…..

        Voltando a história do óculos ?
        Sem brincadeiras, de verdade: voce já ganhou seu primeiro óculos de leitura ou multifocal ?

      • Enviado por: Javier Vidal

        PREZADO ALEIXANDRE:
        So, pra sua simformaçao.Hoxe e un de esos dias felices na UE.Tras cinco horas de durisimas negociaciones na sede do paralamento europeu en bruselas, Merkel, acosada por tudos pola sua absurda poilitca, nao tivo outro remedioa que ceder, como era logico, ante a presion dos seus socios,Francia, Espnha, Italia.O prestamo dos 62 bilhoes a a banca da Espanha serabn dados diretamente polo BCE, nao afetaran a deuda publica da ESpanha, ni seran avalados poR Espanha, tamen se abre a posibilidade de que el BCE ampare tuda a deuda europeia con os eurobonus ,como pasa en EEUU ou Brasil.Gracias a esta crise se porduce un avanze fundamantal na historia da UE.Esta mulher, que sacou do quicio a tudos, incluido o seu padrinho politico Kolh, ha perdido, ha feito o ridiculocon as suas egoistas teorias.Un enorme fracaso pra Merkel, un triunfo enorme pra Hollande, Monti (que al parecer lhe dixo a Merkel e o seu goberno catro coisas que os fixo calar, avergonhados)e Rajoy, que consigue , por unha vez, un triunfo moi boo pra Espanha.Unha mulher que nin siquera e capaz de situar Berlin nun mapa:

        http://ecodiario.eleconomista.es/europa/noticias/3999709/05/12/2/Angela-Merkel-situa-Berlin-mas-al-norte-de-la-cuenta-concretamente-en-Rusia.html

        Ou que, en plena recesion economica na Europa se sube o salario casi un 6%:

        http://www.levante-emv.com/internacional/2012/05/16/angela-merkel-ministros-suben-sueldo-57/905427.html

        Elogo ten a sinvergonha de falar de austeridade, sendo a mais endevidada da europa, nao merece siquera ni ser escoitada.
        Si a eso lhe anhadimos o triunfo de Obama, hasta que Rooney chegue a o poder , na reforma sanitaria de EEUU,E o ridiculo que fixo Alemania na semi final de futbol frente a “periferica” Italia,podemos decir que hoxe e un dia feliz, mais ou menos.¿Viu como Merkel nao ten tanto poder, nin e a que dirige a UE?.eRA O que eu lhe dixen sempre:Bruselas e a que manda, con o parlamento.Merkel agora ten que calar e punto, como di voçe.
        Saudos.

        • Enviado por: RONALDO GOMES FERREIRA

          Javier
          Estou, como você, extremamente contente com a resolução do impasse que deve proporcionar ao Euro a possibilidade de sobreviver a sua maior crise. Como já disse muitas vezes, considero o Euro uma ferramenta pacificadora do velho continente, pai e mãe dos povos que se espalharam pela América, embora com selvagem sacrifício das populações autóctones. O grande obstáculo que precisa ser vencido na Europa é um nacionalismo ultrapassado que ainda grassa na massa eleitoral, o que leva os políticos, que temem a reação dos eleitores, a caminhos contrários a necessidade de integração, que é um imperativo frente ao passado comum e ao futuro que desejam. A enorme resistência da França a exigência da Alemanha, de que os bancos sejam submetidos a uma fiscalização extra-nacional, para ceder o financiamento direto aos bancos, sob alegação de violação da soberania nacional, revela a pouca compreensão de que a Europa só tem um caminho para trilhar.
          O que mais me preocupa é que meus amigos nos países europeus estão saindo desta crise se enquadrando na dualidade vencido e vencedor, a pior receita para um continente que precisa apreender a abrir mão de parte da sua independência em favor de um futuro pacífico. É como se não tivessem aprendido nada ao analisar as sementes das quais brotaram os conflitos que grassaram pela Europa no passado. Os políticos reagem a sentimento de seu eleitorado e este sentimento é composto pelos milhões de Javiers. Ressentimento, sentir-se vencedor ou derrotado, é um péssimo começo para quem deseja paz e integração.
          Espero, sinceramente, que estes acontecimentos sinalizem um bom recomeço.
          Abraços

    • Enviado por: Fazendeiro

      É e ainda temos a famoso crescimento via crédito brasileiro, tudo balela.

    • Enviado por: silvio corrêa

      Ronaldo

      A impressão que tenho é que por enquanto a China pode construir, desmanchar e construir quantas cidades forem necessárias para manter seus cidadãos ocupados na construção civil, com salários miseráveis obviamente.

      Quanto a bolha, acho que a ótica ocidental de bolha não se aplica, simplesmente porque não há compradores ou cidadãos endividados.

      Mesmo a saúde financeira das empreiteiras privadas ou estatais, que nunca dá pra saber ao certo o que são, nos remete a olhar apenas a saude das contas de seus financiadores, no caso o Governo Chinês.

      É uma demostração de como uma ditadura faz que absurdos pareçam algo normal , reparou que os cidadãos são comedidos até para fazer uma simples reclamação. Essas pessoas desconhecem a Liberdade.

      • Enviado por: RONALDO GOMES FERREIRA

        Sílvio
        Tem razão, não dá para se falar em bolha imobiliária no mercado chinês, mas nunca vi, nem nas antigas grandes economias de planejamento central(olha a Dilma aí), desperdícios econômicos não serem punidos, nem que seja no futuro próximo, pelo esboroamento do sistema político que os empreendeu.
        Mas veja, os imóveis de luxo (caríssimos) vendidos na China, com financiamento bancário, são a garantia dos empréstimos concedidos. Quando há uma grande quantidade de imóveis disponíveis sem comprador ou arrendatário, como se manterá o valor dos imóveis que garantem os créditos? Em algum momento alguém terá que incorporar perdas em seu balanço. O problema vai demorar mais tempo para aparecer que nos EUA? É provável, mas que vai aparecer, Vai!

        • Enviado por: Javier Vidal

          PREZADO RONALDO
          E certo como di que aparantemente nao da pra ver unha bolha inmobiliaria na China…..oficialmente, pero si se sabe que ten activos, que en occidente chamariamos toxicos, valorados entre 3 e 4 bilhoes de euros, o mesmo que as reservas ouro que China ten atualmente.Aqui na Espanha tenho visto documentais de espanhois que visitaban cidades enormes, diseñadas pra un milhao de habitantes o mais…completamnte vazias.Na minha opiniao a ditadura oculta tudo esto, todos os gobernos de economia estatalizada os ocultan, e mais si sao ditaduras implacables que mienten e manipulan seguido, como fai o plitburo chines, formado por corruptos multimillonarios que lhes importa pouco o pobo chines, nao digamos.Na minha opinionao, mais cedo que tarde, China vai a reventar, vai ter gretas e fisuras economicas de tal tamanho, que o de Grecia sera unha brincadeira.China fica moito pior do que a gente acha, ten porblemas dunha gravedadde tremenda, con centos de milhoes de afectados.Confio moi pouco en China, eu acho que e tudo un bluf e que algun dia reventara.
          Saudos.

          • Enviado por: Alexandre

            Javier, va ate o comeco dos comentarios e clique em ‘comentarios mais frequentes’

    • Enviado por: Jr.

      Javier,
      O Blog do Kupfer criou outra página automaticamente onde estão expostos os últimos comentários. Para acessá-los, você deve clicar no link “Comentários mais recentes”. Para encontrar este link, desça mais um pouco e você vai vê-lo, logo acima do Texto “Deixe um Comentário”.
      Boa sorte no confronto com SuperMario Balotelli no domingo. Parece que o outro SuperMario (Monti) está se entendendo bem com o Rajoy e estão jogando no mesmo time.
      Lembrando ao Ronaldo que quem vem criando esse clima de tensão, disputa, polarização e acirramento dos ânimos na Europa, há dois anos, é Frau Merkel. Ela está apenas colhendo o que plantou.
      Abs.

    • Enviado por: Jr.

      Ronaldo,
      Obrigado. Como parece que você gosta de games, mandei também um link para o “SuperMario” no final da próxima página.
      Abs.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Twitter >>

Blogs do Estadão


Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo