1. Usuário
Assine o Estadão
assine


Portas abertas para a democracia – Merkel faz as honras da casa

fatimalacerda

30 agosto 2014 | 08:27

Tradicionalmente, há 16 anos, e sempre no último fim de semana do mês de agosto, o governo alemão abre as portas dos ministérios. Alemães, proveninentes de todas as cidades do país, visitam Berlim para conhecer pessoalmente os ministérios e, dependendo da programação operativa de cada órgão, discutir com membros do alto escalão do governo, se interar sobre propostas de empregos. Nesse fim de semana de “Democracia de base”, não poderia faltar o objeto que mais simboliza o poder: Um prédio quadradão, que ganhou dos berlinenses o apelido de máquina de lavar (Waschmaschine, em alemão).

2014-01-06-25_jahre_freiheit_und_einheit-300x168.png

O mote do “Tag der offenen Tür” (Dia das portas abertas) escolhido para esse ano, é “25 anos de Liberdade e Unificação”, em referência à “Revolução Pacífica” de 1989 que culminou com a queda do Muro de Berlim e na sequência, com a unificação das duas Alemanhas em 1990.

Berlin_besondere_Gebaeude_Bundeskanzleramt_16001.jpg

Máquina de lavar

O prédio da chancelaria federal foi arquitetonicamente influenciado pelo ex-chanceler Helmut Kohl, que governou a Alemanha durante 16 anos (1982-1998). Fã assumido de hierarquias, Kohl mandou construir rampas longuíssimas em  estilo caracol. Por ironia do destino, melhor, por determinação dos eleitores alemães que varreram Kohl do seu cargo em 1998, o popularmente chamado “Chanceler da Unificação”, nunca governou dali, da “espinha governamental no centro de Berlim. Seu sucessor, o socialdemocrata Gerhard Schroeder (1998-2005) foi o primeiro a ter sua escrivaninha no prédio da chancelaria. Certa vez, num programa de TV, Schroeder reclamou da estrutura arquitetônica, ao seu ver, por demais austera: “Pra falar com a minha secretária pessoalmente, eu tenho que percorrer quilômetros de rampa para o pavimento de baixo”.

Merkel no topo do poder

Sem maioria confortável para formar um novo governo, Schroeder foi tirado da chancelaria para que a “garota do leste” “Das Ostmädchen“, tomar posse e alcançar o topo de uma carreira, para dizer ao mínimo, memorável.

Foi da varanda da chancelaria que Merkel deu uma palinha à imprensa sobre o poder que havia aglomerado até então, acenando, no melhor estilo de rainha, da varanda principal com o, na época candidato a candidato, Barack Obama, naquele 24 de julho de 2008.

Neste contexto de visitas abertas aos órgãos do governo, o prédio da chancelaria não poderia ficar de fora. Em frente, desde quinta-feira (28.) já estão montadas cabanas brancas de plástico no terreno da frente, para organizar a multidão na hora da passagem pelo detector de metais, postado no jardim em frente a chancelaria.

Denzel2014-08-26-vorab-tdot1.jpg Copyright: Denzel

Merkel faz as honras da casa

A chancelaria federal é a favorita entre todos postos de visita, por razão óbvia. A pergunta das perguntas é sempre: A chanceler estará presente? No sábado? No domingo?

Há semanas atrás, indaguei dois policiais que fazem ronda em volta da chancelaria. Uma policial com forte sotaque da região da Saxônia, caracterizado por vocais escuras e uma articulação com se faltassem dentes na boca ,ela, mesmo sem saber ao certo, mas para não perder a pose, respondeu: “Vai depender dos compromissos da chanceler. Com essas confusões que estão rolando por ai pelo mundo,…”. Para me poupar de continuar ouvindo o mais feio dos dialéticos da língua de Goethe & Schiller, abdiquei de entrar em detalhes com a policial.

Logo no início desta semana, a imprensa divulgou que Merkel estará presente na tarde de domingo, ou seja, quando o número de visitantes, e a estatística não mente, é mais intenso. Além de poder pegar autógrafo com a chanceler no jardim da chancelaria (assim como em todos os outros ministérios), haverá um programa de entretenimento, música e muita informação para toda a família.

No final dos anos 90, na época fã do Verde, Joschka Fischer, então Vice-Chanceler e Ministro das Relações Exteriores, me aventurei na fila monumental, mas fiquei encantada com a excelente organização e simpatia dos funcionários, no responder das perguntas e na paciente organizar das filas. A sala de Fischer, na época apaixonado corredor de maratonas, havia sido mudada a seu pedido. Ao invés de tapete persa, um chão duro, de cor vermelho terra, perfeitos para serem pisados por tênis. Na parede, u quadro exibia o Socialdemocrata, Williy Brandt, que segundo Fischer, o influenciou tremendamente no perceber da política.

20140826_164953.jpg

No prédio do Ministério das Relações Exteriores, pode-se vislumbrar os salões onde diplomatas fazem reuniões, congressos, simpósios: 

Os salões (Willy) Brandt, o (Gustav) Stresemann e o (Walther) Rathenau, além do principal salão de conferências, com portas pesadas de madeira envernizada. Dentro, os inúmeros lustres presos no teto e a parede de madeira envernizada escura, completam o ar de sofisticação sem exagero, meta na concepção dos ministérios na ocasião da mudança da capital de Bonn para Berlim em 1999.

20140826_164711.jpg20140826_164907.jpg20140826_164644.jpg20140826_174739.jpg

Alguns ministérios permaneceram em Bonn, mas também tem suas portas abertas neste fim de semana.

Quem chegar cedo no prédio à beira do Rio Spree, o rio que atravessa Berlim, terá a chance de fazer perguntas para um dos políticos de maior popularidade do país, o socialdemocrata Frank-Walter Steinmeier, já pela segunda vez, Ministro da pasta de Relações Exteriores e um dos melhores que a Alemanha já teve em sua história. Além de ser exímio diplomata, é solícito com a imprensa, popular sem ser populista.

Angie, Angie!!!

Assim é carinhosamente chamada a chanceler, há meses lidera, invicta, a lista dos políticos com maior percentual de simpatia no país. A estatística é divulgada, semanalmente, todas as sextas-feiras pela TV aberta ZDF no programa denominado “Politbarometer” (Barômetro político).

Esse ano, no seu procedimento de fazer as honras da casa, Merkel goza de uma excelente fase na política interna. A coalizão com os socialdemocratas segue sem brigas, sem escândalos, os índices de exportação vão bem obrigado, a influência da Alemanha na Europa continua intacta além dos pontos angariados por Fran-Walter Steinmeier, que provou exímia competência em instigar o diálogo entre adversários nos conflitos da Ucrânia e no norte do Iraque.

O bônus extra de popularidade

A vitória na Copa do Mundo e ainda sendo em no olimpo do futebol mundial, o Maracanã, completa o momento ímpar em que se encontra a chanceler. Torcedores alemães estão convictos que Merkel é pé quente da seleção de Joachim Löw. Suas imagens, vibrando nas tribunas sem medo de se rfeliz e sua visitas aos jogadores no camarim após o jogo, já se tornaram um ritual, uma tradição que só será quebrada, quando Merkel deixar o governo.

A Alemanha vai muito bem, obrigada. Nunca foi tão fácil para Merkel fazer as honras da casa e, como diz um ditado popular por aqui, “tomar banho na multidão”.

Para melhor acesso entre os Ministérios, a BVG, empresa de transportes de Berlim, oferece ônibus Shuttle gratuitos, além de recrutar funcionários que oferecem informação na saída de estações de metrô localizadas perto dos ministérios.

A lista dos ministérios que terão portas abertas neste fim de semana:

Ministério da Economia e Energia

Ministério das Relações Exteriores

AuswärtigesAmt.jpg

Ministério do Interior

Innenministerium.jpg

Ministério da Justiça e de Proteção ao Consumidor

Ministério das Finanças

Finanzen.jpg

Ministério do Trabalho e Assuntos Sociais

Sozialesbmas.jpg

Ministério de Alimentação e agricultura (Bonn)

Ministério da Defesa

Defesa.jpg

Ministério da Família, de Idosos, Mulheres e Jovens

familie.jpg

Ministério da Saúde (Bonn)

Gesundheit.jpg

Ministério dos Transportes e Estrutura Digital

Ministério do Meio Ambiente e de Proteção a Natureza e Segurança de Reatores (Bonn)

umwelt.jpg

Ministério alemão de Cooperação Econômica e Desenvolvimento (Bonn)   

bmz.jpg

Ministério de Educação e Pesquisa (Bonn)

Forschung.jpg