1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Investigado em cartel, secretário é exonerado e vira assessor especial de Haddad

Diego Zanchetta

04 abril 2014 | 11:32

COLABOROU FABIO LEITE

O prefeito Fernando Haddad (PT) exonerou hoje o secretário de Infraestrutura Urbana e Obras, Oswaldo Spuri, investigado sob suspeita de ligação com o cartel do Metrô. Ele, porém, vai continuar no governo, como assessor especial direto do prefeito. Oficialmente Spuri pediu para sair do cargo para tratar de problemas de saúde.

A Corregedoria Geral da Administração paulista, responsável por investigar supostas irregularidades de funcionários públicos em cartel denunciado pela Siemens, aponta o engenheiro Spuri, presidente da comissão de licitação da compra de trens do Metrô, como suspeito pela inexistência de pesquisa de preços durante as licitações.

Ele nega qualquer irregularidade e afirma que seria “impossível” calcular o preço de todos os componentes de um trem, como exige a lei das licitações.

Na prática, porém, Spuri foi rebaixado. Ele deixa uma das principais secretarias do governo, com obras de R$ 4 bilhões em andamento, para permanecer no governo como assessor de gabinete. O tucano foi escolha pessoal de Haddad durante a composição do governo, em 2013.

“A Prefeitura de São Paulo informa que a exoneração de Oswaldo Spuri do cargo de secretário de Infraestrutura e Obras e sua nomeação como assessor especial está relacionada com um diagnóstico recebido recentemente que limita o exercício do cargo anterior”, informou em nota a gestão Haddad.

Para o lugar de Spuri foi nomeado Roberto Nami Garibe Filho, que foi secretário de Governo após a exoneração de Antonio Donato (PT), no ano passado. Garibe Filho tem perfil técnico e não é filiado a nenhum partido.

 

O secretário Oswaldo Spuri, investigado em cartel do Metrô: ele deixa a pasta de Obras, mas segue como assessor de Haddad