1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Quem Faz

JOÃO BOSCO RABELLO está no jornalismo político desde 1977, em Brasília, onde participou da cobertura do período que vai da abertura do regime militar à Assembléia Nacional Constituinte de 88, passando pela redemocratização, com a eleição e morte de Tancredo Neves, o primeiro governo civil, de José Sarney e os que o sucederam.

Iniciou sua carreira em 1974, no extinto Diário de Notícias, no Rio de Janeiro (RJ). Transferiu-se para Brasília (DF), em 1977, onde alternou as funções de repórter político,coordenador, editor e diretor de sucursal, no Correio Braziliense, Empresa Brasileira de Notícias, O Globo, Jornal do Brasil e o Estado de S.Paulo (1990/2013), nessa ordem.

É responsável também pelo conteúdo de análise política do serviço em tempo real Broadcast, da Agência Estado.

quinta-feira 28/06/12

Justiça livra José Guimarães de investigação dos dólares na cueca

jose guimaraes_div3

  Sete anos depois – e às vésperas do julgamento do mensalão – o Superior Tribunal de Justiça (STJ) livrou o vice-líder do governo, deputado José Guimarães (PT-CE), da acusação de envolvimento no episódio em que um assessor dele, José Adalberto Vieira, foi preso no Aeroporto de Congonhas em São Paulo com US$ 100 mil escondidos na cueca, e mais R$ 209 mil numa maleta de mão, quando embarcava para Fortaleza. O fato ...

Ler post
quarta-feira 27/06/12

Braga fica líder do governo e ganha apoio do PT em Manaus

A angústia do senador Eduardo Braga (PMDB-AM) com a eleição para a prefeitura de Manaus, acabou empurrando a presidente Dilma Rousseff para uma ação política pessoal, rara em seu currículo de gestora. Pressionado pelo risco de aliança entre o ex-senador Arthur Virgílio e o atual prefeito Amazonino Mendes, do PDT, e vendo seu aliado, o governador Omar Aziz (PSD), insistir no apoio à deputada Rebecca Garcia, do PP, Braga estava decidido a deixar a liderança do governo e lançar-se, ele ...

Ler post
quarta-feira 27/06/12

Eduardo Braga anuncia decisão sobre candidatura em Manaus

O líder do governo no Senado, Eduardo Braga (PMDB-AM), comunica logo mais, às 10h30, à presidente Dilma Rousseff, sua decisão sobre a candidatura a prefeito de Manaus. Se sair candidato, ele cogita acumular a empreitada com a liderança do governo, alegando que as eleições esvaziam o Congresso e quase não haverá votações. Mas isso dependerá do aval de Dilma. Mais tarde, às 16 horas, ele sobe à tribuna do Senado para anunciar a decisão. Qualquer antecipação sobre o destino de Braga ...

Ler post
terça-feira 26/06/12

TJ afasta presidente e primeiro-secretário da Assembleia do Amapá

O Tribunal de Justiça do Amapá determinou hoje (26) o afastamento do presidente da Assembleia Legislativa, deputado Moisés de Souza (PSC), e do primeiro-secretário, Edinho Duarte (PP), dos respectivos cargos. A desembargadora Sueli Pini acolheu pedido do Ministério Público, que investiga a farra dos deputados com a verba indenizatória de R$ 100 mil, revelada em reportagem do Estado publicada na última quarta-feira (20). A coluna “Direto de Brasília” teve acesso a documentos inéditos obtidos pelo Ministério Público por meio da Operação Eclésia, que investiga o uso de notas fiscais frias e esquema de lavagem de dinheiro para justificar as despesas do mandato com aluguel de carros, combustíveis e viagens.

Na decisão, a desembargadora também determina que Moisés e Edinho deixem de exercer atos inerentes aos seus cargos, “notadamente a ordenação de despesas” e os impede de adentrar as dependências administrativas da Assembleia, como o gabinete da presidência e de secretarias, como a de “Orçamento e Finanças”. Eles poderão, contudo, frequentar as sessões plenárias e receber os salários.

“Em face da gravidade dos fatos narrados e publicamente noticiados na mídia local e nacional, notadamente pela suposta retirada de valores vultosos diretamente no caixa (…), entendo necessário impedir que os representados permaneçam no exercício de suas funções, máxime como ordenadores de despesas e no gerenciamento de verbas públicas, sobretudo, por quem adquiriu do povo a responsabilidade de por elas atuar com zelo, probidade, impessoalidade e, principalmente, moralidade”, diz a desembargadora em sua decisão.

Por meio de sua assessoria, Moisés de Souza divulgou uma nota afirmando que ainda não foi notificado oficialmente da decisão do Tribunal de Justiça. Acrescenta que se trata de uma decisão individual, e que após a devida notificação, vai recorrer da decisão ao plenário do Tribunal, “expondo os equívocos da deliberação”.

A reportagem do Estado mostrou que Moisés de Souza tinha gastos elevados com o aluguel de carros (R$ 51 mil mensais) e emissão de bilhetes aéreos (R$ 34 mil mensais), sem especificação do destino nem dos passageiros. Já o deputado Edinho Duarte gastou R$ 20 mil com canetas, pastas e toner. A quebra do sigilo bancário da Assembleia revelou, ainda, que somente com o pagamento de diárias de viagens a Casa gastou R$ 3,423 milhões em 2011. Em um dia, um parlamentar recebeu uma diária no valor de R$ 84,3 mil. Um ofício do Banco do Brasil revelou que um funcionário da Assembleia sacou mais de R$ 3 milhões, em dinheiro vivo, diretamente da conta da instituição.

 

Ler post
terça-feira 26/06/12

Revisor ou relator?

Com a entrega há pouco do seu parecer, o ministro Ricardo Lewandovski encerra teoricamente mais uma episódio em que o Supremo Tribunal Federal ficou exposto negativamente. Menos mal que, apesar dos pesares, o ministro não estendeu o debate e nem o prazo de seu texto final. Em que pese a dramaticidade com que descreveu seu trabalho, ao justificar a irritação com as cobranças, ao ministro Lewandovski não soa lícito reclamar de pressão: o mensalão é um processo que tramita há cinco  anos ...

Ler post
segunda-feira 25/06/12

PT reforça tropa de choque na CPI e PMDB esvazia bancada

O PT reforçou a bancada na CPI do Cachoeira, substituindo o deputado Sibá Machado (AC) pelo presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), deputado Ricardo Berzoini (SP). Berzoini é ex-presidente do PT, integrante do Diretório Nacional e um dos nomes de projeção da legenda. Na direção contrária, o PMDB mantém a bancada esvaziada na comissão. O líder do PMDB, senador Renan Calheiros (AL), segue indiferente aos apelos do governo para preencher, com pesos pesados, as quatro vagas de suplentes na ...

Ler post
quarta-feira 13/06/12

Sigilos da Delta podem abrir novo ciclo da CPI

Os depoimentos dos governadores Marconi Perillo (PSDB) e Agnelo Queiroz (PT), de Goiás e Brasília respectivamente, são a face da CPI do Cachoeira como idealizada pelo ex-presidente Lula: um palanque pré-eleitoral destinado a produzir vítimas na oposição e impedir que o PT caminhe na campanha municipal como único réu político,  julgado pelo mensalão. Nesse contexto, importa menos uma conclusão da CPI sobre os depoimentos e muito mais o desgaste de imagem imposto aos depoentes que, mesmo saindo-se bem dos longos interrogatórios, ...

Ler post
terça-feira 12/06/12

Agnelo pede proteção ao PMDB

Preocupado com o depoimento agendado para amanhã na CPI do Cachoeira, o governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz, do PT, foi buscar blindagem junto ao PMDB. O vice-presidente Michel Temer recebeu Agnelo ontem, tarde da noite, no Palácio do Jaburu para ouvir as explicações do petista. Eram mais de 23 horas quando Temer, cansado, após chegar de um evento da Rio + 20, recebeu o petista. O encontro foi intermediado pelo vice-governador do Distrito Federal, Tadeu Filipelli (PMDB), uma das supostas vítimas ...

Ler post
segunda-feira 11/06/12

A incômoda indiscrição de Mendes Ribeiro

O desmoralizante desmentido oficial ao ministro da Agricultura, Mendes Ribeiro, desnuda a estratégia da presidente Dilma Rousseff de voltar a negociar o Código Florestal, em bases bem menos radicais, após a Rio+20. A irritação do Planalto foi muito mais pela indiscrição de Mendes do que pelo conteúdo de sua declaração. Afinal, o que o ministro disse é o que já se intuía desde a edição da Medida Provisória com a qual o governo ganhou tempo para conter a pressão ambientalista às ...

Ler post