ir para o conteúdo
 • 

Estadinho

Quer saber como foi a festa de 25 anos do Estadinho? A Exposição Estadinho – 25 anos contou com a presença de muita gente bacana, como o Mauricio de Sousa. Quem passou por lá, além de conhecer bem de pertinho o pai da Turma da Mônica, aproveitou as oficinas, fez desenho para ficar na exposição e conheceu muito da história do Estadinho. A festa foi linda. Você vê um pouquinho na nossa galeria de fotos.

Passe por lá!

A mostra está em cartaz até o dia 2 de março no Museu Belas Artes (muBA) – R. José Antonio Coelho, 879, Vila Mariana, São Paulo. Grátis.
Segunda a sexta-feira, das 10 h às 20 h, sábados, das 10 h às 16 h.

 

sem comentários | comente

  • A + A -
24.novembro.2012 17:30:11

É pique!

Capa blog_2.jpg

Você já sabe que o Estadinho fez 25 anos, certo? Para comemorar, além da exposição no muBA (clique aqui para ver o convite), o Estadinho ganhou uma edição cheia de história. Nela você descobre como ele começou, como as coisas funcionavam antigamente, vê capas antigas. Tem muita coisa legal. Para acessar é só clicar nas páginas abaixo.

Página 1

Página 2

Página 3

Página 4

Página 5

SUA VEZ

Como você viu na nossa reportagem de capa, alguns de nossos leitores soltaram a imaginação para imaginar como será o Estadinho daqui a 25 anos.  Por aqui a brincadeira continua. A Giulia Bueno Godoy, 11 anos já deu sua ideia, Hannah Benone, de 10 anos, também.

Hannah.JPG

Hannah Benone, 10 anos

“Eu gostaria que daqui a 25 anos o Estadinho tivesse mais páginas e pedisse mais coisas para os seus leitores. Também gostaria de ver mais uma seção de quadrinhos, com colaboração dos leitores. No futuro eu imagino um Estadinho bem colorido e tecnológico, como se fossem páginas virtuais com uma voz que le tudo para a criança. Teria até óculos 3D!”.

 giulia.png

Giulia Bueno Godoy, 11 anos

“Acho que vai ter desenhos, coisas para criança. E vai continuar no papel. Talvez o jornal venha com brinquedos e filmes”

Quer deixar a sua ideia? Comente ou mande sua ideia e foto para o email   1 Comentário | comente

  • A + A -

convite_blog.jpg

Vamos comemorar os 25 anos do Estadinho? A festa é hoje, em forma de exposição lá no muBA (Museu Belas Artes) Vai ter contações de histórias, fotos dos bastidores do Estadinho, varal de desenhos para você colaborar com o seu e ilustrações de muita gente boa que já coloriu as nossas páginas.

A programação de abertura é bem legal, olha só:

11 h – Contações de história com Andi Rubenstein

14 h – Contação de história com Kiara Terra

15h30 – Oficina artística de jornal com Lu Motta e Ana Basaglia

17 h – Bate-pop com o ilustrador Mauricio de Sousa, a editora do Estadinho, Aryane Cararo, e a gerente de sistema de bibliotecas Belas Artes, Leila Rabello, sobre o desafio e o prazer de escrever para crianças.

Museu Belas Artes de São Paulo (muBA) – Rua José Antonio Coelho, 879, Vila Mariana, São Paulo. Grátis.
Telefone:  (11) 5576-5771

A exposição está em cartaz até o dia 2 de março. Esperamos você lá.

 

 

sem comentários | comente

  • A + A -

convite_blog.jpg

Todo aniversário merece ser comemorado, certo? É por isso que o Estadinho vai fazer uma grande festa amanhã (dia 24) para comemorar os seus 25 anos!

A exposição Estadinho – 25 anos abre amanhã no MuBA (Museu Belas Artes), em São Paulo, com contações de histórias, oficinas, bate-papo com o ilustrador Mauricio de Sousa, varal de desenhos (você pode deixar o seu lá!), fotos do nosso parque gráfico, capas antigas e exposição de ilustrações exclusivas feitas por convidados. Tem Ziraldo, Suppa, Mariana Zanetti, Gonzálo Cárcamo, muita gente bacana que já fez arte nas páginas do Estadinho!

A exposição fica em cartaz até o dia 2 de março. Você não vai perder, não é? Clique aqui para ver o nosso convite.

Programação de abertura:

11 h – Contações de história com Andi Rubenstein

14 h – Contação de história com Kiara Terra

15h30 – Oficina artística de jornal com Lu Motta e Ana Basaglia

17 h – Bate-pop com o ilustrador Mauricio de Sousa, a editora do Estadinho, Aryane Cararo, e a gerente de sistema de bibliotecas Belas Artes, Leila Rabello, sobre o desafio e o prazer de escrever para crianças.

Museu Belas Artes de São Paulo (muBA) – Rua José Antonio Coelho, 879, Vila Mariana, São Paulo. Grátis.
Telefone:  (11) 5576-5771

 

sem comentários | comente

  • A + A -

convite_blog.jpg

O Estadinho fez 25 anos e, para comemorar, convida a todos para a sua grande festa! A exposição Estadinho 25 Anos vai celebrar a data no dia 24 de novembro, no muBa, com contações de histórias, oficinas artísticas, bate-papo com Mauricio de Sousa, ilustrações feitas por convidados especiais, capas que fizeram parte da história da publicação e muito mais. Vamos?

Quem passar por lá vai poder deixar seu presente para o Estadinho no grande varal colaborativos de desenhos, que começa com 25 escolhidos pela artista plástica Kátia Canton entre todos os desenhos já enviados para a redação.

Dia 24 de novembro, às 10 h
Museu Belas Artes de São Paulo (muBa) – Sede Núcleo de Design – Rua José Antonio Coelho, 879, Vila Mariana, São Paulo.
Em cartaz até 2 de março de 2013.  Entrada gratuita.

1 Comentário | comente

  • A + A -
19.novembro.2012 16:37:49

Deixe sua lembrança aqui

Capa blog_1.jpg

(Por Natália Mazzoni)

Caderno de perguntas, de lembranças, fotos, camiseta assinada. Tudo isso é muito legal de fazer no final do ano, afinal, muita coisa aconteceu em 2012 e você pode guardar o que foi bom para lembrar até quando for adulto. O Estadinho desta semana ensina a fazer “porta-lembranças”. Não viu ainda? Clique nos links abaixo. Depois, deixe aqui seu comentário sugerindo outras perguntas, brincadeiras…

Página 1

Página 2

Página 3

 

sem comentários | comente

  • A + A -

brog.jpg

Os amigos Kevin Xu, Gustavo Chang, Cristina Dong Yang e Felipe Xu moraram no Japão.  (Foto: Daniel Teixeira/Estadão)

(Por Natália Mazzoni)

Você já viu a nossa matéria de capa da semana? (se não leu ainda, pode clicar aqui). O Estadinho falou sobre mudar de país, conhecer novas culturas, aprender outra língua e fazer amigos. A coordenadora pedagógica do Colégio Santo Américo, Elaine Conceição Marquezini, fala mais um pouco sobre o assunto e dá mais dicas. Olhe só.

Estadinho: Quais dicas você tem para uma criança que acaba de chegar em outro país?
Elaine: Seria interessante que a criança pudesse, logo de imediato, se identificar a algo ou alguém, isso auxilia nesse período. Exemplo: Se a criança vem de um país de língua inglesa, conhecer uma professora que fale bem inglês no momento da acolhida e nos primeiros dias seria de grande importância.

Quais são os maiores desafios na hora de ir para a escola?
A língua é sem dúvida o grande problema. Existe uma dificuldade real para a criança que é se inserir em um grupo já estabelecido. A criança estrangeira pode despertar interesse e curiosidade, mas também ameaça. A equipe da escola (professores, coordenação, assistentes) são importantes neste momento, assim como a família.

Qual a melhor forma de fazer amigos na escola?
Primeiramente o aluno deve estar seguro quanto a essa mudança. Qualquer resistência nesse momento é prejudicial.

Tem dicas de como aprender a nova língua?
Essa não é uma situação fácil, mas também não é tão complicada como seria para um adulto. A conversa com os outros alunos, a tentativa de fazer as tarefas, o contato com músicas, contação de histórias, filmes, uso de tradutor e dicionário eletrônico pode ajudar nesse processo.

 

 

sem comentários | comente

  • A + A -
12.novembro.2012 07:00:31

Vamos fazer um boné?

maripeq.jpg

O Assim Assado desta semana ensina a fazer um boné usando só um pedaço de papel. Quem dá o passo a passo é a nossa colunista Mari Kanegae, da Aliança Cultural Brasil-Japão. Quer fazer? Clica aqui.

sem comentários | comente

  • A + A -
10.novembro.2012 07:00:17

Olá, Brasil!

Capa_blog.jpg

(Por Natália Mazzoni)

Você já leu o Estadinhodesta semana? Lá, tem várias histórias de crianças que viveram a experiência de mudar de país. Tiveram de aprender um idioma novo, fazer amigos. Se você ainda não leu, pode clicar nas páginas abaixo. Depois, continue aqui e conheça a história de Máximo Pardo Cano, aluno da Escola Internacional de Alphaville, de 10 anos. Ele saiu da Argentina e veio para o Brasil no ano passado.

Página 1

Página 2

DSC03178.JPG

Máximo Pardo Cano (Foto: Arquivo Pessoal)

Estadinho: Você se lembra de quando soube que mudaria de país?
Máximo: Lembro sim. Fiquei feliz, pois achei que era somente uma viagem. Quando meus pais falaram que iríamos morar no Brasil, gostei muito, sabia que iria conhecer gente nova, viajar pelas praias do Brasil. Minha irmã não queria vir, pois falava que todas as suas amigas estavam lá. Mas, agora, ela gosta bastante daqui.

Como era a sua vida na Argentina?
Frequentava a escola e, em todos os fins de semana, jogava tênis com meu pai. Não costumava viajar muito, só nas férias de verão, quando vinha muito para o Brasil, na praia do Costão do Santinho. Andava muito de bicicleta também.

Você ainda tem contato com os amigos de lá?
Falo muito com meus amigos através de e-mails, Facebook e Skype.

Teve medo de não fazer amigos no Brasil?
Não, nunca, pois todo mundo sempre falava que as pessoas são simpáticas no Brasil.

Como foi seu primeiro dia aqui?
Na verdade, foi a primeira noite. Gostei muito do hotel em que fiquei. Nos primeiros dias começamos a conhecer restaurantes, lojas e shoppings.

Como foi na escola? Lembra-se do seu primeiro dia?
No meu primeiro dia, sentei com um amigo que também havia acabado de entrar na escola. Depois, comecei a sentar perto do Guilherme Korps, que é muito legal. Agora sou amigo do Patrick também. Senti diferença no estudo, porque na Argentina só tinha três matérias (Matemática, Ciências e Espanhol), além de inglês durante a tarde e outras atividades como Educação Física. Aqui, tenho outras matérias, como História e Geografia, que são as minhas preferidas.

Quem foi seu primeiro amigo aqui?
Meu primeiro amigo foi o José Andrés. Ele é da Costa Rica e fizemos amizade porque começamos a sentar juntos, e também por conta do idioma em comum, o que facilitava nossa comunicação.

Achou a nossa língua muito difícil de aprender?
Não muito, mas algumas frases são difíceis.

Como se comunicava quando chegou?
Não me comunicava tanto. O que eu não entendia, perguntava para minha mãe, que sabe falar português, e ela me explicava. Demorei 5 ou 6 meses para aprender a falar português.

Se um amigo seu pedisse dicas de como lidar bem com a situação de mudar de país, o que você diria?
Falaria para ele não ficar tão nervoso, pois, depois de alguns meses, tudo fica familiar.

Do que mais gosta no Brasil? Sente saudades do seu país?
Gosto muito dos condomínios de Alphaville, pois o som dos caminhões não me acorda. Gosto também dos shoppings e das praias do Brasil. Mas sinto muita saudades da Argentina, principalmente de minha família, pois lá tenho minha avó, meus tios, todos os que amo.

Você conta sobre sua cultura para os amigos da escola?
Sim, às vezes eles perguntam sobre a culinária, especialmente sobre o doce de leite e o típico churrasco argentino.

sem comentários | comente

  • A + A -
09.novembro.2012 15:56:40

Vereadora por um dia

Você deve ter ouvido falar bastante em política nos últimos tempos, não é? Isso é assunto de adulto, mas os alunos do Colégio Santa Amália, Nathalie Melo Tedim Maria, de 11 anos, e Rafael Autuori, de 14 anos, serão vereadores por um dia na Câmara Municipal de São Paulo. É que eles venceram um concurso com 133 inscritos e participam hoje do 11º Parlamento Jovem Paulistano, projeto criado pela Câmara Municipal de São Paulo.

Rafael criou um projeto para a implantação do programa de fornecimento gratuito de caixas d’água com material reciclável. E a Nathalie propõe a utilização de suportes para bicicletas em toda a frota de ônibus da cidade de São Paulo. Ela falou um pouco mais sobre o projeto ao Estadinho.

 

Bate-papo

Nathalie_Melo_Tedim_Maria._Colegio_Santa_Amalia_Tatuape.jpg

Nathalie Melo Tedim Maria, vereadora por um dia

Estadinho: Seu projeto é sobre o melhor uso da bicicleta na cidade? Como teve essa ideia?
Nathalie: A implantação de bagageiros nos transportes públicos facilitaria o dia a dia das pessoas que dependem deles para chegar ao trabalho e à escola. Essa ideia surgiu, em 2011, quando estive no Canadá fazendo intercâmbio com o Colégio Santa Amália. Fiquei encantada com o modo de vida dos canadenses. Depois desta experiência, decidi utilizá-la no meu projeto, porque achei inteligente um único projeto trazer tantos benefícios para a população. Ele poderá contribuir para a diminuição da poluição, reduzirá a quantidade de carros que circulam pelas ruas e as pessoas podem praticar atividade física que traz muitos benefícios para a saúde.

Se você pudesse criar uma única lei para melhorar o Brasil, qual seria?
Gostaria de criar a lei do imposto único. Ouço os meus pais falarem que pagamos muitos impostos. Assim saberíamos o valor real dos impostos de cada mercadoria que compramos. Nos Estados Unidos, Canadá e Europa, isto já acontece.

Como você imagina que será o futuro do nosso país?
Se conseguirmos conscientizar a sociedade de que os políticos são nossos representantes, acho que vai ser muito melhor. Continuar responsabilizando os políticos pelo que está errado, não leva a lugar algum, pois somos nós que escolhemos essas pessoas através do voto.

 

 

sem comentários | comente

  • A + A -
  • Galeria Estadinho

Comentários recentes

  • olivio jekupe: hoje em dia os autores indígenas estão cada vez mais publicando seus trabalhos, aqui na nossa aldeia...
  • kellynha: adorei só algumas que é meio sem sentido !!!
  • loana de campos: Adorei a sua ideia, vou tentar fazer
  • Liane: Olha, isso da própria criança gerenciar sua leitura é bem interessante, assim como vários outros aspectos...
  • giovanna: nãão , gosteei muito ;[[

Enquete

Desculpe, não há enquetes disponíveis no momento.

Arquivo

Blogs do Estadão