ir para o conteúdo
 • 

Herton Escobar

26.outubro.2009 11:23:37

COMER É NATURAL


FOTO: JOOST DANIELS – Polvo entocado entre corais

Ontem eu estava num restaurante japonês com minha mulher e ela disse (brincando) que eu não deveria comer polvo.

Motivo: Eu adoro polvos! Sou fascinado por eles. Acho que são animais fantásticos, capazes de se espremer por frestas minúsculas e mudar a cor (e a textura) de sua pele instantaneamente para se camuflar no fundo do mar. E são extremamente inteligentes também.

Isso significa que eu não deveria comê-los? É algo para se pensar…. A mesma pergunta, é claro, pode ser feita para vacas, galinhas, porcos, peixes, camarões e todos os outros animais que fazem parte da nossa alimentação diária.

Hoje em dia é muito fácil esquecer (ou nunca se dar conta) de que aquele hambúrguer de picanha, aquele peito de frango ou aquele sashimi de atum que você põe na boca e manda para dentro do estômago veio de um animal que um dia nasceu, cresceu, se alimentou, caminhou e nadou sobre a Terra. Estamos comendo partes de animais mortos!

Tenho também uma sobrinha de 10 anos que é vegetariana. Perguntei a ela a razão e ela me disse que era porque achava “nojento”.

Pensando bem, é meio nojento mesmo. Devorar um espetinho de coração de galinha não é exatamente a coisa mais graciosa do mundo. Nem roer a carne de um osso de costela gordurosa. Mas pense bem: isso é o que todos os animais fazem na natureza – comer outros seres vivos.

Tão fácil quanto esquecer que estamos comendo partes de animais é esquecer que nós somos animais também. Por mais “civilizados” que tenhamos nos tornado, continuamos fazendo parte da cadeia alimentar. Aliás, estamos no topo dela! Somos o maior predador de todos os tempos! Somos animais onívoros – comemos de tudo, animais e vegetais. O que cair na rede é peixe.

Quando você vai a uma churrascaria, está fazendo exatamente a mesma coisa que um leão faz quando abate uma gazela na savana africana. É um carnívoro devorando um herbívoro. Assim como quando você masca uma folha de alface ou de agrião não está fazendo nada diferente do que um cavalo ou uma vaca faz pastando no campo. É um herbívoro devorando uma planta. O fato de nos sentarmos à mesa e usarmos talheres não muda o princípio da coisa.

Há muitas pessoas que optam por ser vegetarianas por questões morais. Outras estão deixando de comer carne para não contribuir com o desmatamento da Amazônia (que é causado principalmente pela pecuária). Não vejo nada de errado com isso. Cada um vive a vida do jeito que quiser, desde que não prejudique os outros.

Estou apenas dizendo que é natural comermos outros animais, do ponto de vista biológico/evolutivo. (sem, com isso, ignorar os impactos ambientais, sociais e até éticos que essa cadeia alimentar pode acarretar)

Minha admiração pelos polvos não vai me impedir de devorá-los. Mas é algo para se refletir.

comentários (74) | comente

  • A + A -
74 Comentários Comente também
  • 26/10/2009 - 20:32
    Enviado por: vitor

    não é tão natural nós humanos comer carne.
    ainda mais todo dia como se faz hoje.
    um homem das cavernas não conseguia e nem pretendia caçar todos os dias. nosso corpo evoluiu comendo carne esporadicamente; e em muitos casos sem comer.
    não é a toa que temos os caninos mal desenvolvidos, molares para mastigar vegetais (ao invés de dentes cortantes pra carne) longo intestino (carnivoros tem intestino curto para o alimento não apodrecer dentro deles, como apodrece nos seres humanos).

    http://www.youtube.com/watch?v=rNrZKDpE3LE

    responder este comentário denunciar abuso

  • 26/10/2009 - 20:34
    Enviado por: gregorio

    adoro comer carne especialmente caça, natural limpo, nunca comi peixe de cativeiro,
    ser ecologicamente correto significa caçar e pescar,
    ser vegetariano e pior , a soja foi a pior coisa para a natureza,
    abraço

    responder este comentário denunciar abuso

  • 26/10/2009 - 20:47
    Enviado por: Andre P

    Ok. Comer carne é natural. Comparar-se a um leão seria justo se, com nossa própria força muscular, corressemos atrás da vaca e derrubássemos com nossas unhas e dentes, a matasse, mordesse o pescoço com força voraz e, a partir daí, mastigá-la. Pode até levar para casa para fazer um cozido.

    Mas, veja o processo. O animal nasce no matadouro. Uma máquina o alimenta, outra vem e envia uma estaca na sua cabeça.

    O homem força a poluição do rio. Não a vaca nem o boi.

    Longa conversa, muitas vezes com argumentos rasos.

    Vejo o problema no processo de “fabricação”, não no ato de comer a carne.

    Um quilo de pimentão é mais caro que um quilo de carne. Produzir o vegetal e o agrotóxico é mais caro que matar um animal.

    todo o processo nos encaminha ao colapso. Enquanto isso, aproveitem os polvinhos. Antes de gritarem de dor no final de tudo.

    []‘s,

    Andre

    responder este comentário denunciar abuso

  • 26/10/2009 - 21:40
    Enviado por: vitor

    sou vegetariano e nunca como soja.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 26/10/2009 - 21:47
    Enviado por: Kraftwerk

    Leões são irracionais, não têm a opção de ir ao supermercado e escolher o que comer. Darwin defendia que comer carne ia de encontro à natureza humana. Nada justifica o consumo de carne por um homem civilizado, nem do ponto de vista nutricional, muito menos do moral. Procurem pelo posicionamento de organizações sérias, como a American Heart Association, que defendem a dieta vegetariana, totalmente livre de carne, como a ideal para a saúde humana.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 26/10/2009 - 21:57
    Enviado por: Ed Fernão

    Simplesmente antropofágico! Come aquilo que admira!
    Quanto a mim, comer ou não carne já passou a ser secundário… Há duas horas já que eu só vivo de luz. E olha que já anoiteceu!
    Ironias a parte, a verdade é que fome poderia ser bem melhor controlada com o direcionamento dos vegetais que viram ração. E o que dizer do metano! Algum dos leitores ainda ignora que o metano, o “pum” das vacas, dos porcos, das galinhas, é um dos maiores responsáveis pelo esfeito estufa?!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 26/10/2009 - 22:24
    Enviado por: Marcio

    Voce so se esqueceu de falar dos animais que sao herbivoros e portando NAO COMEM outros animais, assim como girafa, elefante, etc

    ‘Natural’ nao necessariamente significa saudavel.

    E, mais importante, de lembrar que humanos TEM CONSCIENCIA, o que nos separa (ou DEVERIA nos separar) de todos os outros animais.

    Por que voce nao visita um abatedouro, pra ver direito da onde vem o seu bifinho?

    Estou muito contente com a minha escolha pelo vegetarianismo, que considero extremamente RACIONAL, e me sinto muito satisfeito quando como uma refeicao vegetariana saborosa e sei que nenhum animal morreu para me satisfazer.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 26/10/2009 - 23:25
    Enviado por: Rusizmas

    Jornalismo e argumentação não podem ser unidos em uma frase.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 27/10/2009 - 00:48
    Enviado por: Maria Vieira

    Ser vegetariano não é menos cruel que ser carnívoro. Nós só não escutamos os gemidos das folhas ao serem cortadas ou queimadas, porque esses sons estão fora do nosso espectro de audição… A nossa capacidade de avaliação do sofrimento é muito precária. Exemplo disso é considerarmos a morte em geral e a nossa própria como um evento normal.
    Tem algo muito errado nessa “perfeição da natureza”, não? Mas nós estamos inseridos nela e vivemos disso.
    Fazer o quê? Comer é natural mesmo, ora.
    Abraço.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 27/10/2009 - 02:36
    Enviado por: Alexandre

    Seria natural comermos carne se a comêssemos como os animais carnívoros o fazem, ou seja, tão viva como comemos sem problemas uma alface.

    Você seria capaz de pegar uma alface do chão, dar uma lavadinha, e comer ela tranquilamente. Ou pegar uma fruta no pé e fazer a mesma coisa. Ou mesmo, se deixar de molho e germinar feijão, arroz, ou qualquer semente, vai ficar bem molinho, você pode achar até meio estranho, mas vai experimentar sem problemas.

    Mas você não vai achar tão normal assim pegar uma galinha, cortar o pescoço dela, tomar seu sangue quente, abrir o peito dela, tirar um bife de lá e comer direto; ou enfiar uma faca na jugular de um boi, beber um pouco do sangue dele, e comer as suas entranhas primeiro, depois, enquanto ainda estiver quente, dar uma gostosa mordida em sua alcatra ou contra-filé, sem esquecer de no fim, lamber os beiços cheios de sangue e gordura crua.

    Provavelmente só o cheiro do boi sendo desossado já iria te embrulhar o estômago, enquanto a um carnívoro seria de um prazer voluptuoso, quase irresistível, em tudo comparado ao que tem na reprodução.

    Veja que, debaixo de toneladas de cultura, seu corpo ainda lhe diz qual é a nossa verdadeira natureza alimentar. Então sim, fizemos comer carne um gesto normal, mas não, isso não é nada natural.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 27/10/2009 - 04:01
    Enviado por: Daniel C.

    Comer carne apenas faz mal a uma pessoa se ela for ingerida com sentimento de culpa. Eu não sofro pelos animais vitimados nesta prática, só não faço parte dela. Aliás, não sofro nem pelas mazelas ocorridas mundo afora entre os humanos. Mesmo que quisesse, eu não conseguiria mudar o mundo. Sofrer por quê? Além de ser perda de tempo ainda é prejudicial à saúde. PORÉM há uma coisa que definitivamente não faço: Incentivar a barbárie. “Cada um vive do jeito que quiser, desde que não prejudique os outros” é uma afirmação cruel. Limitar prejuízos apenas à espécie humana é o mesmo que afirmar que não assassino meu vizinho porque as leis me proíbem. É imoral.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 27/10/2009 - 05:28
    Enviado por: Daniel Verano

    Como disse somos herbívoros e como tal comemos carne e vegetais, seja comer somente carne ou somente vegetais e errado, devemos ter uma dieta equilibrada comendo seja carne que vegetais

    responder este comentário denunciar abuso

  • 27/10/2009 - 06:48
    Enviado por: Luiz Augusto Andreoli de Moraes

    E estes seres que são comidos sentem tudo também. Antes era natural comer outros seres, mas aqui é barbárie, selvageria, indiferença à dor do outro.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 27/10/2009 - 06:52
    Enviado por: Gilson

    Sou um carnívoro assumido. Você ao citar os corações de galinha no espetinho fez com que eu não aguente esperar a hora do almoço.

    Já um belo polvo a vinagrete….. é bom de mais.

    Tenho pena dos vegetarianos que comem, igualmente, seres vivos, e ficam criticando os carnívoros.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 27/10/2009 - 06:55
    Enviado por: J C Olivie

    Comer espécies mais primitivas é parte do processo evolutivo; o vegetal se alimenta do mineral; o animal se alimenta do vegetal; o hominal alimenta-se do animal. Já pensaste que aquele picanha se bem digerida vai se transformar em hormonios, neuronios que são formas mais evoluidas da mesma matéria.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 27/10/2009 - 07:20
    Enviado por: Anonimo

    Vem por ai o CODEX ALIMENTARIUS (a partir de 31/12/2009) modificando radicalmente os nutrientes, vitaminas etc.,etc. e tal dos alimentos e o q é pior, proibindo complementos alimentares saudaveis, e liberando 07 dentre os 09 pesticidas mais letais para a saude do ser humano. Simplesmente l a m e n t a v e l… à que ponto nós chegamos.
    Esta foi a palestra da Dra. psiquiatra Rima Laibow sobre o CODEX ALIMENTARIUS, que inclui certas exigencias, tais como: inocuação dos alimentos por radiação, proibição de nutrientes considerados “tóxicos” e liberação do uso de agrotóxicos, que já foram proibidos por causarem graves danos ao homem e ao meio ambiente. NOTA: palestra feita na Associação Nacional de Profissionais de Nutrição (NANP) EM 2005.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 27/10/2009 - 07:57
    Enviado por: Cleber

    O comentário do vitor é correto pelo meu ponto de vista.
    E como você mesmo colocou: “Cada um vive a vida do jeito que quiser, desde que não prejudique os outros.” Isso também se aplica ao que se publica, obter um pouco mais de informação antes, não mata ninguém.
    Abraço,

    responder este comentário denunciar abuso

  • 27/10/2009 - 08:33
    Enviado por: DANILO

    Toos tem razão, mas pensem bem: na complexidade nada está isolado, tudo está tecido junto, interligado e em rede.
    É preciso entender que é preciso um conhecimento pertinente e saber o que significa ser um ser humano. Se não sustentarmos a nossa mãe Terra não teremos para onde ir, principalmente nossas furturas gerações. A identidade terrena vem sendo desprezada e a educação cretinizada.
    Precisamos reformar o nosso pensamento sim.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 27/10/2009 - 08:49
    Enviado por: instituto susana cintra

    eu ñ gosto de polvos eu acho bein nojento né
    bleee

    responder este comentário denunciar abuso

  • 27/10/2009 - 09:26
    Enviado por: Romanato

    Medite nisto:

    Genesis 1

    28 E Deus os abençoou, e Deus lhes disse: Frutificai e multiplicai-vos, e enchei a terra, e sujeitai-a; e dominai sobre os peixes do mar e sobre as aves dos céus, e sobre todo o animal que se move sobre a terra.
    29 ¶ E disse Deus: Eis que vos tenho dado toda a erva que dê semente, que está sobre a face de toda a terra; e toda a árvore, em que há fruto que dê semente, ser-vos-á para mantimento.
    30 E a todo o animal da terra, e a toda a ave dos céus, e a todo o réptil da terra, em que há alma vivente, toda a erva verde será para mantimento; e assim foi.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 27/10/2009 - 09:33
    Enviado por: aranha

    é uma questão pra se pensar.

    eu gostaria MUITO de ser vegetariano por princípios e por considerar que o nosso corpo nao está preparado pra carne.

    Mas eu adoro uma picanha, uma fraldinha, um peixe cru, um camarão, um espetinho de coração.

    O que fazer?

    Já até tentei deixar de comer, mas no primeiro churrasco da galera decidi que eu não ia ser o chato da vez hehehe

    responder este comentário denunciar abuso

  • 27/10/2009 - 09:46
    Enviado por: Tetsuo

    Comentar sobre o que se come é sempre recheado de interpretações envoltas em religiosidade, vãs filosofias, opiniões de “especialistas” e, atualmente nas TV’s, da praga de nutricionistas. Quem discute sobre o que se come é porque em princípio está saciado, pois os povos que não tem acesso sequer a uns grãos de qualquer ceral, tem outras prioridades que procurar “pêlo em casca de ovos”.
    Seja a sabedoria da natureza ou de Deus, a verdade é que o bicho homem é omnívoro e em seus primeiros momentos, nômades se alimentavam do que encontravam. O homem sedentário ou cultivador é muito recente se pegarmos registros de dez ou vinte mil anos na evolução de três ou quatro milhões.
    Herbivoros não são dotados de dentes caninos e, se somos, significa que comer carne já foi definido por algum saber maior que os “especialistas”, logo uma discussão tão futil.
    O gostar ou não gostar disto ou daquilo, são para priviliegiados que podem fazer três ou mais refeições ao dia, saciados perdem preciosos tempos em discussãoes efêmeras. Pensem nos jogadores uruguaios que em viagem ao Chile, cairam nos Andes; os sobreviventes tiveram de comer partes dos colegas que não tiveram a mesma sorte.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 27/10/2009 - 10:00
    Enviado por: Emilio Barletta Neto

    O ser humano deveria ser um pouco mais racional do ponto de vista gastronômico, digo isto porque, ser vegetariano é uma opção que poucos conseguem seguir, pois, somos carnívoros e a mudança da natureza não é normal. Comer polvos, camarões e outros seres marinhos deveriam ser obrigatórios; além de serem saudáveis, são orgânicos e pouca gente se dá conta disso. Com relação a carne, é muito bom comer um churrasco as vezes e deveríamos nos negar a comer alimentos do tipo ” dobradinha, rins, fígado, miolo e outros”. O mar é rico em proteínas e sais minerais, só devemos respeitar seu tempo. Fica aqui a dica de um chef de cozinha qua ama peixes e frutos do mar.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 27/10/2009 - 10:01
    Enviado por: Alex Torres

    Herton e Gregorio: comer carne ñ é crime, dsd q vc ñ seja cristão e viole um dos mandamentos. O ato d se alimentar d outros seres vivos é natural, dsd q ste ato ñ traga consigo desiquilibrio. Milhares de animais são veganos, sabiam? Os carnivoros o fazm p/ preservar a especie. A soja ñ é alimento só p vegano (na verdad ñ é opção à carne), centenas d insumos contem soja. A nossa evolução trouxe consigo consciencia, no q diz respeito à sustentabilidade: sao quase 7 bilhoes q se alimentam cada vez mais. Quais os efeitos na natureza? Estudem amigos, aprofundem-se na ciencia desta questão, pq vcs estao completamento fora d sintonia com a realidade.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 27/10/2009 - 10:10
    Enviado por: Jonathan

    Meus dentes nunca deixaram de triturar uma carne vitor, se não fosse pra gente comer carne faria mal ou não seria digerido em nosso estomago, não tem nada a ver isso que vc falou da gente ser próprio só pra comer vegetal. Se for assim também não temos unhas afiadas, ou presas assassinas, porque nós seres humanos temos a arma mais cruel e potente do meio ambiente para se conseguir o que quer e chama-se Cérebro, isso é pior do que as patas afiadas de um urso, pode ter certeza.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 27/10/2009 - 10:12
    Enviado por: Marcelo

    Concordo que seja natural humanos comerem carne, até por conta de uma questão de sobrevivência se fôssemos considerar alguns milhares de anos passados, no caso dos “homens das cavernas”, e até hoje para algumas pessoas que dependam de carne para conseguir o básico para manterem seus corpos (se bem que sabemos que há inúmeros alimentos vegetais que dispõem dos aminoácidos necessários de que precisam os humanos). Porém, convidaria a todos para assistirem “A carne é fraca” ou até lerem “O dilema do onívoro”. Com isso quero apenas tentar fazer os onívoros analisarem com mais atenção, e não apenas de maneira crítica, a visão de um vegetariano.
    Obrigado!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 27/10/2009 - 10:22
    Enviado por: Rodrigo Sampaio

    Caro Herton, de fato, como você bem diz, é “natural” comer outros seres vivos, o que não significa que seja “certo”.

    Assim como um dia a escravidão foi “natural”, ela sempre foi fundamentalmente “errada.” E como este há inúmeros outros exemplos de coisas “naturais” que, munidos de um senso moral em evolução – que deveria ser o que nos diferencia como espécie – acabamos por julgar “erradas” e paramos de fazer.

    O inacreditável sofrimento dos bilhões de animais que consumimos mundialmente todos os anos pode até parecer “natural”, mas uma análise moral minimamente isenta mostrará que ele é tão “errado” quanto, por exemplo, a escravidão, o nazismo, o sexismo etc. Isto seria muito mais evidente se a realidade destes seres vivos não fosse mantida longe dos nosso olhos.

    Como têm mostrado os novos conhecimentos em medicina e nutrição (ainda não suficientemente difundidos, infelizmente), não precisamos nem de carne nem de outros derivados de animal para ter saúde – aliás, pelo contrário – e aqui podemos usar a sua máxima final: “Cada um vive a vida do jeito que quiser, desde que não prejudique os outros.” Por que excluir dos “outros” seres que têm capacidade de sentir? Só por que são de outra espécie? Hummm, já vimos histórias parecidas…

    Boa reflexão.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 27/10/2009 - 10:23
    Enviado por: Francisco

    Não é natural um ser onívoro comer apenas vegetais. O ser humano desenvolveu a inteligência e se diferenciou dos outros animais exatamente por esse motivo, pois os hominídeos comeram carne, proteína. Pergunte para um médico se a sua sobrinha vai ser saudável na fase adulta? Crianças que não comem carne não serão adultos saudáveis e em alguns casos correm risco de vida. Procure saber sobre isso. Tenho um conhecido vegetariano que só dava plantas para a filha. O médico quis intervir tirando a guarda dos pais, pois eles iriam matar a própria filha “com a melhor das intenções”.
    Nojento não é. Isso é coisa que se coloca na cabeça. Pense menos e viva feliz! Falando em polvo, eu admiro muito o molusco, no mar e no meu prato. ;)

    responder este comentário denunciar abuso

  • 27/10/2009 - 10:26
    Enviado por: Thiago

    O ato de comer carne em si eu não considero errado. Mas o que é perverso é a indústria que existe, que vulgarizou a carne como se fosse pão ou salgadinho elma-chips.
    Quando voce vai na churrascaria, metade da carne fica no prato, para ser jogada no lixo. Quanto mais carne for pro lixo, melhor para os produtores, que vendem mais. NInguem se importa.
    As vacas são cultivadas como se fossem alface, e vivem num esquema industrial.
    Me perdõe, mas comparar isso com o começo dos tempos, onde o homem tinha que merecer e honrava a morte de um animal com sua ingestão.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 27/10/2009 - 11:10
    Enviado por: Lucas Polonio Guimarães

    assim é como a natureza se recicla e se renova! cada um faz sua parte, comer e ser comido, é assim que a natureza funciona! o urubu tá com raiva do boi………mas não é que ele tem razão…. o urubu está com fome, o boi não quer morrer…. não tem alimentação….

    responder este comentário denunciar abuso

  • 27/10/2009 - 11:25
    Enviado por: gregorio

    Alex Torres,
    eu sei que são quase 7 bi de gente e justamente tai, se partimos para SEXO VERDE (sexo sem gravidez, sexo ecologicamente correto) logo vamos ter fartura de alimentos naturais,

    MAO SI TUNG foi o melhor estadista, mesmo assim a china tem quase 1,5 bi, e nos temos que desruir as nossas terras para mandar soja

    responder este comentário denunciar abuso

  • 27/10/2009 - 11:32
    Enviado por: Ana

    Nossa.
    Que triste ler este texto a partir da capa de um jornal. Esse texto é uma opinião vazia, idiota e sem mais.
    Que lixo.
    Um polvo escreve melhor que isso.

    E nem sou vegetariana nem nada, to falando do texto e do conteúdo (falta de) dele.
    Lamentável, Estadão…

    responder este comentário denunciar abuso

  • 27/10/2009 - 11:55
    Enviado por: Nataly Grigaliunas Rosina

    Sr. Herton

    Discordo plenamente desse seu comentário!
    Concordo sim, que somos animas! Porém há uma grande diferença do ser humano para os demais, a diferença é que SOMOS ANIMAIS RACIONAIS!!!
    Nós não matamos e comemos outros animais apenas por uma questão de sobrevivência, mas sim torturamos e esfolamos gados, galinhas, animais como o porco ( que sentem dores muito próximas a do ser humano) apenas para sertirmos por alguns instantes o sabor de sua carne em nossa boca.
    Todas as proteínas que encontramos em carne podem ser substituídas por vegetais, frutas e grãos, não temos necessidade de nos alimentar de qualquer tipo de produto animal.
    Levando também em consideração que estamos prejudicando nossa saúde, pois hoje carne é só hormônio e gordura que causam muitas doenças orgânicas no ser humano.
    É por isso e muito mais que me abstenho ao consumo de qualquer tipo de produto animal.

    Att,

    Nataly Grigaliunas Rosina

    Vegetariana com muito orgulho!!!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 27/10/2009 - 11:58
    Enviado por: Maria

    Com certeza, alimentar-se de outras espécies é algo natural, ou pelo menos tem sido. Mas já que vamos passear na lua e estamos avançando com as pesquisas com célula-tronco, podíamos avançar um pouquinho também nesta questão, não é mesmo? Hábitos alimentares também reletem questões culturais, e não são fruto apenas da “necessidade”. Mas só para descontrair, e não bancar a politicamente correta/chata (sou vegetariana desde a barriga deminha mãe), vale lembrar que a maioria das espécies animais que continuam seguindo a tradição da cadeia alimentar não têm acesso a geladeiras, supermercados, não sabem plantar alfaces, etc, etc. Somo iguais, sim, mas diferentes também!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 27/10/2009 - 12:06
    Enviado por: Carlos Martins

    Herton
    Por mais que se goste de bichinhos fofuxos…um polvo ao pesto de azeitonas pretas é de se comer de joelhos.
    Tem todo o meu respeito aqueles que optam por excluir carne da sua dieta.
    Quanto a minha dieta…por favor, respeitem.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 27/10/2009 - 12:29
    Enviado por: Nataly Grigaliunas Rosina

    PARABÉNS!!! TIRO MEU CHAPÉU PRA VOCÊ RODRIGO SAMPAIO!!!!

    Se pelo menos 10% da população fosse como vc tudo seria diferente!!!

    Excelente comentário!!!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 27/10/2009 - 12:59
    Enviado por: Renata

    Não consigo entender como as pessoas conseguem dissociar a carne que comem do animal morto, abatido com crueldade, tratado com violência! Por que a vaca ou o porco são diferentes do cachorro ou cavalo que tratamos com tanto carinho? É muito comodo fechar os olhos e não querer ver o que realmente acontece! COVARDIA, na verdade! FALTA COERENCIA!! Nós temos opção, o animal não..

    responder este comentário denunciar abuso

  • 27/10/2009 - 13:30
    Enviado por: luiz

    A uma revoluçāo, espera-se mudança; se nada for mudado, é, no mínimo, fraude; foi essa a postura humana no Éden, ou seja, como continuar vegetariano, quando chamamos Deus de mentiroso e injusto;assim um genuino revolucionário não copia nada de seu antecessor; o outro nao era justo, serei justo; o outro restringia liberdades, darei total liberdades; o outro era vegetariano, serei carnívoro; enfim, uma revoluçāo; posto da forma do Criador, o homem continua livre até para escolher o que é errado.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 27/10/2009 - 13:37
    Enviado por: Felix Santos

    Discussão boboca sobre comer animais ou mortos, etc.
    Tudo o que comemos teve que morrer para podermos comer. Ninguém come pedras (embora ingiramos alguns minerais).
    Como de tudo e só não como ser humano porque não há necessidade. Se houver, comerei.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 27/10/2009 - 13:50
    Enviado por: J. Olimpio

    O ser humano não come carne de leão. O leão come carne de humano.
    O humano não come carne de insetos. Os insetos comem carne de humano.
    O humano não come carne de urubu. O urubu come carne de humano.
    O humano come carne de boi. O boi não come carne de humano.
    O humano come carde de porco. O porco não come carne de humano.
    O humano come carne de peixe. O peixe come carne de humano.

    Então deixem de bobagem. Cada um na sua.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 27/10/2009 - 13:57
    Enviado por: hertonescobar

    Obrigado a todos pelos comentários.

    A proposta do post não era oferecer respostas prontas, mas fomentar uma reflexão sobre nossos hábitos alimentares, então acho que deu certo.

    Algumas pessoas argumentaram que já “somos evoluídos demais” para continuar matando outros animais para nos alimentar. É um argumento interessante. Como disse o Rodrigo Sampaio, o fato de um comportamento ser “natural” não significa que seja “certo” (apesar da comparação com o nazismo e a escravidão ser um tanto exagerada, na minha opinião).

    O que eu tentei mostrar no post é que matar outros animais para nos alimentar é um processo natural e que, apesar de toda a nossa evolução intelectual, continuamos presos biologicamente à cadeia alimentar. Agora, se é certo ou não continuar fazendo isso nos dias de hoje, é uma decisão pessoal que merece reflexão.

    Para quem continua carnívoro (ou onívoro, para ser mais preciso), um pouco de moderação certamente não faria mal.

    abraços a todos

    responder este comentário denunciar abuso

  • 27/10/2009 - 14:12
    Enviado por: adriano

    Interessante como a questão da dieta humana instiga discussões profundas. Discute-se desde o sofrimento animal/vegetal da vítima que está sendo consumida, a fome no mundo, os padrões de organização social em relação à produção e consumo de comida, e por aí vai… O Homem problematiza tudo mesmo, e isso é bom. O debate traz elementos novos ás problemáticas, visões diferentes que podem significar a semente de uma evolução de pensamento e noção das coisas.

    Quanto à esse debate, admito que sou onívoro. Não acho imoral matar um ser vivo para comer. Esse é o “natural” que tem sido desde sempre. A vida animal, para se manter, precisa destruir outra vida. Precisamos conviver com isso. É interessante, uns diriam frustrante, como estamos, em última instância, dependentes de um certo grau de violência – matar para viver. Se o leão não mata a gazela, ele morre. O mesmo se dá com humanos: precisa acabar com a vida do boi, do peixe, da alface para se manter vivo.

    Como outros posts, não vejo diferença fundamental em se matar um animal ou um vegetal. Quem disse que o vegetal não tem consciência e não sofre. Vá lá, nunca vi um tomate chorar, mas não por isso ele deixa de ser um ser vivo… O fundamental da questão é que vc mata uma vida, independentemente se ela mugi, cacareja ou faz fotossíntese.

    Assim, continuemos nos alimentando da vida, mas saibamos respeitá-la. Não desperdicemos comida; não exageremos na ingestão de proteína animal (a não ser crianças que dela dependem para seu saudável crescimento), nem da vegetal, cuja produção em massa hj tb contribui com desmatamentos e poluição; não nos cooptemos com o padrão de produção e consumo exagerados da atualidade. Sejamos sóbrios. Criemos consciência daquilo que comemos, sabendo destinguir o necessário de alimento que podemos consumir para ter uma vida saudável. E mais, moluscos que me perdoem, mas um polvinho de vez em quando também não faz mal a ninguém.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 27/10/2009 - 14:16
    Enviado por: Mal Passado

    Ok, muito legal esse papo sobre o sentimento dos outros animais dos quais nos alimentamos. Suponha então que, conforme a análise do Rodrigo Sampaio, a partir de amanhã o mundo entre em consenso e todos parem de comer outros animais. O que aconteceria depois? Será que algum ecologista ultraortodoxo, com base em algum estudo idiota de alguma universidade inglesa tentaria convencer a todos que as plantas TAMBÉM SÃO SERES VIVOS portanto TAMBÉM TÊM SENTIMENTOS e que por isso todos deveriam deixar de comer plantas também??? Qual seria o próximo passo então? Comer pedra?

    responder este comentário denunciar abuso

  • 27/10/2009 - 14:19
    Enviado por: Wagner

    Que post infeliz.

    Se é tão natural comermos carne, por que não temos garras e caninos avantajados assim como outros carnívoros? Por que temos intestinos longos, como os herbívoros, e não curtos como os carnívoros? Por que as carnes liberam tantas toxinas nocivas ao nosso organismo?

    Por que sentimos repulsa em ver um animal morto com as viceras para fora ou em comer carne crua? Por que temos animais de estimação?

    Cara, se não tem o que escrever, vá ler um bom livro.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 27/10/2009 - 14:22
    Enviado por: Marcelo

    Tetsuo, tô contigo e não abro.

    Mas tem outra: ser vivo por ser vivo o alface também é.

    E mais outra: desde quando somos tããão civilizados???

    responder este comentário denunciar abuso

  • 27/10/2009 - 14:28
    Enviado por: Daniel

    “Cada um vive a vida do jeito que quiser, desde que não prejudique os outros.” Destruir a Amazônia só atinge quem come carne?
    Tristes contradições do Sr. Colonista.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 27/10/2009 - 14:42
    Enviado por: Renata O. Martins

    Somos animais? Somos. Animais com opções, com tecnologia, com códigos morais e éticos, com consciência de sermos indivíduos e reconhecermos outros humanos e animais como indivíduos também (a ponto de estudarmos suas estruturas sociais, seus comportamentos e reconhecermos neles algo chamado senciência).
    E comer, enquanto ato humano, é sim passível de análise do ponto de vista ético.
    Comer em uma churrascaria, por exemplo, sequer é um ato de sobrevivência: é um ato indiscutivelmente cultural.
    Sobrevivência nos termos defendidos no texto encontraria uma cadeia alimentar bastante complexa (da qual poderíamos ser vítimas também), além da limitação pela inexistência de órgãos ou membros específicos para a caça.
    O que me lembra do nosso primeiro ato não “natural”: não só criamos como dependemos de ferramentas para poder manter esse hábito de comer carnes. Que – assim como o cozimento de tubérculos – cozimento que tb não pode ser considerado “natural” – influenciou no aporte de nutrientes em alguma época da evolução mas não se justifica com a agricultura e logística de alimentos.
    Tanto quanto praticar incesto (comum entre animais), devorar filhotes (comum entre animais), canibalismo pós coito (que ocorre em algumas espécies de animais, especialmente insetos), surrar e abandonar membros mais fracos do conjunto social (comum entre animais), não higienizar alimentos (regra entre animais).
    Pregamos não violência, negociações, solidariedade, sistemas penais não baseados em vingança.
    Pior do que esquecer que somos animais é esquecer que somos humanos e que somos diferentes de outros animais em diversos aspectos. Por que não nas escolhas de alimentação, se isso é possível? Por que não, se reconhemos neles o desejo de sobrevivência, essa senciência e podemos prescindir de seu consumo? Por que não se os reflexos da alimentação vegetariana trazem benefícios para a saúde e para o meio ambiente?
    Refletir é bom, sem dúvida alguma. Mas ignorar algumas conclusões é dos piores hábitos iminentemente humanos que conheço. Não é questão só de dieta e de escolha pessoal. Sequer é uma questão de natureza. É uma questão tão moral quanto tudo aquilo que animais fazem e – por motivos que a grande maioria reconhece hoje em dia – nós humanamente rejeitamos.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 27/10/2009 - 14:56
    Enviado por: ciro

    Se todos pararem de comer animais, o ser humano se extinguirá.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 27/10/2009 - 15:03
    Enviado por: nathercia martinelle

    CODEX ALIMENTARIUS: apenas uma pessoa tocou no assunto. As indústrias irmãs de alimentos, refrigerantes, medicamentos, pesticidas, fertilizantes, tabagista, alcooleira, farmacêutica, de embalagens, publicidade e propaganda, entre outras, e os poderes legislativo, jurídico e executivo de todos os países e os órgãos internacionais de “proteção” à paz dos humanos, tudo isso é significa o lucro aviltante, o poder, a corrupção, a estupidez humana. Discutir sobre preferências alimentares chega a ser inocente. Nosso futuro alimentar já está traçado: fome para os pobres, que devem ser aniquilados, transformados em subespécies subdesenvolvidas, prestes à extinção, e “ricos” comendo comida-isopor. E tomando muito remédio, tentando alcançar a imortalidade. Sugiro uma visita ao site http://pt.wikipedia.org/wiki/Codex_Alimentarius e uma pesquisada nos links que ele sugere, só pra começar – e se horrorizar.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 27/10/2009 - 15:12
    Enviado por: Rômulo

    Considero uma discussão boba e meramente ideológica essa do vegetariano x carnívoro. Nós somos onívoros e devemos comer de tudo. Carne também! Se matar um animal é considerado ‘crueldade’, pq matar um vegetal para comê-lo não é? Claro que podemos aperfeiçoar a criação dos animais para ser menos danosa – ao meio e aos bichos, mas daí a dizer que não devemos comê-los é pura besteira.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 27/10/2009 - 15:23
    Enviado por: Frank, o excelso!

    Para os que defendem o consumo de carne :
    Tenho sérias dúvidas que os mesmos consumissem publicamente um rim humano preparado ao molho madeira. Digo rim porque o mesmo poderia se extraído sem causar a morte de seu hospedeiro.

    E mesmo assim, a maioria das pessoas diria “Ah, não… não é etico, moral, saudável, é nojento, etc, etc, etc…”

    O homem distorce qualquer argumento lógico se for para manter, porpura conveniência ou capricho, um hábito tradicional. Neste caso, comer carne.

    Carne é carne. E eu poderia também comer um recém-nascido humano ou uma pessoa com morte cerebral.
    Aí não pode né ?
    Hipocrisia…

    responder este comentário denunciar abuso

  • 27/10/2009 - 15:55
    Enviado por: Mauricio

    Que tal se os ECOchatos ou os VEGETARItontos, que adoram rotular e criticar a diet alimentar das outras pessoas, parassem pra pensar que o seu alface, a sua soja, o seu brotinho de feijão, não apareceu do nada. Foi cultivado, em larga escala, sendo para tal preciso desmatar uma área de mata nativa, acabando com a biodiversidade local, foram usados milhões de litros de água para a irrigação, sendo que para isso foram feitas obras de canalização e transposição, destruindo outro ecossistema, alem do fato de quase 100% das sementes dos vegetais e grãos usados hj são estéreis e modificados genéticamente, alterando o equilíbrio das culturas. A não ser que aqueles que criticam o costume alimentar dos outros, plantem ou criem seus alimentos, sem uso de agrotóxicos ou hormonios, e só usem os recursos disponiveis (ou seja voltem a idade do bronze), que tal tratar o assunto “preferencias alimentares”, como religião e futebol. CADA UM NA SUA. A evolução natural, que ão tem convicções politicas nem científica tratara de selecionar quem melhor se adaptou (HUMANOS OU NÃO), e esses continuaram a trajetória da evolução.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 27/10/2009 - 19:04
    Enviado por: Fey

    E eu achava que esse papo era tão batido que nem alunos de colegiais iriam ficar discutindo…

    responder este comentário denunciar abuso

  • 27/10/2009 - 19:27
    Enviado por: alexandre

    Quem diz que a alface está viva quando a comemos, está certo, ao contrário do animal, que comemos morto.
    Fora os carniceiros, os carnívoros em geral comem suas presas recém abatidas, ainda com o calor da vida presente. Se nós tivéssemos essa natureza, a carne crua e quente do animal recém abatido iria nos parecer deliciosa. Mas, ao contrário, para nós podermos comer corpos de outros animais, temos que desnaturar completamente sua carne, a ponto de deixá-la totalmente diferente do que enche os olhos dos carnívoros.
    Por isso, claramente o ser humano alimentar-se de animais é um acidente de percurso evolutivo, uma fatalidade que só faz mal. Vide a relação direta entre câncer e carnivorismo.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 27/10/2009 - 21:00
    Enviado por: Tetsuo

    Comentário de: herton.escobar [Membro]: “Para quem continua carnívoro (ou onívoro, para ser mais preciso), um pouco de moderação certamente não faria mal.”

    Segundo o Novo Dicionário Aurélio: ONÍVORO, do latin omnivuru é aquele que como de tudo; polífago. Então temos HERBÍVORO que se alimentam de vegetais, CARNÍVOROS que se alimentam exclusivamente de carne e, ONÍVOROS a classe que pertence os homens, ursos…

    Alguns comentaristas cometeram o deslizes do desconhecimento da língua portuguesa, inclusive o autor.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 27/10/2009 - 21:04
    Enviado por: Neon Lights

    Algumas pessoas que postaram aqui parecem completamente incapazes de diferenciar uma planta de um animal. É realmente inacreditável. Até onde a ciência sabe, as plantas não têm sistema nervoso e não sentem dor, bem diferente dos animais, que são capazes até de desenvolver sentimentos.

    As criancinhas humanas têm repulsa à carne crua, e isso para mim é um indício claro de que não somos carnívoros por natureza, além de muitos outros indícios já conhecidos por aqueles que estudam o assunto. Infelizmente a maioria, ao invés de aceitar a verdade, prefere enganar a própria consciência com argumentos bizarros para não deixar de atender aos caprichos do paladar.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 27/10/2009 - 23:33
    Enviado por: Mauricio Silva

    Herton e pessoal,

    Muito legal essa discussão sem radicalismos.

    Tenho um ponto de vista que gostaria de dividir com vocês, e se possível, ler alguns comentários sobre o assunto.

    Herton, se você viesse falar que adora comer veado-campeiro, paca ou papagaios várias pessoas iriam reclamar, pois é inaceitável alguém declarar que adora carne de caça. Agora, porque quando se trata de animais pescados (caçados no mar) temos tamanha tolerância? Não é a mesma coisa? Vocês não acham que a pesca está subestimada?

    Com a pesca não estamos também acabando com a biodiversidade de certas espécies, impedindo assim a sua evolução?
    Quem sabe se este polvo caçado no mar não era parte de uma linhagem que em milhões de anos se tornaria um ser ainda mais belo, ainda mais incrível, quem sabe mais inteligente que os humanos, quem sabe com uma inteligência diferente dos humanos?

    Não sou contra o consumo de carne, mas sou absolutamente contra o consumo de animais que vivam soltos em seu ambiente, ou seja, animais caçados ou pescados. Não acredito que possamos quantificar o enorme impacto que podemos causar sobre a história evolutiva de determinada espécie ao caçá-la. São milhões de anos jogados fora em um prato de comida, entendem?

    Obrigado!

    Mauricio

    responder este comentário denunciar abuso

  • 28/10/2009 - 19:20
    Enviado por: Guilherme

    Acho essa discussão idiota!
    Cada um escolhe o que é melhor pra sua vida!
    Há pessoas que acham carne boa,outras não!;
    Cada um com seu ponto de vista!;não é porque você é vegetariano que vai ter uma vida melhor!
    Depende do organismo de cada pessoa!
    Respeito a galera vegetariana…p.s.(alguns)!!
    porque isso já ta virando modinha! ¬¬
    Concordo com o texto bíblico citado!
    Enfim velho,cada um sabe o que é melhor para si.

    Abraço!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 29/10/2009 - 07:49
    Enviado por: Maycoln

    Dizer que os seres humanos fazem parte da cadeia alimentar, na minha opiniao, e uma tremenda estupidez,ja que nao fazemos parte de nenhuma cadeia em equilibrio. Vivemos numa cadeia de producao e consumo desde o processo de industrializacao, onde o que consumimos sao mercadorias que passam por processo de producao e comercializacao e os adquirimos diretamente numa prateleira de supermercado. Sou vegetariano e existem diversas questoes envolvidas nessa escolha, como citado no artigo, mas falar que nos humanos estamos no topo da cadeia alimentar e uma agressao a nossa capacidade de raciocinio!
    (estou sem acentos no meu teclado, mas nao pude deixar de fazer este comentario agora mesmo!)

    responder este comentário denunciar abuso

  • 29/10/2009 - 10:03
    Enviado por: MARCOS COSTACALCIOLARI

    Herton

    Tanta gente passando fome no mundo, e vamos ficar aqui discutindo se comer carne é ilegal, imoral ou engorda… quem tem reias condições de fazer uma dieta rica e balanceada, parabéns pelo esforço, espero que você viva até os 150 anos e sem nenhum cancêr… mas vamos nos preocupar com quem precisa do mínimo, quem tem fome… os esquecidos…

    um polvo é muito bom ,,, e uma picanha então,,,hummmm dá até agua na boca…

    Vamos ao próximo assunto…

    responder este comentário denunciar abuso

  • 29/10/2009 - 12:34
    Enviado por: Chris

    Eu sou vegetariana e garanto que tenho muita saude.
    Só gostaria de esclarecer algumas coisas, comparar nós com animais não é correto, uma vez que não participamos de maneira igualitaria na natureza. simplesmente pegamos o animal, enjaulamos, engordamos e comemos ( quem come é claro). O fato é que a soja como alguem disse serve 80% para alimentar bovinos e não os vegetarianos ou a população em geral e segundo os vegetais não apresentam sistema nervoso, por isso é dificil acreditar que os mesmos possam sentir algum tipo de dor, para quem nunca viu uma horta, as folhas crescem, surgem as flores..e as folhas apodrecem…

    responder este comentário denunciar abuso

  • 29/10/2009 - 15:10
    Enviado por: Raquel Schmidt

    Com certeza, melhor do que essa coluna, é o debate que ela gerou.

    Gostei de como as pessoas estão de colocando sobre o assunto. É colocando questões e refletindo sobre elas que conseguiremos um mundo mais sustentável!

    Valeu pessoall!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 29/10/2009 - 20:49
    Enviado por: hertonescobar

    Falou tudo Raquel!
    obrigado

    Só repercutindo o comentário do Maycoln:
    Maycoln, o objetivo principal do post era justamente argumentar que, apesar de consumirmos produtos industrializados, que pegamos na prateleira do supermercado (em vez de sair para caçar no meio do mato, como faziam nossos antepassados), ainda somos parte, sim, da cadeia alimentar! Todos esses produtos industrializados são feitos de partes de seres vivos (animais e plantas) que foram predados (mortos) por nós para nos alimentar. Por trás de todo hambúrguer havia um boi. Por trás de todo sushi havia um peixe (ou um polvo).

    A maioria de nós delegou a matança para a indústria, mas há muita gente que ainda sai de casa todo dia e vai para o mato com uma espingarda nos ombros para caçar o jantar com as próprias mãos. Veja, por exemplo, o ribeirinho da Amazônia que mata um macaco ou uma anta. Ele é um predador! E nós também somos.

    Se deveríamos deixar de ser, essa é outra discussão…

    abraço a todos

    responder este comentário denunciar abuso

  • 30/10/2009 - 08:45
    Enviado por: gregorio

    Herton , falou bem, predado que e certo e não depredador
    abraço

    responder este comentário denunciar abuso

  • 30/10/2009 - 12:54
    Enviado por: Thomaz

    Análises dessa natureza, feitas pelos “homo clausulus” (aqueles que nascem e vivem enclausurados em apartamentos e shoppings de grandes cidades) só são possíveis dentro das grandes metrópoles. O homem, como ser onívoro, come tudo o que cair na rede, dependendo das suas condições de sobrevivência. Hoje é possível que haja uma tremenda alteração climática que cause a quebra da safra em grande parte do mundo. Nesse momento, certamente é comer ou morrer. Muitos não sabem, mas o alface não nasce nas gôndolas de supermercado. Coloque qualquer indivíduo numa situação dessas e acontecerá uma das duas coisas: ou ele é natural e comerá qualquer alimento, ou é moralmente correto e preferirá morrer a comer um espeto de cachorro assado.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 30/10/2009 - 16:28
    Enviado por: Rodrigo Sampaio

    Pessoal, muito interessante a maioria dos comentários, que mostram uma preocupação crescente da sociedade com os aspectos morais da alimentação. Algumas pessoas reagem de maneira inflamada em relação aos vegetarianos, supondo que a defesa dos animais implique em uma intromissão indevida na dieta dos outros, insinuando que animais e plantas são a mesma coisa, ou mesmo indicando que partir para uma dieta vegetariana nos levaria obrigatoriamente à constante radicalização da nossa dieta, até finalmente nossa morte (!). Embora comuns, estas reações são desnecessárias e desproporcionais.

    Temos a obrigação de questionar qualquer comportamento alheio se acharmos que ele é imoral. Questionar significa engajar-se em um diálogo, argumentar, pressionar até. Isto é legítimo, faz parte da evolução da sociedade e é algo sem o que nunca teríamos chegado aonde chegamos. E não pode ser confundido com fundamentalismo ou fanatismo – tipicamente, vegetarianos estão abertos a ouvir, a argumentar, são bastante racionais e gostam muito de dividir seu ponto de vista, embora costumem ser bastante incisivos em defendê-lo, é verdade. Sugerir ascendência moral sobre alguém sempre pode propiciar uma reação negativa, mas entendam que é difícil para um vegetariano não se portar assim uma vez estando familiarizado com o grau de crueldade imposto a outros seres vivos e vendo a resistência da maioria de nós em enxergar isto com clareza.

    Comparar animais a plantas sugerindo a equivalência entre ambos e assim a inaplicabilidade – ou inutilidade – de uma dieta livre de produtos animais é também bastante falacioso. Qualquer um que se paute por critérios científicos/racionais saberá que uma planta, ao que tudo indica, não tem sistema nervoso e é portanto incapaz de sofrer. Mesmo quem deseje deixar espaço para a dúvida há de concordar que a probabilidade de uma planta sofrer é ínfima relativamente à certeza do sofrimento da maioria das classes animais que consumimos, o que em si já indica que existe sim uma diferença moral fundamental entre plantas e animais. Pior: se você crê que plantas sofrem e deseja não consumi-las, é natural que creia também que animais têm uma capacidade ainda maior do que a comumente assumida de sofrer, o que acaba por reforçar, e não minar, o ponto de vista vegetariano.

    Herton, é comum pensar que a comparação com a escravidão e o nazismo seja “exagerada”, ofensiva até, mas isto na verdade ajuda a ilustrar erros de conduta moral em escala, que advêm de um princípio que, embora pareça diferente em cada caso, é fundamentalmente sempre o mesmo: discriminação moral com base em atributos irrelevantes para tal. Ou seja, você não pode ser escravizado por ser negro, do mesmo modo que você não pode ser assassinado porque é judeu, perder seus direitos civis porque é mulher, ou ser maltratado e morto cruelmente porque não é da espécie humana. Nisto é que as coisas são basicamente as mesmas. Abraço.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 30/10/2009 - 16:30
    Enviado por: Maycoln

    Defendendo ainda o meu armumento…

    Na minha opiniao, nao temos como estar na cadeia alimentar, mesmo que por tras desses produtos industrializados que consumimos estejam os animais que aparentemente estariam dentro da cadeia. Como podemos estar dentro da cadeia se nao intervirmos naturalmente nela? nos controlamos a producao dos produtos de acordo com a demanda do mercado (ofertaXdemanda). Nao equilibramos o ecossistema comendo a carne bovina, por exemplo. Com certeza eles nao invadiriam as ruas como pragas porque nos, “predadores naturais”, deixassemos de come-los.

    Enfim, essa discussao, ao contrario do que muitos comentarios vem taxando de futeis, tolas, etc, acredito ser muito boa e interessante, ja que opoe diferentes pontos de vista sobre a questao etica que envolve nossa propria forma de se alimentar. A sociedade brasileira, ao meu ver, e pouco acostumada a debater ideias, desde questoes simples ou ate mesmo as mais complexas.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 31/10/2009 - 10:32
    Enviado por: Domingos Urbano

    Gostei do texto! Quando o assunto é bom nos faz pensar… não é atoa que no momento são mais de 60 os comentários sobre o texto. Primeiro gostaria de dizer que nós classificamos nosso munto em animal, vegetal e mineral. Quando vegetarianos estamos evitando comer animais, mas continuamos comendo seres vivos de menor complexidade: as plantas. Então, acho uma bobagem dizer que não comemos carne para não matar. Discuti isso uma vez com um indiano, que me disse que o correto é pegar apenas frutos que caíram da árvore e etc. Achei meio radicalismo. Tudo isso me faz pensar: “Se negamos nossa natureza de comer pedaços de animais mortos, pedaços de vegetais mortos, e porções de minerais, estamos negando também a nossa própria existência!”. Ou não?

    responder este comentário denunciar abuso

  • 31/10/2009 - 14:29
    Enviado por: Rodrigo

    Esse julgamento moral não existe na natureza. Não há bonzinho, ou cruel. O golfinho bonitinho mata a sardinha, e esta, por sua vez, mata os menores que ela para se alimentar. A mesma coisa ocorre com o pinguim, a foca, etc. Os seres apenas são o que são. Nasceram para fazer aquilo e cumprem com seus instintos e suas necessidades. A natureza é bela sem este julgamento, mas de uma beleza à parte da moralidade. Precisamos saber que quando falamos sobre isso estamos lidando com um conceito moral e estritamente humano. Não podemos confundir as coisas. Biologicamente somos animais que pensam, mas ainda somos animais e escravos de inúmeros instintos e necessidades. Não diria que é presunção querermos ser melhor do que nosso corpo determina, mas acredito que nisso há um risco grande de frustração e ilusão. Somos animais onívoros, como o urso, por exemplo, e adaptados para qualquer condição. Podemos estar descontentes com o que somos, mas não podemos negar o que somos. Podemos inclusive mudar nosso comportamento, para apaziguar nossa consciência, mas isso traz o custo inerente de ser minoria, pois a sociedade não compartilha dessa atitude.
    Talvez a fonte de tanta comiseração seja a nossa inteligência ter evoluído mais rápido do que o nosso corpo e os nossos instintos… se fossemos indiferentes à carne, se não tivéssemos tanta tendência à dominação e execução de outras espécies, talvez esse questionamento nem existisse.
    Concordo em buscarmos ser melhores, mas meus passos serão mais curtos… respeito minha natureza…

    responder este comentário denunciar abuso

  • 01/11/2009 - 03:16
    Enviado por: Karina Peres

    “Isso é o que todos os animais fazem na natureza – comer outros seres vivos”
    Nenhum outro animal vai ao açougue e guarda o que comprou no freezer para não estragar.

    “Quando você vai a uma churrascaria, está fazendo exatamente a mesma coisa que um leão faz quando abate uma gazela na savana africana. É um carnívoro devorando um herbívoro”
    Eu nunca vi um leão perguntar se aceitam cartão ou pedir para que o garçom sirva um pedacinho magro.

    Se eu mato um cão – de porte pequeno, para poder dominá-lo – por estrangulamento, por exemplo, e o como ali mesmo, quente e com pêlos, posso estar fazendo a mesma coisa que um leão faz.
    Desde o momento em que eu me preocupo em estar vestida para sair de casa e ir a um açougue pagar pela carne que vou comer, depois de temperá-la, assá-la e cortá-la, estou muito longe de qualquer outro animal carnívoro/onívoro que não o homem.

    Sou uma ovo-lacto-vegetariana discreta, não critico onívoros porque odeio que alguém se intrometa na minha alimentação, motivo pra não fazer o mesmo com os outros. Mas acredito que devemos enxergar o que fazemos, independente de julgarmos certo ou errado. Não me orgulho de comer laticínios, por exemplo, porque não posso negar o tratamento que as vacas leiteiras recebem, e ainda assim o faço.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 04/11/2009 - 09:18
    Enviado por: Thyago

    Deixe um corpo de Humano perto de qualquer animal com fome, idependente de sua estatura e vera que ele comera até não sobrar nada, então vamos fazer o mesmo comelos !!!! nada de passar fome…. é a lei da vida

    responder este comentário denunciar abuso

  • 16/11/2009 - 08:50
    Enviado por: admir

    Wagner disse:”Se é tão natural comermos carne, por que não temos garras e caninos avantajados assim como outros carnívoros? Por que temos intestinos longos, como os herbívoros, e não curtos como os carnívoros?”

    Muito simples, porque somos ONIVOROS, nosso intestino é parecido com o dos ursos e porcos, menor que o dos herbívoros e maior que o dos carnívoros estritos…

    “Por que as carnes liberam tantas toxinas nocivas ao nosso organismo?”

    Isto é um mito, uma falácia, eventuais toxinas devem-se ao preparo da carne (aquecimento ou tempero, por exemplo) e não a carne em sí…

    “Por que sentimos repulsa em ver um animal morto com as viceras para fora ou em comer carne crua?”

    Nem todos tem repulsa em comer um sashimi, ou carpaccio, concorda? Inclusive, se oferecermos isto para as crianças, elas comerão alegremente, até sem tempero, experiencia própria…

    “Por que temos animais de estimação?”

    Para nos ajudarem a caçar?

    responder este comentário denunciar abuso

  • 05/01/2010 - 13:40
    Enviado por: Elson Silveira

    Eu como carne SIM !

    Não quero ter a APARÊNCIA FISÍCA e aquele COMPORTAMENTO de pessoas vegetarianas que conheci.

    Faltar carne na mesa é algo que não pode acontecer. Parece que não fico satisfeito após a refeição.

    E com licença que está na hora do meu bife.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 30/06/2010 - 16:08
    Enviado por: O CONFLITO DA BALEIA « Herton Escobar

    [...] dezena de sushis e sashimis sem maiores problemas. Se for um churrasco, mesma coisa. Afinal, como já escrevi anteriormente neste blog, nós, seres humanos, mamíferos e onívoros, somos parte da cadeia alimentar e é perfeitamente [...]

    responder este comentário denunciar abuso

Deixe um comentário:

  • Quem Faz

    Quem Faz

    Herton Escobar

    Herton Escobar é repórter do jornal O Estado de S. Paulo desde 2000 e blogueiro desde 2008, especializado em jornalismo científico e ambiental. É formado em jornalismo pela Western Michigan University e foi bolsista do MIT e do Marine Biological Laboratory, nos EUA.

Arquivo

Blogs do Estadão

Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo