1. Usuário
Assine o Estadão
assine


Seleção alemã: Renúncia em formato dominó e a hora da renovação

fatimalacerda

18 agosto 2014 | 14:41

Primeiro foi o capitão Phillip Lahm que, somente 3 dias depois da Final da Copa do Mundo no Maracanã, e depois de 113 jogos pela seleção alemã, anunciou sua renúncia. “Essa decisão foi amadurecendo durante a temporada passada”, declarou o ex-capitão ao tabloide Bild. “Quando você hesita demais em tomar decisões, a vida o faz por você”, concluiu. Ao longo de 10 anos presença constante na seleção, Lahm fez 5 gols. A decisão surpreendente, poucos dias depois daquilo que a imprensa alemã denomina “O Triunfo do Rio de Janeiro”, mostra ter resultado um efeito dominó. Logo depois, Miroslav Klose, o artilheiro de desbancou Ronaldo-Fenômeno da lista de maior artilheiro das Copas, também anunciou que nao jogará mais pela seleção. Essa renúncia, entretanto, não causou tanto alvoroço, já que “Miro de Janeiro“, como apelidado pela revista “11Freunde” (11 Amigos), tem 36 anos e, mesmo sem o título de “Melhor jogador do mundo”, sim, termina no ápice de sua carreira indo na trilha do ditado popular das terras daqui: “O apice é o melhor momento de parar”.. Vale lembrar que Klose, nos últimos 2 anos, tinha o papel de “Curinga” na seleção. Sempre que a carruagem não andava e os jogadores não chegavam na frente do gol do adversário,, era certeiro vislumbrar através das câmeras de TV, Klose se aquecendo na beirada do campo, prestes a entrar e, como um relógio suíço, sempre funcionava. Tiro e queda. Os alemães respeitam e o amarão sempre, especialmente por isso.

A procura midiática do possível sucessor de Klose já está de vento em popa. A revista “11Freunde” aposta no centroavante Kevin Volland, ex-jogador de Eishockey, que largou para entrar no campo de futebol, iniciou sua carreira no 1860 Munique e hoje faz parte da equipe do Hoffenheim, sul do país, clube que vem chamando atenção dos olheiros por já ter dado muitas zebras jogando contra times estabelecidos da Bundesliga.

Escola de Samba?

O zagueiro Peer Mertesacker, que desde 2011 joga no Arsenal, foi a atração midiática durante a Copa do Mundo. Depois de roer o osso durante 120 minutos contra a Argélia, o repórter da TV aberta ZDF, quis saber o porque da ineficiência da defesa e o porque da dificuldade na formação do contra-ataque: “O Sr. acha que as 16 equipes classificadas são uma escolas de samba?” Na sequência, com a frase “Eu vou me deitar 3 dias no balde de gelo, depois a gente analisa o jogo e ver o resto“, ele garantiu um dos melhores momentos televisivos deste ano, isso sem mencionar a selvagem repercussao nas redes socias.O fato da frase ter adentrado no uso cotidiano da língua alemã, prova o sucesso midiático (e agora linguístico), absoluto. Aqui você confere a entrevista. Nao é preciso entender alemão para perceber o grau de irritacao do jogador e a insistência do repórter, já quase pedindo desculpas…

http://www.youtube.com/watch?v=bMJJMpufE2g

Depois de Lahm e Klose, Mertesacker, que desde 2004 jogava pela seleção, também anunciou a sua renúncia.

O caldeirão futebolístico aqui e lá 

A janela de transferência na Alemanha está aberta até o dia 02 de setembro, esse ano, 2 dias a mais, já que o tradicional 31 de agosto, cai num sábado.

Lukas Podolski, que não teve uma boa atuação na última temporada no FC Arsenal e nem mesmo na selecao campeã, já está na lista para ser vendido, informa a revista “Goal“.

Podolski já postou no seu Twitter uma foto em que está enrolado na bandeira turca. A revista também informa que há ofertas de clubes alemães e turcos. Com a venda do passe do polonês, crescido na cidade de Colônia, o clube inglês espera recuperar entre 12 e 14 milhões de Euros.

Khedira e Ronaldinho – Similaridades

“O que vai ser do Khedira?”, indaga, em tom polêmico, o tabloide Bild em matéria do dia 14/08. “Acabou de ser campeão do mundo e já está condenado ao escanteio”, lamenta o tabloide.

A quem parece nada factível uma semelhança entre o atacante do Real Madrid e o ex-jogador do Atlético-MG, se engana.

Khedira, com contrato ainda vigente até 2015, “está com os dias contados” no Real Madrid, divulgam jornais espanhóis. As especulações da mídia alemã, de que o Bayern de Munique estaria interessado, foram comentadas pelo diretor Karl-Heinz Rummenigge da seguinte forma: “Isso é um blefe midiático”. Enquanto isso, Khedira vai sendo manchete na mídia amarela com boatos sobre o possível término e (de acordo com foto das redes sociais do fim de semana), da reconciliação com a sua namorada Lena Gercke, modelo vencedora do formato “Germany’s ´Next Top Model”.

Igualmente como Ronaldinho, Khedira não faz mais parte da equipe escalada do Real Madrid e ainda não tem proposta concreta, não sabe para onde vai. O “caso” Ronaldinho, difere no formato de um leilão indigno, executado por Roberto Assis, irmão/empresário: “Ronaldinho é oferecido…” e ninguém quer encarar: Fluminense, Santos, Palmeiras. O contrato com o Red Bull de Nova Iorque, também parece ainda não estar firmado, senão já teria sido divulgado. Cada dia que passa sem uma definição, tanto com Sami Khedira e Ronaldinho Gaúcho, o passe vai perdendo valor.

Chegou a hora da renovação

Logo depois do final da Copa do Mundo no Brasil, o Kaiser Franz Beckenbauer declarou à TV Sky: “Com essa nova geração que está vindo ai, vai ser difícil ganhar dessa seleção”, se refererindo ao sucesso do trabalho da Federação Alemã de Futebol (DFB) para formar novos jogadores.

Como o Deus do Futebol tem suas próprias regras, o destino quis que, muito antes da final da Copa do Mundo no Brasil, um jogo amistoso entre Alemanha e Argentina, fosse agendado para o dia 03 de setembro na cidade de Düsseldorf. Nesse jogo, Joachim Löw dará o pontapé inicial da nova geração de jogadores, experimentanto e já pensando na Euro Copa em 2016, período que ele já anunciou, ser o fim da sua carreira de técnico.