1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Estante Virtual não voltará atrás na decisão de aumentar tarifa, diz André Garcia sobre reivindicação de sebos

Maria Fernanda Rodrigues

terça-feira 24/06/14

(Foto: Werther Santana/Estadão)

Desde o início do mês há uma agitação entre pequenos livreiros e donos de sebos, que se rebelaram contra as novas regras e tarifas da Estante Virtual, principal site de venda de livros usados do País. Uma petição online pedindo uma “Estante Virtual mais justa” já foi assinada por quase 7 mil livreiros e simpatizantes da causa. Eu queria ter falado com o André Garcia, proprietário do portal, para a nota que saiu na Babel de sábado, mas, segundo sua assessoria de imprensa, ele estava viajando e poderia mandar as respostas no começo da semana.

Ele conta que depois da movimentação dos livreiros, ele e sua equipe voltaram atrás em algumas decisões. Mas foi taxativo: “A tarifa voltar para 6% é algo que realmente não faz qualquer sentido, e não vai acontecer. Não há como ter uma empresa com 98,4% a mais de custos, e a mesma tarifa.”

Confira a entrevista:

A movimentação dos livreiros causou alguma surpresa? São reivindicações justas?
Você se refere à movimentação da segunda-feira, dia 9 de junho, quando 150 livreiros retiraram seus acervos de exibição, em protesto pelas mudanças anunciadas? Sim, com certeza causou surpresa, mas considero o movimento totalmente legítimo e válido. Serviu para apontar nas mudanças alguns aspectos que precisavam ainda ser aprimorados, como por exemplo a criação de uma faixa de descontos para os pequenos vendedores, que vendem partir de R$ 2 mil mensais, coisa que estava faltando no modelo inicial, que contemplava com tarifas diferenciadas apenas a partir da faixa de R$ 5 mil mensais. Igualmente, as faixas intermediárias mereciam uma readequação, com uma queda de 1% na tarifa de venda. Outro ponto era o indicador de excelência de tempo de postagem, que merecia um prazo um pouco maior, por conta de alguns livreiros usarem o serviço de coleta dos correios, o que disponibiliza o código de rastreamento da encomenda apenas no dia seguinte ao dia da coleta. Enfim, os livreiros apontaram alguns pontos que vimos que eram totalmente pertinentes, e nos esforçamos por atendê-los, foi positivo.

Alguns livreiros comentaram que querem organizar um novo boicote. Deixar de vender na Estante Virtual dói mais em vocês ou neles?
É importante lembrar que a mudança nas tarifas visa a atender exatamente demandas elencadas pelos próprios livreiros, em visitas que fiz em novembro do ano passado, a mais de 100 livreiros em 10 cidades do Brasil. Depois dos pontos que já flexibilizamos, não há mais o que mudar, porque os custos operacionais da Estante realmente aumentaram 98,4% neste primeiro semestre justamente para atender essas demandas dos livreiros, entre elas: novos meios de pagamento, novas ferramentas de gerenciamento de acervo, atendimento telefônico, nova busca etc, alguns já lançados e outros por lançar no curto prazo. Tudo isso tem um custo, e não faz nenhum sentido boicotar um serviço que está justamente atendendo às próprias solicitações deles. Claro, tarifas maiores não são um benefício por si só, mas são positivas quando, como mostramos a eles, além de novas ferramentas para vendedores e compradores, gerarão um aumento de vendas de 30% no curto prazo, aumento esse que significará inclusive mais lucro no final do mês para os livreiros.

Você voltaria atrás em alguma decisão recente?
Já voltamos, flexibilizamos diversos pontos. Mas a tarifa voltar para 6% é algo que realmente não faz qualquer sentido, e não vai acontecer. Não há como ter uma empresa com 98,4% a mais de custos, e a mesma tarifa, isso simplesmente não é exequível em termos de negócio, e a mais ampla maioria dos livreiros entendeu isso, e acredita que a mudança foi para melhor, dadas as possibilidades totalmente novas que isso traz em termos de mais ferramentas e mais vendas.

Como você vê o fim dessa história? Quando isso deve ocorrer?
Dos 150 livreiros que retiraram os acervos no dia 9, recebi já diversas mensagens de apoio, com vários deles manifestando que se de fato não adoram pagar uma tarifa maior, mas que entendem que a mudança trará possibilidades totalmente novas para todos, e que estão felizes a bordo da Estante Virtual. Mas, claro, não é possível agradar a todos. Há ainda alguns livreiros que realmente querem ter um serviço melhor, mas que não aceitam pagar a mais por isso. Não faz sentido, e realmente não temos como satisfazê-los nesse tipo de demanda.