1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Valeu pela estreia, mas a seleção tem de melhorar muito

Almir Leite

sexta-feira 13/06/14

Valeu acima de tudo, claro, pela vitória. Pelos gols e a boa atuação de Neymar e sobretudo pela excelente exibição de Oscar. Mas os 3 a 1 da seleção brasileira sobre a Croácia não podem esconder as falhas da seleção brasileira na estreia. México e Camarões são rivais fáceis, na minha modesta opinião. Mas a [...]

Valeu acima de tudo, claro, pela vitória. Pelos gols e a boa atuação de Neymar e sobretudo pela excelente exibição de Oscar.

Mas os 3 a 1 da seleção brasileira sobre a Croácia não podem esconder as falhas da seleção brasileira na estreia.

México e Camarões são rivais fáceis, na minha modesta opinião. Mas a partir das oitavas de final a situação muda.

E o Brasil vai precisar corrigir erros cometidos não só contra os croatas como nos amistosos disputados anteriormente.

Daniel Alves foi mal. Errou passes, confundiu-se em vários lances, mas o pior é que suas costas foram – e têm sido – uma  avenida.

Assim como as costas de Marcelo.

Mas os buracos deixados por Daniel Alves são mais graves.

Thiago Silva passou mais tempo cobrindo a lateral do exercendo sua função de zagueiro.

David Luiz, um pouco menos, mas também fez isso, embora do lado esquerdo Luiz Gustavo tenha ajudado-o.

Aliás, Luiz Gustavo se desdobra para cobrir todo mundo e contra a Croácia não teve ajuda de Paulinho.

Com Hernanes, melhorou. Pouco, mas melhorou.

Hulk estava afobado, Fred continua muito isolado.

Esses aspectos, e alguns outros, precisam ser corrigidos rapidamente.

Claro que não se pode desconsiderar a absurda pressão que representa estrear numa Copa do Mundo – e em Copas do Mundo – jogando no Brasil, com 3 bilhões de pessoas acompanhando mundo afora.

Os jogadores são profissionais, muito bem remunerados, têm as melhores condições de trabalho, mas também são seres humanos.´

É natural que sintam a pressão. Nesse aspecto, até que a seleção reagiu bem.

Teve apoio da torcida e não se descontrolou.

Resumindo: como estreia valeu. Mas a seleção tem de melhorar mundo para honrar o favoritismo ao título e a confiança que a torcida brasileira tem nele.