1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Quem Faz

PABLO PEREIRA. Formado pela PUC-RS em 1986, é jornalista do Estadão desde 2007. Foi Editor Executivo de O Estado de S.Paulo, do Jornal da Tarde e do estadão.com.br. Master em Jornalismo Digital pelo Instituto Internacional de Ciências Sociais (IICS), é repórter especial.

sábado 31/12/11

Triste dia. Por Daniel

Nós tínhamos algumas paixões comuns, das quais falávamos: a vida, filhos, alguns amigos, jornalismo, bola rolando - e Machado de Assis. Dos livros, não falo em respeito a ele. Ele os criava; eu apenas os admiro (como a ele). Daniel Piza foi enganado pela vida que amava tanto, e se foi. Difícil entender. Muito difícil. .    

Ler post
terça-feira 27/12/11

Há 15 anos, um tenso dezembro em Lima

Isso aqui nem é tão chocante, disse Roland Bigler, funcionário da Cruz Vermelha, auxiliar na negociação entre o governo peruano e o Movimento Revolucionário Túpac Amaru (MRTA) em dezembro de 1996.  Naquele dia 17, no início da noite, guerrilheiros tomaram a casa do embaixador japonês Morihisa Aoki, em Lima, em uma cinematográfica ação que durou 126 dias, e terminou em tragédia em abril. Todo mês de dezembro lembro de Bigler conversando sobre o trabalho de mediação do chefe dele, Michel Minnig. ...

Ler post
segunda-feira 26/12/11

A amizade entre palavras, linhas e pontos

Outro dia, início de dezembro, vi andando pela redação de O Estado de S.Paulo um ícone do silêncio, um homem que fala pelo que escreve – e que escrita! Era Luís Fernando Veríssimo. Portador do DNA da literatura, é um abençoado pelo humor e pela síntese, divindades que guiaram também os passos do poeta Mário Quintana, outro desses gnomos sulistas dos livros. Veríssimo é um Quintana nos cartuns. O poeta adorava as palavras no fundo branco dos livros. Amava-as tanto que ...

Ler post
sexta-feira 16/12/11

Passando a sacolinha…

A cidade tem acompanhado a polêmica sobre a distribuição de sacolinhas de supermercado. O comércio  será proibido de fornecer de graça a sacola plástica que o consumidor usa para carregar mantimentos – e que eventualmente serve para descartar lixo doméstico.

Agora o consumidor terá de pagar pelas embalagens das compras – são 1,7 bilhão de sacolinhas em 600 lojas de grandes redes, segundo dados do comércio. Ou seja, o consumidor vai continuar usando a tal embalagem para tirar o lixo, só que terá de desembolsar mais uns trocados. Isso, multiplicado por aquilo, dá uma boa quantia, não?

O argumento central da medida da campanha é o da proteção do meio ambiente.  A campanha é patrocinada pelo comércio. E muita gente que carrega a bandeira do ambientalismo embarca na ladainha. Jogam na sacolinha gratuita até a culpa pelas cheias na cidade. Falsa questão.

Já há material biodegradável para fazer sacolinha de supermercado que derreta no tempo. E as enchentes são coisa de incompetência de anos sem planejamento urbano – isso, sim, responsabilidade do poder público.

Na tal polêmica da sacolinha, é só trocar a de hoje, a famigerada poluidora e entupidora de bueiros, por uma que vire pó rapidamente. E deixar o comerciante livre para oferecer de graça a embalagem à freguesia.

 

 

 

 

Ler post
segunda-feira 12/12/11

O reencontro do ano

Dezembro já tem um eito, e se aproximam as festas. Tempo dos presentes, luzinhas brilhandos nas ruas e sacadas, cidade com jeito de alegria e expectativa de feriadão de descanso. Tempo também de rever o ano, fazer balanços, checar resultados, relembrar de encontros. Olhando alguns momentos deste 2011, houve um que me pareceu muito especial. Depois de anos, reencontrei em junho o menino índio albino que havia conhecido em reportagem para o jornal. O Estado publicou em julho a história ...

Ler post
sábado 26/11/11

SP e o caranguejo de Hipócrates

Capa do livro do oncologista Paulo Hoff e outros 12 especialistas

. . A ilha de excelência brasileira chamada São Paulo tem, seguramente, a maior concentração de hospitais de alto padrão e de profissionais de altíssimo nível no exercício da medicina no País. São 105 hospitais e pelo menos 9 mil clínicas, segundo dados da Prefeitura. E um exemplo desse poderio no serviço médico e pesquisa é a Faculdade de Medicina da ...

Ler post
domingo 20/11/11

Brasil atrai novas levas de trabalhador do exterior

Executivo brasileiro Artur Fuchs, CEO da Efacec, que retornou ao Brasil após duas décadas no exterior/Foto

No Século 19, ai pelos anos 1830/50, o Brasil viveu uma situação muito interessante, semelhante, em parte, ao que ocorre hoje, mais 160 anos depois. Precisava povoar sua imensa extensão territorial para crescer, se desenvolver, se proteger. E precisava, ainda mais importante, substituir a mão-de-obra escrava, que era uma mancha cruel na formação do País. A escravatura foi combatida por dentro na elite agrária de então, que dava suporte às estruturas de Estado, e de fora por opositores ferrenhos, brancos e ...

Ler post
segunda-feira 14/11/11

O dom de alegrar

Roda de chorinho em loja da Vila Mariana/Foto: Pablo Pereira

Responda rápido: o que têm em comum os padres Manoel da Nóbrega e Antonio Rodrigues (dos anos 1500) com Zequinha de Abreu, Antonio Rago e Aníbal Augusto Sardinha, o Garoto, (dos 1900) e uma turma que se reuniu sábado pela manhã na Rua França Pinto, 42, na Vila Mariana? Respondo eu, rápido: a música. Sobrevive naquele endereço, onde há uma loja de instrumentos musicais, o maravilhoso dom de artistas que - desde as missas monofônicas dos mosteiros quinhentistas - fazem a alegria de São Paulo ...

Ler post
sexta-feira 11/11/11

Pelé e a formação profissional nos esportes

Dois craques do esporte brasileiro, Pelé e Ary Graça, da Confederação Brasileira de Vôlei, foram chamados para debater no Museu do Futebol, no Pacaembu, o futuro da educação e do esporte no Brasil. Segundo os promotores do evento, marcado para dia 18, às 14h, é uma iniciativa da empresa Kroton Educacional,  que atua no setor de ensino. O ponto é a formação de profissionais para a Copa do Mundo de 2014 e a Olimpíada de 2016.    

Ler post