ir para o conteúdo
 • 

Armando Fávaro

27.fevereiro.2014 13:21:35

Orlando Brito conta a história da foto de Tom Jobim

Maestro Tom Jobim.
Pedra do Arpoador, na Praia de Ipanema, no Rio, outubro de 1984

Eu era editor da Veja, em São Paulo, e a revista tinha uma reportagem de capa com o maestro Antonio Carlos Brasileiro de Almeida Jobim. A matéria estava resolvida com as fotos que tínhamos, mas faltava o essencial, justamente a imagem que iria para a capa. Elio Gaspari, nosso diretor-de-redação queria uma fotografia fora do convencional, que chamasse a atenção do leitor logo no primeiro contato com a revista, ou seja, a capa. Disse-me: - Ouse, meu caro, seja ousado.

Então liguei para o Flávio Pinheiro, o chefe da sucursal da Veja no Rio. E pedi-lhe propusesse ao Tom que posasse para nós em Ipanema. O maestro aceitou. Pedimos que fosse bem cedinho, por volta das sete da matina, para evitar um enxame de pessoas a vê-lo. Para nossa surpresa, Tom disse sim novamente. Só me restou voar às pressas de Sampa para o Rio. Providenciou-se o aluguel de um piano, esse ai, e o levamos para o Arpoador. Levamos não, seis carregadores o suportaram nas costas. (Destaco esse detalhe, lembrado pelo dileto Woile Guimarães).

O sol brilhante conspirou a nosso favor. E pouco antes das sete da matina lá estava Antonio Carlos, tal e qual havíamos sonhado. Enquanto eu fazia as fotos, Tom tocou várias músicas. Várias, “O samba do avião”, “Garota de Ipanema” e outras mais. A certa altura, o senti com uma certa timidez ou desconforto. Eu mesmo achava a cena um tanto ousada para um sujeito tão contido quanto Tom. Ao percebê-lo encabulado, aproximei-me. E tivemos o seguinte diálogo:
- Qual é mesmo sua graça?, perguntou-me
- Brito, Orlando Brito, respondi-lhe.
- Brito, Orlando Brito, eu não sou o …, disse-me baixinho. (Não vou dizer nome do pianista famoso por delicadeza e respeito ao Tom e ao próprio artista citado)
- Tom, Tom Jobim, confie em mim. Creia no meu bom gosto. Não vou lhe transformar em Fulano de Tal, lhe assegurei.

E seguimos fotografando. Não durou muito, uns quinze ou vinte minutos, talvez. Ao final, quando dei o trabalho por completo, agradeci. Ele se levantou do banquinho e preparou-se para tomar seu carro, um Voyage creme. Mas antes de deixar a praia, voltou ao piano e disse:
- Faltou uma canção.
E mandou, sem cantar: Manhã, tão bonita manhã…
E olha que “Manhã de carnaval”, nem é de sua autoria. É composição de Luiz Bonfá e Antonio Maria.

Quanto terminou, levantou-se, deu uma piscadinha para um grupo de jovens senhoras que observava a cena da calçada, entrou no seu automóvel de cor creme, colocou um chapéu de palhinha e saiu, devagarinho, ele mesmo dirigindo.
Acho que gostou, porque na segunda feira-seguinte, quando viu a revista telefonou para nós na Veja e agradeceu. Nem acreditei que Tom Jobim fosse ter lembrança para isto. Teve.

A foto abaixo faz parte do material produzido.

Orlando Brito

O maestro Tom Jobim por Orlando Brito

 

 

Comente!

  • A + A -
  • Quem Faz

    Quem Faz

    Armando Fávaro

    Fotojornalista e editor assistente de fotografia do jornal O Estado de S.Paulo. Atuou nas revistas Exame e Visão e no Jornal do Brasil. Além da paixão pelas imagens, se enveredou pelo mundo acadêmico e concluiu mestrado e doutorado em Comunicação e Semiótica (PUC-SP), onde pesquisou o Fotojornalismo durante o Regime Militar e a Edição de Imagens no Fotojornalismo. Atua também como professor de fotografia e participa de grupos de pesquisa em comunicação e cultura visual e processo de criação fotográfica.

    Contato: armando.favaro@estadao.com

Arquivos

Blogs do Estadão

Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo