1. Usuário
Assine o Estadão
assine


Pais erram quando focam nos defeitos (e não nas qualidades) dos filhos

Júlia Manglano

22 agosto 2014 | 16:28

Um erro frequente que observamos é que os pais acabam focando nos pontos fracos que devem ser melhorados, deixando de lado o que os filhos têm de mais positivo. Afinal de contas, o que já está bom, em tese, não precisa ser melhorado.

Mas o que ocorre é que elogiar e focar nas qualidades, é excelente para reforçar a autoestima e fazer com que eles superem, ao mesmo tempo, os pontos fracos.

Father & Sons

Na semana passada, falamos a respeito da importância do desenvolvimento da autoestima para a felicidade dos nossos filhos.

Quanto melhor for a autoestima da criança, melhor preparada ela  estará para superar as dificuldades e desafios, sem desistir diante dos obstáculos.

Para isso, além das várias dicas que demos, é importante os pais conhecerem cada vez melhor seus filhos e também quais são as características das crianças da mesma idade.

Isso é fundamental, porque pode acontecer de os pais se preocuparem muito com determinado comportamento negativo, mas que é absolutamente normal para a idade.

Cada filho é único e irrepetível. Há diferenças genéticas, de temperamento, dos estímulos recebidos, dos colégios que frequentam e vários outras. Portanto, cada um tem necessidades e formas diferentes de serem motivados.

Por isso é tão importante conhecer o temperamento de cada um, os pontos fortes e fracos de sua personalidade, para poder ajudar de forma eficaz no seu desenvolvimento.

A partir dos pontos fortes, podemos alavancar o potencial de nossos filhos e ajudá-los a se desenvolverem ainda mais.

Um erro frequente que observamos é que os pais acabam focando nos pontos fracos que devem ser melhorados, deixando de lado o que os filhos têm de mais positivo. Afinal de contas, o que já está bom, em tese,  não precisa ser melhorado.

Mas o que ocorre é que elogiar e focar nas qualidades, é excelente para reforçar a autoestima e fazer com que eles superem, ao mesmo tempo, os pontos fracos.

Por exemplo: o seu filho é um excelente jogador de futebol, responsável e constante, mas tem dificuldades em viver a ordem, não arruma o quarto, etc..

Em vez de “pegar no pé” para que o quarto dele seja arrumado, é mais eficaz reforçar as qualidades da criança, ajudando-a para que seja ordenada no esporte, cuidando bem do uniforme, da chuteira, do horário do treino, do jogo.

Dessa forma, ele vai aprender a desenvolver essa qualidade no ambiente de que gosta para, no momento oportuno, transferir essa virtude para outros aspectos de sua vida.

Quando uma pessoa cresce em uma qualidade ou valor, desenvolve outras ao mesmo tempo.

A melhor forma de criar um ambiente positivo e alegre é os pais conhecerem e constantemente valorizarem as qualidades de seus filhos

(A Escola A e D, dirigida pela autora do blog, organiza Cursos para Pais e Mães, em três formatos: para gestantes, para quem tem  filhos de 0 a 6 meses e para quem tem filhos de 6 meses a 6 anos de idade. Mais informações no site: http://www.escolaaed.com.br/cursos/opcoes-de-cursos ).