1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Quem Faz

JOÃO BOSCO RABELLO está no jornalismo político desde 1977, em Brasília, onde participou da cobertura do período que vai da abertura do regime militar à Assembléia Nacional Constituinte de 88, passando pela redemocratização, com a eleição e morte de Tancredo Neves, o primeiro governo civil, de José Sarney e os que o sucederam.

Iniciou sua carreira em 1974, no extinto Diário de Notícias, no Rio de Janeiro (RJ). Transferiu-se para Brasília (DF), em 1977, onde alternou as funções de repórter político,coordenador, editor e diretor de sucursal, no Correio Braziliense, Empresa Brasileira de Notícias, O Globo, Jornal do Brasil e o Estado de S.Paulo (1990/2013), nessa ordem.

É responsável também pelo conteúdo de análise política do serviço em tempo real Broadcast, da Agência Estado.

terça-feira 30/10/12

Contrato do DF com Cingapura ganha ares de escândalo e bancada rompe com Agnelo

O contrato entre o Governo do Distrito Federal (GDF) e a empresa de Cingapura Jurong Consultants, para pensar Brasília nos próximos 50 anos, está tomando a forma de escândalo diante da determinação do governador Agnelo Queiroz (PT) de não explicar a iniciativa. Não explica, não mostra o contrato e chama de obscurantistas os parlamentares da bancada federal do DF que cobram transparência em relação ao assunto. Essa postura já produziu a ruptura de oito parlamentares da bancada federal com o governador. Um ...

Ler post
domingo 28/10/12

PSB prepara candidatura própria em 2014 também no DF

Eleições municipais não são afetadas pelo xadrez político federal, como os resultados até aqui reafirmam. Se há um dado que parece incontestável é que os prefeitos cujas gestões estavam bem avaliadas conseguiram a reeleição. Exceções a essa regra são poucas e certamente encontram explicação no apoio de governadores bem avaliados. Onde esteve insatisfeito, o eleitor escolheu novas lideranças ou, à falta delas, convocou antigas que condenara ao purgatório, para mais uma chance, caso de Aracaju, por exemplo, onde o veterano João ...

Ler post
quarta-feira 24/10/12

Contrato com Cingapura abre crise entre PT e PSB no DF

rollemberg_Waldemir Barreto_Ag Senado_22102012 600

Um contrato entre o Governo do Distrito Federal e uma empresa de Cingapura, tratado aqui neste blog há dias como um “negócio da China”, está em vias de se tornar o estopim do rompimento entre PSB e PT na Capital. O senador Rodrigo Rollemberg (PSB) não consegue acesso ao contrato, apesar de ter encaminhado requisição de uma cópia, em conjunto com o senador Cristóvam Buarque, desde o dia 9 de outubro. Ao cobrar publicamente esclarecimentos a respeito, obteve como resposta uma ...

Ler post
segunda-feira 22/10/12

Presidente do INSS caiu por má gestão, sustenta relatório

Um relatório de Gestão do Ministério da Previdência Social sugere que o ex-presidente do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) Mauro Hauschild, demitido na semana passada, não caiu por motivação política, e, sim, por incapacidade gerencial. Hauschild, filiado ao PT, entregou o cargo na última quinta-feira (18) e será substituído por um nome indicado pelo PMDB: Lindolfo Sales, chefe de gabinete do ministro da Previdência, Garibaldi Alves (PMDB).

Os indicadores de avaliação da autarquia indicam que, em linhas gerais, houve uma piora dos números sob a gestão de Hauschild. “Havia ali um foco de retrocesso”, afirma uma fonte do governo. Uma reunião de avaliação da gestão do INSS ocorrida em maio na Casa Civil chegou a traçar um plano de emergência para a autarquia, que não se viabilizou.

Embora, por si só, não descartem eventual motivação política, os números são fortes para respaldar a negativa do governo. O documento sustenta que o tempo médio de espera por atendimento no órgão que era de 15 dias em dezembro de 2010 subiu para 28 dias em agosto de 2012, com picos de até um mês. Outro indicador negativo é o agendamento das perícias médicas.

O relatório gerencial afirma que o tempo de espera pelas perícias – que era de dez dias, em média, em janeiro de 2011 – , triplicou, chegando a 35 dias em agosto de 2012. Além disso, Hauschild teria desfalcado a equipe de perícias, ao indicar médicos para assumir superintendências do INSS nos Estados. Houve substituições no Ceará, Rio Grande do Norte, Alagoas, Pernambuco e Bahia.

Ontem Garibaldi Alves refutou as especulações de que a demissão de Hauschild teria motivação política, em troca do apoio de Gabriel Chalita (PMDB) ao candidato do PT à Prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad.

Podia parar aqui o ministro, sem a ênfase seguinte, que é de fazer rir: “Essa vaga sempre foi do PMDB. Nem sabia que esse rapaz era do PT…”

 

Ler post
sexta-feira 19/10/12

Lula faz campanha para quem chamou de bandido

Em troca do apoio do PDT nacional a Fernando Haddad em São Paulo, o ex-presidente Lula gravou uma declaração de apoio ao prefeito de Macapá, Roberto Góes (PDT), candidato à reeleição. Preso na Operação Mãos Limpas da Polícia Federal, em 2010, Góes passou dois meses na Penitenciária da Papuda em Brasília. No primeiro turno, Lula não se manifestou sobre a campanha no Amapá. Agora, entretanto, ofereceu-se para uma missão espinhosa, que até o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP) – antigo ...

Ler post
sexta-feira 19/10/12

GDF rebate críticas ao projeto Cingapura

Do Porta-Voz  Ugo Braga, recebi a carta abaixo sobre o acordo do Governo do Distrito Federal com o governo de Cingapura, em resposta a post sobre o tema publicado ontem. Prezado Jornalista "Seu questionamento a respeito do contrato se dá, basicamente, em duas vertentes: a falta de licitação e o fato de terem sido contratados lá, havendo "similar por aqui". 

 Além de o contrato envolver dois governos, há o princípio da singularidade do serviço. Ou seja, o que os cingapurianos farão aqui, um ...

Ler post
quarta-feira 10/10/12

Delinqüência financiou projeto hegemônico do PT, a síntese de Mello

Novamente é o voto do decano Celso de Mello que oferece uma das melhores sínteses entre tantas positivas produzidas no curso do julgamento do mensalão até agora. Possivelmente o que define com mais propriedade o esquema reconhecido e condenado pela Corte. Que chamou de "macrodelinquência governamental". Segundo Mello, trata-se do uso abusivo do Estado , pelo partido nele investido, para a construção de um projeto de poder. Definição precisa que não só explica o volume de dinheiro movimentado pelo mensalão do ...

Ler post
segunda-feira 08/10/12

CPI investiga dono de cheque de R$ 1,9 milhão de Cachoeira

cheque2

Documentos recebidos pela CPI do Cachoeira, decorrentes da quebra de sigilos bancários, revelam um novo personagem ligado à organização criminosa do empresário Carlos Augusto de Almeida Ramos. Trata-se do fiscal aposentado da Receita Federal Eurípedes Nunes da Costa, responsável pela movimentação de valores milionários da quadrilha. Ele seria o portador de um cheque de quase R$ 2 milhões, que num dos diálogos interceptados pela Polícia Federal, Cachoeira tenta reaver. Numa conversa flagrada em 24 de fevereiro de 2010, Cachoeira pede a ...

Ler post
sábado 06/10/12

Decisão polêmica ameaça ficha de Lindbergh

Uma decisão do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, condenando o senador Lindbergh Farias (PT-RJ) por improbidade administrativa, ameaça a ficha limpa do parlamentar e seu futuro político. Pré-candidato declarado ao governo do Rio de Janeiro em 2014, o petista corre contra o tempo para reverter a sentença da 10ª Câmara Cível do tribunal. Se o recurso não for acolhido até a última instância – o Supremo Tribunal Federal -, o petista estará impedido de concorrer pela Lei da ...

Ler post