1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Quem Faz

PABLO PEREIRA. Formado pela PUC-RS em 1986, é jornalista do Estadão desde 2007. Foi Editor Executivo de O Estado de S.Paulo, do Jornal da Tarde e do estadão.com.br. Master em Jornalismo Digital pelo Instituto Internacional de Ciências Sociais (IICS), é repórter especial.

sexta-feira 26/03/10

DOPS clandestino vem à tona

Um acervo importante do sombrio capítulo do DOPS na vida brasileira está disponível para pesquisa a partir desta sexta-feira, 26. São documentos que mostram que mesmo após ser determinado seu fim, em 1983, o DOPS continuou com as atividades de bisbilhotagem e perseguição política nos porões oficialmente desativados. Esse tempo de espionagem ilegal foi até 1999.

Ler post
sábado 13/03/10

Damião Simões, o ancestral: sapateiro escravagista

Originais do inventário do sapateiro Damião Simões, de 1578. Documento mais antigo da cidade conservado no Arquivo Público do Estado

Damião Simões foi um sapateiro que viveu na São Paulo primitiva, Século 16. O inventário dos bens de Damião é o documento mais antigo existente no acervo do Arquivo Público do Estado de São Paulo. É do dia 14 de março de 1578, portanto, está de aniversário: completa 422 anos. Relíquia da memória paulistana, o documento acabou sendo

Ler post
quinta-feira 04/03/10

Gaensly, para curtir São Paulo

Rua-Sao-Joao12

Comentamos aqui recentemente imagens da São Paulo colonial produzidas pelo fotógrafo Militão Augusto de Azevedo. Vasto material de Militão, personagem importante da cidade, foi doado pela família ao Museu Paulista, local no qual pode ser apreciado. Vagando pelo Arquivo Público do Estado, outro dia, encontrei uma amostra do material de outro craque no registro paulistano,

Ler post
terça-feira 02/03/10

Traços do passado

Pedro Taques de Almeida Alvim em O Polichinello, 1876

A arte do desenho é uma maravilha. Pena que as publicações de hoje já não tenham tanto espaço para esses privilegiados se expressarem. O passado das publicações paulistanas é rico de traço. Muitas podem ser apreciadas pela internet. C0mo essa ilustração da página 7 de O Polichinello, de 17 de dezembro de 1876, do Arquivo Público do Estado.  

Ler post