ir para o conteúdo
 • 

Estadinho

31.março.2012 07:00:25

Tecnologia de criança

capa blog_1.jpg

(Por Natália Mazzoni)

Nesta semana, o Estadinho mostrou o que as crianças fazem com seus computadores, celulares e tablets. Afinal, estes aparatos tecnológicos já deixaram de ser coisa de adulto, não é? Tem joguinhos, troca de e-mails entre membros da família e aplicativos legais. Mas isso tudo não serve só para brincar.

Escolas e universidades do Brasil e do mundo já usam tablets e até celulares na sala de aula para passar conteúdo. O projeto Minha Vida Mobile, por exemplo, foi criado em 2006 para incorporar o uso de celulares ao processo de aprendizagem em escolas públicas brasileiras. Cerca de 1.600 pessoas (entre professores e estudantes) já participaram do projeto, que também foi feito com crianças de 13anos.

Se você não leu ainda a reportagem do Estadinho, pode clicar nas páginas abaixo. É legal para entender como os celulares são usados em escolas, ter novas ideias do que fazer com os seus “brinquedos” ou então descobrir o que tanto os seus amigos fazem com esses aparelhos.

Página 1

Página 2

Página 3

Você gosta de tecnologia? Conhece todas as palavras diferentes que estão nesse universo? Confira, então, nosso glossário.

Download – É a transferência de dados (pode ser um programa ou uma música, por exemplo) de um computador remoto  para um computador local (o seu). Ou seja, você pega algo da internet e coloca em seu computador.

Baixar – É quando você faz download de alguma coisa da internet para o seu computador.

Tablet – É uma espécie de computador pequeno, portátil e bem fininho. Devido ao formato e à tela sensível ao toque (aquela que você usa tocando com seus dedos), este tipo de computador é muito usado para navegar na internet, reproduzir músicas, jogar e ler livros, jornais e revistas.

Aplicativo – Aplicativos são programas desenvolvidos para auxiliar em alguma tarefa. Por exemplo: você pode baixar um aplicativo no seu tablet ou celular para resolver equações de matemática. Ou baixar um livro que, neste caso, será o próprio aplicativo.

Gadgets – Significa “geringonça”. Na prática, é um equipamento tecnológico com alguma função específica. Pode ser um celular, um tablet ou um notebook, por exemplo.

 

MAIS DICAS

Agora que você já sabe tudo isso, pode começar a brincar. As crianças que participaram da reportagem dessa semana deram mais sugestões de coisas legais para fazer no computador, tablet ou celular.

Joana Riddell, de 8 anos, adora o Mouse Maze, um joguinho de labirintos bem legal para jogar no tablet. Você escolhe o nível de dificuldade e passa de fase quando consegue percorrer todo o caminho de cada jogo.
Ela gosta também do Talkin News e do Talking Tom, dois aplicativos para baixar no tablet ou celular. Você escolhe o animal que quiser, fala alguma coisa e ele repete tudo o que você diz!

Felipe Riddell, de 5 anos, contou para o Estadinho que seu jogo preferido no Nintendo DS é o Mario Bros. Além de ter um de seus personagens favoritos, é cheio de aventuras.

Isabela Pinheiro Montalban, de 7 anos, adora o Barbie Fashionistas, que você pode jogar no site da Barbie.

 

 

comentários (3) | comente

  • A + A -

Grande___rea.jpg
Acervo permanente do Museu do Futebol Foto: Divulgação

Amanhã ( dia 31), o Museu do Futebol promove dois eventos inéditos: o lançamento oficial da cartilha “Preserve o seu Acervo” e o “1º Encontro de Colecionadores de Objetos de Futebol”.

O lançamento da cartilha acontece às 10 horas, com palestras de Teresa Toledo de Paula (conservadora de têxteis e Profa. Dra. do Museu Paulista da USP), Marília Fernandes (conservadora de fotografias) e Claudemir Ignácio (conservador de metal e pintura mural). Os especialistas ensinarão técnicas para preservar coleções.

No mesmo dia, às 12 horas, o 1º Encontro de Colecionadores de Objetos de Futebol vai reunir apaixonados pelo esporte e suas coleções. Quem aparecer por lá vai conhecer coleções enormes de álbuns de figurinhas, ingressos, postais, medalhas, miniaturas de jogadores, flâmulas, botões, bottons, selos postais, brinquedos e todo tipo de objetos ligados à história do futebol.

1° Encontro de Colecionadores de Objetos de Futebol e lançamento da cartilha: Museu do Futebol – Praça Charles Miller, sem número. Das 10 h às 17 h, grátis.

sem comentários | comente

  • A + A -

mad.jpg

 

Você já conhece algumas brincadeiras explosivas da Mad Science. Uma vez por mês, eles estão na seção Assim Assado do Estadinho (nesta foto, Pri Primata, Jessi Jupiter e Marta Meteoro ensinaram a fazer um barco com motor de sabonete). Mas, neste sábado (dia 31), você vai poder participar de uma delas ao vivo! É que os cientistas malucos estarão no Circuito Estadinho e prometem muita movimentação por lá.

Entre as experiências que eles vão fazer está um vulcão de espuma. Você também poderá ajudá-los a construir um aparelho que simula o efeito submarino.  E cada participante ainda leva para casa uma experiência surpresa! Vai ser muito legal.

SÁBADO (31/3): experiências malucas com Mad Science na Livraria Cultura do Bourbon Shopping (Rua Turiaçu, 2.100, Perdizes), às 15 horas. Grátis.

sem comentários | comente

  • A + A -

lorax_1.jpg

Lorax, o guardião das árvores

(Por Natália Mazzoni)

Imagine um mundo sem árvores de verdade. A grama é artificial e todas as flores são de plástico. É assim a realidade de Audrey, uma menina doce que sonha em ter uma árvore natural em seu quintal. Quando ela conta esse desejo para seu melhor amigo, Ted, ele já sabe: é sua chance de conquistar a garota.

É assim que a aventura começa, com Ted correndo em sua bicicleta em busca de Umavez-ildo, um senhor amargo que vive numa cabana muito distante. O único capaz de contar o verdadeiro motivo que fez as árvores de verdade desaparecerem.

Lorax, o bichinho peludo que dá nome ao filme, é o guardião do espírito das trúfulas, que no filme representam o maior tesouro do mundo: as árvores.

Mas, mesmo com um guardião esperto como Lorax, elas desapareceram e uma pequena semente é tudo o que restou. A história é muito legal, porque além de fazer você dar algumas risadas do vilão cômico e patético Aloysio (um empresário que vende ar puro), serve para refletir um pouco sobre como estamos tratando a natureza.

Lorax: Em Busca da Trúfula Perdida é 3D, estreia amanhã (dia 30) e é dos mesmos criadores de Meu Malvado Favorito.

 

sem comentários | comente

  • A + A -
29.março.2012 07:00:32

À procura de luz

 sonho.jpg

(Ilustração: Gwendal Blondelle/Ed. Companhia das Letrinhas/Reprodução)

(Por Aryane Cararo)

Era noite. Sempre noite. E o acendedor de sonhos trabalhava sem parar. Desde que o sol e a luz tinham ido embora, muitos anos atrás, era sempre assim: o escuro e ele, um gigante empenhado em levar um pouco de claridade para a Terra. Até que numa daquelas noites eternas, o acendedor encontra uma criança em busca de água (naquele tempo, não havia água, nem planta, nem animal). A criança só queria regar o que tinha de mais precioso: um girassol, sua flor feita de sol. E os dois partem à procura de água para a planta sobreviver, uma busca pela esperança de ter um planeta como antigamente, com o perfume das flores, o frescor da água e o azul do céu.

O livro O Acendedor de Sonhos, da francesa Dorothée Piatek, tem essa história meiga, que fala da importância da natureza, de seu preço incalculável, de esperança e de partilha. E que tem um título que nos faz sonhar.

O Acendedor de Sonhos. Texto: Dorothée Piatek. Ilustrações: Gwendal Blondelle. Companhia das Letrinhas, R$ 29.

sem comentários | comente

  • A + A -
27.março.2012 07:00:13

Uma ponte no meio do caminho

ponte.jpg

(Por Aryane Cararo)

Certa vez, um urso enorme e um gigante resolveram atravessar ao mesmo tempo uma ponte estreita. É claro que não daria para os dois passarem simultaneamente, pois a ponte era fina demais. Mas nenhum deles pensava em voltar. Afinal, um era o gigante, que não tinha medo de nada e não se curvava a ninguém. E o outro era um urso, feroz, que intimidava qualquer um. Então, criou-se o impasse: como seguir caminho com alguém tão grande a sua frente? E foi na delicadeza da dança, quase um movimento de balé lentamente coreografado, que eles encontraram a resposta para o problema.

É o que conta o livro A Ponte, do premiado escritor austríaco Heinz Janisch, uma encantadora lição de moral. Entretanto, mais que a própria história, encantam as ilustrações da professora austríaca Helga Bansch. A delicadeza do traço e a apropriação de mapas, folhas de caderno e páginas de livro na colagem das imagens cria um universo surreal e próximo, ao mesmo tempo.

A Ponte. Texto: Heinz Janisch. Ilustrações: Helga Bansch. Editora Brinque-Book, R$ 29,50.

sem comentários | comente

  • A + A -

abre.JPG

(Por Aryane Cararo)

De bobo, o pessoal que apareceu no Circuito Estadinho de ontem (dia 24) não tinha nada. Eles foram lá, escutaram a Renata Truffa e a Kika, do grupo Contantes Contentes, riram, participaram de adivinhas e se divertiram para valer. Do que eles riram? Das histórias que as duas contaram sobre bobos e bocós. Não teve príncipe, nem princesa, só herói atrapalhado, até meio burro, que arrancou gargalhadas e fez com que todo mundo ficasse com os olhos grudados nas contadoras. A atividade aconteceu na Livraria Cultura do Shopping Market Place e foi só a segunda deste ano.

Vem muito mais Circuito Estadinho por aí. O próximo, por exemplo, vai estar demais! Os cientistas malucos do Mad Science vão explicar como acontece a explosão de um vulcão. Vai ser um estouro! Não perca: dia 31/3, na Livraria Cultura do Bourbon  Shopping.

 

 

comentários (2) | comente

  • A + A -
24.março.2012 05:00:57

Especial 2 anos

especial1_1.jpg

Clique aqui para abrir o especial Estadinho

Caretas, perguntas curiosas, depoimentos de Mauricio de Sousa e Katia Canton, contação de histórias, votação no desenho mais bonito e livro para colorir. Tem muita brincadeira e informação no Especial Estadinho 2 anos, em comemoração ao formato gibi e às seções que ele trouxe.

1 Comentário | comente

  • A + A -
23.março.2012 22:05:29

Estadinho Especial

capa_blog.jpg

(Por Natália Mazzoni)

O Estadinho está fazendo a maior festa para comemorar seus 2 anos de formato gibi. Tudo começou com a visita de 10 crianças que foram “consultores” por um dia. Eles deram palpite em tudo! Falaram o que querem ver nas seções, na capa, o que gostam e o que não gostam. Tudo mundo participou, comeu lanchinho, conheceu a equipe, a redação e a gráfica do jornal. Foi tudo muito legal. E o resultado dessa visita você vê na edição desta semana. Não leu ainda? Clique nas páginas abaixo!

Página 1

Página 2

Página 3

Página 4

Como você já viu, o tema escolhido pelas crianças foi “brincadeiras de antigamente”. E teve outra recomendação: o Estadinho deveria ouvir pais que brincavam muito quando eram crianças! Além das brincadeiras escolhidas para aparecer na reportagem, os pais se lembraram de outras coisas muito legais. Olhe só.

Estadinho: Quais eram suas brincadeiras favoritas de infância?
Fabiana Ferreira, 36 anos: Esconde-esconde, detetive, stop, queimada, barbante e corda. A gente desenhava amarelinha no asfalto com giz ou um pedaço de tijolo.

Brincadeiras antigas são mais legais?
Andrea Masagao Moufarrege, 37 anos: Eu vejo crianças brincando de coisas bem legais hoje. Mas a grande diferença é a tecnologia, que a gente não tinha. Acho que o importante é manter contato com os amigos. Se a tecnologia ajudar nisso, está valendo.
Carolina Noriega, 31 anos: Sim. Hoje as crianças se isolam mais, interagem mais com máquinas, não criam, não fantasiam e não gastam energia como antes.

O que tinha de mais legal nas brincadeiras de sua época?
Andrea Diegues Arakak Mahfuz: As brincadeiras eram superdivertidas, porque você usava a sua imaginação e jogava com quantos amigos quisesse. E ainda podia fazer novos amigos brincando!

Tem alguma dica de um dos jogos escolhidos pelas crianças?
Marcos Mahfuz, 48 anos: Como eu jogava taco, o que posso dizer sobre o jogo é que é muito fácil de jogar. Você arruma dois tacos de madeira (na epóca arrumamos com um marceneiro) e uma latinha de refrigerante (ou três galhos de árvore) para fazer as casinhas. O objetivo do jogo é derrubar as casinhas que o adversário protege para recuperar o taco e rebater as bolas quando você tem a posse do taco. É mais ou menos como o beisebol (jogo americano).

 

Gostou de conhecer mais sobre o universo das brincadeiras antigas? No Almanaque de Férias, que saiu no ano passado, tem muito mais. Você pode aprender a jogar e convidar seus pais para brincar. Divirta-se!

Veja mais sobre o especial de 2 anos do “novo” Estadinho no site do Estadão!


 

comentários (3) | comente

  • A + A -
23.março.2012 22:03:32

O melhor do Estadinho

Perguntamos às crianças qual é sua parte ou matéria preferida no caderno. Veja só o que elas responderam e conte você também o que mais gosta (mande para estadinho@grupoestado.com.br)

 

comentários (3) | comente

  • A + A -
  • Galeria Estadinho

Comentários recentes

  • olivio jekupe: hoje em dia os autores indígenas estão cada vez mais publicando seus trabalhos, aqui na nossa aldeia...
  • kellynha: adorei só algumas que é meio sem sentido !!!
  • loana de campos: Adorei a sua ideia, vou tentar fazer
  • Liane: Olha, isso da própria criança gerenciar sua leitura é bem interessante, assim como vários outros aspectos...
  • giovanna: nãão , gosteei muito ;[[

Enquete

Desculpe, não há enquetes disponíveis no momento.

Arquivo

Blogs do Estadão