1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Quem Faz

JOÃO BOSCO RABELLO está no jornalismo político desde 1977, em Brasília, onde participou da cobertura do período que vai da abertura do regime militar à Assembléia Nacional Constituinte de 88, passando pela redemocratização, com a eleição e morte de Tancredo Neves, o primeiro governo civil, de José Sarney e os que o sucederam.

Iniciou sua carreira em 1974, no extinto Diário de Notícias, no Rio de Janeiro (RJ). Transferiu-se para Brasília (DF), em 1977, onde alternou as funções de repórter político,coordenador, editor e diretor de sucursal, no Correio Braziliense, Empresa Brasileira de Notícias, O Globo, Jornal do Brasil e o Estado de S.Paulo (1990/2013), nessa ordem.

É responsável também pelo conteúdo de análise política do serviço em tempo real Broadcast, da Agência Estado.

segunda-feira 27/01/14

PT perdeu capital econômico e político

Desconsiderada a dissimulação legítima em ano eleitoral, o PT já absorveu o segundo turno como realidade, o que está plenamente demonstrado nas manifestações de autocrítica feitas, simultaneamente, para públicos distintos e antagônicos. O mundo capitalista foi o ambiente  para a presidente Dilma Rousseff; o da militância, para Gilberto Carvalho, Secretário-Geral da Presidência  e homem de

Ler post
quarta-feira 20/11/13

Erro de forma, não de mérito

Não parece haver dúvida quanto ao erro de procedimento em relação ao deputado José Genoíno, cujo estado de saúde era notório bem antes da conclusão do julgamento do mensalão pelo Supremo Tribunal Federal. Genoino se submeteu a uma cirurgia delicada que o credencia ao cumprimento da pena em condições de segurança que não ameacem sua

Ler post
quinta-feira 10/10/13

Afirmação de liderança de Marina fragiliza aliança

O governador Eduardo Campos cumpre o papel de vender a unidade de propósitos entre seu partido, o PSB, real e registrado, e a Rede, de Marina Silva, que permanece um projeto ao qual ela não renunciará. Faz parte dessa defesa a veemência empregada para garantir o aval de ambos à aliança recém firmada, onde se

Ler post
terça-feira 20/08/13

Campanha da JBS e troca na agricultura irritam ruralistas

Dois episódios voltam a acirrar os ânimos da bancada ruralista no Congresso contra o governo: a nomeação do advogado Rodrigo Figueiredo para a Secretaria de Defesa Agropecuária (DAS), do Ministério da Agricultura, e o uso do financiamento do BNDES ao grupo JBS-Friboi, no valor de R$ 7 bilhões, para uma estratégia, segundo a Confederação Nacional

Ler post
terça-feira 16/04/13

Articulação de Campos por novo partido revela determinação pela candidatura

No dia em que o plenário da Câmara dos Deputados prepara-se para votar o projeto de lei que barra a transferência do tempo de televisão e do fundo partidário aos novos partidos, o governador de Pernambuco, Eduardo Campos – presidenciável do PSB – desembarcou em Brasília para comandar as articulações contra a proposta.  PMDB e

Ler post
segunda-feira 10/12/12

“Aloprados” com DAS e Poder

Se comparadas as informações da Polícia Federal sobre a ex-chefe de Gabinete da Presidência da República, Rosemary Noronha, e seus cúmplices na máquina pública, com as declarações dos porta-vozes do governo e do PT, conclui-se que o país desconhecia um novo tipo de “aloprado” – aquele com DAS, cargo estratégico e  intimidade com o Poder.

Ler post
sábado 18/02/12

Aloysio Nunes cobra regras para greve no serviço público

Em meio às paralisações dos policiais militares na Bahia e no Rio de Janeiro, que colocaram em risco a segurança durante o Carnaval, o senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP) cobrou da presidente Dilma Rousseff a edição de um decreto implantando no Brasil as normas da Organização Internacional do Trabalho (OIT) sobre direito de greve do

Ler post
terça-feira 04/01/11

Ausência de Lula tira limites do PT

Por enquanto, Dilma autoriza dúvidas sobre seu controle nas negociações. Foto: Divulgação Não é alvissareira a estréia do deputado Luis Sérgio (PT-RJ) como coordenador político do governo no cargo de ministro das Relações Institucionais. Negar a crise entre seu partido e o PMDB na disputa por cargos é tapar o sol com a peneira. O

Ler post
sábado 01/01/11

A política na Casa Civil

Descontado o curto período de José Dirceu, atropelado pelo escândalo do mensalão, a Casa Civil volta a ter função política depois de 16 anos de gestão técnica. Clóvis Carvalho e Pedro Parente, no governo FHC, e Dilma Rousseff, na maior parte do governo Lula, foram importantes no contexto interno, coordenando as ações e facilitando as

Ler post