ir para o conteúdo
 • 

Curiocidade

10.setembro.2012 22:03:04

Loja virtual manda cliente “procurar um macho”

Em julho, a jornalista Nina Gazire comprou um anel na loja virtual Visou. O e-mail de confirmação chegou rápido, mas o produto, não. Quase dois meses depois do pedido, ela decidiu reclamar diretamente na página da empresa no Facebook. A “loja” não informa nenhuma outra forma de contato no site.  No Facebook, há fotos dos dois donos do negócio: Richard Ferrari e Natasha Souto, do Rio de Janeiro.  Ao contrário de casos em que os analistas de mídias sociais são eficientes na resolução de crises, a história de Nina não terminou tão bem.

Ontem à noite, a jornalista enviou uma mensagem perguntando sobre a encomenda. “Eles disseram que, sem o número do pedido, ficava difícil procurar”, diz Nina. “A discussão começou depois que eu enviei o código e disse que eles não deviam tratar uma cliente desta maneira desrespeitosa.” Desrespeito foi o que veio nas mensagens seguintes. Alguns dos xingamentos, repletos de palavrões, foram registrados em uma captura de tela feita por Nina que está circulando pelo Facebook.

“Pensei que a página tinha sido hackeada, mas me enganei”, conta a cliente, que recebeu hoje um e-mail cancelando sua encomenda e devolvendo o dinheiro pago. “Não pedi para cancelarem nada, apenas queria que enviassem o que pedi”, diz Nina. Ela pretende acionar o Procon e também processar a loja pelas ofensas cometidas virtualmente.

O caso de Nina não foi o único. A estudante de comunicação Júlia Bondan, de Novo Hamburgo (RS), fez uma compra de cerca de R$ 300 (uma blusa, um colar e um anel) na loja no começo do ano. Três meses depois, ela fez um post na página da Visou no Facebook perguntando a respeito da encomenda. “Eles simplesmente apagaram minha mensagem”, afirma Júlia.

Depois que enviou um e-mail de reclamação, Júlia também passou a ser vítima da fúria dos donos do site. “Fui chamada de mimada e caloteira, disseram que meu pedido ainda não estava pago”, conta. “Quando enviei o comprovante de pagamento do cartão de crédito, as ofensas continuaram.” Quando disse que ia procurar um advogado, a resposta foi: “Espero que seja uma advogada gata, loira, de peitos grandes”.  Depois de muito bate-boca, a estudante recebeu há cerca de um mês um e-mail avisando que o valor seria estornado. Quando soube do caso de Nina Gazire, Júlia acionou um advogado. “Quero processá-los por danos morais”, afirma.

Até o fechamento desta nota, às 18h15 de 10/9/2012, a Visou optou por ignorar os pedidos de entrevista do Blog do Curiocidade.

Saiba mais: Retratação da loja virtual Visou é plágio

Esclarecimento  (atualizado em 13/09/2012): embora a foto de Tatyele Lopes aparecesse entre as responsáveis pela página da Visou no Facebook, ela afirma que nunca foi sócia da loja virtual. Estava apenas fazendo um favor a uma amiga.  Tatyele enviou a seguinte mensagem para o site www.prejornalismo.com, de Juliny Barreto:
Olá juliny. Vi sua noticia no seu site e peço que retire meu nome, pois eu não sou dona, microempresária e nem sócia da visou. Como amiga da natasha apenas dei apoio com relação a loja e se não me engano ela tinha me colocado como moderadora da comunidade. Nunca respondi os recados dos clientes nem nada, até porque eu trabalho em outra empresa como técnica de segurança. 

(Com colaboração de Míriam Castro)

comentários (416) | comente

  • A + A -
416 Comentários Comente também
  • 10/09/2012 - 23:29
    Enviado por: Ronaldo

    Marcelo,
    através do site registro.com.br você consegue descobrir o nome do dono do domínio visou.com.br.
    Segundo ele, o nome da dona do registro é Natasha. O provedor é o UOL.
    Acho que vale a pena informar também parceiros comerciais deles como cartões de crédito e bancos. Duvido que empresas sérias queiram ser parceiros desse tipo de empresa. Já fiz isso e comigo adiantou. Acho que tanto a Nina Gazire como a Júlia Bondan devem acionar advogados. Ou o juízado de pequenas causas que também funciona muito bem e rápido.
    Parabéns pela matéria, esse tipo de empresa merece toda a divulgação negativa da mídia.

    responder este comentário denunciar abuso

    • 11/09/2012 - 09:04
      Enviado por: Reinaldo E. Lima

      -Comprei um not book da Sempr Toshiba, dois anos atrás, o aparelho por um erro de produção ligava sozinho, ao fechar a tampa. Durante três meses tentei resolver o problema pelo tele atendimento, fui em assistência técnica da empresa e nada Os atendentes da Semp Toshiba já me atendiam com certo descaso e ironias. Depois de três meses liguei para a diretoria da empresa sendo atendido por um gerente, que em um dia resolveu o problema, trocando o aparelho. Informou que o atendimento é terceirizado e se desculpou. SALDO DA BRINCADEIRO DO DESCASO. NUNCA MAIS COMPRO NADA DA SEMP TOSHIBA, QUE ANTES PARA MIM ERA REFERÊNCIA DE ÓTIMOS PRODUTOS. UMA PENA…

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 12:25
      Enviado por: Joao Eurico

      Pelo jeito, já hackearam o site :) está fora do ar

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 12:55
      Enviado por: Lara

      Esse é o perfil da dona do ‘Visou’, no facebook
      https://www.facebook.com/crossesandantlers

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 13:33
      Enviado por: Paulo

      A loja está errada e não há duvida. Mas pelo diálogo a jornalista foi para o ataque primeiro querendo dar uma de “Cê sabe com quem tá falando?”. Algo a meu ver tão errado quanto. Um Emo ou uma faxineira tem menos direitos? Acho que nesse caso ele não deveria receber nenhuma indenização não!

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 15:43
      Enviado por: Emídia

      O responsável pelas mensagens foi um funcionário, que foi demitido. Leiam tudo aqui: http://epocanegocios.globo.com/Informacao/Acao/noticia/2012/09/loja-virtual-xinga-cliente-apos-ser-questionada-sobre-atraso-na-entrega.html

      O erro maior da empresa, depois de contratar um imbecil, foi demorar a responder.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 16:56
      Enviado por: Mfrancis

      Para cada ação há uma reação, se não houvesse primeiro o erro da loja virtual não haveria a reação demasiada da cliente, ambos exageraram, mas o cliente sempre tem razão, caso o cliente não tenha razão invoca-se o artigo 1 em que o Cliente sempre tem a razão, ou seja, o cliente é a razão dos negócios existirem e clientes mal educados todos sabemos existem as pampas, e aí, vc vai fechar seu negócio por isso, o cliente grosso não vai deixar de comprar, onde não houver espaço para ele exaltar a sua grosseria ele fecha o negócio, então gente, palhaçadas a parte nessa história, a empresa tem que se desculpar, o cliente tb após a desculpa da empresa, claro, se houver processo a empresa tem que pagar porque foi ela a culpada da ação, penalizações financeiras faz vc investir em bom atendimento e sem mais firulas, digo já, a Visou vai pagar caro por seu erro, eu jamais comprarei lá por esse ato, mas vivemos em mundo totalmente livre, quem quiser arriscar a comprar, pagar e não receber ou receber com muito atraso que passe o seu cartão e vanbora.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 17:04
      Enviado por: funcionário... sei

      É muito fácil jogar a culpa num funcionário/estagiário. A corda sempre arrebenta do lado mais fácil. Porém quem lê as frases escritas no domingo e vê o perfil de uma das donas do site, certamente não engolirá essa de que foi um funcionário… Quem responde é a loja, mesmo se for culpa de um funcionário “rebelde”. Aliás, muito estranho a empresa ter um funcionário que trabalha domingo quase de madrugada no “SAC” (se é que podemos chamar assim).

      responder este comentário denunciar abuso
  • 11/09/2012 - 01:45
    Enviado por: fernanda

    Confesso que mal pude acreditar nesse péssimo atendimento então resolvi deixar um comentário na fanpage da loja perguntando qual seria o posicionamento dela, prontamente meu comentário foi deletado e fui bloqueada.
    É hilário que tentem lidar com o problema dessa forma.
    Quem quiser conferir é só mencionar o caso lá.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 01:46
    Enviado por: Táia

    Bem-vindos ao comércio no Rio de Janeiro :)

    responder este comentário denunciar abuso

    • 11/09/2012 - 08:49
      Enviado por: Leonardo

      Não vamos generalizar, eu sou paulistano e nunca tive problemas com o comércio do Rio. Esse caso é típico de muleques que resolveram bancar os “empreendedores”. É uma questão de maturidade. Isso pode acontecer em todo o Brasil. Eles vão tomar um processo por difamação e dano moral das duas consumidoras, pagar uma polpuda indenização e aí vão aprender a ser adultos.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 09:56
      Enviado por: César

      Tem toda razão!!!

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 12:06
      Enviado por: Japa

      É isso mesmo. O comércio no Rio é assim.
      Infelizmente faz parte da cultura do carioca.
      Trabalhamos como prestadores de serviço para empresas de todo o Brasil.
      As Cariocas são praticamente as unicas que temos muita dificuldade em receber os pagamentos.
      Não vale a pena perder tempo com esses caloteiros.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 12:10
      Enviado por: wilson

      Tália…

      desculpe a sinceridade, mas o seu comentário é tão indigno quanto a postura da loja visou que foi retratada nesta reportagem.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 12:46
      Enviado por: Alexandre K.

      Mas, Vcs. ovelhas consumidoras, o que esperavam de uma empresa carioca? Honestidade?

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 16:08
      Enviado por: Bruno Gargiulo

      Comentário bairrista totalmente desnecessário. Isso poderia acontecer em São Paulo, Brasília, Rio Grande do Sul, Amazonas ou em qualquer lugar do Brasil ou do até do mundo. A falta de educação dos franceses, argentinos e espanhóis, são só alguns exemplos.

      Falta de educação é factível a qualquer ser humano. Cabe a nós arcar com a consequência dos nossos atos. A proprietária e seu “atendente” descontrolado vão agora ter que engolir todos os sapos pelo que fizeram e pelo jeito se defender na justiça.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 16:57
      Enviado por: Salustiano

      Táia, devo discordar de você.

      Semana passada comprei um produto de uma empresa carioca no Mercado Livre. Eles enviaram super rápido, mas como o produto veio com problema, tive que solicitar devolução, e para minha surpresa o contato e orientação para a troca vieram tão rápido quanto na hora da venda.

      Em suma, generalizar não explica ou agraga nada. O que importa é a seriedade na direção de um negócio.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 13/09/2012 - 10:50
      Enviado por: Allan Braz

      Antes de Criticar o Comércio do Rio de Janeiro, Conheça ! Pois Moro no Rio e sempre que precisei comprar uma coisa NUNCA tive problemas com lojas e nem nada, muito menos falta de entrega…

      É melhor não generalizar com algo que não está acustumado a fazer, quer ter certeza, pesquise antes afirme depois.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 14/09/2012 - 21:36
      Enviado por: Moa Peraccini

      Taiá, para seu conhecimento, o único problema que tive em compras online foi de uma empresa paulista, que entregou a mercadoria em endereço errado e demorou dois meses para achar o meu, e mesmo assim implicitamente manifestou a suspeita de que eu estava tentando me dar bem, enganando-os para “ganhar” o produto de novo. E nem por isso deduzi que o comércio paulista é incompetente. E olha que faço compras à bessa pela internet, e nunca tive problemas com nenhuma empresa, seja de que cidade seja.
      Seu comentário só se justifica por um bairrismo doentio, insentato e irracional…

      responder este comentário denunciar abuso
  • 11/09/2012 - 02:15
    Enviado por: Andre

    De acordo com o registro do domínio deles, a responsável pelo site é Natasha Souto e seu telefone é (21) 2402-1103.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 02:18
    Enviado por: André

    Bom, eu entrei no site dessa Visou e pelo que entendi os produtos são importados e demoram a ser entregues. Que eles erraram em não dar feedback, OK… mas essa tal de Nina se utilizar de seu cargo e méritos (cá entre nós, querida, nada disso vai com você no pós-túmulo!) para crescer para cima dos outros, desculpem… mas é totalmente comportamento de emergentezinho brasileiro. Isso é extremamente baixo… como se ela estivesse acima dos outros para conseguir seus direitos. ATO NOJENTO. Esse é um dos (entre muitos) motivos pelos quais nosso País é sujo e demora tanto a evoluir. Pelo menos devolveram o dinheiro dessa arrogante. No final, me simpatizei mais com a loja.

    responder este comentário denunciar abuso

    • 11/09/2012 - 07:35
      Enviado por: André Lima

      Até acho que tenha sido desnecessário ela ter falado de “cargo e méritos”, mas daí a simpatizar com o vendedor que a esculachou só pode ser um caso da Síndrome de Estocolmo.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 07:54
      Enviado por: Samantha

      André, tenho que concordar contigo (infelizmente), mas achei que os insultos com a Nina Gazire foram é poucos, perante o que ela fez. Querer se mostrar superior pelo cargo que exercer? Por favor, quanta esnobação essa mulher fez. Ainda insultou os outros clientes os chamando de emos e mimados. Estou a favor da loja referente a esta medíocre.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 08:06
      Enviado por: Celio

      Concordo 100% com vc André. E ainda disse q somos uns “EMO”.. Ou seja: chamou o atendente e o resto de nós de MERDAS…. Imagine o q o atendente deve ter ouvido antes q a noticia não mostra…?

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 08:32
      Enviado por: Gouveia

      André…li mal ou você escreveu que simpatizou com a loja? Manda teu cv pra lá então, antes que ela feche as portas….

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 08:35
      Enviado por: Nicola

      Gostou?
      Esse tipo de lojinha só serve para tirar a credibilidade das lojas eletrônicas. Deviam colocar esses estelionatários na CADEIA.
      Parabéns aos que brigam pelos seus direitos.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 08:50
      Enviado por: Luis

      Certamente, você é o dono da Visou. Um pitencatropus erectus, só pode. Só uma besta humana, desprovida de qualquer seriedade e educação, escreve tantas bobagens. Torne-se honesto, e após esse dia (milagres acontecem), quem sabe possa entender a indignação de pessoas que são lesadas por pilantras desqualificados como você e suas sócias.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 08:51
      Enviado por: Novais

      Gente, esse tal de Andre defendendo a loja só pode ser funcionário… Fala sério! Tomara que a loja e os atendentes sejam processados por calúnia, difamação, danos morais e o escambau!

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 09:02
      Enviado por: Lucia

      É óbvio que os comentários agressivos as consumidoras, especialmente a que tem status cultural e profissional relevante, sao editados pela loja sob falsos nomes, as características do linguajar revelam as mesmas impressoes digitais dos representantes legais da empresa, se é que ela existe. Um conselho as consumidoras ofendidas: gravem esses comentários aqui referidos e levem a seus advogados para que os utilizem na Justica como mais uma prova nos ambitos legais pertinentes.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 09:03
      Enviado por: Rubens G Sobrinho

      Muito engraçado sr André, o nosso Brasil não evolui por causa de idiotas como voce que acham arrogancia o fato de a pessoa exigir ser respeitada e ter os seus direitos de cliente atendidos ja que, pagou por isso. Enquanto pessoas como voce, acharem que isso é normal só porque os produtos são importados e os babacas podem ofender a vontade, o Brasil não vai evoluir mesmo.
      Aqui no Japão onde ivivo, esta empresinha não durava um mes, coisa de pais evoluido.3th3

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 09:04
      Enviado por: Carlito

      Caro André: Não chego entender a tua colocação. Seja quem for, há de se obdecer o Código de Defesa do Consumidor, que por sinal, até certos juizes evitam ou desconhecem em aplicá-lo e quando aplicam, favorecem os réus, setenciando baixas ou ridiculas indenizações. Vide caso da W2B (Americanas, Submarino & Shoptime), se nas primeiras meia-duzias de reclamações fosse condenada a pagar 100 vezes o valor da compra, jamais aconteceria em chegar a duzentas mil reclamações, até a Promotoria Pública proibí-la de captar novas vendas. Ah! e tem mais, obtiveram algumas centenas de milhoes do BNDES, para, tentar, colocar a casa em ordem, para se ter idéia do tamanho do mal-feito deles.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 09:04
      Enviado por: Henrique

      Acho que ela está fazendo muito pouco. Será que vc gostaria de ser xingado ao fazer uma compra em alguma loja pelos vendedores? ESSA GENTALHA TEM MAIS QUE SER VARRIDA DO MUNDO REAL E DO VIRTUAL!!!

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 09:12
      Enviado por: Marcus

      Pelo jeito o pessoal da loja veio comentar aqui na materia, é de rolar de rir!

      Isso foi um atendimento MEDIOCRE.

      Repetindo para dar enfase – M-E-D-I-O-C-R-E. Por mais errado que um cliente está, não se pode dar caracteristicas pessoais a um atendimento. Se a loja achar injusto algum comentario ou achar vexatório, deveria procurar a justiça e não responder com pessoalidade a questão.

      Parabéns, amadores.

      Paguem pelo atendimento ridiculo, ja dizia um ditado indiano ”when you lose, don’t lose the lesson”, ”quando perder, não perca o aprendizado.”

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 09:30
      Enviado por: Lu

      Desculpa, Celio, mas quem está **se chamando** (e chamando os “emos”) de merda aqui é só você.
      Não tem nada disso escrito ali no texto dela.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 09:32
      Enviado por: Lu

      Aliás, você é o único aqui sendo tão preconceituoso ao ponto de associar EMO à MERDA, diga-se de passagem…

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 09:47
      Enviado por: Allan

      pode crer. é o sujo falando do mal lavado
      e eu perdi meu tempo lendo essa briguinha inútil de mal educado versus mulher querendo aparecer.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 10:07
      Enviado por: César

      Concordar e simpatizar com a loja? Rs. E reprovar a atitude da cliente?
      Começo a achar que os donos da loja ou amigos vieram aqui opinar.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 10:13
      Enviado por: Reinaldo E. Lima

      Estou lendo comentários que custo acreditar !!!!!! Estão culpando a vítima das ofensas…. Aquela maxíma… O CLIENTE NEM SEMPRE TEM RAZÃO…. PORÉM SEMPRE TEM QUE SER RESPEITADO !!!!!!

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 10:22
      Enviado por: Marcio

      Olha o pessoal da loja se manifestando como pessoas ofendidas pela compradora.
      Ou é isso, ou são pessoas extremamente sem noção, de dar razão a essa loja, porque acho melhor a pessoa se gabar pelos seus méritos do que não ter palavra e ainda ofender as pessoas.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 10:32
      Enviado por: Priscila

      Ela usou do direito dela. Independente de ela ter dito ou não o cargo, existem leis a serem cumpridas. Por isso que o Brasil não vai pra frente, as pessoas não costumam usar os seus direitos e quando usam, falam isso.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 10:41
      Enviado por: Rodrigo Vilela

      Você (e os outros acima) só podem estar de sacanagem, querendo defender a loja.

      Por mais que o cliente seja esnobe e arrogante, NENHUMA LOJA DEVE TRATAR SEUS CLIENTES DESTA MANEIRA!!

      Trabalhei durante 42 meses no Pão de Açúcar, como operador de caixa. Escutava os absurdos mais calamitosos e inimagináveis, mas nunca xinguei um cliente, muito menos mandei “procurar um macho”. Pior é que as reclamações sempre eram de clientes nacionais, porque os estrangeiros me tratavam muito bem.

      Fico imaginando pessoas que elogiam esta postura da loja, como devem ser no dia a dia com as pessoas, com os companheiros de trabalho (se é que trabalham) e até mesmo com a família. Pobres coitados…

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 11:04
      Enviado por: Raquel

      André acho também desprezível usar cargos e méritos para se enaltecer perante qualquer pessoa. Contudo a forma perjorativa que os responsáveis usam foi demasiadamente desagradavel. Eu particularmente acredito que a joranlista usou seus méritos após ter sido desqualificada por quem estava respondendo. E pelo que sei de sites de compras ha prazo para entrega importado ou não. Dois meses de espera é mais fácil ir a loja fisíca e comprar. As lojas virtuais são para ser ageis e facilitar não complicar. Já trabalhei com atendimento ao cliente e a maxima é válida, cliente sempre tem razão. Se a Jornalista errou, eles como funcionários ou proprietarios da loja erraram mais, poderiam leh dar um prazo ou caso houvesse impossibilidade de entrega, cancelar o pedido e devolver o valor total, já que a não entrega caracteriza quebra de contrato.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 11:05
      Enviado por: Anita

      Entrei no site e achei as roupas de um estilo terrificante. Quem compre ou venda aquilo só pode ser um m

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 11:06
      Enviado por: gustavo

      vc é tão retardado quanto os donos da loja

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 11:07
      Enviado por: Rafael

      Cara, começo a achar que tem algo de complexo de inferioridade achar que ela quis passar por cima de alguém. Ao que parece a discussão e as ofensas já haviam começado. Ela depois, sem acordo, disse que acionaria o Procon e pontuou que era esclarecida o suficiente pra ir atrás dos direitos. Colocou ainda que dessa vez tinham mexido com um cliente com acesso a mídias (o que cedo ou tarde aconteceria).

      Ofensas já haviam começado. Ela exaltou-se mas em momento algum perdeu a razão. Dizer que ela chamou a todos nós de “merdas” é sem cabimento demais. Eu, mesmo, jamais vestiria essa carapuça.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 11:19
      Enviado por: rodrigo araujo

      Concordo que ela tenha pecado na colocação dos emos, como se ela tivesse direitos a mais por ser jornalista. E também sou jornalista, só para constar. Mas defender o responsável pela fanpage num ato de xingar um CLIENTE que está PAGANDO pelo serviço é infantil e ediondo, desculpe. Acima de tudo somos CONSUMIDORES e merecemos respeito. Quantos de nós já não nos estressamos num ato de compra com a “loja” e nem por isso ficaríamos “FELIZES” se fossemos xingados de mal comidos. Acho que primeiro é preciso fazer uma “EMPATIA” (o ato de colocar-se no lugar do outro). Do modo como você, ANDRÉ, não gostaria de ser xingado num Serviço Ao Cliente, não hastei essa bandeira aos outros.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 11:20
      Enviado por: Felipe

      Não acho que ela tentou crescer em cima deles não, foi uma forma de ela mostrar que é uma pessoa esclarecida e que eles não iriam conseguir passar a perna nela, como devem fazer com outros clientes que não buscam seus direitos!

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 11:35
      Enviado por: Alberto

      Pra lá de suspeitos os comentários concordando com a loja e criticando a jornalista… Parece até q os próprios donos da loja estão postando aqui, com nomes falsos, o que o blog permite…

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 11:41
      Enviado por: Eddie

      Justiça seja feita e verdade seja dita, a empresa falhou gravemente pelas ofensas verbais e pejorativas e por não cumprir com o trato, uma vez q a negociação ou compra, foi efetuada.
      Porém, como André, acredito que a arrogância da “mestra” também não foi nada conveniente. Já que ela se intitula como jornalista das duas maiores revistas do país e professora universitária com mestrado, como pôde cair no golpe do vigário e comprar justo numa loja virtual que não tem contatos telefônicos para atendimento e nem endereço físico?!
      Na minha opinião, não digo que ela mereceu o que ouviu (no caso leu), mas sua propotência mostra com exatidão a altivez de muitos brasileiros!
      Infelizmente, estes casos estão se tornando cada vez mais corriqueiros…
      Fazer o que, né?!

      Viva o Brasil!!!

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 11:47
      Enviado por: Ricardo Cardoso

      Pra mim não interessa o que a Nina falou, a partir do momento que a loja revida ela está errada. Se ela se sente lesada pelos insultos da cliente ela tem todo direito de ir atrás da justiça ou qualquer órgão responsável. E se ninguém viu foram mais de um caso em que a loja desrespeitou um cliente. Pra mim a partir do momento que a loja faz isso (mesmo que tenha sido provocada primeiro) eles estão errados, deviam se mostrar superiores a toda a situação. E vejam se eles respondem dessa forma em algum lugar onde vai ficar exposto a outros cliente.. Fazem isso achando que não vai ser descoberto por ninguém.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 11:51
      Enviado por: Roberto Calçado

      Desculpa, mas se eu tratasse qualquer cliente dessa maneira… Ja tinha falido.
      Ela não relatou os cargos dela para se beneficiar.
      Foi só pra mostrar que não estavam lidando com qualquer uma, que ela tinha noção dos direitos dela.
      Apesar de algum exagero acho que foi muito educada até com o vendedor.
      Ela é consumidora, pagou adiantado, numa relação onde confiou na loja virtual.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 11:54
      Enviado por: Carolina

      Bom, a Nina foi arrogante sim. Mas isso não justifica de nenhuma maneira como a empresa agiu, a visou é uma empresa e não a vizinha que pode sair esculhambando quem quiser. Se vc tem empresa ou trabalha em uma, sabe que há tipos e tipos de clientes e vc não pode sair por aí falando um monte de coisas desse tipo pra ele. Não quer atendê-lo, é só devolver o dinheiro e dizer que não concorda com ele.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 11:56
      Enviado por: Victor Moraes

      O consumidor não pode ser humilhado.
      Uma empresa deve responder à qualquer ofensa de maneira que demonstre respeito ao consumidor, independente da forma como esse o trate. Não tem nada que justifique a postura da empresa.

      Célio, meu caro, eu moro no Rio de Janeiro e, pelo menos entre meus conhecidos, garçom é “parcero” num bar. Quando o cara atende de má vontade ou mal humor, geralmente perde os 10% ou então toma umas broncas. É assim que funciona por aqui.
      Não tem essa de “devia ser como na Europa”. Não podemos importar comportamentos dos outros como se fossem o padrão da perfeição.
      O consumidor deve ter um serviço bem prestado e pode reclamar isso. A empresa tinha mil maneiras de reverter a situação com a jornalista que não fossem com o uso de má-educação. Eles decidiram escolheram o caminho errado!

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 11:58
      Enviado por: Bianca

      Simpatizar com uma loja que fala mal de seus consumidores? São umas crianças mesmo!!! A Nina tinha que se impor mesmo! Absurdo!

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 12:03
      Enviado por: nina santiago

      é incrivel como tem gente que simpatiza com a loja… com carteirasso ou sem, a vendedora nao poderia ter feito aquilo!! um erro nao justifica o outro, ainda mais se tratando de cliente-vendedor. e acredito que a nina só falou o que ela era pra mostrar o quanto era capaz de viralizar essa historia. a galera desfoca totalmente do ponto. a empresa está completamente errada(ponto)

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 12:03
      Enviado por: ClaudioM

      Total inversão de valores. O que o politicamente correto não está fazendo com a cabeça das pessoas. Agora ser “umirdi” é mais importante que lutar pelos próprios direitos… Que lixo.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 12:11
      Enviado por: Eduardo

      De forma alguma o comentário dela foi para se gabar da posição. Ela simplesmente mostrou que, sendo jornalista de grandes veículos, poderia facilmente levar toda essa história a público, como o fez.

      O atendimento da loja é horrível, mal-educado, amador. Grandes merdas que recebe mais e mais pedidos a cada semana, isso não o dá o direito de xingar a tratar dessa forma quem foi prejudicado pelo processo da própria loja.

      E vocês ainda são tão amadores e desrespeitosos, que nos próprios comentários demonstram uma enorme prova de serem preconceituosos, e podem inclusive ser julgados por isso. Quem disse que ser Emo é ser merda? Cada um é cada um, e ninguém tem o direito de julgar e tratar os outros da forma como vocês o fazem.

      Aproveitem bastante as vendas, pois tenho 100% de certeza que vão perder muito dinheiro e o negócio será fechado.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 12:12
      Enviado por: Jéssica

      É muito fácil criticar a jornalista. Nota-se perfeitamente que a conversa não começou ali, ou seja, eles já estavam sacaneado ela há muito tempo… É só se colocar no lugar dela. Se você faz uma compra na internet e uns bobões desses fazem isso com você não é de se enpantar que você use de todos os recursos pra se defender. Acho compreensível. No lugar dela eu escreveria a mesma coisa, mesmo só por escrever…

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 12:13
      Enviado por: Uiii

      Uiii, os donos da “lojinha” criaram perfis para defender o patrimônio… Tomara que vá a falência bando de fdp!

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 12:22
      Enviado por: Rodrigo

      Ela falou sobre seus “cargos e méritos” depois de ter sido xingada de filhinha de papai que não faz nada além de ficar na internet o dia todo (ou algo parecido)…

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 12:26
      Enviado por: Carlos

      Desculpa aí, mas acho sua afirmação um tanto quanto esquizofrênica, André. Ela apenas quis dizer que é pessoa que conhece bem os seus direitos, e que a humilhação que sofreu não ficaria por isso mesmo.

      E mais: que teria condições de fazer seu caso chegar ao grande público (o que de fato ocorreu, afinal tanto eu como você tomamos conhecimento do ocorrido).

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 12:27
      Enviado por: Rachel

      Nada justifica, uma empresa séria, levaria a arrogância, ignorância e os insultos pra casa…
      e tentaria resolver o problema do melhor modo possível. E essa definitivamente não é uma empresa séria.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 12:27
      Enviado por: Aline

      CALA A BOCA !

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 12:41
      Enviado por: Tiago

      Mania de achar que tudo de ruim que acontece no Brasil é “coisa de brasileiro”. Parece até que o comportamento das pessoas no resto do mundo é grande maravilha.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 12:44
      Enviado por: Luiz D

      Eu acho que o nosso país realmente não tem como avançar nunca. Depois o que a Jornalista passou e ainda está sendo diminuída ao extremo por exigir que respeitem seus direitos. Samantha, Célio e André, o comentário de vocês traduz claramente o quão estúpidos somos.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 12:50
      Enviado por: josé

      FILHO DA PUTA tem mais é que levar carteirada na cara, pra aprender que não se fala com todo mundo como ele ta acostumado a falar com a mãe dele. E isso foi pouco pela falta de respeito que a loja apresentou, felizmente a justiça não leva em conta a falta de “humildade” das pessoas, mas sim o fato do produto não ter sido entregue e as ofensas pessoais dirigidas a compradora.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 12:53
      Enviado por: Diogo

      André, até discordo do fato de ela ter abusado ao citar seus méritos e cargo. Mas o fato é que não se pode responder a um insulto com outro insulto, é por isso que o Brasil não vai pra frente (como você mesmo falou). Se a loja realmente prezasse pelo cliente e por um bom atendimento, não teria deixado nem a conversa chegar aonde chegou, muito menos teria destratado um cliente dessa forma.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 12:54
      Enviado por: Bianca

      Se você é do tipo que acha que gente educada e com diploma é “emergentezinho sujo”, provavelmente não teve a mesma oportunidade, e acredita que a falta de educação de certas pessoas, e baixarias, são naturais. Falando como alguém de muito berço (desculpe, de emergentezinho não tenho nada), você deveria achar louvável alguém que não abaixa a cabeça para grosserias de prestadores de serviço. Infelizmente é o que acontece no Brasil, as empresas acreditam estar fazendo um grande favor de estarem nos disponibilizando produtos e serviços, e se você é mal atendido, a culpa é sua. Isso é uma grande palhaçada, e só mostra como neste país o que vale é a falta de educação, a grosseria, e a “capacidade de crescer em cima dos outros”. Educação de favela, é isso que eu chamo, e que de louvável não tem nada.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 13:04
      Enviado por: Mariana Bianchi

      Querido, se um dia você trabalhar com comércio, seja em redes sociais ou não, vai entender que não interessa o que o cliente tenha dito, NADA JUSTIFICA TAMANHA AGRESSÃO.

      Fica difícil entender o contexto geral da conversa, já que só vimos uma parte dela, agora pense bem, reflita, veja se alguém merece ser tratado dessa maneira.

      A jornalista só quis dizer que caso eles continuassem ela iria usar de seus contatos para “jogar a merda no ventilador”. Se a escolha das palavras usadas por ela foi errada, não cabe a nenhum de nós julgar. Você está tão errado quanto a empresa ao PRÉJULGAR uma pessoa por isso. Usou palavras de baixo calão para falar mal de uma pessoa que não conhece. Isso sim é um dos motivos pelo qual o Brasil não vai pra frente.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 13:08
      Enviado por: Cristina

      André, por mais que o site lide com produtos importados, se não me engano é ilegal, no Brasil, você vender aquilo de que não dispõe! Existe, assim, uma diferença entre a encomenda e a compra. Se você compra e é taxado por isso, e é feita a confirmação DA COMPRA, o produto deve ser remetido. Se você encomenda, pode até ser retida uma taxa de reserva pelos custos administrativos da importação (para o acaso da venda não se concretizar àquele cliente, e o vendedor local ter que colocar a peça à venda novamente), mas isso não pode ser chamado de venda – e um prazo tem que ser fornecido ao cliente, sob pena de este ter que ser indenizado. A Livraria Cultura, quando anuncia livros importados que podem demorar a chegar, deixa BEM CLAROS os termos e prazos, isso porque dispõe de ligação direta com as livrarias no exterior das quais importa os itens que anuncia aqui – são muito honestos e eficientes. A Dell, que vende aqui equipamentos que ela própria fabrica fora daqui, também deixa isso claro. Isso de anunciar o que não tem é coisa de aventureiro, quando não de estelionatário. Vários sites foram proibidos de funcionar recentemente por isso, por venderem produtos de que não dispunham, e essa prática deve mesmo ser erradicada no Brasil. O risco da atividade não deve ser transferido ao cliente – afinal, ser dono de um negócio vem com bônus e ônus!

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 13:09
      Enviado por: Orlando

      E agora vem os donos do site querendo atacar a cliente que tem razão e jogar os outros contra ela. Este tipo de atendimento tem que ser denunciado mesmo, espalhado aos quatro ventos, mas não apenas destas “biboquinhas” de internet, mas também das grandes lojas.

      A jornalista está certa em se identificar e mostrar que eles não estão lidando com ignorantes que acham sabem o que é relação de consumo e proteção ao consumidor.

      O problema do povo brasileiro é SIM a ignorância, inclusive dos seus direitos e das leis que existem para protegê-lo. Por isso tratam políticos como seus chefes e acham que os lojistas estão fazendo um “favor” em vender.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 13:12
      Enviado por: Tássio

      Adorei, André! Estou do lado da loja. Então a fofíssima acha que só ela, que é muito especial, pode receber bom atendimento. Muito mimada me parece a Sra. Nina Gazire, que somente se expõe ao ridículo veiculando mensagem de sua autoria com tal conteúdo.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 13:16
      Enviado por: Luana

      Vocês sabem ler?!?!!
      Ela simplesmente quis se identificar e mostrar pra eles que não era um adolescente mal informado fazendo uma compra, ou uma pessoa que não teria estrutura para acionar a justiça; Nada! Absolutamente nada justifica a falta de respeito.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 13:17
      Enviado por: Aline

      Concordo com o André. A loja foi grossa com a mulher, mas ela ficou esnobando. E daí que é jornalista, formada em não sei o quê? Isso dá a ela mais direitos de consumidora?! Ainda falando de outros clientes mimados/emos… Arrogante.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 13:21
      Enviado por: Carla

      Wake up!
      Ou melhor, vai la e faz uma compra bem grande… Gasta bastante dinheiro e fique na espectative de receber seus produtos. Depois de um ou dois meses, escreve uma mensagem perguntando o que esta acontecendo… Vc se arriscaria?
      Agradeco a iniciativa de quem se arrisca para denunciar esse tipo de abuso. So assim outros deixam de passar pela mesma situacao… Eu NUNCA vou comprar nessa loja.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 13:25
      Enviado por: Max

      Opa, André!

      O que a jornalista fez é o podemos chamar de “Apelo à Autoridade” ou “argumentum ad verecundiam ou ainda argumentum magister dixit,” Onde a pessoa faz uso de sua posição profissional a fim de validar sua afirmação, que no geral nada tem a ver com o assunto discutido. Ela pode ter encontrado a maneira errada de argumentar, mas isso não exime a culpa do péssimo atendimento da loja.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 13:34
      Enviado por: Sophos

      Me perdôe André, mas pelo visto vc deve ter problemas cognitivos sérios. Se realmente ela não fosse uma jornalista que tivesse meios de divulgar isto de maneira massiva, seria mais um caso de comerciante desonesto que não se resolveria. Ela está certa SIM a MULA que a atendeu cometeu não só cime contra o consumidor, mas também crime de INJÚRIA (Art. 140 – Injuriar alguém, ofendendo-lhe a dignidade ou o decoro: Pena – detenção, de um a seis meses, ou multa). O país não avança muito por causa de pessoas como você que não defende o que É de direito do cidadão. NADA justifica a atitude CRIMINOSA da/do atendente. Espero cinceramente que ele/ela seja devidamente processado.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 13:35
      Enviado por: emanuel

      VOCÊ É UM LIXO PIOR QUE A LOJA, SE NAO FOR DA FAMILIA

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 13:35
      Enviado por: João Luiz

      Realmente não conhecemos a conversa desde o princípio, mas qualquer empresa séria, NUNCA baixaria o nível desse jeito, não importa o que o cliente tivesse dito antes. Mencionar “cargos e méritos” não é uma atitude louvável, mas, se você está sendo lesado em seus direitos e ainda lendo coisas desse tipo, não recriminaria se a cliente tivesse sido até menos cordial.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 13:41
      Enviado por: Paula Groff

      Se a loja fosse profissional não precisaria sequer ouvir esse tipo de comentário. A questão aqui é o profissionalismo da empresa, não o do cliente. Eles estão totalmente errados, são do tipo que é valentão só atrás da telinha do laptop.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 14:05
      Enviado por: Bruna M

      Nossa, até parece que é o pessoal da loja se defendendo aqui nesse comentário. Por mais que a Nina tenha sido grossa, não sabemos o que foi dito para ela na conversa toda, o print mostra apenas um pedaço.

      A própria Visou chama seus clientes de arrogantes e mimados no email para Júlia. O que me faz acreditar que ao chamar de emos mimados a Nina apenas reproduziu as palavras da própria loja, ditas anteriormente.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 14:12
      Enviado por: Caroline

      Concordo com você Claudio, total inversão de valores nos posts acima. Pelo visto, só tem o direito de reclamar e ser ouvido quem for pobre e analfabeto. Força para as meninas que estão processando a loja.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 15:00
      Enviado por: Lis

      Realmente não se deve argumentar com posições e méritos profissionais. Acho medíocre este ponto. (mas quem não se stressa a ponto de falar besteiras qdo são surpreendidos por grosserias como aquelas!)
      Porém é óbvio que o foco desta matéria está na relação da loja citada com seus clientes – não é porque a cliente usou sua posição que a loja tem razão em tratá-la desse jeito. Em hipótese alguma deve-se tratar alguém daquele jeito, com tal palavreado. Pode ser apenas um trecho que publicaram e que o resto do diálogo tenha sido pior, mas como disse, a loja não deveria ter respondido dessa maneira. Poderia ter ficado quieta ou respondido com coerência e bom vocabulário! Aí sim eles teriam alguma razão.

      Se a loja tivesse alguma responsabilidade no que faz, não teria que responder dessa maneira. Isso só demonstra o quão imaturos são, já que não foi uma vez que aconteceu, mas várias atitudes que começam a quebrar a seriedade deste e-commerce.

      As pessoas que postaram a favor da loja devem ser os próprios donos ou amigos tentando abafar o caso ou mudar o peso da balança.

      Estou realmente impressionada com a posção da Visou. Por várias vezes eu cogitei comprar coisas lá.

      Espero que eles aprendam a lição e nunca mais se envolvam com comércio! Ninguém merece ter este tipo de serviço disponível.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 15:02
      Enviado por: Bruno

      Sério mesmo? Ela não se utilizou de “cargos e méritos” apenas disse que não era um “qualquer” que de fato é verdade. Muitas pessoas permaneceriam passivas ou aguentariam os xingamentos, sem saber o que fazer a respeito. No caso, por ela ser estudada, sabe as providências a tomar, agora, você vir dizer que ela mereceu o desrespeito? Meu caro, um negócio sobrevive de CLIENTES e relacionamento com o cliente é FUNDAMENTAL. Estude marketing. Essa porcaria de loja Visou merece tomar uma puta multa, pra aprender que não é qualquer zé que pode começar um negócio.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 15:09
      Enviado por: Silvia

      Desculpe, mais pelo o que entendi, quando ela falou quem era ela, não tinha intenção de “dar carteirada”, mas apenas falar que ela sabia dos seus direitos e de como agir para ser ouvida e para que a Visou não voltasse a agir assim!

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 15:20
      Enviado por: Siedorski

      Ih… mais uma dessas lojinhas que compra coisas na China, como pessoa física, manda entregar na casa do comprador e lucra fácil, sem nenhum trabalho…

      Além do atentado contra a compradora podem incluir sonegação de impostos e descaminho…

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 15:52
      Enviado por: Jaoa

      Engraçado como o jeito que vc escreve lembra bastante o jeito que o pessoal da loja escreve. = )

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 20:25
      Enviado por: helena

      Like

      responder este comentário denunciar abuso
  • 11/09/2012 - 02:59
    Enviado por: Francisco

    O responsável pelo site pode ser identificado através de busca no endereço http://whois.nic.br.

    Tem uma opção de “informações para contato”. Acredito que seja um bom começo para se procurar fazer justiça.

    responder este comentário denunciar abuso

    • 11/09/2012 - 12:38
      Enviado por: Mamura

      Independente da moça ter falado de seus cargos e méritos ela é CLIENTE e está PAGANDO por um serviço / produto. Se os atendentes / donos não querem esse tipo de cliente, é muito simples, basta dá uma resposta simples: “Desculpe-nos senhora, não temos interesse em vender nossos produtos a senhora, estamos estornando sua compra para que você possa procurar uma loja que atenda melhor suas expectativas.”

      Pronto, livrou-se de um problema e iria continuar com sua vendinha. Nada justifica as ofensas infantis que foram ditas em um ambiente onde tudo pode ser gravado e tornado oficial.

      Atitude juvenil achar que o erro de um CLIENTE (aquele cara que PAGA), se é que ele cometeu algum erro ai, justifica qualquer coisa relatada acima…

      responder este comentário denunciar abuso
  • 11/09/2012 - 03:20
    Enviado por: marcelo b

    ainda esse ano, perguntaram pra mim qual era a minha, e q iam m devolver a $$
    foi uma casa d show q vende ingressos pelo facebook, e ñ avisam se os ingressos vão pra casa, ou pegam no local…mas cobram td na horinha! no cartão d credito debitou na hora!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 03:32
    Enviado por: Ricardo

    Pega um adv. bem casca grossa e acaba com eles , folgados.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 05:09
    Enviado por: Marco

    Pelo estilo da lojunha virtual VISOU, quando a justiça bater às suas portas eles irão alegar que o site foi hackeado…coisas previsíveis de moleques que se acham espertos…
    Vamos divulgar no RECLAME AQUI.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 05:19
    Enviado por: zeca

    Isso é Brasil, país da impunidade e da desordem, país do mensalão e outras coisitas mais. Tenho o costume de comprar em lojas virtuais dos Estados Unidos e certa vez, por conta do atraso da empresa Correios e após eu reclamar o não recebimento da mercadoria eles devolveram o credito no meu cartão de credito e solicitaram que se eu recebesse a mercadoria mais tarde que eu então efetuasse novamente o pagamento e assim aconteceu. Aqui no Brasil estamos diante do primitivismo e do famoso espírito nacional de levar vantagem em tudo e enganar as pessoas além é claro, da grosseria descabida. Cada povo tem o que merece inclusive o governo. Nunca seremos primeiro mundo. Como dizia o jornalista Ivan Lessa, lá no bananão………

    responder este comentário denunciar abuso

    • 11/09/2012 - 10:16
      Enviado por: GeCesar

      Zeca,completando: país do “mensalão”, do mensalão mineiro(tucano), da compra de deputados para a reeleição do FHC (com provas cabais, mas não apurados), da privataria escandalosa etc, etc,etc

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 10:46
      Enviado por: Jonas Blau

      Cara, que comentário mais escroto o teu. Problemas como este não têm nada a ver com o “espírito nacional”. Gente mal educada como a responsável pelo site da loja existe em toda parte do mundo. E isso não vai ficar impune não. Basta a cliente entrar com um processo na justiça. Se eu fosse advogado, pegaria essa causa no ato. Não tem como perder, é indenização garantida. Agora, pare de falar bobagem sobre o teu país. O Brasil não é perfeito, mas os Estados Unidos também não. Por lá também existe corrupção, impunidade, violência, pobreza etc. Abandona esse teu complexo de vira-lata.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 13:03
      Enviado por: André Oliveira

      Pois a síndrome do vira latas parece que continua a fazer vítimas como o senhor. Eu já comprei dezenas de itens pela internet de lojas e empresas brasileiras ou estrangeiras sediadas aqui e sempre recebi tudo o que eu pedi. Sempre que eu tive problemas consegui resolver. Tenho certeza que a titular desta loja faz parte desse rol de brasileiros que se consideram superiores e apontam o dedo para os outros cobrando a ética que eles não praticam. Me irrita demais quando um país inteiro é colocado no rol de uma denúncia feita contra uma única empresa. Aqui tem muito mais gente séria do que pessoas desonestas, mas certas pessoas adoram generalizar tudo. Será deficiência de formação da sua parte confundir o indivíduo com o todo ?

      responder este comentário denunciar abuso
  • 11/09/2012 - 05:21
    Enviado por: Murillo MA

    Inacreditável !!?!?

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 06:42
    Enviado por: Marcos Italiano

    Imagine o que mais deve ter escondido no anonimato da internet. Há pessoas que acham que tudo pode; que nunca serão alcançados pela lei.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 06:49
    Enviado por: Candango Brasilia

    Vejam a frase que está no logo do site Visou: be yourself fucking self.

    responder este comentário denunciar abuso

    • 11/09/2012 - 09:44
      Enviado por: Márcio Arnaldo Borges

      O lema deles, na verdade, é bem parecido, parece-me: “fuck yourself”! E tem quem compre lá, os desavisados!

      responder este comentário denunciar abuso
  • 11/09/2012 - 06:55
    Enviado por: jayme correa

    Lamentável! Isso parece coisa de moleque. Não acredito que alguém com este perfil tenha se estabelecido para comercializar qualquer tipo de produto. São totalmente despreparados. Com certeza irão pagar um preço muito alto pela sua incompetência.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 07:15
    Enviado por: Mundico

    Infelizmente ainda predomina a cultura do “eu-vou-ganhar-dinheiro-na-internet”,onde qualquer sabidinho acha que pode sair aplicando golpes pois sabe que nada vai acontecer. Aqui no Brasil conseguem avacalhar até venda online, pois a lei é frouxa e a justiça faz de conta que condena. E a gente faz de conta que acredita nela….Bom dia para todos.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 07:24
    Enviado por: Márcio Arnaldo Borges

    André, das 2h18, assuma: você é tapado ou “tem parte” com essa “lojinha”?

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 07:42
    Enviado por: Celio

    Essa jornalista Nina Gazire tb deixa muito a desejar. E a “loja” talvez agiu a altura do comportamento dela!! Essa tal “jornalista” espelha os muitos brasileiros com algum estudo e algum cargo alto. Usa seus cargos com arrogancia. Tal como certos DESEMBARGADORES tratam os guardas de transito !! E nem menciona o nome das tais REVISTAS em que trabalha… Fosse eu o dono dessas revistas a demitiria…

    Imagine essa “jornalista” q deve espelhar os jornalistas brasileiros…o que ela deve pensar dos outros 60% de brasileiros q vivem com menos de 600 Reais por mês??? Afinal ela chamou eu e que mais comenta aqui de uns MERDAS. Pois ela é a grandona, bacana, acima de todos… Merece o que ouviu, ou leu!!!

    responder este comentário denunciar abuso

    • 11/09/2012 - 08:34
      Enviado por: Marcela

      Celio, você trabalha na lojinha ou é parente dos donos?

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 09:36
      Enviado por: Márcio Arnaldo Borges

      Mais um “troll”! Para culpar a vítima precisa ter acordo com um dos demônios: o da burrice ou o da pilantragem.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 10:11
      Enviado por: César

      Acho que é a mesma “pessoa” que fez o comentário sem sentido André Lima ofendendo a cliente e exaltando a “simpatia” da loja.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 12:27
      Enviado por: Rodrigo

      Antes de afirmar isso você deveria se informar melhor sobre a parte que o print não mostra. Antes de falar sobre sua profissão, ela foi acusada de não ter o que fazer e ser uma fútil que fica o dia todo na internet.

      Seu comentário é típico de uma pessoa ignorante, que analisa o todo pelas partes.

      Se informe melhor antes de nos obrigar a ler isso.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 13:17
      Enviado por: Tássio

      Sim, merecidíssimo! Comprar um produto não é um passaporte para humilhar e ridicularizar os outros. Respeito é bom e todo mundo gosta, inclusive os emos.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 14:40
      Enviado por: Paulo Pontes

      Acho que as pessoas aqui esquecem que não são dois amigos conversando, que tem que ser politicamente corretos em cada sentença.

      O relacionamento é comercial, o cliente tem que falar o que o está desagradando, pois está pagando por um produto ou serviço e tem que ser atendido no melhor da capacidade do fornecedor.

      Se ela foi arrogante ou não, não vem ao caso aqui. O fornecedor destratou a cliente, o que deveria ser considerado inaceitável e isso tem que ser veiculado da maior forma possível para tirar esta loja do mercado.

      O Brasil só vai ter profissionais melhores quando aprendermos a cobrar mais e votar com as nossas carteiras.

      responder este comentário denunciar abuso
  • 11/09/2012 - 07:45
    Enviado por: Hal Po

    Se até Americanas e Submarino já deixaram muita gente “na mão”, o que dizer destas lojinhas fundo de barraco? Está cheio de picareta por aí. A tal da Vison foi totalmente errada no trato com a Sra. Nina Gazire, mas convenhamos: ela se anuncia tão esclarecida, tão cheia de si com seu mestrado e coisa e tal e vai comprar um anel pela Internet de uma loja que não tem endereço, não tem telefone de contato e não tem tradição de venda? Isso tá cheirando a mais um processinho de durará alguns anos…

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 07:53
    Enviado por: Celio

    Parece que 90% dos comentaristas aqui não leu com atenção a primeira parte da conversa dessa tal “jornalista”. Além de uma arrogancia sem limites, tipica de brasileiro com intensa baixa auto-estima e arrogante, essa Nina Gazire mostra desprezo total pelo atendente.. E nem sabemos o que esse atendente deve ter ouvido dela antes….

    E afinal o que é um cliente EMO??? Um cliente MERDA? Foi o que entendi! Ou seja: Nós que comentamos aqui, pra essa Jornalista de duas “grandes revistas” somos todos MERDAS !!

    No meu entender USP deve ter professores bem estranhos, arrogantes, prepotentes….etc…. Essa mulher ouviu o q tinha de ouvir..quem sabe até ficou faltando ouvir mais ainda. Morei na Europa 25 anos e lá nem pra faxina seria aceita tanto nas universidades quanto nas melhores revistas….
    ps: Óbvio q o atendente poderia se controlar mais…mas essa jornalista Nina Gazire deu motivos de sobra pra que acontecesse..

    responder este comentário denunciar abuso

    • 11/09/2012 - 08:25
      Enviado por: lu

      Caro “Celio” (ou será “André”?).
      Acho bom você não perder o seu tempo aqui fingindo ser um mero comentarista e tratar de procurar o seu advogado para se defender e à sua “lojinha” Visou. E aproveite pra mudar de ramo..Ou você acha que alguém aqui ainda não sacou quem você é? fala sério!

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 08:31
      Enviado por: Henrique

      Cara,
      Acho que vc é da loja, não? Não é possível alguem achar que o atendente tem razão. Um serviço de atendimento ao cliente não pode fazer isto nem que vc xingue a mãe dele por horas a fio.
      Obviamente, a loja trata assim todo mundo. Só que a maioria não vai reclamar. Achei ótimo a ação da Nina. O nome da loja está guardado para nunca pensar em comprar algo por lá.
      POr acaso vc vai comprar lá?

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 08:43
      Enviado por: Lucio

      Se efetivamente morou na Europa durante esses anos todos deveria ter aprendido um pouco de civilidade.Sugiriria que vendesse sua parte na loja e voltasse para la, para ver se finalmente consegue trazer alguma coisa ou comentario util ao pais…

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 09:08
      Enviado por: A. Vandelay

      Serviu a carapuça?

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 09:31
      Enviado por: Marcus

      Uma coisa nao justifica a outra. A loja deveria atender os clientes com educacao! Se a compradora escreveu isso ou aquilo, eles nao deveriam ter ido um nivel mais baixo e respondido de tal maneira. Isso pra mim é uma forma clara de imcopetencia

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 09:38
      Enviado por: Márcio Arnaldo Borges

      A carapuça serviu com certeza! Fiz um comentário na página deles, no Facebook, que foi deletado rapidamente. Colocaram a família inteira para trazer a baixaria para cá!

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 09:39
      Enviado por: Paulo Netto

      Célio se voce morou na Europa como diz no mínimo era fachineiro ou ajudante de conzinha e te digo mais… burro… que não sabe ler. Eu sou arrogante e não gosto do seu comentário disvirtualizando os direitos da jornalista seja ela arrogante ou não. Voce é o arrogante otário que diz que morou na europa, (alguém te perguntou seu arrogante enrustido?) como se morar na europa fosse a oitava maravilha do mundo. Se enxerga e volte pra sua faxina…

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 10:42
      Enviado por: Arthur

      Mais um dos donos da tal loja Visou, está comentando por aqui…

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 10:47
      Enviado por: jorge

      USP? O que tem a USP a ver com isso? Eu não li nada de USP na matéria.
      Você sabe mais do que está escrito aqui. Abra o jogo, espertinho. Como é que você sabe que ela é da USP?

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 10:49
      Enviado por: Fernanda

      Olha Celio, dá pra perceber pelo print que a discussão já estava rolando há um bom tempo. Ao meu ver, a Nina não quis ser arrogante ao utilizar de seu cargo, mas dizer que ela não teria medo de procurar um advogado ou o PROCON. Ela quis mostrar que não era uma pessoa que aceitaria ofensas ou ser passada pra trás. Quem nunca, depois de horas discutindo com alguma empresa, se irritou e utilizou do que tinha para conseguir ter seus direitos respeitados? É fácil falar quando você está apenas lendo um print de um pedaço da discussão, mas quando seu direito é desrespeitado, é perfeitamente aceitável pra mim que você perca ao menos um pouco de compostura.

      Mas me dizer que ela mereceu as ofensas porque disse que era jornalista e citou seu “currículo” não parece nem um pouco razoável para mim. Em nenhum momento ela os ofendeu, então eles não tinham o direito de ofendê-la. Então considere melhor toda a situação antes de criticar a atitude dela.

      Por fim, parece que você levou o comentário dela para o lado pessoal. Não sei por qual motivo, mas tente observar tudo com um olhar mais imparcial e quem sabe você não entende o que aconteceu.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 11:12
      Enviado por: gustavo

      vc tem razão! vc é um merda, bem como os seus comentários

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 11:35
      Enviado por: Hema

      Rapaz (?) para quem diz que morou 25 anos na Europa, faltou dizer em que país, pois lá há alguns que deixam as favelas do Brasil como se fossem cidades da Dinamarca ou da Finlândia.
      Baixar o nível ao ponto em que esse atendente biltre baixou, é coisa de marginal mentecapto, a quem faltou um mínimo de educação. É aquele tipo, provavelmente analfabeto funcional, que se vale de um pretenso anonimato, para despejar sua fúria e ignorância sobre outras pessoas. O fato dela ter citado seus títulos foi apenas uma maneira de mostrar ao incompetente que ele não estava tratando com outra pessoa ignorante como ele.
      A propósito: o que vc fazia na Europa, turismo?

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 12:01
      Enviado por: Caco Portela

      Independentemente da cliente ter sido indelicada com sua argumentação, rebaixar-se ou atender ao mesmo nível, para uma empresa que venda um produto ou preste um serviço, é extremamente negativo e denota a falta de equilíbrio e profissionalismo em lidar com situações de crise como a que acabamos de tomar conhecimento. Por mais que o cliente seja ríspido, arrogante, indelicado, enfim, a empresa não tem o direito, inclusive, administrativamente falando, em tomar as mesmas rédeas da situação. Que a jornalista “deu uma carteirada feia e desnecessária”, deu mas, a Visou em rebater num clima mais agressivo e indelicado ainda, é punível de um merecido processo de reparação por perdas e danos. Agora, ter alguém que defenda a postura dos donos da Visou, francamente, é reafirmar o porque do nosso país ainda é uma nação atrasada e medíocre.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 12:16
      Enviado por: Uiii

      Machucou né ô da lojinha?

      Passa hipogloss que ameniza! kkkk

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 12:26
      Enviado por: Renato

      Hahahahahahaha! Inversão de valores completa!

      Agora a pessoa dizer o cargo em que trabalha (sendo que o objetivo nem foi se gabar, mas cobrar seus direitos) é um crime maior que xingar, repudiar, estraçalhar o cliente.

      Vocês estão errados, e não há ninguém (além de vocês mesmos) que diga o contrário.

      E o comentário acima já serve como prova que quem respondeu foi realmente a atendente de vocês, e não um hacker. =]

      E que justiça seja feita.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 12:32
      Enviado por: Gina

      Independente de como ela falou, se ela foi prepotente ou não, nenhuma loja tem o direito de destratar cliente, que inversão de valores é essa minha gente? no segundo caso fica claro o quão arrogantes foram as respostas, e gratuitamente. Fico horrorizada com gente defendendo o comportamento dos donos da loja, o máximo que eles poderiam fazer é trata-la com frieza e oferecer a opção de cancelamento,já que ela não estava satisfeita, mas xingar? Imagina se a Americanas, Submarino, qualquer outra grande marca que vende pela internet resolve fazer o mesmo?

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 13:31
      Enviado por: Luna

      engraçado.. diz que a atitude é típica de brasileiro com baixa auto-estima e no mesmo parágrafo faz questão de ressaltar que morou 25 anos na europa e que uma jornalista brasileira não seria aceita nem como faxineira na europa… quanto paradoxo e preconceito em um comentário só!

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 15:07
      Enviado por: Camila

      Célio, onde raios você viu alguma referência sobre a USP? Não achei até agora. Outra coisa: tenho certeza que a jornalista queria dizer que ela não é o tipo de consumidora que deixa “passar em brancas nuvens” uma falha sem tamanho e uma falta de respeito maior ainda, enquanto que outros tipos de pessoa se deixam ser enganadas facilmente e não reclamam. Certa vez tive um problema parecido com uma loja virtual de grande nome. Havia comprado um relógio e nada de receber. Liguei diversas vezes para o SAC da loja e recebi várias previsões de entrega. Depois de várias ligações e prazos, a atendente me informou que o pedido havia sido enviado pelos Correios, que estavam em greve desde antes de eu efetuar a compra. Esse tipo de falha de logística é imperdoável. Acabei falando pra ela: “Olha, você vai me desculpar, mas que logística porca é essa? Não é possível um negócio desses. Até um chimpanzé sabe que se os Correios estão em greve, a mercadoria não será entregue… Então por que mandar pelos Correios?” – Não vejo como ela pode ter “agredido” a imagem de alguém com seu comentário. Entretanto, é visível a falta de preparo do/da atendente, que deveria contornar a situação ao invés de ofender o cliente. Afinal de contas, existem diversas lojas por aí, mas e clientes? Será que clientes destratados voltariam a comprar numa loja assim?

      responder este comentário denunciar abuso
  • 11/09/2012 - 07:58
    Enviado por: CHRISTOPHER ANGELO AZEVEDO

    As duas partes estão completamente erradas. Olha como a referida jornalista usa de seu cargo para intimidar e desmerecer o vendedor. Aposto que antes ela tinha dito também coisas ofensivas, porém só publicou o que lhe ficou melhor. Assim é fácil.

    responder este comentário denunciar abuso

    • 11/09/2012 - 09:21
      Enviado por: A. Vandelay

      E como você explica o caso da garota de Novo Hamburgo? Ela não deu carteirada, não ofendeu, nem destratou ninguém. Só queria seu problema resolvido (que é bom lembrar, foi criado pela loja). Veja o nível do atendimento recebido. A loja não tem defesa em nenhum dos casos, para tratar cliente algum desta forma. E já está bem claro que eles têm esse padrão de comportamento.

      As pessoas perderam completamente a noção de respeito ao próximo.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 09:39
      Enviado por: Márcio Arnaldo Borges

      Prestem atenção no inusitado: de repente, vêm para cá uma porção de “trolls” para desmerecer… A VÍTIMA!

      Pega mal! Depois não diga que não avisei!

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 10:54
      Enviado por: Rodrigo Vilela

      Não generalize os jornalistas. A Nina deve ser esnobe, sim, é óbvio! Faltou respeito a ela.

      Mas nenhuma loja pode tratar seus clientes desta forma, pois estavam errados em atrasar a entrega do produto!!

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 11:20
      Enviado por: Roberto

      Concordo. Esse papo de: “Você sabe com quem está falando?”. É desprezível!

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 11:28
      Enviado por: Paula

      Márcio Arnaldo Borges, concordo com você. É absurdo que a picareta ainda mande a família de trolls aqui pra desmerecer a VÍTIMA!!!
      Esse Celio é tão desprezível quanto a loja. Falou que a moça se “vangloriou” de seu cargo e está “se vangloriando” de ter morado na Europa… Coitado. Burro é quem acredita nesse bando de retardados tentando inverter a situação.
      Processa e arranca todo o dinheiro que puder dessa gente podre.

      responder este comentário denunciar abuso
  • 11/09/2012 - 08:18
    Enviado por: bnnb

    Não vejo assim, o Brasil é apenas mais uma parte no sistema global, e tudo deveria funcionar bem, Igual a outros paises. No entanto a falta de cultura, respeito, e informação de parte a parte, essas coisas lamentáveis acontecem por aqui. Tudo tem solução e reparo, desde produto não entregue, e xingamentos. não espere por nada, se insatisfeito agilize de imediato o Juizado Especial, que pode dar resultados amargos a quem descumpre a etica e os deveres com o consumidor. Não sei por que as pessoas se estressam tanto. Tudo tem solução, há que busca-las. E o vendedor que não cumpre as regras de mercado, rapidamente ficará fora dele. Seja vigiilante, e veja primeiro de quem você compra. Porque tudo que vem do outro lado do mundo, não acontece nada disso ? Se cresceram por lá, é porque trabalham bem, vejo isso todo dia.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 08:23
    Enviado por: Fabio

    Já tomei canseira de loja em site de compra coletiva. Mas nada perto disso.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 08:28
    Enviado por: lu

    André, André Lima, Samantha, Célio (todos A MESMA PESSOA fingindo ser muitas, o quanto isso é patético?).. Tentando desesperadamente jogar os leitores contra a jornalista. O pavor bateu, aparentemente :) ..

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 08:30
    Enviado por: bnnb

    Na verdade, o que vejo por aqui entre muitos vendedores, é o excesso de esperteza, agem como se os compradores desconhecessem seus direitos. Não aceite isso, na verdade os frágeis da relação comercial são os próprios vendedores que tem que provar tudo. No entanto existes também compradores espertos, mas no final, nenhuma esperteza acaba dando certo ! É só negociar corretamente, que tudo dará certo !!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 08:30
    Enviado por: Fernanda

    Nina, não vá ao PROCON. A melhor opção é o Juizado Cível Especial. O Procon não mete tanto medo e nem resolve realmente os problemas. Ele é mais um órgão regulador. No juizado cível você não precisa constituir advogado se o valor de indenização (que você deve pedir ao tratar com uma empresinha como esta) for inferior até 20 salários mínimos. Eles marcam a audiência em um prazo bem rápido, diferente da justiça comum. Consulte um advogado para te orientar com isso. Junte provas e muito boa sorte!!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 08:30
    Enviado por: Lourenço

    Espero sinceramente que os clientes que foram ofendidos deem continuidade nos processos contra esta loja aí. E tomara que eles sejam condenados a pagar uma boa indenização pelas ofensas cometidas, só assim para que esta falta de respeito e descaso generalizado comece a acabar neste país. Com o fim da impunidade, principalmente para aqueles que acham que nunca serão punidos pelos seus atos.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 08:36
    Enviado por: LadyGiga

    Numa relação compra/venda há por parte da empresa fornecedora do produto o DIREITO de receber o pagamento, e o DEVER de fornecer o produto. Quem pagou e não recebeu está no pleno direito de reclamar.
    Os termos da reclamação não precisam ser ofensivos, mas a razão está com a cliente lesada.

    Esta empresinha é um lixo e cabem vários processos aí, seja em que instância for. Mas o mais importante é obrigá-los a ter responsabilidade, além de uma retratação pública. Danos morais com uma gorda indenização pode fazê-los aprender como se trata cliente QUE PAGOU E NÃO RECEBEU. Não tem competência não se estabeleça.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 08:38
    Enviado por: Luiz Valerio

    Nossa, ainda tem gente que simpatiza com a loja???????

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 08:47
    Enviado por: Renato Fernandes

    Do site da Visou: “Caso perceba qualquer tipo de problema, formalize uma reclamação com o carteiro e negue o recebimento do produto, entrando em contato, logo em seguida, com um de nossos canais de atendimento. Esta providência visa lhe assegurar o direito de garantia sob a mercadoria comprada e, caso não seja tomada, um novo produto não será reenviado e tampouco o cliente será reembolsado com o valor pago pelo mesmo.”. Ou seja, parece que eles não tem conhecimento das leis de direito do consumidor segundo a qual o mesmo pode se arrepender da compra em até 7 dias, devolvendo o produto e ter ressarcido o valor pago pela mercadoria.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 08:50
    Enviado por: Deoclecio Ebert

    Caros Amigos: Concordo com algumas opiniões, mas discordo de outras. Creio que é alguém que se propõe ao comércio na web deve
    se munir de ‘ ëstômago ‘ para suportar algumas irreverências dos
    clientes. Além disso, deve ser prestimoso nas informações e possibilitar rigoroso rastreamento das encomendas. A VISOU mostrou
    ser fraca. Esta condenada ao insucesso.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 08:52
    Enviado por: João Netto

    Nossssaaaa….. que reportagem mais mesquinha para o porte do Estadão…. Que feio resolver os problemas de seus funcionários gerando uma notícia a nível nacional…Vocês me decepcionaram. Não discordo que a ofendida possa tomar as providências judiciais que achar necessárias. Mas daí chegar no Jornal, contatar o amigo blogueiro e gerar uma noticia a nível nacional….. baixou o nível igual, tal qual a empresa fraudulenta.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 08:56
    Enviado por: Alessandro

    O lema da loja, em inglês: be your fucking self (seja você mesmo porra), combina bem com o tratamento da loja.

    Que que isso????

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 08:57
    Enviado por: Marcos Lara

    Bom dia! Sobre essa situação, independentemente da razão de cada um, o que não pode ser tolerado por um comerciante é um comportamento tão mal educado. Respostas simples e rápidas fazem com que as pessoas sintam-se seguras. Mas assim como tem comerciantes que não aprendem, também tem os consumidores descuidados. Sugiro que inclua essa loja no site dos maus comerciantes. Assim, quando alguém quiser consultar, aparecerão as reclamações sobre os maus comerciantes.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 09:04
    Enviado por: Thiner

    Não vai dar em nada, lembram da denúncia feita pelo programa da band, A Liga, sobre a marca Zara, utilizando-se mão de obra análoga à escravidão. A marca Zara está bombando, e o pessoal continua adquirindo seus produtos, é igual política, reclamam e depois esquecem.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 09:12
    Enviado por: laura

    O que eu lamento e que se esqueceram sobretudo da educação, que cabe em qualquer lugar . E o que e pior como comerciantes esqueceram da maxima o cliente sempre tem razao.
    Se a Nina foi arrogante, deixe isso com ela e sejam vcs os corretos.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 09:14
    Enviado por: Alba

    O caso é que a empresa é incompetente. E parece não se importar em ter um incompetente para atender as pessoas. Não preciso ter Mestrado na USP nem ter morado 25 anos na Europa para entender que a loja desrespeita os clientes, sejam Emos ou não. Criticar a jornalista por uma suposta arrogância parece uma atitude de quem não está bem, e está querendo culpar alguém por isso, ou não tem clareza no que diz, fosse ele o mal tratado, diria com a mesma arrogância que morou na Europa 25 anos e que isso é suficiente para ele julgar se alguém está apto a estudar lá. Bom, talvez, se fossem 25 anos como diretor de alguma universidade europeia. Mas, o caso é que a moça teve a iniciativa de publicar o desrespeito da empresa, e outros aqui deram nomes aos bois, o que é ótimo. Eu mesma fiz uma pergunta pelo facebook para a Kanui, mas nunca recebi uma resposta e por isso não comprei mais nessa loja. Acho tb que o pessoal que cuida dos perfis comerciais no facebook é completamente despreparado para atender ao público

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 09:17
    Enviado por: ze

    Pelo exposto, concluo que ambos, loja e cliente, têm razão e se merecem. A cliente parece ser a do tipo que se julga superior e com direitos especiais sobre os mortais mas a loja tem o DEVER de saber tratar todo o tipo de cliente. Só pode prosperar no comércio quem usa a máxima: “o cliente SEMPRE tem razão”. Espero ver em breve esta loja na falência e esta cliente posta, insignificante, no seu canto.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 09:22
    Enviado por: atrocious

    Sim, a jornalista foi arrogante. No entanto, nessa situação ela era a cliente, e uma loja, mesmo que virtual, deve estar preparada para lidar com clientes problemáticos.

    Acredito que a loja deve não apenas resolver a questão financeira, mas também um bom pedido de desculpas à cliente. Enfatizo, no entanto, que isso acontece não devido a postura idônea e correta da jornalista, mas aos excessos praticados pelos atendentes da loja. Sem o restante da conversa fica difícil avaliar como todo o diálogo transcorreu, mas os comentários feitos pela jornalista deixam claro que ela também não foi cordial.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 09:30
    Enviado por: Marcelo

    quando vcs quiserem comprar bijuterias é só acessar este site: comprebijoux.com.br, que a entrega é garantida.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 09:31
    Enviado por: Bin Laden

    A verdade que essa jornalista se acha a última bolacha do pacote. Quer dizer que ela é a “vagina das galáxias”? Só porque é jornalista, ela não é melhor que ninguém. O que aconteceu antes? Qual foi o teor da conversa que não foi publicada?

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 09:34
    Enviado por: Paulo Netto

    Muito macho o cara por telefone e email. Isso pode acontecer com qualquer um de nós e essa empresa deve ser fechada e seus proprietários presos. Carioca é assim mesmo parecem cachorro pequinês, latem muito, mas e é só bater o pé que eles correm…o negócio e cultuar o corpo que não usam pra nada…

    Ou podem nos dar o endereço dos machões pois estamos precisado treinar para o MMA e eles seriam ótimos testes já que são tão machões e violentos. Adoraria encontrar um deles na academia e lembrá-lo do incidente…cadê os machões?

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 09:35
    Enviado por: fab

    Acho que essas pessoas q ameaçam que vão ao Procon, nunca foram ou ganharam na loteria. Tenho o q reclamar de muita empresa por aí, mas não só, do Procon também!!!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 09:42
    Enviado por: Luciana

    Boicote social resolveria grande parte dos problemas dos consumidores. Acontece que as pessoas não querem deixar de consumir, compram a todo custo, compram de qualquer site, e aí dá nisso.

    Repito: boicote social resolveria GRANDE parte do problema dos consumidores.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 09:52
    Enviado por: Diego Denck

    Agora eles estão bloqueando as pessoas de comentarem na página do facebook e deletando os comments negativos que aparecem. Que patéticos.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 09:57
    Enviado por: Priscila

    Duvido que essa loja tenha notas fiscais dos produtos que estão sendo vendidos, acho estranho essas lojas que não tem o produto a pronta entrega e que cobram na hora, pago agora e recebo em 60 dias? Não gosto, não compro e tenho receio! Encomendar sim e pagar ,por exemplo, 10% de entrada e o restante no ato do recebimento é o mínimo,né?
    No mais, PF dá uma passadinha na Visou e pede as notas.
    E no caso da Júlia se percebe que o problema da Visou é má educação e nenhum tato para lidar com cliente. Sem “carteirada” ela foi tratada de forma estúpida do mesmo jeito.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 09:58
    Enviado por: Aba

    Não precisamos julgar… Tanto em relação à loja, quanto em relação à moça. O mundo e nossas relações serão melhores se nos ativérmos a observar a situação sem julgamentos e tentarmos solucionar com os recursos mais adequados que tenhamos.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 09:59
    Enviado por: Ale

    Passei por uma situação parecida com o Tubaína Bar (http://www.tubainabar.com.br/). A falta de educação foi tanta que formalizei uma reclamação no Reclame Aqui com a história. Não contentes, eles foram grosseiros inclusive naquele canal. Incrível como há pessoas que não sabem lidar com o consumidor.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 10:12
    Enviado por: Antônio

    É engraçado como dá pra perceber facilmente os comentários aqui dos próprios donos da “loja virtual” Visou, tentando culpar a cliente: têm a mesma infantilidade e grosseria. Sem falar, claro, da absurda falta de respeito.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 10:15
    Enviado por: Celio

    Sr. Márcio Arnaldo Borges….onde vc anda vendo VITIMA ?? Eu concordo 100% q os atendentes nos call-centers deixam muito a desejar… e esse em questão deu o troco a altura..mesmo sendo exagerado no limite. Mas a ATITUDE dessa mulher é desprezivel, repugnante e revela como é verdadeiramente o Brasil.. Brasil esse q muitos fingem não existir… Gente que tem até vergonha de ser brasileiro….Gente que precisa do favelado, do negro largado, do Indio massacrado, da miséria geral..pra se sentirem alguma coisa e ter um senso falso da auto-estima. Brasileiros de quinto mundo !!! Tá cheio deles por ai….

    responder este comentário denunciar abuso

    • 11/09/2012 - 10:26
      Enviado por: camila

      Celio, era bem mais bonito eles ganharam a ideia na razao do que esculhambar assim. ficaram piores que a propria. alias a propria trabalha aqui pra esse jornal? pra conseguir tanto ibope deve ter contatos ne, rs, tanta gente reclama de tanta lojinha virtual no reclame aqui e ninguem ve. PESQUISEM antes de dar diinheiro pra desconhecidos galer.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 10:30
      Enviado por: Marcio

      Meu… esse Celio com certeza faz parte da loja e já começa a temer o resultado do erro que cometeram.
      Não adianta vir aqui e tentar reverter a situação…
      Ninguém vai cair nessa…
      Se vocês não tivessem feito o que fizeram, nem ao menos saberia que a jornalista a compradora é jornalista com doutorado e escreve para revistas de grande circulação…

      O erro foi de vocês, e espero que paguem por ele….

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 10:41
      Enviado por: Márcio Arnaldo Borges

      Onde, Célio? Onde? Não destorça os fatos! Trata-se de relação de consumo e, para os casos em que se desrespeita o consumidor, há leis para protegê-lo. Quem disse que esconder-se sobre uma fachada “virtual” faz de você um deus intocável? E quem disse, igualmente, que ser lesado não implica ter falta de paciência com os picaretas?

      Ainda que a “atitude” (como você gosta de dizer) da consumidora atenha sido ríspida, os adjetivos que foram usados em contrapartida demonstram o tamanho do esgoto em que se enfiam os bandidos com quem ela está lidando.

      Aliás, você também é pródigo no uso de adjetivos, hem? Coincidência?

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 10:48
      Enviado por: Mirella

      Cliente faz um pedido na loja. Cliente paga. Cliente não recebe.
      Cliente vai atrás de seus direitos – pagou e não levou.
      Loja despreparada e incompetente começa a XINGAR a cliente.
      A pessoa PAGA, NÃO recebe, e a culpa é da cliente?
      Celio, aconselho a continuar falando bastante, pois tá bem claro o seu papel aqui. Ajude a sujar ainda mais a imagem desta loja de amadores irresponsáveis e incompetentes.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 10:54
      Enviado por: A. Vandelay

      Você é um caso perdido, Celio…

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 11:13
      Enviado por: Celio

      Até te entendo… Mas só pq sou consumidor não me dá o direito de tratar o garçon, lavador de carros, caixas, atendentes, enfermeiras, empreg. domestica, mecanicos, lixeiros, etc, etc…..com arrogancia e prepotencia… Entendeu?

      Tente fazer isso na Alemanha, Inglaterra, França e outros paises civilizados. tente !! Eu sei q brasileiros tem uma tremenda dificuldade em entender algo tão simples assim. Eu morei na Europa 25 anos. E sei do q falo ! E todo brasileiro q foi a Europa sabe do q falo. E vc tb sabe. O atendente em questão simplesmente respondeu a altura do q ouviu.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 11:19
      Enviado por: Flavio

      Nossa Celio, quem não enviou o produto não foi a consumidora, foi a loja… Você queria que ela fosse a pessoa mais alegre do mundo?

      Eu já lidei com público(trabalhei numa agência de intercâmbio) e sempre, por mais errada que a pessoa do outro lado estivesse, SEMPRE fui muito cordial… Muitas vezes eu me senti mal pelas atrocidades que fui obrigado a ouvir e ficar calado, mas enfim, era meu trabalho e eu nunca faltei com respeito com nenhum cliente. Alguns clientes foram baixos comigo, mas parte do meu trabalho era representar de forma digna e respeitosa a empresa em que trabalhava.

      A forma como essas pessoas trataram a cliente, não se trata nem seu inimigo assim.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 11:26
      Enviado por: Aline

      Claramente esse Celio é da loja e/ou parente, amigo ou qualquer coisa do gênero e está tentando minimizar a situação.
      Não achei legal o que ela fez, de dar carteirada, mas isso não justifica os atos absurdos da loja, nitidamente de propriedade de pessoas infantis, despreparadas e mau educadas.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 11:28
      Enviado por: Márcio Arnaldo Borges

      Eu quis dizer “não distorça os fatos”.

      Só eu reparo que você está criando fatos e os distorcendo, igualmente? Uma coisa é você insultar uma pessoa, usar tratamento incorreto e desrespeitoso, outra, muito diferente, é REAGIR ao tratamento que está recebendo. Ainda assim, isso não dá direito à outra parte, se quiser ter razão, de usar argumentos idênticos ou mais baixos, como foi o caso.

      A ATITUDE correta do consumidor lesado (ainda para ficar na expressão que o agrada), é fazer exatamente o que foi ameaçado: ir ao Procon e aos juizados. Tudo o mais é consequência da falta de zelo do fornecedor, especialmente quando eles se acham intocáveis.

      Finalmente, não vi NADA na reação dessa consumidora que justificasse a PALHAÇADA que veio em seguida.

      E, cá para nós, acho que se você se sente tão desagradado em lidar com brasileiros, pare por aqui, pois está usando os argumentos errados.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 11:36
      Enviado por: carlos

      Defender a loja ofendend a cliente e o resto dos brasileiros não vai melhorar e nada a visou.
      O seu comportamento mostra que é brm provavel que vc tenha alguma ligação com a tal loja e de que este comportamento destemperado e agressivo dev norma em tal lugar.
      lamentavel

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 11:45
      Enviado por: Milena

      Acho que cada um tem direito de ter sua opinião, mas concordo com o sr. Márcio. Nada justifica a atitude da loja. Primeiro, não acho que a jornalista tenha se usado da sua posição para obter vantagem sobre nada (o que, aí sim, seria antiético). Ela exigia apenas seu direito enquanto cliente. Segundo, entendo que ela citou seus títulos para se colocar na posição de pessoa instruída, que conhece seus direitos e não deixaria tanto desrespeito passar em branco, e não para humilhar outros clientes (apesar de não concordar com a comparação “emos” e “mimados”). E, sinceramente, acho que qualquer um faria isso no lugar dela, fosse médico, advogado, administrador, que seja. Também acho inacreditável que uma loja com um tratamento desses ainda esteja no mercado. O consumidor precisa se conscientizar e exigir respeito, mas da maneira mais respeitosa possível, mesmo que receba xingamentos em troca. Afinal, o melhor remédio contra a grosseria é a educação. E que se busquem os meios legais (e adultos) para resolver a questão, além da divulgação desse caso vergonhoso. É o mais sensato. Também sou jornalista e já estou divulgando.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 12:10
      Enviado por: Isabela

      Célio, você é o típico brasileiro colonizado. Daqueles que vão limpar o chão de gringo e ficam babando por eles, enquanto só recebem desprezo e desvalorização em troca. Parece que só você enxergou alguma boa vontade dos atendentes. A consumidora tem todo o direito de reclamar, pois pagou e não recebeu, e não sei aí onde você mora, mas aqui no Brasil isso ainda se chama roubo e dá cadeia. Concordo com tudo que o Márcio falou.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 12:19
      Enviado por: ClaudioM

      O tal Celio deve ser webmin do site da Visou…

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 12:20
      Enviado por: Diego Denck

      “Eu morei na Europa e sei o que falo”……… vocês dão moral? Ele critica quem dá carteirada, mas faz o mesmo.

      E não, o vendedor não respondeu à altura. Ele foi extremamente baixo.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 12:30
      Enviado por: joe

      Celio, vc passou 25 ANOS na Europa! O que implica que vc tem absoluta autoridade para falar sobre nosso sistema atrasado e pra criticar a “carteirada” da Nina, né? Falar isso não é “dar carteirada” tbm? Tu critica e faz a mesma coisa? Coerência, que saudade…
      Engraçado que ainda tem gente que pra “ser do contra” ainda tem a capacidade de vir a um fórum defender posturas do tipo dessa “Visou”.
      Concordo com alguém ai acima, só pode ser família, amigos, os próprios…

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 12:35
      Enviado por: Bruna

      O mais irônico é que ele critica a jornalista por dar carteirada e ser arrogante por seu “cargo”, mas não é o que ele mesmo está fazendo ao tentar dar credibilidade a si próprio por ter morado “25 anos na Europa. Eu sei do que falo!”. Ah, faça me o favor!

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 12:37
      Enviado por: Bruna

      O mais irônico é que ele critica a jornalista por dar carteirada e ser arrogante por seu “cargo”, mas não é o que ele mesmo está fazendo ao tentar dar credibilidade a si próprio por ter morado “25 anos na Europa. Eu sei do que falo!”? Ah, faça-me o favor!

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 13:14
      Enviado por: ICTA

      A jornalista, a meu ver, usou de uma forma errada para tentar intimidar os moleques do site. Mas daí a se preocupar em colocá-la na posição da vilã e defender os moleques é demais. Cuidado com suas atitudes e comentários porque isso pode se voltar contra você, assim como aconteceu com a jornalista. Critique as atitudes mas não generalize. “…Brasileiros de quinto mundo…” lembre-se que você faz parte dessa gente (o que te faz melhor que todos?). Mas se você não for brasileiro então vá cuidar do seu povo.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 13:23
      Enviado por: cesar

      Sr. Celio
      tu fala tanto que morou 25 anos na Europa….não parece nada disso pela maneira que tu fala…melhor voltar e ficar o resto da tua vida lá mesmo. Se é tão bom assim, pq voltou???????????

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 13:26
      Enviado por: Caio

      Volta pra Europa então ja que gosta tanto de lá.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 13:45
      Enviado por: Camila

      Celio,

      Pro atendente responder “a altura”, era so ele dizer: Bom, a senhora eh jornalista, eu sou o dono, e responsavel por isso. Fique a vontade para procurar seus direitos.”. Isso sim seria responder a altura do que a cliente mandou. A cliente mandou um “sabe quem eu sou” e ele responderia com um “sabe quem eu sou”. Se fosse isso, concordaria com voce.

      Mas nao foi. Portanto, seu argumento nao tem logica alguma.

      E na Europa, (ja fui algumas vezes) se uma empresa tratar assim um cliente, tenha certeza que nunca vai passar batido. Portanto realmente na Europa eh diferente pq la eles tem memoria e nunca esquecem uma merda dessa, diferente do brasileiro que, se a Visou fizer mega liquidacao vai todo mundo comprar mesmo sendo maltratado pq o que importa eh o financeiro.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 13:46
      Enviado por: Fernanda

      Esse tal Celio fala tanto da atitude terrível da jornalista (o que concordo ser horrível dar carteiraço, foi um erro dela, mas ainda assim nunca justificaria o modo como eles agiram), mas ele mesmo não para de encher o peito pra dizer já não sei quantas vezes que morou 25 anos na Europa, diferente de nós brasileiros imundos e meros mortais. Querido, antes de falar dos outros se enxerga.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 15:28
      Enviado por: Gabriela

      Célio vc julga porém está agindo mto pior que a jornalista… volta pra Europa, fodão!!!

      responder este comentário denunciar abuso
    • 12/09/2012 - 05:29
      Enviado por: Luna

      Infelizmente tenho que discordar com a Camila, eu moro na Alemanha agora (e nao adianta generalizar chamando de Europa, cada país é bem diferente do outro!) e aqui o serviço ao consumidor é um lixo. Já fui xingada em turco no telefone, já desligaram na minha cara e já ameaçaram colocar no sistema que eu tinha aceitado um contrato de 90€ por mês.. e aqui não exite “PROCON”, se quiser reclamar tem que contratar advogado do próprio bolso e arrumar um jeito de provar que a culpa foi da empresa, porque eles não gravam nenhuma ligação! além disso, pode esquecer que número 0800 pra consumidor, você inda paga pra ficar esperando meia hora no telefone.

      Sabendo dessas atrocidades do serviço ao consumidor alemão, dá pra entender a ignorância do Celio, que, depois de “gloriosos” 25 anos morando na Europa, aparentemente se acostumou com esse lixo e agora acha que um desrespeito desses da Visou é completamente normal..

      responder este comentário denunciar abuso
  • 11/09/2012 - 10:23
    Enviado por: camila

    o fato da jornalista se gabar pelo cargo nao da direito algum da loja ser tao arrogante, ate parece que a loja que á a cliente e não o oposto. fora o superfaturamento ne, logico que essas peças sao trazidas sem recolhimento de imposto algum, dobrado ou triplicado o valor, e os tonto vao e compram. o publico alvo é sim adolescente, eles ja ate disseram isso quando falaram que calça 38 era plus size (deu o maior barraco, eu particularmente achei engraçado como um mal entendido bobo desse pode ofender as moças), mas pelas postagens da loja no facebook da pra ver que sao ou jovens ou bastante imaturos (ou os dois) mas que estao fazendo bastante dinheiro… vacilaram no tratamento, a jornalista baixou o nivel e eles baixaram mais ainda, entao perderam a (suposta) razao.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 10:27
    Enviado por: Loja Bijouterie

    Isso é um absurdo,pois prejudica quem também trabalha com e-commerce.
    As pessoas perdem a confiança em comprar por conta de uns irresponsáveis que resolveram fazer graça e esquecem que tem gente que precisa desse tipo de negocio para viver.
    Minha loja é linda e meus clientes ficam 100% satisfeitos.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 10:30
    Enviado por: Fra

    E ainda tem gente que defende a loja? a posição da primeira cliente talvez não foi certa em querer se promover em cima da sua profissão, porém a Loja se manteve no mesmo ato estupido com a segunda cliente, que não menosprezou ninguem e falou normalmente, ou seja, a donas das Lojas são umas estupidas de qualquer maneira e circunstância! Por causa de vocês que defendem esse tipo de pessoas mal educadas que o Brasil não vai pra frente!! SE LIGUEM!!!!!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 10:38
    Enviado por: Eugenia Pimentel

    Alem de grosseiros, são machistas
    Que vergonha

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 10:42
    Enviado por: Cris

    Profissionalismo inclui saber lidar com “carteiraços” e todo o tipo de vício comportamental da sociedade. Em outras palavras: ter jogo de cintura para contornar situações desagradáveis. NADA justifica o tratamento de baixo nível dado à cliente.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 10:43
    Enviado por: Gigi

    Pelo jeito, ao invés de “be your fucking self” eles estão é precisando de “anger management:”:

    http://truquesdestyling.blogspot.co.uk/2012/05/dica-de-compras-online-loja-visou.html#comment-form

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 10:44
    Enviado por: Fernando

    Realmente aconteceu a mesma coisa comigo , eu comprei um produto na loja depois de 1 mes entrei em contato pela fanpage da mesma e fui distratado nao recebi nenhum explicaçao sobre a minha compra , nao levei isso a justiça porque o valor do produto nao valia a pena procurar um advogado

    mais lojas assim deveriam ser fechadas e os donos processados, muitos dao FAMA DE EMPRESARIO MAIS NAO SABEM ADMINISTRAR NEM UMA BARRACA NA FEIRA.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 10:45
    Enviado por: Gregori

    Uma jornalista com mestrado e mimimi, fazer compras num site que o único contato é o facebook. De fato o tratamento do atendente foi péssimo. Não perdi tempo lendo o post inteiro, me reservei ao primeiro print. Deu pra perceber q o consumir é mimado e com mania de “vc sabe com quem você está falando?” e o atendente é um despreparado. Na real o que estão precisando mesmo é de um apilha de louça suja pra pensar na vida e parar de lotar o judiciário com esse tipo de coisa.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 10:58
    Enviado por: Sincero

    Ridículos os dois lados! A loja completamente antiprofissional, xingando clientes! Como eles esperam vender alguma coisa tratando mal quem eles atendem? E Agora essa jornalistazinha, é brincadeira né? Querer se engrandecer por causa da profissão? Ela deve set tratado igual aos emos que ela denegriu, que é com respeito e sem privilégios. Ela não é melhor que ninguém, nem pior (na verdade por essa atitude dela com certeza é pior). Depois querem reclamar quando alguma autoridade dá carteiraço e diz aquela conhecida frase:”Tu sabe com quem tá falando?”

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 10:58
    Enviado por: Rudolf

    Ok, para o pessoal defendendo a loja: o erro da jornalista não justifica o erro da loja. Justificar o erro de um no erro do outro sim é coisa de “quinto mundo”. A jornalista caiu no meu conceito, mas a loja me assustou muito mais, principalmente pelo baixo calão. Se alguém acha que falta de respeito é justificável em alguma circunstância, qualquer que seja, não venha dizer que os outros é que atrasam o país. Isso é um discurso barato que já vi em tudo quanto é canto, não impressiona ninguém. Quanto ao termo “vítima”, sim, o emprego é correto: a loja lesou um cliente, independente de sua atitude ele é a vítima. O comerciante com o mínimo de bom senso tentará resolver o problema sem gerar escândalos.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 11:02
    Enviado por: Rodrigo Vilela

    Lamentável; não há nada a dizer sobre os atendentes dessa birosquinha.

    Sobre a Nina, embora ela esteja com a razão (o prazo não foi cumprido e a “loja” não deu resposta satisfatória), foi totalmente desnecessário o uso de “você não sabe com quem está falando”. Eu adorava atender esse tipo de cliente na minha época de Pão de Açúcar, porque sempre contornava a situação a ponto do cliente sair me pedindo desculpas pela grosseria.

    Mas jamais tratei um cliente da forma com que a “Visou” tratou ambas as clientes.

    Depois quando vão à falência, reclamam que não tem clientela…

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 11:03
    Enviado por: Max

    A loja tem toda a razão, tem CRIENTE que ja vem com a intenção de causar.esse papo que cliente tem sempre a razão esta completamente errado, quando mais corda você der, mais ele quer

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 11:03
    Enviado por: Celio Borges

    vamos publicar em todos os posts da empresa no facebook o link dessa materia…

    http://blogs.estadao.com.br/curiocidade/loja-virtual-xinga-cliente-e-manda-ela-procurar-um-macho/

    Nina, te achei tão lamentável quanto o vendedor, só faltou mandar uma cópia do seu CV para o vendedor…

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 11:04
    Enviado por: Lucas

    É impressão minha ou eu li algumas inversões de valores nesses comentários? Ou provavelmente pessoas que nunca compraram em lojas virtuais. Quando a questão é comércio o atendimento deve ser educado não importa o quão filho da puta seja o cliente, principalmente após a compra. Já compro coisas pela internet a 3 anos, e sempre tive problemas desse tipo. É muito bom quando me tratam com respeito, com calma e paciência. Isso só fará que eu volte a comprar naquela loja. Mas ser tratado como idiota, como se eu fosse apenas uma carteira cheia de dinheiro.

    Um comportamento assim para cada reclamação, além de ações judiciais apenas mancham a imagem da loja. Eu já sei que não devo comprar ali, pois qualquer problema que eu tive, vejo que não irão resolver.

    A posição da professora foi um erro, e muito errada. Mas em questões legais quem sai perdendo é a loja por ter se rebaixado a um nível tão baixo. Essa é uma resposta típica de pré-adolescente de facebook. Vejo que até o comércio foi contaminado por essa má educação das redes sociais.

    Torço pela falência dessa “pseudo-loja virtual”.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 11:12
    Enviado por: Flavio

    Hoje, literalmente, qualquer imbecil pode ter um negócio.

    O pessoal dessa loja não merece nenhuma atenção adicional além desse meu comentário.

    Sinceramente, espero que as pessoas lesadas consigam processá-los(apesar de todo trabalho que terão, pq no Brasil, quem é onerado inicialmente é sempre a vítima) e que tenham sucesso no processo. E espero que isso se torne um processo criminal e não somente civil.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 11:12
    Enviado por: Bia

    E ainda tem maior cara de que traz produto dos Estaites no contrabando pra vender com um monte de ágio por aqui.
    Está cheia de ‘loja’ assim no Brasil. Ainda mais as virtuais.
    Que as lojas cobrem caro por produtos importados, entendo que é por conta de impostos.
    E as sacoleiras que trazem condicionador de 4 dólares e vendem no Brasil por 60 reais? O que dizer?

    (mas a vitima, embora tenha sua razão, mandou mal nesse papo de ‘sabe com quem está falando?’)

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 11:14
    Enviado por: Ana Cláudia Saldana

    Comércio pela Internet é horrível no Brasil. Eu fui roubada por um site falso, perdi 1200 reais em um Play3 q nunca chegou. O site saiu do ar e o Procon não fez nada, nem a delegacia de crimes virtuais respondeu algum de meus emails.

    Ou ontem mesmo, Submarino me deu um desconto em um produto que eu queria, e durou menos de 10min, porque qdo fui finalizar o pedido o desconto sumiu. Liguei, falei com 5 atendentes via fone e 1 via chat. Ninguém resolveu meu problema, e desligaram as ligações na minha cara. Uma das atendentes falou q eu teria q entrar com um advogado para conseguir minha ligação gravada.

    Ótimo atendimento hein!

    Telefônica já chamou minha mãe de louca em um dos atendimentos.

    Eu mesma trabalho com comércio, nacional e internacional. Se eu atendo bem, é porque gosto de ser bem atendida também.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 11:15
    Enviado por: Gustavo

    A loja deve ser um lixo só pelo nome…
    Mas ponto pra terem colocado essa jornalista no lugar dela… Qualquer macaco com uma máquina de escrever se acha autoridade… Chupa!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 11:16
    Enviado por: Roberto

    Nada justifica a resposta da loja, mas também não devemos julgar só por parte dela. A referida jornalista também usou de uma arrogância tremenda.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 11:17
    Enviado por: Alma Sensitiva

    esnobismo sexual

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 11:19
    Enviado por: Mark Thompson

    Olá! Não sei se vai ajudar em alguma coisa, mas, segue o perfil da Natasha Souto [ https://www.facebook.com/crossesandantlers ].

    Abraços,

    Mark

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 11:20
    Enviado por: Maria Helena

    Gente, na boa, quem acha justificável o que essas pessoas fizeram precisa sentar e pensar um pouco. Primeiro, no e-mail no qual a moça dá a carteirada fica claríssimo que houve uma conversa, pelo jeito longa, antes, sem que nada tenha sido resolvido, e que ela já foi destratada. E segundo e mais importante: quem quer abrir um negócio pra lidar com público tem que lidar com antipatia e arrogância sim. Comércio é assim, minha gente. Por isso nunca fui comerciante, nem seria jamais. Nao sei rir pra desaforo. Mas quem quer lidar com o público tem que saber. Senao seria até engraçado, né? Ia ser um tal de caixa de supermercado mandando gente tomar no c…, atendente de farmácia dizendo “nao enche o saco, velho doente, f… da p…”, enfim. Comerciante tem que aturar isso sim. E se nao aturar, tem que dar um jeito respeitoso na situação.

    E só pra terminar: existem dezenas de casos de “lojas virtuais” assim, principalmente de produtos importados. Tudo 171.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 11:23
    Enviado por: Maria Helena

    Celio, você está sendo arrogante com esse negócio de morei na Europa, para usar seu próprio raciocínio. E você se esquece que a moça foi ROUBADA. Ela pagou uma coisa que nao foi entregue, sem nenhuma satisfação. Pessoas roubadas nao reagem com simpatia.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 11:24
    Enviado por: Flávio

    Obviamente que a loja Visou está completamente errada na maneira com que tratou o cliente. Totalmente desrespeitosos no atendimento e tratamento de problemas. Mas não discordo também dos que criticaram a postura da jornalista. Ela não precisava usar de seus títulos e cargos para atacar a loja.

    Mas acalmem-se, não vou defender a loja do que ela fez. Apenas quero dizer que a Nina tem razão em reclamar, mas foi desnecessário usar de suas atribuições na discussão. Abçs.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 11:25
    Enviado por: rodrigo araujo

    POR QUE NINGUÉM AQUI NUNCA SE ESTRESSOU NUM ATO DE COMPRA, NÃO É? JÁ FORAM HUMILHADOS, TAMBÉM? Concordo que a jornalista tenha pecado na colocação, como se ela fosse “superior” aos outros, mas acima de tudo ela (e nós) somos CONSUMIDORES, e nem por isso merecemos ser mal tratados. Acho que antes de criticar a postura de alguém, revejam seus conceitos e coloquem-se também no lugar de consumidores.

    Rodrigo.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 11:26
    Enviado por: Pedro Henrique

    Clécio, por favor, se o Sr. for dono de alguma loja ou estabelecimento comercial (ou qualquer coisa parecida, que envolva contato com cliente), deixe o nome do seu negócio aqui para divulgação, para que eu (e todos os outros, aposto!) passem LONGE, BEM LONGE, de lá. Se vc acha correto comprar algo e não receber o produto, algo está errado nessa “Europa” que vc morou. E pior: se acha errado o fato do cliente reclamar, mesmo utilizando palavrões (que atire a primeira pedra quem tem sangue de barata!), então acredito que seja caso de tratamento psiquiátrico – o sr. parece ser masoquista!

    Questão de utilidade pública, okay?

    Obrigado, Pedro.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 11:27
    Enviado por: Aline

    mal educada.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 11:30
    Enviado por: Naty

    Decepcionante, simplesmente.

    Todos os comentários, dando razão a vítima, que honestamente poderia ter colocado sua melhor roupa e ter ido a um shopping e comprar os itens em qq loja do ramo, ter encontrado os amigos, papeado e ter voltado linda e saltitante para casa, feliz da vida, preferiu entrar na internet e comprar em uma loja q sinceramente eu nao compraria, pois nao conheço a procedencia. Isso tudo pela comodidade, situação pela qual os seres humanos sempre estão à procura, a tal comodidade. Comodidade que não te deixa mais sair de casa, que te prende a coisas pequenas, que te impede de fazer algo quando não tem a tal “comodidade”. A loja mal administradada, que sabe a situação que os portos e aeroportos se encontram no quisito liberação de cargas de importação e não informam que o produto pode demorar e a falta de respeito para com o proximo. Pelas apelações nos comentários maldosos, sem fundamento, visando apenas chamar atenção para si mesmos, afinal de contas, vocês acham que dando razão a um ou a outro essa situação irá se resolver? não cabe a nós julgarmos quem está certo ou errado, para isso existem Juízes graduados, parem com essa falação, com esses insultos, vocês acham que quem quer q ganhe esta causa irá dar um pouco do que ganhar a vocês? Não se desgastem um com os outros, guardem para quando realmente precisarem, conversem, cheguem a um acordo, cedam! Nem sempre temos razão!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 11:31
    Enviado por: Victor

    hahahahhahahahahahaha essa foi otima.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 11:31
    Enviado por: Danilo Lion

    A. Vandelay e e Marcio Arnaldo são da familia da jornalista ou foram contratados para defende-la assim tão arduamente?

    Não vi nenhum comentário que estivesse querendo “justificar” o comportamento do atendimento (até porque, nada justifica), mas apenas indicaram que ela foi arrogante (e foi mesmo!… não deveria fazer a minima diferença para o atendimento ela ser desempregada, jornalista, presidente da republica ou qualquer outra coisa…. foi clara tentativa de “se fazer importante e intimidar”) …. vários sinalizaram isto e sinalizaram corretamente!

    Mas claro, ela tem mesmo que processar essa empresa…~não são profissionais, não sabem respeitar… e isto vai a muito pior do que uma reles arrogancia.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 11:32
    Enviado por: Daniel

    Ela também foi indelicada, ao assimilar os clientes da loja com “emos mimadinhos”, a partir daí foi uma escalada. Sem contar a “carteirada” que ela tenta dar ao se assumir como jornalista blá blá e mestranda. Tenho 29 anos e tenho um doutorado no exterior e não uso-o como coativo. Enfim, ela falha, ao meu ver, em demonstrar que está certa.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 11:33
    Enviado por: Leo

    relação de consumo, a empresa estava totalmente errada ao tomar tal postura agressiva, mas essa senhora tem muito que aprender ainda. Estereotipozinho arrogante. Toda essa formação para expressar sua ignorância com um bom português.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 11:34
    Enviado por: Gabriela

    Fiquei impressionada com a reportagem. Já fui mal atendida nessa loja, e meu pedido (um simples anel) demorou 2 meses para chegar. Porém, não fui ofendida. Após ler esses casos e saber que não fui a única, espero sinceramente que essa loja virtual vá a falência e que os nomes dos donos fiquem sujos por um bom tempo.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 11:39
    Enviado por: Eduardo Carlson

    Acredito que a jornalista pode estar errada, mas isso nunca vai justificar a falta de respeito da loja.

    Você pode ter um cliente grosso e maleducado, mas tem que cuidar do negocio como um todo. Não ter um bate-boca com ele.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 11:40
    Enviado por: Monique

    Nossa, nao acredito nesses comentários, distorcendo a história… ela tomou canseira 3 meses e qdo resolve se manifestar (pq ficou irritada com a canseira da loja, ai ela nao pode!) me polpem… agora a loja tá certa? pelo amor de Deus, qta ignorância nesses comentários! Nao importa o que a Nina falou, o cliente tem sempre razão, a loja tem q ter postura e se manter imparcial. Quem tem loja ou qq comércio tem q saber lidar com todo tipo de pessoa, eles agiram mto mal, foram ofensivos, achei um absurdo e jamais vou comprar nessa loja.
    E qto a Julia? isso ngm falou… ela só exigiu o seu direito, assim como a Nina, apenas exigiu de forma diferente, e o que ela teve de resposta??? A tal da Visou respondeu de forma completamente desnecessária, ofensiva e grosseira. OLÉO DE PEROBA PRA ESSA VISOU! já compartilhei p que ngm passe o mesmo.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 11:43
    Enviado por: Leo

    A Cliente tentou se mostrar superior exibindo todo o currículo, se achando superior, e acabou se mostrando arrogante e preconceituosa ao mencionar os emos. Tudo bem que se trata de uma relação de consumo, a empresa estava totalmente errada ao tomar tal postura, mas a cliente tentou humilhar. Estereotipozinho arrogante. Toda essa formação para expressar sua ignorância utilizando-se de um bom português.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 11:43
    Enviado por: Adriana

    A tal da jornalista, professora universitária exige respeito mas não sabe respeitar…
    não justifica a forma como a tal visou se referiu a ela, mas a tal jornalista acha que só pq é professora universitária, escreve nas 2 maiores revista de circulação tem que ser bem tratada e ainda se refere como emo mimadinhos outros clientes da loja?!
    ela deveria exigir respeito como ser humano, como consumidora e não por ser jornalista, mestrada e professora universitária… grande merda… caga igual a todo mundo…

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 11:44
    Enviado por: John

    Bastou notarem que o caso tava tendo projeção que enviaram toda a família (ou funcionários) para tentarem inverter a situação aqui. Estranho são os babacas usarem as mesmas expressões, burrice, né? André, Célio e Samantha, merdo de perder os “empregos”? >=)

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 11:47
    Enviado por: Fabão

    Todos que postaram aqui que o atendente só respondeu à altura ou são burros, ou são perfis fajutos a favor da loja. É só ler o início da msg: “já que aqui a coisa é na grosseria…”.
    Então, quem respondeu à altura foi a cliente, abestados!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 11:48
    Enviado por: José Carvalho

    Qualquer manifestação de apoio ao site Visou aqui é suspeito. A compradora tem o direito de posse ao produto comprado no momento em que os recursos foram transferidos de sua conta para a conta do vendedor. O atraso sem tamanho, a indiferença do vendedor, sua reação violenta e além da medida à indignação ela e as tentativas de anularem as manifestações posteriores de protesto são fortes evidências de dolo. Se a compradora foi arrogante, e isso depois de longa espera, o fez para lutar pelo que lhe é de direito. Como você trataria o ladrão que você pega batendo a sua carteira? Já a violência dos vendedores? é injutificável (ou não, pensando no batedor de carteira). Por favor, fechem este site de vendas, e processem seus proprietários para que nunca mais possam abrir negócio semelhante.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 11:49
    Enviado por: FAUSTO SCHLITTLER

    QUANTOS ERROS DE PORTUGUES, QUANTA GENTE SEM TER O QUE FAZER, E QUANTA GENTE POBRE DE ESPÍRITO QUE SE OFENDE POR POUCO. PQ ISSO É COISA DE GENTE IGNORANTE, PROVINCIANO, PRE CONCEITUORO E RETRÓGRADO COMO MAIS DE 90% DOS BRASILEIROS SÃO!! MORAR NA EUROPA NAO DIZ NADA, TB MOREI POR ISSO POSSO FALAR!!

    MAS NA VERDADE, O QUE FALTA NESSA P@#%¨&*& DE PAIS É RESPEITO, QUE É A BASE DE TUDO!!

    E FALTA PARAR COM A CHATISSE DO POLITICAMENTE CORRETO, QUE AGORA QUALQUER UM SE OFENDE POR ISSO, PARECE QUE HOJE EM DIA TODOS PROCURAM PELO EM OVO!!

    VAI LAVAR ROUPA, VAI BATER PUNHETA, SE MATA, QUEM SABE O MUNDO FICA MELHOR SEM ESTE TIPO DE GENTE!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 11:49
    Enviado por: Marcelo

    Eu sou PHD em economia por Harvard e gostaria de mandar todos que usam seu status social para conseguir bom atendimento tomarem no cu. Boa Tarde.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 11:49
    Enviado por: Luciano Silva

    Tenho vista muita empresa que fica bem na foto no ReclameAqui e não dá nenhuma importância para as reclamações do Procon. Principalmente as que vendem viagem pela internet.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 11:49
    Enviado por: Juliano

    Gente, não adianta ficar discutindo com o Celio…

    Ele ja morou na Europa durante 25 anos.

    Você está fazendo a mesma coisa que a jornalista (vitima)

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 11:50
    Enviado por: Allan

    Vocês só podem estar de brincadeira.
    Tem muito cliente EMO sim que deixa este pessoal pisar em cima, não deram feedback, não trataram o cliente com respeito, ou seja não servem para o comércio.
    Se os produtos demoram coloque no carrinho um aviso enorme falando isso, não descontem no cliente. e a opinião de todos acima da minha resposta devem ser de pessoas que ou ingerem fezes no café da manhã ou dos próprios donos da Loja que estão tentando dar uma acalmada, só que tem um detalhe…
    ISSO É INTERNET E PODE TER CERTEZA QUE VC’S AINDA VÃO TER MUITA DOR DE CABEÇA!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 11:50
    Enviado por: carlos roberto

    Ainda bem que foi a nina, imagina se fosse a carminha?

    TUDO CULPA DA NIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIINA
    aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaah

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 11:51
    Enviado por: Aline B.

    O tratamento com as consumidoras foram realmente desnecessárias e chocaram. Mas a atitude da Nina também a desejar.. menosprezar os outros e se vangloriar por diploma, profissão e o carai a 4. Só me fez parecer que ela é uma mimada, esnobe, e chata.
    Não há nada que me irrita mais uma pessoa que acha que tem o mundo porque tem um diploma nas mão.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 11:52
    Enviado por: Erico

    Tem gente nos comentários desta matéria que não compreendeu direito o que está escrito.
    Algumas pessoas entenderam que a cliente é que xingou ou ofendeu o atendente. Mas prestem atenção que o texto da cliente está em destaque dentro da resposta do atendente, ou seja quem nos chama de mimados é o atendente e não a cliente.
    Abraços

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 11:52
    Enviado por: Sou da Terceira Idade e quando criança até acreditei em Papai Noel e Saci Pererê!

    Observo que há muitos internautas que acreditam em tudo (ou quase tudo) anunciado na Internet.
    Se no comércio “real” há uma infinidade de picaretas (e clientes safados, também!), na Internet é muito maior a chance de ser prejudicado por uma das milhares de lojas “virtuais”. Se falhas ocorrem até com empresas idôneas e de credibilidade incontestável, porque acreditar em qualquer site de e-commerce?
    Quanto aos nomes dos “donos” dessa loja virtual (Tatyele Lopes, Richard Ferrari e Natasha Souto), aposto que são “nomes artíticos”! rsrsrs…
    Enfim, os malandros sobrevivem porque a quantidade de otários é 100 vezes maior.

    Assinado: Tony Justus

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 11:55
    Enviado por: Carlos Almeida

    Definitivamente esse Márcio Arnaldo Borges tá fazendo escândalo onde não tem. O Célio só falou que ela também tava errada e o Márcio veio ofendendo. Márcio, sua forma de escrever tão culta não condiz com a mentalidade que você tá passando. Chegou acusando o André gratuitamento, tirando juízo próprio e etc. Cara, aprenda a respeitar os outros na internet, use seu argumento mas sem desrespeitar ninguém. Você não é dono da razão aqui. Não se julgue importante demais, esse tipo de arrogância vai pegar mal pra você um dia (tomara, aí você aprende) e faz qualquer um desanimar e ter medo de encontrar com pessoas assim na rua.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 11:55
    Enviado por: Roberto Calçado

    A referida loja é estabelecida e fornece nota fiscal?

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 11:55
    Enviado por: Aruan

    E para quem está dizendo que ela é ridícula por se aproveitar do fato de ser jornalista… Ela está é certa. Graças a ela, a página do facebook deles está cheia de mensagens negativas, e o site já está fora do ar. Se aproveitar do cargo para fazer algo BOM não deveria ser reprovado, e sim estimulado. Não comparem a mulher com políticos corruptos, por favor, isso é distorcer os fatos.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 11:56
    Enviado por: Diogo

    Quer dizer que a “jornalista”, mestre, professora universitária, acha normal xingar “emos” de mimadinhos?
    Não estou defendendo a “Visou”, que está ainda mais errada, mas esse jornalista aí também errou, feio, ou ela acha que não tem leitores nesse perfil?

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 11:56
    Enviado por: Felipe

    O Interessante é que a dita jornalista também não foi nada cordial, além de se exacerbar e querer usar sua posição para resolver o problema.

    Na hora que um político, policial ou outro fala “você sabe com quem está falando” dizem que é arrogante e está abusando do poder… mas na hora que ela mesma fala esquece desse detalhe.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 12:00
    Enviado por: João Paulo Nardin Tavares

    Essa “loja” não é de amapaenses não?

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 12:01
    Enviado por: Zangetsu

    Grosseria e burrice.

    Lojas virtuais tem que temer o poder virtual e não da justiça, o site da visou foi depredado e está fora do ar.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 12:01
    Enviado por: Rebeca

    Por mais que a vítima (sim: vítima) tenha saído da linha e exagerado ao usar sua formação e cargo para ameaçar a loja, o atendente IMEDIATAMENTE desceu mil níveis ao colocar a vida sexual da cliente em pauta. NÃO FAZ SENTIDO. Eu, como atendente que já fui, sei que a função do atendente é irrelevar esse tipo de ofensa em prol do bem da EMPRESA. É irritante ouvir um cliente se gabar de ser “melhor”? É! Mas quando um atendente fala com um cliente, é a empresa quem está falando. É OBRIGAÇÃO dele tratar a todos com cortesia e respeito, independentemente de como o cliente estiver reagindo. Nota zero pra essa VISOU. Merece ser processada. E – ó que milagre – o site da loja está fora do ar…

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 12:02
    Enviado por: juliana

    Se Célio enviasse um email reclamando do atendimento, com certeza seria chamado de COMUNISTAZINHO DE MERDA, aí eu queria ver.

    O problema é que as pessoas não tem a mais vaga noção sobre direito do consumidor, o que demonstra o absoluto desconhecimento sobre a constituição do próprio país, uma vez que o direito do consumidor é direito fundamental e se baseia na dignidade da pessoa humana.

    Eu, se fosse FURTADA (pq paguei por um item que não recebi dentro de 2 meses), avisaria que sou advogada e que processaria a loja. Porque é tão absurdo a jornalista dizer que aquele tipo de comportamento ilegal não ficaria impune pois ela publicaria toda a situação a que foi submetida em um jornal ou revista relevante? A história foi parar no site do estadão, o que mostra que meios ela tinha e os utilizou com inteligência! Está de parabéns.

    A visão limitada dessas pessoas me entristece! Essa gente acha que o só fato de ser pobrezinho, vendedor, menos favorecido dá um direito absoluto de atender mal aos clientes, quase como num sistema de equilíbrio do universo. Eu não posso reclamar de você se você é pobre, mesmo que vc me preste um péssimo serviço pelo só fato de vc ser “coitado”.

    E outra, que tratou com a consumidora foi o dono da loja e não o vendedor. De qualquer maneira NADA justifica as ofensas que foram direcionadas a ela. Ela não abaixou o nível em momento algum. Eles devias se limitar ao bom e velho “desculpe, tentaremos resolver o seu problema”

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 12:03
    Enviado por: Hélio Alves

    O brasil é um pais sem leis, principalmente quando o assunto é compra pela internet, existe um site http://www.baratoajato.com.br que está lesando centenas de pessoas e a justiça não faz nada, só eu perdi R$400,00. Ao contrario desta matéria, o barato a jato sabe ser educado, mas nunca cumpre oq promete, pode consultar o site reclameaqui.com.br e ver a quantidade de pessoas que estão sendo enganadas.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 12:03
    Enviado por: Rayanne Portugal

    IMPORTANTE!

    A Visou tá dando alerta de spam em todos que compartilham a matéria do Estadão.
    Acabou de acontecer comigo e com uma amiga.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 12:07
    Enviado por: Rain One

    Eu acho engraçado o “vocês tao conversando com uma Jornalista, que tem mestrado e é professora universitaria”. ESPERO que a Nina tenha dito isso como uma “ameaça” a publicar tudo “nas duas maiores revistas de circulação do país” (se bem que eu nao sei como alguem que tem mestrado e é professora faria isso. Só a parte do Jornalista ja era o suficiente), pq a entonação do que ta escrito, a uma primeira lida, pra mim, da a impressão de “eu sou jornalista e professora e tenho mestrado, voces nao podem fazer isso comigo pq eu sou diferenciada”. Mas se ela fosse uma empregada analfabeta, tudo bem. Eu ESPERO.

    Mas que da a impressão do bom e velho “vocês sabem com quem vocês tao falando?”, onde algumas pessoas, devido à sua posição financeira ou status na sociedade, tem mais direito que as outras, costumeiro nesse país imundo em que vivemos…. ah dá.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 12:09
    Enviado por: larissa coelho

    eu tinha salvo a loja nos favoritos pois tinha visto umas coisas legais e tinha intenção de comprar..depois dessa passo longe
    chuta que é macumba..

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 12:09
    Enviado por: Elison

    teste teste

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 12:09
    Enviado por: André Souza

    Bom, a atitude da “VITIMA” foi de fato incorreta ao agir de forma tão arrogante e prepotente? Não sei! Acho que, no mínimo, é éticamente questionável, dado o ponto em que ela se refere ao restante dos consumidores de forma tão pejorativa.

    Qualquer relação entre parceiros de negócio, independente de que lado esteja, deve ser de clareza, educação e respeito. Ao menos acho que assim é o bom senso.
    Sejamos francos: a cliente perdeu a paciência, sim!; O fornecedor perdeu a paciência, sim! Passional… todo somos passionais.

    Mas contra fatos não há argumentos, o histórico do fornecedor não colabora nem um pouco para que se possa dizer algo em sua defesa. Aí já é questão de lógica….

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 12:10
    Enviado por: ClaudioM

    Para informação: o site http://www.visou.com.br está fora do ar. Acho que isso encerra a discussão. Parabéns à cliente que se queixou e fez valer seus direitos.

    responder este comentário denunciar abuso

    • 11/09/2012 - 12:20
      Enviado por: Ricardo Bozza

      O site caiu por excesso de acessos, provavelmente. Devem estar ‘nukando’ o site depois da página Humor Negro, do facebook, ter feito uma postagem pedindo para os usuários comentarem negativamente os produtos da loja.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 12:31
      Enviado por: ClaudioM

      Página no Facebook está sendo depredada virtualmente…

      responder este comentário denunciar abuso
  • 11/09/2012 - 12:10
    Enviado por: Japa

    Eu não sou emo……
    Tadinha dessa jornalista….
    Tô achando que o cara do site tem razão sobre a parte dos comestíveis.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 12:13
    Enviado por: Joao

    Se isso não der um belo processo e rendimento, não sei o que pensar da justiça…

    Esses já eram, podem encerrar a empresa.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 12:14
    Enviado por: Marcelo

    GANHANDO 100 MIL EM 3, 2, 1……….

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 12:15
    Enviado por: Jack

    Tenho certeza que este site é mais um de tantos sites falcatruas q fazem uma boa grana com tontos q compram achando que vão se dar bem depois somem do mapa…
    quando os advs foram bater na porta da empresa que vem a noticia nunca existiu e esta em nome de laranjas kkk
    dai é grana perdida e nego rindo

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 12:18
    Enviado por: Nicky

    Depois dizem que não existe machismo.
    É só ver o tipo de xingamento feito a duas mulheres por esses misóginos.
    Sempre remetendo ao sexo (o que isso tinha a ver com o caso? Por que não chamaram a mulher de burra, idiota, ou mentirosa, ou, sei lá, “com inveja” do suposto sucesso comercial deles?), a fim de menosprezá-las e inferiorizá-las por causa de seu gênero.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 12:18
    Enviado por: V. Coelho

    Matéria muito imparcial, claro que não dando razão a quem xingou, mas também achei desnecessário o “carteiraço” que a jornalista deu. Não tem como saber qual a abordagem que a jornalista tomou.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 12:19
    Enviado por: sabrina

    É a total inversão de valores que vivemos, no final tem gente, muito estúpida, a favor da loja! Primeiro ninguém sabe o que a loja falou antes, insultando a cliente, para ela responder deste jeito, depois, mesmo que ela tenha dito tudo que faz e o que não faz, não é motivo para esta gente desta loja tratar um cliente desta forma. Coisa de gente chinelona e que não tem a mínima ideia de como administrar um negócio, muito menos um problema com o cliente. Comprem, comprem mesmo com esta lojeca e tomara que aconteça o mesmo com vcs! Cansada de ver tanta injustiça, falta de educação, todo mundo achar isto bonito!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 12:20
    Enviado por: Vera

    Parece que o povinho da loja Visou esta aqui fazendo comentarios como se fossem clientes, contra a jornalista. Ta bem na cara, hein Visou. Apenas um imbecil defenderia uma loja que chama a cliente de vagabunda e comunistazinha e manda procurar macho. Nojo dessa loja. Boicote ja.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 12:24
    Enviado por: Orlando

    Atuo na área do Direito e fiquei perplexo com o grau de desrespeito e infantilidade. Espero que constituam ( as consumidoras ) advogados qualificados para lidar com tipos assim.Não se pode deixar impune empresas que não sabem lidar com consumidores.E que os tratam como moleques.Nada justifica os palavrões, o machismo infantil ( advogada gata etc ), o baixo calão que domina as frases e toda a espécie de deboche que foi proferido.Repito.Nada justifica.
    As pessoas não podem nunca se acostumar com este tipo de atitude.Caso contrário, viveremos no caos onde cada um é a medida do seu comportamento.
    Não deixem isto passar sem usar a justiça!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 12:25
    Enviado por: Alexandre

    Independente do tratamento posterior, mas é triste saber que ainda tem gente que ainda usa o “- Você sabe com quem está falando????”
    E olha que é uma jornalista. Assim como poderia ser uma varredora de rua. É tudo profissão, não autoridade. Cidadão é cidadão, independente de diploma.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 12:29
    Enviado por: Nathalie

    2 clichês defenderão minha opinião:
    -Respeito é bom e todo mundo gosta.
    -O cliente tem sempre razão.

    Já que se sujeitaram a ser empreendedores, por que não criar uma política de vendas?!?
    Trágico…

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 12:33
    Enviado por: Ricardo

    Célio, a conta é simples. Calúnia e difamação são crimes, prepotência e arrogância não.
    É chato, é desagradável mas é permitido.
    Todo profissional do comércio sabe que é necessário engolir sapos, que haverão chateações, que existem clientes incompreensíveis e mais exigentes que outros. Por isso existe a máxima “o cliente tem sempre razão”.

    Se não estavam prontos para lidar com a insatisfação da cliente, agora que lidem com as consequências.

    A atitude deles é, além de tudo, uma ofensa a todos os comerciantes que passam por esses problemas todos os dias com compostura, ética e respeito.

    A falta de humildade da jornalista não a faz menos vítima. Ninguém pode ser julgado por sua personalidade, apenas pelos atos.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 12:34
    Enviado por: Goytá

    Tenho total repugnância por gente que dá carteiradas, que aplica o “sabe com quem está falando” e se acha mais que os outros. Eu certamente não gostaria de conviver com essa Nina. Mas eu também não gostaria de conviver com gente vulgar, desbocada, amadora e desonesta como essa gente da Visou demonstrou ser.

    Ademais, a Nina ainda é uma consumidora, protegida pelas leis do país e a atitude da Visou AINDA foi muito pior que a dela e continua sendo uma infração às leis do país em mais de uma maneira. A carteirada dela, antipática como foi, não muda isto, nem lhe tira o direito a um tratamento profissional e a todos os recursos da lei para casos como este.

    A Nina pode até merecer ouvir algumas coisas, e o pessoal da Visou (apesar de ter errado primeiro e de forma pior) pode até sentir muita vontade de falá-las, mas não é isso que se espera de uma relação COMERCIAL, em que se espera PROFISSIONALISMO – ainda mais sendo exposta assim num fórum público. O pessoal da Visou não tem noção de contexto e não entendeu que relações comerciais e profissionais não podem nem devem ser conduzidas da mesma forma que relações pessoais. Isso é BÁSICO, são coisas completamente diferentes, mas parece que muitos leitores aqui também não entenderam isso. Como já foi lembrado, a outra cliente, Júlia, não deu a carteirada da Nina e ainda assim foi destratada da forma mais vulgar.

    Mas tudo bem: o amadorismo, o despreparo e o relacionamento desastrado com os clientes logo tirarão essa Visou do mercado.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 12:39
    Enviado por: Claudia F.

    Vocês brasileiros são engraçados falando que a Nina agiu de forma incorreta em “se gabar” por ser Jornalista. Gente, qual é o problema de vocês?! Ela tem o direito de se gabar SIM, pois não é todo mundo nesse país que tem uma faculdade e um mestrado. Ela tem o direito de se achar pois ela TEM fundamentos pra isso; ela TEM formaçao. Diferentemente dessa tal de Natasha Souto, que já tem DOIS FILHOS, com apenas DEZENOVE ANOS e sem nenhum diploma na mão, achando que vai conseguir ganhar a vida revendendo coisas que ela compra no eBay por CINCO vezes mais caro que o preço real. Não deveria ser uma SUPRESA para as pessoas ver esse tipo de tratamento sendo utilizado pela VISOU. Ninguém ali tem formação, ninguém ali tem experiência na parte de vendas, ninguém ali sabe como o mercado funciona. Mas, como muito brasileiro é burro e alienado, eles contam com essa ferramenta para tratar mal as pessoas e ainda saírem com fama de “queridinhos”.

    É ótimo que alguém tenha tomado a iniciativa de processar esses babacas. Não faz muito tempo que dei uma olhada na página do Facebook deles, e tinham mais reclamações diante ao péssimo atendimento ao cliente do que qualquer outra coisa. Espero que os 3 engraçadinhos donos da loja aprendam uma lição com o devido acontecimento.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 12:40
    Enviado por: Teusma

    Uma dica: denunciem como spam ou fraude essa maldita pagina https://www.facebook.com/lojavisou

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 12:40
    Enviado por: Marcelo

    Na verdade houve troca de insultos até por conta da injusta provocação da Jornalista ao tentar intimidar a loja pela sua função, indo ao extremo de menosprezar todo um grupo de pessoas (EMO), acho que um processo entre as partes seria benvindo ainda que não tenha um final feliz para nenhuma ja que houve insultos simultaneos, e portanto não teria sentido indenização reciproca, mais ainda acho que um processo por parte do Grupo dos EMO a jornalista seria justo e muito provavelmente teria uma sentença um tanto quanto educativa ($$$), ja que ela atingiu a honra de pessoas que sequer tiveram a oportunidade de debater (se defender) e ainda assim foram reduzidos perante a sociedade.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 12:42
    Enviado por: Sheila

    Que absurdo.Nem da pra acreditar nisso em uma epoca de lovemarks… Esses seriam os hatemarks rsrs. Desculpas da brincadeira

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 12:49
    Enviado por: Kauê Lima

    De onde são os vendedores mesmo? Ah, tá explicado então! ^-^

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 12:51
    Enviado por: Juliana

    Bem vindos a realidade do atendimento carioca. A esmagodora maioria é nojenta e acha que está te fazendo um favor. Bom atendimento aqui é excecão.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 12:51
    Enviado por: Andréa Moura

    O caro ‘colega’ Célio deve ser parente da Natasha. Bem, a loja está errada e se queimou para sempre, pois isso é reação de gente complexada e com baixíssima autoestima, pra se doer com um posicionamento de defesa da consumidora com “argumentos” como “comunistazinha de m” e “mal comida”, isso denota baixíssimo nível do(s) funcionário(s) e o despreparo para lidar com público, além do profissionalismo zero. E o tratamento deplorável fere o código do consumidor que entre outras coisas rege que “o cliente tem sempre razão”. Notem que vocês se concentraram na jornalista tão somente e não repararam que a estudante não deu o menor motivo para ser tratada dessa maneira. E as demais pessoas que tiveram suas mensagens deleitadas e foram bloqueadas também não deram razão alguma. Ou seja, há de se trocar o quadro de (des)funcionários dessa dita loja ou tirá-lá do ar através de processo cabível. Culpar uma cliente que se defendeu a meu ver é como culpar uma vítima de estupro falando que ela deu razão para a estuprarem. E essa reação dos funcionários me faz lembrar de um jornaleiro que me devolveu troco errado, quando eu percebi e resolvi voltar para pedir gentilmente que me devolvesse o troco, ele começou a me xingar do nada, com palavras de extremamente baixo calão (fui chamada até de prostituta) e me mostrava a carteira de identidade dele, falando que era “trabalhador”. Oi? E quem falou o contrário? Eu só queria meu troco correto. A reação desse povo foi a mesma. Então, duas coisas: quem não deve não teme; e tem algum problema de baixa estima, vai se tratar com psicólogo. E o saldo final pra esse povo despreparado é que a loja está queimada no mercado pra sempre. Valeu a pena a descompostura ridícula? Acho que não.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 12:52
    Enviado por: Vagner "Ligeiro"

    Bem, de fato toda forma de desrespeito tem que se combatida. Fato inegável.

    Só que me estranha a conversa da jornalista. Parece meio que uma “carteirada”, tipo “cê sabe com quem está falando?”. E que eu saiba, muitos jornalistas reportam casos de “carteirada” que acabam indo até a justiça. Se um deputado, advogado ou policial, pela moral, não podem dar a “carteirada”, por que um jornalista pode? Acho melhor ter falado “Este caso vai pro Procon” e pronto. Mais eficiente. Arranjar confusão na internet, que a cada dia parece exaltar este tipo de atitude, é o que acaba dando muita dor de cabeça.

    E provavelmente a empresa já vai perder muito com esta história.

    responder este comentário denunciar abuso

    • 11/09/2012 - 13:01
      Enviado por: Alberto

      Famosa turma do faça o que eu digo mas não faça o que eu faço. Muito fácil vir de mimimi de politicamente correto pra desvirtuar o absurdo que a tal loja fez.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 11/09/2012 - 13:04
      Enviado por: Na boa?

      bla bla bla

      Não perca seu tempo tentando justificar o injustificável com esses perfis fakes. Procurem um bom advogado que vocês ganham mais!

      responder este comentário denunciar abuso
  • 11/09/2012 - 12:52
    Enviado por: Nany

    Nossa! Eu nao consigo acreditar q isso aconteceu. Com certeza o Juiz irá solicitar pericias a fim de comprovar esse desaforo. O relato é tão surreal que eu passei a duvidar dessas provas.
    Nem um boteco, dos piores, tratam seus clientes desta forma.
    Idenização na certa, e alta.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 12:55
    Enviado por: Hugo

    A jornalista também age de forma preconceituosa ao chamar os clientes de “emos mimados”. De qualquer forma, essa loja tem que ser fechada.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 12:56
    Enviado por: Do Contra

    Infelizmente, a má educação do atendente do site está à altura da tentativa de carteirada da jornalista/consumidora, e vice-versa.

    O fato dela ter mestrado e ser professora universitária não a torna melhor que qualquer outro cliente, e isso jamais deveria ser usado para exigir um melhor atendimento.

    O mais triste desta história é ver que a tecnologia evolui, mas certos costumes brasileiros não. Em boa parte, o Brasil continua o país do “você-sabe-com-quem-está-falando” e dos preconceitos surrados de credo, cor, gênero, machismo e “diferenciação sócio-cultural”.

    Pontos negativos também para o jornal/site, que não transmitiu a notícia de forma isenta, pois vitimizou a consumidora, quando na verdade ela é tão passível de críticas quanto o atendente do site. Tudo errado!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 12:56
    Enviado por: Cláudio Neves

    meu problema é com a vivo, toda vez que publico minha duvida sobre um plano na fanpage eles deletam e nao respondem nada…so quero saber se é possivel migraçao de um plano que eu tenho para outro já que pelo 10315 com aquele sistema eletronico ridiculo nao consigo falar com ninguém so com maquina…….mas eles deletam o que publico e nao respondem nada, so vejo propaganda deles mesmos se é para ter canal no face assim é melhor nao ter já que nao posso postar nada que eles deletam…..

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 12:57
    Enviado por: Débora

    Não importa como lhe tratem, revidar da mesma forma é tornar você igual ou pior. Não sabemos nem o contexto da conversa. Para chegar à este ponto, claro que ela foi maltratada. Imagine você esperar meses por uma compra e ela não chegar e quando entrar em contato, não derem nenhuma explicação. Ridículo. Vergonhoso. O que entristece realmente é que muitas coisas já aconteceram com várias pessoas, mas só quem tem acesso à mídia (jornalista e afins) consegue publica isso de um dia para o outro.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 12:59
    Enviado por: Rafael

    Por favor… Mantenham nos informado sobre o desfecho dessa atrocidade!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 13:00
    Enviado por: renato sa

    A empresa, que parece ser mais de uma pessoa só, agiu completamente errada e não tem nem desculpas pela grosseria.

    Mas a jornalista também. Destilou seu preconceito contra os tais Emos e adolescentes e se utilizou de toda a pior cultura e tradição brasileira, meteu um carteirasso “sabe com quem está falando…”

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 13:03
    Enviado por: Amanda

    O curriculum da jornalista realmente não era necessário, pois de nada adianta.
    Mas a “empresa” é que esta errada.
    Especialmente por já ter acontecido antes, e aparentemente, sem a pessoa ter se posicionado de maneira superior.
    Pelo menos, dessa vez, eles fizeram isso com alguém que tem como divulgar o acontecimento facilmente.

    PS: O CAPTCHA do Estadão sempre dá erro.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 13:06
    Enviado por: Julia

    Eu não ia fazer nenhum comentário sobre, mas vi o email que a Visou mandou para a Nina e isso me indignou ainda mais!

    Para começar a loja não tem 2 anos como está escrito no email, segundo que isso não foi um caso a parte, a própria garota que escreveu o email dizendo que “demitiu” um suposto responsável, é a mesma que SEMPRE respondeu e tratou mau seus clientes quando fazia parte de uma rede de lojas virtuais, é só olhar os feedbacks:

    http://webcache.googleusercontent.com/search?sugexp=chrome%2Cmod%3D6&sourceid=chrome&ie=UTF-8&q=cache%3Ahttps%3A%2F%2Fvisou.tanlup.com%2Ffeedbacks%2Findex%2Fpage%3A10

    Se existe certo ou errado nessa história eu não sei, eu só sei que existe uma Lei do Consumidor, que existe o bom senso e que acima de tudo DEVERIA existir mais na prática o RESPEITO!

    E por favor Nina, não se deixe enganar com este email de retratação, até pq é muito fácil se esconder atrás de um computador e botar a culpa em um responsável que nem nome teve citado!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 13:07
    Enviado por: Claudia Ferraz

    Vocês brasileiros são engraçados falando que a Nina agiu de forma incorreta em “se gabar” por ser Jornalista. Gente, qual é o problema de vocês?! Ela tem o direito de se gabar SIM, pois não é todo mundo nesse país que tem uma faculdade e um mestrado. Ela tem o direito de se achar pois ela TEM fundamentos pra isso; ela TEM formaçao. Diferentemente dessa tal de Natasha Souto, que já tem DOIS FILHOS, com apenas DEZENOVE ANOS e sem nenhum diploma na mão, achando que vai conseguir ganhar a vida revendendo coisas que ela compra no eBay por CINCO vezes mais caro que o preço real. Não deveria ser uma SUPRESA para as pessoas ver esse tipo de tratamento sendo utilizado pela VISOU. Ninguém ali tem formação, ninguém ali tem experiência na parte de vendas, ninguém ali sabe como o mercado funciona. Mas, como muito brasileiro é burro e alienado, eles contam com essa ferramenta para tratar mal as pessoas e ainda saírem com fama de “queridinhos”.

    É ótimo que alguém tenha tomado a iniciativa de processar os donos da VISOU. Não faz muito tempo que dei uma olhada na página do Facebook deles, e tinham mais reclamações diante ao péssimo atendimento ao cliente do que qualquer outra coisa. Espero que os 3 engraçadinhos donos da loja aprendam uma lição com o devido acontecimento.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 13:10
    Enviado por: Felipe

    Coisa de gente louca…

    Aqui está o Facebook da Natasha Souto, dona da marca:

    http://www.facebook.com/crossesandantlers?ref=ts

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 13:11
    Enviado por: Huck Finn de Settembrini Saavedra

    As pessoas se prendem ao que a cliente disse à loja, como se isso tornasse mais leve o que a loja disse à cliente. Algo como “leu isso da loja porque mereceu”. As pessoas, portanto, se esquecem da obrigatoriedade de isenção e transparência por parte da loja, em função das palavras da cliente, reflexo de uma gigantesca e informal lei de Talião, ou um gigantesco (e igualmente informal) código de Hamurabi, produto da ficção de novelas onde a justiça é feita com as próprias mãos, valendo-se de um território ou país em que a Justiça (em termos jurídicos) é ineficaz. Talvez esta seja a hora de a sociedade como um todo tomar um choque de realidade, e acordar para buscar os direitos a que lhe é dado pela Constituição ou outros dispositivos de Lei. Para a cliente vitimizada e seus comentários sobre a grandeza de sua profissão contrastada com outros clientes (emo ou sei lá o que), que a chuva de críticas dos leitores lhe sirva de lição, pois o papel de quem sabe está mais para guiar do que para sentir-se superior e, por isso, apartado dos demais. Somos todos um, no final das contas.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 13:13
    Enviado por: Samuel fortaleza

    Essa Nina Gazira é mal educada pra caramba também. Além de prepotente ao se achar diferente dos outros, ela chinga os emos em uma situação nada haver. Eu diria que tudo isso é carma instantâneo.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 13:14
    Enviado por: Valerie

    Lidar com cliente é chato… Deve ser muito chato. Seguir com as regras do Código do Consumidor quando você faz comércio virtual também deve ser muito diferente. Mas, a loja entrou nesse ramo porque quis e está ganhando dinheiro com esses clientes emos de merda. Então, tem que aprender a lidar com cliente. Não é como se “as regras do jogo” não estivessem estabelecidas e no final do dia ser uma cliente chata não é contra a lei. Ser uma empresa que não cumpre o estabelecido nas regras e condições e xinga clientes buscando atendimento… Não é exatamente seguir o CPC…

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 13:15
    Enviado por: Vivian Assis

    Que deselegante!!!

    Parabéns a Nina por ter reclamado seus direitos!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 13:15
    Enviado por: Cláudio Neves

    realmente uma coisa tenho que concordar essa cliente nina quer ser tratada com difereça so porque pe mais rica, provavelmente nao deve ter se atentado a questoes de importataçao e outras coisas, nao é assim recebe o e-mail de confirmaçao e no outro dia o produto está na porta….tudo tem prazo…..é claro que no facebook o feedback deve ser melhor, mas creio que até o atendente deve ter dificuldade, porque imagine uma loja pequena de internet um monte de gente mandando recado e mensagem ao mesmo tempo, domingo a noite , nao é uma empresa de escritório , com 0800 ou reclame aqui…..as pessoas se sacrificam para manter seu negocios funcionando 24 horas na net até deixando pessoas acordadas domingo a noite para atender aqueles que nao podem ser atendidos durante a semana porque trabalham…….é claro que a visou precisa colocar um atendente mais comprometido com os clientes para evitar esses xingamentos porque muitas vezes na net acontece igual o telemarketing de telefone , nem sempre o cliente tem razao , se o atendente chegou a dizer que sem o numero do pedido ficava dificil provavelmente a cliente deve ter imaginado que a visou teria que advinhar quem ela é (por conta de seu status de jornalista) o print está incompleto porque nao mostrou o dialogo desde o começo para podermos avaliar realmente quem tem razao é claro que a vizou perdeu a linha, mas algo deve ter acontecido antes daquele post que começa no print……….

    responder este comentário denunciar abuso

    • 11/09/2012 - 13:24
      Enviado por: Cláudio Neves

      fora que a cliente colocou os outros clientes como “emos e mimados”, e isso pode até fazer a loja se sentir ofendida pois se outros clientes estao estao naquela mensagem vao querer que a loja tome alguma posiçao , com certeza foi isso que desencadeou o resto da conversa e o xingamento do atendente para a cliente, hora está chamando os meus clientes de “emos e mimados” é assim que a loja vai pensar , essa história está estranha acho que até a cliente nina sabia já da história da outra cliente junto a essa loja poque no outro print quem chama de mimado é a loja em relaçao ao cliente……acho que a jornalista deus me perdoe criou algo para gerar uma materia contra a visou……e conseguiu….acho que deve tar tao dificil um furo de reportagem que ela mesma criou uma matéria dela própria……

      responder este comentário denunciar abuso
  • 11/09/2012 - 13:15
    Enviado por: Fabio Cardoso

    Acabaram de publicar uma retratação na página do Facebook:

    https://www.facebook.com/photo.php?fbid=346561812101374&set=a.237511366339753.54546.237151043042452&type=1

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 13:18
    Enviado por: Simone

    Gente, um erro não justifica o outro. Quem lida com o público tem que estar preparado para lidar com todo tipo de gente. Se a jornalista foi arrogante ou não, não interessa. Uma empresa séria tem que ter jogo de cintura pra lidar com pessoas descompensadas e agir sempre com respeito e imparcialidade na busca da solução do problema. Com certeza o pessoal da Visou nunca ouviu falar em direitos do consumidor, nem nunca deve ter visto um Código de Defesa do Consumidor, e agora vão pagar o preço…

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 13:19
    Enviado por: Noemi

    Inacreditável… só acredito pq é um blog de confiança… parece mentira isso.
    Q horror! Tem q espalhar isso mesmo, que babacas viu! Vou anotar aqui e passar pra familia, pq tds tem mania de comprar pela internet, é bom ficar de olho.
    Espero que esse caso sirva de lição, e eles paguem caro pela falta de respeito.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 13:19
    Enviado por: José Silva

    Celio, você só pode estar de brincadeira né?

    Pelo seu comportamento, e maneira de escrever, está na cara que você é a estirpe do tal site Vison…

    Os seus comentários são um insulto a inteligência de todos que os lêem.

    Criança mimada, cresça e apareça. Grande M**** que você morou 25 anos na Europa… O que isso te acrescenta? Reclamou tanto da arrogância da jornalista e está agindo da mesma maneira.

    Você é uma vergonha para a classe de empreendedores brasileiros.

    AMADOR!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 13:21
    Enviado por: Igor

    Acho que este é um desrespeito imenso não apenas à dignidade da pessoa humana, mas também das relações entre as pessoas física e jurídica. Qualquer negócio deve ser pautado mediante respeito mútuo entre prestador de serviços e consumidor. E, caso o prestador não tenha condições de fazê-lo, deve, ao menos, consultar assessoria para essa intermediação.
    Ainda que tardiamente, a Visou fez uma retratação pública para o caso da jornalista, mas acredito que, se esta foi feita porque o caso virou público, ela é nula, dado que o respeito não existiu de fato. Contudo, se esta retratação foi pautada em um motivo de desculpas pelo desrespeito, creio que a próxima etapa é passar a respeitar o consumidor, independentemente de sua situação social, financeira e cultural.

    Segue a retratação. E, se a jornalista seguir em frente com um processo, creio ser, realmente, o mais cabível, pois este erro não pode se tornar rotina nas relações entre consumidores e prestadores de serviços.
    https://www.facebook.com/photo.php?fbid=346561812101374&set=a.237511366339753.54546.237151043042452&type=1&theater

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 13:23
    Enviado por: Paulo

    Isso acontece com todo mundo e deve ser punido, mas é ridículo a cliente querer da uma “carteirada” na empresa querendo dizer que é jornalista. Se fosse uma faxineira não teria os direitos preservados? Isso é bem cultura de Brasil e os jornalistas em geral só mostram algo quando alguém da classe é prejudicado. Essa cultura do “você sabe com quem está falando?” para mim é tão lamentável como o desrespeito ao consumidor.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 13:25
    Enviado por: Ana Paula

    Será suficiente ?

    https://www.facebook.com/photo.php?fbid=346561812101374&set=a.237511366339753.54546.237151043042452&type=1

    Visou
    Eu, Guilherme Souza Castro, Solteiro, Brasileiro, e responsável pela atitude de causar desconfortos verbais e informação inverídica ocorrida no dia 9 do mês de setembro de 2012, em nome de toda a equipe Visou, desejo por meio desta retratação pública, pedir desculpas Marina Gazire Lemos. Cabe acrescentar que o reembolso foi efetuado no mesmo dia (09/09), e a cliente pode confirmar isso.
    Reitero publicamente, com a consciência de que atos como estes jamais se repitam. Reconheço ainda não serem verdadeiras as afirmações realizadas e que agi fora de minha razão. Serve a presente nota de desagravo para restabelecer a verdade de idoneidade e honra do ofendido e de seus familiares. Nos desculpamos também com o público em geral.
    Atenciosamente
    Guilherme Souza Castro e Visou

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 13:27
    Enviado por: Cristina

    Duvido que qualquer um de vocês que estão defendendo a loja, continuem a defender se um dia comprarem lá e também fossem tratados com tamanha falta de educação e grosseria. A Nina Gazire estava mostrando é que uma pessoa instruida, que sabe seus direitos e como proceder perante o comportamento dos donos da loja.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 13:27
    Enviado por: ROSA

    já reclamei e nada foi feito…..o site continua vendendo e enganando pois não recebi a compra e nem o reenbolso…´ não repondem mais emais e nem postagem no FACE…mais estão ´lá vendendo…..

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 13:29
    Enviado por: Sebastian

    Tem uma retratação ridícula no Facebook… Bem, mais uma caso de como destruir reputação de um negócio pelo mau uso mídias sociais.
    Agora é só sentar e esperar uma notificação judicial, e claro, contratar um bom advogado.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 13:31
    Enviado por: cassia

    Então, errar todo mundo erra…ele estava em um dia ruim..um dia de fúria, mas tudo pode ser contornado é só promover uma liquidação relâmpago de uma semana, já que a cada semana triplicam as vendas…o que será uma liquidação de 90% off.É só uma semaninha para apagar o Domingo Negro, 09/09/2012.Melhor do que abrir espaço na feirinha da madrugada ou correr do rapa na 25 de março…

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 13:34
    Enviado por: Antonio

    Célio, PARE DE FALAR MERDA! Vá arranjar o que fazer, pentelho.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 13:40
    Enviado por: Guilherme

    Fica a lição: Se você vai comprar em uma loja que não seja reconhecida, 1) Procure saber a reputação da loja – ReclameAqui, por exemplo; 2) Faça um primeiro contato telefônico; enfim, faça um mínimo de investigação. Nina, me perdoe, mas como “jornalista, mestra e professora universitária”, você não poderia ter pulado esses passos. Gente estúpida como essas da loja virtual existem em todas as esquinas de todas as cidades. Agora: pessoas instruídas comprando inocentemente em lojas suspeitas (COM CARTÃO DE CRÉDITO!!) é que ainda me espanta. Cuidem-se e valorize devidamente o seu dinheiro.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 13:43
    Enviado por: Tetsuo Shimura

    ALERTA A TODOS OS BRASILEIROS QUE PRETENDEM FAZER USO DA EMPRESA PAYPAL DO GRUPO EBAY: Não utilizem os serviços desta empresa porque seus dados serão violados e utilizados de forma indevida ou maliciosa inserindo débitos em sua conta. Aos comerciantes brasileiros eu recomendaria evitar o uso deste sistema, preferindo o simples débito em cartão ou o uso de boleto. A empresa deixa de ser transparente e todo o seu atendimento é feito de forma automática sem que surja sequer um ser humano com nome, sobrenome, telefone ou e-mail. Tento há diversos dias sensibilizar o eBay através da inserção de comentários em sua página no FaceBook para que tomem atitudes em relação a subsidiária PayPal no Brasil, mas apenas se limitam para que eu escreva no FB da PayPal, coisa que simplesmente não existe.

    Se nesta matéria a empresa é brasileira, cabe lembrar que o fato da PayPal e eBay serem americanas não a tornam nem um nanometro mais confiáveis.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 13:53
    Enviado por: Carollina

    PARA QUEM INTERESSAR POSSA:
    domínio:  visou.com.br
    entidade: Natasha Souto
    documento: 113.587.957-54
    endereço: RUA CLAUDINO BARATA, Lote, Final da rua
    endereço: 21770-200 – Rio de Janeiro – RJ
    país: BR
    telefone: (21) 24021103
    ID: NAVSO11
    nome: Natasha Vitoriano Souto
    e-mail: natashavsouto@yahoo.com.br
    criado: 18/02/2012
    alterado: 18/02/2012
    provedor: UOLHOST (22)

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 14:03
    Enviado por: Mylle

    Vendo os comentários, tenho a impressão que o problema é que a consumidora ser uma jornalista. Se ela, por exemplo, fosse uma dona de casa insultada e que fosse procurar os seus direitos, me parece que ninguém seria contra.

    Numa relação em redes sociais o cliente deve ser respeitado, independente do que ele fala, porque a imagem da empresa pode ser manchada. Pense que daqui um tempo, quando um possível cliente procurar a marca Visou, ao invés de encontrar a loja virtual, vai encontrar essa notícia aqui e desistir, muitas vezes, de realizar uma compra.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 14:03
    Enviado por: Mylle

    Vendo os comentários, tenho a impressão que o problema é que a consumidora é uma jornalista. Se ela, por exemplo, fosse uma dona de casa insultada e que fosse procurar os seus direitos, me parece que ninguém seria contra.

    Numa relação em redes sociais o cliente deve ser respeitado, independente do que ele fala, porque a imagem da empresa pode ser manchada. Pense que daqui um tempo, quando um possível cliente procurar a marca Visou, ao invés de encontrar a loja virtual, vai encontrar essa notícia aqui e desistir, muitas vezes, de realizar uma compra.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 14:13
    Enviado por: Marcelo

    Não estou defendendo ninguém, mas acho um tanto quanto parcial colar trechos de conversas e não toda a conversa, dão ensejo a dubia interpretação.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 14:28
    Enviado por: Carlos

    Parabéns a Nina e a Julia por lutarem por seus direitos. Somente assim conseguiremos mudar algo. É um absurdo completo que qualquer pessoa trate outra da forma com esse atendente da loja virtual tratou as duas. Não acho que nenhuma das duas clientes deu qualquer razão para a reação do atendente. Qualquer um que tenha alguma noção de atendimento ao cliente sabe que mesmo que o atendente tivesse sido ofendido com palavrões ele(a) nunca poderia ter responder no mesmo tom. Trata-se de uma empresa de fundo de quintal administrada por pessoas despreparadas e mal educadas. A empresa deveria sem dúvida ser levada à justiça para responder por isso.
    Muito me entristece ver a inversão de valores de alguns comentários. É essa confusão do que é certo e do que é errado, é essa visão enviesada que pressupõe a inocência do mais pobre indenpendente dos fatos, que me faz crer que este país está a centenas de anos de poder ser chamado de civilizado. Entendo que alguém que talvez tenha passado anos na ilegalidade na Europa, sofrendo discriminação, ou levando as odiosas carteiradas no Brasil, tenha um certo complexo de vira lata e defenda a priori aquele que é teoricamente mais fraco. Mas contra fatos não há argumentos, nem ideologia…

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 14:33
    Enviado por: Fernanda Palheta

    Na verdade, o que eu pude entender do comentário da moça jornalista é que ela deixou claro que a empresa não está conversando com uma pessoa leiga ou ignorante -no sentido de poucas informações.
    Se ela deixa claro o papel de professora universitária e ainda mais uma jornalista que exerce mesmo tal papel, foi mais pra deixar claro que a Empresa tá ferrada e vai ser muito mal divulgada mundo a fora. Em nenhum momento eu senti arrogância ou presunção da parte dela. Nada mais certo do que jogar na cara de certos imbecis -como esse atendente- que você não é qualquer um que desconhece seus direitos e, acima de tudo, não “está para ser tapiado”.

    Eu até pensei que essa matéria do Estadão tivesse sido feita por ela. :P

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 14:37
    Enviado por: Evaldo Pedroso

    Na condição de advogado, mestrando em dois programas de pós-graduação stricto sensu em Direito e ex-professor de Direito do Consumidor, em casos como estes, recomendo o seguinte: que a cliente vá a um Cartório de notas e apresente todas as informações para lavra uma Ata Notarial (o Tabelião vai acessar o site e verificar o conteúdo das informações). Assim, em que pese muitas vezes a pessoas apenas realizar o “Prt Sc” – o documento ganhará fé pública e maior força probante. Ainda, que seja verificado o interesse no ajuizamento de uma ação perante a Justiça Comum, pois, em que pese o Juizado ser teoricamente mais rápido, a indenização estará limitada a 40 salários mínimos, quando presente e acompanhada por um advogado. Não esqueçam que o Procon possui foça punitiva no sentido de aplicação de multas, mas esta multa não reverte a parte lesada. O poder de coerção é exclusivo do Poder Judiciário.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 14:37
    Enviado por: Renata Cavalheiro

    Essas lojas no facebook têm que se cuidar mais e serem melhor administradas, porque eu já sofri algo bem parecido! É uma falta de respeito enorme, e tudo ocorreu após eu perguntar a origem dos produtos e a dona da “loja” se sentiu ofendida por esta simples pergunta. Como não sou jornalista e nem tenho um blog com muitos acessos diários, divulguei as imagens apenas no meu facebook, dos prints screens que eu tirei, e alguns amigos viram e me ajudaram a denunciar. Como fui bloqueada pela dona não sei se a loja ainda está no ar, mas aqui segue o link do meu álbum onde é possível ver a vendedora mandando eu “arrumar uma piroca pra sentar”.

    https://www.facebook.com/media/set/?set=a.3968681777499.172354.1294084931&type=3

    Espero que denunciem esta empresa também.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 14:39
    Enviado por: Fernando

    A empresa vende, recebe o valor, não entrega a mercadoria e ainda humilha a cliente por reclamar do atraso…

    Pior é ver pessoas defendendo a postura dessa empresa (acho que estão fazendo piada, não dá para acreditar) utilizando-se dos mais absurdos argumentos. Como se na europa fosse assim mesmo e não adianta o cliente reclamar.

    Pior ainda, atacam a pessoa da cliente, um absurdo sem tamanho, como se o fato dessa senhora se impor e não aceitar o inaceitável, utilizando-se, inclusive, de suas qualificações profissionais fosse algo suficientemente forte para validar uma postura criminosa de uma empresa.

    Vender, receber e não entregar é a mesma coisa que ROUBAR.

    É crime e deveria dar cadeia.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 14:48
    Enviado por: Eduardo

    É isso que acontece quando pessoas amadoras tentam criar empresas.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 14:49
    Enviado por: Milton

    Acabei de entrar no site do retardado, ele está fazendo um pedido de retratação pública para a Nina, agora que a m… está feita né, meninas apoio vcs, façam justiça, processem, a causa é ganha!!!

    Abraços

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 14:55
    Enviado por: Adkson

    Falta de profissionalismo, educação e caráter dessa “loja”, nunca ouviram dizer que o cliente tem sempre razão? Eu tenho uma loja virtual e nunca tive problemas com nenhum cliente, qdo vc é educado e dá explicações sobre o que ocorre sempre se chega em algum acordo, quem lida com importação sabe que é complicado e que às coisas muitas vezes atrasam mas qdo vc diz a verdade e entende a situação de seus clientes (que pagaram pela mercadoria) e oferece alternativas sempre acaba bem para os dois, o cliente tem seus direitos respeitados e a loja sempre ganha em tratar bem e com respeito seus clientes (a propaganda boca-a-boca na era da internet é poderosa e pode arruinar um negócio), é por isso que sempre trato meus clientes como eu gosto de ser tratado.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 14:56
    Enviado por: Ricardo

    Cara, impressionante… o pessoal da loja colocou os amiguinhos todos para falarem mal da jornalista. Por mais arrogante que ela tenha sido, qualquer um sairia do sério com respostas daquele nível.

    Agora, tb não poderia se esperar outra coisa de uma loja brega dessas.

    E o site ja está fora do ar… eles já devem estar procurando emprego em shopping! :)

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 14:56
    Enviado por: Brasil

    Pow galera…é o cara do Gina Indelicada, ele achou que tava no face da Gina…kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 14:57
    Enviado por: ANTONIO

    Essa firminha de porta de botequim e seus atendentes “pederastas” deve ser dirigida por homossexuais da pior espécie, tinha que ser da ralé do “rio de janeiro”, processo nesses anormais!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 14:58
    Enviado por: Lili

    Que empresa ridícula, além de ridícula, amadora e antiprofissional, ainda mandou a patota vir aqui culpar as vítimas.

    Parem de tentar argumentar e tomem vergonha na cara.

    Trata-se de uma relação de consumo, a jornalista poderia ter tido que é versada em árabe, chinês e que a loja é uma droga, ainda assim, JAMAIS NA VIDA poderia ter tido um retorno desse.

    Moleques descerebrados atrás de um teclado dá nisso: sujeira, daquela sujeira que vem em fralda de bebê.
    Aliás não passam disso, de bebês malcriados fingindo ser empresários.

    Lamentável, coisa de país de terceiro mundo ( ou quarto ou quinto, talvez).

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 14:59
    Enviado por: Bruna

    Estou impressionada com a ignorância das pessoas que comentam por aqui. Como pode, defender um “comerciante” desrespeitoso por conta de um comentário de uma jornalista dizendo que usaria sua profissão para denunciar a loja? Desde quando falar que é jornalista é uma demonstração de “cargos e méritos”? Sou jornalista e não vejo glamour algum e ficar se “vangloriando” por isso. O que ela quis é mostrar que tinha, sim, meios de denunciar o ato desrespeitoso da “atendente” que mais parece uma criança de 15 anos no bate-papo virtual. E as pessoas ainda aprovam esse comportamento.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 15:05
    Enviado por: Gabriel

    Eu quero é ver a conversa toda, não um pedaço da conversa tendendo a um lado só.
    Põe a conversa toda aí que o povo também quer ver.
    Não adianta colocar só a parte que te convém.
    Eu acredito que houve troca de farpas de ambos os lados e ela colocou só o que é bom pra ela.
    Não estou a favor de ninguém, e, no meu ponto de vista, não colocar todo o desenrolar da história tanto por e-mail ou Facebook, é apenas uma forma de manipular as pessoas.

    Paz.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 15:05
    Enviado por: Carlos Carvalho

    Talvez os maravilhosos vendedores da Visou estejam tentando a técnica do DecorMyEyes.com, do maravilhoso Vitaly Borker.

    Este era outro animal que resoulveu tratar de forma grosseira seus clientes pois acreditava que quanto mais comentários tivesse, mesmo que negativos, mais sua página teria destaque na pesquisa do Google, por conta do volume de links para seu domínio.

    Agora ele está sendo processado e preso. E deve uma bela grana em indenizações, basta pesquisar a história desde energúmeno.

    Este seria um ótimo destino para estes “lojistas”, uma vez que causam problemas (indiretamente) para todos os que pretendem ter seus negócios na Internet.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 15:07
    Enviado por: Mansilvas

    1 :- A cliente não foi bem atendida. O fato de se manifestar da forma como disse, foi ter sido provocada nos seus direitos de consumidora, quando você paga por algo esse algo tem que vir em qualquer parte do mundo. Toda ação, provoca uma reação.
    2 :- Quando estamos certos em alguma coisa, usamos o nosso arsenal ou a arma que temos, para tudo se resolva a contento. Até prova em contrário, ninguém tem sangue de barata. Principalmente em se tratando de negócios.
    2 :- Pimenta nos olhos dos outros é refresco. Muitos comentários, estão defendendo a atendente, pois, estão se colocando como “Emo”, pressuponho que quem está defendendo a loja virtual, tenha alguma participação ou até sejam parentes dos donos. O mau atendimento, acontece em todas as esferas da nossa sociedade e para que seja coibido é necessário denunciar, não importa os meios ou nível cultural das pessoas que se sintam prejudicadas ou lesadas. Esses defensores, pensam que ao colocar essa defesa aqui, nós não iríamos desconfiar do golpe. Esse fato, torna essa defesa inócua e malandra. Pessoas honestas, realmente não usam desse artifícios para defender atitudes marginais e bandidas. Espero que esse caso se resolva na forma de punição judicial e financeira para os aplicadores desse golpe. Boa Tarde!

    responder este comentário denunciar abuso

    • 11/09/2012 - 15:11
      Enviado por: Mansilvas

      ERRATA..

      1 :- A cliente não foi bem atendida. O fato de se manifestar da forma como disse, foi ter sido provocada nos seus direitos de consumidora, quando você paga por algo esse algo tem que vir em qualquer parte do mundo. Toda ação, provoca uma reação.
      2 :- Quando estamos certos em alguma coisa, usamos o nosso arsenal ou a arma que temos, para tudo se resolva a contento. Até prova em contrário, ninguém tem sangue de barata. Principalmente em se tratando de negócios.
      3 :- Pimenta nos olhos dos outros é refresco. Muitos comentários, estão defendendo a atendente, pois, estão se colocando como “Emo”, pressuponho que quem está defendendo a loja virtual, tenha alguma participação ou até sejam parentes dos donos. O mau atendimento, acontece em todas as esferas da nossa sociedade e para que sejam coibidos é necessário denunciar, não importa os meios ou nível cultural das pessoas que se sintam prejudicadas ou lesadas. Esses defensores, pensam que ao colocar essa defesa aqui, nós não iríamos desconfiar do golpe. Esse fato, torna essa defesa inócua e malandra. Pessoas honestas, realmente não usam desses artifícios para defender atitudes marginais e bandidas. Espero que esse caso se resolva na forma de punição judicial e financeira para os aplicadores desse golpe. Boa Tarde!

      responder este comentário denunciar abuso
  • 11/09/2012 - 15:08
    Enviado por: Isa

    Cá entre nós, a Nina pode ter sido arrogante na hora de falar com os atendentes mas cabe a eles manterem a postura como vendedores. Já imaginou se, em casa loja que entrássemos tivesse uma Nina e um atendente desse? O mundo seria um barraco total. Acho que ambos estão muito errados. Ela por tentar se sobressair com seu cargo e ele por tratar tão arrogantemente.
    Mesmo por que, acho que todos já ouviram que “cliente tem sempre razão”. Ainda mais no caso de xingamento da parte do vendedor, né?

    responder este comentário denunciar abuso

    • 11/09/2012 - 16:12
      Enviado por: Verônica

      A consumidora deu carteirada, foi arrogante e preconceituosa quando nominou os demais clientes de “emos e mimadinhos”. Em contra partida é nitido o despreparo e edesquilibrio emocional dos mediadores do site.
      Perda para os dois lados.

      responder este comentário denunciar abuso
  • 11/09/2012 - 15:10
    Enviado por: Patricia

    Existe uma regra de comércio básica, seguida em todo o mundo: o cliente sempre tem razão e desrespeitá-lo mostra a imaturidade do estabelecimento e a falta de comprometimento com seu público-alvo.
    No Brasil, as pessoas deveriam ter mais coragem para lutar pelos seus direitos e denunciar esse tipo de abuso, que acontece o tempo todo. Pequenos detalhes, como um estabelecimento não ter troco, já é considerado falta de comprometimento e isso deve mudar.
    Parabéns pela denúncia, mais um passo contra o comodismo!!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 15:11
    Enviado por: Sarah

    o fato que poucos entenderam aqui, é que quando você comercializa, presta serviços, depende de CLIENTES, você tem que antes de mais nada respeitá-los. Eu tenho só 24 anos, começei a trabalhar muito nova e posso afimar que aos 15 já tinha conciência de que se o atendimento for bom, o produto for bom, o preço pode até não ser, mas o cliente sempre voltará. Com certeza essa cliente passou muito nervoso antes de ter que deixar claro pro atendente, que por ser jornalista e escrever pra duas mídias importantes, teria acesso muito mais fácil aos órgãos/pessoas/publicidade para fazer justiça do fato de DESCASO e FALTA DE RESPEITO com a cliente. Isso é crime, ela não quis dar carteirada ou ser arrogante, sem recalque galera! Ela quis apenas deixar claro pra alguém que estava DESRESPEITANDO os direitos dela como consumidora e como cidadã, que ela é uma pessoa séria e com tudo o que precisa pra DENUNCIAR aquele ato, que pra um Brasil melhor, tem que ser denunciado e mudado MESMO!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 15:13
    Enviado por: Roberto

    A loja encontra-se desativada, quem tem boca quebra a dona!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 15:17
    Enviado por: Glauber

    A loja não para de criar fakes pra comentar em seu favor, e tentar inverter a situação… hahahahaha…

    Lá vai um recadinho pra os fakes criados pelos (ir)responsáveis por essa lojinha amadora: Vão tomar um processinho de alguns milhares de reais, e fechar as portinhas com o rabo entre as pernas.

    Aquele abraço

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 15:19
    Enviado por: Wanderley

    Os que estão criticando a jornalista, estão enganados, a obrigação dela, que é de pagar, a obrigação deles que é de entregar o produto, não aconteceu.E ela não mostrou nenhuma falta de respeito em se identificar como jornalista, sim, é uma pessoa esclarecida, que vai procurar seus direitos, ou seja, a justiça.
    Grande partes dos brasileiros não conhecem seus direitos, não procuram seus direitos. Então aparecem aproveitadores, enganadores, como os proprietarios do site, como o consumidor não sabe o que caminho para exigir seus direitos, deixam por isso mesmo.
    Mas, acho que se enganaram, pois tratava-se de uma pessoa esclarecida.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 15:21
    Enviado por: Alexandre

    Acabei de ver que eles postaram uma “Retratação Pública” no facebook. Como se isso resolvesse qualquer coisa…

    https://www.facebook.com/photo.php?fbid=346561812101374&set=a.237511366339753.54546.237151043042452&type=3&theater

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 15:23
    Enviado por: Camila

    Achei Ridícula essa situação, e achei desnecessário o que você disse de “emos e metidinhos”, afinal esse seu comentário foi preconceituoso, você fez uma coisa totalmente certa de expor o fato e ocorrer na justiça, porém, esse seu comentário foi completamente péssimo, pois as pessoas que compram ou já compraram nessa “Visou” não tem culpa dos atos de uma empresa que nem deveria estar no mercado. Acho apenas que você deveria se retratar desse seu comentário tolo. Mas de qualquer forma Parabéns pelo seu trabalho, e corra atrás da justiça!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 15:25
    Enviado por: Claudio Fernandes

    A Visou dançou horrivelmente, mas a jornalista também não demonstrou muita educação no que ela escreveu tampouco. Uma professora universitária com o nível de preconceito que ela apresentou envergonha qualquer instituição de ensino. Então a Visou é uma empresa podre, mas a cliente também não foi nem um pouco educada e demonstrou a velha mania da “carteirada”, repleta de preconceitos. Espero que quem se identifica como Emo também aplique um processo nela por assédio moral e difamação pública.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 15:30
    Enviado por: gilson

    Parece que é do cotidiano carioca falar palavrões. Mas no resto da federação não é tão comum assim. Uma pena.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 15:32
    Enviado por: anão

    HUDUHASUHDSAUHDUHASUHDUHAS FOI TROLLADA, o dono da loja com certeza é do 4chan DUHSAHUDASUHDUHASUHDAS!!
    Eu acho que foi hackiado ou o cara tava bebado ou é muito troll³

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 15:34
    Enviado por: gilson

    O carioca fala muito palavrão. Mas no resto da federação não é tão comum assim. Uma pena.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 15:36
    Enviado por: Jorge

    Inadimssível a atitude da empresa!! Independentemente da forma como a fornecedora iniciou a reclamação. Acredito que o Direito Comercial deva evoluir rápido para passar punir Empresas Virtuais como essa, que não tem respeito e mínima postura para serem agentes do comércio, com a pena de suspensão do domínio e retirada do site do ar. Isso promoveria gradualmente com o sumiço dos “picaretas da internet”, que vendem coisas roubadas, contrabandeadas, sem pagar impostos e que, além disso, muitas vezes passam o calote no comprador.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 15:36
    Enviado por: gilson

    haaa ó.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 15:37
    Enviado por: Jucão

    Oh! Ela tem mestrado e é professora universitária! Então quem não tem esses títulos é um qualquer? Me desculpem, a postura dessa loja foi execrável mas essa dona ai não deu nenhum bom exemplo mesmo não. Imagino como ela deve tratar as pessoas que não tem nível superior! Não aprovo de maneira nenhuma a postura da loja, mas também chamar os outros usuários da pagina de “emo mimadinho” não foi nada bonito.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 15:38
    Enviado por: Adriana

    Ok, a atitude de “vc não sabe com quem está falando” não é legal, mas não justifica nem de longe o rumo que a conversa tomou. Além disso, a outra cliente não agiu assim e também foi insultada. Esse Célio ai deve ter mobilizado todos os amigos pra escreverem essas mensagens aqui no site, porque não é possível, que uma pessoa em sã consciência realmente concorde com uma atitude baixa desse tipo. E a retratação na página do facebook é ridícula.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 15:38
    Enviado por: victor dalmeida

    TEM UM MONTE DE AMIGUINHOS DO DONOS POR AQUI DEFENDENDO O INDEFENSÁVEL!!!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 15:46
    Enviado por: Guta

    Hj, dia 11/09, a loja virtual Visou postou uma nota de retratação pública endereçada às clientes e ao público geral. Dêem uma olhadaÇ https://www.facebook.com/lojavisou?ref=ts. Quer dizer que soltar o verbo na net e nos jornais ainda funciona.
    Fora aquantidade de gente que deve ter entrado na pagina deles no FB entre ontem e hj.
    Alem disso o site Visou.com.br esta fora do ar. Se tem algo a ver com o incidente ou nao, nao se sabe.
    Detalhe a pessoa que postou o pedido de desculpa foi alguem chamado Guilherme Souza Castro, que nao aparece como sendo um dos donos da pagina. Quem sera ele? sera que eh o Hacker? ;)

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 15:48
    Enviado por: GABRIELA

    TBM TENHO PROBLEMAS COM ESSA LOJA!
    NINGUÉM DÁ INFORMAÇÕES SOBRE A SUA MERCADORIA E AINDA POR CIMA TE TRATAM QUE NEM LIXO. JÁ FUI PRO PROCON, ELES QUE ME AGUARDEM.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 15:49
    Enviado por: vera

    Gente, fiquei chocada com o comportamento da loja, nada profissional! E a cliente, dona de uma soberba…!! Será mesmo verdade, esta materia, ou pura ficção pra atrair público!! Sei nao hem…, sei nao..

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 15:50
    Enviado por: Luisa

    Pior que a atitude da loja no facebook, são as pessoas idiotas que invertem os valores e tentam justificar a agressão que a cliente sofreu pela forma que ela tentou frear a atitude deles. De qualquer forma, acho que o post foi tão eficaz, que o dono da loja escreveu no facebook uma retratação pública pedindo desculpas para a primeira cliente.
    Acho que eles agora vão é sofrer com a quantidade de gente denunciando a página no facebook..

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 15:53
    Enviado por: Nicky

    Acho (digo ACHO, pois não a conheço) que nem foi caso de “carteirada” da jornalista… Seria uma forma de ameaça leve. Acho que ela quis dizer que, como jornalista de certa forma “influente” no seu meio, ela poderia fazer a má fama da empresa, divulgando para muita gente que a loja é uma porcaria etc. Eu, pelo menos, vi dessa forma.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 15:56
    Enviado por: Evandro Cintra

    O site da FAPESP correto para se descobrir informações a respeito do registro de domínios de sites é o http://www.registro.br.
    E não aquele que termina em “.com”.
    Espero ter ajudado.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 16:09
    Enviado por: Ligia

    Na fan page da loja, o funcionário postou uma “retratação”… a emenda ficou pior que o soneto.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 16:10
    Enviado por: Xifrolindo

    Eu fui pra Itália, para a Irlanda e para a Escócia semana passada… Tenho doutorado também, e não sou da familia da moça e nem dos réus, obrigado!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 16:27
    Enviado por: Matheus Delgado

    A MINHA OPINIÃO, é que ela está realmente certa em acabar com essa “empresa”. Além do não cumprimento da ação, eles desrespeitaram de todas as formas possíveis a cliente. Porém, é estranho, já que é uma jornalista e tem mestrado, o uso das expressões ‘emo’ e/ou ‘mimadinho’.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 16:29
    Enviado por: Luca

    Eee laiaaá…falta do q fazer. Todos estão de parabéns!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 16:33
    Enviado por: samuel

    Este acontecimento só mostra para nós consumidores que as empresas só querem vender mas na matéria de atendimento ao consumidor pós vendas deixa muito a desejar. Quando não entregam o que compramos, demora entregar sem motivo e no caso da garantia eles vão enrolando com a barriga. Gastam tanto em propaganda e esquecem do atendimento ao cliente. Com relação a jornalista as pessoas tem que entender que quando vemos nossos direitos desrespeitados ficamos indignados e as vezes nos expressamos mal. Ninguem é perfeito. Como vimos a empresa sitada é reincidente agora e com a justiça.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 16:44
    Enviado por: Alexandre

    Tiraram a fanpage do ar, por volta das 16:30 desta terça-feira, 11/9.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 16:44
    Enviado por: Paulo

    Complementando o que diz o site ux4.me, quando fala de User Experience, e, dentro do contexto, vem o Atendimento, tão falado hoje em dia e tão buscado pelos clientes. Num site e-commerce, o atendimento é a chave para promover a fidelização do cliente e define o futuro da empresa.
    Sem mais delongas, esse artigo ainda vai longe, com vários discursos, mas o que conta são os fatos e estes mostram que a empresa pecou e é dirigida por verdadeiros Moleques.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 17:08
    Enviado por: Gabriela

    Estou chocada com os “simpatizantes” da comerciante agressora, essas mesmas pessoas devem acreditar q mulher qdo uma mulher é estuprada a culpa é dela, pelas roupas q usa, pelo jeito de falar, andar, etc, ou simplesmente por ser mulher, quem mandou nascer mulher, merece ser estuprada…ABSURDO!!!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 17:29
    Enviado por: Camila

    Na certa são filhinhos de papai, que se acham empreendedores, por gerarem empregos e ter um situação financeira favorável, que mantêm uma empresa como essa. Daí, o ÚNICO jeito que eles tem e sabem se defender, é HUMILHAR uma pessoa de forma EXTREMAMENTE BAIXA, que é esse cunho sexual GRITANTE que a gente viu aí. É a única arma que eles têm, quando o dinheiro não compra. A educação que esses “animais” (desculpe-me reino animal, rs) recebem é essa. Isso aí é fichinha no vocabulário e educação deles. TORCENDO MUITO, para que essa jornalista seja devidamente compensada.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 17:33
    Enviado por: Como não responder a reclamações nas redes sociais: loja virtual xinga cliente no Facebook « Cibridismo

    [...] o blog Curiocidade, de Marcelo Duarte, divulgou outro caso de desrespeito ao cliente envolvendo a Visou. A estudante Júlia Bondan fez uma compra [...]

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 18:27
    Enviado por: Julia

    “Por isso que o Brasil não vai para frente.” – Que frase mais clichê usada por muitos aqui como argumento. Aff!
    Eu não sei como começou esta briga. Mas, a partir do momento em que a loja desrespeitou a cliente, ela tem mais é que correr atrás dos seus direitos mesmo!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 18:44
    Enviado por: Anna

    É por isso que qdo eu quero alguma coisa, vou a loja e compro.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 19:16
    Enviado por: jose

    a loja Oppa é desse mesmo jeito

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 20:09
    Enviado por: João

    Que jornalista lixo, é bem esse tipinho de merda que escreve em revistas de “nome” no país mesmo. Eu sou policial e nem por isso apresento minha carteira quando entro em uma loja para ganhar mais respeito e um atendimento melhor, nem mesmo nas estradas quando a policia federal me para eu não falo nada até pedirem os documentos.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 21:10
    Enviado por: ronaldo

    ola, vcs acham que uma empresa deixaria a senha do seu face para um funcionário depois de
    outro ter desrespeitado um cliente, está na cara que foram as donas, e pelo naipe delas, são umas
    metidas a cocotinhas pé de chinelo…att

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 21:33
    Enviado por: Rodolfo

    Um absurdo a prepotencia dessa empresa!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 23:09
    Enviado por: nicho especifico

    Caramba… se a cidada eh bem educada e inteligente, deveria saber argumentar e tambem como evitar essa situacao, nao eh mesmo?

    Afinal, Marx ja alertou todos sobre o clima pesado da guerra de classes.

    Eh como diz ha tempos a voz da anonimidade na internet: “primeiro, grandes merda ser adevogado….”

    Na proxima briga de transito, vou descer do carro bradando: “-Tenho diploma superior, leio nietszhe antes de dormir, nao me venha com suas infracoes de transito pois entendo muito mais de desobediencia civil do que voce!!! “

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/09/2012 - 23:49
    Enviado por: Laisa

    olá, eu encomendei um produto da loja Visou e paguei, mas não o recebi, e agora com essa confusão, como faço para receber o produto ou o dinheiro de volta?

    responder este comentário denunciar abuso

  • 12/09/2012 - 07:33
    Enviado por: Bacana

    Cadeia e multa pessada para delinguentes da visou.
    O safado deve ser uma biba recalcada que perdeu o macho.
    Se o animal fosse homem não trataria uma mulher desse jeito.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 12/09/2012 - 08:24
    Enviado por: iPhone 5: pra valer, desta vez? Mobile gera mais tráfego? E outras questões « O Laboratorio do Doutor Nin

    [...] – para azar daquela, uma jornalista. Mas vale a pena reproduzir a nota que saiu no blog Curiocidade, do Estadão:  “Em julho, a jornalista Nina Gazire comprou um anel na loja virtual Visou. O [...]

    responder este comentário denunciar abuso

  • 12/09/2012 - 10:02
    Enviado por: Laís Rosa

    Minha amiga e eu compramos dois anéis pelo Facebook da empresa Visou. Os dois vieram com defeito, a loja se recusou a fazer a troca.
    Apesar de ter sido solicitado fotos e termos enviado, a loja apagou a foto da página para que os outros clientes não vissem (porque o defeito é HORRÍVEL) e ainda afirmou na página que estamos nos fazendo de vítimas.
    Acredito que a falta de respeito com o consumidor é o primeiro critério para uma loja que quer ir a falência!
    Não estou nem falando de receber um produto decente, porque já percebi que isso não irá acontecer, mas espero que pelos menos outras pessoas não caiam no conto dessa loja.
    Os produtos não têm qualidade, o atendimento é péssimo e não há nenhuma política que valorize o cliente, pelo contrário.
    Só para terem uma noção do nível, os administradores da página nos bloquearam, bloquearam todos os amigos que tentaram argumentar a nosso favor e fizeram uma postagem enorme nos acusando de ladras e dizendo que somos o tipo de pessoa que rouba roupas em provador de loja… quédizê…

    Espero que essa falta de respeito seja punida severamente, como merece!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 12/09/2012 - 10:23
    Enviado por: Alban Berg

    Não percebo a comoção – alguém realmente espera que um carioca TRABALHE???

    responder este comentário denunciar abuso

  • 12/09/2012 - 10:46
    Enviado por: Mônica P.

    Que engraçado. Eu sigo essa loja no facebook, ontem mesmo olhei ela.
    Após ler a notícia, fui ver: a página foi excluida e o site está em “manutenção”.

    Que coisa hein

    responder este comentário denunciar abuso

  • 12/09/2012 - 10:54
    Enviado por: Anna Quadros

    Pessoal estou fazendo um estudo muito legal sobre Reclamações em Mídias Sociais.

    Já reclamou?

    Então responde aí: http://migre.me/axMvS

    São dois minutinhos! Obrigada!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 12/09/2012 - 11:25
    Enviado por: Luis Carlos

    ela também está errada em ameaçar o logista pelo fato de ser Jornalista. Ou seja, só por que ela tem Mestrado e escreve nas duas revistas mais importantes do país isso da o Direito de ela ameaçar o logista? O Código de Defesa do Consumidor é para todos! Simples, ela poderia ter falado que caso não fosse resolvido o problema certamente acionaria a empresa por perdas e danos em pequenas causas. Pronto resolvido. Ela também abusou do poder que a compete ameaçando difamar a empresa caso eles não resolvessem o seu problema .

    responder este comentário denunciar abuso

  • 12/09/2012 - 15:00
    Enviado por: Luis

    O site errou. Mas a jornalista deu uma carteirada desnecessária aí. Como se o fato de ela ser jornalista a torna alguma coisa acima de outras pessoas.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 12/09/2012 - 21:19
    Enviado por: Ricardo

    Se todo mundo que ficou de mimimi com a história tivesse denunciado a página, hoje ela já não estaria mais no ar.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 12/09/2012 - 22:20
    Enviado por: Elenita Almeida

    Eu preciso da ajuda de vocês !!!! Meu caso é semelhante , comprei nesta loja https://www.facebook.com/tdxshop em Março , entro em contado e ninguém fala comigo , eu só quero meu dinheiro de volta , reclamei com a dona , pela atitude e ela deletou todos os meus recados , ele disse há uma semana atrás que a mãe dela iria depositar o dinheiro na minha conta , e até aagora nada !

    responder este comentário denunciar abuso

  • 13/09/2012 - 17:18
    Enviado por: Joseph woods

    Adoro a visou, ja comprei muitas coisas lá e chegaram ! CLARO QUE ELA USOU DE IGNORANCIA COM A NATASHA PORQUE ELA È SEMPRE SIMPATICA COMIGO EU E MEUS AMIGOS SEMPRE COMPRAMOS AI PODEM ATÈ TENTAR ACABAR COM O SITE MAIS ELE È PERFEITO E VOLTARA CEDO OU TARDE KKKKKKKKKKK

    responder este comentário denunciar abuso

  • 13/09/2012 - 17:51
    Enviado por: Alvaro Ramos

    Prezados,

    Cada povo tem o que merece!
    E o povo brasileiro merece comer o pão que diabo amassou!
    Pois é, vamos aos exemplos:
    Em Jaguariúna recentemente, morreram pessoas pisoteadas devido a falta de organização dos administradores da festa. No ano seguinte, recorde de público! Vocês merecem!
    Impostos cada vez mais altos, um dos maiores do mundo e não recebemos nada em troca, pagamos mais de 50% contando os descontos em folha de pagamento e recebemos 0% em troca! No Canada, em Calgary, pagam 5% e nem preciso comprar os serviços e qualidade de vida. Vocês merecem!
    Pedágios mais altos do mundo! Vocês merecem!
    Políticos roubam e nada acontece! Aumentam o salários deles próprios e ninguém reclama, ninguém faz nada. Votamos em um palhaço, colocando junto mais uns 2 ou três espertões. Vocês merecem!
    Policiais corruptos, mas quando é com vocês, todos oferecem caixinha pra se livrar da multa! Vocês merecem!
    Aposto que esta mesma loja vai continuar vendendo. Vocês merecem!
    E antes que alguém, se sentindo ofendido venha me dizer o que eu estou fazendo para mudar isto, já lhes respondo, estou indo morar no Canada, não quero que nada mude no Brasil, porque vocês merecem!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 14/09/2012 - 00:49
    Enviado por: marcos

    Tem uns paulistanos q se acham, pensam q fazem parte de uma casta mais elevada. Europeus, quem sabe, como se isso fosse grande coisa tbm. Sem generalizar, se enxerguem !!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 14/09/2012 - 00:55
    Enviado por: marcos

    Isso aconteçe em qquer lugar do mundo. so quem nunca viajou e fez compras fora eh q acha q eh so aqui.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 16/09/2012 - 14:10
    Enviado por: Maria Helena

    Merecem mesmo.
    Acham lindo comprar pelo facebook, um site que não respeita a privacidade de ninguém onde basta pagar e qualquer um é uma loja (e usando a foto de alguém que não era a dona). Hipócritas que vivem fazendo propaganda de privacidade e exigindo e bloqueando contas que não fornecem a eles o telefone, mas olha só, a foto era de uma amiga da dona, não da dona, e ninguem consegue falar com ela no telefone que ela deu. Grande segurança esse facebook oferece né?
    A maioria apóia indiretamente sociedades secretas (nossa que chique e elas estao no facebook tao caridosas qua qua qua) no entanto são elas que até matam para continuar controlando os outros cruelmente, um inferno mesmo (que todos veem mas que ao invés de tentar impedir tentam é entrar no bando pra ver se conseguem algum poderzinho e/ou lucro), Falo porque fui e continuo sendo vítima de membros de uma dessas sociedades. Por mais de uma vez bagunçaram a minha vida porque comentaram maldosa e covardemente o meu trabalho honesto me causando prejuízo moral e financeiro (de dentro da loja, num lugar onde eu não posso ir pra me defender pessoalmente). Eles não gostam de pessoas honestas com idéais próprias. Por isso que amam orkut e facebook, lá tudo tem que ser obrigatoriamente compartilhado.
    Lapidam a ganância, o egoísmo, a inveja, a crueldade. Mas são esses que recebem prêmios da mídia por “ações contra a pobreza e a miséria”. Internacionalmente, provocam o caos por vazarem informações sigilosas. Mas o que é a segurança nacional de um país comparada ao lucro e poder dos irmãos da loja? Que se piquem.
    Merecem sim. O tal de André é o típico bully crescido, arrogante, desprovido de princípios, que não acha grande coisa um desgraçado xingar uma mulher.
    Quizera eu poder me mudar pro Canada também. Não são só os impostos, não é a lei que é falha, é o povo. É que todos são manipulados pra reclamar das consequências mas não do que causou o problema. Quem reclama é punido, é louco, é perseguido, é ridicularizado, é isolado, impedido de ter amigos, muitos no final corrompidos por serem tentados com seus próprios sonhos. Manipulam nossas ambições, certos de que somos ignorantes e ingênuos o suficiente pra ainda acreditar em alguem. Como estamos perdidos, iludidos e sozinhos.
    Político deveria fazer faculdade e ser inscrito em conselho profissional fiscalizante a exemplo das OABs e CRMs.
    E a igreja católica fazendo cerco de jericó pra afugentar maus espíritos. Mas o movimento carismático tem como dirigentes os nossos patrões e membros dessas sociedades secretas (discretas o escambau) que são permitidos darem a comunhão.
    Merecem. Vai lá tomar a comunhão da mão do teu patrão ô bocó.
    Olha, esses cidadãos vivem controlando e manipulando a ingenuidade dos ignorantes ambiciosos. Membro de sociedade secreta é soldadinho cruel que sofreu lavagem cerebral e que nunca vai se arrepender de matar o próprio pai. Vem pra cá com essa de caridade. A caridade dessa gente é só pra comprar fidelidade. Ou você acha que essa idéia veio dos políticos corruptos?
    Aí aparece essa aberração chamada André vendido dando razão pra quem não tem. Na verdade ele é o exemplo bem sucedido da vítima de manipulação dessas sociedades. É essa gente que muda aos poucos a moral de um povo (pra pior), dessensibilizando, fazendo pouco caso, usando um falso senso comum que discrimina e faz pouco caso de mulheres.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 17/09/2012 - 11:42
    Enviado por: Lucia

    Não tem que bater boca com a empresa nem partir para a prática abominável da carteirada. Reclame com a empresa, depois reclame na Ouvidoria ou, se não houver, no reclameaqui.com.br. Se nada resolvido, vá ao Procon e Agência Reguladora, se houver.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 17/09/2012 - 16:37
    Enviado por: Marcelo Sant'Iago

    [...] você deixa sua estratégia de marketing e relacionamento com os clientes na mão de um sobrinho. A loja Visou ganhou as manchetes ao, entre outros absurdos, mandar a cliente “procurar um [...]

    responder este comentário denunciar abuso

  • 03/10/2012 - 22:35
    Enviado por: Su Siqueira

    Mais um caso de hipocrisia pura. Claro que foi tudo um jogo de marketing… É como uma placa com os dizeres “NÃO LEIA ISSO”… A loja disse pra td mundo: “NÃO COMPRE NA MINHA LOJA”… Pode apostar q mta gente comprou, mesmo depois desta historinha toda. Parece um total absurdo quando se começa a ler sobre o caso, mas enxergando os fatos com menos sentimento, só aparece a mesma hipocrisia de sempre. Sempre um querendo ser melhor que o outro, fazendo de td pra não parecer o “enganado da história”, ocupadas demais querendo ser espertos e inteligentes que não percebem o circo que estão armando. Eu quero mais é ver esse circo pegar fogo.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 10/10/2012 - 09:33
    Enviado por: viviane

    Nossa, kkkkkk
    Que absurdo….. ainda mais agora que os lucros aumentaram.. e dps o povo reclama de ser maltratado… poxa…
    Se uma loja destratasse um conhecido eu nunca mais compraria, antes de efetuar compras online, fica a dica de acessa o site : http://www.reclameaqui.com.br e pesquisar sobre a loja, vê o jeito que a mesma trata os clientes.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 10/10/2012 - 09:37
    Enviado por: Renata Segtowick

    Meu Deus, to horrorizada! Eu tenho loja virtual e posso dizer que esse povo está dando “tiro no pé”!
    Só podem ser loucos.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 10/10/2012 - 11:45
    Enviado por: Andréia Pisco

    Não tem cabimento as repostas dessa loja. Sério, é o fim da picada e eu proponho a organização de um boicote.
    Entretanto, a “jornalista, que tem mestrado e é professora universitária. Escreve em duas das maiores revistas de circulação do país” se mostrou incrivelmente preconceituosa ao afirmar que não é “um cliente emo, mimadinho”. Ow minha querida, o emo mimadinho é tão cliente quanto você. Seu diploma e seu emprego não te fazem melhor do que eles e, até onde eu sei, teus cinco reais valem o mesmo que o deles.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/10/2012 - 10:52
    Enviado por: nunes

    Meu deus,e ainda tem gente que curtir a página desse lixo de loja?Pelo amor de Deus,Pessoas sem educação.olhem como eles falam com a cliente,xingam de vagabunda,etc….

    tem que tomar um processo e devolver o dinheiro de todos os clientes,mas teve algo bom nessa notícia,que eu nunca irei comprar nisso que eles chama de “loja virtual” nunca!
    Esses ladrões.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 26/10/2012 - 23:41
    Enviado por: A importância das coisas – Sobre crise em redes sociais e o caso Visou « Nerd Militante

    [...] Quem trabalha com marketing e/ou gestão em redes sociais tem um mantra: Não desrespeitar o cliente jamais! E estão certos, mas pelos motivos errados, pois o foco é a marca que não pode ser arranhada e não as pessoas que não podem ser desrespeitadas. Essa constatação eu já tinha construído empiricamente e ficou clara a partir da leitura que os blogs especializados fizeram a respeito da resposta da loja virtual Visou à cliente Nina Gazire em sua página do Facebook. [...]

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/11/2012 - 08:42
    Enviado por: Renato ft

    Atitudes de descaso e irresponsabilidade devem ser tratadas no rigor da lei, nada mais.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 06/12/2012 - 15:49
    Enviado por: JONATHAN BEZERRA

    Efetuei um pedido no site Netshoes, com prazo de entrega no dia 30/11/12, como essa nova compra era uma troca de um pedido e recebi uma vale como devolução, assim que conclui o pedido mandei um email para o atendente Glauco Ramos Cabral ( glauco.cabral at netshoes.com) que estava cuidando do meu caso e pedi para não enviar o produto pela transportadora Total Express, pois, eles nuncam entregam em meu endereço, o atendente simplesmente rejeitou o pedido e no dia 27/11/12 entrou em contato comigo me pedindo desculpas e me ofereceu 30% de desconto na próxima compra, no dia 28/11/12 disse que ia solicitar a transportadora que me enviasse a compra pelos correios, foi seu último contato comigo, no dia 30/11/12 apos cansar d eneviar email para o atendente Glauco, decidi mandar email para o sac da empresa, recebi uma ligação as 17:42 da atendente Aline a mesma informou que ia resolver o caso e acompanhar todo o tramiti, nunca mais ouvi falar nessa atendente, no dia 04/12/12 recebi um email do atendente Glauco informando que recebeu a informação da transportadora da entrega do pedido, e respondi o email que não havia recebido, ele logo em seguinte respondeu o email pedindo desculpa informando ter sido um equivoco a informação, o mesmo disse que um motoboy estava saindo com minha mercadoria as 13:16hs para me entregar, o dia todo passou e ninguém foi me entregar a mercadoria, a noite entrei em contato com o sac do site e me transferiram para o atendente Carlos Eduardo, o mesmo me pediu desculpas e uma nova chance de que ele ia resolver o caso, e que no dia 05/12/12 estaria na empresa apartir das 10:30hs da manha e que tomaria as medidas cabiveis, no dia 05/12 passou 10:30hs e nada de um contato do atendente Carlos Eduardo, mandei um email para o sac reclamando da falta de contato por parte deles, logo em seguida o atendente Carlos Eduardo me ligou informando que havia acabado de chegar no site e ja possuia uma posição da empresa de que minha compra ia ser entregue hoje, e que o mesmo ia ficar acopanhando todo o caso e me deixando ciente das informações isso não ocorreu, não me retornou mais, disse na mesma ligação que uma tal Juliana ia fazer contato comigo, não recebi nenhum contato da mesma, tentei contato com eles o dia todo não recebi nenhum retorno, no final da tarde fui olhar o historico do objeto, e constava a seguinte informação: 05/12/2012 12:55:21 SEPARADO PARA O ROTEIRO DE ENTREGA; 05/12/2012 13:14:08 EM RUA PARA SER ENTREGUE; 05/12/2012 13:15:00 ENTREGA REALIZADA, o que mais me deixou pasmo foi além de não ter recebido produto algum, a empresa em questoes de 52 segundos fez uma entrega inexistente, mandie essa informação para o site, a resposta que obtive: Olá Jonathan,
    Verificamos que o seu pedido foi entregue no dia 05/12/2012 por volta das 13:15h.
    Por gentileza, consulte no local o recebimento do mesmo.
    Lembrando que, as entregas são realizadas para pessoas que estiverem no local e se identificarem com documentação, podendo ser vizinho, porteiro, diarista ou conhecido.
    Sempre que precisar acabar com os limites entre você e o esporte, entre em contato com nossa Central de Relacionamento no telefone (11) 3028-5333, através do nosso Chat http://www.netshoes.com.br/atendimento/, ou através do nosso e-mail sac@netshoes.com.br.
    Fernanda Almeida
    Grupo Netshoes

    O que me deixou estagnado já que eu moro no local estava o dia todo aguardando o produto chegar, como eu posso conferir no local de recebimento já que eu estou aqui e nada chegou?

    Sem nenhum outro contato do site, já fiz diversos contatos sem sucesso, acho que eles não possuem outra desculpa para me dar então, com isso, preferem o silêncio!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 03/06/2013 - 11:01
    Enviado por: Mauro Lucio Dias Donato

    Fiz a compra de um celular na FASTON pelo cartão de crédito e verifiquei que a NEON ELETRO é a parceira deles e não me foi entregue a mercadoria, direto a Faston fica me enviando email´s quanto ao estorno do dinheiro pois a empresa está descontando em meu cartão todo mês. Toda vez o email da Faston diz que vai enviar a solicitação para o financeiro e com isso já se foram meses, não efetuem compras por esses sites se não quizerem passar raiva.

    responder este comentário denunciar abuso

Deixe um comentário:

Comentários recentes

  • Jailton Alves da Mota: ATUALIZAÇÃO: outubro de 2013. …e não é que a produtora realmente teve que encontrar...
  • Marcelo Neves: Olá Ataide e Nelcy… como vocês só viram a esta confusão em junho deixa só esclarecer um...
  • marcelo b: meu, kd vc que ñ escreve ha um tempo? ñ tá preso na bolivia, né? rs
  • Ataíde Marques: É isso aí, Nelcy. Fã que é fã não vai perder.
  • VANILDE PEREIRA COSTA: Gostaria de colocar uma franquia na cidade com 40.000 habitantes; Qual capital que devo ter?E...

Arquivo

Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo