ir para o conteúdo
 • 

Estadinho

“Em uma região do interior de São Paulo, João, um fazendeiro, estava há semanas em busca de uma resposta para um enorme problema.

Tudo começou quando, numa tarde, como de costume, João foi olhar suas abelhas trabalhar e encontrou todas mortas.

O fazendeiro ficou desesperado, porque eram elas que traziam a maior renda para a fazenda. Então foi plantado um mistério: como as abelhas morreram?

Primeiramente, João foi tentar investigar a fazenda e seus arredores, para ver se encontrava alguma pista. Mas ele não achou nada de estranho, a não ser algumas novas fazendas ali por perto.

Então, o fazendeiro resolveu chamar uma equipe de investigadores americanos, especialistas no assunto.

No início da pesquisa foram encontrados rastros de alguém que poderia ter andado por lá. Alguns dias depois, conversando com algumas pessoas, descobriram que o fazendeiro era muito odiado por todos os empregados, pois ele era muito grosso, chato e rígido com eles. Descobriram ainda que, alguns dias antes, ele tinha demitido um antigo empregado, apenas porque deixou uma galinha escapar e consequentemente esse empregado ficou muito bravo, pois ele tinha família para sustentar.

Pronto! Já tinha um suspeito em mãos, pois, revoltado, esse empregado podia ter matado as abelhas para se vingar do fazendeiro.

Mas surgiu outro suspeito, o entregador de compras, pois toda vez que ele ia até a fazenda para entregar produtos comprados por João no mercado da cidade, saía correndo das abelhas e na maioria das vezes era picado, ou seja, ele podia ter matado elas como uma forma de acabar com essas situações.

Após semanas investigando, descobriram que naquela região havia plantações de cana-de-açúcar que foram atingidas por uma forte praga, o que levou um jatinho a ter que passar por lá com um forte agrotóxico para exterminá-las. Isso aconteceu justamente no dia em que as abelhas morreram, concluindo: elas morreram envenenadas pelo agrotóxico.”

Beatriz Colovati Saccardo, 13 anos, 8º ano

 

Este é mais um conto de mistério produzido pelos alunos de oitavo ano do Colégio Santo Antonio, em Itapuí (SP). Eles escreveram os textos durante as aulas de língua portuguesa e o Estadinho publica um por dia no blog.

E você? Também quer ver sua história publicada? Escreva um conto bacana e mande para a gente, por correio ou e-mail! Aí vão os endereços:

Av. Engenheiro Caetano Álvares, 55, Limão, 6º andar (para a redação do Estadinho), São Paulo/SP. CEP: 02598-900

 estadinho at grupoestado.com.br

sem comentários | comente

  • A + A -
26.dezembro.2010 07:00:46

Meu desenho

des4.jpg

João Victor Clemente, 7 anos
Catanduva, SP

sem comentários | comente

  • A + A -

Na Fabriqueta de Ideias de sábado (dia 27), a escritora Katia Canton falou sobre como o artista italiano Giuseppe Arcimboldo criou sua própria forma de fazer arte, compondo retratos com alimentos. Veja um exemplo aí abaixo, que leva o título Outono:

arcimboldo.jpg

No final, ela propos que cada um pegasse folhas, flores e frutas em casa e montasse uma obra. O João Bachiega Kolokathis, de 5 anos, que mora em Campinas (SP), aceitou o convite e fez um lindo retrato. “Minha obra representa o outono, porque o esquilo está juntando castanhas”, explicou ele. Nós adoramos!!! Veja que legal que ficou:

esquilo.jpg

Parabéns, João! Seu esquilo ficou muito bacana!

 

Achou interessante? Quer saber mais sobre quem foi esse tal de Arcimboldo? Veja o que a Katia contou:

Giuseppe Arcimboldo (1527- 1593) foi um artista italiano da Renascença. Ele começou a pintar com seu pai, na cidade de Milão. Logo seu talento foi reconhecido e ele virou aluno de Leonardo da Vinci. Arcimboldo também foi convidado a se tornar um artista da corte do rei Fernando I, em Praga, atual capital da República Tcheca.

Nas horas vagas do seu trabalho, que era o de fazer retratos das pessoas importantes da corte, Arcimboldo criou um estilo que o distinguiria de outros pintores para sempre: passou a retratar pessoas, mas não como elas são vistas, e sim com figuras de animais, vegetais e outros materiais naturais, como em uma colagem.

Uma de suas obras mais famosas é a série Quatro Estações (pinturas realizadas em 1573, que pertencem ao Museu do Louvre, em Paris). A tradição de pintar pessoas de acordo com as estações do verão, outono, inverno e primavera já existia desde o Império Romano. Mas nunca ninguém tinha usado os elementos da natureza para compor esses retratos!

 

 

comentários (2) | comente

  • A + A -
04.novembro.2010 07:00:32

Meu desenho

3.jpg

João Francisco Lopes de Carvalho, 4 anos, Itapetininga, SP.

sem comentários | comente

  • A + A -
18.outubro.2010 17:15:33

Meu desenho

d7.jpg

João Guilherme T. Ramos, 8 anos
São Bernardo do Campo, SP

sem comentários | comente

  • A + A -
23.agosto.2010 18:42:04

Meu desenho

desenho1

João Lauria Pires Santos, 5 anos
Caconde, SP

sem comentários | comente

  • A + A -
22.agosto.2010 07:02:44

Meu desenho

des6

João Pedro Lopes, 12 anos
Bariri, SP

sem comentários | comente

  • A + A -
02.agosto.2010 07:00:18

Meu desenho

d7

João Rafael Colleoni, 5 anos
São Paulo, SP

sem comentários | comente

  • A + A -
17.julho.2010 07:03:13

Meu desenho

d8

João Felipe Oliveira de Souza, 8 anos
São Paulo, SP

sem comentários | comente

  • A + A -
04.julho.2010 18:00:23

Meu desenho

des5

João Pedro Cardoso Rocha, 6 anos
Atibaia, SP

sem comentários | comente

  • A + A -
  • Galeria Estadinho

Comentários recentes

  • olivio jekupe: hoje em dia os autores indígenas estão cada vez mais publicando seus trabalhos, aqui na nossa aldeia...
  • kellynha: adorei só algumas que é meio sem sentido !!!
  • loana de campos: Adorei a sua ideia, vou tentar fazer
  • Liane: Olha, isso da própria criança gerenciar sua leitura é bem interessante, assim como vários outros aspectos...
  • giovanna: nãão , gosteei muito ;[[

Enquete

Desculpe, não há enquetes disponíveis no momento.

Arquivo

Blogs do Estadão