ir para o conteúdo
 • 

Estadinho

23.julho.2011 07:00:19

Literatura indígena

est02_01.jpg

Todas as histórias levam a gente para um lugar mágico, nos fazem sonhar. Mas quando se trata de animais misteriosos da natureza, lendas, mitos das florestas contados e recontados por velhos sábios e ensinamentos sobre o universo que somente os povos indígenas, dentro de suas aldeias, sabem passar, parece que é tudo mais interessante. É que, de fato, essas florestas existem e, muitas vezes, os super-heróis dali são reais!
Livros escritos e ilustrados por índios são cada vez mais comuns. Há grupos de autores envolvidos em levar para todas as sociedades a rica cultura indígena. E, apesar de as histórias serem centenárias, há agora um interesse maior nesse gênero da literatura. É só reparar na biblioteca do seu colégio ou nas prateleiras das livrarias!
Na reportagem de hoje, o Estadinho mostra uma entrevista com o escritor Daniel Munduruku e outra com a artista Vãngri Kaingáng. E ainda conta a lenda da criação de um povo indígena, além de dar dicas de livros.
Para ler a matéria completa, clique nas páginas abaixo. Feito isso, conheça melhor a história das obras selecionadas e visite um portal indígena, criado especialmente para crianças.

Página 1
Página 2
Página 3

Há muitos livros com histórias indígenas (feitos por índios ou não). Recomendamos alguns aqui.

1) Pindorama – Terra das Palmeiras
Muito antes de os portugueses desembarcarem no Brasil, os índios já estavam aqui. Naquela época, o 19 de abril nem era comemorado como Dia do Índio, porque todos os dias eram deles. Afinal, não havia outra sociedade, não é mesmo? No livro Pindorama, a escritora e ilustradora Marilda Castanha conta como tudo funcionava. Ela ainda revela como é que o povo indígena se comunicava com os espíritos, como era a vida na aldeia e como a relação com a natureza era tão importante, a ponto de ditar as regras do lugar. O bebê, por exemplo, não levava nove meses para nascer e sim dez luas. Técnica de pesca, confecção de instrumentos, pinturas corporais, artesanato e rituais também estão no livro. É uma obra muito rica, com textos e ilustrações para lá de interessantes, que toda criança, assim qualquer adulto, deveria ler. Para se ter uma ideia, o indígena e escritor Daniel Munduruku, na orelha do livro, diz: “Fiz uma longa viagem para dentro de mim como se quisesse fazer um retorno ao começo de tudo, para não esquecer de onde vim e de onde veio o nosso Brasil, solo sagrado que a todos acolheu e que, agora, pede nossa acolhida para não ser tragado pela ganância e ambição que o vão destruindo.”

Autora: Marilda Castanha
Editora: Cosac Naify, R$ 29

2) Histórias de Índios
Por falar em Daniel Munduruku, este é o primeiro livro dele. Mais do que isso: é o primeiro livro sobre a cultura dos índios escrito por um indígena. Após contar suas histórias como educador, uma criança perguntou onde seria possível ler sobvre o que ele dizia. Foi quando caiu a ficha e Daniel pensou: “Vou escrever um livro”. Ele reuniu alguns textos que mostraram a vida de um Munduruku (nome de sua etnia e, portanto, sobrenome de toda pessoa que nela nasce). Enviou o material para algumas editoras e a Cia. das Letrinhas publicou. O livro completa agora 15 anos, e está em sua 15ª edição. Nele, Daniel apresenta Kaxi e o seu povo. Além de mostrar a rotina na aldeia, na segunda parte do livro ele relata suas experiências no mundo dos brancos, com humor e sabedoria.

Texto: Daniel Munduruku / Ilustração: Laurabeatriz
Editora Cia. das Letrinhas, R$ 36

3) O Livro das Cobras
A cobra é uma animal sagrado na cultura indígena, considerada um símbolo da sabedoria. Nesse livro, Stela Barbieri e Fernando Vilela apresentam três contos de cobra: um indiano, outro africano e, por último, um indígena. O nome dele é Como surgiu a noite. Está com medo? Não fique! A história é muito interessante e começa assim:
“No princípio do mundo, só havia o dia. As pessoas não tinham a noite para descansar e, por isso, trabalhavam o tempo todo, ficando exaustas.
Quando estavam muito cansados, homens, mulheres e crianças deitavam na rede para cochilar, mas não conseguiam, pois o calor era infernal e a claridade muito intensa, de modo que era impossível ficar deitado mais do que algusn instantes.
Como dormiam pouco, brigava à toa e não tinham disposição para nada.
No meio da floresta, havia uma aldeia onde vivia um rapaz que era muito corajoso. Um dia, chegou da mata decidido a encontrar a noite. Então, foi falar com a mãe dele, que era muma mulher sábia, conhecedora de todas as ervas e mistérios da floresta”.
Então, como você acha que essa história continua?

Texto: Stela Barbieri/ Ilustração: Fernando Vilela
Editora DCL, R$ 28

4) Histórias que Li e Gosto de Contar
Mais um livro de Munduruku, nesse ele compartilha histórias que leu e ouviu em diferentes momentos de sua vida, com o povo Munduruku e outras etnias. O escritor sempre gostou muito de ler e, portanto, de ouvir histórias. E desde criança, vem acumulando sabedoria através desses relatos. No livro, cinco contos retratam os valores dos primeiros povos que habitaram as terras brasileiras. Logo de cara, em E Deus viu que tudo estava bom…, ele reconta a criação do mundo segundo a visão dos povos hebreus. E é muito interessante poder imaginar que “no princípio de tudo, nada havia. A Terra não tinha forma alguma.”

Texto: Daniel Munduruku / Ilustração: Rosinha
Editora Callis, R$ 26,90

5) Uma História Guarani
Para os guaranis, o animal mais sagrado é a aranha. É ela quem protege os recém-nascidos e cura feridas com sua teia. Mas não é nada fácil conseguir um pouquinho desses fios preciosos, que se desmancham até mesmo com os ventos mais frágeis. Nesse universo fantástico, um jovem índio guarani deve se tornar um homem bravo, admirado pela aldeia a ponto de merecer e conquistar o coração de uma jovem que sempre o esperou.
Entre as lendas guaranis mais famosas, esse rito de passagem da cultura indígena sul-americana é mostrado com poesia e ilustrações simples e muito sensíveis pela uruguaia Alicia Baladan.

Autora: Alicia Baldan
Edições SM, R$ 28

6) Mondagará
Roni, o escritor, reconta aqui uma história que seu avô costumava contar. Imagine que, neste conto, havia um velho narrador que queria mostrar para toda a comunidade o surgimento e a diversidade das cobras no mundo da floresta. Na verdade, o povo sabe que as cobras (e outros répteis) são seres muito importantes que, no passado, viveram junto ao Criador e, portanto, sabem tudo sobre o mundo. O mistério desse bicho envolve a história toda, que fala ainda sobre sentimentos e memórias ancestrais. No final do livro, um glossário de 16 palavras explica ainda mais sobre esse povo.
Roni Wasiry Guará, o escritor, é um indígena que nasceu em Boa Vista do Ramos, Amazonas, e pertence ao povo Maraguá (que habita o Maraguapi, uma reserva do rio Marimari, também no Estado do Amazonas).

Texto: Roni Wasiry / Ilustração: Janaina Tokitaka
Editora Formato, R$ 29,70

 

siteindio.JPG

Gostou dos livros? Conheça agora o site que está na foto acima! Ele se chama Povos Indígenas no Brasil e é feito para crianças. Além de vídeos e jogos, ele explica como os portugueses chegaram ao Brasil (e o que encontraram), quantos povos indígenas existem no País, onde eles vivem e mais um monte de coisas interessantes.
Recentemente, o site levou o terceiro lugar na categoria Digital e Interativa do Festival Prix Jeunesse Iberoamericano. Quer saber mais sobre esse assunto? Visite, então, o ComKids, que promove e produz conteúdo audiovisual dos bons para o público infantil e juvenil.

comentários (3) | comente

  • A + A -
3 Comentários Comente também

Deixe um comentário:

  • Galeria Estadinho

Comentários recentes

  • olivio jekupe: hoje em dia os autores indígenas estão cada vez mais publicando seus trabalhos, aqui na nossa aldeia...
  • kellynha: adorei só algumas que é meio sem sentido !!!
  • loana de campos: Adorei a sua ideia, vou tentar fazer
  • Liane: Olha, isso da própria criança gerenciar sua leitura é bem interessante, assim como vários outros aspectos...
  • giovanna: nãão , gosteei muito ;[[

Enquete

Desculpe, não há enquetes disponíveis no momento.

Arquivo

Blogs do Estadão