1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Quem Faz

JOÃO BOSCO RABELLO está no jornalismo político desde 1977, em Brasília, onde participou da cobertura do período que vai da abertura do regime militar à Assembléia Nacional Constituinte de 88, passando pela redemocratização, com a eleição e morte de Tancredo Neves, o primeiro governo civil, de José Sarney e os que o sucederam.

Iniciou sua carreira em 1974, no extinto Diário de Notícias, no Rio de Janeiro (RJ). Transferiu-se para Brasília (DF), em 1977, onde alternou as funções de repórter político,coordenador, editor e diretor de sucursal, no Correio Braziliense, Empresa Brasileira de Notícias, O Globo, Jornal do Brasil e o Estado de S.Paulo (1990/2013), nessa ordem.

É responsável também pelo conteúdo de análise política do serviço em tempo real Broadcast, da Agência Estado.

terça-feira 01/07/14

Aécio consegue unidade e se fortalece no sul e sudeste

Encerradas as convenções partidárias, que não apresentaram surpresas do lado do PT, tem-se um quadro de resgate da unidade partidária do PSDB, que esteve ameaçada na fase de negociações no principal colégio eleitoral, São Paulo. O senador Aécio Neves logrou conquistar o que talvez fosse sua principal meta, um arco de alianças que fortalece sua

Ler post
terça-feira 03/06/14

Economia, ainda o maior obstáculo de Dilma

Considerada a improbabilidade de as CPIs da Petrobrás produzirem  alguma informação nova relevante – uma por blindagem do governo, outra, por absoluta falta de tempo -, a economia continua se impondo como a grande adversária da presidente Dilma Rousseff. A rigor, não deixou de ser desde que a inflação  consolidou um quadro econômico que já

Ler post
quarta-feira 21/05/14

Indice baixo de Dilma desmobiliza militâncias e afeta alianças regionais

Os índices descendentes de aprovação da presidente Dilma Rousseff cuidam de ampliar a distância entre os acordos regionais e a aliança nacional, no vácuo produzido pelo fim da verticalização nas eleições. A bola da vez, agora, é Santa Catarina, onde o governador Raimundo Colombo, que construiu uma parceria sólida com a presidente, foi apresentado a

Ler post
quarta-feira 26/06/13

Crise coincide com avaliações ruins de governos petistas

A onda de manifestações que tomou as ruas do País coincide com um mau momento das administrações petistas. Internamente, a cúpula petista ainda não digeriu o tropeço do presidente Rui Falcão, que convocou a militância para se unir aos manifestantes nos protestos. Bandeiras vermelhas foram queimadas e militantes expulsos das passeatas. No plano regional, o

Ler post
quarta-feira 10/10/12

Delinqüência financiou projeto hegemônico do PT, a síntese de Mello

Novamente é o voto do decano Celso de Mello que oferece uma das melhores sínteses entre tantas positivas produzidas no curso do julgamento do mensalão até agora. Possivelmente o que define com mais propriedade o esquema reconhecido e condenado pela Corte. Que chamou de “macrodelinquência governamental”. Segundo Mello, trata-se do uso abusivo do Estado ,

Ler post
quarta-feira 23/12/09

Menos ministro, menos

Manter a liturgia do cargo cria vertigem nos ministros-candidatos. Foto: André Dusek/AE

Não há mais como separar o ministro da Justiça do candidato Tarso Genro depois do discurso de ontem no qual critica duramente a decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ) de sustar o processo contra o banqueiro Daniel Dantas. Menos pelo mérito de sua declaração e mais pela incompatibilidade com o cargo que exerce. A ressalva

Ler post