ir para o conteúdo
 • 

Estadinho

07.agosto.2012 07:00:50

Cheia de vontades

princesa.jpg

(Por Aryane Cararo)

Bruxas costumam ser temidas, mas não princesas. Mas a desta história era. Ninguém queria chegar perto, com medo de que a princesa tomasse para ela o que via. Tinha sido assim desde que nasceu. Ela queria tudo. E de tanto querer começaram a chamá-la de Princesa Desejosa e esqueceram seu nome verdadeiro.

Com o tempo, os súditos do reino perceberam que não adiantava ficar trancado em casa, com medo de que a princesa os visse e deles quisesse alguma coisa: ela queria mesmo sem vê-los. Então, todos foram embora. E quando já não havia mais nem Lua para desejar, a princesa descobriu que desejava algo que não via ou podia tocar: ela queria companhia.

Como essa questão se resolve você descobre no livro A Princesa Desejosa, da gaúcha Cristina Biazetto, uma história curiosa, de muita imaginação e com ilustrações lindas. Tão bonitas que você até deseja que o livro nunca acabe.

 

A Princesa Desejosa. Autora: Cristina Biazetto. Editora Projeto, R$ 38.

sem comentários | comente

  • A + A -
14.julho.2012 07:00:15

Gente de coragem

valente.jpg

(Por Aryane Cararo)

“Se você tivesse a chance de mudar o seu destino, você mudaria?” Essa pergunta quem faz é Merida, uma princesa muito corajosa e bastante diferente das que a Disney já apresentou. Em Valente, novo filme da Disney-Pixar que estreia sexta-feira, dia 20, Merida vive em um reino na Escócia e gosta de cavalgar, atirar flechas pela floresta e ouvir as histórias de luta do pai. Ela não tem modos de princesa: não liga para se sujar, odeia usar roupas apertadas e não quer, de jeito nenhum, casar-se agora. Mas é exatamente isso que sua mãe planeja para a filha: casamento.

 

Elinor, a mãe, organiza um torneio entre os filhos dos lordes para saber qual rapaz ganhará a mão da filha. O vencedor leva a princesa como esposa. Esta é a tradição. Os casamentos são arranjados pelos pais para ajudar nas alianças políticas e, assim, manter a paz. Mas Merida vai desafiar tudo isso e ir contra a vontade de sua mãe. Para tanto, ela pede ajuda a uma bruxa velha. Quer um feitiço que faça a rainha mudar de ideia. Mas não vai dar muito certo e Merida terá de se esforçar para fazer tudo voltar ao normal e, ainda por cima, ganhar a liberdade para decidir seu destino.

 

val.jpg

 

Pensando nessa garota corajosa e moleca, o Estadinho foi atrás de outras crianças valentes, que fazem o que gostam e não ligam para o que dizem. Para eles, não existe brincadeira ou atividade só para meninos ou só para meninas. Eles conversaram com a repórter Fernanda Araujo e, se você não leu, pode ver aqui (tem mais informações sobre o filme Valente também). Afinal, brincar é universal e não é uma questão de gênero.

Página 1

Página 2

Página 3

Página 4

Veja mais fotos de Valente:

 

comentários (2) | comente

  • A + A -

mickey.JPG

 

(Por Aryane Cararo, enviada a Porto Alegre)

É um momento mágico. Mickey Mouse aparece para abrir o show Disney On Ice – 100 Anos de Magia e todo mundo vira criança. Pertinho dos personagens, todo mundo se emociona. O show é lindo, é verdade. As coreografias são bonitas, as acrobacias são de prender o fôlego em alguns momentos e tudo fica mais difícil num espetáculo que é todo feito sobre patins no gelo. Sim, gelo de verdade! São de 15 a 20 cm de gelo na pista, que demora dois dias para ficar pronta. Mas, deixada de lado a produção, que é incrível, o encanto maior é mesmo estar frente a frente com os personagens. Hoje (dia 9) e amanhã, eles estão no Rio de Janeiro com o espetáculo no ginásio do Maracanãzinho. De 14  a 24/6, o show prossegue em São Paulo, no Ginásio do Ibirapuera.

Leia o que foi publicado no Estadinho

Minnie, Pateta, Pato Donald, Tico e Teco fazem o primeiro número, de 18 histórias que serão contadas em duas horas de espetáculo. Parece muito, mas seus olhos não se cansam de acompanhar um show atrás do outro, com ritmo suficiente para ninguém ter sono. No palco, os 47 patinadores se revezam para interpretar mais de 60 personagens (não adianta procurar por vilões, porque eles ficaram de fora!). Eles vão saltar, dar piruetas, saltos mortais e quase voar, segurados apenas por outro patinador.

As crianças que assistiram garantem: é o melhor Disney On Ice que já viram. “Está melhor em tudo! Eles estão fazendo mais coisas e estão saltando mais e melhor”, explica João Pedro Dutra Thomazoni, de 12 anos. “Essa vez foi mais legal por causa das princesas”, diz Larissa Rosa de Oliveira, de 6 anos. E Pietra Andrade Braun, de 7 anos, garante: “Eu tinha visto só o DVD. É bem mais legal ao vivo”.

Foram dez meses de treinamento para que tudo ficasse perfeito e Disney On Ice – 100 Anos de Magia pudesse começar a rodar o mundo. É o espetáculo com maior quantidade de artistas de todas as temporadas. “Tem desde histórias antigas, como Branca de Neve e Pinóquio, como modernas, como Toy Story e Os Incríveis. Você vê avós cantando as canções antigas e as crianças as músicas dos filmes mais novos”, conta o diretor artístico, Cory Obst. Seu personagem preferido é o Pateta, o mais desobediente, mas também o “mais engraçado e bobão”. Como coreografia, ele prefere a de Mulan e da Bela e a Fera.

Para quem tem o sonho de fazer parte do Disney On Ice, Cory dá as dicas: “Tem que aprender a patinar e trabalhar duro.  Leva muito tempo para patinar bem. E manter o foco, insistir e se esforçar!”

 

 

Entrevista com os patinadores:

O americano Stephan Alvin, de 28 anos, interpreta a Fera e Simba no espetáculo. Ele conta um pouco mais sobre o show:

DSC_1560.JPG

 

Qual parte você prefere: da Fera ou do Simba?

Stephan: Os dois, porque eles são muito diferentes. A Bela e a Fera é clássico, tem muita dança, é romântico, tranquilo. É uma valsa. Já Simba é um animal, é uma coreografia mais forte.

Qual é mais difícil de fazer?
A Bela e a Fera.

Você já se machucou patinando?
Quando eu tinha 15 anos, machuquei minhas costas e fiquei um ano sem poder competir.

Quando você era criança, de que personagem mais gostava?
Do Tubarão do Nemo!

Você já conhecia o Brasil? O que sabia sobre o País?
É a primeira vez que venho. Mas já tinha ouvido falar sobre futebol, Ronaldo, Ronaldinho… Ah, e as churrascarias são muito boas!

 

A russa Marina Bystryakova, de 28 anos, faz o papel de Bela e Nala (do Rei Leão):

DSC_1561.JPG

Você começou a patinar com quatro anos. Por que tão cedo?
Marina: Para competir (ela explica que na Rússia é muito comum as crianças começarem a patinar muito pequenas, até por causa  do clima frio do país).

O que é melhor em fazer parte de Disney On Ice?
O show é muito excitante e nós viajamos tanto, conhecemos tanta gente… Isso é muito legal!

Você conhecia algo sobre o Brasil?
Não. A Rússia é muito longe daqui… Mas vou ter um dia livre no Rio para conhecer!
Rio de Janeiro:
Ginásio Maracanãzinho (Rua Prof. Enrico Rabelo, s/n). Hoje (dia 9), às 15 h e 19 h. Domingo (10), às 11 h, 15 h e 19 h. De R$ 50 a R$ 200.

São Paulo:
Ginásio do Ibirapuera (Rua Manoel da Nóbrega, 1.261). Inf.: (11) 4003-5588. De R$ 50 a R$ 200.
- Quinta-feira 14-06: 15h e 20h
- Sexta-feira 15-06: 10h30, 15h30 e 20h
- Sábado 16-06: 15h e 19h
- Domingo 17-06: 11h, 15h e 19h
- Terça-feira 19-06: 20h
- Quarta-feira 20-06: 20h
- Quinta-feira 21-06: 15h e 20h
- Sexta-feira 22-06: 20h
- Sábado 23-06: 11h, 15h e 19h
- Domingo 24-06: 11h, 15h e 19h

 

(A editora viajou a convite da T4F)

comentários (2) | comente

  • A + A -

nuvem.jpg

O Estadinho de 24 de março propôs um desafio: escrever uma história com as palavras que formaram a nuvem de tags , resultado de todos os textos já publicados na seção Pequenos Contadores (clique aqui para ampliar a página acima). Uma turma de alunos da professora Veronice Leal, do 5º ano do Colégio Santa Maria, em São Paulo, topou e mandou suas histórias. A que está abaixo foi publicada no Estadinho de papel (mas aqui está a versão sem cortes). Os outros textos você lê nos posts seguintes. Boa leitura!

 

Uma semana de glamour

10vitoria.jpg

“Havia uma casa no topo de uma montanha e lá vivia uma menina chamada Maria e sua mãe, Roxane. Elas moravam em uma pequena cidade e eram muito pobres. Roxane vendia comida e frutas e Maria ajudava sua mãe nos fins de semana (nos dias de semana, ela ia à escola).

Depois de um mês cansativo de trabalho, mãe e filha decidiram tirar férias em uma cidade muito chique: Paris. Pegaram o primeiro barco e lá foram elas, prontas para passear. No dia seguinte, desembarcaram do barco e seguiram para o hotel. Deixaram as mala e foram para um tour por Paris, visitaram a Torre Eiffel, museus e várias galerias. Já estava tarde, mas decidiram ir ao castelo da princesa por último. Quando chegaram, viram um jardim muito grande e entraram no castelo. Então, viram a princesa saindo com sua carruagem. A secretária da princesa disse a Maria:

- Princesa, corra, vá se arrumar. Está quase na hora da festa!

A menina ficou sem palavras, subiu para se arrumar com sua mãe. Descobriram que a princesa e a Maria eram quase iguais e, por isso, a confundiram com Maria. Mas ela até gostou do engano e continuou fingindo que era a princesa. Foram à festa e ainda tiveram um evento com as amigas da princesa.

No terceiro dia, Maria e sua mãe receberam café da manhã na cama e massagem com água quente e pedras. Maria falou a sua mãe:

- Estamos em um belo sonho, não é, mãe?

- É, minha filha, estamos – respondeu a mãe.

A cama delas era de seda e pétalas de rosas. Em volta do castelo tinha muita natureza.

Faltavam quatro dias para voltarem, então aproveitaram ao máximo. Foram a uma festa com meninos amigos da princesa. Assim que voltaram, assistiram a um filme de medo. À noite, foram comprar joias e roupas. No dia seguinte, Maria foi andar de cavalo e caiu muitas vezes, todos riram, mas ela não ligou. Ela sempre andava a cavalo, mas errou a galopada naquela hora.

Para ela, era o melhor dia de sua vida. O último dia começou bem com um almoço entre a família e depois uma aula de dança. A professora só repetia uma vez cada passo. Já era tarde e correram para o hotel pegar as malas e ir para o barco. Às onze horas, o barco saía e elas chegaram na hora. Passaram-se anos e anos e elas nunca esqueceram aquela semana.”

Vitoria Comitre Leite, 11 anos.

sem comentários | comente

  • A + A -

8maria.jpg

“Era uma vez uma mãe chamada Maria, que tinha uma casa enorme e duas crianças, a Roxane e o Pedro, gêmeos de 9 anos. De manhã cedo iam para a escola e, à tarde, brincavam.

Hoje, o dia deles começou bem, foram à escola e, chegando em casa, foram ao super com a sua mãe comprar comida e água, que faltavam. O super era na cidade e Roxane viu ali um castelo da Barbie. Era belo, parecia um sonho, por isso, resolveu pedir a sua mãe para brincar com as amigas. Mas sua mãe lhe disse:

- É muito caro!

Ela começou a chorar e as pessoas ficaram olhando. Foi então que ela acordou para sua realidade. Pedro ficou lá parado, viu Maria, uma colega de escola que todos os dias sentava do seu lado e do lado de outro menino. Já estava na hora de ir embora, voltando para casa, Pedro chamou um amigo para brincar no jardim. Ele ficou com medo de cair do skate novo e ficar em coma, mas o muro que estava era alto e ele caiu. Em sua vida toda ele tinha medo de ficar em coma, mas, mesmo assim, acabou ficando. Só lhe restara olhar a natureza de sua janela.”

Rafaela Lopez, 10 anos

 

Esta é uma história produzida por um dos alunos da professora Veronice Leal, do 5º ano do Colégio Santa Maria, em São Paulo, que aceitou o desafio do Estadinho de criar uma história usando as palavras da nuvem de tags publicada na edição de 24 de março.

 

sem comentários | comente

  • A + A -

7maria.jpg

“Estava em casa, em um dia bem quente. Já era noite, então fui para a minha cama e comecei a dormir.

Tive um sonho que começou assim:

Era uma vez, uma cidade perdida nos Estados Unidos. Lá havia um reino. No castelo moravam a rainha Maria, sua filha Clara, seu pai, Ivã, Roxane e seus súditos.

Clara tem uma irmã adotada, maligna, chamada Roxane. Teve uma vez que Roxane quebrou o braço de Maria por causa de um sapato. Ela também já cortou o cabelo de sua irmã de tão belo que era. Por isso, Clara tem um pouco de medo de sua irmã, pois ela pode fazer coisas piores.

Ela acordou e viu que estava um belo dia. Então, foi ao jardim, assistiu à tevê e foi para a escola particular das Princesas. Chegando lá, Clara encontrou suas amigas, que são: Rapunzel, Cinderela, Branca de Neve e Jasmim.

A classe de Clara estava indo ensaiar com os príncipes as danças do baile de coroação. Sua irmã, Roxane, a empurrou. Clara quase caiu, mais o príncipe Nicolas a segurou a tempo e isso impediu que os meninos e as meninas dessem risada.

Clara disse a Roxane:

- Eu cuido da minha vida e você da sua. Como eu tenho vários amigos que sempre me ajudam, nada de ruim pode acontecer comigo!

Quando elas chegaram ao castelo, sua mãe perguntou:

- Foi legal a escola?

- Foi legal – Como se tudo estivesse ótimo.

Elas foram almoçar e tinha as comidas que elas mais gostavam. Elas sempre tomavam suco e água na hora do almoço, como se fosse vinho.

Clara e suas amigas foram ao shopping e fizeram várias compras. Conforme as amigas passavam, todas as pessoas ficavam olhando. Quando entravam numa loja, mostravam todas as coisas que tinham, diminuíam o preço só para elas comprarem.

Chegou o dia do aniversário de Clara e ela fez 18 anos, que é a idade que precisa ter para ser coroada. Ela ganhou um vestido bem bonito, era um tomara-que-caia longo, vermelho rosado.

Depois de algumas semanas, chegou o dia da coroação. Todos estavam lá. Clara estava com seu vestido novo. Ela estava indo para a coroação, até que a amiga de sua irmã falou:

- Vá com esse sapato. O salto é maior e combina com o seu vestido.

Ela sentou em seu closet para pôr o salto. Enquanto colocava o sapato, Roxane trancava a porta do closet. Sua irmã foi correndo para a coroação. Eles esperaram tanto que quase coroaram Roxane, até que Clara chegou, pois ela lembrou que tinha uma passagem secreta em seu closet, que ficava embaixo do sofá. Então, conseguiu chegar a tempo à coroação.

No final, Clara foi coroada como rainha, Roxane ficou presa no quarto por dois meses, tudo ocorreu bem, a cidade foi descoberta e fim.

Quando eu acordei, era hora do recreio. Por causa disso, minha mãe me deixou de castigo na natureza no sábado.”

 

Maria Fernanda Picolo Annesi, 9 anos

Esta é uma história produzida por um dos alunos da professora Veronice Leal, do 5º ano do Colégio Santa Maria, em São Paulo, que aceitou o desafio do Estadinho de criar uma história usando as palavras da nuvem de tags publicada na edição de 24 de março.


sem comentários | comente

  • A + A -

6catarina.jpg

“Maria tem 10 anos e ela mora com a mãe, Roxane, em uma casa pequena. Um dia, acordou atrasada para ir à escola e ficou com muito medo da Veronice brigar, pois Maria ficou sabendo que a Verô era super gente boa.

Então, em um outro dia perdeu a hora novamente. Quando chegou à escola, disse para a orientadora Malu que teve um sonho muito estranho. Malu perguntou assim:

- Menina, que sonho foi esse?

- É que, que… Foi assim: sonhei que morava em um grande castelo na cidade de São Paulo e que tinha um jardim enorme no meu quarto. Tinha também um belo papel de parede do Justin Bieber. O papel foi ficando velho e caiu bem em cima da minha cama. Tivemos, então, que trocar o papel de parede.

Sendo assim, fomos comprar. Minha mãe começou a procurar outros e achamos um só de natureza. Aí a minha mãe disse assim:

- Olha lá, aquele é bonito, cheio de gotas de água e uma piscina ao lado. Fiquei feliz da vida.

Voltamos para a casa e fui correndo falar para as minhas amigas. Quando comecei a falar, um monte de meninos apareceu.

Eu disse:

- Falamos depois, e fechei o vidro na cara deles.

Quando fui para casa, a comida já estava pronta. Fui brincar com minhas amigas e todos concordaram de brincar de contar histórias de era uma vez, até os meninos, e as meninas pensaram que eles não iam concordar .

Falei para a Malu assim:

- Malu, esse foi o meu sonho maluco desse dia e para sempre vou lembrar dele.”

 

Catarina Zanetti, 10 anos

 

Esta é uma história produzida por um dos alunos da professora Veronice Leal, do 5º ano do Colégio Santa Maria, em São Paulo, que aceitou o desafio do Estadinho de criar uma história usando as palavras da nuvem de tags publicada na edição de 24 de março.

sem comentários | comente

  • A + A -

9natalia.jpg

“Há muitos anos, o dia do desafio da princesa chegou. Ela era mais conhecida como Roxane. Iria passar por 4 desafios. Se ela conseguir passar, se tornará uma rainha completa. A mãe dela, a Rainha Maria, lhe  dará a coroa, mas, se ela não passar, terá que esperar cinco anos para fazer de novo.

É o seguinte, ela será coroada e a sua mãe não será mais um membro da família real, então, terá que se mudar para uma casa na natureza e tornará seu sonho realidade.

Quando eram dez horas, começaram os desafios. Até as pessoas da cidade grande estavam lá para assistir.

Uma menina disse bem alto:

‘As regras são: sempre que precisar de água, comida, amigas e de uma cama, grita ajuda e do que precisa. Agora você, princesa Roxane, terá que pegar três tipos de flores no jardim e seguir a calçada de tijolos rosas. Chegará num belo lago, nadará nele até acabar. Em seguida, continuará a seguir a calçada rosa. Quando vir três meninos, comprará uma vaca deles pelas três flores que encontrou. Dará uma palestra sobre como é a vida de uma princesa e prosseguirá até chegar ao castelo. Se cair da vaca, já perde. Boa sorte.’

Ela contou as flores, nadou, comprou a vaca, deu a palestra na escola e, quando estava chegando, ficou com medo e quase caiu, mas se segurou. Passou a linha de chegada e virou a rainha.

Acordou e viu que tudo era um sonho. O dia do desafio da princesa estava só no começo…”

 

Natalia Gama Ainzua Bruzzone, 5º ano

 

Esta é uma história produzida por um dos alunos da professora Veronice Leal, do 5º ano do Colégio Santa Maria, em São Paulo, que aceitou o desafio do Estadinho de criar uma história usando as palavras da nuvem de tags publicada na edição de 24 de março.


 

 

sem comentários | comente

  • A + A -
14.agosto.2011 14:20:32

Receitas cantadas

estadinho_01.JPG

Fotos e texto: Luiza Wolf/AE

O pessoal que foi ao Circuito Estadinho de ontem, dia 13, aprendeu a ver as receitas e alimentos de um jeito diferente. Andi Rubenstein e Renata Mattar já tinham contado Histórias de Cozinha na semana passada, no shopping Market Place. Mas a criançada que estava por lá se divertiu tanto que resolvemos repetir a dose, dessa vez na Livraria Cultura do Shopping Bourbon.

DSC02956.JPG

Andi e Renata (com sua fiel sanfona) ensinaram músicas sobre cozinha. Algumas crianças quiseram aprender a “dança da peneira” com Andi, que, na música, explicava como peneirar a farinha. Para dançar direito, precisa rebolar bastante!

DSC02970.JPG

Sarah, 4 anos, encarou o desafio da “dança da peneira”. E ela dançou direitinho!

Nesse Circuito Estadinho, Andi contou a História do Sal, que é um tempero muito comum nas cozinhas e, por isso, ninguém parece dar muita atenção para ele (mas muitas crianças que estavam por ali logo gritaram “Eu gosto de sal!”).

Andi disse que havia um rei que perguntou para suas filhas o que elas queriam de presente. Tinha que ser algo muito valioso! Elas responderam que joias e vestidos finos eram valiosos e, por isso, seriam bons presentes. As crianças que ouviam a história também já sabiam o que pedir. Tinha de tudo; até gente querendo ser sereia!

DSC02964.JPG

Mas uma das princesas da história não parecia saber o que escolher… Depois de pensar, a princesinha disse ao seu pai: “Quero sal”. O rei ficou muito bravo com a resposta. O sal é valioso?! Que história é essa?! A princesa, então, precisa mostrar para o seu pai o valor desse tempero.

DSC03015.JPG

Os amigos Lucas, 6 anos, Catarina, 5 anos, e Ana, 10 anos

Lucas, Catarina e Ana (que estão na foto aí em cima) adoraram a História do Sal. Se Lucas pudesse pedir algo ao rei, ele pediria para ser um super-herói! Já Catarina (que veio ao Circuito com o pé engessado!) pediria uma moto, para correr por aí. Ana disse que queria a paz no mundo.  Mas os três também adoraram a segunda história que Andi e Renata contaram, sobre uma macieira (e até trouxeram uma cesta de maçãs vermelhas e suculentas!)

DSC03012.JPG

Na história, havia uma macieira que queria muito ter uma estrela. Ela ficava olhando para o céu, à noite, e imaginava quando poderia ter uma estrela só para ela! Mas Andi mostrou que as maçãs já têm uma estrela. Será que você consegue descobrir esse enigma? Aí vai uma dica: peça para um adulto cortar uma maçã ao meio… e comece a procurá-la!

DSC03017.JPG

Maria Eduarda, 4 anos, adorou a história das macieiras e também as maçãs, que estavam deliciosas!

 As histórias de Andi e Renata foram muito divertidas. Se você perdeu esse Circuito Estadinho, não fique triste. No próximo sábado, dia 20, tem mais: Mariana Zanetti faz a oficina Nariz, Boca, Olhos… na Livraria Cultura do Shopping Villa-Lobos.

 

sem comentários | comente

  • A + A -

circ2

Você sabia que havia princesas no Sítio do Picapau Amarelo? Nunca viu uma lá? Talvez seja porque você não parou para ouvir as histórias da Tia Nastácia. Ela conhece cada conto de princesa… Se quiser ouvir, a contadora Andi Rubinstein vai falar sobre dois muito bacanas no Circuito Estadinho deste sábado, dia 21, às 15 horas. Vai ser na Livraria Cultura do Bourbon Shopping.

Só para você matar um pouquinho a curiosidade, tinha uma princesa que foi sequestrada pelo Bicho Manjaléu. Para salvá-la, seus irmãos tinham que achar o coração do monstro para poder matá-lo. Só que o coração ficava fora do corpo! E tinha outra princesa, numa história diferente, que adorava charada. Disse que só casava com quem fizesse uma que ela não conseguisse adivinhar. João Esperto foi tentar… Será que ele se deu bem?

Vai lá no Circuito Estadinho descobrir. Depois, a Andi conta a história da Bela Adormecida, mas de um jeito que dificilmente você já viu. Ela fez uma versão musicada e que tem até bonecos feitos por ela mesma.

 

Circuito Estadinho: Histórias da Tia Nastácia e a Bela Adormecida com Andi Rubinstein. Sábado (dia 21), às 15 horas, na Livraria Cultura do Shopping Bourbon (Rua Turiaçu, 2.100, Perdizes, São Paulo). Grátis.

 

sem comentários | comente

  • A + A -
  • Galeria Estadinho

Comentários recentes

  • olivio jekupe: hoje em dia os autores indígenas estão cada vez mais publicando seus trabalhos, aqui na nossa aldeia...
  • kellynha: adorei só algumas que é meio sem sentido !!!
  • loana de campos: Adorei a sua ideia, vou tentar fazer
  • Liane: Olha, isso da própria criança gerenciar sua leitura é bem interessante, assim como vários outros aspectos...
  • giovanna: nãão , gosteei muito ;[[

Enquete

Desculpe, não há enquetes disponíveis no momento.

Arquivo

Blogs do Estadão