01.maio.2014 17:31:49

Casa de Bonecos – 30 anos da Cia. Pia Fraus

por Fernada Araujo

MENTIRA DO BEM PIAFRAUS2.jpg

 

A companhia de teatro Pia Fraus comemora 30 anos ocupando o Sesc Pinheiros
com exposição, oficinas e peças para crianças e para adultos

O nome Pia Fraus – em latim, ‘uma mentira contada com boas intenções’ – é a expressão mais simpática para definir a trupe que completa 30 anos de história e que celebra a data com vários eventos. No Sesc Pinheiros, a programação aberta ontem (1º) traz exposição de bonecos, oficinas, três montagens do repertório e duas
estreias: a infantil ‘Kachtanka’ e a  adulta ‘Transgressões’.

Já no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), está em cartaz a peça infantil ‘Círculo das Baleias’ (dom., 11h; R$ 10; até 27/7). Além disso, há o ‘Bonecaria’, na Lapa, que hoje funciona como um espaço cultural para a classe artística, mas que o grupo tem planos de abrir para o público.

Com 30 peças no repertório e passagem por 21 países, a companhia nasceu da união de Beto Andreetta, ex-aluno do VentoForte, e do artista plástico Beto Lima. Uniu-se a eles o ator Domingos Montagner – que deu o nome ao grupo. A trupe ficou conhecida, sobretudo, pelo uso de bonecos gigantes em produções infantis como ‘Bichos do Brasil’. Entre as peças para adultos, fizeram ‘Antígona’, ‘Farsa Quixotesca’ (foto), entre outras. Também foram marcantes as parceiras com nomes como Parlapatões, Acrobático Fratelli e Marcia Abujamra. A seguir, conheça mais sobre a história do grupo – e como ela está sendo contada no Sesc Pinheiros.

Bonecaria. R. Coriolano, 624, Lapa, 3864-3327.
CCBB. R. Álvares Penteado, 112, Centro, 3113- 3651.
Sesc Pinheiros. R. Paes Leme, 195, 3095-9400.
http://www.piafraus.com.br/

 


FILHOTES URBANOS
No repertório infantil, marcado pelo carisma dos bichos – infláveis, de madeira, pelúcia e pano –, a novidade é ‘Kachtanka’, uma cachorra adotada por dois palhaços

Estreante russsa
Inspirada no conto homônimo de Tchekhov, Kachtanka (‘ruivinha’, em russo) tem sessões aos sábados e domingos. Na versão do grupo, uma cachorra se perde dos donos durante o carnaval e passa apuros na rua. Um dia, porém, é acolhida por uma dupla de palhaços, que a leva para trabalhar no circo. Dir. Wanderley Piras. Com Fernando Soffiatti, Filipe Bregantin e Gilberto Caetano. Sesc Pinheiros. Pça. de Eventos. Sáb. e dom., 16h. Grátis. Até 18/5. Livre. 50 min.

Pioneiro repaginado
No domingo (4), reestreia O Vaqueiro e o Bicho Froxo. Na trama, o moço quer salvar Rosinha, raptada pelo temido Bicho Froxo. Dir. Beto Andreetta. Sesc Pinheiros. Auditório. Dom., 15h e 17h. R$ 10. Até 1/6. Livre. 50 min.

Ninhada com pedrigee
Dia 11/5, tem Filhotes da Amazônia, sobre pais e filhotes. Dir. Adriana Telg e Wanderley Piras. Com Clara Nascimento e outros. Sesc Pinheiros. Pça. de Eventos. Dia 11/5, 11h. Grátis. Livre. 50 min.

O mais pedido
No domingo (4) e dia 18/5, Bichos do Brasil traz os gigantes infláveis. A peça é a mais pedida em 30 anos do grupo. Dir. Beto Andreetta, Beto Lima e Hugo Possolo. Sesc Pinheiros. Pça. de Eventos. 4/5 e 18/5, 11h. Grátis. Livre. 45 min.


PARA MAIORES

Da série de peças para adultos, o grupo estreia ‘Transgressões’. No palco do Sesc, quatro atores e a boneca Henriette trocam carícias picantes

Sedução à Flor da Pele
O que te excita? Foi a partir dessa pergunta que começou o processo de criação coletiva de Transgressões, espetáculo exibido no Festival de Teatro de Curitiba e que estreia por aqui no dia 9/5.
“Trata das fantasias sexuais que todo mundo tem. Alguns comentam, outros fazem e negam”, explica Beto Andreetta, que divide a direção com Wanderley Piras, da Cia. da Tribo.
Certa noite, um casal decide revelar seus desejos mais picantes. Mas não fica claro se eles estão sonhando ou
consumando os fatos.
E essa é a intenção: o espectador escolhe no que pretende acreditar. E os jovens atores não poupam malabarismos para convencer a plateia. Ana Elisa Mattos, Cristiano Bacelar, David Caldas e Natália Gonsales contracenam com a boneca Henriette (na foto abaixo, com Andreetta), em seu terceiro papel.
“Henriette nasceu em ‘Olho da Rua’ e viajou para a Europa e a Índia. Ela transava comigo, o Lima e o Domingos. Depois, fez Desdêmona em ‘100 Shakespeare’”, graceja o diretor. Com a libido à flor (da imaginária) pele, a boneca continua realizando sonhos.
Sesc Pinheiros. Auditório. De 9/5 a 31/5. 6ª e sáb., 20h30. R$ 25 (grátis no dia 17). 18 anos. 60 min.

 

BONECOS DO BETO
Até 31/5, uma exposição destaca os famosos bonecos do grupo,
presentes em vários de seus espetáculos. Durante o evento, crianças e adultos podem até aprender a criá-los

Confira as imagens na galeria de fotos acima.

Gostou? Faça o seu!
Para crianças, a oficina de bonecos será aos sábados, às 11h, grátis, até 17/5.
Para profissionais, ocorre de 13/5 a 15/5, às 19h, por R$ 10. Nesse segundo caso, é preciso enviar currículo para
o email oficinadeteatro@pinheiros.sescsp.org.br, até 10/5, e esperar a seleção. Sesc Pinheiros. Sala de Oficinas.

 

AO MESTRE COM CARINHO
O ator Domingos Montagner, hoje do La Mínima, fala sobre sua experiência na Pia Fraus, na qual ingressou em 1989 e lá permaneceu por 11 anos

Beto Lima e Trinca de Saltimbancos
“Conheci Beto & Beto em 1988 ou 89. Memórias do século passado, às vezes são difíceis de ter precisão. Da década de 80 então…
Fui procurar uma oficina de Teatro de Bonecos que eles estavam ministrando. Era na antiga Oficina Três Rios que virou Oswald de Andrade. O espaço nesta época ‘fervia’, oferecia diversos cursos ótimos e a classe artística era ávida por obter e trocar conhecimentos. Sim, a classe artística já foi assim.
Este ambiente era a cara dos Betos: festivo, movimentado, criativo, um tanto desorganizado e muito, muito produtivo.
Logo depois da oficina, eles me convidaram a fazer parte do grupo. Eu adorei e fui. Decidimos que o nome da companhia devia mudar e eu sugeri PIA FRAUS, do latim, ‘uma mentira com boas intenções’, era a nossa cara…
E foram 11 anos juntos, oito espetáculos, centenas de bonecos e muita, muita estrada.
Beto Lima desenhava os bonecos. Suas formas eram inconfundíveis, era escultor do barro e dele vinham Bichos Froxos, tias rodriguianas, mariposas, Henriettes, solitários poetas a procura de suas cabeças ou até mesmo santas e santos inundados de dramaticidade barroca.
Muitas vezes os bonecos vinham antes dos espetáculos. Procurávamos ou criávamos histórias, que pudessem acolher aquelas criaturas. Elas poderiam vir de Mary Shelley, Lorca ou do Jequitinhonha, inspiração recorrente do bonequeiro de Paraopebas.
A escancarada ‘mineirice’ se manifestava também, de maneira quase incontrolável, na paixão pela chamada ‘culinária perversa’. Eram históricos seus jantares quando voltava de seus encontros com Dona Rosa, mãe adorada e idolatrada. Montava banquetes com linguiças, buchinho cheio, torresmos, tutus e muita cachaça. Era a celebração dionisíaca que abastecia o espírito da companhia.
Beto Lima era a celebração do amor pela vida. Tinha uma capacidade de comunicação inigualável. Viajamos para muitos países, da Colômbia a Suécia, passando por Espanha, Escócia ou França e nunca vi alguém com uma capacidade como a dele de falar qualquer língua, em português.
Ensinei Beto a pilotar moto, seu primeiro veículo. E numa época de vacas bem magrinhas, com pouco dinheiro pro frete, íamos para as apresentações, com malas de bonecos e figurinos amarrados nas nossas intrépidas XL 250. Uma performance.
Durante estes 11 anos, a PIA FRAUS éramos nós três. Uma trinca de saltimbancos, apresentando-se em teatros, ruas, bares, boates, escolas ou até mesmo igrejas.
E tenho certeza que foi nesse meio tempo, jogando conversa fora num quarto triplo no interior de Minas, entre um prêmio em Edimburgo e um projeto na periferia de Diadema, que eu aprendi a ser artista.
E com Beto Lima, eu entendi o que é a alegria de amar o que se faz.
Parabéns PIA FRAUS, continuamos juntos.”

 

 OS PRIMORDIOS – LINHA DO TEMPO

1984 – A convite da cantora Doroty Marques, Beto Lima e Beto Andreetta trabalham juntos no projeto Criança Faz Arte, na favela do Cafezal, em Belo Horizonte.

 1987O Vaqueiro e o Bicho Froxo fica, em São Paulo, entre as cinco melhores peças do ano. O grupo apresenta-se na Índia.

1989 - Domingos Montagner é convidado para o grupo e sugere mudar o nome da ‘Beto & Beto e Cia’. para Cia. Pia Fraus.

1994 – Da parceria com o grupo XPTO, nasce Babel Bum. Em 1996, Flor de Obsessão (foto) leva prêmio em Edimburgo.

2001 – Estreia Bichos do Brasil, primeiro sucesso de bilheteria do grupo – e o espetáculo mais vendido em sua história.

2005 – Morre Beto Lima. Em 2006, com Parlapatões, nasce o projeto ‘Circo Roda’, com Estapafúrdio e Oceano (foto).

2010 – Com a coreógrafa Lara Pinheiro, Terra Papagallis! marca o início de uma linha mais corporal, que segue até hoje.

2010 – Começa a circular o BuZum, projeto itinerante do ônibus que leva teatro às bibliotecas e escolas públicas do Brasil.

Tags: , , , ,

Sem Comentários | comente

  • A + A -

Deixe um comentário:

 

Arquivos

Todos os Blogs