1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Quem Faz

JOÃO BOSCO RABELLO está no jornalismo político desde 1977, em Brasília, onde participou da cobertura do período que vai da abertura do regime militar à Assembléia Nacional Constituinte de 88, passando pela redemocratização, com a eleição e morte de Tancredo Neves, o primeiro governo civil, de José Sarney e os que o sucederam.

Iniciou sua carreira em 1974, no extinto Diário de Notícias, no Rio de Janeiro (RJ). Transferiu-se para Brasília (DF), em 1977, onde alternou as funções de repórter político,coordenador, editor e diretor de sucursal, no Correio Braziliense, Empresa Brasileira de Notícias, O Globo, Jornal do Brasil e o Estado de S.Paulo (1990/2013), nessa ordem.

É responsável também pelo conteúdo de análise política do serviço em tempo real Broadcast, da Agência Estado.

terça-feira 15/07/14

Licitação com a “contratação integrada” volta à pauta do Senado

A pauta do esforço concentrado do Senado para o período que começa hoje e vai até quinta-feira, reintroduz a discussão em torno do projeto que revisa a Lei 8666/93, relativa às normas para licitações e contratos da administração pública. O artigo 76 do texto, centraliza a polêmica “contratação integrada”, modalidade em que o contratante transfere

Ler post
terça-feira 03/06/14

Economia, ainda o maior obstáculo de Dilma

Considerada a improbabilidade de as CPIs da Petrobrás produzirem  alguma informação nova relevante – uma por blindagem do governo, outra, por absoluta falta de tempo -, a economia continua se impondo como a grande adversária da presidente Dilma Rousseff. A rigor, não deixou de ser desde que a inflação  consolidou um quadro econômico que já

Ler post
terça-feira 13/05/14

Ampliação do RDC gera reação de arquitetos, engenheiros e urbanistas

O Senado deverá votar na próxima semana a MP 630/13, que amplia o Regime Diferenciado de Contratação (RDC), estendendo-o a qualquer obra pública. Na prática, a medida revoga a Lei de Licitações, a partir de uma exceção feita para acelerar as obras da Copa do Mundo e das olimpíadas, depois estendida ao PAC e, agora,

Ler post
quarta-feira 23/04/14

Vargas só dá ao PT a opção de expulsá-lo

A novela em que se transformou a questão envolvendo a cassação ou renúncia do deputado André Vargas (PT-PR), ex-vice-presidente da Câmara, é uma sangria que corre ao mesmo tempo de outro enredo desgastante para o governo, o da CPI da Petrobrás. Vargas desafia abertamente seu partido, que hesita em expulsá-lo, mas protela seu julgamento no

Ler post
quarta-feira 09/04/14

Vargas é ameaça mais imediata que a CPI

De forma imediata, a situação do deputado Andre Vargas (PT-PR), é ameaça maior ao governo do que a CPI da Petrobrás. Até porque, a ligação com o doleiro Alberto Yousseff, que se sabe agora, íntima, liga  o vice-presidente licenciado da Câmara à empresa que a oposição pretende investigada. O governo já sabe – talvez soubesse

Ler post
sexta-feira 14/03/14

Se sair do ministério destino de Ideli deverá ser o TCU

Se não constar de nenhuma das movimentações produzidas pela reforma ministerial – chegou a ser cotada para a Secretaria de Direitos Humanos ou da Mulher -, a ministra da Articulação, Ideli Salvati deverá ter a sua indicação para o Tribunal de Contas da União (TCU) confirmada pela presidente Dilma Rousseff. O ciclo de Ideli na

Ler post
terça-feira 21/01/14

Reforma ajusta ações de governo às de campanha

A rigor, reforma ministerial é aquela empreendida para redirecionar rumos, por imposições políticas ou de aprimoramento da gestão de programas e de eficiência da estrutura – ou ambas. No caso presente, em que a presidente Dilma promove a substituição de nove ministros que disputarão as eleições, prevalece o objetivo político de ajustar a máquina à

Ler post
segunda-feira 20/01/14

Com Lula, rodada final da reforma

A reunião com o ex-presidente Lula hoje, no Alvorada, indica que a presidente Dilma Rousseff viaja a Davos, depois de amanhã, com a reforma ministerial fechada. É reservada ao antecessor a rodada final que decide as mudanças ministeriais determinadas pelas eleições deste ano, impostas pela saída de ministros-candidatos. Desde que o declínio dos seus índices

Ler post