ir para o conteúdo
 • 

Estadão Urgente

10.julho.2013 09:28:40

Depois de 4h30 horas, ônibus parados em 16 terminais durante protesto voltam a circular em SP

Ônibus estacionados no Terminal Parque D. Pedro, um dos maiores da cidade. Foto: Caio do Valle/Estadão

 SÃO PAULO – Depois de 4h30 de paralisação, 16 terminais de ônibus da cidade fechados por volta das 8h30 manhã desta quarta-feira, 10, foram reabertos. A mobilização foi feita por membros do Sindicato dos Motoristas e Cobradores (Sindmotoristas), que formam uma chapa de oposição à atual direção da entidade nas eleições deste ano. O pleito para a escolha da nova presidência ocorre nesta quinta e sexta-feira.

Já houve relatos de mobilização no entorno dos Terminais João Dias, Varginha, Capelinha, Grajaú, Campo Limpo, Sacomã, Santo Amaro, Jabaquara, Santana, Pirituba e Cachoerinha, Casa Verde, Parque Dom Pedro, Bandeira, Lapa e Metrô Santa Cruz.

Cerca de 400 das 1,3 mil linhas de ônibus municipais da capital paulista podem ter sido afetadas. A estimativa da SPTrans é  que 750 mil usuários tenham sido prejudicados pela manhã e o número pode dobrar se  os terminais continuarem fechados todo o dia.

A oposição do Sindicato dos Motoristas de ônibus de São Paulo decidiu acabar com a paralisação nos 16  terminais em todas as regiões da cidade às 13h. Até 15 mil trabalhadores participaram da mobilização, de um universo de 35 mil. De acordo com Valdemir dos Santos Soares, secretário de patrimônio do sindicato,  uma assembleia será feita às 18h na UGT para decidir se a categoria também vai parar nesta quinta-feira, 11.

O secretário municipal dos Transportes, Jilmar Tatto, classificou o ato de “absurdo” durante a vistoria do primeiro dia da faixa exclusiva de ônibus na Avenida Paulista. Segundo ele, a cidade vêm “sofrendo bastante com essas manifestações”.

 

Acompanhe: 

15h05 – De acordo com a Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp), a paralisação dos estivadores do Porto de Santos, iniciada nesta manhã, já foi encerrada e o carregamento de mercadorias nos navios foi normalizado.

13h03 – Depois de 4h30, a paralisação de um grupo do Sindicato dos Motoristas e Trabalhadores em Transporte Rodoviário Urbano (Sindmotoristas)  foi encerrada. Os 16 terminais fechados gradativamente desde as 8h30 começaram a ser reabertos às 13h, como anunciado pelos sindicalistas. Os ônibus agora estão voltando para suas respectivas garagens para a troca de turno dos motoristas. O serviço só deve se normalizar no decorrer da tarde. (Caio do Valle)

12h46 – O governador Geraldo Alckmin (PSDB) recomendou às centrais sindicais que não façam greve em serviços essenciais, como o Metrô, nesta quinta-feira, 11. Os sindicatos estão preparando uma série de passeatas e paralisações em todo o País como parte do Dia Nacional de Lutas. Os metroviários decidirão a adesão à greve em assembleia marcada para a noite desta quarta, 10.

12h41 - RIO – As centrais sindicais (CUT, Força Sindical, UGT e CTB, entre outras) e o Movimento dos Sem Terra (MST) convocaram para esta quinta, 11, um ato unificado na Candelária, centro do Rio, a partir das 15h. Estudantes do Fórum de Lutas contra o Aumento da Passagem também aprovaram ontem à noite a realização de uma manifestação no mesmo horário e local. Eles deverão seguir até a Cinelândia pela Avenida Rio Branco.

12h26 - SÃO PAULO – A oposição do Sindicato dos Motoristas de ônibus de São Paulo decidiu acabar com a paralisação de 16  terminais em todas as regiões da cidade às 13h. Até 15 mil trabalhadores participaram da mobilização, de um universo de 35 mil. De acordo com Valdemir dos Santos Soares, secretário de patrimônio do sindicato,  uma assembleia será feita às 18h na UGT para decidir se a categoria também vai parar nesta quinta-feira, 11.

Ônibus parados no Terminal Casa Verde, na zona norte da cidade. Foto: Epitácio Pessoa/Estadão

 

12h15Os trens da linha 8 – Diamante da CPTM circulam com velocidade reduzida entre as estações Júlio Prestes e Itapevi, devido a problemas técnicos. O tempo de espera nas plataformas também é maior.  Mais informações no Blog do Trânsito.

12h11SÃO PAULO –  O bibliotecário Alessandro Paes, de 30 anos, pegou o ônibus na Liberdade para ir ao trabalho no Pari, ambos na região central. Teve que descer antes da metade do caminho devido à manifestação. “Eu acho válido paralisarem, mas eles têm que deixar bem claro o que querem.”

Na altura do Parque Dom Pedro, havia por volta das 11h vários ônibus estacionados nas ruas, inclusive nos dois sentidos da Rangel Pestana. Cartazes colados na dianteira de alguns coletivos pediam convênio médico de qualidade para os motoristas e regularização das garagens.

Muitos motoristas disseram que a empresa Novo Horizonte não registra condutores e cobradores, o que os faz perder o direito a horas extras, plano de saúde e férias. (Caio do Valle)

 

12h05 - Veja galeria de fotos

Ônibus parado e espera no Terminal Santana, na zona norte. Foto: Felipe Rau/Estadão

 

11h55SÃO PAULO – Com a interrupção das saídas no terminal Jabaquara, na zona sul, sobe para 16 o número de terminais fechados em ato organizado nesta quarta por uma ala Sindicato dos Motoristas e Trabalhadores em Transporte Rodoviário Urbano (Sindmotoristas).  Veja lista de terminais afetados:

- Jabaquara

- Santo Amaro

- Parque D. Pedro

- Capelinha

- Grajaú

- Varginha

- Campo Limpo

- João Dias

- Metrô Santa Cruz

- Lapa

- Pirituba

- Mercado e Sacomã (do Expresso Tiradentes)

- Cachoeirinha

- Casa Verde

- Vila Prudente

- Princesa Isabel

 

11h22SANTOS – No Porto de Santos, uma paralisação de estivadores interrompeu o transporte de cargas, afetando 13 dos 35 terminais com navios atracados nesta manhã. As informações são da Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp). A nova lei dos portos, sancionada em junho pela presidente Dilma Rousseff,  é um dos motivos do descontentamento. Com a medida, as empresas do setor não precisam mais da intermediação do órgão gestor de mão de obra (Ogmo) para fazer contratações, o que o enfraqueceria a categoria.

O diretor do Sindicato dos Estivadores de Santos, São Vicente e Guarujá, Cesar Rodrigues Alves, afirma que a paralisação da categoria vai até as 13h. Segundo ele, a Empresa Brasileira de Terminais Portuários quer implantar um sistema de trabalho com vínculo empregatício e salário de R$ 1073. “A cultura da cidade de Santos é de trabalho sem vínculo e a média salarial é de R$ 4 mil”, afirma. De acordo com ele, amanhã haverá novos protestos pela cidade.

Os terminais afetados são aqueles em que o descarregamento é manual, o que ocorre no caso de produtos como tambores, papel e celulose, por exemplo. Os carregamentos mecanizados, que eram feitos em 22 terminais, não foram afetados . A modalidade é usada para líquidos, como petróleo e sucos (que usam dutos) e para grãos, como soja, açúcar, entre outros (transportados por meio de esteiras).  (Artur Rodrigues e Felipe Tau)

11h18SÃO PAULO - Muita gente foi pega de surpresa pela paralisação. “Eu pensava que ia ter greve amanhã, e não hoje”, reclamou o aposentado Silas Augusto do Nascimento, de 66 anos, que pegou um ônibus na Mooca, na zona leste, rumo à Praça da Sé, no centro. Ele teve que descer na Avenida Rangel Pestana, onde o coletivo em que estava parou, e seguir o resto do percurso a pé. (Caio do Valle)

10h54 - A CET orienta os motoristas a evitar a Avenida do Estado, no sentido Ipiranga, devido à manifestação junto ao Terminal Dom Pedro. Veja a situação do trânsito na cidade depois das paralisações.

10h44-  Normalmente um dos mais movimentados da cidade, Terminal Parque D. Pedro estava totalmente parado nesta manhã.

Ônibus paradas no Terminal Parque D. Pedro. Foto: Sérgio Castro/Estadão

 

10h39 – Veja lista de terminais fechados nesta quarta-feira:

- Santo Amaro

- Parque D. Pedro

- Capelinha

- Grajaú

- Varginha

- Campo Limpo

- João Dias

- Metrô Santa Cruz

- Lapa

- Pirituba

- Mercado e Sacomã (do Expresso Tiradentes)

- Cachoeirinha

- Casa Verde

- Vila Prudente

- Princesa Isabel

 

10h35SANTOS - Estivadores do Porto de Santos bloqueiam agora a Rodovia Anchieta na altura do km 64, no acesso ao Porto. Todos os terminais públicos do Porto foram parados a partir das 8h30 da manhã. Acompanhe a situação das estradas paulistas.

10h28 - Sobe para 15 o número  de estações afetadas pela paralisação realizada por um grupo do Sindicato dos Motoristas e Trabalhadores em Transporte Rodoviário Urbano (Sindmotoristas).

10h13 - Manifestações devem fechar avenidas de São Paulo nesta quinta-feira, 11. Protestos do Dia Nacional de Lutas, marcados pelos sindicatos, estão marcados para começar pela manhã na capital paulista e em outras capitais do País.

Veja as cidades que devem ter greve nesta quinta-feira:

 

09h53- A SPTrans estima que cerca de 1,675 milhão de usuários devem ser afetados com as manifestações nos terminais de ônibus da capital.  Cerca de 400 das 1,3 mil linhas da cidade foram afetadas.  Paralisação começou por volta das 8h30.

09h48 - Veja com está a situação do trânsito na cidade.

9h42 - Estivadores do Porto de Santos fazem uma manifestação há mais de uma hora no Porto de Santos. Todos os terminais públicos do Porto estão parados e somente os terminais privados não aderiram à manifestação. O grupo de manifestantes teme que a privatização do porto possa gerar perdas de direitos trabalhistas e de postos de trabalho.

Os manifestantes fazem passeata e já passaram pela avenida Perimetral, Avenida Portuária e agora seguem pela avenida João Pessoa em direção à alfândega. O grupo também segue soltando rojões durante a caminhada.

9h37 - No entorno do Terminal Parque D. Pedro, um dos 12 fechados pela protesto do sindicato, há longas filas de trólebus e ônibus parados. Os pontos de ônibus da região estão lotados de passageiros.

 

sem comentários | comente

  • A + A -

Deixe um comentário:

  • Quem Faz

    Quem Faz

    Redação do jornal O Estado de S. Paulo

Comentários recentes

  • Luca: Tente tomar spray de pimenta no olho que vai descobrir para que serve o lenço no rosto… ou voces acham...
  • Paulo: Excelente pergunta do Carlos: Por que tem que esconder o rosto? Por que colocar fogo em objetos?
  • Carlos frederico Souza: Por que tem que esconder o rosto? Movimento manipulado pelo PT e demais dinossauros vermelhos...
  • Alzira: Esperamos que da próxima vez os manifestantes portem um cartaz com “Fora Dilma”. Dona Dilma já...
  • crbm: Cade a imprensa desse país que se esconde e nao tem coragem de denunciar esses medicos mercantilistas, sangue...

Arquivo

Blogs do Estadão