1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Quem Faz

JOÃO BOSCO RABELLO está no jornalismo político desde 1977, em Brasília, onde participou da cobertura do período que vai da abertura do regime militar à Assembléia Nacional Constituinte de 88, passando pela redemocratização, com a eleição e morte de Tancredo Neves, o primeiro governo civil, de José Sarney e os que o sucederam.

Iniciou sua carreira em 1974, no extinto Diário de Notícias, no Rio de Janeiro (RJ). Transferiu-se para Brasília (DF), em 1977, onde alternou as funções de repórter político,coordenador, editor e diretor de sucursal, no Correio Braziliense, Empresa Brasileira de Notícias, O Globo, Jornal do Brasil e o Estado de S.Paulo (1990/2013), nessa ordem.

É responsável também pelo conteúdo de análise política do serviço em tempo real Broadcast, da Agência Estado.

domingo 01/05/11

PT quer mais com Dilma

A eleição de Rui Falcão para a presidência do PT remete ao que previra seu principal cabo eleitoral, José Dirceu: de que o governo Dilma Rousseff seria o verdadeiro governo do partido. A frase, proferida ano passado a uma platéia de sindicalistas, embutia, a um só tempo, duas avaliações: que Lula governava com indesejável independência

Ler post
terça-feira 26/04/11

Requião, um surto programado para não responder sobre dupla remuneração

Mais que a agressão ao repórter pelo senador Roberto Requião (PMDB-PR), assusta o elogio que mereceu do presidente do senado, José Sarney (PMDB-AP) pelo feito. “Trata-se de um cavalheiro”. De Requião nada surpreende – sua biografia não registra méritos políticos ou administrativos, só escândalos do gênero. Sua  gestão no governo do Paraná foi caracterizada por

Ler post