1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Rodízio ampliado: legado da Copa?

Camila Tuchlinski

sexta-feira 27/06/14

17 de junho. Às 15h10, o índice de congestionamento da CET registrou 300km de lentidão. Faltavam apenas 50 minutos para a partida entre Brasil e México, na primeira fase da Copa do Mundo. Fui vítima desse congestionamento. No trajeto de casa para o trabalho, em que costumo fazer em 25 minutos de carro, levei duas [...]

17 de junho. Às 15h10, o índice de congestionamento da CET registrou 300km de lentidão. Faltavam apenas 50 minutos para a partida entre Brasil e México, na primeira fase da Copa do Mundo. Fui vítima desse congestionamento. No trajeto de casa para o trabalho, em que costumo fazer em 25 minutos de carro, levei duas horas. De onde surgiram tantos carros? Aí me toquei que funcionários de vááárias empresas foram liberados depois do meio-dia para assistir a grande partida em casa! ‘Êêêê, Brasil…’, pensei e até dei risada.

Uma semana depois: Brasil X Camarões. Os ‘futebolistas de plantão’ diziam que era partida ganha para a seleção…menos para os motoristas com carros de placas finais 1 e 2, que nem ligaram o motor. Bem que o prefeito tentou decretar feriado em São Paulo, mas os vereadores não compareceram à Câmara para votar o projeto, logo, foi rejeitado. Fernando Haddad decidiu ampliar o rodízio de veículos para o dia inteiro, das 7h às 20h. O anúncio foi feito de maneira sistemáticas nas rádios da cidade ao longo do feriado de Corpus Christi. Ao que tudo indica, funcionou. Na hora do jogo, as ruas ficaram vazias. Inclusive as cadeiras dos nobres vereadores da capital paulista (sim, os que não reuniram quórum para votar sobre o feriado, lembra?).

Com menos de um dia de antecedência, a prefeitura decidiu pelo ‘repeteco’ da restrição ampliada nesta quinta, 26. Jogo do Brasil? Não. A partida foi entre Coreia e Bélgica. O palco: Arena Corinthians. Sério, qual a possibilidade de um congestionamento de 300km? O paulistano não sentiu reflexos no trânsito, mas aqueles que usaram o metrô, principal transporte para os turistas que vão ao estádio na zona Leste, pegaram vagões lotados. Como se não bastasse, o Expresso Copa ficou paralisado pouco antes do fim da partida. Às 21h, torcedores belgas tomaram as plataformas.

Considerando o ‘sucesso’ da decisão, o secretário municipal de Transportes, Jilmar Tatto, declarou, em entrevista à Rádio Estadão, que a prefeitura estuda manter a ampliação do rodízio todos os dias. Além disso, pode aumentar para quatro o número de placas restritas. Antes que tal declaração pudesse irritar mais a população, no mesmo dia, Fernando Haddad garantiu: ‘Não tenho essa pretensão. Tomamos essa medida depois que a Câmara recusou a possibilidade de feriado. Nosso foco hoje é a Copa’. Acho que alguém deve ter levado bronca depois.

Tem um dado interessante na página da CET na internet: http://cetsp1.cetsp.com.br/institucional/rodizio/default.asp. Nunca antes na história dessa cidade havia sido ampliado rodízio para o dia inteiro. A restrição foi implantada em 1997 e, na Copa do Mundo de 2010 na África do Sul, o rodízio foi suspenso em dias de jogos do Brasil!

Bom, como a medida parece ter sido uma boa ideia para quem administra a cidade, isso vai se repetir. O mais hilário é lembrar da estreia da seleção no Itaquerão e a CET não ter registrado recorde de congestionamento naquele dia, uma singela quinta-feira…ah, mas era feriado, é verdade. Havia esquecido. Oh, o rodízio foi suspenso naquele dia. É mesmo! Esse trânsito nos prega cada peça, não é?