ir para o conteúdo
 • 

Estadinho

 lobinho.jpeg

(Por Aryane Cararo)

Ultimamente, o Lobo Mau anda se dando muito mal. Tem livro que faz ele passar vergonha vestido de vovozinha, como O Mais Malandro, do qual já falamos. Em Quando o Lobo Tem Fome, o lobo também não se dá muito bem. Mas acaba surpreendido no final. É que ele não consegue fazer nada daquilo que queria: jantar um coelho urbano.

A cada tentativa de ataque ao coelho, o lobo acabava sem sua arma. Numa hora, perdeu a faca. Na outra, emprestou a corda para o gambá. Em outra ocasião, teve de dar a motosserra para o urso. No fim, ficou sem nada. E, quando decidiu atacar usando só as próprias mãos, foi surpreendido pelos bichos, todos vizinhos do coelho, fazendo um churrasco com todas as suas coisas. No fim, de lobo solitário no meio do bosque, ele vira um lobo vegetariano (e acompanhado) no prédio da cidade.

Quando o Lobo Tem Fome. Texto: Christine Naumann-Villemin. Ilustrações: Kris Di Giacomo. Berlendis & Vertecchia Editores, R$ 37.

sem comentários | comente

  • A + A -

carneirinho.jpg

(Por Aryane Cararo)

Qual é sua receita para dormir? Muita gente conta carneirinho quando está sem sono. Você já experimentou? A ideia é ficar imaginando os carneirinhos em fila pulando uma cerquinha (ou do jeito que você preferir). Não sei se dá sono ou se irrita quando os carneirinhos já são mais de cem. Mas o fato é que no livro Um, Dois, Três… Carneirinhos!, de Mij Kelly, há um homem que morre de sono quando vai contar suas dez ovelhas. Ele não chega até o cinco!

Um dia, um lobo vestido de carneiro bate à porta e, como ele não conseguia contar até o fim sem dormir, quase deixou o lobo entrar. Foi preciso esperteza das ovelhas para driblar a situação. Um livro bom para quem está aprendendo a contar. Será que você também vai dormir?

Um, Dois, Três… Carneirinhos! Texto: Mij Kelly. Ilustrações: Russell Ayto. Globinho, R$ 36

sem comentários | comente

  • A + A -

mad1.jpg

Com este cata-vento feito pelos cientistas malucos da Mad Science, você descobre sempre qual é a direção do vento. Clique aqui para ampliar e descobrir como se faz.

sem comentários | comente

  • A + A -
09.fevereiro.2013 07:30:42

De volta ao passado

capa_blog.jpg

(Por Natália Mazzoni)

O Estadinho desta semana falou sobre arqueologia. Você não sabe o que é isso? Clique nas páginas abaixo. Depois, volte aqui e veja mais sobre o assunto. Como o trailer do filme As Aventuras de Tadeo, que acaba de estrear nos cinemas.

Página 1

Página 2

As Aventuras de Tadeo

Quer saber mais sobre o filme espanhol As Aventuras de Tadeo? Tem trailer abaixo!

 

Entrevista: Enrique Gato, diretor de As Aventuras de Tadeo, fala mais sobre o filme

 

henrique_gato.jpg

Enrique Gato (Foto: Divulgação)

O Tadeo foi inspirado no personagem Indiana Jones?
O personagem e o filme são inspirados por toda obra do gênero de aventura, especialmente por filmes como O Segredo dos Incas, a saga A Múmia e os filmes de Indiana Jones. Minha intenção principal com Tadeo foi adicionar mais um título a essa lista e torná-lo um sucesso.

Quanto tempo a animação demorou para ser feita?
Nós passamos quatro anos para desenvolver o filme. Usamos um monte de tecnologias caseiras para criar os nossos filmes e nos tornar competitivos.

O filme recebeu cinco indicações ao Prêmio Goya 2013. O que você acha que chamou mais a atenção do prêmio?
É difícil de dizer. Nós fizemos um filme que as pessoas realmente gostaram e não temos muitas animações do gênero na Espanha, acho que isso ajudou bastante. Fizemos um filme especial que chamou a atenção da Academia Espanhola. E as pessoas amaram os personagens, especialmente Tadeo, então, acho que isso também conta.

Pensou em múmias?

TADEO.jpg

A múmia do filme As Aventuras de Tadeo (Foto: Divulgação)

Pensar em arqueologia nos faz lembrar das múmias, certo? Em desenhos, filmes e livros, você já deve ter encontrado muitas histórias sobre elas. Mas esqueça o personagem da múmia enfaixada, vagando atrás das pessoas, como aparece em As Aventuras de Tadeo. Uma múmia de verdade não faz isso. Ela é apenas uma pessoa que já morreu e foi preservada por até milhares de anos com a ajuda de algumas técnicas. Os egípcios, por exemplo, retiravam dos mortos todos os órgãos, o que dificulta a decomposição (e até o desaparecimento) do corpo. Depois, desidratavam morto com um tipo específico de sal até toda a água do corpo sair. Só depois eles enfaixavam. Os egípcios acreditavam que a alma necessitava de um corpo para a vida após a morte.

Este processo é chamado de mumificação. Isso pode acontecer também pela ação do tempo, que, em condições específicas, conserva o corpo. O assunto pode até parecer filme de terror, mas as múmias são peças importantes na descoberta do nosso passado.

A múmia humana mais antiga do mundo, de 5.300 anos, é conhecida como o “homem do gelo”. Desde seu descobrimento, em 1991, entre geleiras do vale de Ötz, nos Alpes italianos, a múmia passou por exames que mostraram detalhes sobre sua vida, como o ano em que o homem viveu (3.300 a.C.) e a idade que ele tinha quando morreu (46 anos).

Entrevista: Anna quer ser arqueóloga!

 

anna_1.jpg

Anna Xavier Rambelli (Foto: Arquivo pessoal)

Anna Xavier, de 8 anos, é filha de arqueólogo e pensa em seguir a profissão do pai.

Seu pai conta histórias de descobertas da arqueologia?

Sim, muitas historias. Principalmente de navios afundados.

O que a arqueologia tem de mais legal?

Estudar os homens do passado pelos objetos fora e dentro da água.

Você já mergulhou com o seu pai? S

Não, mas pretendo com 14 anos aprender a mergulhar com meu pai.

O que vc gostaria de descobrir, se fosse arqueóloga?

Uma cidade perdida no fundo do mar.

Arqueologia hoje

Gilson Rambelli, professor da Universidade Federal de Sergipe e presidente da Sociedade Brasileira de Arqueologia, é o pai da Anna. Ele fala mais um pouco sobre a profissão de arqueólogo abaixo.

Como é o trabalho de um arqueólogo?
O arqueólogo atua em diferentes frentes, como em pesquisas acadêmicas (graduação, mestrados ou doutorados), aulas em universidades e até pesquisas voltadas para os processos de licenciamentos ambientais, em empresas de arqueologia. Toda área que vai sofrer um grande impacto por motivo de construções ou reformas, por exemplo, passa por um estudo arqueológico preventivo, para achar objetos importantes da nossa história que possam estar enterrados no lugar.

Pode nos dar um exemplo do que a arqueologia descobriu recentemente?
No Canadá, o pessoal trabalhou com uma embarcação do tipo galeão espanhol que afundou no Canadá. Eles descobriram que o navio era mais antigo que a fundação do próprio Canadá, isso mostra que os espanhóis já usavam o litoral do país antes da chegada oficial dos franceses. Aliás, uma colega de trabalho acaba de me ligar para comentar sobre a notícia que está em todos os jornais: a descoberta da ossada de rei Ricardo 3º, que viveu no século 15.


O descobrimento de Ricardo 3º

 

rei_ricardo_reuters.jpg

Rosto do Rei Ricardo 3º, reconstituído pelos cientistas (Foto: Andrew Winning/Reuters)

Cientistas e arqueólogos britânicos anunciaram na última semana a confirmação da descoberta dos restos mortais do rei da Inglaterra Ricardo III. O esqueleto havia sido encontrado em setembro, durante uma escavação arqueológica sob um estacionamento em Leicester, cidade que fica 160 quilômetros ao norte de Londres. Uma reconstituição facial feita a partir do crânio do rei britânico Ricardo 3º revelou qual teria sido a aparência dele, que governou a Inglaterra no século 15.

Livros

Duas dicas para você continuar viajando no assunto.

Egiptologia.jpg
Egiptologia, Brinque-Book

Quer viajar para o Egito? No livro Egiptologia (Brinque-Book, R$ 59) você descobre curiosidades sobre o país contadas durante as aventuras da expedição de Emily Sands, que em  1926  desapareceu quando chefiava uma expedição pelo Alto do Rio Nilo. O livro é interativo: você pode puxar e levantar abas nas páginas e descobrir curiosidades.

buracos.jpeg

O Livro dos Buracos, V&R

O Senhor Buraco, um colecionador de buracos, viaja pelo mundo em busca de novas peças para sua coleção. Buracos pequenos e grandes, buracos da comida, do queijo, do bolo. Feitos pelo tatu e pela formiga, os buracos. Qualquer buraco entra para a coleção do Senhor Buraco. Ele bem poderia ser um arqueólogo, não é? Você conhece esta história em O Livro dos Buracos (V&R, R$ 49,90).

sem comentários | comente

  • A + A -
08.dezembro.2012 06:55:53

Cartão personalizado

 mari2.jpg

Mandar um cartão de Natal é muito legal. Ainda mais se ele foi feito por você mesmo, o que mostra o quanto é especial e criado com carinho. Quem recebe, com certeza, adora. Se quiser presentear amigos e familiares com um cartão, Mari Kanegae, da Aliança Cultural Brasil-Japão, ensina a fazer um. Clique aqui para ampliar.

 

sem comentários | comente

  • A + A -
20.outubro.2011 15:45:33

Barbie radical

BARBIE_PRONTA.jpg

Você deu uma boa olhada nessa Barbie? Se a resposta for sim, o que ela tem de diferente das outras?

A boneca mais famosa do mundo radicalizou o visual: apareceu com cabelo rosa e cheia de tatuagens. Bastante diferente do estilo princesa que ela costuma ter.

Mas, você acha que seus pais deixariam você ter essa Barbie? Escreve para a gente contando!

A Tokidoki Barbie Doll, como ela foi batizada, é uma edição limitada, e as vendas são só pela internet.

 

sem comentários | comente

  • A + A -
04.junho.2011 07:00:45

Letras em forma de…

As letras do alfabeto servem para escrever. Mas será que o abecedário inteiro vive em função só da escrita? É claro que não! Olhe para cada letrinha e pense que desenho bonito ela pode gerar.
Faça isso como aquecimento para o Circuito Estadinho de hoje (dia 4), que acontece às 15 h na Cultura do Shopping Villa-Lobos. É que a oficina da ilustradora Mariana Zanetti é sobre esse assunto.
Com o título Bicho de Letras, Mariana vai propor que cada criança desenhe um animal usando as letras. É assim: você pensa em um bicho. Uma vaca, por exemplo. Então, pega o V e “encaixa” no corpinho dela: a letra pode se transformar nas pernas (invertendo o V) ou na própria boca da vaquinha. Depois, com formas geométricas, termina de compor a figura. Divertido, não é? Apareça!

O Circuito Estadinho é hoje: Livraria Cultura do Shopping Villa-Lobos (Av. das Nações Unidas, 4.777). Grátis, às 15 horas.

Prepare-se: No dia 11/6, Ana Luiza Lacombe conta histórias de galos, galinhas e ovos na Livraria Cultura do Shopping Market Place, às 15 horas.

sem comentários | comente

  • A + A -
02.abril.2011 07:30:11

Circuito de fãs

ILUS.jpg

Ilustrações: Flávia Marinho/AE

O que alguém precisa ter para você virar fã? Ele tem de ser bonito? Loiro ou moreno? Precisa cantar ou atuar bem? Em geral, a gente nunca consegue escolher todas as características que gostaria para nossos ídolos. Imagine se você pudesse inventar um, seria legal, não é? No Circuito Estadinho você pode!
Hoje (dia 2), a artista plástica Jana Fragata vai propor uma atividade em que cada um cria seu próprio ídolo. Vai ser assim: ela distribuirá folhas só com cabeças ou corpos. O resto, você vai ter de inventar. Pode recortar imagens de revistas ou desenhar, colar adesivos coloridos ou etiquetas de bolinhas, escolher a roupa, enfeitar seu personagem com acessórios e montar o cenário que quiser
(um show, um filme, um esporte, um desenho animado…). Depois,
é só pensar nas suas manias e características.

É hoje: Livraria Cultura do Bourbon Shopping (Rua Turiaçu, 2.100, Pompeia). Grátis, às 15 horas.

VOCÊ É O ARTISTA: Desenhe o seu ídolo e mande para o e-mail  estadinho at grupoestado.com.br

E prapare-se: No dia 9 de abril, o grupo Contantes Contentes fala sobre ídolos e heróis em três histórias na Livraria Cultura do Shopping Market Place, às 15 h.

sem comentários | comente

  • A + A -

andy3.jpg

O Circuito Estadinho desse sábado, dia 26, foi uma fantasia só. Andi Rubinstein e Renata Mattar levaram todo mundo para lugares cheios de imaginação.

Enquanto Renata tocava uma divertida sanfona, e tirava objetos malucos de dentro de uma mala, Andi contou algumas histórias.

andy3.jpg

A primeira foi a de uma mulher muito tagarela, tirada de um conto de Monteiro Lobato, aquele escritor que criou o Sítio do Picapau Amarelo. Essa mulher falava tanto, mas tanto, que quando ela abria a boca, só se ouvia um blá blá blá blá blá blá blá blá blá sem fim. De tanto que a mulher tagarela falava blá blá blá, todas as crianças ficaram falando blá blá blá também.

Um dia, o marido dela encontrou um tesouro na floresta. Os dois ficaram muito contentes, e logo trataram de esconder o tesouro. Só que o marido sabia que a mulher falava demais, e ficou com medo que ela contasse para alguém. Daí, ele bolou um plano mirabolante.

O marido foi ao mercado, comprou um monte de macarrão, quilos e quilos de peixe, e um coelho bem branquinho.

Então, ele jogou os peixes na copa de uma árvore, espalhou o macarrão no gramado do bosque e escondeu o coelho perto do lago.

Voltou para casa e chamou a mulher para passear.

Enquanto caminhavam, passaram pela árvore cheia de peixes. O marido, então, disse: “Olha só, mulher. Quanto peixe maduro na árvore!”, e encheram um cesto de peixe. Depois, passaram pelo gramado. “Nossa, mulher. Veja quanto macarrão choveu ontem! Vamos levar um pouco para casa.” Por fim, passaram perto do lago, onde foram pescar. Disfarçadamente, o marido pegou o coelho e disse: “Mulher, olha o coelho d’água que eu pesquei!” E voltaram para casa.

Um belo dia, apareceu uma vizinha. Ela e a mulher tagarela começaram a conversar. Até que a tagarela não resistiu e falou do tesouro. A vizinha ficou tão admirada com a descoberta, que saiu contando para a vizinhança toda. Até que o assunto chegou aos ouvidos do rei.

O rei foi até a casa da tagarela, dizendo: “Ouvi dizer que vocês encontraram um tesouro. Como o tesouro foi encontrado na minha floresta, então ele é meu. Cadê?”

Mas o marido, que já sabia que isso ia acontecer, deu continuidade ao seu plano: “Olha, seu rei, não tem tesouro nenhum aqui, não. Sabe o que é? É que a minha mulher anda meio louca.”

A mulher não gostou nada disso, e já foi logo se defendendo: “Eu não estou louca coisa nenhuma, marido! A gente encontrou esse tesouro naquele mesmo dia em que deu peixe na árvore! Você não lembra, não? Depois, ainda choveu macarrão, e a gente pescou aquele coelho! Ora, louca, eu?”

E o rei ficou completamente convencido de que a mulher era realmente louca. Saiu da casa deles sem nem perguntar nada de tesouro, aquela maluquice.

andy3.jpg

Quem adorou essa história foi o Lorenzo Correa, de 6 anos. Tanto que todo mundo ficou achando que ele era parente da mulher tagarela, de tanto que ele comentava a história. O Lorenzo me contou que ele também adora jogos de computador.

***

A segunda história foi sobre um rei que adorava dançar. Ele criou uma dança muito louca, que parecia um galo sambando com as asas abertas, e prometeu dar um saco de moedas de ouro para quem descobrisse como se dançava.

***

andy3.jpg

Outro que quase não piscou foi o Fernando Branco, de 5 anos. No fim da terceira história, sobre uma macieira que queria crescer até chegar perto das estrelas, ele ficou com a mão cheia de estrelinhas brilhantes.

andy3.jpg

Já o Gabriel Pan, de 5 anos, não queria falar muito. Ele estava um pouco ocupado comendo um pedaço de maçã depois da história da estrela. Só que a mãe dele dedurou que era só ali que ele era quietinho. Porque em casa…

E Andi, a contadora de histórias, disse que tinha um pouco de cada personagem que ela apresentou nas histórias: era um pouco mulher tagarela, era um pouco do rei que adorava dançar e era quase sempre uma macieira que queria estrelas.

E você? Com quem você se parece mais? Ficou com vontade de conhecer outras histórias legais? Não deixe de ir ao próximo Circuito Estadinho! É sempre aos sábados, às 15h, em uma das unidades da Livraria Cultura. A gente se vê lá!

sem comentários | comente

  • A + A -
19.março.2011 07:15:23

Copie e cole

capa_imagem.JPG

Faz parte da sua rotina gastar bons minutos navegando na internet? Pois, hoje, peça aos seus pais para ficar um tempo a mais no computador. E avise que a culpa é nossa!
No meio de tantas opções, muitas vezes é difícil encontrar o que vale a pena (e deixar, assim, os adultos tranquilos). Selecionamos, então,  10 sites legais para você se divertir e aprender brincando. Há opções de leitura, contação de histórias, vídeos, desafios de matemática, experiências, criação de tirinhas, curiosidades e, claro, games. É só ver nos nossos links favoritos, copiar e colar no seu monitor!

Clique nas páginas abaixo para ver a matéria completa

Página 1
Página 2
Página 3

1 Comentário | comente

  • A + A -
  • Galeria Estadinho

Comentários recentes

  • olivio jekupe: hoje em dia os autores indígenas estão cada vez mais publicando seus trabalhos, aqui na nossa aldeia...
  • kellynha: adorei só algumas que é meio sem sentido !!!
  • loana de campos: Adorei a sua ideia, vou tentar fazer
  • Liane: Olha, isso da própria criança gerenciar sua leitura é bem interessante, assim como vários outros aspectos...
  • giovanna: nãão , gosteei muito ;[[

Enquete

Desculpe, não há enquetes disponíveis no momento.

Arquivo

Blogs do Estadão