ir para o conteúdo
 • 

Felipe Machado

18.março.2011 19:23:57

É o que temos para o momento

Algumas pessoas poderiam dizer que a atriz Lea Michele, de Glee, tem o nariz um pouco grande. Eu responderia: é o que temos para o momento

Uma coisa inusitada aconteceu na semana passada: dois amigos meus, completamente opostos em termos de personalidade e modo de vida, usaram exatamente a mesma expressão quando conversavam comigo. Um deles é publicitário, diretor de uma grande agência. O outro é um roqueiro, compositor de uma famosa banda de rock.

O que eles têm em comum? O branco dos olhos, no máximo. E, no entanto, me deixaram de olhos arregalados quando ouvi os caras dizendo a mesmíssima coisa.

“É o que temos para o momento”, disseram, diante de situações completamente diferentes. Isso me chamou a atenção, em primeiro lugar porque eu não imaginava que dois caras com vocabulários tão diversos pudessem compartilhar sequer uma simples frase. Em segundo, porque é uma frase que pode ter um significado muito mais complexo do que nos permite compreender a simples soma de suas palavras.

Tudo bem, você vai dizer que isso acontece com frequência com expressões que estão na moda, joias poéticas como ‘enfiar o pé na jaca’, ‘soltar a franga’ e outras belas contribuições da informalidade das ruas ao vocabulário brasileiro. Mas, nesse caso, acredito que a frase pode ser interpretada com teor um pouco diferente. Para mim, simboliza uma tendência muito mais complexa dos dias em que vivemos.

“É o que temos para o momento” simboliza, antes de tudo, uma aceitação pragmática de um fato. É um pouco fatalista? Pode ser. Mas, antes de tudo, é uma expressão realista, que não tinge de cores vivas o que é preto e branco. É uma prova de que há ocasiões em que não adianta a gente tentar reinventar a roda. Há uma outra expressão que diz o seguinte: “o cara que não sabia que aquilo era impossível foi lá e fez”.

Sim, é claro que isso acontece. As pessoas se superam. Quebram recordes. Explodem limites. Mas, na maioria dos casos do dia a dia, é necessário enfiar a viola dentro do saco e aceitar: é o que temos para o momento. Talvez tenha sido por isso que o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso lançou um livro com o título ‘O Brasil do Possível’. Era o que ele tinha para o momento.

Isso revela também essa atual tendência ao imediatismo. Quem consegue refletir sobre a vida? Tudo tem que ser agora, não há tempo para esperar. Temos algo melhor para oferecer? Temos, mas vai demorar um pouco. Coisas bem feitas precisam de carinho e capricho. Está com pressa? Come cru. Os japoneses estavam com pressa quando inventaram o sushi.

Espero que você tenha gostado do assunto da coluna desta semana. Se não gostou, desculpe. Era o que tínhamos para o momento.

comentários (25) | comente

  • A + A -
25 Comentários Comente também
  • 18/03/2011 - 21:01
    Enviado por: tati

    AEEEE! Finalmente!

    Eu sei que o tsunami tem tomado o seu tempo mas fiquei (meio) feliz de ver que o post mudou – nao aguentava mais ver a sandy – eu nao sei quem ‘e a tal Michelle de Glee porque nao assisto este tipo de programa mas ja e um sinal de vida…

    Mas voltando ao tema, ‘e o que temos para o momento’ (ou ‘e o que tem pra hoje) vendo pelo lado otimista da coisa toda, ‘e uma frase libertadora, como um ponto final em algo que voce nao quer se estressar alem. Voce simplesmente deixa ir e pratica o desapego (crescimento espiritual).
    Trata-se de uma forma educada e digna de dar um ‘perdido’ ou mais sinceramente um FO**-**!

    Mas o melhor mesmo foi a selecao das tags do assunto : Boa Sorte, destino (esta foi forte) hahaha!

    Mas fiquei feliz de ver que vc esta ai!

    bjs,

    Tati

    responder este comentário denunciar abuso

    • 18/03/2011 - 23:19
      Enviado por: Felipe Machado

      Oi Tati,

      Seu comentário foi além, hein?

      Gostei!

      Fico feliz que o texto permita várias interpretações…

      Bjs, F.

      responder este comentário denunciar abuso
  • 18/03/2011 - 22:33
    Enviado por: Ezequiel-SP

    Cara, é o puro néctar da fruta. Não sei onde experimentei, mas estava gostoso. Quanto voltar lá um dia pedirei mais uma vez. É algo inacreditável. Mas por pouco eu não consumi.

    Abraços

    por enquanto, é o que …….

    responder este comentário denunciar abuso

  • 18/03/2011 - 22:38
    Enviado por: Cristiano

    Bom texto, Felipe.

    E como disse, tem horas que nao ha nada a ser feito, seja por fatalidade do acaso ou por qualquer outra variavel, so nos resta aceitar, reclamar e bater o pe pode nao nos levar a lugar algum. O perigo é quando confundimos fatalidade com conformismo, mas felizmente seu texto nao vai ao encontro dessa discussao.

    E que as postagens se tornem cada vez mais constantes.
    Abraco

    responder este comentário denunciar abuso

    • 18/03/2011 - 23:14
      Enviado por: Felipe Machado

      Grande Cristiano,

      Prometo voltar à frequência de sempre, assim que o noticiário deixar… Valeu pelo comentário, abs! F.

      responder este comentário denunciar abuso
  • 19/03/2011 - 02:57
    Enviado por: Helô Machado

    Felipe,
    adorei!
    É O QUE TEMOS PARA O MOMENTO. Sensacional!
    Vale para tudo! Para as ocasiões especiais e nem tanto…
    Muito legal mesmo.
    Parabéns pela sacada!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 19/03/2011 - 09:53
    Enviado por: Ariane

    Oi F.
    O tema é otimo, o(s) texto(s) sempre polemicos e deliciosos de ler, mas hoje gostei tb dos comentários. A Tati falando de DESAPEGO, putz dificil isso né? mas muiiiiito necessário :( preciso praticar mais. Mas adorei D.Helo Machado super prestigiando sempre.

    Beijo!
    A.

    responder este comentário denunciar abuso

    • 19/03/2011 - 14:41
      Enviado por: tati

      Obrigada Ariane! Realmente ‘e um exercicio diario o desapego. Eu que sempre fui meio apegada pratiquei em menos de dois meses o maior desapego que podia imaginar. Doei roupas, sapatos, fiquei com o estritamente necessario, vendi carro, raspei a conta no banco ( que ja nao era grande coisa mas mesmo assim foi valida) e mudei pra Irlanda. Maluquice ou nao, me sinto melhor por ter dado um passo tao grande pra mim :)
      A questao ‘e, nao temos tempo a perder com coisas que aborrecem, com pessoas que sao melindrosas, com emprego chato. Perde tempo quem quer, porque precisar nao precisa, basta mudar.
      ‘e o que temos para o momento pode ser comodista ou pode ser libertador se vc assim o quiser.
      eu prefiro e recomendo a segunda opcao!
      bjs

      responder este comentário denunciar abuso
    • 19/03/2011 - 17:13
      Enviado por: Vanessa

      Como dizia Albert Einstein, “o tempo é relativo”.
      Dá para acreditar que este ano vai fazer 10 anos do 11/setembro? Parece que foi ontem. Parece que o momento passa num piscar de olhos e, de repente, tudo muda. A vida muda.
      “é o que temos para o momento” mostra que uma coisa legal: nada é para sempre e que tudo pode melhorar. Tudo tem que melhorar.
      Um beijo da Alemanha,
      Vanessa

      responder este comentário denunciar abuso
  • 19/03/2011 - 19:22
    Enviado por: Eloisa Deveze

    felipe, eu gosto de lê-lo, mas, hoje, vamos combinar… Se é isso o que você tinha para o momento teria sido bem melhor ter deixado esse momento em branco.Ou seja, trabalhe mais em suas ideias, e respeite o seu nome.

    responder este comentário denunciar abuso

    • 19/03/2011 - 20:12
      Enviado por: Felipe Machado

      Oi Eloisa,

      Recado anotado, prometo trabalhar mais.

      Esse texto era realmente o que eu tinha para o momento.

      Bjs! F.

      responder este comentário denunciar abuso
  • 20/03/2011 - 00:38
    Enviado por: Zizi

    Olá Felipe!
    Parabéns pela sua publicação. Para entendermos muito além da soma das palavras desse quase aforismo, é necessario estarmos livres de nossas bengalas psicológicas. São raras as pessoas que realmente estão interessadas em refletir sobre a vida pois o reinado atual é o do imediatismo!
    Abraço.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 20/03/2011 - 13:53
    Enviado por: Cris Mussi

    Felipe, voce só escreve uma vez por semana? Que pena!!!!

    bjs

    responder este comentário denunciar abuso

  • 21/03/2011 - 11:02
    Enviado por: Iana

    Oi, F,
    Adoro seus textos, e sinceramente estava ansiosa por algo sobre os shows internacionais do momento. Sua crítica é sempre válida.
    Bjs.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 21/03/2011 - 12:42
    Enviado por: GUILHERME CIMINO

    Curiosamente,
    quando vejo as atuais campanhas publicitárias ou ouço as músicas das bandas de rock nacional, costumo ficar com a frustrante impressão de “é o que temos para o momento”.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 21/03/2011 - 16:18
    Enviado por: Livia Raquel

    Oláááá!!

    Você voltou!!!!!
    Nossa, como é bom entrar aqui e não dar de cara com a Sandy, rsrs.
    Adorei o texto e os comentários também estão legais, como sempre.
    Faço coro ao pedido da Iana, também estou anciosa para saber o que tem a dizer sobre o show devastador do Iron Maiden e do Ozzy na próxima semana.

    beijoss
    Livia Raquel

    responder este comentário denunciar abuso

  • 22/03/2011 - 10:51
    Enviado por: Lóis

    Adorei a texto!!!! o duro é que as pessoas ficam bravas quandos se diz: é o que temos para o momento…talvez entendam como descaso… mas tem horas que é o que tem que ser dito!!!! e ponto huahuhahua

    responder este comentário denunciar abuso

  • 22/03/2011 - 14:54
    Enviado por: claudio ribeiro

    realmente

    diante de tanta falta de assunto

    é o que temos no momento

    responder este comentário denunciar abuso

  • 22/03/2011 - 15:37
    Enviado por: Glúon

    .
    ______________
    .
    Menu à la carte
    .
    ______________
    .
    Lea Michele
    Sandy
    Anvil
    Justin Bieber
    Lula e Kadafi
    .
    ___________________________
    .

    responder este comentário denunciar abuso

  • 23/03/2011 - 19:28
    Enviado por: Pedro Verdone

    Reparem que toda mulher bonita com nariz grande, tem uma boca que compensa qualquer coisa.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 23/03/2011 - 23:06
    Enviado por: Fernanda N.

    Olá Felipe,
    Concordo com sua percepção de que este “é o que temos para o momento” simboliza uma tendência dos dias em que vivemos.
    Mas acredito que pode ser um bom sinal.

    Abrir a boca e assumir sem culpa que “é o que se tem para momento” significa tirar das costas essa responsabilidade constante de “saber tudo, fazer tudo, conhecer tudo”, tão comum nos dias em que vivemos.
    Significa parar de se cobrar, assumir que não dá para ser bom ou reinventar a roda o tempo todo e (mais importante) que não há absolutamente nada de errado com isso.

    Não sei qual foi o contexto em que seus amigos usaram a frase (confesso que fui até o fim do texto esperando para saber), mas não deixa de ter certo senso de libertação.

    Abraços,

    sobre o conceito do “É o que temos para o momento”.
    Mas confesso que fui até o final do texto esperando para saber sobre o que, afinal, cada um de seus amigos estava falando quando disse

    responder este comentário denunciar abuso

Deixe um comentário:

Arquivos

Blogs do Estadão