1. Usuário
Assine o Estadão
assine

São Paulo, terra de contradições

Pablo Pereira

sexta-feira 13/12/13

Sair de casa às 4h da matina, num dia normal de semana, e rodar por São Paulo provoca duas sensações bem contraditórias. A primeira é a de que com a cidade vazia chega-se rapidinho ao destino. Nada de incômodos engarrafamentos, nada de estressadinhos no trânsito, de gente sem educação cortando, agredindo, disputando vagas. Mas a [...]

Sair de casa às 4h da matina, num dia normal de semana, e rodar por São Paulo provoca duas sensações bem contraditórias. A primeira é a de que com a cidade vazia chega-se rapidinho ao destino. Nada de incômodos engarrafamentos, nada de estressadinhos no trânsito, de gente sem educação cortando, agredindo, disputando vagas.

Mas a segunda, Deus me livre! A escuridão e o vazio das ruas dá medo. Dizem que a cidade não para, que há vida (boa) pela madrugada. Meia verdade. São Paulo dorme, sim. E quando notívagos param nos faróis, não há como fugir da sensação de que se pode, a qualquer momento, ser atacado – como num filme de zumbis.

A neura é muita! Infelizmente.

.

.

.