ir para o conteúdo
 • 

Daniel Piza

07.janeiro.2008 15:51:18

No lombo da sociedade

E alguém tinha dúvida de que o governo não teria competência para repor a CPMF a não ser com aumento de impostos? Mesmo com as promessas do presidente Lula, era evidente que a conta ia para o bolso do contribuinte mais uma vez. E alguém acredita que os cortes de R$ 20 bilhões serão realmente feitos? Lula certamente foi mais sincero quando disse que acha impossível governar o Brasil sem aumentar gastos públicos – afinal, assim tem sido em seu governo desde 2003 e nos anteriores… O que está por trás dessas notícias e declarações todas é a incapacidade de o país pensar suas reformas de verdade, com efeitos a médio e longo prazos, saindo do imediatismo de sempre. A sociedade já não agüenta a carga tributária. Mas quem disse que os políticos estão preocupados com a sociedade e não com o poder?

comentários (193) | comente

  • A + A -
193 Comentários Comente também
  • 07/01/2008 - 15:55
    Enviado por: Chi Qo

    Que bom tê-lo de volta!
    :)

    Feliz 2008!

    Quanto aos propósitos da arrecadação… O Governo de um país existe “oficialmente” para servir ao povo… Mas na prática alguns se apossam, ainda que temporariamente, da máquina administrativa para seus próprios interesses…
    Na visão desses “senhoures” o povo é que existe para o Governo… E nosso lombo é que sofre…

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/01/2008 - 16:29
    Enviado por: Adair

    “afinal, assim tem sido em seu governo desde 2003 e no anteriores …”
    O que é mais triste dessa constatação são as últimas 3 palavras. Principalmente se considerarmos que as outras siglas partidárias ou fizeram parte do governo atual/anteriores ou não têm projeto de poder.
    Resta-nos, eleitores, escolhermos entre o ruim e o não bom.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/01/2008 - 16:43
    Enviado por: Ancião

    Brasileiro adora pagar de otario…e vai continuar pagando… povo burro tem o que merece.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/01/2008 - 16:45
    Enviado por: Rogério

    Piza e suas obviedades!

    Este blog necessita de uma reformulação….

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/01/2008 - 16:49
    Enviado por: Sérgio

    Resta alguem tomar vergonha na cara e fazer uma mega passeata na paulista com os empresarios de elite.
    dai voce vai ver se nao muda alguma coisa

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/01/2008 - 16:50
    Enviado por: Rafael

    Não adianta, mudam-se os rostos e fica o mesmo caráter! O que se deve mudar é a administração, pois os subordinados a ela não adianta mais!
    Sou um simples leitor, mas gostaria de deixar uma pergunta.
    Quantos(as) precisaram deixar suas opiniões (geralmente reclamações é claro!) para que alguma coisa mude?

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/01/2008 - 16:53
    Enviado por: Alf

    A conta sempre será paga por nós. Usar bem o dinheiro publico é dever dos administradores publicos. Fizeram bem em suspender a cpmf. Todos estão pensando no assunto e observando o comportamento do governo e da oposição. A pergunta é : e o aumento de arrecadação que já havia ocorrido, para onde foi ? se a economia cresceu 5% , onde foi parar o imposto a mais recolhido ? Com a alternancia do poder podemos ver que todos se parecem muito quando assumem o governo. E tomara que continue essa alternancia.
    Abraços e Feliz 2008

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/01/2008 - 16:56
    Enviado por: Rogério

    O Piza tem implicancia com o PT !
    Não entendo os motivos dele…queria que ele me explicasse !

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/01/2008 - 16:59
    Enviado por: danielpiza

    E precisa, Rogério? Durante 25 anos eles disseram que mudariam o modelo econômico, e agora o que fazem é o que se fez no Brasil em 500 anos…

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/01/2008 - 17:28
    Enviado por:

    Concordo

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/01/2008 - 17:35
    Enviado por: Cláudia

    Falar em sociedade brasileira é um pouquinho complicado. Seria melhor falar em sociedades já que os interesses de uns poucos nem sempre, para não dizer nunca, correspondem aos interesses da maioria.
    Li que dos 100 maiores contribuintes da CPMF, 62 não pagavam imposto de renda.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/01/2008 - 17:35
    Enviado por: Victor

    tem gente reclamando de bolso cheio, e não enxerga a realidade a sua volta, prefere difamar e analisar as coisas bem superficialmente…
    Pagar a CPMF era algo ruim mesmo, mas por que sempre que precisei de assitencia hospitalar, tive (tenho) que pagar particular,,,]quando ao governo bom, lembrem-se quem implantou a CPMF e quem fez farra para retirá-la, existe alguma incoerrencia no ar… espero não ser o único a perceber isso,,, e olhe que eu tenho implicancia com a base governista.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/01/2008 - 17:38
    Enviado por: Fábio de Castro

    Migalhas.

    O Estado é uma máquina incontrolável, nociva e inútil. Ninguém é capaz de compreender esse monstro. Nós, indivíduos, somos obrigados a pagar a quarta parte da nossa renda para sustentar essa máquina monstruosa e patética.

    Nenhum dos supostos serviços prestados por ele presta. Sua inutilidade é provada todos os dias. Mas não tem solução. Temos que nos resignar a carregar esse peso morto.

    É impensável dissolver o monstro. Se ele sumir, os predadores corporativos ocupam o espaço. (Aqueles da “maravilha da economia moderna”, cujo sistema possibilitou os atuais 12 milhões de escravos no planeta, muito mais que no século 19).

    O poder só muda de lugar e fica ainda mais cruel e sanguinário – sem a pantomima eleitoral não sobra nem a possibilidade aleatória de um poder melhorzinho. É a barbárie total. Melhor se resignar ao monstro inútil que ficar ao Deus-dará do mercadão de rapina.

    Então, quando me falam em CPMF, dou de ombros e digo: bah, migalhas.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/01/2008 - 17:39
    Enviado por: Jr. Ferrari

    Rogério tá com a razão.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/01/2008 - 17:41
    Enviado por: wilson de mello jr

    De novo nosso grande Presidente se faz de inocente e não honra suas proprias palavras que dizia outro dia “NÃO HAVERÁ AUMENTO DE IMPOSTOS”. como sempre ele alem de não saber o que acontece no País não consegue cumprir o que fala.
    se o governo não tem dinheiro porque quer criar uma nova teve publica.Por que não demite os funcionários em cargo de confiança que recebem altos salarios e pouco fazem.Se fosse uma empresa privada obrigatóriamente teria que reduzir custos. SE QUISER É SO ACABAR COM A PUBLIDADE DO GOVERNO, GOVERNO COMPETENTE NÃO PRECISA DE PROPAGANDA.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/01/2008 - 17:42
    Enviado por: Jr. Ferrari

    Não me refiro ao fato de o Rogério achar que o Piza tem implicância com o PT, mas sim ao fato de que isso tudo é absolutamente óbvio.

    Sobre ter implicância ou não, mudo de lado e concordo com o Piza. O Lula pensava em fazer do Brasil algo como o sítio do Michael Jackson, a Terra do Nunca, o Neverland Tupiniquim.

    E não fez NADA!
    Quer dizer, fez: Bobagens!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/01/2008 - 17:47
    Enviado por: Naodigo

    Senhor Piza

    No Dubai eles nao pagam impostos.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/01/2008 - 17:48
    Enviado por: thereza

    Só uma pergunta, se o governo também paga contas, quanto vai economizar agora que não paga mais cpmf? Isso ninguém disse. Quanto é?

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/01/2008 - 17:48
    Enviado por: Diego R.

    Crescimento econômico com oferta muito superior de emprego, e com a inclusão social de mais de 20.000.000 de brasileiros à classe C da população. De fato, modelo econômico igualzinho aos outros…

    Desafio alguém a trazer os números de governos anteriores para fins de comparação.

    OBS: Não são dados governamentais, mas do DATAFOLHA, que nunca foi muito fã do governo federal atual.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/01/2008 - 17:50
    Enviado por: Diego R.

    O pior cego é aquele que não quer ver.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/01/2008 - 17:51
    Enviado por: danielpiza

    Diego, o modelo é o mesmo: câmbio flutuante, juros altos para conter inflação, aumento de gastos e impostos. Naodigo: vá pra Dubai, lá ninguém pode falar mal do governo.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/01/2008 - 17:54
    Enviado por: Breno

    Piza, a carga tributária vêm em escalada ascendente desde Itamar Franco, tendo na era FHC o apíce do endividamento – interna e externa – e alto custo para crédito.
    A CPMF que injetaria 40 bilhões aos cofres públicos, agora foi convertida – pós queda – em CSLL mais alta, que só valerá depois de três meses após a publicação da MP, e IOF nas diversas transações; o passivo será de 10 bilhões aproximadamente, sendo que há ainda 30 bilhões que não seram compensados através destas medidas…
    Na verdade existe a necessidade de regulação do setor e das instituições financeiras. A jogatina é reflexo das eleições que se avizinham, sendo os bancos um dos principais financiadores de campanhas políticas.
    Estranho mesmo é o silêncio de todos referente as condutas bancárias em tarifação e juros, com a passividade do empresariado e demais setores… afinal, como você bem disse: empresa não paga imposto, repassam ao consumidor.
    E os demais gastos? Os três poderes deveram sofrer cortes orçamentários, em conjunto com Governandores e Prefeitos, que agora alardeiam este arrocho – e sabem que pederam muito em pleno período eleitoral.
    O FHC bem sabe que não se pode tirar repentinamente 40 bilhões do orçamento sem conseqüências; e a CPMF já era cobrado de todos, sem excessão, e agora não será tributado sobre os financiamentos da Casa ou Carro Popular.
    E Piza, não fale em palavras ou promessas!
    Serra deu a palavra e registrou em Cartório; FHC deu a palavra e desvalorizou a moeda – Daniel Dantas adorou está, aumentou os juros e os tributos; Collor jurou inocência; Os Generais alegaram uma devolução rápida para os Civís, e sabemos o tempo que durou…

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/01/2008 - 17:56
    Enviado por: danielpiza

    Pois é, Breno, e continuamos na mesma toada…

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/01/2008 - 17:56
    Enviado por: Diego R.

    Aumento da rede de proteção social e melhor distribuição de renda. E os juros reais não são tão baixos desde a 2a guerra mundial. Investimentos não são gastos, e o Brasil tem uma população beirando os 200.000.000, é ÓBVIO que a máquina tem que aumentar pra dar conta de administrar tudo.

    Veja a contradição:
    O sistema de saúde é precário em parte porque não há gente suficiente pra dar conta da demanda, mas, se contratarem mais pessoal há aumento de gastos, mas ninguém quer aumento de gastos.

    Entretanto, ninguém abre mão do sistema público e gratuito de saúde.

    Em suma: Ninguém abre mão de nada, mas ninguém quer pagar por nada. Querem viver num estado de proteção social comparavel à Suécia, mas querem pagar impostos de paraísos fiscais. Tenham dó! Tudo que se oferece de serviços públicos custa dinheiro, e, conseqüentemente gastos.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/01/2008 - 17:57
    Enviado por: patypimentinha

    Lula canalha, pilantra, porco , sujo, fdp, podre, inescrupuloso, filho de uma quenga, sapo barbudo, analfabeto, imbecil, feio.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/01/2008 - 17:57
    Enviado por: Vandison

    Desse jeito o Brasil não vai pra frente…

    necessitamos de um povo que tenha mais estudo e competência para chegar na hora H e dizer NÃO a tais impostos que o governo impõe..
    pois é com o estudo que aprendemos o que é certo e errado em nosso país

    abraços a todos(as) e feliz 2008.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/01/2008 - 17:59
    Enviado por: O Cego

    Concordo sarcasticamente com você Diego R. Mas insisto na máxima: não acredite em pesquisas que você mesmo não tenha falsificado…
    Aí, quem é o cego, Diego?
    Com certeza, a massa de manobra PTsta e todos os tolos que preferem esmola em vez de exigir retidão e competência dos políticos de plantão.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/01/2008 - 18:00
    Enviado por: danielpiza

    É o contrário, Diego: pagamos carga tributária maior que no Japão e temos em troca os serviços sociais de Angola…

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/01/2008 - 18:01
    Enviado por: Diego R.

    Como eu disse, são pesquisas do DATAFOLHA, Sr. Cego. Não do PT. Não do IBGE. Não do governo federal.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/01/2008 - 18:03
    Enviado por: Diego R.

    ALGUNS POUCOS PAGAM! O único imposto capaz de fazer TODOS pagarem (o CPMF) foi derrubado. E derrubado por aqueles que se utilizam de artifícios jurídicos exatamente para não pagar NADA.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/01/2008 - 18:06
    Enviado por: Diego R.

    E quanto a esmola, só quem já passou fome sabe que programas de proteção social não são esmola. Tem que ser muito almofadinha-bem-nutrido pra pensar de outra forma.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/01/2008 - 18:11
    Enviado por: patypimentinha

    Jesu falou:

    ” De a Lulla o que é de Lulla.”

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/01/2008 - 18:12
    Enviado por: Claudio

    A nossa ainda longa distância do mundo real, ativo e maduro, ainda que devesse ser considerada inaceitável a esta altura da história, acaba sendo a explicação para uma das verdadeiras maiores causas para todo este estado de coisas: a atitude cidadã-infantil de muitos que, inclusive, deixaram seus comentários aqui, que não entendem que só o incentivo ao empreendedorismo como mentalidade mais ampla, com um estado concentrado apenas em suas tarefas – e cobrado por isto – e que não seja um ônus a quem quer produzir e criar riqueza, com qualidade. Enquanto o esquerdismo adolescente for a base ideológica predominante, tudo isto continuará a se repetir infinitamente.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/01/2008 - 18:16
    Enviado por: Diego R.

    Falácia genérica dos defensores do estado minimalista.

    Tentam desqualificar o argumentante, e não os argumentos – técnica usada desde os tempos da Roma Antiga.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/01/2008 - 18:19
    Enviado por: KAKA

    CLAUDIO

    BLU BLU BLU BLU BLBU LBU BLBU,BLU,BLUUUUUUBLU, BLU

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/01/2008 - 18:20
    Enviado por: Diego R.

    Até o Partido da Frente Liberal mudou de nome ao perceber que esses argumentos não têm vez em nossa cultura.

    Os liberalistas preferem passar o trator no Brasil, com tudo que nele há, a admitir que temos cultura própria e necessidades únicas, e o setor produtivo por si só jamais será capaz de atendê-las.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/01/2008 - 18:30
    Enviado por: Fábio de Castro

    Acabei de esculhambar o Estado acima. Mas a argumentação do Claudio pelo “Estado mínimo” é uma piada de mau gosto. Só alguém muito ingênuo ou muito mal intencionado se sai com esse papinho de “reduzir o estado às suas tarefas”. Balela! Para quem defende esse papinho, a “tarefa” do Estado é cobrar de quem trabalha e ajudar os banqueiros.

    Odeio o Estado, mas odeio mais ainda essa canalhice neo-liberal. Sou, como diz o Cony, um triste anarquista. Mas se for desmantelar o Estado para sustentar vagabundo filinhinho de papai, prefiro defender a porcaria do Estado até pegando em armas!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/01/2008 - 18:30
    Enviado por: danielpiza

    Diego, eu, que jamais defendi o Estado mínimo (e ser liberal não é o mesmo que defendê-lo), continuo esperando resposta ao meu argumento das 18:00, se não for um incômodo.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/01/2008 - 18:36
    Enviado por: André Felipe

    Feliz ano novo, Daniel.

    Não sei porque a Esquerda está dando chilique. Ela mesma foi contra a existência da CPMF.
    É preciso uma reforma tributária e fiscal urgente no País pra acabar com as distorções e a sonegação.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/01/2008 - 18:41
    Enviado por: Douglas

    Eu cheguei até acreditar que os 20 bilhões da CPMF estariam a salvos de uso indequado ou da corrupção porém o governo vai simplesmente buscar algo novo para uma política antiga. Impostos!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/01/2008 - 18:43
    Enviado por: Diego R.

    É o que eu já havia falado, Piza: Poucos pagam, mas todos querem ter a proteção social à disposição. Como não há dinheiro para que tudo funcione bem, poucos pagam MUITO para que os serviços funcionem precariamente.

    Por exemplo: Digamos que um serviço universal de saúde de qualidade custe R$100 bi anuais. E que somente 10% da população pague impostos da forma correta e completa. E os demais paguem migalhas e somente quando não há forma de sonegá-los ou artifícios legais de isenção: (ICMS, IPTU, IPVA, IPI, II, etc etc etc). Assim, temos um potencial de apenas 30%, 40% daquilo que poderia ser efetivamente captado pelo sistema tributário atual (estou usando um exemplo HIPOTÉTICO, não conheço os dados exatos até porque são apenas estimativas).

    O total arrecadado seria inferior à conta necessária para custeio da saúde, digamos, uns R$40 bi.

    Obviamente, o serviço não poderá de ser prestado, pois é obrigação inescusável do estado, independente de tê-lo em caixa ou não. Mas, como não há dinheiro que dê conta, o serviço será péssimamente prestado, haja vista que aqueles que podem escusar-se ou omitir pagamentos de impostos o fazem sempre que possível, seja por conta de um sistema de arrecadação ineficiente (dai a necessidade eterna de reformas tributárias), seja por conta de má-fé tributária, ou ainda por brechas legais aprovadas justamente por aqueles que as desejam para driblarem o sistema tributário atual.

    Em conclusão: Dinheiro não faz milagres, da mesma forma que R$ 10.000,00 não compra carro novo.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/01/2008 - 18:45
    Enviado por: Diego R.

    Douglas: Ser inteligente é admitir que errou, e aprender com os erros teóricos do passado. E não ser teimoso e insistir no erro teórico.

    O Sr. Presidente admitiu que estava errado ao agir contra a CPMF, que era um imposto universal. Para tanto, parafraseou Raul Seixas: “Eu prefiro ser uma metarmorfose ambulante, do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo”.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/01/2008 - 18:47
    Enviado por: Diego R.

    Correção ao post de 18:43 – (…) o serviço não poderá DEIXAR de ser prestado (…)

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/01/2008 - 18:53
    Enviado por: Diego R.

    Por fim: Não conheço o sistema tributário japonês mas acredito que o mesmo seja capaz de alcançar a maior quantidade possível de contribuintes. Os japoneses têm consciência social coletiva e provavelmente não possuem o hábito de lesar o erário. Assim, TODOS pagam pouco e TODOS usufruem daquilo que foi pago.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/01/2008 - 18:58
    Enviado por: danielpiza

    Diego, achar que nossa carga tributária é alta (37% do PIB) porque poucos pagam impostos é, me desculpe, de uma ingenuidade impressionante! Todo mês dou ao governo 1/3 do meu salário, ao menos, e ainda gasto mais 1/3 para ter aquilo que os suecos têm de graça, como escola e hospital de qualidade.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/01/2008 - 18:58
    Enviado por: Diego R.

    Preciso comer, um abraço para todos, e obrigado pelo debate!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/01/2008 - 18:59
    Enviado por: GUILHERME CIMINO

    Eu era a favor da prorrogação da CPMF; acho que tinha razão.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/01/2008 - 19:01
    Enviado por: José Wagner

    Viva o Estado mínimo. Retirem o peso do Estado das costas da iniciativa privada e veremos o Brasil florecer. Quem faz a economia crescer é a iniciativa privada. Quem tem competência para atender as demandas sociais é a iniciativa privada. Instale o Estado em qualquer frente e veja o que é ineficiência, falta de coordenação, despreparo, pois onde o Estado está, está a política partidária tentando acomodar interesses pessoais de pessoas que são despreparadas por natureza ao ponto de poderem se dedicar à única tarefa para a qual se encontram preparadas, a política partidária.
    O Estado deve agir basicamente fiscalizando, fomentando e garantindo segurança. Eventualmente o Estado deve intervir no mercado quando se alojam nele distorções de suas leis, como, por exemplo, cartéis, monopólios etc.
    Querem um exemplo bem-sucedido de Estado neo-liberal? Estados Unidos da América. Vocês podem odiar a terra do tio sam, como eu já fiz, mas nós temos de tirar o chapéu, eles são o exemplo mais acabado dos resultados de uma política neo-liberal (odeio essa palavra, parece panfleto de manifestação de esquerda) bem praticada. O povo precisa de menos Estado e não de mais. Quando as pessoas pararem de esperar que o Estado venha salvá-las tal qual a divina providência aí sim o Brasil vai encontrar o verdadeiro caminho do desenvolvimento. É claro que o Estado vai ter que fazer a sua parte contribuindo com segurança, com fiscalização da atuação do particular, senão virá vale-tudo, e com fomento, assumindo setores que representam uma demanda social justa, mas que não tem escala para atrair os investimentos do mercado, pois ao contrário do que imagina todo esquerdista retardado ninguém investe para perder dinheiro, mas sim para ganhar dinheiro. Vejo muito hipocrisia em muito pseudo-esquerdista, pois ele critica o lucro, mas de uma forma ou de outra ele vive do lucro, seja dele seja de um terceiro. Critica as empresas privadas, ou seja, a iniciativa privada, mas não vê que quem atende as demandas sociais em grande parte é a iniciativa privada, ou por acaso ele mora em uma casa construída pelo Estado, com materais do Estado etc. (só se for na China).
    E quanto aqueles que criticam a economia monetarizada, a menos que eles desejem que nós voltemos ao feudalismo ou mercantilismo (com o metalismo) não há como excluir os bancos do ápice da pirâmide da economia de mercado, pois são eles as instituições dedicadas ao comércio de dinheiro (claro que falar em comércio de dinheiro é só uma simplificação muito tosca do sofisticado papel regulatório que é desenvolvido pelos bancos).

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/01/2008 - 19:06
    Enviado por: Diego R.

    Não é ingenuidade pura e simples, é perceber que vivemos em um país formado por uma população média ainda pobre, em que MUITOS precisam dos serviços prestados pelo estado, e pouquíssimos pagam.

    E ainda com um passivo gigantesco para pagar, que não pode ser ignorado. Gastamos irresponsavelmente bilhões do dinheiro arrecadado pela previdência em épocas de superávit previdenciário em obras necessárias como Itaipú, Ponte Rio-Niterói, Usinas de Angra, e tantas outras, e usufruimos consideravelmente dessas obras, é inegável a necessidade delas para o desenvolvimento nacional.

    Hoje temos de pagar essa conta (talvez ainda tivéssemos dinheiro nas contas da previdência se não tivéssemos torrado muito daquele em épocas de vacas gordas), e acrescentá-la a outras tantas de um passado problemático que não podemos ignorar.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/01/2008 - 19:09
    Enviado por: Diego R.

    Fique doente na terra de Tio Sam para ver o que acontece… Se não tiver seguro-social, você morre.

    Assim é fácil enxugar o estado, pilhem o resto do mundo, enxuguem o estado ao extremo, e deixem tudo por conta das corporações. Elas cuidarão de você quando você precisar delas com uma mão na frente e outra atrás, ah-hãm…

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/01/2008 - 19:12
    Enviado por: danielpiza

    Já disse que não sou pelo Estado mínimo. Nos EUA você tem bons hospitais e escolas públicos. E a carga tributária é menor que a do Brasil…

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/01/2008 - 19:16
    Enviado por: Diego R.

    A carga tributária americana é menor porque MUITOS pagam, a fiscalização tributária é eficiente e nem todos precisam usufruir daqueles serviços.

    Arrecadar 100 reais de 100 pessoas é mais fácil de que arrecadar 50 reais de 5 pessoas. E o serviço prestado com 100 reais é bem melhor.

    POR ISSO a necessidade de investir em programas de proteção social: Para fazer mais gente contribuir mais e necessitar menos dos serviços públicos. Não é só uma questão social, é uma questão econômica.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/01/2008 - 19:19
    Enviado por: Diego R.

    Agora, se alguem aqui acha que investir financeiramente nas camadas de baixa renda visando o crescimento e desenvolvimento econômico da base da pirâmide é burrice, mesmo com as estatísticas comprovando o efeito multiplicador do investimento, eu sinto muito, desisto de argumentar com gente que pensa assim.
    OBS: Piza, esses não são comentários pra você, são comentários genéricos.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/01/2008 - 19:22
    Enviado por: Naodigo

    Faria mais sentido o senhor ir para o Dubai. Foi esse o ponto que coloquei com a minha primeira observacao.

    La o senhor nao pagaria imposto. E claro que nao teria emprego tambem porque pelo jeito dar opiniao sem resolver nada ,nao e considerado trabalho remunerado nas terras do petroleo.

    Espero que o fato de dizer que suas opinioes nao sao construtivas nao seja motivo para remover minha opiniao sobre o texto acima.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/01/2008 - 19:44
    Enviado por: Saco Cheio

    No país chamado “Estados Unidos”, o ex-presidente Nixon foi “impedido” não por ter realizado espionagem; mas por ter mentido. Quem mente por definição é mentiroso e mentiroso não pode ter a confiança da população.

    Neztpaiz, o safado mente, compra votos com a bolsa esmola, dá vantagens para rede de televisão ( esta manipula o cidadão) e continua no poder.

    Nestes últimos 45 dias, o que apareceu de apresentadores de tv com gravatas e vestidos vermelhos foi uma grandeza.

    Tiradentes, você foi um trouxa. Esquartejado por este arremedo de nação…

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/01/2008 - 19:46
    Enviado por: Naodigo

    O negocio e que o senhor ganha acima da media senhor Piza.

    Eu acredito que voce paga 1/3.

    O lance e que o seu 1/3 vai acabar cobrindo quem ganha pouco ou nao paga nada.Nao e a mesma coisa na Suecia.

    Exemplo.

    Vamos dizer que o senhor page
    2000 reais de impostos por mes.

    Ai tem os 30 irmaos do Nao Digo que ganham 400 reais por mes e pagam em torno 40 reais de impostos . Por mais ruim que sejao servico, onde no mundo voce vai achar escola,ambulatorio medico pagando 40 reais por mes. Nao existe.

    40 reais por mes de uma pessoa nao da para cobrir os beneficios sociais por minimo que seja para esse individuo.

    Infelizmente o dinheiro em grande montante que o senhor pagou tera que ser pulverizado para cobrir as coisas basicas desses meus 30 irmaos.

    Na Suecia por outro lado, a maioria ta pagando 1/3 mas a maioria esta contribuindo com 2000 reais por mes(krona no caso).

    Alem do mais e muito mais facil administrar um sociedade de 5 milhoes de pessoas do que uma de 180 milhoes e com extensao territoral continental.

    Se o senhor notar vera que a maioria(nao todos) dos paises que se saem bem em estatisticas sao paises com menos de 10 milhoes de habitantes e com sociedade de certa forma heterogenea.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/01/2008 - 19:47
    Enviado por: Augusto Filho

    Não sou tão a favor da CPMF. Mais fica evidente para mim que quem de fato pagava a CPMF eram as grandes empresas e empresários. O pobre de fato não pagava a CPMF. Com o loob formado por empresários-empresas privadas e as marionetes de sempre (os politicos de brasilia), chega ao fim a tal CPMF. E infelizmente o governo, incapaz de uma reforma tributária, lança aumentos realmentes significativos. E o mais triste. Quem irá pagar a conta é o mais pobre. Alguém já viu um rico empresário comprar uma televisão de 250 reais a prazo? Pois o brasileiro pobre, aquele que compra com boleto de prestação, esse sim irá pagar a conta do fim da CPMF. Pensem nisso.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/01/2008 - 19:51
    Enviado por: Naodigo

    Desculpa, digo homogenea

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/01/2008 - 19:56
    Enviado por: Sizan Luis

    Olá, Daniel. É verdade, quanto às reformas. No Brasil não sai reforma tributária (por que quem proporcionalmente mais paga impostos são os pobres), não sai reforma agrária (para não haver inclusão dos pobres e para os latifundiários não perderem a ‘garantia’ dos financiamentos que raramente pagam), não sai reforma urbana (para não prejudicar os que vivem da especulação e da renda), não sai reforma educacional (para não prejudicar o mercado privado da educação), e por aí se vai. E não vão faltar “intelectuais da classe média” a me bombardear por que a reforma que querem é lucrar mais sem pagar nada e sem tirar grana de quem realmente tem. Durante o Governo FHC foram um pouco mais ousados ao criar a CPMF que taxou, durante 10 anos, renda que nunca foi pega por qualquer tributo. Já FHC, durante seu governo de 8 anos, não ousou aprovar a proposta que apresentou como parlamentar, de tributar as grandes fortunas.
    É preciso uma reforma tributária sim, cobrando de quem tem riqueza e capital, mas como são estes que abrem os espaços para as “cabecinhas pensantes”, ainda está longe deste país ter cara de justiça social.
    Pretendo vir mais vezes espiar seu blog.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/01/2008 - 19:57
    Enviado por: Luã breno

    Isso ai e pras pessoas que votaram nesse governo vagabuldo que esta nesse pais.
    eu fico pensandu como que os brasileiros ver tudo isso que esta acontecendu e não faz nda .

    * bem feito pra vcs que votaram nesse filho de uma puta ke o lula ! agora vamos ver se o povo aprende e num vota + nesse bostas …..

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/01/2008 - 20:05
    Enviado por: danielpiza

    Naodigo e Diego, vocês estão enganados. O total de contribuição da sociedade é de 37%, não importa se de uma base pequena ou ampla (é ampla, porque há impostos sobre consumo, indiretos, etc). E o retorno é como se pagássemos só 10%…. O resto é cascata.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/01/2008 - 20:24
    Enviado por: Sizan Luis

    Para registro, a Suécia tem o 6º melhor IDH do mundo. Sua tributação é maior do que 1/3 e a desigualdade social é estrondosamente menor do que a brasileira.
    A tributação incide mais sobre quem tem mais renda e mais capital. Eles estão entre os países do mundo que – diferente dos EUA – optaram pelo estado do bem estar social. São capitalistas, mas tanto a mão-de-obra quanto o trabalho intelectual são remunerados.
    No Brasil, tudo está ao contrário. Primeiro, o lucro está acima de tudo. Não pagar CPMF por que? Para sonegar e aumentar o lucro? Não transferir renda às populações espoliadas?
    E aí, quem paga impostos, fica torcendo prá não pagar nada e quer serviços de qualidade. Quer segurança pública para poder comprar droga no morro!! Repudia o Imposto de Renda e arruma jeitinhos para sonegar, mas nem imagina o filho fora da faculdade pública.
    Ah, tem também os que se recusam a pagar tributos e correm aos financiamentos subsidiados do BNDES…
    Enquanto a elite – e há sim elite neste país, por que há milhões de pobres miseráveis que mal conseguem comer trabalhando o dia todo – amontoa riqueza e ri da cara de quem se rebela contra o único governo remediado deste país que conseguiu ascender 20 milhões de pessoas.
    Se o “justo mercado” não se encarrega de fazer distribuição de renda, faço a defesa do que já disseram alguns: o Estado precisa regular e coibir abusos de exploração. Ou quando o Estado age para defender os mais empobrecidos, já não pode interferir por que terá se tornado “grande e pesado demais”?

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/01/2008 - 20:30
    Enviado por: Sizan Luis

    Por que ninguém comenta que o Super Simples reduziu a tributação sobre as micro, pequena e média empresas, que geram a grande maioria dos empregos neste país, mesmo levando a menor parte dos financiamentos públicos subsidiados? Por que, de hora para outra, os absurdos lucros dos bancos deixaram de ser ‘ruins’ e o aumento da CSLL de 9% para 15% tornou-se vilão?? Por que ninguém disse que os trabalhadores com renda até três salários mínimos sempre foram isentos da CPMF com compensação na contribuição sobre a Previdência Social? Opa, quem é o pobre assalariado a R$ 400,00 que o fim da CPMF vai ajudar??
    Acesse o site do IBGE e veja a estratificação social por renda, no país. Se vc acessa um computador com Internet, já está bem melhor do que 160 milhões de brasileiros. E alguém está usando sua cabeça para proteger montanhas de dinheiro…

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/01/2008 - 20:31
    Enviado por: danielpiza

    Bem, se o Estado leva 37% do que a economia produz e não devolve em benefícios sociais decentes, ele também é um agente concentrador de renda. Somos uma social-democracia apenas na carga tributária…

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/01/2008 - 20:46
    Enviado por: Naodigo

    E esse 37% que o senhor fala seria quanto por pessoa em valores reais?

    Segundo a notica abaixo o Brasileiro pagou em torno de 900 bilhoes

    http://br.pfinance.yahoo.com/071224/22/gjieyz.html

    Ou seja. Se voce tem 900 bilhoes e 180 milhoes de habitantes o valor por habitantes sera em torno de 5000 reais por ano por pessoa.

    Isso esta em torno de 1 salario minimo por mes(416 reais).

    Eu te garanto que nenhum pais do primeiro mundo roda do jeito que roda cobrando 238 dolares por mes de seu habitantes na media.

    E como eu disse antes. O dinheiro que o senhor paga e pulverizado.

    So em Sao Paulo um plano de saude privado por mes custa mais 400 reais.

    A sua comparacao com o primeiro mundo nao tem validade.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/01/2008 - 20:49
    Enviado por: danielpiza

    Naodigo, isso é economia básica, ou melhor, ainda é aritmética. A renda per capita anual do brasileiro é R$ 12.000. Se ele dá R$ 5.000 ao governo e ainda não tem escola nem hospital, não sobra muito para pagar as contas… A comparação é porcentual, não nominal!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/01/2008 - 20:52
    Enviado por: Sizan Luis

    Atraso meu jantar… Não somos social-democracia nem na tributação. Quem tem menos renda paga proporcionalmente, duas vezes mais impostos do que pagam os que têm mais renda. Da arrecadação, 7% foram apenas para pagar juros das dívidas públicas. Eu não recebo nada desse percentual, por que não tenho conseguido economizar e, muito menos, dar financiamento ao governo. Também não sou isento de tributos, direta ou indiretamente, como são alguns setores da indústria ou do mercado financeiro. Não tenho empréstimo bancário subsidiado, como é o agronegócio ou como foram os compradores das estatais privatizadas.
    Na verdade, democratizamos o tributo, que
    não atinge os rendimentos e riquezas privilegiadas, e privatizamos os benefícios do Estado. Veja que, agora, todos viraram banqueiros, querendo livrar seu lucro da CSLL…
    Cerca de 72 milhões de brasileiros tem renda até 2 salários mínimos. Destes, 50 milhões não tem renda nenhuma!! Não pagam nem CPMF, nem Imposto de Renda, nem IOF, …
    Mas pagam os embutidos que não podem sonegar ou os que lhe são transferidos indevidamente.
    Nosso problema não está na carga tributária… Está na absurda injustiça social que relutamos em manter por não queremos que seja tributada nossa renda e não sabemos tributar o grande capital, por que nem fazemos idéia do tamanho que tem e preferimos não mexer com o desconhecido. Ah, sim, muitos patrões mandariam seus “pensadores” embora se defendessem isso…

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/01/2008 - 20:56
    Enviado por: Adair

    Uma análise isenta no que é mostrado no link abaixo conclui que falar de carga tributária em termos percentuais é, no mínimo, absurdo.

    http://pt.wikipedia.org/wiki/Lista_de_pa%C3%ADses_por_PIB_nominal_per_capita

    Se o argumento fosse diminuir a carga tributária em termos percentuais para que, como conseqüência, ocorresse um aumento do PIB, levando a um aumento de arrecadação, eu entenderia perfeitamente.

    Afinal, acreditar que se pode ter serviços de qualidade gastando menos é miopia em alto grau. Diminua-se a corrupção e ainda assim o dinheiro será pouco. Sabemos que o que o SUS paga por uma consulta médica é o exemplo clássico de que os serviços públicos são ruins porque o que se gasta é muito pouco.

    Em tempo: tenho plano de saúde!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/01/2008 - 20:57
    Enviado por: danielpiza

    Pois então, Sizan: há tantas corporações penduradas no Estado – empreiteiros, latifundiários, sindicatos, servidores – e tanta corrupção e ineficiência que nós, que pagamos impostos, não podemos usufruir de serviços decentes. E você quer um Estado com carga ainda maior? Marx diria que é preciso liberar as forças de produção para que a economia cresça e todos se beneficiem com a criação de empregos e o acesso a escolas. O Estado ajuda seus apaniguados apenas. Mudar a carga tributária é mudar seu padrão e sua dimensão. Uma coisa não adianta sem a outra.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/01/2008 - 21:00
    Enviado por: danielpiza

    Adair: e quem é o Shazam que vai converter esse Estado clientelista, corrupto e ineficiente num Estado virtuoso, social-democrata de verdade? É preciso diminuir a carga porcentual, sim, pois não faz sentido que ela seja maior do que a dos dois países mais ricos, EUA e Japão…

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/01/2008 - 21:02
    Enviado por: Naodigo

    Os 416 por mes por pessoa vai pagar o que 416 por mes pode comprar senhor Piza.

    Ruim ou bom tem posto de saude,Ruim ou bom tem escola, ruim ou bom tem estradas,ruim e bom tem policia.

    O ponto e que por 416 reais por mes por pessoa nao compra muita coisa.

    So uma escola privada custa 800 reais por mes.

    Se voce tivesse que catar o proprio lixo quanto voce acha que pagaria?

    Se voce tivesse que tomar conta do proprio ladrao que te rouba.

    Como disse 416 reais por mes nao compra nada.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/01/2008 - 21:05
    Enviado por: danielpiza

    Educação e saúde ruins custam caro, Nãodigo… Você deveria ser mais exigente com aqueles que tomam seu dinheiro e o usam mal, muito mal.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/01/2008 - 21:06
    Enviado por: Naodigo

    Na Suecia eles pagam quase 40% e isso equivale em torno de 20 mil dolares por pessoa. Ou seja

    34 mil reais por pessoa ou 2833 reais por mes por pessoa.

    6 vezes mais que no Brasil.

    Suecia

    2833 reais por pessoa de imposto pago por mes.

    No Brasil

    416 reais de impostos pago por mes por pessoa.

    Suecia paga 6 vezes mais.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/01/2008 - 21:09
    Enviado por: danielpiza

    E ganha 6 vezes mais em renda, sem falar no que deixa de gastar em escola, hospital etc! Isso é be-a-bá, Naodigo!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/01/2008 - 21:11
    Enviado por: Naodigo

    Nao senhor Piza

    A realidade e que cada pessoa ta pagando na media 416 reais por mes.

    Com 416 reais por mes nao da para ficar completamente independente do governo.

    Isso da 14 reais por dia senhor Piza, por pessoa.

    Ruim ou bom eu nao teria como me manter em um mundo de certa forma “organizado” com 13 reais por mes.
    .

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/01/2008 - 21:11
    Enviado por: Adair

    Piza,

    A mim, parece-me que, diminuindo a carga tributária em termos percentuais apenas, apenas aumentará a ineficiência dos serviços oferecidos pelo estado – estou considerando que o nível de corrupção e assemelhados se manterá – que, em última análise, promove justiça socse, promove justiça social.
    Sim, o nível de justiça social que promove é absolutamente injusto e precisa de urgentes melhoras. Porém, quando falam em reforma tributária, eu gostaria muito de saber de qual reforma se está falando. Para ter o meu apoio terá que aumentar a arrecadação. De preferência, diminuindo o percentual.
    O que eu não concebo é o estado piorar os atuais níveis de serviços oferecidos. Principalmente aos cidadãos que mais necessitam desses serviços.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/01/2008 - 21:12
    Enviado por: Naodigo

    Ele tem porque pagou senhor Piza

    Ele pagou 2500 reais por mes e por isso que tem o servico.

    Se voce pagar 13 reais por dia voce tera um servico de 13 reais por dia.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/01/2008 - 21:14
    Enviado por: danielpiza

    Naodigo: o Estado arrecada pouco, em sua opinião? Pois devolve menos ainda… Adair: não é só o Estado que promove justiça social. É a economia capitalista de verdade, concorrencial, que gera emprego, aumento de renda, etc. Diminuir os impostos não é piorar os serviços sociais. Basta ver que eles foram aumentados e os serviços sociais só pioraram… Boa noite a todos.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/01/2008 - 21:18
    Enviado por: Naodigo

    O estado brasileiro arrecadou 14 reais por pessoa senhor piza.

    Na suecia eles arrecadam 83 reais por pessoa.

    6 vezes mais que no Brasil

    O senhor tem um servico que reflete o que o senhor pagou. 14 reais por dia por pessoa.

    Nao adianta querer ter servico de 83 reais por dia por pessoa quando voce esta pagando 14 por dia ,senhor piza

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/01/2008 - 21:27
    Enviado por: Naodigo

    Voce nao pode querer dirigir um Volvo quando ta pagando prestacao mensal de um fusca.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/01/2008 - 21:31
    Enviado por: Sizan Luis

    Aff, meu jantar atrasa, mas é por que estou gostando do debate.
    Já estou acostumado com a piadinha do Shazam… É praxe esperar um milagreiro.
    Pulo para a parte das “tantas corporações – empreiteiros, latifundiários, sindicatos e servidores – e tanta corrupção e ineficiência”, com os que concordo plenamente.
    Acabei de perder, não sei como, um trechinho que estava escrevendo sobre isso. A corrupção não transfere renda para o Estado. Pelo contrário, suga dele. Direta, com aqueles que cometem o crime diretamente, ou indiretamente, por aqueles que buscam meios “legais” para cometê-la. Superfaturamento que não é descoberto, por exemplo. É apenas responsabilidade do poder público combatê-la? Ou a para a iniciativa privada vale o “se passar, passou e eu fico com o lucro”?
    Vi, sexta-passada, o arremedo de contra-cheque de um amigo meu que trabalha 40 horas e sua renda está em torno de R$ 1 mil. O contra-cheque não permitia nem crediário em qualquer loja popular: 20 horas com remuneração de R$ 150,00!! Ah, sim, e a cada ano é renovado seu contrato temporário por apenas 10 meses. Ah, o crime só vai existir quando a fiscalização do poder público descobrir. É um subterfúgio legal.
    Por que o crime só passa a existir quando é descoberto? Isso é o mesmo que ‘jeitinho’?
    Temos várias formas de reduzir a tributação sobre a classe média que, normalmente, tem toda a sua renda tributada.
    Mas também temos que considerar que muita riqueza passa à margem da tributação e é esquecida.
    E que quando houver distribução de renda e riqueza, também teremos serviços funcionando com mais eficiência. Não apenas por que o nível de exigência será maior, mas por que os sitemas públicos vão se livrar de reincidências provocadas pela exclusão social.
    Só que, tratar de inclusão social, no Brasil, é muito mais delicado. É este o tema que precisa ser debatido mais profundamente.
    Sua preocupação com as “corporações”, é pertinente, mas privatizar estatais cujos compradores foram financiadas com recursos públicos subsidiados foi uma ação que reduziu o tamanho do Estado e não a carga tributária nem tirou o Brasil do FMI!!!
    Por outro lado, quando Hugo Chavez usa recursos da PDVSA para financiar obras públicas nas favelas venezuelanas é visto como demagogo, como se acusa Lula de “comprar votos” com o Bolsa Família. As duas “acusações” são corriqueiras na mídia brasileira.
    Por este raciocínio, se bem entendi, é válida a tranferência de recursos públicos para alimentar o lucro privado. E não a tributação para reduzir a desigualdade social??
    Ah, sim, não imagine que os serviços públicos serão melhores se o percentual da carga tributária for menor sobre sua renda. Ou que a carga tributária será menor se os Estado for reduzido. Onde será reduzido? Veja as privatizações, alardeadas como “redução do Estado”…
    Mas tenho certeza que tucanos e demos não criariam maiores quiprocós se a “saída” encontrada por Lula fose a extinção do Bolsa Família, ou um menor aumento salarial que, junto com o crescimento da economia, contribuíram para a inclusão de milhões de brasileiros, reduzindo a miséria e aumentando a “classe média”.
    Ah, sim, não pode “cortar o Estado” nos subsídios do BNDES à iniciativa privada. Eles pagam, por exemplo, cinco vezes menos pela mesma quantidade de energia que estamos gastando.
    Me estendi… Paro, mas estarei por aqui.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/01/2008 - 21:37
    Enviado por: André Felipe

    Naodigo,

    se esses hipotéticos 14 reais fossem devidamente empregados, teríamos sim uma educação decente. O grande problema é a corrupção, a concussão que sangram qualquer esforço.Infelizmente, esses males são atávicos ao Estado brasileiro desde sua criação. E estes seis anos de governo Lula não são exceção.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/01/2008 - 21:39
    Enviado por: Helena

    Ora, essa carga tributária é conseqüência de todas as besteiras que a elite desse país fez, afinal é a primeira vez que um governo de esquerda está na presidência. Além do que, alguém se lembra do nome Delfim ? E esses maravilhosos empréstimos eram para o bolsa família , para o CDHU , para o PAC ?
    Comparar a economia americana com a nossa é um despropósito em todos os sentidos, se é para imitar pq não se começa pelo salário mínimo.
    As acusações contra o PT por ter continuado a política econômica são fracas, já que essa política pode ser considerada de Estado, ou seja, não depende da vontade desse ou daquele partido que assume o governo o plano já esta traçado. Quanto a câmbio flutuante … vejamos, uma parte do governo do FHC o câmbio não estava flutuante, estava uma paridade duvidosa e depois uma dólar a $ 4.00 evidente que os exportadores estão reclamando; pra que competitividade se podemos ganhar uma fortuna trocando moedinha pra lá e pra cá ?
    Uma balança comercial a serviço da exportação só é bom para quem exporta, para a maior parte das pessoas bom é o dólar baixo controlando o preço das comodities, da gazolina e assim por diante.
    Exportar é importante evidente, mas não a custa do câmbio.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/01/2008 - 21:40
    Enviado por: Naodigo

    Nao senhor Andre

    Porque se fosse possivel ter um padrao de vida Sueco com 14 reais por dia os mesmo suecos nao cobrariam 83 reais por dia de seus cidadaos.

    Se for possivel entao os suecos estao pagando mico pior que o brasileiro.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/01/2008 - 21:59
    Enviado por: Sizan Luis

    Me passou, mas retomo. Os serviços públicos estão ineficientes muito mais por sobrecarga do que por omissão ou inexistência.
    Não é verdade que todos acorrem ao serviço público, até por que os serviços privados exigem o pagamento e mesmo se pagos, muitas vezes, não oferece o serviço?
    A injusta concentração de renda resulta nessa situação, e mesmo assim cobra-se dos que menos têm e isenta-se os que têm mais.
    Ou por quê, quando é oneroso demais, é o poder público quem “banca” o que a iniciativa privada alega não ‘suportar’?
    E quando há risco, não é o “Estado” que o suporta?
    Mas vamos ao motivo da minha volta. Quando se elenca “servidores”, na lista das corporações, e elas são reais e perversas, a que servidores se refere?
    Professores, médicos, enfermeiros? Policiais? Fiscais do trabalho, auditores, defensores públicos, juízes? Técnicos judiciários, penitenciários, previdenciários? Engenheiros agrônomos, veterinários, técnicos agrícolas?
    Não me deixem esquecer de continuarmos conversando. Abs.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/01/2008 - 22:05
    Enviado por: Adair

    Piza,

    Eu não sou contra o aumento da economia. Muito pelo contrário. O aumento de empregos, sem sombra de dúvidas, promove justiça social.
    Mas, o Brasil precisa de serviços públicos muito melhores que os atuais, sem os quais falar em justiça social é falácia.
    Mesmo não sendo grande conhecedorE3o sendo grande conhecedor de teoria econômica, acredito que seria possível reduzir o percentual da carga tributária com aumento de arrecadação. Algo parecido com a estratégia daquele empresário que, diminuindo a margem de lucro, aumenta nominalmente o lucro líquido com o conseqüente aumento das vendas.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/01/2008 - 22:09
    Enviado por: André Felipe

    Naodigo,

    você não entendeu o que eu disse.Tudo bem.
    Óbvio que 14 reais não possibilitam um padrão suiço de educação com quatro línguas e tudo, mas pelo menos garantiriam uma posição bem melhor no PISA, que foi a de último lugar. Porém, a corrupção e a imcompetência estatal …

    Eu sou favorável a um investimento nos moldes da revolução educacional sul-coreana, mas pra isso o Estado tem de abrir mão de operações que não são de sua alçada. Porém, pra você ver, as PPPs ainda nem sairam do papel.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 08/01/2008 - 01:25
    Enviado por: Naodigo

    Senhor Andre

    O senhor fez confusao.

    14 reais por dia nao e so para a educacao. 14 reais baseado no imposto que se paga no Brasil e e para cobrir tudo.

    educacao,Saude,seguranca,seguranca nacional ,servicos publicos, infra estrutura,

    Com 14 reais por dia por pessoa de impostos nao da para ter qualidade de educacao de primeiro mundo.

    A Suecia cobre 84 reais por dia de impostos por dia por pessoa.

    Nao da para pagar 14 reais de impostos por dia por pessoa e querer ter o mesmo servico de primeiro mundo.

    Como ja disse antes nao da para querer um volvo zero quando voce paga prestacao de fusquinha.

    A korea e um pais homogeneo fisicamente e culturamente onde os pais e cultura forcam as criancas as estudar em casas por horas depois da escola . A autoridade dos pais e total .

    No Brasil seria dificil por causa da diferenca de cultura esse tipo de comportamento.

    Eu nao sei a sua idade porem no Brasil os Nipo brasileiros sempre se destacavam na escola mesmo estudando do lado de outro brasileiro de diferente grupo etnico.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 08/01/2008 - 01:46
    Enviado por: Naodigo

    Senhor Andre

    Outro pais que foi bem no Teste Pisa

    Luxemburgo.

    O GDP desse pais e em torno de 33 bilhoes de dolares por ano . A Populacao em torno de 500 mil pessoas. O per capita e em torno de 68 mil dolares por habitantes. Quase 119 mil reais por ano.

    Se a media de pagamento de impostos de pessoa for the 40% o governo la arrecadara em torno de

    47 mil reais por ano so de impostos por pessoa.

    Isso da em torno de 130 reais por dia por habitantes em arrecadacao de impostos.

    No Brasil se paga 14 reais por dia de impostos por pessoa por dia

    responder este comentário denunciar abuso

  • 08/01/2008 - 08:28
    Enviado por: marcelos rios

    Sem aumentar impostos, como bancar a farra que esse Presidente implantou , aumentando inúmeras vezes os gastos internos do Palácio do Planalto (também, para bancar uísque 18 anos para todos os aloprados e caviar…)

    responder este comentário denunciar abuso

  • 08/01/2008 - 08:58
    Enviado por: André Felipe

    Naodigo, você continua não entendendo. Vou repetir, é claro que não podemos arcar com uma educação de primeiro mundo. Mas deveríamos fazer bem melhor pelo o que é pago.

    O Estado brasileiro é como um bebâdo que pede dinheiro. Ele diz que é pra comprar comida pra família, mas vai gastar quase tudo em cana. Se você der mais grana ele apenas vai melhorar a qualidade da bebida. O Estado brasileiro antes de pedir mais dinheiro deveria se mostrar capaz de administrar com sensatez aquilo que recebe. Só assim Ou você acha que ele gasta bem o que recebe? Que não existe corrupção, descaso com o dinheiro público? Que o Pan não gastou 4 bilhões?

    Naodigo, quanto a Córeia do Sul e o que foi feito por lá, é melhor você se informar porque não tem nada a ver com o que você disse( do tipo, chutou longe)

    responder este comentário denunciar abuso

  • 08/01/2008 - 09:59
    Enviado por: Cético

    Daniel,

    o finalzinho do seu post foi categórico, disse tudo ;”….Mas quem disse que os políticos estão preocupados com a sociedade e não com poder?”
    Contundente!.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 08/01/2008 - 11:18
    Enviado por: Flavinha

    A CPMF só mudou de nome, senão mais uma desculpa para criar novos impostos e aumentar os já existentes!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 08/01/2008 - 12:31
    Enviado por: José Wagner

    A solução do Brasil é o estado mínimo e não o estado máximo.
    Num ponto eu concordo com o não digo, não adianta querer que o Estado preste todos os serviços com qualidade sem que com isso haja a contraparte, ou seja, pagar cada vez mais impostos. E não adianta vir com aquela balela que o dinheiro que já é arrecadado poderia ser gasto melhor. Não dá. Eu já trabalhei na Administração Pública e sei o que é um orçamento público, o que é uma licitação, o que é realização de despesas. A quantidade de controles e de órgãos de controle torna irracional a atividade pública. É esquizofrenia pura, o controle interno diz uma coisa, o tribunal de contas diz o inverso, a assessoria jurídica tem uma terceira opinião, a comissão de licitação não concorda com nenhuma das três, os fornecedores recorrem ao Judiciário, que tem uma posição diferente de todas as outras anteriores. É por isso que vemos muitas vezes obras públicas paradas com os conseqüentes prejuízos daí advindos, pois é tanto controle é tanta desconfiança que é impossível fazer o que tem de ser feito. E no fim não adianta nada, pois as fraudes continuam existindo, pois não há controle no mundo que funcione bem se o controlador é despreparado ou desonesto (veja bem, o despreparo não é culpa do controlador, pois eu não conheço especialista em tudo, por outro lado colocar uma estrutura de especialistas em cada um dos ramos de conhecimento dentro dos órgãos de controle seria como tentar matar mosquito usando artilharia antiaérea).
    Assim a única forma de atender as demandas da sociedade de forma racional, eficiente, econômica é através do fornecimento de bens e serviços por intermédio da iniciativa de particulares também chamada de iniciativa privada, pois nesse caso o gerenciamento de recursos se dá de forma racional, tendo em vista que toda empresa tem um objetivo claro a ser atingido ao contrário do Estado. E diferente do que muita gente aqui pensa, para que a empresa atinja seu objetivo a satisfação do cliente deve estar contemplada. Por fim, se essa filosofia empresarial é negada cabe ao
    Estado, por meio dos órgãos de fiscalização das atividades privadas e do Judiciário, garantir aquilo a que tem direito o consumidor (garantia da ordem e realização da fiscalização, que são tarefas do Estado).

    responder este comentário denunciar abuso

  • 08/01/2008 - 12:31
    Enviado por: Ramsés III

    Concordo contigo Piza, todos os políticos mentem. Mas essa gente do pt além de mentir se apodera dos ganhos e planos dos outros partidos. O PT na oposição dizia “vamos mudar radicalmente tudo que está aí”, até minha mulher acreditou nisso, eu sou contra essa esquerda dinossaura que ainda não foi avisada que o muro de Berlim caiu – como diz Daniele Mitterrant:: na América Latina tem partido comunista, que saudade. Mas mora na França capitalista, pq não vai morar em Cuba/Coréia do Norte(paraiso socialista) e viver a tal de DEMOCRACIA SOCIALISTA.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 08/01/2008 - 14:35
    Enviado por: Naodigo

    Senhor Andre

    o senhor “is missing the point”

    Mesmo que 100% do dinheiro fosse investido corretamente nos ainda ficariamos com 14 reais por pessoa de impostos cobrado.

    Nao adianta como o senhor gira o peao ,o resultado e sempre o mesmo senhor Andre.

    14 reais por pessoa por dia cobrir,seguranca nacional,infra estrutura,educacao,saude,pesquisa,funcionalismo publico.

    Como disse ao senhor na Suecia se cobra 83 reais e em Luxemburgo se cobra 120 reais de impostos por pessoa por dia.

    Cada um recebe por aquilo que pagou.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 08/01/2008 - 14:41
    Enviado por: danielpiza

    Naodigo, seus números estão errados, mas o mais importante é que sua tese está errada: 37% do PIB brasileiro – o décimo do mundo! – é dinheiro para caramba e daria para tratar bem melhor os 190 milhões de cidadãos. Injusto seria tomar ainda mais, porque você acha que é pouco!…

    responder este comentário denunciar abuso

  • 08/01/2008 - 15:08
    Enviado por: Saco Cheio

    Sr. Sizan Luis

    A sua afirmação que o novo Simples concedeu redução de tributos é equivocada.

    Para alguns ramos houve redução. Para outros tantos a elevação foi brutal.

    A safadeza e a falta de vergonha é tanta, que há empresas que tiveram a sua tribução, só dos tributos federais alocadas na faixa de 40 % do seu faturamento.

    Pesquise e verá que foram criadas mais de 50 tabelas e fórmulas matemáticas que levam em consideração além do faturamento , a folha de pagamento, para o empresário “descobrir” qual a alíquota do imposto que irá pagar, para nada, zero, ter em troca.
    E há pessoas que ainda encontram argumentos para defender esse mediocre governo.
    Só podem estar a mamar nas tetas governamentais. Um carguinho público.Maneiro…

    responder este comentário denunciar abuso

  • 08/01/2008 - 15:59
    Enviado por: Burns

    Boa tarde a Todos
    Antes de mais nada li um comentario que diz que o plano economico não é mesmo que o do governo FHC, sou obrigado a fazer o seguinte: HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA…
    Bem sobre o assunto, não podemos ser sonhadores e acreditar que o governo realmente pode operar sem 40 Bi, afinal esse é o tipo de coisa que só é possivel com preparamento, ou seja demanda tempo para se diminuir gasto, o problema é que tal preparamento nunca se passou pela cabeça do governo, e caso fosse aprovada nem na cabeça do proximo governo…
    Bem o o Presidente disse que não haveria aumento de impostos, bem isso é uma coisa que não aconteceu.
    Antes de mais nada dizer que o governo atual é de esquerda, e digamos forçar a barra. Como dizer que a derrubada da CPMF foi por causa da opinião da população…
    Bem acho gozado que na epoca do FHC, muitos estariam dizendo que os nossos impostos eram mal gasto, o que não era muito diferente de hoje, mas hoje defendem ate esse aumento, dizendo que a “ELITE” tem que pagar pelo preço, que a culta é do capitalismo, bem acho ingraçado pois a população de países socialistas (existente e inexistente atualmente) arriscavam a vida para sair destes países e o contrario eu sinceramente não conheço muitos casos( realmente não vem nenhum a minha cabeça).
    Bem voltando ao topico, caros, infelizmente todos os países tiveram o mesmo problema e ainda possuem, que é o fato de se ter uma elite, o que muda é o comportamento, enquanto em alguns países se condenava elas, outras visavam como melhorar a condição do povo, que se analisarmos foi investindo em educação que muitos países tiveram como resultado um país desenvolvido. E sendo Capitalistas.
    Meus caros na minha opinião o estado tem como obrigação melhorar sim o gasto com educação, segurança e saúde, mas infelizmente o gasto vai continuar desta forma que esta afinal com a DRU é permitido que parte deste dinheiro que é alocado no orçamento( que muitas vezes não é nem liberado e fica como valor para o proximo ano) pode ser retirado do orçamento e bem pode-se gastar de outra forma.
    Caros infelizmente nosso país assim não tem futuro, afinal muitos ainda defende que o estado tem que continuar com sua politicas sociais da mesma maneira, ao invez de se melhorar por exemplo o bolsa-familia, que a primeiro momento era uma saida boa, o problema é que a mesma gera uma grande dependencia do beneficiario a este recurso e acaba sendo uma arma eleitoral.
    Ou seja, volta democracia, mas, certas coisas nunca mudam…

    responder este comentário denunciar abuso

  • 08/01/2008 - 16:17
    Enviado por: Cláudia

    Piza
    O que adianta ter o décimo PIB do mundo se a arrecadação não é suficiente? Mas se, segundo você, os números do Naodigo estão errados, quais são,então, os números corretos? E uma “economia capitalista de verdade” não depende antes de mais nada do Estado para existir?

    responder este comentário denunciar abuso

  • 08/01/2008 - 16:21
    Enviado por: danielpiza

    Cláudia, o PIB brasileiro é de R$ 2 trilhões. O governo leva 40% dessa bolada. Agora vá a uma escola pública brasileira, a um hospital, viaje por uma rodovia federal…

    responder este comentário denunciar abuso

  • 08/01/2008 - 16:39
    Enviado por: Adair

    Piza,

    Realmente o cáculo do naodigo está errado:

    Do site do IBGE:

    Somos agora no Brasil: 188.432.340 habitantes.

    Considerando 360 dias por ano, fazendo as contas temos:

    2.000.000.000.000/188.432.340 = 10613,89 * 0.4 = 4.245,56/360 = 11,79

    Rea = 11,79

    Realmente, ele arredondou para mais …

    responder este comentário denunciar abuso

  • 08/01/2008 - 16:56
    Enviado por: danielpiza

    É, se a economia fosse simples assim… Para um sujeito acha que o governo brasileiro usa bem como pode o “pouco” que arrecada, R$ 800 bilhões, qualquer explicação é inútil.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 08/01/2008 - 17:16
    Enviado por: Cláudia

    A questão, então, é menos a quantia que o uso do dinheiro que servirá em grande parte para rechear bolsos particulares.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 08/01/2008 - 17:25
    Enviado por: Adair

    Piza,

    Eu não defendo o atual sistema tributário. Só não aceito a idéia de que os atuais/anteriores serviços públicos sejam satisfatórios. Estão/estiveram muito aquém disso.
    Gasta-se mal? Com certeza. Porém, convenhamos, o valor arrecadado não é nenhuma fortuna. Somos um país pobre e a aSomos um país pobre e a arrecadação reflete isso.
    Concordo quando você defende o crescimento da economia porque acredito ser a única maneira de melhorar a situação. Talvez a bandeira de diminuir a carga tributária percentualmente seja um caminho. Que ainda não trilhamos.
    O que não pode é usar argumentos equivocados. R$ 800 bilhões equivalem a cerca de R$ 12,00 por dia por brasileiro. Duas maneiras de expressar a mesma verdade, não há como negar!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 08/01/2008 - 17:49
    Enviado por: Ricardo

    Interessante também é ver a forma autoritária que nosso presidente usa as MP´s, se fosse um caso de emergência, mas o país bateu mais uma vez recorde de arrecadação. O congresso mais uma vez é só um detalhe …
    Viva a democracia e mentira lulista.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 08/01/2008 - 18:19
    Enviado por: Claudio

    Fabio de Castro, voltando a ler os comentários hoje e vendo o seu, sem ter a noção exata de seu posicionamento mais amplo, reitero que o estado tem, sim, que se concentrar em suas tarefas e ser administrado da maneira mais enxuta e transparente possível. Só assim poderemos ter serviços públicos de verdade, que prestem, algum dia, quem sabe… O problema é que a vaidade e o orgulho pessoais nos impedem de admitir os fatos. Só para citar um exemplo (pasmem que isso ainda seja necessário), em 1990, segundo um levantamento de uma entidade mexicana, creio, com o sistema Telebrás – que então já existia havia várias décadas, o Brasil tinha conseguido instalar pouco mais de 10% dos telefones fixos necessários… Quem tem mais de 25 ou 30 anos se lembra do preço de uma linha – R$ 1, 2, 5 mil reais e as filas de espera…. lembram-se da Bolsa do Telefone? Contando isto a algum estrangeiro, normalmente não acreditam… Hoje todos os bravos e resistentes esquerdistas brincam e se empolgam com as mil funções de seus celulares, enquanto, literalmente, jogaram pedras no governo FHC quando privatizou o sistema, permitindo que os pobres cidadãos pudessem dizer ‘alô’. Quanto ao excelente exemplo do Cony, ele próprio ganha R$ 18 mil mensais de pensão do ‘estado’ por ter sido ‘perseguido’ quando defendia a instalação de uma ditadura socialista, afinal ‘ninguem deve ter muito mais do que os outros’… certo? Este filhinho de papai você sustenta com prazer? Ou, neste caso, dirá “Ah não, isto também está errado!..” Estes números são conhecidos, não inventados, embora possam ser algo diferentes.

    Para esclarecer quanto ao tamanho adequado do estado, embora, a esta altura “esteja convencido” de que um realmente mínimo resultaria em menos danos ao país do que este que temos, que se entenda que o que se precisa é de funcionários operacionais atendendo a população, não inchando folhas de pagamento de órgãos completamente ineficientes e corruptos para fazer políticos sorrirem felizes com suas redes de votos, influência e chantagem, nos níveis municipal, estadual e federal. Segundo um general da PM do Rio, em entrevista recente, dos 36 mil PMs da região metropolitana do RJ, 5 mil fazem policiamento nas ruas. 31 mil fazem… – sabe lá o que. Embora, aí também caiba um “Ah não, isto também está errado…” Salvo em raríssimas – íssimas mesmo – ocasiões, nunca vemos um político de esquerda realmente, na prática, priorizar a alocação de esforços e funcionários, seja por que via, para o atendimento direto à população. O que se faz, de norte a sul do país, é criar órgãos, secretarias, autarquias, ministérios, etc. Sugiro lembrar do momento em que Itamar Franco assumiu a presidência e, convocando 2 economistas de esquerda, Gustavo Krause e Paulo Haddad, escutou dos mesmos que a única solução para tentar estancar parcialmente a sangria de recursos do governo (ou seja, nosso) de maneira convincente e impactante para a sociedade seria fechar, da noite para o dia, todos os bancos estaduais do país. O volume fantástico de dinheiro desperdiçado nos diversos órgãos estatais sempre foi historicamente ignorado pela maioria da população.

    Todos nossos serviços já estão destruídos e sucateados e recuperá-los só será possível no longo ou longuíssimo prazo – isto se consertarmos a administração de tudo de verdade, algo do que não temos nem sinais em vista.

    Não se trata de travar uma discussão ideológica pois o liberalismo econômico correto é a única fórmula possível. Não há nem um único caso no mundo que prove o contrário, salvo, talvez, a Escandinávia, que é um caso absolutamente sem comparação por uma série de fatores – e onde não há esta verdadeira ‘zona’ de empreguismo público para favorecimento de deputados, vereadores, etc., etc.

    É incrível que ainda precisemos lembrar destes exemplos: a Córeia do Sul, nas décadas de 50/60, tinha uma economia proporcionalmente menor e vários indicadores sociais piores que os nossos. Ainda que, politicamente, não tenham se tornado um paraíso, economica e socialmente, por terem tomado de maneira assumida os modelos de desenvolvimento de Japão, EUA, etc., hoje são um país rico, desenvolvido, educado, com empresas disputando mercados ombro a ombro com as grandes e mais tradicionais do mundo – e trazendo os dividendos. O Chile, motivo de dor de cotovelo em quem leva as coisas para o âmbito da vaidade pessoal, como único país da América do Sul que não seguiu o modelo estatista implementado por Argentina, Brasil e outros, é, unanimemente, um exemplo a ser seguido, economica e socialmente. Tem uma previdência equilibrada e, se ela não cobre a toda a população, é um sistema que tem bases sólidas para, com administração não politizada, aumentar sua capacidade de cobertura de maneira gradual e séria. Até a esquerda chilena reconhece isto e que o país seguiu um rumo muito mais correto do que o resto da AL, em que pese ter sido um ditador o implementador das diretrizes seguidas até hoje. Esta é a diferença – eles amadureceram e, sobre bases consistentes, travam uma discussão realmente oportuna: como melhorar mais a previdência? até que ponto e em que casos específicos o estado deve intervir para sanar problemas de difícil equacionamento pela iniciativa privada? Como fazer para não permitir o emperramento da adm. publica para satisfazer políticos? Como melhorar e eficiência dos portos? Nós, ao longo destas décadas, olhamos para Cuba, URSS. Será que é muito difícil acreditar que, se tivéssemos seguido estes exemplos com seriedade e competência, estaríamos incomparavelmente melhores do que estamos? Ou alguém fará a famosa ressalva da medicina em Cuba ser ótima?!

    Não sou rico, pago uma montanha de impostos que vão parar nos bolsos velhos conhecidos e trabalho em uma boa empresa que faz o mesmo – e apenas gostaria que todos pudessem ter o mesmo, como em todo o mundo civilizado. Quando se opta pelo funcionalismo público neste mundo civilizado, o que se busca é um pouco mais de estabilidade, pelo fato de não haver o risco de demissão por questões relativas a lucro ou de gestão, como nas empresas. Mas não uma estabilidade legal absurda, com algumas exceções – como a França que, paulatinamente, também vai mudando algumas posições históricas, por sentir que o país suporta cada vez menos um estado de bem estar social tão abrangente e caro, embora fácil de ser defendido na retórica. Mas quem dera pudéssemos estar discutindo algo nos mesmos moldes aqui, e não um estado quase que completamente corrupto e caótico.

    Nós, aqui, achamos que não temos que seguir o modelo de ninguém, certo? Nós vamos criar o nosso próprio modelo! Vamos seguir cultivando, festivamente, na maioria dos lares, entre uma cervejinha e outra, o discurso anti-empresa, anti-empresário, anti-capitalismo, anti-lucro… enquanto reclamamos por não ganhar mais e usamos nosso tempinho livre para pesquisar os modelos mais legais de iPos, celular, TV de plasma…

    Este é nosso nível de coerência e seriedade. Vide o gugu-dadá do Kaka, que, na melhor das hipóteses, é um jovem não engajado, porém desavisado em relação a o que o espera. Ele refletiu exatamente o comportamento de nossa sociedade – mas ele tem ou terá seu iPOD para cantarolar em inglês errado, também, não nos preocupemos.

    Alguém já parou para pensar na evolução da atitude e do discurso de personagens tidas como exemplares, como Heloisa Helena (para não falar dos ‘modelos’ José Dirceu, José Genuíno e outros)? Nos últimos não mais do que 20 ou 25 anos, ela e outros que tanto são admirados construiram reputações lutando bravamente pela implantação de um estado socialista no país, que, se não sou o único mais ou menos atento aqui, significaria a desapropriação das casas, lojas, empresas e tudo mais que pertence a cada um de nós e sustenta a todos – inclusive a eles. E, não, não é por causa da existência destes bens privados que outras pessoas nada têm, mas sim, justamente, porque não fomos capazes de ampliar o acesso à produtividade pessoal, empreendedorismo e criação de riquezas via, entre outros, de educação e Justiça de verdade? Refiro-me a estes singelos ‘companheiros’ por nenhum outro motivo a não ser o fato de, ante o fracasso do projeto ‘Cuba’, terem, incansavelmente, em suas atuações nas assembléias e congresso nacional, trabalhado (digamos assim) por medidas nocivas ao empresário, pequeno ou grande, apoiando conscientemente a oneração cada vez maior da ‘burguesia’ que produz, dos exportadores, etc. É mentira ou exagero? Hoje, alegremente, estas mesmas pessoas encaixam a expressão ‘setor produtivo’ para referir-se à mesma ‘burguesia exploradora’ quando listam os grupos da sociedade que pagam a conta da corrupção e equívocos do governo Lula ou dos que vieram antes. Estamos, há muito tempo, pagando o altíssimo preço de termos incentivado tais figuras e seus atos, com um caos tributário que constitui um dos grandes empecilhos ao crescimento e distribuição de renda que teríamos experimentado com a formalização de nossas pequenas empresas e o surgimento de novas, em um ambiente economico saudável e motivador.

    O número de pessoas que, em um grau ou outro, ainda se denomina de esquerda e ‘contra tudo isto que está aí’ é grande demais para não atrapalhar a correção de rota do país. Enquanto não curarem a esquizofrenia e entenderem e admitirem, através de atitudes em seu próprio dia-a-dia, que quem cria e multiplica riquezas é a empresa e não o estado, não teremos no país um caldo cultural apropriado para a modernização das leis, do sistema tributário, dos portos, da legislação trabalhista, etc. Vamos continuar mentindo para nós mesmos todos os dias, com uma economia majoritariamente composta de micro e pequenas empresas de péssima qualidade, que não são formais nem recolhem impostos, com empregados extremamente despreparados que, tampouco, são registrados.

    Finalmente, se alguém leu tudo o que escrevi, desafio que, de maneira imparcial e desarmada, diga, não para mim, mas para si próprio, que cada argumento ou exemplo citado é falso ou ‘não é bem assim’ e que, portanto, estou errado em minha compreensão da situação do país.

    Em outras paragens diriam que nem vale a pena mais tentar ponderar sobre nada aqui. Se, a esta altura do campeonato, ainda são tão poucos que, de fato, brigam por um país de produção e bem administrado, preferindo ruminar as frases feitas das trincheiras pseudo-intelectuais do socialismo, quando nem na Albania ou na China a concepção é mais esta, estamos definitivamente perdidos.

    E, agora, cada um de volta ao seu iPod!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 08/01/2008 - 18:51
    Enviado por: Cláudia

    Claudio

    Onerando a burguesia? Os ricos do Brasil jamais estiveram tão ricos e se conseguem se manter assim é porque atuam politicamente para isso.
    Quem tem que aprender a brigar como eles pelos próprios direitos é o povo que, aparentemente, não está se incomodando muito com a própria situação. O que um iPod não faz, não é mesmo?

    responder este comentário denunciar abuso

  • 08/01/2008 - 20:15
    Enviado por: José Wagner

    Gente,
    O Estado é um mar de ineficiência e isso não pode ser corrigido. Faz parte da natureza do Estado ser ineficiente. Pegue qualquer empreendimento e entregue ao Estado e veja o resultado. Depois pegue o mesmo empreendimento e entregue ao particular e veja o resultado. É inegável que o resultado no segundo caso é muitíssimo melhor. Nós ainda vivemos a nossa herança portuguesa e católica que vêem o lucro como algo sujo. Se alguém pensa assim que vá trabalhar de graça. Duvido que dure muito.
    Piza, não adianta o gasto no Brasil não tem como melhorar a não ser que houvesse uma revolução cultural (tem gosto de trocadilho a expressão) de desregulamentação do setor público (um dos problemas do Brasil é lei demais). Enquanto o sistema for estruturado de forma irracional o gasto com controles será muitas vezes maior do que o custo com próprio bem ou serviço que se deseja controlar.
    Quanto ao Cláudio, perfeitas as palavras dele.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 08/01/2008 - 21:25
    Enviado por: danielpiza

    Adair: R$ 12 por dia não é pouco num país onde metade da população não ganha isso. O Estado pode e deve usar melhor o dinheiro que retira da sociedade.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 08/01/2008 - 21:43
    Enviado por: Naodigo

    Eu acho que o senhor entendeu o meu ponto e de muitos outros aqui na sala. O senhor so esta sendo teiomso.

    Senhor Piza, 12 reais gastados bem ou mal compram 12 reais.

    Mesmo que os 12 reais forem bem gastando ainda estaremos de 8 a 12 vezes menos arrecadacao de impostos comparados com outro paises de primeiro mundo.

    Se o senhor acha que 12 reais da para dar vida boa para as pessoas entao os europeus estao pagando mico maior que o brasileiro ja que eles pagam de 8 a 12 vezes mais impostos por pessoa que nos brasileiro. No mimino pagando tudo isso deveria ter calcadas de ouro.

    Exemplo simples para o senhor entender.

    Com 120 reais da para comprar arroz,feijao oleo,batata,carne.

    Com 12 so da para comprar arroz. A miseria e a mesma com o arroz ou sem arroz .

    Gastando bem o mal so da para comer arroz.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 08/01/2008 - 23:54
    Enviado por: danielpiza

    Naodigo, na boa, você precisa ter umas aulas básicas de economia. Esse dinheiro é tirado das pessoas, não dado pelo governo para elas. A comparação entre países só pode ser porcentual, jamais nominal, senão – pelo seu “raciocínio” – a carga tributária no Brasil deveria ser de 100%… Somos o décimo PIB do planeta, o governo come 40% dele (carga + inflação) e o que temos como retorno social é torpe, indigno, inadmissível.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 09/01/2008 - 00:02
    Enviado por: Voltaire Ford

    Procurem a definicao de LULA – molusco com carapaca e cabeca mole. Poxa, é a natureza dando uma licao na gente…. porque o pessoal nao cobra coerência do Lula? Ele lutou tanto pelo fim da CPMF e no fim teve que engolir o que ele nao queria …. Quanta mediocridade. Temos que elogiar os politicos nessa parte eles no caso ajudaram o sofrido contribuinte pátrio. Quando é preciso elogiar vamos elogiar! mas que nao deixem passar as manobras do tatu barbado……

    responder este comentário denunciar abuso

  • 09/01/2008 - 00:34
    Enviado por: Naodigo

    Senhor Piza o senhor parece que foi o unico no blog que nao esta entendo.

    Todo mundo sabe que os 12 reais por pessoa e resultado do dinheiro que o povo como um todo pagou para o governo.

    O que o senhor nao esta entendendo e que o maximo que o governo vai poder retornar por pessoa em servicos por dia sera 12 reais pessoa caso o governo fosse perfeito.

    12 reais por pessoa por dia e o maximo . Na Europa tem se cobra se tem de 8 a 10 vezes mais dinheiro para se gastar com o povo.

    Nao tem que fazer getulio vargas para entender isso.

    E claro que a razao matematica nao e cobra 100%(isso que da jornalista querer entender de matematica).

    Para aumentar esse valor de 12 por dia por pessoa para vamos dizer 60 por pessoa por dia nos teriamos que aumentar O PIB.

    Nao tem que nescesseriante aumentar os impostos.

    Se a populacao fosse menor e o PIb aumentar esse valor de 12 reais por dia poderia aumentar

    E claro que o negocio do PIB e outro assunto. A realidade e que o governo brasileiro tem 10 vezes menos dinheiro para gastar por pessoa que o governo na europa.

    O problema senhor piza e que o senhor esta confundido genario com genesio.

    Se o senhor nao entendeu agora eu desisto.

    kkkkkkkkkkkkkk

    responder este comentário denunciar abuso

  • 09/01/2008 - 01:53
    Enviado por: Naodigo

    Senhor Piza

    Somente gostaria de deixar bem claro que no texto acima com meus ” kkkkk” jamais foi minha intencao debochar da sua pessoa.

    Desde ja minhas desculpa caso tenha dado essa impressao.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 09/01/2008 - 08:54
    Enviado por: Adair

    Piza,

    Uma coisa não melhora a outra. Ou seja, o fato de que metade da população ganhe menos que R$ 12,00 por dia não torna menos dispendiosa a prestação dos serviços públicos de que essa população precisa. Pelo contrário. É muito mais gente dependendo quase que exclusivamente de serviços públicos.
    A questão de que o governo deve gastar melhor é indiscutível.
    Convenhamos, precisamos é de que a economia cresça e de que a renda seja melhor distribuída. Ou vice-versa, talvez. Mas isso sim, não apenas não interessa apenas aos políticos. Não interessa a muito mais gente. E essa, sabemos, é a verdadeira causa de nada ser feito nesse sentido.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 09/01/2008 - 09:11
    Enviado por: danielpiza

    Adair: é o contrário. Justamente porque o governo gasta muito e mal é que a economia não cresce como deveria e a renda não é distribuída na forma de salário formal. Naodigo: tudo bem, eu também desisti de lhe explicar que a comparação deve ser porcentual, que o brasileiro ganha pouco e dá muito desse pouco ao Estado que não lhe devolve quase nada…

    responder este comentário denunciar abuso

  • 09/01/2008 - 09:21
    Enviado por: Adair

    Piza,

    Gasta mal? Muito vago. Poderia gastar melhor? É bem possível. Gasta muito? Não gasta, arrecada pouco.
    Distribuição de renda através de salário formal é apenas meia verdade. Afinal, bancários não existem em quantidade equivalente ao lucro dos banqueiros, dadas as filas que temos que enfrentar. E também não ganham um salário assim tão digno. O problema é bem mais complicado …

    responder este comentário denunciar abuso

  • 09/01/2008 - 11:10
    Enviado por: Cláudia

    O governo se adapta à sociedade – é um reflexo dela. Uma verdadeira economia capitalista se impõe, não fica esperando o governo agir.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 09/01/2008 - 11:25
    Enviado por: Claudio

    Naodigo: você é um fiel escudeiro de quem nos joga no abismo. A comparação principal é porcentual, pois praticamente tudo aqui custa e vale proporcionalmente menos nominalmente do que na Europa ou EUA, como os salários dos servidores, os preços dos insumos usados nos hospitais, etc. Há algumas exceções, como os carros, cujo preço final é quase dobrado pelos impostos do governo em relação ao preço das montadoras, o que faz com que um VW Fox custe mais aqui do que um Honda Accord nos EUA e outras aberrações do tipo. E o que se faz com este volume imenso de impostos recolhidos sobre os carros? (não é maior pois a base de consumidores de carros é pequena, justamente em função deles)

    Eu lembro o que se faz com este dinheiro: em qualquer cidade brasileira é praticamente impossível andar 2 minutos sem passar por buracos ou remendos de asfalto que danificam o carro, desalinham a direção, além de irritarem profundamente o motorista. Principalmente o que já dirigiu em ruas de verdade. Quem não o fez e é nacionalista convicto acha tudo normal e, quando pega um buraco mais duro, solta um ‘ah, que droga’. Não é preciso ir tão longe. Em Buenos Aires, a apenas 2 horas e pouco de avião de SP (mais perto que Recife), não tem um único buraco na cidade inteira. O asfalto é um tapete perfeito… e a arrecadação deles também é muitas vezes menor do que na Europa, em valores absolutos?

    Como eles fazem isto, então? O asfalto é só um exemplo… as calçadas também são perfeitas; dá prazer passear na rua. Historicamente, sempre conseguiram dar uma educação e saúde de qualidade muitíssimo superior á do Brasil (sem contar a decadência dos últimos 5 anos devido à crise conhecida por todos, o que não invalida o argumento principal).

    Mas Naodigo, responda como eles fizeram tudo isto tão melhor do que nós, mesmo com uma arrecadação de país subdesenvolvido… ou, então, diga ‘Se você acha lá tão bom, então vai morar lá’. Isto combinaria mais com um verdadeiro defensor do Brasil.

    No mais, basta não ser cego nem surdo para saber que a administração dos serviços públicos aqui é pífia. E é como diz o ditado, perfeito nesta situação: o pior cego….

    Seu raciocínio é uma verdadeira gasolina aditivada para que continuemos indo ao fundo do poço em velocidade máxima.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 09/01/2008 - 12:20
    Enviado por: Cláudia

    A periferia de Buenos Aires também é assim?

    responder este comentário denunciar abuso

  • 09/01/2008 - 12:37
    Enviado por: Claudio

    Claudia, sem conhecer você assumo que, pelo curto e grosso de sua pergunta, você se enfileira com o Naodigo. A resposta é a seguinte: um dos bairros mais perigosos e violentos lá é La Boca, onde fica o estádio Bombonera, do Boca Juniors.

    Não há um só barraco de madeira. O calçamento e asfalto são exatamente assim, bem construidos e mantidos. Digamos que, sem exagero, tão bons ou melhores que na Av. Paulista. É uma pobreza, não uma miséria, como em nossas favelas.

    Experimente o seguinte: quem já foi para lá e não gosta dos argentinos, sempre que tem que admitir isto dá aquela balançada de cabeça e diz ‘é, realmente etc e tal’… e emenda: ‘mas eu vi mendigos sim!!!’. Tem pedintes lá, sim. Proporcionalmente ao tamanho da cidade e comparando com SP ou Rio, talvez uns 5% da quantidade que temos aqui.

    Abordando de outro jeito, a razão desta qualidade que eles têm e nós não, a meu ver, é que os argentinos tem um lado como o nosso, de conviver com a desonestidade de maneira pacífica e assumida, mas têm outro de não aceitar absurdos visíveis, na cada do cidadão, de boca calada. Em outras palavras, se uma rua começar a ficar toda esburacada e a prefeitura não conserta-la num tempo aceitavel, eles vão lá e ‘quebram o pau’. Nós não, você não, talvez por sermos católicos, oferecemos sempre a outra face, damos esta balançadinha de cabeça do ‘fazer o que, né’, somos submissos mesmo…

    Mas estes são ‘apenas’ fatos… e fatos não adiantam quando se tem sentimentos tão profundamente arraigados dentro de si que sempre vão impedir que se reconheça a verdade, por mais clara que ela seja.

    Caso você não seja assim, ou seja, uma nacionalista irracional, sugiro ir a Buenos Aires assim que puder, pois é uma viagem de excelente custo-beneficio. Belissima, charmosa e relativamente barata. É impossível ir p/ lá e voltar sem rever alguns conceitos e respeitar um pouco mais a Argentina como nação (mesmo que não se ame todos os argentinos) – apesar de todos os problemas que eles têm.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 09/01/2008 - 12:50
    Enviado por: Cláudia

    Não se trata de nacionalismo, só acho que é uma comparação sem nenhum sentido. Calçada bonita e pavimento bem feito existem em vários munícipios do interior de São Paulo. E na maioria deles também não há barracos de madeira.
    Em resumo, o que ficou provado dizendo que Buenos Aires possui uma boa urbanização? Que provavelmente a prefeitura de Buenos Aires se preocupou com isso em algum momento. Querer extrapolar isso para a política nacional a meu ver é um pouco de exagero.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 09/01/2008 - 13:12
    Enviado por: Claudio

    Claudia, não se faz uma boa urbanização de uma cidade de 10 milhões de pessoas porque ‘a prefeitura se preocupou com isto em algum momento’. Você acredita que foi mesmo isto?

    Só se faz isto com uma consciência correta e duradoura por parte do povo, em gerações seguidas, que impeça que os adm. públicos que se sucedem pouco se lixem em cumprir suas obrigações, como aqui. Tudo é um ciclo virtuoso, pois o suporte para esta consciencia e cobrança por parte do povo é, evidentemente, a educação, com os baixissimos indices de analfabetismo que eles sempre tiveram. E claro que tudo isto é uma questão da política nacional, senão, é de que?? A maior e mais rica cidade do Brasil simplesmente não tem praticamente nenhuma rua ou calçada que preste. Mesmo podendo, não vale a pena comprar um carro bom ou nem um sapato mais caro, pois em 2 tempos estão arranhados, danificados, entre um tropeço e outro buraco.

    Lá eles roubam muito também e não são uma potencia economica ou tecnológica. Mas fizeram metade do serviço bem feito. De verdade, não da boca pra fora. Existe uma coesão na população, ainda que parcial. Apesar de desrespeitarem as leis do transito, pouco se vê passar o sinal vermelho.

    Se se quiser insistir no nacionalismo, você diria que tudo isto são coisas pequenas, que o que importa mesmo e conta para avaliar um pais não é isto, mas sim…. o que?? Orgulho da Petrobras, que sempre nos vendeu uma gasolina cara e ruim? A relação concreta de um cidadão com o país é esta, simples, do dia a dia. Sair a pé, dirigir, tomar um café, um ônibus ou metrô, etc. Não é fazer conjecturas verbais sobre a morte da bezerra e Fidel Castro com uma cerveja na mão numa praia.

    Lá, como em outras grandes cidades, o trabalho de por a mão na massa começou no século retrasado, quando planejaram e aplainaram as cidades (assim como Manhattan e outras) para que funcionassem melhor, não tivessem enchentes, o transporte de maneira geral fosse mais fácil e rápido, etc. Depois, no inicio do século 19, começaram a construir o metro, assim como em Londres e Paris. Assim sucessivamente, aterraram a fiação e forçaram a obediência das leis de zoneamento. Claro que tem fiscais corruptos lá, de obras ou do que seja, mas a diferença é que o resultado final está à disposição da população.

    Mas é assim, se você mora em alguma destas cidades do interior de SP, melhor pra você neste sentido. Se mora em SP, cuidado ao andar na rua e aguardemos com ansiedade a copa de 2014. Até la, teremos muitas vitórias do volei de quadra e de praia, pra não falar dos dribles e goleadas do futebol de salão (“futsal”) para comemorar, neste verdadeiro exercicio de nossa cidadania.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 09/01/2008 - 14:20
    Enviado por: Cláudia

    Cláudio

    Como de fato não conheço Buenos Aires, fui pesquisar na internet.
    Olha, acho que tem umas partes de Buenos Aires que você também não conhece… pena que não dá para colar imagem aqui. Mas dá para colar o link. Dá uma olhadinha lá.

    http://www.ub.es/geocrit/sn/sn-146(134).htm

    Só para te dar uma idéia do que você vai ver, o título embaixo da foto é:

    Figura 1. Grande Buenos Aires: exemplo de “villa miséria”.
    Foto dos autores.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 09/01/2008 - 14:54
    Enviado por: Naodigo

    Senhor Claudio.

    12 reais valem 12 reais no Brasil. 12 reais no Brasil compra 12 reais de servicos.

    Basicamente isso daria em torno 360 reais por mes por pessoa por mes.

    Baseado na sua teoria ,senhor Carlos, o governo deveria entao coletar como um todo(pobre e ricos) os 360 reais e mandar um cheque mensal de 360 reais para cada habitantes.

    E claro que com esses 360 reais por pessoa por mes voce teria que se virar e depender 0% do governo ja que como o senhor e o senhor piza mesmo dissem, da para fazer coisas fantasticas com 12 reais por dia por pessoa de impostos .

    O problema e que o senhor e todos os 188 milhoes de habitantes terao que:

    Isso baseado no que tem hoje- ruim ou bom

    Terao que:

    pagar sua propria escola particular,

    Nao terao mais financiamento de casa pelo governo.

    Pagar para cuidar dos aeroportos e rodoviaria- (nos niveis de hoje.)

    Se a sua casa pegar fogo o senhor tera que pagar o bombeiro dos seus 12 reais por dia.

    cuidar da sua seguranca propria.( nos mesmo niveis de hoje- ruim ou bom)

    Pagar pelo bandidos que estao na cadeia.(os que estao presos no momento)

    Tera que pagar por sua propria aposentadoria-

    Tera que pagar por seu proprio plano de saude

    Tera que pagar pelo pavimento de sua rua.

    Tera que pagar pela infra estrutura da agua e eletricidade que vai para sua casa.

    Pela iluminacao da sua rua.

    Pela fiscalizacao de estabelecimento.

    Voce tera que pagar pela escola tecnicas federais.

    Tera que pagar pelas pracas.

    Qualquer situacao juridica o senhor teria que pagar do bolso caso queira resolver.

    Fim das faculdades Publicas Federais.- So ai a turminha da USP com certeza vai gastar mais de 12 reais por mes. kkkkkkkkkk

    Fim dos postos de Saude.

    Fim do exercito.

    O senhor e os resto dos 188 milhoes de pessoas com os 360 reais por mes tera que cuidar da sua propria vida. Acho meu dificil isso.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 09/01/2008 - 14:59
    Enviado por: danielpiza

    É, 40% do décimo maior PIB do mundo não dá pra nada… Kkkkkkkkk…

    responder este comentário denunciar abuso

  • 09/01/2008 - 15:04
    Enviado por: Naodigo

    Senhor Piza o erro basico que o senhor esta fazendo e que esse 40% tem que ser usado e para servir 188 milhoes de pessoas.

    Na suecia so tem 5 milhoes de pessoas.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 09/01/2008 - 15:05
    Enviado por: danielpiza

    É porcentual, meu caro, porcentual! O PIB também é relativo a 188 milhões de pessoas! Pelamordedeus!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 09/01/2008 - 15:07
    Enviado por: Naodigo

    Esse 40% da decima economia do mundo equivale em numeros reais a 12 reais por pessoa por dia de servicos.

    O fato de ser a decima economia nao muda a situacao de que sao 12 reais disponiveis por dia por pessoa para cobrir todas as necessidades.

    e claro que se o Brasil fosse o paraiso na terra e os 12 reais fosse investido 100% corretamente.

    Mesmo que fosse o paraiso na terra ainda teriamos 12 reais por dia.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 09/01/2008 - 15:12
    Enviado por: Naodigo

    Senhor Piza O PIB e o total gerado pela ecomomia.

    O imposto que se da para o governo e PIB menos segundo senhor 40%.

    O que se paga para o governo e 40% do pib.

    2 trilhoes de reais como o senhor mesmo disse.E isso que o governo leva. O resto circula na economia como redimento liquido.

    Estamos falando de impostos total pago pelos contribuintes.

    12 reais por dia baseado nos 2 trilhoes que sao pagos de impostos.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 09/01/2008 - 15:12
    Enviado por: danielpiza

    Isso é dinheiro mais do que suficiente para dar boas escolas, hospitais e justiça. Exatamente o que não é dado.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 09/01/2008 - 15:17
    Enviado por: danielpiza

    Tudo errado de novo. Que dificuldade com números, hem? R$ 2 trilhões é o PIB do Brasil, nada menos que o décimo do mundo, sem que sejamos a décima população. O governo embolsa 40% disso, R$ 800 bilhões. E usa MAL, MUITO MAL esses 800 bilhões para dar educação, saúde e justiça para as pessoas. Usando mal, também impede que aquele PIB seja maior. Beabá da economia. Captou?

    responder este comentário denunciar abuso

  • 09/01/2008 - 15:25
    Enviado por: Naodigo

    Senhor Piza o valor de 12 reais por dia permite ter um servico de 12 reais por dia. Como disse para o senhor antes na Europa o governo coleta mais de 10 vezes mais de impostos das pessoas.

    800 bilhoes por ano de imposto equivalem a 12 reais por dia por pessoa

    O valor de 12 reais por dia e tao baixo que mesmo gastando mal ou bem o resultado jamais sera o que o senhor espera.

    Mesmo usado os 12 reais com 100% de eficacia o senhor batera em um plato de realidade economica.

    Nao tem como tirar agua de pedra.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 09/01/2008 - 15:27
    Enviado por: Naodigo

    Desculpa por dizer 2 trilhoes. Se o senhor notar meus comentarios iniciais(primeiros) vera que disse 800 bilhoes.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 09/01/2008 - 15:30
    Enviado por: Naodigo

    Eu acho que ninguem aqui esta discutindo se o dinheiro e bem usado. Existe com certeza erros nos sistema.

    A questao X e o que voce compraria com 12 reais por dia se o sistema fosse 100%.

    A realidade e que baseado em numero europeus nos pagamos de 8 a 10 vezes menos impostos por pessoa.

    Se da para dar vida digna para pessoas com o plato de 12 reais por dia como o senhor mesmo disse os europeus estao pagando mico tremendo pagando de 8 a 10 vezes.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 09/01/2008 - 15:45
    Enviado por: Claudio

    Naodigo: você é, realmente, um caso único. Acha que pagamos poucos impostos e não devemos reclamar pelo que temos. Não sei se, de fato, conhece ou já precisou de algum serviço público ou apreende as notícias sobre desvio de dinheiro. E, se não se deu conta ainda, os serviços que você listou já são ou pagos novamente do nosso bolso para um fornecedor privado, ou de péssima qualidade quando do estado.

    Retomando a pergunta: Embora o que realmente importa é o percentual, não os numeros absolutos, como a Argentina, que não é um país pequeno e nem tem volumes de produção e impostos de país desenvolvido, fez ao longo de sua histórioria para educar sua população e dar serviços públicos muitissimo superiores ao Brasil? Só tente achar a resposta (não para mim, mas a você mesmo). Com relação à turminha da USP, são seus colegas, nacionalistas e esquerdistas, isto até se formarem e, com um diploma da USP debaixo do braço, correrem para ganhar o máximo de dinheiro que conseguirem. Isto não é provocação, ou você acha que não são?

    Claudia, embora o trabalho do link seja de autoria de ‘engajados’, de fato, a foto sendo real, mostra que existe miséria lá e que não conheço a cidade inteira. Parabéns, você tem razão e sua pesquisa valeu a pena. Mas pode ter certeza de que se trata da exceção à regra e, muitissimo provavelmente, causada pela crise de 2002, conhecida por todos nós. Observe o tamanho da favela. Pergunte a qualquer pessoa que conheça lá o que é a cidade em termos de pobreza, comparada com as nossas. Não há comparação. Ou melhor, vá para lá e tire suas próprias conclusões.

    Ou sinta-se vitoriosa por ter achado este link e provado que, não importa o tamanho e quando e por que causa apareceram, pois nós temos favelas, mas eles também têm!!!

    Em conjunto com nosso amigo não digo, você pode sentir-se com o dever cumprido, pois você defendeu o Brasil!!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 09/01/2008 - 15:55
    Enviado por: danielpiza

    Naodigo, pela última vez, esse tipo de cálculo não faz sentido. A Alemanha (PIB 3,2 trilhões, carga 41%, população 88 bilhões) gasta 3 vezes mais por habitante, mas tem serviços 10 vezes melhor, serviços que são gratuitos e universais (não partilhados com a iniciativa privada como são aqui). Além disso, se o Brasil aumentar o porcentual da carga, a produção da economia ficará ainda mais asfixiada. O Estado brasileiro não deve ser maior porque sua economia é mais pobre, mas deve ser menor para que sua economia fique mais rica – e aí a própria arrecadação melhora. O Estado deve servir à sociedade, e não o contrário. Você é a prova de que o iluminismo não chegou ao Brasil.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 09/01/2008 - 16:33
    Enviado por: Naodigo

    Senhor Piza

    Alemanha tem servico 10 vezes melhor porque paga 10 vezes mais.

    O senhor aqui no Brasil paga 10 vezes menos que a alemanha e tem servicos 10 vezes pior.

    Senhor Claudio. Eu nao disse que pagamos pouco ou muito. Nos pagamos 12 reais e recebemos servicos de 12 reais.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 09/01/2008 - 16:39
    Enviado por: Naodigo

    Senhor Piza

    A Alemanha tem 3,2 trilhoes nao e em reais para o ano de 2006

    O Pib da Alemanha para o ano de 2006 foi de 2.63 trilhoes de dolares. Isso da em torno de 4.60 trilhoes de reais. O dobro do Brasil.

    A populacao da alemanha nao e de 88 bilhoes. A populacao da alemanha e de 83 milhoes.

    Isso daria em torno de imposto gasto por pessoa em torno de 151 reais por dia por pessoa.

    15 vezes mais que no Brasil de impostos arrecadados por pessoa.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 09/01/2008 - 16:43
    Enviado por: Naodigo

    Desculpa faltou a substracao do impostos sobre o pib

    responder este comentário denunciar abuso

  • 09/01/2008 - 16:47
    Enviado por: Naodigo

    Na verdade seria a Alemanha

    4.6 trilhoes de reais menos 40%

    1.84 trilhoes de reais em impostos paga na alemanha

    Isso daria em torno de 60 reais por pessoa de impostos.

    Se tem para gastar 500% a mais em imposto na alemanha que no Brasil por pessoa

    responder este comentário denunciar abuso

  • 09/01/2008 - 16:58
    Enviado por: Naodigo

    Senhor Piza ninguem esta falando para se aumentar a carga tributaria.

    O que tem que ser feito e mudanca de mentalidade das pessoas com relacao a dinheiro e investimento.

    A diferenca e que a elite no Brasil acumula dinheiro e sente nos bilhoes.

    Quando vai fazer um ajuda social oferece curso de costureira e padeiro(nada contra a profissao).

    O dinheiro na sua maioria e enviado para a europa onde ira inchar mais os cofres do continente velho com mais dinheiro.

    Olha o exemplo da familia Hilton(o velho). Vai doar 97% do dinheiro dele para a sociedade.

    Olha quanto o Tiger wood investe na periferia para educacao de alto nivel?

    Ve quanto o Bill Gates doa por ano?

    Enquanto isso a nata rica podre no Brasil esta mais preocupada em ir gastar 400 reais por dia em restaurante bacana na zona sul de Sao Paulo.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 09/01/2008 - 17:02
    Enviado por: danielpiza

    Conseguiu fazer as contas? Finalmente! Faltou o poder de paridade de compra, mas deixe pra lá. Por cálculo nenhum o alemão paga dez vezes mais imposto. Ou seja, Brasil usa muito mal o que arrecada. Além disso, você sempre esquece: se a carga fosse maior, o PIB não cresceria. Ou você acha que a Alemanha sempre teve 41% de carga tributária? Mein Gott…

    P.S. Sabe quantos ricos têm na Alemanha e quantos no Brasil?

    responder este comentário denunciar abuso

  • 09/01/2008 - 17:05
    Enviado por: Naodigo

    Senhor Piza, agora o senhor esta simplesmente sendo vigativo com seu comentario sobre os calculos.

    Ocalculo correto foi colocado logo em seguida. Isso nao mudou em nada o fato que na Alemanha se tem para gastar 6 vezes mais que no Brasil com habitantes por dia.Numero que passa dos 500% em relacao aos 11 reais por dia no Brasil.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 09/01/2008 - 17:07
    Enviado por: Naodigo

    A questao nao perguntar quanto ricos tem senhor Piza.

    A pergunta e quanto os ricos podres brasileiros acumulam em cofre na Europa e nao investe no Brasil.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 09/01/2008 - 17:09
    Enviado por: danielpiza

    Naodigo: garanto a você que é muito menos do que os 800 bilhões que nosso Estado gasta mal e porcamente.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 09/01/2008 - 17:14
    Enviado por: Naodigo

    Ah sim senhor Piza.

    Somente UM elemento da politica e empresariado
    paulista foi acusado(nao sei se for condenado) por ter em torno de 300 milhoes de dolares em bancos europeus.

    Poxa nao e a toa que o PIB na europa e tao grande.

    E meu amigo, A suica nao ficou Rica vendendo chocolate e relogio.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 09/01/2008 - 17:32
    Enviado por: danielpiza

    E quem era ele, o Zé Dirceu?… Ou o Edemar Cid Ferreira, para quem os políticos abriam os cofres com nosso dinheiro?…

    responder este comentário denunciar abuso

  • 09/01/2008 - 17:32
    Enviado por: José Wagner

    Não digo,
    eu entendi o seu comentário, mas o fato de a pobreza do Brasil não permitir uma arrecadação com níveis europeus não pode ser justicativa para uma carga tributária tão alta, pois quando o Estado retira dinheiro do setor privado ele está retirando dinheiro do setor produtivo que poderia ser reinvestido gerando mais empregos e um aumento da oferta de bens e serviços que viriam a suprir a necessidade da sociedade. Em outras palavras, nós teríamos um ciclo virtuoso. Deve ser lembrado que a economia não é estática. Ela cresce, quando uma nova fábrica é instalada ou quando a capacidade produtiva de uma é aumentada ou ainda quando toda a capacidade produtiva é utlizida. Nós só vamos resolver o problema da pobreza com o crescimento da economia, pois é o setor privado quem provê as necessidades da sociedade e não o estado, a não ser em um estado de economia planificada em que os meios de produção são públicos, mas aí é uma outra história.
    Em resumo, não podemos justificar que a carga tributária permaneça nos níveis atuais pelo fato de o Brasil ter muitos pobres e necessitar de uma ampla rede social pública para oferecer o mínimo, pois a permanecer tal filosofia vamos dificultar cada vez mais a ação das empresas levando em última instância a retração da economia. Para isso o Estado deve passar a cuidar somente daquilo que lhe cabe. Abro exceção para educação até que o Brasil atinja uma massa crítica de circulação de riquezas que nos permitirá o salto quântico de país que quer ser desenvolvido para país desenvolvido. Mas isso não invalida uma verdade, a de que o Brasil precisa de menos Estado e não mais.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 09/01/2008 - 17:41
    Enviado por: danielpiza

    José Wagner: é que ele acha que o Estado é que produz riquezas e gera empregos…

    responder este comentário denunciar abuso

  • 09/01/2008 - 17:46
    Enviado por: Cláudia

    Não, Claudio, só tentei defender a lógica. E é óbvio que aquela miséria não existe desde 2002. Aquela miséria é resultado do mesmo e vergonhoso processo de apropriação do Estado por uma minoria de potentados, esse, sim, o verdadeiro ponto em comum aos países latino-americanos. Erra feio quem diz que só o verdadeiro capitalismo pode salvar o Brasil ou que se deve eliminar o Estado. Muito pelo contrário. O que falta aqui é exatamente Estado verdadeiro. O problema é saber se quando houver Estado de verdade, haverá também capitalista de verdade, pronto para assumir riscos.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 09/01/2008 - 18:13
    Enviado por: Cláudia

    Mas o que eu acho verdadeiramente intrigante é alguém que se nega admitir a realidade de uma foto, querer imputar ao outro a pecha de alienado – “cada um de volta ao seu iPod”.
    Aliás, será que grande parte da péssima distribuição de renda dos países da América Latina não se deve a essa tendência romântica da direita que insiste em não ver o que está bem diante do seu nariz?

    responder este comentário denunciar abuso

  • 09/01/2008 - 18:27
    Enviado por: Claudio

    Naodigo, vamos lá: você apegou-se a algo que parece lógico, mas não é. Sem ter feito a conta mas assumindo os seus R$ 12, nós não recebemos serviços de R$ 12 reais de volta. Porque:

    -A corrupção e incompetência generalizadas em todos os poderes e níveis administrativos, comparáveis provavelmente somente a algumas ditaduras e países da África, deduzem uma porção imensa do valor que é efetivamente retornado em serviços. É praticamente impossível calcular o valor exato desta subtração, mas, em termos de grandeza, pode-se tranquilamente dizer que, por exemplo, pagamos R$ 12 e recebemos efetivamente em serviços de R$ 4 ou 5, com todas as devidas ponderações.

    -Mesmo com uma base real de contribuintes de IR e outros impostos incidentes sobre a pessoa fisica e juridica formalmente ativas sendo tão pequena, em virtude do irrealismo de nosso caotico sistema de impostos, como já foi exaustivamente dito, a carga tributária sobre a economia, também com todas as considerações necessárias, é muito elevada, em niveis mais altos que em muitos paises mais ricos. Isto porque a cascata de impostos faz com que, em media, o preço de qualquer caixa de fósforo comprada por uma pessoa miserável tenha embutido uma carga de 30% a 50% ou mais de impostos, fazendo com que todos os 190 milhões de brasileiros acabem pagando muito de sua renda em tributos ao estado. Se a carga tributária geral fosse sensivelmente menor em % do PIB do que em nações adiantadas, aí sim, em parte, seu argumento teria algum sentido. Mencionar o IR na Suécia, como é comum nestas discussões, é uma comparação míope.

    -Os serviços providos não são falidos pelo fato, subentendido de sua tese, de a demanda destes mesmos 190 milhões de brasileiros diluir a ‘qualidade’ deles. Já que mencionou o Sudeste em algum outro comentário, qual percentual desta região, a mais populosa do país, efetivamente demanda, depende ou solicita estes serviços de maneira constante, em comparação, p. ex., com o nordeste? As filas intermináveis nos hospitais, por exemplo, não podem ser atribuidas a uma falta de médicos devida, por sua vez, à pouca disponibilidade de recursos para que sejam contratados mais. A questão maior é como estes recursos são administrados, sempre em uma proporção criminosa entre a parte destinada à burocracia (=corrupção e desperdício) e a efetiva prestação do serviço final ao cidadão no hospital ou na escola. A produtividade em relação ao dinheiro a principio dirigido a cada setor é vergonhosamente baixa.

    Você acredita de verdade que os niveis de desperdicio e roubo por aqui são normais e que o Brasil apenas “não é o paraíso na terra”??? É absolutamente surreal ter que fazer este tipo de argumentação detalhada. Dá até a impressão que, por algum motivo que não sabemos, você não tem um contato normal diário com o mundo exterior, nunca precisou da polícia ou da justiça, nunca viu o atendimento dado em uma repartição pública, nunca viveu no Brasil – ou, pior do que isto, mantém sua visão deturpada da realidade por carregar dentro de si este ‘valor’ cultivado por milhões de brasileiros de colocar a defesa retórica do país acima de qualquer lógica, razão ou realidade.

    A única justificativa para este tipo de posicionamento de auto-engano deliberado é se houver outra encarnação em que cada um reviva em seu pais na versão espírita e seja recompensado pelo quanto o defendeu na versão terrena. Aqui nós passamos esta vida sem ter nem uma fração da qualidade de vida proporcionada por uma administração correta de um país sério, levando nosso dia a dia sempre nos escorando nas belezas naturais e em nossa famosa alegria para exaltar as vantagens do Brasil.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 09/01/2008 - 19:07
    Enviado por: Claudio

    Claudia, aí não tem como argumentar, pois você infantilizou a discussão. A foto mostra um extremo de uma situação que se encaixa na qualificação de exceção, não de regra. É como se eu enviasse um link com uma foto de uma mansão em Maceió e dissesse que os paulistas são preconceituosos achando que, lá, predomina a pobreza.

    Negar o desenvolvimento social superior deles é mostrar uma simples falta de conhecimento. Repito que, se você for para lá, vai tirar suas próprias conclusões. 2h20 de vôo, barato e fácil. Milhares de brasileiros vão todos os fins de semana. Mas como não existe nenhuma lei que a obrigue a ir, claro que você poderá manter sua imagem falsa da realidade. Esta é a questão, mesmo não sendo ricos, assim como nós não somos, eles construiram um pais melhor administrado com os recursos disponíveis.

    No fundo, na essência, concordo que precisamos de mais estado. Só que sua definição do que é este mais estado é que é completamente equivocada. Mais estado deve ser mais competencia, transparencia e um foco corretamente definido na atuação do estado.

    Vocês jamais vão assumir para si as discussões concretas. Não tinhamos telefones há 10 ou 15 anos. Só pagando caro a uma empresa estatal enferrujada. Jogaram pedras na privatização, por ser ‘um setor estratégico’, conforme, sabiamente, fomos ensinados na época pela esquerda. Não é?

    Quem gera a riqueza são as empresas e enquanto aquele bichinho da contrariedade, da perda da discussão histórica, não morrer de vez em cada esquerdista infanto-juvenil, não teremos as mudanças necessárias para formalizar e incentivar os pobres mortais que querem abrir uma loja a faze-lo, ou aos que já tem algum pequeno negócio, a formaliza-lo, gerando assim, e só assim, mais renda e melhoria de vida para o país.

    Eu não quero imputar a ninguem a pecha de alienado. Eu afirmo e sei que a esmagadora maioria não só dos auto-proclamados esquerdistas como dos outros grupos de modo geral, principalmente entre os jovens, é não só alienada como completamente incoerente. A não ser que vestir a camiseta de Che Guevara e repetir chavões imbecilóides sejam sinal de consciencia.

    Mate o bichinho, Claudia. Juro que não é provocação. Estas gerações já estão perdidas mesmo, pois os erros cometidos são de muito difícil solução e a distancia para os países adiantados aumenta cada vez mais. Se você mora em SP e tem oportunidade de ter um bom estudo, pode ter a chance de participar de uma boa empresa e sentir o ambiente do mundo que realiza. Se mora em outra região onde só predominem o discurso esquerda-cervejinha, jamais terá esta oportunidade.

    O mundo real é: acordamos de manhã e vamos trabalhar ou estamos desempregados. Onde vamos trabalhar, numa empresa real (não importa o tamanho), que paga impostos possíveis e não é achacada por fiscais corruptos (a imensa maioria) e compensou ser aberta por seu dono ou numa que é um mero ganha-pão do dono e de seus funcionários, como a maioria esmagadora da nossas. Ou então, conforme a biblia esquerdista, vamos todos ser funcionários publicos.

    Não sei exatamente qual sua condição, mas genericamente digo a qualquer esquerdista mais desprendido: O problema é que vocês acreditaram neles… eles estão lá há 6 anos e não, não vão mostrar como é que se faz de verdade. Programas petistas: 1o emprego – fracassado e abolido; fome-zero – rendeu lagrimas a alguns inocentes e lucros para algumas agencias de propaganda. Solução: ampliar os programas sociais do governo anterior, mudar-lhe o nome e coletar os votos. E tenha certeza de que eles (os companheiros) estão todos muitissimo bem como sabemos, desfrutando de todos os confortos que o poder e o capitalismo podem proporcionar. Você tem alguma dúvida disto? Acha que estou sendo leviano?

    Se quiser só me explicar quem, exatamente, vai dar os empregos necessários ao país, agradeço muito.

    Mate o bichinho e voltemos os nossos iPod – na verdade eu não tenho um, o meu é mais simplezinho. Se você também não tem, ainda, pode guardar pra você que gostaria.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 09/01/2008 - 19:11
    Enviado por: Naodigo

    Senhor Carlos, Como ja disse antes. Mesmo que o Brasil fosse o paraiso na terra e fosse 100% eficiente no uso dos 12 reais , nos teriamos no fim o mesmo valor de 12 reais por pessoa para gastar por pessoa .

    E como o pobre que ganha salario minimo. Chega um ponto que por melhor que ele use o seu dinheiro so vai poder comprar o que 12 reais compram.

    Isso e saturacao. O que existe no Brasil e a saturacao de servicos devido a grande populacao.

    Para voce ter bom resultados em relacao a eficiencia teriamos que ter pelos um valor acima de 30 reais na minha opiniao por pessoa.

    12 reais. 6 a 12 vezes menor que os valores europeus.

    Hoje o plato e 12 reais. 800 bilhoes para dar servicos para 188 milhoes de pessoas.

    O mercado de trabalho hoje esta em falta com mao de obra especializada. Se inves de mandar dinheiro para europa ou esconder debaixo do cama.

    Eu nao sou a favor do aumento de impostos.Sou a favor do aumento desse valor diario(12 reais) desde que venha de aumento da producao e investimento interno.

    Como disse antes. So UMA figura industria paulista foi acusada de desviar 300 milhoes de dolares para o continente velhos.

    A nata podre rica no Brasil e muito egoista.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 09/01/2008 - 19:16
    Enviado por: Naodigo

    Senhor Claudio. eu nao sou nem esquerdista, direitista ou centrista.

    Eu sou brasileiro.

    O pior que nem para esse governo votei.

    Eu sou a favor de menos governo. Se o senhor ler meus outros texto sempre estou falando de responsabilidade pessoal.

    O que porem digo com meu texto e que a realidade matematica da coisa hoje em dia e que temos 12 reais por dia por pessoa para fornecer servicos.

    so isso.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 09/01/2008 - 19:19
    Enviado por: José Wagner

    Cláudio,
    Discordo de você num ponto, o de que precisamos de mais estado. O Estado é gastador inveterado e que geralmente não costuma ter uma boa relação custo-benefício. Por outro lado a iniciativa privada encontra-se preparada para suprir boa parte de nossas necessidades de forma mais racional. Se você concorda com esse ponto então nós estamos de acordo a exceção do fato de que eu chamo isso de ter menos estado.
    Quanto ao ipod eu estive filosofando e estou pensando em lançar um produto revolucionário, que é a mistura do iphone e ipod. Só tem um problema, o nome que eu achei para o aparelho não ficou legal, iphod (ai fod). O que vocês acham, tem chance de dar certo?

    responder este comentário denunciar abuso

  • 09/01/2008 - 20:12
    Enviado por: Cláudia

    Cláudio

    Onde, no meu comentário, dei a minha definição de Estado para você discordar dela?

    responder este comentário denunciar abuso

  • 09/01/2008 - 20:29
    Enviado por: Claudio

    José Wagner, finalmente alguém com a simplicidade da compreensão por aqui. Eu disse ‘mais estado’ para em seguida explicar que deve ser mais eficiencia, não mais tamanho. Evidentemente, concordo com voce.

    Temos 37 ministérios. Trinta e sete. Parece filme dos irmãos Marx. 37 ministérios, e absolutamente, rigorosamente, nem uma única área de cada um deles vai bem. É uma pior e mais falida do que a outra.

    É ai que vai a maior parte dos R$ 12 do Naodigo. Evidentemente não simplesmente diretamente nos ministérios em sim, mas em toda a rede de influencia, clientelismo, incompetencia e corrupção gerada e ligada a eles.

    O brasileiro, como a Claudia, que acredito ser uma pessoa bem intencionada, gosta de Estado. Tem simpatia pelo Estado, acha bonito. Sonha em trabalhar para o Estado. Tem aquela percepçao de que mais funcionários, mais ministerios, mais leis, uma maior tendencia ao controle e oneração às empresas são coisas boas e desejáveis. Desconfia horrores das empresas, por definição. O lucro é demonizado, sendo que é só e unicamente a existencia dele em diferentes niveis que permite uma economia que gere um fluxo de consumo e impostos continuo que alimente o…. Estado. Mas isto é de muito dificil compreensão por aqui, por nossa imaturidade cultural.

    Infelizmente, ficou uma grande amargura em grande parte das pessoas pela nostalgia do fim do sonho socialista, que tanta saliva em mesas de bar gerou neste país (não, claro, que estas mesmas pessoas fossem de fato aceitar e gostar de viver numa estrutura à cubana por mais do que alguns anos antes que começassem a querer fugir também). E esta amargura e vaidade ferida aliadas ao nosso estilo de vida de ir levando, dando um jeito, comendo um churrasco e cuidando de nossas vidinhas constituem uma fórmula venenosa que protela o reconhecimento da necessidade de alterar as coisas e, ao lado das ações ligadas à educação, principalmente, que passa, necessariamente, pelo enxugamento da burocracia cancerosa, tomar as medidas urgentissimas de desoneração e incentivo das empresas para que possamos começar a construir uma economia sólida, com empregos de qualidade em empresas formais e de qualidade.

    Lastimavelmente, aparentemente muitos anos ainda vão se passar até que a maioria da população entenda e reconheça algo tão simples e que é praticado com variações por todos os países desenvolvidos do mundo.

    Mas tenhamos esperança. De 1960 para cá, quase meio século, pelo menos eles já, timidamente, não gritam mais para que se fechem as padarias e lojas de secos e molhados da burguesia! Mais uns 50 anos e teremos alguns outros progressos fantásticos..

    Só isso.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 09/01/2008 - 21:07
    Enviado por: Naodigo

    E quantos % o senhor acha que e desperdicado sem uso algo para povo nesses tramoias pelo senhor citado?

    Senhor Claudio dizer que 100% dos 12 reais vai para corrupcao e um argumento populista e generalizado, de na minha opiniao.

    Talvez o dinheiro em certas areas seja mal usado mas fazer um comentario dizendo que nada ou maioria e usado nao e verdade.

    Mesmo que fossemos uma sociedade celestial os 12 reais nao compram muito coisa por pessoa quando voce um pais beirando os 200 milhoes de habitantes.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 09/01/2008 - 22:08
    Enviado por: Cláudia

    Só isso?! Ainda bem…

    Não só brasileiros como eu, Cláudio, gostam do Estado. Aventureiros como você também gostam (a partir do momento que você se deu o direito de presumir coisas a meu respeito, e como bom liberal, penso que irá aceitar que eu presuma coisas a seu respeito também).
    E aventureiros, meu caro, não tem pátria não, estão em todos os lugares, como as baratas e os ratos. Por exemplo, há pouco tempo alguns aventureiros lá dos Estados Unidos, que andaram fazendo graça com o setor imobiliário, tiveram de ser auxiliados pelo Estado, esse Estado horroroso, que só serve para atrapalhar a vida das pessoas sérias e honestas. É, ainda bem que o socialismo morreu, né?

    responder este comentário denunciar abuso

  • 10/01/2008 - 13:43
    Enviado por: Claudio

    Claudia: bom dia pra você também e a quantos mais estiverem lendo! Eu nao sou aventureiro, trabalho e recolho 100% de impostos sobre toda a minha renda, coisa rara por aqui. Eu nao gosto do estado pois não sou romantico e inocente, uma vez que o estado não é para se gostar. É para se manter, vigiar e cobrar. O estado, principalmente em sua burocracia, assim como os politicos, são um mal necessario. Aqui, da maneira como é “organizado”, é não muito mais do que um peso, um fardo, um ônus. Esta é a concepção concreta. Sobre os professores e policiais honestos das periferias brasileiras, poderia escrever um capitulo à parte, pois não me refiro a eles.

    Voce citou os EUA. Adoramos, por aqui, mencionar o EUA como exemplo de pais em que o estado nao é o modelo ideal de bondade, não é bonito e presente como aqui, com nossa concepção corretissima de assistencialismo estatal concretizada em seu maior exemplo, o Bolsa Familia (programa do governo anterior ampliado e usurpado por este). Em nossa eterna e inquebrantavel mediocridade, jamais saberemos, como povo, que os EUA tem muito, ou melhor, tem tudo a ensinar ao Brasil sobre como organizar o estado. Com pequenas ressalvas e exceções, tudo funciona lá – e para todos (mas sem existir nenhum slogan ‘um EUA de todos!’ escrito abaixo do desenho de meninos de papel recortado dando as maos – e enriquecendo agencias de publicidade amigas na triangulação de dinheiro para bolsos petistas e alimentando o populismo e demagogia de um povo com pouquissimo discernimento). Jamais entenderemos nada disto aqui, pois a mera menção à incomparavel superioridade da administração publica nos EUA, por exemplo, causa ódio e indignação em nossas consciencias esquerdistas-cervejinha-iPod.

    Naodigo, informo que, realmente, as cidades americanas são em sua esmagadora maioria, limpas, bem urbanizadas, com area verde, agradaveis e extremamente seguras. Te juro, tive a oportunidade de conhecer varias. Graças a Deus, tenho a mente aberta para admitir isto sem a dor-de-cotovelo reinante e procuro sempre passar a mensagem adiante. Apesar da torcida e sabias previsões na imprensa e até em livros escolares para crianças das decadas de 80, 90 e até hoje sobre a ‘inevitavel decadencia e escalada da violencia’ nas cidades americanas, os indices de criminalidade estão totalmente sob controle e são muitas vezes mais baixos do que os nossos com nossas politicas de esquerda. Isto é estado. Voces tem internet, é facil achar artigos. Tudo bem, já vou considerar a ressalva sobre os casos dos assassinatos coletivos nas escolas e universidade, embora, pelo visto, ache dificil que voces entendam as reais causas de tais fatos. Nao quero ofende-los, mas com o bitolamento demonstrado, esta é a conclusao obvia.

    Algumas pessoas ainda não se deram conta de que esta fase já passou.. não importa a retórica, mas sim, o que funciona para a pessoa, seja aqui, no Equador, no Canada, na Italia, China ou Conchinchina. Pelo menos, é como deveria ser na cabeça de todos, mas só vale para uma minoria desapegada de conceitos totalmente superados.

    Vocês, ao que tudo indica, realmente nunca visitaram algum destes países. A voce e ao Naodigo, eu digo a diferença de mentalidade entre nós e eles – e peço que me diga se achar que estou errado: Se nos EUA ou Espanha, um turista de qualquer lugar vir algo errado como uma rua suja ou esburacada ou uma estrada mal sinalizada e reclamar com veemencia disto a 100 pessoas, com certeza algumas nao vao concordar ou vao achar que um estrangeiro nao deveria critica-los, mas, com absolutissima certeza, a grande maioria destas 100 pessoas vai concordar e reforçar a critica com sua propria indignação, pois não importa quem disse, qual é o pais, qual é o problema em si. O que importa, para qualquer cabeça clara, é o que esta certo e o que esta errado – e ponto.

    Aqui, não gostamos de ouvir criticas duras ao que esta errado nem dos proprios brasileiros – criticas de verdade, apenas o famoso ‘É, é fogo mesmo’ ou ‘estes caras são todos uns ladrões’, balançando a cabeça meio de lado olhando para baixo como é o costume. Quanto mais criticas vindas um americano ou europeu. Jogamos pedras se criticarem algo por mais absurdo que seja – e absurdos aqui, nao faltam. Entendemos que isto é defender o pais. Por estas e outras, estamos cada vez mais isolados do mundo e afundados em nosso sucateamento. Eu, por exemplo, sou ‘um cara chato’.

    Em nosso isolamento, pessoas como Naodigo, que, aparentemente, assim como voce, parece ter propositos serios, propagam conceitos equivocados enquanto, como pessoas com mais instrução e acesso à informação, deveriam justamente entregar-se a tarefa de conscientizar os que tem menos.

    Naodigo: claro que voce deveria defender os EUA ou a Espanha, pois estes paises conseguiram de fato organizar-se e educar suas populações, sem cultivar um nacionalismo cego e equivocado que só surte efeitos contrarios aos desejados.

    Aqui, em 5 seculos, nao conseguimos fazer com que nossa populacao saiba sequer ler e escrever minimamente bem. Pelos criterios do IBGE, quem sabe escrever (ou seja, desenhar) o proprio nome, nao pode ser considerado um analfabeto, mas sim um semi-analfabeto. Caso contrario, teriamos que ler a verdade incomoda sobre nosso analfabetismo colossal. As faculdades – de jornalismo inclusive – cospem milhares de pessoas que são não muito mais do que semi-analfabetos melhorados no mercado de trabalho todos os anos – lembrando que mercado de trabalho significa empresas privadas que devem ser viaveis e incentivadas (não, não seremos 190 milhões de funcionários publicos). É o nosso velho auto-engano. Mas nao faltaram mil planos, campanhas, siglas e programas de educacao para nosso povo (PAC da educação!!! Este sim é de esquerda!!!). Todos falidos, corruptos, fracassados. Se um dia forem a algum destes outros paises, verao que nao ha uma unica sigla ou campanha para nada, ou praticamente nada. E nao é porque eles nao precisam deles, mas justamente porque nao enganaram suas populações com este tipo de populismo – o que fizeram foi organizar suas estruturas de ensino, cada um a sua maneira, despolitiza-las, administra-las com eficiencia e tratar do tema educação com rigor desde o ambito domestico. Siglas e slogans governamentais são, inclusive, proibidos por lei em varios casos em paises desenvolvidos. Custam dinheiro que deve ser melhor aplicado.

    Claudia, nos EUA, depois de 500 anos, o estado ajudou bancos sim, em um exemplo claro de limities ultrapassados dentro de um sistema geral que funciona. Mas estes limities estão sendo revistos neste momento. Depois de 500 anos de historia de formação de empresas que dao empregos la e em todo o mundo sem ajuda do governo. Se quiser ser mais preciso, depois de mais de 200 anos de criação do dolar. Aqui, temos o real, que em abril ou maio vai vestir um chapeuzinho de cone com elastico, apitar com uma lingua de sogra, bater palma e comemorar 14 aninhos, comendo bolo de chocolate com chantili. Mas, se voces tem idade para lembrar, o real só vai comemorar os 14 aninhos porque ele foi criado apesar dos sabios avisos e esclarecimentos petistas e da esquerda em geral, na época, alertando a nós, pobres ingenuos, que o real nada mais seria do que um plano para as eleiçoes presidenciais de entao, que afundaria nos meses posteriores. Quanta sabedoria.

    Quando foi privatizada a Embratel, ninguem pode reclamar de nao ter sido alertado pela esquerda!!!! Era um plano para beneficiar a TV Globo, que estava por tras de tudo!!!

    Este é o erro de voces – vocês acreditaram neles. Agora todos os que acreditaram e não conseguiram alguma boquinha estão a ver navios em relação a tudo que foi prometido neste grande projeto esquerdista.

    Entretanto, como palavras em si nao mudam nada, se voces sao ao menos moderados, sugiro refletir o que seriamos se nao tivessemos o real, se a Telebras e Embratel nao tivessem sido privatizadas. Teriamos hiperinflacao, nao teriamos telefone nem tv a cabo, que significa informação e lazer, alem de empregos. Ou seja, se tivessemos seguido os magnanimos ensinamentos de Vicentinho e Lula, nao teriamos nada disto. Lula ja admitiu varias vezes, entre um uisque escoces e outro, que na oposicao eles jogavam pedras pois achavam que nunca chegariam ao governo. Só cegos e masoquistas dogmaticos nao enxergam e se dao conta deste passado recente. E isto não é ofensa, é constatação.

    Quanto atraso, prejuizo, oportunidades perdidas, empregos nao criados, etc., por estes erros? Todos eles, assim como voces, orgulhosamente nacionalistas!!!

    Agora, se estiverem acompanhando as noticias, estamos começando a nos deparar com mais uma obra do governo Lula: a forte ameaça de uma epidemia de febre amarela que começa a se alastrar pelo pais todo. Ja tem casos no Parana, não só em estados pobres. E, ainda que a pobreza e falta de estrutura que contribui para isto nao tenha sido culpa deste governo, a ocupação maciça de cargos por membros de partidos aliados (os famosos companheiros) sem nenhuma qualificação e o completo desprezo pela necessidade de boa gestão (‘discurso de neoliberal’) evidentemente contribui para a ma administraçao do sistema. Estamos nos africanizando.

    Mas, pensando bem, podemos ficar tranquilos. Temos 37 ministérios para cuidar de tudo, com muito nacionalismo!!! Nem uma única área destas 37 vai bem, bilhões de reais desperdiçados com corrupção, burocracia e encaixe de companheiros (ai vão os R$ 12, Naodigo)… Mas estejamos esperançosos: Lula e Vicentinho estão cuidando de nosso futuro.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 10/01/2008 - 13:59
    Enviado por: Cláudia

    Claudio

    Para quem gosta tão pouco de político, você gosta muito de discurso. Eu detesto. Tchau.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 10/01/2008 - 14:45
    Enviado por: Naodigo

    E incrivel como o senhor nesse mar de palavras simplesmente esta tentando conectar de maneira negativa a opiniao das pessoas com o governo presente. O pior que nem voltar para esse governo eu votei. Ja disse isso antes mas parece nao ouvir. Nao tenho Ipod e nao bebo.

    E incrivel a falta de informacao que o senhor tem sobre o que acontece no mundo,mesmo tendo internet em casa.

    Como um turista que vai a Disney, estudante de intercambio ou gerente de empresa, vive ele em regioes economicamente segregadas nos Eua e acham que o pais todo e dessa maneira. Nao fazem a menor ideia o que e viver no que dizem nos EUA, ” in the other side of the tracks”

    O senhor sabe o que e segregacao imobiliaria. E como se o rio de janeiro colocasse todas as favelas dos rio a mais de 100 kilometros de distancia da orla maritima sem onibus circulando para essa regiao.

    Aqui com certeza ninguem esta questionando o pais EUA. Eu pessoalmente acho um grande pais com grandes qualidades. Da oportunidade para quem tem “know how” e por isso que cresce.

    O que questiono e a inocencia de certas pessoas com relacao aos problemas socias nos paises estrangeiros. Nao e esse perfeicao que o senhor tenta pregar.

    Me diz onde o senhor visitou nos Eua e perguntarei se o senhor ja esteve em areas pobres da cidade. Eu tenho quase certeza que nao.

    Ninguem aqui falou que somos contras privatizacoes ou menos governo.

    Pelo jeito o senhor tambem esta confundo genario com genesio.

    Da proxima vez que o senhor for para EUA me avisa porque ai mando um itinerario de bairros nao tao pitorescos, hospitais publicas,parques onde talvez o senhor tenha uma melhor realidade do que acontece no chamado “primeiro mundo”

    Tambem visita os estados da georgia,tenesse,carolina do norte virgina com seu passaporte brasileiro na mao e comeca a reclamar de certas coisas erradas que o senhor encontrar. Espero que o senhor seja bom corredor.

    E como ja foi dito antes e eu mudando um pouco texto repito.

    O primeiro mundo e bom mas e uma merd……

    O Brasil e uma merd… mas e bom

    responder este comentário denunciar abuso

  • 10/01/2008 - 15:03
    Enviado por: Dinho

    Cláudio, parabéns!!!
    Vc não fez um discurso, como quis desqualificar a sra.Cláudia, mas sim, um relato espetacularmente didático e elucidador, demonstrando quão inútil e incompetente é esse governo e seus aliados.
    Não deixou margem para dúvidas e/ou questionamentos.
    Calou a boca, de forma imperativa, dos PeTralhas ceguetas e analfas.
    Gostei muito do neologismo “africanizando”, por ser uma verdade, doída mas real.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 10/01/2008 - 15:11
    Enviado por: Dinho

    Naodigo, o sr. precisa parar de debater, pois, está correndo o risco de ser ridicularizado em rede nacional. Contra fatos não existem argumentos.
    Tenho acompanhado os seus embates, e cada vez mais me convenço da sua medíocre “peleguês”.
    O Sr. quer dar “murros em ponta de faca”, distorcer a realidade dos fatos.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 10/01/2008 - 16:14
    Enviado por: Naodigo

    Nem Yeshua agradou todo mundo senhor Dinho.

    Quem sou eu para querer agradar gregos e troianos, palmeirenses ou corintianos.

    Nao vai ser dando termos pejorativos a minha pessoa (petrelhas,analfa,etc etc) que o senhor vai fazer valer seu ponto de vista.

    Cada um que tire sua proprias conclusoes de cada posicao nesse blog .

    Assim que funciona a democracia.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 10/01/2008 - 16:15
    Enviado por: Naodigo

    O texto acima foi para o senhor dinho

    responder este comentário denunciar abuso

  • 10/01/2008 - 16:45
    Enviado por: Naodigo

    O texto maisss acima foi para o senhor Claudio

    responder este comentário denunciar abuso

  • 10/01/2008 - 21:40
    Enviado por: Claudio

    Para alguem que me compreendeu (obrigado, Dinho) e alguem que nao, envio a mesma resposta, alongando um pouco a reflexão:

    Fiz uma redação o mais precisa e concreta de alguns dos fatos abominaveis que nos sufocam e agridem como cidadaos. Nem sequer citei o mensalão… pensem bem: um escandalo indescritivel de compra sistematica de mais da metade do parlamento em um esquema administrado e liderado por quadrilheiros sanguessugas esquerdistas que ontem agrediam e debochavam dos neoliberais que só pensavam em seu beneficio pessoal, em trabalhar para acumular dinheiro… e conseguimos a proeza de esquecer tudo… ficou afundado em nosso mar de lama. Ninguem, absolutamente ninguem foi punido, pois os 3 que perderam o mandato estao gastando o dinheiro roubado em nossa cara, nos quiosques das praias, nas churrascarias, na Europa e na Disney.

    Parem 2 minutos, pelo amor de Deus: alguem já notou que os jornais nem mais sequer mencionam a possibilidade de cadeia ou quais seriam as penas de prisão a que estas pessoas estariam previstas pelos crimes cometidos? Desafio a qualquer um: peguem um Estadão ou Folha e procurem menções objetivas a isto. Não tem mais. Talvez porque os editorialistas e jornalistas se sentem ridiculos e tem receio de parecer, aos olhos dos leitores do dia a dia, pouco conhecedores da realidade do pais para ocupar seus espaços com este tipo de “coisa”!!!!

    É tudo tão inacreditável que as vezes acho que estamos num filme pastelão… já me belisquei 4 vezes hoje para acreditar nos seus comentarios, Naodigo. Sem querer partir para alguns méritos especificos, afirmo com conhecimento de causa:

    - ja que voce se referiu a isto, tenho um bom exemplo: conheço um médico alinhado com a ‘esquerda’ americana, leia-se partido democrata, que presta ha muitos anos assistencia social aos sem-teto de Los Angeles, a 2a cidade dos EUA. Ele confirmou-me em longa conversa que dos cerca de 19000 chamados ‘homeless’ da cidade, não conhece um único caso que não seja ligado direta ou indiretamente a algum desajuste de ordem pessoal – vicio, etc. A causa mais justamente atribuida ao país, entre estes, é a condição de veteranos de guerra que levou pessoas a não mais conseguirem se estabilizar e terminar em situação de indigência.

    Assim como na famosa questao do serviços versus receita arrecadada, aqui tambem voce deve guiar-se pelo percentual. Isto dá menos do que 0,18% da população da cidade, estimada em 10,2 milhões segundo numeros de 2006 que consultei agora mesmo.

    http://www.laalmanac.com/population/po04.htm

    Ja que perguntou, conheço bem esta cidade (LA), alem de San Francisco, Miami e outras. Voce disse que nao se enquadra nestas classificações, mas nitidamente alimenta um argumento de anti-americanos raivosos quando fala sobre as areas pobres das cidades. As areas pobres das cidades americanas (ou francesas, inglesas) tem luz, agua, telefone para virtualmente todos. Problemas destas areas: atendimento médico e escolas de pior qualidade do que as demais – de lá. Menos recursos de aquecimento no inverno. Menor acesso a lazer. Concentração de imigrantes ilegais que não agregam renda. Sao mais violentas, pois tem tambem menos policiamento ostensivo, o que causa a permanencia de gangues. Nada parecido, porem, com a guerra civil do Rio, em plena luz do dia. Estas áreas, evidentemente, convivem dentro do ciclo vicioso causado por estes fatores. E sabe porque os politicos de lá também não dão a mesma atenção a estas áreas? Porque concentram POUCA gente em relação ao total da população.

    Falemos mais especificamente das moradias de má qualidade nos EUA e aproveitemos para falar logo, também, dos problemas do atendimento à saúde e outros serviços sociais que eles sem dúvida tem: o pequenissimo detalhe a que você ou outras pessoas não levam em conta quando levantam estes casos para ‘defender o Brasil’, citando reportagens, levantamentos, etc., é que os EUA têm padrão inferior de atendimento social em algumas areas quando comparado **aos outros paises desenvolvidos**, pois o estado de bem estar social americano é mais restrito que o europeu, particularmente o frances (atualmente sob revisão). Ou seja, sempre falando em proporções, trata-se de uma comparação entre semelhantes. Da maneira como já ouvi inumeras vezes, tenta-se transmitir a ideia que o atendimento a saude americano não é tão melhor assim que o brasileiro, ou algo que o valha. Não há qualquer comparaçao conosco, pelo motivo simples de, aqui, simplesmente inexistir uma saude publica decente como sistema nacional (apesar de varios medicos e enfermeiras que mereceriam uma medalha por dia em nossos postos de saude e hospitais). Ha aspectos condenaveis na medicina americana, particularmente, na medida em que é mercantilizada provavelmente mais do que deveria, com exemplos extremos que sao divulgados. Porem, o sistema como um todo atende a população satisfatoriamente – o publico e o privado. E, falando-se de países, é isto que importa, o resultado final em proporções.

    Naodigo, realmente voce parece não ter a nocao de proporcoes, limites. Tudo deve ser analisado dentro de proporcoes. Ai sim, no caso dos EUA, cabe o comentario de não ser um paraiso. Um pais que funciona muito bem, como outros da Europa, Japão, etc., mas que não é um paraiso. No paraiso, a proporcao de pobres, violencia, etc., seria um 0 absoluto. Voce conhece Salvador? 2.8 milhões de habitantes, 80% negros. A frequencia com que se ve um negro em posição de destaque, lá, faz com que pensemos que representam não mais do que 10 ou 15% da população. É absolutamente odioso – não o fato, mas a proporção completamente fora do limite do aceitavel. Esta claro que voce não é petista, como diz, mas faz comentarios totalmente vagos e despropositados e, quando suportados por algum dado concreto, toma as exceções como exemplo como se fossem a regra.

    Permito-me fazer o seguinte raciocinio: por sua redação, voce parece ser estrangeiro de nascimento. Se é, deduzo – e me corrija se estiver errado – que seu sentimento de reação pela defesa verbal do país tem a mesma motivação deste sentimento em outros estrangeiros em geral. É uma simpatia com raizes emocionais, de carinho, muitas vezes alimentadas pelo contraste de não termos provocado horrores coletivos por guerras e genocidios como na Europa e outros paises cujos efeitos muitas vezes foram sentidos na própria pele ou de parentes e amigos – e isto sei por experiencia própria em minha convivencia com estrangeiros, independentemente de ser seu caso ou não. Claro que nossa alegria, espontaneidade e descontração também agradam e encantam muitos estrangeiros. Infelizmente esta é a causa, pois, concretamente, não temos dados economicos e sociais gerais concretos que despertem sentimentos de respeito como país, friamente analisando. E adiciono que é um enorme desserviço ao pais fazer este tipo de ressalva a cada vez que se escuta uma critica, por mais ponderada e concreta que seja, aos nossos surrealismos. Isto só contribui para a manutenção dos absurdos.

    Motivo de respeito internacional ao Brasil como projeto que demandou competencia coletiva: a Embraer.

    Porque, nesta serie de comentarios, mencionei tanto os EUA e, nas anteriores, a Argentina? Exatamente para abordar 2 casos bem diferentes e, por isto mesmo, reveladores da nossa cegueira coletiva como cidadãos quando comparados a estes outros povos. Claro que é uma grande bobagem ser um puxa-saco de quem quer que seja, Naodigo, e pode ter a tranquila certeza de que não é meu caso. Normalmente é muito mais agradavel comer um churrasco com colegas brasileiros do que com americanos…

    Entretanto, ser vitima do achaque moral e economico a que somos submetidos aqui desde que nascemos até morrer, e, ainda por cima, assumir uma atitude de passividade e de defesa vazia é um masoquismo estupido mil vezes maior. Só se o Brasil espírita pagar na outra vida… se os esquerdistas ‘históricos’ não roubarem todo o dinheiro espirita antes.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/01/2008 - 01:02
    Enviado por: Naodigo

    Para ver como o senhor esta mal informado senhor Carlos>

    um insulto dizer que todos os homeless nos Los Angeles
    sao drogado. Que horror.

    Em Los Angeles nao tem 19000 homeless. Em Los Angeles tem 90 mil homeless e nao sao todos drogado.

    http://www.pubmedcentral.nih.g…id=1404866

    O link acima explica melhor o problema de homeless em Los Angeles. O texto de certa forma mostra que o problema de mendicacia nos EUA tem origem da mesma fora que existe em outros paises.

    O problema de homeless em Los Angeles nao se resume somente em sua totalidade por drogados.vagando pela rua

    .Isso e um insulto a todas as familias que estao passado dificuldades no condado de Los Angeles.

    Mesmo que fosse somente drogados nao deixa de ser um problema social do pais.

    Outro erro na analise do problema e que todos pensam que a pessoa sempre foi drogada.

    As vezes o uso de drogas e prostituicao e resultado da pobreza e vida de mendigos nas ruas. Um ciclo nocivo e destrutivo.

    O americano ja sabe mas por razoes pessoais ou de cultura prefere tampar o sol com a peneira e dirigir esse tipo de problemas como um problema em outros paises.Se voce ver o video vera que em alguns depoimentos muitas pessoas tem emprego.

    O problema e que o custo de vida e tao alto que o pobre que trabalha nao tem dinheiro para poder alugar um apartamento.

    Eu recomendo ao senhor que escreveu o texto acima fazer uma visita a Los Angeles Mission e perguntar para quem trabalha la se o numero de pessoas que ficam para fora e familias nao tem aumentado tremedamente nos ultimos anos.

    O video abaixo mostra o problema de homeless families

    http://www.youtube.com/watch?v=j1Ur-oiBt-U

    http://www.youtube.com/watch?v=ZSbrz5PAE64&feature=related

    http://www.youtube.com/watch?v=_UxYGebdcjI

    http://www.youtube.com/watch?v=Lj5sEILqh24&feature=related

    Como disse nada como falar com um amigo medico que mora em bairro de rico e nao faz a menor ideia do que acontece na periferia.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/01/2008 - 01:15
    Enviado por: Naodigo

    Isso que da assistir filme do rambo. Acha que todo mendigo que vaga pelas noites dos Eua e veterano.

    Ta cheio de familia,adolescentes,velhos. Senhor Claudio.

    Isso sem falar nas pessoas que dormem dentro do carros de 20 anos de idade com filhos em noites frias e a cada noite tem que achar um lugar novo para estacionar porque senao a policia de multa.

    Um dos videos que coloquei mostra como se livram de mendigos. Eles colocam placas na rua dizendo que se o mendigo sentar ou deitar na calcada sera multado segundo leia municipal.

    Na sua proxima visita a seu amigo em Los Angeles fala para ele te levar a noite depois das 6 da noite ate o Los Angeles mission.

    Isso que da academico querer entender pobreza. Tudo que eles conhecem e na teoria.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/01/2008 - 01:22
    Enviado por: Naodigo

    E o senhor ta certo em uma coisa senhor Claudio.

    Pessoas como voce e o senhor Piza nao sabem o que e sofrer.

    Vai verificar o que e passar por uma segunda guerra mundial

    O que foi o nazismo,facismo,inquisicao, duas guerras mundias e bomba caindo na sua cabeca noite e dia.

    Como diz o vocabulario popular ” e ruim eh ”

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/01/2008 - 01:31
    Enviado por: Naodigo

    E mais uma coisa. Sou Brasileiro

    Sou descedente direto do CACIQUE PIQUEROBY e Antonio Rodrgues. Do Capitao Mor Jorge Moreira e da sua esposa Paula moreira entre outras grupos Etnicos que sao populacao deste pais.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/01/2008 - 05:01
    Enviado por: Naodigo

    E tambem ja disse que nao tenho nada contra os EUA.

    O senhor parece nao ler o que escrevo. Ja disse que acho os EUA um pais otimo e com muitas qualidades.

    O meu unico ponto foi dizer que o senhor tem visao do pais como turista.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/01/2008 - 13:34
    Enviado por: Claudio

    Caro Naodigo, bom dia:

    Eu listei as cidades dos EUA que ja visitei.

    Quais voce ja visitou?

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/01/2008 - 14:06
    Enviado por: Naodigo

    .

    Senhor Claudio. Eu prefiro guardar de maneira privada minha vida pessoa.

    Se o senhor quiser acredita que estive,tudo bem. Se o senhor nao quiser acreditar,tambem tudo bem. Simplesmente leia dados e link de pessoas que VIVEM la e sabem como e o dia dia.Nao de medicos ricos que moram em areas nobres,mas sim de mendigos. Nao fica na so na teoria meu amigo.

    O academicos as vezes diz saber mais sobre a vida do mendigos, do que os mendigos proprios que vivem na rua. E mole!!!!

    O problema e que academico,como ja disse antes ,conhece tudo na teoria.

    Outra coisa que o senhor talvez nao saiba.

    A maioria dos turistas devido ao “lay out” da cidades jamais iram para areas mais pobres.

    Em areas mais limpas e organizadas e proibido para e os mendigos nao poderem ficar parado em frente de lojas,sentar na calcada ou ficar pedindo dinheiro para pessoas.

    Em alguns casos a policia pega tanto no pe do mendigo que a pessoa acaba tendo que sair daquela regiao.

    Existe tambem programas principalmente em cidades de medio e pequeno porte onde a prefeitura paga passagem so de ida para um centro urbano grande para que o mendigo sai dessa regiao.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/01/2008 - 15:41
    Enviado por: Claudio

    1 – Não entendi ainda porque insiste em trocar meu nome, se não tem coragem de informar o seu. Quer tentar mostrar um certo desprezo por mim ou faz isto com todas as pessoas? Chamar de ‘senhor’ e trocar o nome não é sinal de respeito.

    2 – Desafio a ler cada um de meus comentários e verá que sempre respeitei a você e Claudia do ponto de vista pessoal, mencionando raciocinios e argumentos concretos, com a veemencia necessária. Meu único objetivo é, modestamente, procurar ajudar a conscientizar pessoas com mais poder de formar opiniões.

    3 – Que informação sobre mim, ou, pior, que direito tem de dizer que nunca sofri na vida e me considerar um filhinho de papai?

    4 – Sou filho de um europeu criado na segunda-guerra mundial e fui criado dentro de padrões de rigidez desconhecidos seus (rigidez com qualidade, não com noções toscas e provincianas).

    5 – Trabalhei para comprar meu 1o carro 1.0 aos 30 anos, tendo sempre andado a pé ou de onibus e sem nunca ter ganho nada de presente de ninguém, tampouco morado com luxo.

    6 – E qual o problema, porém, se o Daniel Piza tiver sido criado em um condominio fechado, como você mencionou com ironia? Você conhece a origem dos recursos que permitiram que ele morasse onde quer que seja para fazer este tipo de ironia? Entendi, como leitor e sem conhece-lo, que ele sempre procura escrever bons textos, interessantes e com humildade. MAS, atenção: humildade é diferente de mediocridade.

    Aliás, esta maneira de se referir a um bairro rico é discurso para petista ganhar a eleição e tomar conta de tudo, como estão fazendo há 6 anos. Você ainda não percebeu? Eles e outros esquerdistas-nacionalistas moram em que tipo de bairros?… hmm, vou pesquisar na internet.

    7 – Se você é um caso de quem realmente já sofreu com a pobreza, está justificada sua falta de compreensão da realidade do país, que não é ficar dizendo que já sofreu muito e sabe tudo por isto. Não conhece as causas reais da probreza, aqui, comprovadamente. Nos orgulhamos das riquezas naturais imensas do Brazil, que é uma das poucas ‘verdades verdadeiras’ de nosso folclórico nacionalismo (embora muita gente não tenha se dado conta que é a natureza, não nós, a responsável por estas riquezas. Pois bem, com tantos recursos, não conseguimos nem dar moradia e instrução básica à maioria da população.

    8 – Exemplo dos mais ilustrativos sobre a catástrofe politica alimentada pela ignorancia: dezenas de bilhões aplicados durante décadas no nordeste brasileiro foram, quase que em sua totalidade, roubados e aplicados em obras abandonadas e mal projetadas, perpetuando a miséria de milhões de pessoas que poderiam e deveriam ter melhores condições de vida e de maneira autosustentável, com tantos recursos disponibilizados.

    9 – O sul da Califórnia (Los Angeles, etc.) é uma das regiões mais ricas do mundo. É um deserto mais seco que o nordeste brasileiro – e nunca houve SUDECA, lá.

    10 – Para que você tivesse um exemplo mais concreto e real, informei que meu conhecido médico atende os pobres da cidade de LA há muitos anos e você insiste em dizer que ele não conhece nada da realidade de lá. Evidentemente, de seu quarto fechado, pela internet, lendo traduções erradas feitas por engajados nacionalistas, você deve conhecer mais.

    11 – O custo de vida lá, em Nova York ou na Europa ou no Japão é altíssimo sobre tudo por um fator: os salários dos trabalhadores do primeiro mundo são elevados, que é um componente de alto impacto no custo de quase todo produto ou serviço. Os salarios são suficientes para sobreviver com cidadania, da moça que limpa o banheiro do hotel até o diretor da rede de hoteis. A faxineira não é miserável como aqui, no paraiso da compaixão humana e do nacionalismo companheiro. (não, Nãodigo, o que vale é a maioria, a percentagem, a proporção, não o exemplo da minoria)

    12 – É por isto – pelo custo de vida lá e os salários e serviços serem muito mais altos, que é a proporção em relação aos custos destes mesmos itens no Brasil é o que deve ser considerado para comparar os serviços retornados pelo governo lá e aqui. Entendeu agora, ligando os pontos de seus próprios argumentos? O serviço de R$ 12 reais/dia, que dá mais de R$ 350/mês pode e deve ser comparado com os de lá em termos proporcionais, pois, como tentei te explicar num comentário anterior, os insumos usados para estes produtos e serviços custam muito menos aqui (por exemplo, o salário dos médicos e o custo da refeição deles). Isto fica definitivamente comprovado pela carga tributária do pais de 40%, que é compativel com as de vários destes países. Para não achar que quero tirar toda sua razão, acredite que a diferença de nivel de qualidade em função dos valores nominais serem diferentes, é muitíssimo menor do que sua conta simplista de R$ 12 versus US$ seja lá quanto for. Sem querer ofender, parece que isto é uma lógica um pouco complexa para você, que tentou fazer uma conta simplista sem ponderação de proporções e achou que tinha descoberto a América.
    Se você insistir em discordar por orgulho, desarme seu espírito, releia o parágrafo novamente e ligue os raciocinios.

    13 – Apesar de ser filho de europeu, sou mais brasileiro do que você (sem ser neto do cacique), pois entre outras coisas, sempre procurei – e consegui – escrever e falar português corretamente. Não vou nem entrar no mérito do inglês, do qual você não tem absolutamente nenhuma noção, colando expressões da internet. Não sei exatamente as causas, mas você deve ter a noção de que não conhece bem a lingua portuguesa, não lê e escreve corretamente. Se isto não foi culpa sua, pelo menos deveria ter mais humildade ao trocar meu nome e procurar melhorar sua escrita para se fazer compreender melhor e não ser tão redundante e impreciso.

    14 – Nunca fui à Disney e morei 3 meses em uma pequena cidade americana e conheço a realidade do dia a dia muitas vezes mais do que você. Esteja seguro de que não há absolutamente nenhuma comparação. Para ser mais didático, tente entender que: se você mora mesmo que por pouco tempo em um pais – vai a varias outras cidades do mesmo pais – e, portanto – anda muito, dirige muito, pega trens, visita pessoas, faz compras, etc. – e praticamente não vê pobreza alguma – é porque esta pobreza é muito pequena no contexto do pais em questão – é porque está resumida a algumas áreas específicas, e não disseminadas pelo país, pelas cidades – não, não é porque lá tem um grande numero de miseráveis que foram encurralados na periferia pelo governo.

    15 – No fim de todas as contas, não se engane: você, eu, a Claudia, o Dinho e todos nós somos, sim companheiros no nosso Brasil querido. Logo, muito provavelmente, vários de nós – os que tiverem mais medo ou tempo ou dinheiro – estarão na fila da vacinação contra a epidemia de febre amarela que está se alastrando. Ela já chegou a SP e à maioria dos estados. Em SP, conheço o posto de vacinação do aeroporto de Congonhas, que já está lotado. Concluo que você e minha xará Claudia vão dizer ‘Tudo bem gente, eu não estou defendendo, mas tem outras doenças em outros paises, também!!’ Depois, se alguém ficar criticando como eu, sem esta compreensão otimista do país que vocês mantém, vocês vão correndo pesquisar na internet casos de doenças em outros paises. Além disto, a febre é ‘amarela’, portanto deve despertar alguma simpatia, sendo todos nós febris defensores do verde-e-amarelo de nossa bandeira!

    Mas, tomando a liberdade de dar um toque, se ainda não fizeram isto: eu já me informei e lembrei das aulas da infância: a nossa febre amarela é a urbana, não a silvestre. Como diz uma certa pessoa que está em Cuba neste momento: “nunca antes na história deste país” foi tão importante cuidar para não acumular agua parada em casa de maneira a evitar o mosquito transmissor da doença!

    16 – Naodigo – eu sei que eu sou um chato, mas não me leve a mal. Tenho certeza que, depois de balançar a cabeça meio de lado, meio para baixo, dizendo ‘é, é fogo mesmo’, você vai se encher de otimismo torcendo para conseguirmos vencer a febre amarela. Afinal, ela mata, mesmo com atendimento médico, ao contrário da dengue. Já tem casos em SP capital e sugiro andarmos todos com camisas de mangas compridas e cancelarmos nosso fim de semana no interior ou na praia.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/01/2008 - 16:51
    Enviado por: Naodigo

    1- Desculpa mas onde foi que troquei seu nome Senhor Carlos. Se aconteceu foi nao foi de proposito.

    Nao tira conclusoes tao precipitadas.

    2- A informacao do senhor e limitada devido a sua conivencia com certas pessoas da sua camada social.

    3- Eu so falei que miseravel pobre o senhor nunca foi.

    4- O sofrimento que me refiro e o sofrimento de uma guerra mundial,de um nazismo e um facismo. DA escravidao ou inquisicao. O fato do senhor ser filho de Europeu so prova que talvez o senhor na teoria tenha conhecimento das coisas. Nao sentiu na pele. Se sentiu teria que ter pelo menos uns 80 anos . Eu nao acho que o senhor seja dessa idade. Alem do mais o senhor penso eu nasceu no Brasil. Nao da para comparar o sofrimento das pessoas na Europa Falida e destruida com a vida de certa forma boa na decada de 40.

    Na teoria tudo funciona senhor claudio.

    5- Comprar carro no Brasil na sua epoca era artigo de luxo meu amigo. Mesmo sendo 1.0.

    Se o senhor viveu naquela epoca sabe muito bem que pobre nem sonhava em andar de carro. Quem o dera TER um carro.

    6-E claro que nao existe nada errado com o senhor Piza ter morado em condominio fechado. Isso talvez seja resultado do esforco da familia. O ponto e que vivendo nesse tipo de ambiente dificulta a pessoa a ter um melhor entendimento sobre o que e ser pobre. Como disse, a pessoa vive e entende pobreza so na teoria.

    7-E senhor Claudio. Quem e pobre ou foi pobre nao entende de pobreza. Quem entende de pobreza e o cara que mora em condominio fechado e coloca o filho para estudar em universidade publica. Sendo que a maioria se nao todas as universidades Ivy league dos EUA sao privadas.

    8- A diferenca senhor Claudio e que nos EUA o que move a economia e o investimento privado. O que tem investe no seu pais. Nao fica mandando trilhoes de reias durantes decadas para Europa e pagando 350 reais para empregada dentro de casa. Existe milhares de chamados Developer que comprar terras e construem comunidades completas com infra estrutura. Nos EUA existe mais consiencia social por parte das pessoas da elite.

    No Brasil a elite e podre.

    9- A regiao do sul da california cresceu por causa de industria PRIVADA belica senhor Claudio. Procura se informar sobre o crescimento durante e pos segunda guerra mundial. Se o senhor quiser eu tento achar o documentario da PBS que conta isso. Nao prometo mas caso o senhor queira eu tento achar.

    Ai que esta o erro do seu amigo medico na analise da mendicancia nos Eua. Nem todo mendigo esta ou e doente.

    Tem gente que esta sadia mas e mendigo. Seu amigo como mendigo so vera quem esta doente. Como nao tem contato com o restos dos pobres acha de maneira simplistica que so existe pobre nos EUa que e drogado ou veterano.

    10- A faxineira ganha bem nos EUA comparado com o Brasil porque la ao contrario daqui existe uma conciencia social por parte das pessoasda populacao.( nao governo). Aqui no Brasil o bacana paga 350 para a empregada e gasta 500 reais em um tenis para o filhos dele. Ou as vezes gasta mais em IPOD que na empregada domestica. lamentavel.

    Outra coisa minha faxineira que uso duas vezes por mes ganha quase 2 mil reais por mes trabalhando 6 dias por semana em casas diferente . Isso que eu saiba nao e salario de mendigo.

    11- Ai que esta o erro do seu amigo medico na analise da mendicancia nos Eua. Nem todo mendigo esta ou e doente.

    Tem gente que esta sadia mas e mendigo. Seu amigo como mendigo so vera quem esta doente. Como nao tem contato com o restos dos pobres acha de maneira simplistica que so existe pobre nos EUa que e drogado ou veterano.

    12- O senhor pensa que e brasileiro senhor Claudio. Pensa meu amigo.

    13- vai tentar providenciar para uma pessoa servicos completos pela sociedade(ruim ou bom) e depois o senhor me diz como foi. Nem acredito que alguem acredite que 12 reais por dia de para dar qualquer tipo de estrutura social. incrivel.

    14- O senhor morrou provalmente o que nos EUA chamam Mayberry town apple pie america. Onde todos o seus sonhos se tornam realidade. Quando o senhor estiver nos Eua ta uma visitada em detroit no 8 mile ou anda no Bronx depois das 10 pertos dos “projects”.

    15- E senhor Claudio. Nos todos no Brasil vamos morrer de febre amarela- kkkkkkkkkkkkkk

    16- So para deixar claro eu nao sou nem contra os Eua e muito menos o senhor.

    O senhor tem direito a sua opiniao e eu a minha.

    Com relacao ao portugues, eu posso lhe dizer que sei escrever muito bem. O problema e que estou trabalhando e tenho 3 monitores aqui na minha frente. Durante intervalos pequenos onde por razoes profissionais tenho que esparar,aproveito esse tipo para dar minha opiniao no blog do senhor Piza.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/01/2008 - 16:57
    Enviado por: Naodigo

    Eu tenho certeza que independente dito o ponto principal da minha opiniao o senhor ou qualquer pessoa aqui na sala “Capita”

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/01/2008 - 17:07
    Enviado por: Naodigo

    Senhor Claudio. Tudo que o senhor sabe pelo jeito e na teoria e de maneira superficial.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 13/01/2008 - 11:17
    Enviado por: danielpiza

    “O Brasil é uma merda, mas é bom.” Essa frase resume tudo: cada doido com sua mania… O Brasil não é uma merda nem é bom. Para ser bom, precisa eliminar a merda, e não defendê-la.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 13/01/2008 - 17:54
    Enviado por: Hildebrando Vitoriano Cavinato

    A CPMF foi criada no governo FHC para ter seus recursos inteiramente aplicados na Saúde Pública no Brasil. Considerando-se o que é, e sempre foi a nossa Saúde Pública, teria sido um lance de gênio a criação desse tributo, desde que sua receita se destinasse unicamente à saúde. No governo FHC essa área não chegou a receber 20% e no governo Lula mal ultrapassou os 23%, portanto extingüi-lo, foi um ato de total irresponsábilidade. O que os DEM e o PSDB deveriam fazer se realmente trabalhassem em prol do povo brasileiro, era mantê-lo e cobrar do governo, incondicionalmente, sua total aplicação na área da saúde. Mas se eles podem atrapalhar, pra que ajudar, não é!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 13/01/2008 - 21:21
    Enviado por: Adair

    Hildebrando,

    O que você escreveu so mostra que o Brasil é administrado, desde sempre, por um bando de mentirosos hipócritas.

    Piza,

    A questão da merda é diferente para cada um, mas todos consideram o seu nariz onipotente.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 14/01/2008 - 21:36
    Enviado por: Naodigo

    E senhor Piza

    E, pelo jeito eu e o Tom Jobim somos doidos.

    Mais algumas Frase do Tom Jobim

    1-O Brasil não é para principiantes”.

    2-

    “Morar nos Estados Unidos é bom, mas é uma merda. Morar no Brasil é uma merda, mas é bom”.*

    3-”O sucesso no Brasil é uma ofensa pessoal”.

    4- “A imagem vitoriosa de Pelé parece que agride essa gente que não gosta de vitórias. Os brasileiros preferem Garrincha, porque ele morreu pobre”.

    “No Brasil, tem-se muito medo que os outros se dêem bem. O Brasil é negativo com o sucesso. Nem falo de inveja, porque não entendo esse sentimento. Como é que alguém pode querer ser outro?”

    responder este comentário denunciar abuso

  • 15/01/2008 - 09:57
    Enviado por: danielpiza

    Ah, que absurdo esse Tom Jobim ficar falando mal do Brasil e elogiando os outros países!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 15/01/2008 - 14:06
    Enviado por: Naodigo

    O senhor nao entendeu o texto senhor Piza.

    Ele nao esta falando mal do Brasil. Ele esta falando da condicao humana dentro do Brasil em ver as coisas do dia dia .

    Questiona o negativismo morbido e constante. O prazer em encontrar defeitos no Brasil e nao ver o lado positivo.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 15/01/2008 - 14:10
    Enviado por: danielpiza

    Han-ham.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 18/01/2008 - 10:48
    Enviado por: danielpiza

    Para o povo que não sabe fazer conta: “A arrecadação do governo federal somou R$ 615,5 bilhões no ano passado, um crescimento de 11% em relação ao ano anterior, já descontada a inflação medida pelo IPCA. Ou seja, os brasileiros pagaram, por dia, R$ 1,7 bilhão em impostos. Se o governo não tivesse a CPMF em 2007, a arrecadação ainda teria sido R$ 25 bilhões mais alta que a de 2006.”

    responder este comentário denunciar abuso

  • 21/01/2008 - 21:26
    Enviado por: Naodigo

    Muito desse imposto a mais arrecadado foi devido a super valorizacao da bolsa de valores..

    1.7 bilhoes por dia da em torno de “9 reais 4 centavos” por dia por pessoa, senhor Piza (180 milhoes).

    Vamos fazer o seguinte senhor Piza. Eu dou 10 reais para o senhor por dia e o senhor tera que tomar conta da vida de um outro pobre que eu achar na rua.

    Se ele quer usar servico medico o senhor usa os 10 reais por dia.Se o filho dele quiser ir na escola,o senhor usa 10 reais por dia, se ele for fazer boletim de ocorrencia o senhor tera que fazer ou pagar alguem para fazer com os 10 reais.Se o barraco dele pegar fogo, o senhor tera que contratar um bombeiro com os 10 reais. Todas as vacinas para o filho dele o senhor tera que pagar com os 10 reais.

    Os 10 reais por dia esta te dando um servico de 10 reais senhor piza. Nao adianta querer ter servico europeu quando pagamos 8 vezes menos impostos por pessoa que na Europa.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 21/01/2008 - 21:36
    Enviado por: Naodigo

    9,4 reais por dia nao da nem 5 euros-

    kkkkkkkk

    responder este comentário denunciar abuso

  • 22/01/2008 - 13:40
    Enviado por: danielpiza

    Nãodigo: decididamente, economia não é seu forte. Muito do imposto arrecadado foi da bolsa de valores? Pelamor… O fato é que o governo tem recebido tantos recursos que só de reservas financeiras tem US$ 150 bilhões, valor que poderia ser menor, mas ele quer agradar ao mercado financeiro… Você insiste no argumento tosco de dividir a arrecadação pela população, como se o governo provesse tudo para todo mundo, como se fosse a única fonte de renda de uma sociedade… Mesmo assim, R$ 300 por mês é quase um salário mínimo. Se as pessoas recebessem, além do salário mínimo, esse valor adicional em educação e saúde, o Brasil estaria bem melhor! Mas não recebem. As escolas não valem R$ 10 mensais em termos de qualidade. Acorda!

    responder este comentário denunciar abuso

Deixe um comentário:

Arquivo

Tags

Blogs do Estadão

Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo