1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Com praça e teatro de contrapartida, Haddad quer agora vender rua no Itaim

Diego Zanchetta

quinta-feira 24/04/14

Um ano após desistir de colocar à venda, por R$ 5,83 milhões, uma rua sem saída de 589 metros quadrados no Itaim Bibi, na zona sul de São Paulo, a gestão do prefeito Fernando Haddad (PT) recolocou o projeto de 2012 na pauta da Câmara Municipal. Quem tem interesse em construir um empreendimento na Rua [...]

Um ano após desistir de colocar à venda, por R$ 5,83 milhões, uma rua sem saída de 589 metros quadrados no Itaim Bibi, na zona sul de São Paulo, a gestão do prefeito Fernando Haddad (PT) recolocou o projeto de 2012 na pauta da Câmara Municipal. Quem tem interesse em construir um empreendimento na Rua Oswaldo Imperatrice é a Birmann Empreendimentos, que comprou a maior parte dos terrenos no entorno da rua.

Dessa vez, a Birmann oferece como contrapartida à Prefeitura a construção de uma praça e de um teatro abertos à população. A empresa apresentou o projeto ao prefeito no dia 12 de março de 2014, quando Haddad se reuniu com Rafael Birmann, sócio da empresa – Birmann estava acompanhado pelo advogado Luiz Tarcísio Teixeira Ferreira, irmão do deputado federal Paulo Teixeira (PT).

No dia 14 de abril Birmann também apresentou a proposta, sozinho, em audiência na Prefeitura com o secretário de Desenvolvimento Urbano, Fernando de Melo Franco. Dois meses antes, no início de fevereiro, a empresa também procurou a reportagem do Estado para mostrar as contrapartidas que seriam oferecidas ao governo, caso a Birmann pudesse comprar a rua, onde tem a intenção de construir um empreendimento imobiliário.

“O prefeito me ligou e pediu para colocar o projeto na pauta, já que a cidade vai ganhar um teatro. Mas não existe acordo na Casa porque os vereadores estão considerando o valor de R$ 5,83 milhões muito baixo. Por enquanto nossa prioridade é votar o Plano Diretor, precisamos ainda ver se esse valor é realmente compatível com o praticado na região”, argumentou Arselino Tatto (PT), líder do governo no Legislativo.

Em novembro de 2012, a Sociedade Amigos do Itaim-Bibi chegou a entrar com ação na Justiça para impedir a venda da rua, uma travessa movimentada da Rua Leopoldo Couto de Magalhães. Na ação os moradores alertavam que a Empresa Brasileira de Estudos de Patrimônio (Embraesp) apontou a quantia pedida pela Prefeitura – R$ 5,8 milhões (R$ 9.900, o m²) – como inferior ao valor da região.

Segundo a entidade, o m² na Avenida Brigadeiro Faria Lima custa cerca de R$ 20 mil. Na época o prefeito Gilberto Kassab (PT) foi acusado pela bancada do PT na Câmara Municipal de tentar favorecer o mercado imobiliário com o projeto.

A Birmann Empreendimentos gerencia o projeto de construção de um empreendimento na Rua Oswaldo Imperatrice para um grupo de investidores, a Faria Lima Traine Properties. Procurado para comentar o empreendimento, o advogado Luiz Tarcísio não foi localizado pela reportagem.

A Rua Oswaldo Imperatrice, no Itaim Bibi: governo quer novamente colocar via à venda, por R$ 5,83 milhões