1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Liberado para 18 anos, filme sérvio continua proibido no Rio

Flavia Guerra

05 agosto 2011 | 20:14

‘A Serbian Film – Terror sem Limites’, polêmico por cenas com violência fictícia contra crianças, estreia no dia 26

serbianfilm.jpg

Quatorze dias depois de ter sua cópia em 35mm apreendida pela Justiça do Rio, em 22 de julho, o filme A Serbian Film – Terror Sem Limites teve sua exibição liberada no País. Mas segue proibido no Rio por conta de ação encaminhada pelo DEM.
Além da liberação, após o distribuidor Raffaele Petrini, da Petrini Filmes, ter entrado com pedido oficial de esclarecimento ao Ministério da Justiça, o filme recebeu classificação indicativa de 18 anos. “Havia entrado com o pedido de classificação em 28 de junho, antes da polêmica e da proibição começarem, mas não recebi resposta nenhuma. Já imaginava que este seria um filme complicado por conta de seu tema, mas não imaginava que tomaria tais proporções. A proibição não diz respeito à qualidade do filme, mas sim à liberdade de expressão e à censura no Brasil”, disse Petrini ao Estado.
A carga polêmica se deve ao fato de conter cenas de sexo e violência. A Serbian Film conta a história de um ator pornô obrigado a entrar em um projeto obscuro, sendo submetido a barbaridades.
O procedimento que apontaria se a produção seria indicada para maiores de 18 anos, como foi decidido ontem, foi interrompido em 29 de julho, quando o procurador Fernando Martins, de Minas Gerais, entrou com uma ação pedindo a interrupção. “Finalmente a decisão saiu. E vamos esperar o desenrolar da situação no Rio”, disse Petrini.
No Rio, mesmo após a decisão do Ministério da Justiça, o filme continua proibido porque o partido DEM pediu a apreensão da cópia, alegando “verdadeira apologia a crimes contra crianças e um incentivo a práticas de pedofilia”. “O que não é verdade. Quem viu o filme reconhece claramente que é um ato político contra as barbaridades do mundo de hoje. Em poucas palavras: é um filme feito para chocar, com conteúdo político, sim, mas fundamentalmente é um produto de entretenimento, uma obra de ficção com posição clara contra a pedofilia e contra outras barbaridade”, declarou Petrini.
O distribuidor, que tenta recuperar a cópia em 35mm apreendida no Rio, vai lançar o filme nos cinemas em cópia digital, em várias capitais brasileiras, em 26 de agosto.