11.setembro.2012 18:39:31

SPRW | Almoço Tasca da Esquina

por Carolina Arantes

Luis Siminone/Div.
Tasca_600_2.jpg

Missão do dia: conferir o menu da Tasca da Esquina, a versão paulistana do restaurante lisboeta comandado pelo chef português Vitor Sobral.

Às 13h09 a casa estava lotada e com uma pequena espera. No meu caso, foram dez minutos até vagar uma mesa. Sozinha, tive mais sorte do que um grupo de amigos, que chegou antes e foi atendido um pouco depois.

Confesso que fiquei em dúvida sobre o que pedir de entrada. A única certeza é que queria provar o bacalhau à Braz. Por fim, optei por patê de camarão com vinagrete de manga e folhas, que chegou à mesa numa apresentação um pouco diferente do que havia visto no site do evento. Mas a combinação estava boa, com folhas frescas, o patê bem temperado e um toque picante. A segunda opção era terrine de porco preto com chutney de abacaxi e folhas.

Em seguida, o prato principal e a decepção. O bacalhau à Bráz estava morno e sem sal. Talvez por isso a casa deixe sobre a mesa um potinho de sal para que o cliente dose a seu gosto. Mas preferi regar apenas com um fio de azeite. A porção era boa. Mas faltou sabor.

Para sobremesa, musse de chocolate ou farófias, que são claras em neve cozidas no leite e servidas com esse “creme” polvilhado com canela. Minha pedida certeira, leve e (apesar de ser um doce português) não muito doce.

Rápido e cordial, o serviço ocorreu em tempo adequado para o almoço. Com um suco de limão (R$ 6,50) e um café Nespresso (R$ 6,20), a conta totalizou R$ 49,06.

Uma confissão: Fiquei curiosa para saber como era servido o bitoque, segunda opção de prato principal. Por isso, demorei um pouco mais com a sobremesa e o café, aguardando a chegada do pedido da mesa ao lado. Eis que surge o bitoque, um bife alto com um belo ovo frito sobre ele e, à parte, batatas fritas. O vizinho me pareceu feliz. Lucineia Nunes

Tags: , , , ,

Sem Comentários | comente

  • A + A -

Deixe um comentário:

 

Arquivos

Todos os Blogs