BLOGS TERRITÓRIO ELDORADO

As curiosidades e o dia-a-dia do meteorologista na previsão do tempo pelas regiões do Brasil e do mundo.


busca


arquivo


categorias



RSS

22.09.10

Erros na previsão do tempo

por
Fabiana Weykamp
, Seção: Sem categoria 16:47:07.

Esta semana começou muito complicada em São Paulo com as fortes pancadas de chuva que tivemos nas tardes de segunda e de terça-feira.

Nós, da Climatempo, erramos a previsão do tempo para estes dois dias. Depois de um fim de semana frio e úmido, falei em meus boletins da manhã na rádio Eldorado que naquela segunda-feira voltaríamos a ter sol, calor e tempo seco. O sol até apareceu um pouco neste dia, mas já no começo da tarde o tempo fechou, vieram as pancadas de chuva e por volta das 14 horas os termômetros marcavam apenas 18 graus na Zona Sul da cidade. Fiquei completamente arrasada!

Na terça-feira retorno ao trabalho e digo que o que aconteceu na segunda-feira não iria se repetir neste dia. Até o começo da tarde tudo ia bem. O sol brilhou forte e a temperatura chegou aos 29 graus. Porém, às 15 horas começo a observar o início da formação das nuvens carregadas que se desenvolveram até provocar a chuva intensa nas Zonas Norte e Leste da capital e uma quantidade absurda de granizo em Guarulhos. Ou seja, tudo foi ainda pior neste dia!

Chuva_Granizo_guarulhos_Guilherme__z50_.jpg

Foto da cidade de Guarulhos nesta terça-feira tirada por Guilherme Kastner, do Diário de Guarulhos.

Qual a explicação para tantos erros?

A "ferramenta" principal de trabalho para se prever as condições atmosféricas futuras são os "Modelos Numéricos de Previsão do Tempo". A atmosfera é representada através de equações matemáticas que são resolvidas por supercomputadores. Esses resultados estimam de forma dinâmica o comportamento das variáveis meteorológicas em dias posteriores na forma de "Campos Meteorológicos". Nós, meteorologistas, interpretamos estes campos (de pressão, vento, temperatura e etc. em diferentes níveis da troposfera) e determinamos finalmente se em "tal" dia teremos sol, calor, frio, chuva e etc.

Além disso, diariamente fazemos o acompanhamento do tempo utilizando outros recursos como as imagens de satélite e as imagens de radar. As imagens de satélite mostram nuvens e através destas podemos identificar os "Sistemas Meteorológicos", como uma frente fria, por exemplo.  As imagens de radar mostram chuva em suas diferentes intensidades.

Em nossas reuniões diárias para a  previsão do tempo, analisando os modelos numéricos, não identificamos as condições para a chuva nestes dois dias em São Paulo.

Na segunda-feira, houve a formação de muitas áreas de instabilidade sobre o Sul do Brasil. Parte desta instabilidade que estava no Paraná entrou no sul do Estado de São Paulo, se deslocou e atingiu a Região Metropolitana. Na terça-feira a chuva intensa que causou o granizo teve a sua formação sobre a Região Metropolitana.

Para haver a formação das nuvens do tipo Cumulunimbus (Cb), que provocam tempestade, é necessário ter calor e umidade. O calor já era esperado, só não contávamos com a fonte de umidade que veio através da mudança na direção do vento naquele dia, que passou a soprar do mar pra cá. O ar mais quente e leve subiu, resfriou-se e permitiu a condensação da umidade. Dessa forma, pelo processo de convecção, houve a formação da nuvem do tipo Cb que possui um grande desenvolvimento vertical. No topo desta nuvem a temperatura atinge valores de 50 a 70 graus NEGATIVOS. A temperatura negativa forma o gelo, que devido as correntes ascendentes e descentes dentro da nuvem, forma o granizo, que pesa e atinge o solo.

A quantidade de granizo que caiu em Guarulhos foi excepcional e não é comum acontecer durante o inverno. Amanhã já começa a primavera e ao longo desta estação já será mais comum ter calor e alta umidade que favorecem a ocorrência das fortes pancadas de chuva. Porém, a primavera é uma estação de transição entre o inverno tipicamente seco na Região Sudeste para o verão tipicamente chuvoso. Por não ser uma estação tão bem definida a previsão do tempo torna-se um desafio ainda maior.

Depoimentos dos meteorologistas sobre esses erros:

FABIANA WEYKAMP - Ontem o que mais lembrei foi de um filme que vi há alguns anos atrás chamado "O sol de cada manhã" com o ator Nicolas Cage. Neste filme ele é um meteorologista que apresenta o tempo na TV. Ao sair as ruas, as pessoas passam por ele e gritam: "Olha o homem do tempo" e atiram coisas nele do tipo sanduíche, milk shake e etc. Essas cenas horríveis me faziam pensar o quanto os ouvintes da Eldorado deveriam estar bravos comigo diante dos grandes furos da previsão.

CAMILA RAMOS - Quando vi a primeira gota de chuva no vidro do carro eu até tentei limpar sempre pensando: "Não é possível!!!" Quando alguém te conta que pegou chuva você ainda pode pensar que alguém está tentando te enganar, mas eu acabei pegando esta chuva ao vivo e a cores. Para completar a tragédia, eu estava andando pela Celso Garcia, e como se não fosse suficiente estar chovendo granizo, a rua começou a alagar! A primeira sensação foi de negação, depois veio a tristeza e depois que esta passou comecei a apreciar o granizo porque afinal de contas meteorologista não é de ferro.

MARCELO PINHEIRO - Era apenas mais uma tarde ensolarada de final de inverno em São Paulo. De repente os radares começaram a mostrar áreas de chuva se formando na região. Eu e minha companheira Fabi ficamos monitorando. E aí que surgiu um monstro. Ali no centro-leste da capital e virou gente grande. Avançou pela região metropolitana e despejou muito gelo na forma de granizo. De tanto gelo acumulado, a cidade denominada, outrora, como Guarulhos ficou com ares de Barilhoce (cidade argentina famosa pelas nevascas), ou seja, a nova "Guariloche". A prima vera é sinistra mesmo!

PATRÍCIA MADEIRA - Trabalho há muito tempo na previsão, e a sensação não muda quando as coisas não são exatamente como eu gostaria. Primeiro vem a sensação de incredulidade: será que está acontecendo mesmo? E toca a procurar dados, satélite, radar, metar. Depois vem aquela preocupação com as pessoas. E quem não levou guarda-chuva? Esfriou e as mães não agasalharam seus filhos! Se tiver enchente então, muito pior, dá vontade de sumir, dói a cabeça. Numa situação de granizo como ontem, tirando o encanto de ver um fenômeno meteorológico tão bonito, fica a sensação de "o que foi que eu não enxerguei? Será que não olhei tudo o que devia? Pesquisei instabilidade, modelos, dias anteriores?". Normalmente chego à conclusão que não, algo ficou pra trás. E, antes tarde do que nunca, procuro entender o que a atmosfera escondeu de mim, já que as explicações são inevitáveis. Poder explicar, aliás, é um privilégio e é necessário, as pessoas têm o direito de saber exatamente porque errei. E a partir daí começa novamente o trabalho de convencimento: escutar a previsão do tempo ainda vale a pena! Estamos sempre aprendendo!

ALEXANDRE NASCIMENTO - Como uma criança que foi para a escola e fez coco na calça. Você cometeu um erro grave, não tem como esconder de ninguém e o que você mais gostaria no seu íntimo era de cavar um buraco e se enterrar. Mas como não dá, vai para casa, troca de roupa e bola pra frente!!!

JOSÉLIA PEGORIM - QUE MERDA! DROGA! ERRAMOS PELO SEGUNDO DIA SEGUIDO!
Quem estava na sala da previsão da Climatempo na tarde de terça-feira me ouviu falando alto estes e outros impropérios. Duvido que algum meteorologista que faz previsão, e que seja minimamente comprometido com o dia a dia da profissão, não tenha se irritado muito com o que aconteceu. Quando acontece um erro assim, a sensação de desconforto é enorme. E para piorar a coisa, teve a granizada em Guarulhos. Acho que para os meteorologistas que fazem previsão é quase unânime que o pior erro é dizer que não vai chover e chove. Tenho muito mais tempo de trabalho na previsão do tempo, e de contato com o público, que meus colegas de equipe, mas mesmo assim, um erro grave como este irrita até hoje. Hoje, não choro mais porque errei, mas já chorei muito. Endureci na lida, mas não esqueço meu primeiro choro meteorológico. Em um domingo, dos idos do começo dos anos 1990, chorei mais que  a chuva que caía e inundou Sampa, porque disse no rádio que a chuva de Mato Grosso do Sul não ia chegar aqui. E naquele domingo chovia, chovia, e não parava, chovia e Sampa foi alagando, alagando. Na época, o Magno me consolou, pois já era mais experiente do que eu. Brincou comigo: "tá vacinada, agora bola pra frente". Disse várias vezes aos meus ouvintes de rádio: não dá para voltar no tempo e corrigir o erro da previsão. Quando acontece, a gente limpa mesa, zera o cronômetro e continua o dia com a nova realidade. A gente aprende também que é muito importante ser transparente e honesto consigo mesmo e com o público, e não ter vergonha de assumir que errou.


Comentários:

Comentário by Richieri
22 22UTC setembro 22UTC 2010

Olha, como uma pessoa que tem curiosidade, que se preocupa com o tempo, sempre fico de ouvido nas previsões do tempo. Realmente essa semana, não foi das melhores para vocês meteorologistas. Segunda e terça saiu tudo as avessas. Aquela chuva de granizo em Garulhos foi surreal.
Fabí,
Duvido que te atirem coisas por conta disso.
O que me preocupa é como o tempo está virado, com contrastes tão grandes entre a secura desértica que enfrentamos até a semana passada, e essas chuva e ontem literalmente imprevisível.
Citando Einstein:
“Quando a natureza é agredida ela não se defende. Ela se vinga.”
abs

Comentário by João Delai - Cascavel/PR
22 22UTC setembro 22UTC 2010

hahahhaha.. realmente, eu como meteorologista amador da família haahhahah, também sou apedrejado quando erro a previsão pra cá (by gfs)
Mas é assim mesmo, quando acerta ngm fala nada, se erra todo mundo tem uma pedra na mão.

Abraços!!!!

Comentário by Luiz
22 22UTC setembro 22UTC 2010

Fica a minha curiosidade.. estes modelos matemáticos são ajustados a cada ocorrência inesperada?

Comentário by Andre - Atibaia/SP
22 22UTC setembro 22UTC 2010

Fabiana e equipe, independente de terem errado o que acho mais legal é admitir, isto é impar se fossem outros “profissionais” fingiriam que não tinham dito nada… é por isso que admiro a radio ELDORADO, em espcial você Fabiana que alem de grande profissional, é linda e acima de tudo sincera, parabéns, de coração e seja feliz pois merece.

Comentário by Norival
22 22UTC setembro 22UTC 2010

Acompanho a previsão do tempo de ha muito e situações como as desta semana acontecem.
abs

Comentário by Carlos Hiroshi
23 23UTC setembro 23UTC 2010

Uma curiosidade: Tem conhecimento de algum meteorologista que tenha acertado a previsão desses dois dias?

Comentário by Fabiana Weykamp
23 23UTC setembro 23UTC 2010

Olá Luiz,

A equações matemáticas são sempre calculadas a partir de dados iniciais (que são reais, ou seja, com dados observacionais medidos pelas estações meteorológicas que estão espalhadas pelo globo). Esses dados observacionais para o dia atual são interpolados e geram um “Campo Inicial” que é inserido neste conjunto de equações. Os resultados destas equações geram o prognóstico futuro. Esse processo é feito duas vezes por dia. Dessa forma, posso afirmar que esse ajuste do modelo sé feito diariamente. Mas numa estação de transição, como a primavera, em que as condições climáticas não são tão bem definidas como no verão e no inverno, os modelos demoram um pouco a se adaptar. Muitas vezes eles começam a enxergar muita umidade onde ainda não tem e vice-versa. Cabe a nós, meteorologistas, perceber essas coisas para acertar melhor a previsão.

Espero que a resposta não tenha ficado muito confusa. Qualquer dúvida é só perguntar novamente.

Abs

Comentário by Fabiana Weykamp
23 23UTC setembro 23UTC 2010

Olá Carlos,

Não sei te responder esta pergunta. Não acompanhei as demais previsões, só ouvi alguns comentários por cima. Mas a granizada, naquela quantidade, que caiu em Guarulhos, acho que ninguém previu.

Obrigada por participar do blog. Abs.

Comentário by Fabiana Weykamp
23 23UTC setembro 23UTC 2010

RICHIERI, NORIVAL, ANDRÉ E JOÃO,

Muito obrigada por vocês participarem aqui do blog. É muito importante mesmooo haver essa troca!

Grande abraço.

Comentário by Flávio
23 23UTC setembro 23UTC 2010

Eu acho que o importante é a transparência. Ninguém erra de propósito. Admitir o erro é muito bom. Se depois do erro vier uma explicação razoável, por mim, tudo bem. Continuo prestigiando a equipe da Climatempo.

Comentário by jose benedito vieira
23 23UTC setembro 23UTC 2010

Grato pela resposta ao e-mail anterior, e quero parabeniza-la pela humildade que vc. demonstra ao reconhecer erro quando de previsoes incorretas. Aproveito tambem para indaga-la porque aqui em Pereiras é tão dificil chover, mesmo quando é tempo de chuva. o CEP daqui é 18580-000. Grato.R

Comentário by Paulo Messias
24 24UTC setembro 24UTC 2010

Sou meio viciado em previsão do tempo, especialmente a que ouço na Eldorado enquanto estou no trânsito rumo ao meu trabalho.
Saibam vocês que esses enganos só nos mostram uma coisa, que estamos ouvindo algo feito por humanos como eu e outros tantos e é isto é que dá o necessário tempero à informação.
Eu agradeço por ter esse serviço disponível e feito por gente e não apenas por máquinas infalíveis, frias e completamente desinteressantes.
Parabéns pelo trabalho de vocês!

Comentário by Fabiana Weykamp
27 27UTC setembro 27UTC 2010

Olá Paulo,

Muito obrigada pelo seu comentário. Li as suas palavras para várias pessoas que trabalham comigo.

Grande abraço e uma ótima semana.

Comentário by Fabiana Weykamp
27 27UTC setembro 27UTC 2010

Olá Flávio,

Muito obrigada por você ter passado por aqui e deixado um comentário. Essa troca é necessária e muito boa.

Grande abraço e uma ótima semana.

Comentário by Fabiana Weykamp
27 27UTC setembro 27UTC 2010

Olá Sr. José,

Desculpe a demora em respondê-lo. Você despertou agora uma certa curiosidade, rs!
Em conversas com dois agricultores vizinhos do Estado de São Paulo, sempre havia uma constatação. Mesmo as fazendas estando próximas, a do primeiro agricultor sempre chove mais em relação a do outro. O segundo agricultor sempre indagava sobre isso. Precisa ser feito um estudo mais aprofundado, mas uma das explicações mais razoáveis foi a questão do relevo.

Vamos tentar descobrir então a respeito de Pereiras.

Grande abraço e obrigada por passar por aqui!

Deixe um comentário

Serão rejeitadas mensagens que desrespeitem a lei, apresentem linguagem ou material obsceno ou ofensivo, sejam de origem duvidosa, tenham finalidade comercial ou não se enquadrem no contexto do blog.


Seu endereço de email não será exibido nesse site.

Sua URL será exibida.

Tags XHTML permitidas: <p, ul, ol, li, dl, dt, dd, address, blockquote, ins, del, span, bdo, br, em, strong, dfn, code, samp, kdb, var, cite, abbr, acronym, q, sub, sup, tt, i, b, big, small>


Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo