1. Usuário
Assine o Estadão
assine
sexta-feira 01/08/03

Harley Davidson começou num barracão em Milwaukee

hdcreditos

hd100 Edmundo Leite No mesmo ano de 1903 em que Henry Ford começou uma revolução automotiva com a fundação da fábrica que levava seu nome, uma outra transformação motorizada ganhava corpo num modesto barracão em Milwaukee. Foi ali que os jovens William Harley e Arthur Davidson, ambos com pouco mais de 20 anos, finalizaram a adaptação de um motor de combustão a uma bicicleta. Se não estavam inventando a motocicleta, novidade ...

Ler post
sábado 28/06/03

Especiais Estadão

Imagens | Raul no Estadão e no JT | Inédito | Notícias | Áudio | A obra | Links

Raul Seixas
[caption id="attachment_108" align="aligncenter" width="469" caption="Imagens | Raul no Estadão e no JT | Inédito | Notícias | Áudio | A obra | Links"]Imagens | Raul no Estadão e no JT | Inédito | Notícias | Áudio | A obra | Links[/caption]
O design das páginas é da Luciana Alencar

Ler post
sexta-feira 06/06/03

Sai versão inédita de canção de Raul Seixas

raul11

(Publicado originalmente no Estadao.com.br em 06 de junho de 2003)

Chega às lojas de discos nos próximos dias uma versão inédita do último sucesso do roqueiro Raul Seixas, que morreu aos 44 anos, em 1989. Anarkilópolis é a versão de Cowboy Fora da Lei

raul11
Divulgação/Juvenal Pereira/AE
Raul Seixas no palco, com Marcelo Nova e abaixo, posando para as lentes do fotógrafo

São Paulo – No ano em que se completam 30 anos do lançamento do primeiro disco-solo de Raul Seixas, chega às lojas de discos nos próximos dias uma versão inédita do último sucesso do cantor baiano, que morreu aos 44 anos em 1989. Anarkilópolis é uma versão de Cowboy Fora da Lei que deveria ter entrado no disco Metrô Linha 743, de 1984, pela Som livre. Não entrou por causa de problemas que naquela época eram cada vez mais recorrentes na vida de Raul. Depois de brigar com a mulher, o artista chegou embriagado ao estúdio, comprometendo a gravação, que não poderia mais ser trabalhada a tempo de ser incluída no álbum.

Da canção que fez sucesso três anos depois, e que garantiu o segundo disco de ouro ao cantor, somente o refrão “eu não sou besta pra tirar onda de herói…” é o mesmo. A fita de 24 canais encontrada no fim do ano passado nos arquivos da Som Livre traz uma letra feita em parceria com o amigo e fundador de seu principal fã-clube, Sylvio Passos, na qual fala de uma cidade do velho oeste dominada por bandidos.
“A intenção era deixar parecida com uma história em quadrinhos”, conta Sylvio, que conviveu com Raul nos últimos oito anos de vida do cantor. “O Raul gostava muito de ensinar as pessoas com quem convivia a compor. Era comum ele fazer letras com os amigos, com suas mulheres”.

Guardião do famoso baú do cantor baiano, que ainda em vida o passou para ele a fim de que preservasse sua obra, Sylvio tem também uma gravação caseira com Raul cantando Anarkilópolis. “O Raul tinha esse refrão na cabeça desde 1973, tanto que originalmente ela se chamava Cowboy 73. Com o passar dos anos, ele mudou para Cowboy Fora da Lei“.

Sentado ao lado de um cover de Raul Seixas, que o visitava em seu apartamento, Sylvio Passos conta que tem várias outras gravações que poderiam ser lançadas, mas que precisam passar por um processo muito caro para melhorar sua qualidade. “Se fosse nos Estados Unidos ou na Europa um material como este estaria todo disponível. Mas aqui é difícil”. Isso porque o que pretende não é nada como uma Anthology, dos Beatles. “Seria uma coisa menor, não para o grande público, mas dirigida ao fã colecionador mesmo”.

A recuperação de Anarkilópolis pelo produtor Aramis Barros, que encontrou a fita, durou cerca de dois meses. “Tivemos que fazer uma colagem, pois eram fragmentos da voz guia, com Raul fazendo estudos para a música. Como tínhamos a base original melódica gravada, o que fizemos foi juntar tudo e dar uma coerência para a história que ele contava”.

Para viabilizar o lançamento da música inédita em um CD, a Som Livre optou por editar uma coletânea. A seleção deixou de lado os grandes sucessos para destacar as músicas de Raul que tiveram participação de outros artistas da música brasileira.

O destaque entre os nomes ilustres é o ministro da Cultura Gilberto Gil, que fez os arranjos e tocou violão em Que Luz é Essa?, retirada do LP O Dia em que a Terra Parou, de 1977. Nas demais faixas aparecem tocando Jackson do Pandeiro, Sergio Dias e Liminha, André Christovam e Celso Blues Boy, e Pepeu Gomes.

Participações em voz mesmo, só o backing vocal de Sergio Sampaio em Eu sou Eu Nicuri é o Diabo e os duetos com Wanderléa em Quero Mais e Marcelo Nova, ainda no Camisa de Vênus, em Muita Estrela, Pouca Constelação. Essa última uma participação especial de Raul num trabalho do grupo baiano em 1987.

Aniversário – Enquanto aguardam o lançamento da musica inédita, fãs de Raul Seixas estão preparando várias comemorações em homenagem ao 58.º aniversario de nascimento do cantor, que seria em 28 de junho. A maioria delas são shows tributos em bares de várias cidades do país. Também estão programadas algumas apresentações dos principais covers – alguns deles têm um circuito regular de shows – e exposições de objetos do cantor organizados pelo fã-clube.

Leia a letra da música:
Anarkilópolis (Cowboy Fora da Lei nº 2) – Raul Seixas/Sylvio Passos – 1984

Eu estava na cidade comprando milho pras galinhas
Quando um garoto chegou correndo para me avisar
Que a diligência do correio tinha deixado uma carta pra mim
Uma carta De quem seria essa merda …é, pois é… , mas…
ah… que era da prefeitura de Anarkilópolis
Me convidando para uma festa da sua emancipação
Ok boy.
Uísque de montão eu vou beber
E fazer tudo que eu quero fazer
Cada um manda no seu nariz
Por isso que o povo lá é feliz
É isso aí!
Meu filho, é isso aí…
Agora
Montei no meu “silver-jegue”
E parti com o firme propósito
de unir o útil ao agradável
Pois Anarkilópolis era também
O berço da minha amada
A bela Josefina Lee
Filha única do meu amigo
Xerife James Adean
Enquanto o jegue seguia rinchando
Eu seguia pela estrada cantando:
Eu não sou besta pra tirar onda de herói
Sou vacinado, eu sou cowboy
Cowboy fora da lei
Durango Kid só existe no gibi
E quem quiser que fique aqui
Entrar pra história é com vocês
Quando eu e meu jegue chegamos em Anarkilópolis
Pensei que tinha me enganado até de cidade
Tinha uns caras mal encarados armados até os dentes
Percebi logo a situação
Os bandidos haviam dominado o lugar
E mantinham todos como reféns
James Adean não era mais o Xerife
E só se via a cara das pessoas com tristeza e medo
Deus me livre, quase que eu dancei
Dedo no gatilho era da lei
Sozinho e desarmado estava ali
Pra o diabo, os que me chamaram aqui
Foi então…
Eu não sou besta pra tirar onda de herói
Sou vacinado, eu sou cowboy
Cowboy fora da lei
Durango Kid só existe no gibi
E quem quiser que fique aqui
Entrar pra história é com vocês
Meu filho, é isso aí…

(Publicado originalmente no Estadao.com.br em 06 de junho de 2003)

Ler post
sexta-feira 06/06/03

Os 30 anos da estréia de "Krig-ha, bandolo!"

passeata_raul_paulo

(publicado originalmente no Estadao.com.br em 06 de junho de 2003)

Há 30 anos, numa passeata no Rio de Janeiro, Raul Seixas e seu parceiro Paulo Coelho promoviam Krig-ha, bandolo!, disco de estréia de sua carreira-solo
Ler post