1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Quem Faz

HERTON ESCOBAR é repórter do jornal O Estado de S. Paulo desde 2000, especializado em jornalismo científico e ambiental. É formado em jornalismo pela Western Michigan University (WMU) e foi bolsista em programas de jornalismo científico do Massachusetts Institute of Technology (MIT) e do Marine Biological Laboratory (MBL). A partir de agosto de 2014, estará como "visiting scholar" na University of California Berkeley.
segunda-feira 26/05/14

É inevitável: No futuro, todo ser humano terá seu genoma sequenciado ao nascer, prevê Francis Collins

FOTO: Francis Collins no anúncio do primeiro "rascunho" do genoma humano, em junho de 2000. Crédito: Win McNamee REUTERS

1) É inevitável: Num futuro não muito distante, todo ser humano terá seu genoma sequenciado ao nascer. 2) É possível: Culturas de células-tronco humanas, diferenciadas in vitro para mimetizar o funcionamento de órgãos e tecidos, poderão substituir, em muitos casos, os experimentos que hoje são realizados em modelos animais. 3) É necessário: Melhorar a qualidade

Ler post
sexta-feira 14/03/14

Estudo revolucionário sobre células-tronco pode ser invalidado

J

Herton Escobar / O Estado de S. Paulo A confiabilidade de uma nova técnica japonesa para a produção de células-tronco em laboratório foi colocada definitivamente em xeque hoje. A autora principal e dois co-autores dos estudos publicados em janeiro na revista Nature reconheceram que há problemas nos trabalhos e disseram que estão considerando a possibilidade

Ler post
quarta-feira 26/02/14

EUA e Grã-Bretanha estudam aprovação de embriões humanos com “três pais”

INFOGRÁFICO: ArteEstado

Herton Escobar / O Estado de S. Paulo *Atualizado às 15h de 27/02/2014 Autoridades médicas nos EUA e na Grã-Bretanha estão avaliando a segurança e a ética de uma técnica de reprodução assistida que permitiria criar embriões humanos com DNA de três “pais” (um homem e duas mulheres). O intuito seria evitar a transmissão hereditária

Ler post
segunda-feira 17/02/14

Estudo revolucionário sobre células-tronco é investigado no Japão

FOTO: Embrião de camundongo gerado com células STAP. A cor verde é resultado de uma proteína fluorescente que os cientistas utilizam como marcador, para identificar as células que foram reprogramadas em laboratório. Crédito: Haruko Obokata

Herton Escobar / O Estado de S. Paulo Post atualizado às 19h15 Os resultados de um trabalho potencialmente revolucionário para o avanço da medicina regenerativa estão sendo investigados pelo centro de pesquisas RIKEN, no Japão, onde a pesquisa foi realizada. A credibilidade do estudo das chamadas “células STAP” vem sendo questionada por pesquisadores na internet,

Ler post
quarta-feira 29/01/14

Japoneses desenvolvem técnica mais simples para produção de células-tronco, sem embriões nem manipulação genética

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Herton Escobar / O Estado de S. Paulo Dez anos atrás, a polêmica sobre a ética das pesquisas com células-tronco embrionárias humanas estava no auge. Até que, em 2007, um grupo de pesquisadores japoneses acalmou os ânimos – e praticamente sepultou o debate – com uma técnica revolucionária, que permitia transformar células da pele em

Ler post
quinta-feira 23/01/14

SBPC apoia proibição de testes com animais para fins cosméticos; diretor do CONCEA diz que lei é “muito drástica”

Herton Escobar / O Estado de S. Paulo O governador Geraldo Alckmin sancionou nesta manhã o Projeto de Lei 777, que “proíbe a utilização de animais para desenvolvimento, experimentos e testes de produtos cosméticos, higiene pessoal, perfumes, e seus componentes, no Estado de São Paulo” (texto completo do projeto: http://goo.gl/tT2Iej), que havia sido aprovado pela Assembleia

Ler post
quinta-feira 09/01/14

Sobre efeito placebo, homeopatia, células-tronco e a capacidade do corpo de se cuidar sozinho (com alguma ajuda)

FOTO: Farmácia de manipulação. Crédito: Nilton Fukuda/Estadão

Herton Escobar / O Estado de S. Paulo O efeito placebo é um dos mistérios mais interessantes da ciência na área biomédica. Já está mais do que provado que ele é um efeito clínico real — que as pessoas de fato melhoram, não apenas “acham” que melhoram. Ninguém sabe explicar exatamente como ou porque isso

Ler post