ir para o conteúdo
 • 

Estadinho

31.julho.2010 18:00:47

Meu desenho

d3

Pedro Carvalho Ribeiro Neto, 5 anos
São Paulo, SP

1 Comentário | comente

  • A + A -

image008_500

Neste fim de semana, a família inteira vai poder colocar a mão na massa (de verdade). É porque o Centro da Cultura Judaica realiza o Workshop de Culinária para Pais e Filhos. A atividade acontece no domingo à tarde e é comandada pelo chef Breno Lerner, que ensina a fazer biscoitinho de aveia. O prato é saboroso e bem saudável.

Além de ensinar a misturar os ingredientes, o chef conta histórias do cereal. Você sabia que a aveia vem do Oriente Médio e que, antigamente, era usada para forrar o chão onde ficavam os cavalos?

Nos anos 1980, descobriram que o grão ajudava a combater o colesterol e que fazia bem à saúde. Para acompanhar o biscoito, em casa você pode fazer um delicioso mingau com o ingrediente.

Ah, fique ligado: a partir do dia 14, o Centro oferece uma oficina de animação digital para quem tem 10 anos ou mais. O cursó é grátis e dura quatro horas.

Centro de Cultura Judaica. Rua Oscar Freire, 2.500, Sumaré, São Paulo, (011) 3065-4333. Domingo (dia 1º), às 16 horas. Grátis (pegar ingresso uma hora antes, na bilheteria do Centro). Para crianças a partir de 7 anos.

sem comentários | comente

  • A + A -
31.julho.2010 07:20:37

O que você vê aqui?

Pode o céu ser vermelho, um boneco não ter nariz e um sapo ter asas? A resposta é sim quando falamos de arte. Nos desenhos, temos a liberdade de fazer e ver tudo como quisermos. E nem sempre o que o artista pintou é o mesmo que sentimos quando olhamos para uma obra.

Pensando nisso, convidamos seis crianças para interpretar as obras de Keith Haring, em cartaz na Caixa Cultural, em São Paulo. O mais legal foi perceber como cada uma vê de um jeito diferente.

Você também pode brincar com a gente! Antes ou depois de ler os depoimentos, é só olhar para as imagens e dizer o que elas significam para você! Divirta-se, pois a arte é sua!

4

“Não gostei dessa porque está maltratando os animais. Tem um cara em cima do golfinho e o golfinho está gritando.”
João Vitor Sayon Cândido, 8 anos

“Não gostei deste golfinho porque só conheço golfinho azul e esse é roxo!”
Lorena Takayama, 5 anos

“Vejo uma pessoa pedindo ajuda ou gritando de alegria. E o golfinho parece que está dando muitas risadas.”
Pedro Henrique Bonadio Ramos Miguel, 11 anos

“Parece que o homem tá pedindo socorro. É uma imagem diferente e bem bonita pelo jeito que ele tentou demonstrar os movimentos.”
Thais da Silva Correa, 11 anos

“Parece que o homem subiu para caçar o golfinho.”
Pedro Vergara Rocha, 12 anos


2

“Esta imagem mostra pessoas gordinhas segurando um troço grandão. Parecem grávidas e acho que o bebê delas, esse cara gigante, deve ser Jesus, o filho de todo o mundo.”
João Vitor Sayon, 8 anos

“Olha só uma mulher gorda pulando de alegria!”
Bianca Henrique Bonadio Ramos Miguel, 6 anos

“Esta é completamente estranha. Tem várias mulheres grávidas e um cara, que também não é um cara. Parece um ritual para o bebê nascer bem ou para os homens. E as pernas desse bicho cheio de bolinhas parece um sorriso.”
Thais da Silva Correa, 11 anos

3

“Vejo uma pirâmide. Acho que é feita de queijo e todo mundo está ali para comer. Ou é uma pirâmide que parece que é uma puma e todo o mundo quer matar. E um monte de alienígena quer pegar.”
Pedro Vergara Rocha, 12 anos

“Olha só, tem dois discos voadores destruindo as pirâmides egípcias e mostrando sua força!”
Pedro Henrique Bonadio Ramos Miguel, 11 anos

sem comentários | comente

  • A + A -
31.julho.2010 07:10:57

Keith quem?

keith

Cada artista tem um estilo, um jeito de mostrar sua arte para o mundo. Este aí de cima, o norte-americano Keith Haring, costumava desenhar quadrinhos pela casa desde criança. Mesmo depois de adulto, ele continuou pintando as paredes. Passou, então, a ser convidado a pintar o muro em vários lugares. E adorava ter crianças por perto, vendo o que ele criava.

De traço fácil, simples e muito colorido, Keith conquistou uma série de fãs e influenciou a arte urbana. Seu jeito de pintar sempre foi uma forma de contar histórias. Mas em vez de textos, as imagens falavam por si só.

Em 1983, Keith Haring veio ao Brasil a convite da Bienal de São Paulo. Na ocasião, pintou um muro perto da Avenida Sumaré. Ele morreu em 1990. Mas seu trabalho está de volta na exposição inédita Selected Works (um conjunto de 94 obras), que começa hoje na Caixa Cultural, em São Paulo. A mostra fica em cartaz até 5 de setembro. Depois, segue para o Rio de Janeiro de 28 de setembro a 14 de novembro. Quer saber mais? Veja aqui.

Se você não estiver em nenhuma dessas cidades, o Estadinho recomenda (de qualquer jeito) uma visita ao site do Keith. É legal e interativo e, mesmo em inglês, tem uma seção infantil (chamada de Kids), onde você pode jogar e clicar para colorir vários desenhos feitos por ele. Não é o máximo? Olha só!

 

sem comentários | comente

  • A + A -

keith

Assim como a matéria deste sábado (no Estadinho de papel), o livro Ah, Se a Gente Não Precisasse Dormir também traz comentários de crianças sobre as obras do artista Keith Haring. O mais legal é que com ele você pode pirar e ver, em cada desenho, o que vier na cabeça. A arte possibilita imaginar tudo como quisermos. Então o céu pode ser vermelho e um sapo pode, sim, ter asas. Quer fazer um boneco sem nariz? Quem disse que não pode?

Ah, se a gente não precisasse dormir – Ed. Cosac Naify, R$ 45.

keith1

Este livro aí de cima é mais uma dica legal, um jeito divertido de passar o tempo. Nina tem um caderno só para guardar recordações. Todas muito importantes. Algumas, secretas. Tem espaço para o papel de bala que ganhou da melhor amiga no recreio. Tem um canto só para o trevo de quatro folhas. E outro para fitinhas e adesivos. E uma coleção de flocos de neve, que ela jura que são de verdade.

O Livro da Nina para Guardar Pequenas Coisas já foi falado no nosso blog. Clique aqui e saiba tudo sobre ele.

 

sem comentários | comente

  • A + A -
31.julho.2010 07:00:55

Meu desenho

d2

Pedro F. Giovanolli, 9 anos
São Paulo, SP

sem comentários | comente

  • A + A -
30.julho.2010 18:30:22

Meu desenho

d1a

Juan Pablo, 5 anos
São Paulo, SP

sem comentários | comente

  • A + A -

SAM_0423_500

Você já deve ter visto algum filme que tinha insetos gigantes invadindo as casas. No parque Cidade das Abelhas acontece parecido, mas não precisa ter medo. As abelhas gigantes dali são de mentirinha, e servem para ensinar um monte de coisas.

Lá tem a Casa do Mel, onde há degustação de três tipos de mel (grátis), pães de mel (de R$ 1,50 a R$ 3,50, cada) e até sorvete de mel (R$ 2,50, a bola).

No Museu, há desde réplicas gigantes de abelha, explicando onde fica cada órgão no corpo dela, até objetos do tempo dos faraós, mostrando que o homem mexe com mel há milhares de anos. Tem até um binóculo que mostra como é a visão das abelhas.

SAM_0458_500

Na Colmeia Gigante, as pessoas descobrem como é dividida a vida desses insetos, quem é a rainha, quem é o zangão e o que cada um faz.

No Observatório Apícola, dá para ver as abelhas produzindo mel ao vivo, através de vidros.

Além disso, há vários brinquedos, como pula-pula, tobogã e a abelha gigante, com quase três metros de altura, que serve para mostrar como é o inseto por dentro.

 

Cidade das Abelhas. Estrada da Ressaca, Km 7, Embu das Artes, SP. 4703-6460. Preço: R$ 15.

sem comentários | comente

  • A + A -
30.julho.2010 07:02:14

Meu desenho

des4

Mariana Godau Biasoto, 7 anos
São Paulo, SP

sem comentários | comente

  • A + A -
29.julho.2010 18:00:52

Meu desenho

des2

Pedro Morgado, 6 anos

sem comentários | comente

  • A + A -
  • Galeria Estadinho

Comentários recentes

  • olivio jekupe: hoje em dia os autores indígenas estão cada vez mais publicando seus trabalhos, aqui na nossa aldeia...
  • kellynha: adorei só algumas que é meio sem sentido !!!
  • loana de campos: Adorei a sua ideia, vou tentar fazer
  • Liane: Olha, isso da própria criança gerenciar sua leitura é bem interessante, assim como vários outros aspectos...
  • giovanna: nãão , gosteei muito ;[[

Enquete

Desculpe, não há enquetes disponíveis no momento.

Arquivo

Blogs do Estadão