ir para o conteúdo
 • 

Casa

31.março.2014 18:19:07

Cozinhas para conviver

Receber com conforto é uma das atuais preocupações dos moradores na hora de montar suas cozinhas

3.jpg

Natália Mazzoni – O Estado. S.Paulo

 

Um lugar para reunir a família, convidar os amigos, passar horas durante o fim de semana. O papel da cozinha dentro de uma casa há muito já ultrapassou sua função primordial. Hoje -para além do forno e do fogão- revestimentos, móveis, acessórios, tudo deve contribuir para fazer dela um lugar agradável de se ficar.
Seguindo esse conceito, a arquiteta Debora Aguiar projetou uma cozinha de 25 m², no Itaim, em São Paulo, onde os móveis de madeira e as prateleiras com livros criam a sensação de se estar numa sala. A grande bancada laqueada cumpre bem a função de apoiar o fogão e dar espaço aos preparativos. Com tudo no mesmo tom, objetos como tigelas de cerâmica e pequenas panelas de cobre ganham destaque. Os pendentes de metal ajudam a criar o clima intimista à mesa, exatamente como a proprietária, apaixonada por gastronomia, pediu. “Queria invocar as cozinhas francesas da região da Provence. Funciona como uma cozinha com sala de almoço. É funcional para o dia a dia e agradável para receber os amigos”, explica Debora.
Proporcionar aconchego para a família também foi o objetivo do arquiteto Pedro Scalise ao projetar uma cozinha de 43 m² que funciona como o coração da casa, em Campo Grande (MS). “Como há uma outra cozinha para o dia a dia, essa funciona como espaço de integração. Tem decoração divertida, móveis coloridos, azulejos estampados e até uma fonte antiga. Tudo conversa com a decoração da casa. Quando a proprietária quer cozinhar, ela usa. É também lá que ela trabalha no computador e as crianças estudam, já que equipamos o ambiente com um pequeno escritório.”
Na casa da arquiteta Renata Florenzano, na zona oeste de São Paulo, é no café da manhã que a família se reúne. Sendo assim, a prateleira de madeira guarda boleiras, cafeteiras, caixas de chás e livros de receita. Tudo para facilitar a primeira refeição do dia. A lousa, que ela usa para escrever receitas, esconde a lateral branca do armário e dá o tom divertido ao lugar, que sempre recebe os amigos. “É um espaço feito para conviver. Em dias de casa cheia, é onde começa a festa. Não acredito mais que a cozinha seja um lugar de passagem, projetada apenas para cozinhar.” No fundos dos 20 m² do ambiente, um balcão e uma geladeira foram instalados. “Isso facilita a preparação dos alimentos do dia a dia, sem expor a bagunça ao estar.” O piso, de mármore travertino, é o mesmo do jantar, mas recebeu tratamento para não absorver gordura. O mesmo aconteceu com o painel do fogão. “Trata-se do mesmo revestimento de madeira empregado na prateleira, só que em versão envernizada.”
Com projeto de Marina Torre Lobo, da Triplex Arquitetura,a cozinha de seu apartamento da zona sul de São Paulo incorpora duas bancadas. Uma apenas para guardar as louças do bebê. “Na planta original, a cozinha, hoje com 24 m², era menor. Depois da reforma, diminuí a área de serviço e abri espaço para uma boa copa e para uma boa área de trabalho”, explica. As refeições que não vão até a sala de jantar, são servidas na mesa de madeira com cadeiras de acrílico, onde a moldura é feita por ladrilhos hidráulicos de estampa geométrica. “Uma boa cozinha deve ter boa circulação, por menor que seja o espaço. Se o acesso a todos os itens necessários for bem pensado, ela funciona bem”, aconselha.
Para a família da zona leste de São Paulo que procurou a arquiteta Erica Salgueiro, uma cozinha apenas não atenderia ao objetivo de cozinhar muito, e também receber. Para isso, uma pequena área de apoio, de 15 m², foi equipada com cooktop, muitos gaveteiros e uma grande cuba. É a cozinha principal da casa, onde são preparadas os pratos do dia a dia e também onde as refeições mais rápidas acontecem; no pequeno balcão com banquetas e TV. Para dar praticidade, pastilhas coloridas, fáceis de limpar, revestem as paredes. “Ao lado, uma cozinha gourmet finaliza os pratos e abre espaço para os convidados. Equipada com pia e churrasqueira, em dias de festa pode funcionar totalmente alheia à outra, que fica fechada por uma porta de correr”, conta.

Espaço
Priorize a circulação, evitando colocar móveis que ocupem espaço demais. É importante que existam condições para manusear os utensílios com conforto

Energia
Tomadas podem ser espalhas por todo o ambiente, assim, todo o espaço disponível se torna realmente útil

Luz
Crie pontos de iluminação em cima do cooktop, nas bancadas e na mesa de refeições

Organização
Separe e orginize os utensílios mais usados no dia a dia. Gaveteiros são bem- vindos: quanto mais, melhor

 

 

 

Comente!

  • A + A -
24.agosto.2013 22:25:29

Um oásis dentro de casa

Espaço de sobra, acabamentos de luxo e muita luz natural dão a estes banheiros o status de salas de banho

9644354.jpg

Foto: Zeca Wittner

Ana Paula Garrido e Natália Mazzoni – O Estado de S. Paulo

Um bom banheiro pode se tornar um dos lugares preferidos da casa – um espaço de total intimidade, para relaxar e renovar as energias. Nestes projetos, eles mereceram atenção especial dos arquitetos e ganharam status de salas de banho.
Na casa da artista plástica Maria Tereza Rezende, os 12 m² que antes faziam parte da varanda deram espaço a um banheiro só dela, em projeto das arquitetas Fernanda Negrelli e Andrea Teixeira. “Eu nunca tive um espaço que fosse só meu na casa. Queria um lugar onde pudesse apreciar a vista da cidade enquanto relaxo”, diz Maria Tereza. “Fizemos um banheiro claro, com muita luz natural. É uma continuação da sala onde a moradora pinta suas obras e relaxa vendo televisão. Quando percebemos que não existem vizinhos, tivemos a ideia de fazer as paredes de vidro”, acrescenta Fernanda. Em uma das paredes, um jardim vertical trouxe o toque que faltava para a artista, apaixonada por plantas. “É um lugar com tudo o que eu adoro”, diz a moradora.

Na casa da arquiteta e designer Juliana Llussá, o banheiro de 15 m² também tem um pequeno jardim, projetado para resolver uma questão prática do imóvel: como fica na divisa do lote, não havia possibilidade de abrir janelas. Assim, a abertura para as plantas enche de luz natural todo o espaço – da banheira ao chuveiro, separado por um box de vidro.
Em Itaipava, no Rio, o banheiro de 32 m² se volta para a paisagem. “A proposta foi criar uma sala de banho, com bancada generosa, box com chuveiros duplos e banheira voltada para a vista exuberante da serra”, explica Débora Aguiar, arquiteta que assina o projeto. Nos acabamentos, materiais como madeira de demolição, bambu trançado e mosaico de pedras. “A luz que entra muda o banheiro: vibrante pela manhã e intimista no fim da tarde.”
Com 15 m² à disposição, as arquitetas Eloise Pucci e Beatriz Fujinaka puderam instalar uma banheira grande e duas cubas, como queria o casal de moradores. Outro pedido atendido foi o de ter dois vasos sanitários, separados pela porta de vidro do box, com dois chuveiros – tudo em dose dupla, assim como os problemas surgidos durante a obra.
“A viga encontrada na demolição partiu o ambiente ao meio, então criamos a sanca central de forma funcional, com iluminação indireta, que, por ser embutida, dá a sensação de haver mais claridade natural no ambiente”, explica Eloise.

O revestimento de mármore travertino romano no piso e nas paredes ajuda a clarear o ambiente. A saída para o closet facilita o uso do banheiro, enquanto o aquecedor de toalha resolve a questão da umidade – o apartamento é em Santos – e ainda “traz um conforto similar a de um hotel de luxo”.
E luxo é o que não falta neste banheiro de 18,65 m² em uma fazenda em Mogi Guaçu, projetado pela arquiteta Clarissa Strauss. Ao lado de materiais rústicos, como a madeira que vai até o teto, peças muito especiais, como o tapete turco, da Kilim, e a poltrona Diz, de Sergio Rodrigues. “Quando o espaço é amplo, é melhor ter um tapete grande a ter vários tapetinhos. A poltrona foi um luxo que o espaço permitia, além de poder descansar, ela serve de apoio para jogar um roupão”, conta Clarissa.
Para não atrapalhar a vista para o jardim em volta, a arquiteta embutiu a banheira no chão, o que deixou o ambiente mais limpo. Com tantos elementos que mereciam destaque, o chuveiro e o vaso sanitário ficam “escondidos” atrás da porta pivotante com vidro leitoso, garantindo a privacidade.

 

 

 

Veja mais:

Quente ou frio?

Tamanho ideal

Melhor hora do dia

Azulejo com cara de novo

 

Comente!

  • A + A -
  • Quem Faz

    Quem Faz

    Marcelo Lima, Marina Pauliquevis e Natália Mazzoni

Arquivos

Blogs do Estadão