ir para o conteúdo
 • 

Estadinho

PENELOPE1.JPG

(Foto: Heloísa Bortz/Divulgação)

(Por Aryane Cararo)

Penélope é repórter. Cor-de-rosa, que fique dito. E já está acostumada a escutar um montão de respostas diferentes dos entrevistados. Mas, ainda assim, deve se divertir a cada vez que interage com a plateia. Quem foi à reestreia da peça Penélope, a repórter cor-de-rosa, no Teatro Eva Herz, em São Paulo, certamente se divertiu, especialmente na parte em que as crianças sobem no palco e respondem a algumas perguntas dela. Mas isso acontece perto do final e, antes, há algumas risadas para contar e músicas para cantar.

Penélope é a personagem do programa de televisão Castelo Rá-Tim-Bum, interpretada na tevê nos anos 1990 e agora no teatro por Angela Dip. É uma perua cor-de-rosa: com sua roupa rosa, chapéu galináceo, óculos blindados, bolsa fofucha, supercaderninho rosa e máquina Laika, ou Lalá, como ela a chama. No espetáculo, a repórter mostra os bastidores de seu programa, com o estúdio e o camarim, e decide gravar seu programa sem o diretor chegar. Ela também explica porque só veste rosa e de onde vem seu nome. Tudo com muito humor e algumas músicas que fazem a plateia entrar no ritmo com palmas.

Quem tem curiosidade para saber como funciona um programa televisivo, vai gostar de ver as explicações muito bem explicadas de Penélope, que gosta de deixar tudo muito claro. A repórter, por exemplo, saca o bordão “é modo de dizer” toda vez que fala uma palavra que pode ter duplo sentido, como a arara que serve para pendurar roupas e não é o bicho, e mandachuva, que não tem nada a ver com chuva. E também faz o público cumprimentar todos os objetos de cena. Uma parte legal é quando ela explica como funcionam os recursos sonoros. A cada barulho que o pessoal do som coloca, ela tem de corresponder no palco. Assim, ela encena os barulhos de cavalo, moto, chuva, esgrima…

Mas o mais divertido é quando as crianças sobem no palco para serem entrevistadas e encenar um trechinho do mito de Ulisses e Penélope. Uma das perguntas feitas a elas é: o que você quer ser quando crescer?

clara2.jpg

Clara Major Mendes, de 8 anos, quer ser jornalista. “Porque quando a gente é jornalista, a gente sabe das coisas.” Clara, que estava inteirinha de rosa, num look planejado para a peça, gostou muito da hora em que a atriz dançava, “porque ela dançava engraçado”, explicou.

pedro.JPG

Mas foi Pedro Quadro Fonseca quem roubou a cena. Ele tem apenas 5 anos, mas é um menino muito desinibido que faz pose de garoto mais velho ou “sabedor das coisas”. Ele quer ser bombeiro. Deveria ser ator, pela presença de palco e de espírito! Quando ele ouviu uma garotinha chorando na plateia, levantou de seu lugar, foi até a ponta do palco com pose de herói e disse: “Alguém está chorando aqui?”. Puxa, será uma garotinha em perigo? “Vai lá salvar, Pedro!”, sugeriu Penélope. Ele foi quem aceitou o papel de Ulisses. Porém, na hora de pedir Penélope (interpretada por outra garota da plateia) em casamento, quem disse que Pedro pediu? Ele se recusou! Que história é essa de casamento, ora! Pedro está fora! Mas por que ele quis ser Ulisses? “Eu queria ser rei, mas ser rei é chato.” Apesar disso ele gostou da peça. “Da música e um monte de coisa”, garante.

Pedro não vai estar lá na próxima apresentação. Mas quem sabe não é você quem rouba a atenção da plateia? No mínimo, vai rir com Penélope e seus entrevistados.

 

Penélope, a Repórter Cor-de-Rosa. Teatro Eva Herz (Conjunto Nacional: Av. Paulista, 2.073, Bela Vista). Domingo, às 15 h. Até 28/4. R$ 20. Duração: 50 minutos. Com Angela Dip e Robson Villsac. Texto: Flavio de Souza. Direção: Carla Candiotto.

 

sem comentários | comente

  • A + A -

alice.jpg

Cena do espetáculo Alice no País das Maravilhas (Foto: Divulgação)

(Por Natália Mazzoni) 

Você conhece a história da menina que caiu na toca do coelho e descobriu um mundo muito diferente daquele em que vivia? A história de Alice no País da Maravilha, de Lewis Carroll, foi recontada pela Cia. Le Plat Du Jour de um jeito bem diferente e travesso.

A Alice da peça mora num prédio e adora brincar, mas é ignorada por sua irmã mais velha. Entediada, ela cria um mundo maluco cheio de personagens curiosos, como uma rainha engraçada (responsável pela maioria das risadas da plateia) e um coelho que não consegue fazer truques de mágica. A menina busca entrar num jardim encantado, toma pílulas para aumentar e diminuir de tamanho o tempo todo, até que ela mesma nem sabe mais quem é.

O Estadinho esteve na reestreia do espetáculo e achou a história interessante. Quem nos ajuda com a crítica é a pequena Maria Júlia Silva Caliguieri, de 5 anos. Ela assistiu ao espetáculo ao lado de sua irmã mais nova, que dormiu! Algumas crianças dispersaram durante o espetáculo que, em alguns momentos, fica um pouco repetitivo. Mas Maria Júlia acompanhou todas as cenas e conta para você do que mais gostou. “Eu gostei da história, principalmente da cena em que a Alice come os cogumelos para mudar de tamanho. A rainha é legal e muito engraçada.”

IMG_2592.JPG

Maria Júlia gostou da versão que viu de Alice 

Ficou curioso para conhecer outro País das Maravilhas? A peça está em cartaz no teatro Alfa, em São Paulo.

Teatro Alfa – Rua Bento Branco de Andrade Filho, 722, Santo Amaro.
Sábados e domingos, 17h30.
Crianças (até 12 anos): R$ 15. Adultos: R$ 30

 

sem comentários | comente

  • A + A -

mulheres_sabidas.jpeg

Cena do espetáculo ‘As Três Mulheres Sabidas’ (Foto: Reprodução)

(Por Natália Mazzoni)

A Cia. Dedo de Prosa sobe ao palco da Livraria da Vila para contar três histórias no espetáculo As Três Mulheres Sabidas, com Dinah Feldman, Fernanda Viacava e Priscilla Herrerias . O primeiro conto, O Touro Negro de Norroway, vem da Escócia e conta a história de um duque preso no corpo de um touro. Depois de lutar com o diabo, o feitiço quebra e o duque procura pelas montanhas a esperta lavadeira que foi sua companhia nos dias difíceis.

A história é muito legal e abre passagem para outras duas que prendem a atenção de toda a plateia. Na história vinda da Irlândia (A Pobretona que Virou Rainha), uma menina simples do campo vira rainha depois que seu pai pede um pedaço de terra ao rei, que fica encantado com a inteligência da garota e se casa com ela. Mas, quando o rei percebe que a nova integrante do castelo é muito mais esperta que ele, as coisas começam a mudar.

Para fechar a peça, o conto escocês O Gentil Homem de Wastness conta a história de um homem solitário que se encantou com a beleza de uma mulher-foca. Apaixonado, ele decide prendê-la longe da água por sete anos, com a promessa de que depois desses sete verões ela poderia, enfim, escolher seu destino. O tempo passou, eles tiveram um filho, mas a mulher nunca se esqueceu de onde veio. A história termina no fundo no mar e é uma das partes mais encantadoras do espetáculo.

O cenário é feito com poucos objetos, que se transformam em várias coisas durante as histórias, tão bem contadas pelas atrizes que somos capazes de imaginar castelos, campos, mares. Maria Fernanda de Oliveira Rodrigues, de 6 anos, assistiu ao espetáculo na primeira fila. “A história de que eu mais gostei foi a do rei. Eu imaginei tudo como se fosse de verdade”, conta. 

IMG_2594_2.JPG

Maria Fernanda adorou imaginar os elementos do cenário

Quer imaginar também? O espetáculo fica em cartaz até o dia 24 de fevereiro na Livraria da Vila do Shopping JK Iguatemi, em São Paulo.

Sábados e domingos, às 15 h. Shopping JK Iguatemi (Av. Presidente Juscelino Kubitschek, 2.041).  Ingressos custam R$ 30 (R$ 15 a meia entrada). 

1 Comentário | comente

  • A + A -

ETBM___final.jpg

 

Você mora em Amparo? Se a resposta for sim, você já tem compromisso marcado para o fim de semana: o Primeiro Encontro de Teatro de Bonecos Mamulengos de Amparo. O evento começou ontem (dia 23) e está recheado de coisas bacanas para os próximos dias. Dê uma olhada na programação abaixo e divirta-se!

25/05 – sexta-feira 

10h – Mestre Sáuba (Carpina-PE)

10h15 – Chico Simões – Taquatinga/DF
Mamulengo – Presepada
Brincadeira: “O Romance do Vaqueiro Benedito”

 15h – Mestre Sáuba (Carpina-PE)
Intervenção com a Boneca Lindolva

15h15 – Sebastian Marques (Campinas-SP)- CPTB-Centro de Pesquisa de Teatro de Bonecos
Associação Cultural Inventor de Sonhos
Brincadeira: “Bendito os Beneditos”

Local: Fundação São Pedro

20h – Mestre Sáuba (Carpina-PE)
Intervenção com a Boneca Lindolva

Local: Rodovia de Amparo

20h15 – Mestre Zé Lopes – Glória de Goitá/PE
Brincadeira: “A Fazenda do Coronel Mané Pacarú”

Local: Rodoviária Amparo (verificar o endreço e o nome da prefeitura.)


26.05 – Sábado

10h30 – Mestre Sáuba (Carpina-PE)
Intervenção com a Boneca Lindolva

11h00 – Cia. Carroça de Mamulengos

12h00 – Mestre Zé Divina (Glória de Goita/PE)
Brincadeira: “As Presepadas do Casamento de Praxedes”

Local: Praça Pádua Sales

Para maiores informações ligue para (19) 3808-5185.

 

sem comentários | comente

  • A + A -

4___Festival_de_Teatro_Infantil___Tum_P_____Barbatuques_.jpg

Os Barbatuques, grupo que faz música com o próprio corpo

 

Começa hoje (dia 20) o 4º Festival de Teatro Infantil na cidade de Salto, a 100 km de São Paulo. O evento é realizado pelo Governo do Estado de São Paulo, e vai até domingo (dia 23).

Participam do festival 27 grupos de diversas partes do Brasil, e toda a programação é gratuita. Tem música, teatro, teatro de bonecos, mágicos e workshops (atividades onde você aprende a fazer coisas, como construir e manipular bonecos). Se você for da cidade, ou morar pertinho, vale a pena olhar a programação.

 

QUINTA-FEIRA (20.10)

 SALA PALMA DE OURO
18h – Abertura oficial
18h30 – Histórias por telefone – Cia Delas

 

SEXTA-FEIRA (21.10)

 SALA PALMA DE OURO
9h30 – Circo de Quintal – Cia Amado Amado – Intervenção Artística
10h – O Cisne – Cia de Teatro Entre Linhas
13h – Circo de Quintal – Cia Amado Amado – Intervenção Artística
13h30 – Aventuras de Gulliver – Cia Articularte
17h30 – Cia Teatral Cômicos – Intervenção Artística
18h – Experiências Mágicas – Fundo Falso

TEATRO DE RUA – AO LADO DA SALA PALMA DE OURO
16h – A Folia no Terreiro de Seu Mané Pacaru – Mamulengo da Folia               

WORKSHOP – SALA DE ENSAIO DA SALA PALMA DE OURO
16h – O Corpo e o Boneco – Cia de Teatro Entre Linhas

 PAVILHÃO DAS ARTES
11h – Circo do Quintal – Cia Amado – Intervenção Artística
14h30 – 100% Humor – Cia Teatral Cômicos – Intervenção Artística
15h – Meus Para Choques – Circo Vox
19h – 100% Humor – Cia Teatral Cômicos – Intervenção Artística
19h30 – O Fantasma da Máscara

 

SÁBADO  (22.10)

 SALA PALMA DE OURO
9h30 – Travessia – Caixa de Imagens – Intervenção artística
10h – Vovô – Cia Truks
13h – Travessia – Caixa de Imagens – Intervenção artística
13h30 – 100 + Nem Menos – Cia Noz de Teatro, Dança e Animação
17h30 – Travessia – Caixa de Imagens – Intervenção artística
18h – Tum Pá – Barbatuques

TEATRO DE RUA – AO LADO DA SALA PALMA DE OURO
16h – A Ciranda do Villa – Cia Lúdicos de Teatro Popular

WORKSHOP – SALA DE ENSAIO DA SALA PALMA DE OURO
16h – Construção de Bonecos – Cia Truks

PAVILHÃO DAS ARTES
11h – Realejo Poético – Cia Patética – Intervenção artística
11h30 – Assembléia dos Bichos – Bendita Trupe
14h30 – Realejo Poético – Cia Patética – Intervenção artística
15h – Dom Quixote e o Bode – Cia Burucutu
19h – Realejo Poético – Cia Patética – Intervenção artística
19h30 – O Domador de Férias – Furunfunfum e Circo & Cia

 

DOMINGO  (23.10)

SALA PALMA DE OURO
9h30 – Plantão do Riso – Cia Anomalias Teatrais – Intervenção artística
10h – A Cortina da Babá – Sobrevento
13h – Plantão do Riso – Cia Anomalias Teatrais – Intervenção artística
13h30 – Clarice Matou os Peixes – Cia do Abração
17h30 – Homem Banda e Mulher Sanfona – Cia Rodamoinho – Intervenção artística
18h – Na Arca às Oito – Cia Paidéia

TEATRO DE RUA – AO LADO DA SALA PALMA DE OURO
16h – Na Roda – Grupo Maria Cutia

WORKSHOP – SALA DE ENSAIO DA SALA PALMA DE OURO
16h – A Arte de Brincar – Cia do Abração

PAVILHÃO DAS ARTES
11h – Homem banda e mulher sanfona – Cia Rodamoinho – Intervenção artística
11h30 – Filhotes da Amazônia – Pia Fraus
14h30 – Homem banda e mulher sanfona – Cia Rodamoinho – Intervenção artística
15h – Circo de Pulgas – Cia Circo de Bonecos
19h – Plantão do Riso – Cia Anomalias Teatrais – Intervenção artística
19h30 – Pequeno Cidadão

 

sem comentários | comente

  • A + A -

menino_1.jpg 

(Por Natália Mazzoni)

“Quanto mais a gente lê, mais palavras a gente conhece. E a vida fica mais fácil”. Você já parou para pensar nisso? No quanto é importante conhecer novas palavras e se comunicar cada vez melhor com o mundo?

A frase foi tirada da peça O Menino que Vendia Palavras, baseada no livro de Ignácio de Loyola Brandão, que dá nome ao espetáculo. A história é sobre Pablo, filho de um homem muito culto, interpretado pelo ator Eduardo Moscovis. Um dia Pablo convida todos os amigos a irem até a sua casa para perguntar o significado de algumas palavras para o seu pai.  Utopia, lunático, degringolado, cornucópia…cada um queria saber uma coisa. E é assim que o menino percebe que poderia vender palavras para os amigos.

Até que um dia, Pablo descobre uma palavra que nem ele nem seu pai conheciam. Vale muito a pena assistir ao espetáculo. Você aprende novas palavras e sai de lá querendo ler mais do que nunca.

menino_pe__a_263.jpg

 Pablo (de verde) e seu pai, em uma das cenas da peça.

A direção é de Cristina Moura e a dramaturgia é de Pedro Bricio. A temporada vai até 20 de novembro no Teatro Shopping Frei Caneca (Rua Frei Caneca, 569, 6º andar), aos sábados e domingos, às 16 horas. Os ingressos custam R$ 50 e R$ 25 (meia entrada). Quem levar um livro infantil para doação, ganha desconto de 50% no preço do ingresso.

sem comentários | comente

  • A + A -
03.setembro.2011 06:50:06

Palco de contos

sassa2.jpg

Este livro não tem palavra nenhuma, mas permite que você invente todas que quiser. É um livro que funciona como palco de teatro de dedoches. Assim, toda vez que você abri-lo, pode criar uma nova história. Não é fantástico? Então clique aqui e aprenda como se faz com o Professor Sassá. Você vai aprender a fazer os dedoches de elefante e leão e também o cenário do teatrinho.

Para imprimir o molde1, clique aqui.

Para imprimir o molde2, clique aqui. 

O retângulo no feltro rosa tem 40 cm x 20 cm.

1 Comentário | comente

  • A + A -
18.agosto.2011 16:58:05

Outra chance

fulano_fundo.jpg

Fulano, boneco do grupo Giramundo. Foto: Giramundo/Divulgação.

Se você ainda não conseguiu assistir a nenhuma atração do “Sesi Bonecos do Mundo” (que acontece em São Paulo, no Teatro do Sesi e no Parque do Ibirapuera), aí vai mais uma chance para você: os bonecos do Giramundo também comemoram seu aniversário de 40 anos amanhã (dia 19). Os personagens do grupo vão fazer um desfile (chamado “Torres Andantes de Bonecos”) no vão livre do Masp, às 12 h (Av. Paulista, 1.578). Um pouco mais tarde, às 17 h, eles também se apresentam no Viaduto do Chá, em frente ao Shopping Light.

sem comentários | comente

  • A + A -

gato_shrek_1.JPG

O Gato de Botas, no filme Shrek Terceiro. Foto: DreamWorks Animation/Divulgação

Você conhece o Gato de Botas? O escritor francês Charles Perrault foi quem escreveu a história dele pela primeira vez, em 1697 (faz um tempão!).

Mas o conto original é pouco conhecido hoje em dia. Esse gatinho já apareceu em tantos livros, filmes e peças de teatro que sua história foi mudando. O que pouca gente sabe é que o Gato de Botas não é muito confiável!

Na história de Perrault, o Gato quer que ele e seu dono sejam muito ricos. Por isso, decide dar presentes ao rei (alguns coelhos que caçou), para que o soberano goste dele. E também faz um plano ousado: decide fingir para todo o reino que seu dono é um homem nobre, um tal de Marquês de Carabá. Ele consegue enganar até o rei com suas artimanhas! Mas não foi nada fácil. Para fazer com que o rei acreditasse que seu dono era rico, o Gato ameaçou os camponeses que viviam por ali, para que eles dissessem ao rei que aquelas terras eram do Marquês de Carabá. O Gato conseguiu até mesmo roubar um castelo, que pertencia a um poderoso feiticeiro! Sabe como? Ele desafiou o bruxo a se transformar em vários animais, pois lhe disse que duvidava que ele fizesse isso. Bravo, o feiticeiro se transformou em um leão, em um jacaré e até mesmo em um elefante. E o Gato lhe perguntou:

- Você consegue se transformar em um animal bem pequeno? Um ratinho, talvez?

Rindo daquele pedido bobo, o feiticeiro virou um rato bem pequeno. Mas o Gato, muito esperto, tinha planejado tudo: com um movimento rápido, ele devorou o feiticeiro! O bichano anunciou para todos os empregados que agora o castelo era do Marquês de Carabá, seu dono. E logo tratou de convidar o rei para um jantar. Impressionado com a riqueza do falso Marquês, o rei decidiu que a princesa se casaria com ele. Assim, o Gato de Botas fez com que seu dono ficasse muito rico (e ele próprio podia aproveitar toda aquela riqueza).

Que Gato malvado, não é mesmo? Ele não teve o mínimo remorso quando enganou todo mundo para conseguir ficar rico.

Depois que Charles Perrault escreveu esse conto, outras versões da história começaram a aparecer. Elas são um pouco diferentes dessa que você acabou de ler. Em muitas delas, o Gato de Botas nem é tão mau.

Na peça O Gato de Botas, dirigida por Paolino Raffanti, a história é quase essa. Mas tem algumas diferenças. Por exemplo, o presente que o Gato dá ao rei e à princesa é um colar de brilhantes, muito valioso (e não um coelho). Mas o Gato não comprou o colar: ele o roubou de um ladrão de joias. E ele nem sentiu culpa: “Ladrão que rouba ladrão tem cem anos de perdão!”, disse.

pe__a_1.JPG

Na peça, o Gato de Botas dá um colar de brilhantes para a princesa. Foto: Divulgação

No teatro, o Gato de Botas é amigo de um ratinho comilão. Os dois precisam enfrentar esse ladrão de joias malvado, que quer tomar o lugar do rei. Ao enfrentar o vilão, o Gato prova que não é tão malvado assim!

peça 2_2.JPG

Cena da peça O Gato de Botas, de Paolino Raffanti. Foto: Divulgação

A peça fica em cartaz em São Paulo até o dia 27 de novembro, no teatro Ruth Escobar (R. dos Ingleses, Bela Vista, 3289-2358).

gato_shrek_3.JPG

O Gato de Botas ataca Shrek no filme Shrek 2. Foto: Divulgação

Muita gente conheceu o Gato de Botas quando assistiu a Shrek 2. No filme, o Gato é bem diferente da versão de Charles Perrault! Mas, quando o bichano aparece pela primeira vez, ele não tem a melhor das intenções; afinal, ele encontra Shrek porque queria matá-lo! Mas depois ele fica bonzinho, e até que é bem engraçado e bonitinho!

Depois de Shrek, é comum ver Gatos de Botas segurando espadas por aí. Mas a arma não pertence à história original: o Gato de Charles Perrault só tem mesmo as botas. A equipe que fez o filme achou que seria engraçado o Gato usar espada, chapéu e capa, porque quem dubla o personagem (em inglês) é o ator Antonio Banderas, que também atuou no cinema como o super-herói Zorro. Lembra dele?

antonio_banderas.JPG

O ator Antonio Banderas, que dubla o Gato na versão em inglês. Foto: Andrea Comas/REUTERS

O Gato do Shrek fez tanto sucesso que ganhou um filme só para ele! Mas ainda vai demorar um pouquinho para chegar… Gato de Botas estreia só no dia 9 de dezembro. Mas o Estadinho colocou o trailer aqui embaixo, para você matar um pouco da curiosidade!

poster.jpeg

Foto: Paramount/Divulgação

1 Comentário | comente

  • A + A -
13.agosto.2011 07:00:38

Invasão de Bonecos

pdf_redacao_EST_01_EST_SUPL1_130811_17454.JPG

Bonecos podem falar e se movimentar. Calma, não é nada parecido com Toy Story! É que podemos dar vida a fantoches e marionetes quando brincamos com eles. Mas o grupo Giramundo sonhou mais alto: levou os bonecos (fabricados por eles) para os palcos. Isso mesmo: são bonecos-atores!

A primeira apresentação do Giramundo aconteceu em 1971. Desde então, eles não pararam de fabricar bonecos e apresentar espetáculos. Ao longo desses 40 anos de história, o grupo fez 33 peças e mais de mil bonecos!

Quem leu a matéria da edição de hoje (dia 13) do Estadinho já conhece a história do Giramundo. Mas, se você não leu, não tem problema. É só clicar nos links abaixo para ficar por dentro do assunto. Você vai ver que seis bonecos conversaram com a gente (com a supervisão do diretor Ulisses Tavares) para contar a história do grupo. Quando terminar de ler, é só rolar a página um pouquinho mais para baixo para conferir a entrevista com o Ulisses, ver vídeos dos personagens e saber onde você pode ver teatro de bonecos ao vivo!

Página 1

Página 2

Página 3

 

Quer saber mais sobre o Giramundo. Então veja essa entrevista que a gente fez com Ulisses Tavares, que é um dos diretores do grupo.

Estadinho: Como surgiu o Giramundo?
Ulisses: O Giramundo nasceu de uma vontade do Álvaro Apocalypse. Ele sempre quis produzir desenhos animados. Mas, na década de 1960, o Brasil não tinha estrutura para isso. O Álvaro era um ótimo desenhista, então resolveu transformar seus desenhos em bonecos.

Como os bonecos são feitos?
O grupo não tem uma técnica específica. O boneco pode ser feito com técnicas muito variadas, de tamanhos diferentes. Mas, no geral, a gente trabalha com madeira, isopor, pano, metal…

Vocês têm feito filmes com os bonecos. Por que resolveram ir além do teatro?
Na verdade, esse era o primeiro sonho do Álvaro, que queria fazer animação. Agora, nós conseguimos fazer filmes, o que não acontecia antigamente. E isso é ótimo, porque podemos ter um alcance muito maior do que no teatro e, assim, mostrar o trabalho do grupo para mais gente.

Quais as técnicas para manipular um boneco? Como fazer para que ele pareça realmente vivo?
Depende do boneco. Temos técnicas com boneco que se mexe acima da cabeça e outros que ficam na frente ou abaixo da cintura do manipulador. Os bonecos que têm o movimento mais delicado e mais real são os que ficam na frente do animador e as marionetes (aqueles bonecos com fios).

Vocês têm cursos sobre teatro de bonecos. Como funcionam?
Não é uma atividade regular ainda; não temos datas fixas para que os cursos aconteçam. Então, acabamos promovendo as aulas quando temos um intervalo na nossa agenda. No ano passado, fizemos um curso de teatro de sombras, que as crianças puderam participar. No curso, os alunos desenham os personagens, recortam e criam histórias para eles.

Quais outros projetos do Giramundo?
Tem um que chama Miniteatro Ecológico. Nesse projeto, temos peças, livros e vídeos que ensinam as crianças sobre os ecossistemas do Brasil, as riquezas naturais do nosso país. Também temos o Teatro Móvel, que é quando apresentamos as peças nas ruas de Minas Gerais.

Vocês também fazem peças para adultos. O que os bonecos das peças adultas têm de diferente dos bonecos para crianças?
Muitas vezes, a diferença está na aparência do boneco. O personagem já dá muitas dicas sobre a história da peça. Nas peças de adulto, os bonecos são mais obscuros, às vezes até grotescos. Nas histórias infantis, os personagens têm um desenho mais leve. Por exemplo, em Pedro e o Lobo, o público precisa gostar do Pedro, então ele tem cara de simpático. Mas o Lobo precisa ser estranho, para as crianças entenderem que ele é suspeito.

Entendeu direitinho como o pessoal do Giramundo trabalha? Então, dá uma olhada nesses vídeos para ver como os bonecos atuam.

Cena da peça O Aprendiz Natural, que participa do projeto Miniteatro Ecológico:

Cena da peça Carnaval dos Animais:

Cena de Pedro e o Lobo:

 

Gostou?

O grupo Giramundo vai estar, em breve, em São Paulo e no Rio de Janeiro. Aliás, eles fizeram 20 bonecos novos especialmente para o evento gratuito que acontece nessas cidades: o Bonecos do Mundo, que reúne outros grupos de Teatro de Bonecos de vários países. Além das peças, tem shows do Pato Fu, com o projeto Música de Brinquedo (no Rio de Janeiro), e da banda Pequeno Cidadão (em São Paulo). No Parque Ibirapuera (SP) e no Aterro do Flamengo (RJ), tudo acontece ao mesmo tempo. Então, olhe bem a programação e escolha o que quer ver.

gente_falante.JPG

 Espetáculo da companhia Gente Falante. Foto: Divulgação

SÃO PAULO:

Dia 17/8, no Tetro do Sesi:

  • 19 h e 21 h, espetáculo Cuentos Pequeños, da companhia Hugo e Inês (do Peru), e La Santa Rodilla, da companhia Manologías (do Peru)

 

Dia 18/8, no Teatro do Sesi:

  • 19 h e 21 h, espetáculo Mano Viva, da companhia Girovago & Rondella (da Itália)

 

Dia 19/8, no Teatro do Sesi:

  • 19 h e 21 h, espetáculo Gulliver, da companhia ViajeInmóvil (do Chile).

 

Dia 20/8, no Parque Ibirapuera:

  • 16h30, abertura do evento com o Grupo Giramundo (os bonecos vão desfilar no meio do público!).
  • Das 16h30 às 21 h (no Pavilhão da Exposição), exposição dos 40 anos do Grupo Giramundo.
  • 17 h, 18 h e 19 h (na Tenda dos Mestres), oficina Ateliê Ao Vivo com os Mestres Mamulengueiros, com Chico Simões, Tonho de pombos e Zé di Vina que ensinam a fazer e manipular bonecos.
  • Entre 17 h e 20h30 (no Mini Circo), espetáculo Circo Minimal, da companhia Gente Falante (do Brasil).
  • Entre 17 h e 20h30 (no Tablado), espetáculo Corsários Inversos, da companhia Mosaico Cultural.
  • 17 h, 18 h, 19 h e 20 h (no Palco 4), espetáculo Circo en Los Hilos, da companhia Victor Antonov ( da Rússia).
  • 17h15, 18h15, 19h15 e 20h15 (no Palco 4), espetáculo Poemas Visuais, da companhia Jordi Betran (da Espanha).
  • 17 h (no Palco 1), espetáculo Mano Viva, da companhia Girovago & Rondella (da Itália).
  • 18 h (no Palco 3), espetáculo Cuentos Pequeños, da companhia Hugo e Inês (do Peru), e La Santa Rodilla, da companhia Manologías (do Peru).
  • 19 h (no Palco 1), espetáculo Caetana, da companhia Duas Companhias (do Brasil)
  • 19h45 e 20h15 (na Tenda dos Mestres), espetáculo para adultos O Teatrinho de Dom Cristóvão, da companhia XPTO (do Brasil)
  • 20h30 (no Palco 2), show da banda Pequeno Cidadão

 

Dia 21/8, no Parque Ibirapuera:

  • 16h30, abertura do evento com o Grupo Giramundo (os bonecos vão desfilar no meio do público!)
  • Das 16h30 às 21 h (no Pavilhão da Exposição), exposição dos 40 anos do Grupo Giramundo
  • 17 h, 18 h e 19 h (na Tenda dos Mestres),  oficina Ateliê Ao Vivo com os Mestres Mamulengueiros, com Chico Simões, Tonho de pombos e Zé di Vina que ensinam a fazer e manipular bonecos
  • Entre 17 h e 20h30 (no Mini Circo), espetáculo Circo Minimal, da companhia Gente Falante (do Brasil)
  • Entre 17 h e 20h30 (no Tablado), espetáculo Corsários Inversos, da companhia Mosaico Cultural
  • 17 h, 18 h, 19 h e 20 h (no Palco 4), espetáculo Circo en Los Hilos, da companhia Victor Antonov ( da Rússia)
  • 17h15, 18h15, 19h15 e 20h15 (no Palco 4), espetáculo Poemas Visuais, da companhia Jordi Betran (da Espanha)
  • 17 h (no Palco 1), espetáculo Histórias da Carrocinha, da companhia Caixa do Elefante (do Brasil)
  • 18 h (no Palco 3), espetáculo Poemas Visuais, da companhia Jordi Betran (da Espanha)
  • 18h15 (no Palco 3), espetáculo Cadê Meu Herói?, da companhia Sobrevento (do Brasil)
  • 19 h (no Palco 2), espetáculo Gulliver, da companhia ViajeInmóvil (do Chile)
  • 19h30 e 20 h (na Tenda dos Mestres), espetáculo para adultos O Teatrinho de Dom Cristóvão, da companhia XPTO (do Brasil)
  • 20 h (no Palco 1), espetáculo para adultos O Incrível Ladrão de Calcinhas, da companhia Trip Teatro de Animação (do Brasil)

Teatro do Sesi: Centro Cultural Fiesp – Ruth Cardoso, Av. Paulista, 1.313

Parque Ibirapuera: Av. Pedro Álvares Cabral, s/nº, Ibirapuera

truks.JPG

Espetáculo da companhia Truks, que se apresenta só no Rio de Janeiro. Foto: Divulgação

 

RIO DE JANEIRO:

Dia 22/8, no Tetro do Sesi (Centro):

  • 19 h e 21 h, espetáculo Cuentos Pequeños, da companhia Hugo e Inês (do Peru), e La Santa Rodilla, da companhia Manologías (do Peru)

 

Dia 23/8, no Teatro do Sesi (Centro):

  • 19 h e 21 h, espetáculo Gulliver, da companhia ViajeInmóvil (do Chile)

 

24/8, no Teatro do Sesi (Centro):

  • 19 h e 21 h, espetáculo Metamophorsis, da companhia Teatro Tenj (da Rússia)

 

27/8, no Aterro do Flamengo:

  • 16h30, abertura do evento com o Grupo Giramundo (os bonecos vão desfilar no meio do público!).
  • Das 16h30 às 21 h (no Pavilhão da Exposição), exposição dos 40 anos do Grupo Giramundo.
  • 17 h, 18 h e 19 h (na Tenda dos Mestres), oficina Ateliê Ao Vivo com os Mestres Mamulengueiros, com Chico Simões, Tonho de pombos e Zé di Vina que ensinam a fazer e manipular bonecos.
  • Entre 17 h e 20h30 (no Mini Circo), espetáculo Circo Minimal, da companhia Gente Falante (do Brasil).
  • Entre 17 h e 20h30 (no Tablado), espetáculo Corsários Inversos, da companhia Mosaico Cultural.
  • 17 h, 18 h, 19 h e 20 h (no Palco 4), espetáculo Circo en Los Hilos, da companhia Victor Antonov ( da Rússia).
  • 17h15, 18h15, 19h15 e 20h15 (no Palco 4), espetáculo Poemas Visuais, da companhia Jordi Betran (da Espanha).
  • 17 h (no Palco 1), espetáculo Bonecrônicas, da companhia Anima Sonho (do Brasil).
  • 18 h (no Palco 3), espetáculo Cuentos Pequeños, da companhia Hugo e Inês (do Peru), e La Santa Rodilla, da companhia Manologías (do Peru).
  • 19 h (no Palco 1), espetáculo Metamophorsis, da companhia Teatro Tenj (da Rússia).
  • 19h45 e 20h15 (na Tenda dos Mestres), espetáculo para adultos O Teatrinho de Dom Cristóvão, da companhia XPTO (do Brasil).
  • 20h30 (no Palco 2), show do Pato Fu com bonecos do grupo Giramundo.

 

28/8, no Aterro do Flamengo:

  • 16h30, abertura do evento com o Grupo Giramundo (os bonecos vão desfilar no meio do público!).
  • Das 16h30 às 21 h (no Pavilhão da Exposição), exposição dos 40 anos do Grupo Giramundo.
  • 17 h, 18 h e 19 h (na Tenda dos Mestres), oficina Ateliê Ao Vivo com os Mestres Mamulengueiros, com Chico Simões, Tonho de pombos e Zé di Vina que ensinam a fazer e manipular bonecos.
  • Entre 17 h e 20h30 (no Mini Circo), espetáculo Circo Minimal, da companhia Gente Falante (do Brasil).
  • Entre 17 h e 20h30 (no Tablado), espetáculo Corsários Inversos, da companhia Mosaico Cultural.
  • 17 h, 18 h, 19 h e 20 h (no Palco 4), espetáculo Circo en Los Hilos, da companhia Victor Antonov ( da Rússia).
  • 17h15, 18h15, 19h15 e 20h15 (no palco 4): espetáculo Poemas Visuais, da companhia Jordi Betran (da Espanha).
  • 17 h (no Palco 1), espetáculo Vovô, da companhia Truks.
  • 18 h (no Palco 3): espetáculo Poemas Visuais, da companhia Jordi Betran (da Espanha).
  • 18h15 (no Palco 3), espetáculo Cadê Meu Herói?, da companhia Sobrevento (do Brasil).
  • 19 h (no Palco 1), espetáculo O Velho da Horta, da companhia Pequod (do Brasil).
  • 19h30 e 20 h (na Tenda dos Mestres), espetáculo para adultos O Teatrinho de Dom Cristóvão, da companhia XPTO (do Brasil).
  • 20 h (no Palco 2), espetáculo Gulliver, da companhia ViajeInmóvil (do Chile).

 

Aterro do Flamengo: R. Buarque de Macedo, s/n°, Flamengo

Teatro Sesi Centro: Av. Graça Aranha, 1, Centro

 

Os paulistanos estão com sorte! Além do Bonecos do Mundo, a cidade de São Paulo também recebe a Mostra São Paulo – Teatro de Bonecos 2011, que acontece em vários lugares:

Dia 13/8:

  • 15 h, no Parque da Água Branca (Av. Francisco Matarazzo, 455, Barra Funda), O Romance do Vaqueiro Benedito, do Grupo Teatro Mamulengo Presepada.
  • 20 h, no Espaço Sobrevento (R. Coronel Albino Bairão, 42, Belenzinho), No Toquen Mis Manos, de Valeria Guglietti (da Espanha/Barcelona).

Dia 14/8:

  • 15 h, no Parque da Independência (Av. Nazareth, s/nº, Ipiranga), O Romance do Vaqueiro Benedito, do Grupo Teatro Mamulengo Presepada.
  • 20 h, no Espaço Sobrevento, No Toquen Mis Manos.

Dia 15/8:

  • 14 h, no Centro de Convivência Educativa e Cultural de Heliópolis (Estrada das Lágrimas, 2385, Heliópolis), João Come Feijão, de Mariza Basso Formas Animadas.

Dia 16/8:

  • 19h30, na Escola Técnica Estadual de Arte (Av. Cruzeiro do Sul, 2630, Prédio II, Santana), João Come Feijão.

Dia 19/8:

  • 15 h, no Céu Perus (Rua Bernardo José de Lorena, s/nº, Perus), O Casamento da Baratinha, da Cia Stromboli.

Dia 20/8:

  • 15 h, no Parque do Povo (R. Henrique Chamma, 590, Pinheiros), A Folia no Terreiro de Seu Mané Pacarú, de Mamulengo da Folia.
  • 20 h, no Espaço Sobrevento (R. Coronel Albino Bairão, 42, Belenzinho), A Tecelã, do grupo Caixa do Elefante.

Dia 22/8:

  • 10 h e 15 h, no Céu Jaçanã (R. Antônio César Neto, 105, Jaçanã), A Caixa, da Cia. Mútua.

Dia 23/8:

  • 15 h, no Céu Jaçanã, Encantadores de Histórias, do grupo Caixa do Elefante.

Dia 25/8:

  • 10 h, no Céu Pêra Marmelo (R. Pêra Marmelo, 226, Jaraguá), Os Meninos Verdes, do grupo Voar Teatro de Bonecos.
  • 15 h, no Céu Pêra Marmelo, João e o Pé de Feijão, do grupo Voar Teatro de Bonecos.

Dia 27/8:

  • 10 h, no Parque da Água Branca (Av. Francisco Matarazzo, 455, Barra Funda), Máquina de Histórias, do Grupo Aldeia Teatro de Bonecos.
  • 15 h, no Parque da Água Branca, Bonecas, do Grupo Aldeia Teatro de Bonecos.

Dia 28/8:

  • 15 h, no Parque da Luz (Av. Tiradentes, s/nº, Luz), A Folia no Terreiro de Seu Mané Pacarú, do grupo Mamulengo da Folia.

Curtiu?

Se você não mora em São Paulo ou no Rio, não fique triste! É só prestar atenção na programação da sua cidade: as companhias de Teatro de Boneco estão sempre andando por aí. E, é claro, não precisa esperar ter uma apresentação. Você pode brincar de fantoches e marionetes e inventar histórias para eles. Quer tentar?

sem comentários | comente

  • A + A -
  • Galeria Estadinho

Comentários recentes

  • olivio jekupe: hoje em dia os autores indígenas estão cada vez mais publicando seus trabalhos, aqui na nossa aldeia...
  • kellynha: adorei só algumas que é meio sem sentido !!!
  • loana de campos: Adorei a sua ideia, vou tentar fazer
  • Liane: Olha, isso da própria criança gerenciar sua leitura é bem interessante, assim como vários outros aspectos...
  • giovanna: nãão , gosteei muito ;[[

Enquete

Desculpe, não há enquetes disponíveis no momento.

Arquivo

Blogs do Estadão