ir para o conteúdo
 • 

Ariel Palacios

02.setembro.2009 02:00:21

“E ali, a casa onde Hitler morreu…em 1960″

Guia
Capa do livro mostra Hitler, como estátua, na praça principal de Bariloche

“Daqui vocês podem ver daqui a Cordilheira dos Andes, o lago Nahuel Huapi…e ali, no meio do bosque, a última residência de Adolf Hitler e Eva Braun. Ali Hitler morreu em 1960″. A insólita frase pode ser pronunciada ocasionalmente pelos guias aos turistas que visitam a cidade de Bariloche, na Patagônia, no sul da Argentina. Ali, segundo um polêmico livro, teria se refugiado o tenebroso Führer do Terceiro Reich após o fim da Segunda Guerra Mundial, em 1945.
Hitler, afirma a obra, não deu um tiro na cabeça (junto com uma cápsula de cianureto que mordeu) na Berlim bombardeada pelos soviéticos. Segundo o livro, teria falecido tranquilamente, anos depois, em Bariloche.

A obra é “Bariloche Nazi – Lugares Históricos Relacionados com o Nacional-Socialismo”, do jornalista e escritor Abel Basti. O livro é um peculiar guia turístico para percorrer o “lado nazista” dessa cidade com look bávaro alpino no sopé dos Andes.

Além da fantasiosa última residência de Hitler, o guia mostra com detalhes as casas e os lugares reais onde passeavam e se reuniam dezenas de criminosos de guerra que comprovadamente passaram pelo país.

Esse é o caso de Erich Priebke e Reinhard Koops – que nos anos 40 e 50 se esconderam nessa cidade. Outros nazistas, como Walter Kutschmann, Josef Schwammberger e Abraham Kipp também teriam passado pelo lugar.

Na época, Bariloche não passava de um vilarejo afastado da civilização, a 13.500 quilômetros das fumegantes ruínas de Berlim.

Ali se esconderam nazistas alemães e austríacos, bem como croatas “ustaschas”, belgas, fascistas italianos e colaboracionistas franceses.

Calcula-se que no pós-guerra, sob o governo do general Juan Domingo Perón, mais de 1.300 criminosos de guerra passaram pela Argentina, muitos dos quais acabaram residindo no país.

eva
Guia afirma que Hitler morreu tranquilamente na Patagônia

NAZISTAS AO SOPÉ DOS ANDES
“Não estou reivindicando ideologia alguma”, explica o autor do excêntrico “city guide”. Segundo Basti, o livro convida o turista a percorrer Bariloche em uma perspectiva “diferente”, “alternativa” à tradicional. “É para que o leitor conheça como e onde viveram estes sombrios personagens”.

A polêmica do guia começa pela capa, na qual – por meio de uma fotomontagem – aparece uma estátua de Hitler no centro de Bariloche. Dentro, um mapa exibe o “tour nazista”, tal como em Hollywood os mapas mostram as casas das estrelas do show-business.

Diversos comerciantes e políticos locais protestaram contra o livro quando foi lançado, já que não querem que Bariloche tenha a imagem de uma cidade nazista, nem que atraia hordas de militantes de extrema-direita de todo o mundo.
A nazi-guia já conta com cinco edições.

O surgimento do “turismo nazista” na América do Sul causou grande polêmica na comunidade judaica. Segundo representantes da comunidade em Bariloche, a idéia de publicar o livro é “infeliz” e “só pode interessar aos neonazistas”.

blondi
Livro afirma que ditador teria fugido da Alemanha para ‘aposentar-se’ no sopé da Cordilheira dos Andes. Na foto, A.Hitler nos alpes bávaros.

Na Argentina reside a maior comunidade judaica da América Latina, com mais de 500 mil pessoas. Coincidentemente, nesta país também está o maior número de grupos neo-nazistas. Nos anos 30, a Argentina teve o segundo maior partido nazista do mundo, depois da Alemanha, com mais de 60 mil filiados.

Um dos principais protagonistas do nazi-guia é o alemão Erich Priebke, oficial da SS, responsável em 1944 pelo massacre das fossas Ardeatinas, em Roma, onde ordenou o assassinato de 345 civis. Priebke fugiu para a Argentina logo após a guerra, instalando-se em Bariloche. Ali, viveu tranquilamente, sem modificar seu nome, tornando-se uma das pessoas mais “respeitadas” e com grande influência na cidade através da presidência da Associação Cultural Germano-Argentina.

No entanto, uma equipe jornalística o retirou do esquecimento mundial no início dos anos 90. Em 1995 foi extraditado para a Itália. Sua casa e os lugares que frequentava são um dos pontos de interesse do guia.

priebke
Priebke, criminoso de guerra nazista, viveu várias décadas em Bariloche, usando seu nome verdadeiro, sem ser incomodado

Segundo o autor, passaram por Bariloche figuras sinistras do Terceiro Reich como o médico Joseph Mengele; o “cérebro” do holocausto, Adolf Eichmann e até o braço direito dos últimos anos de Hitler, Martin Bormann.

Entre as peculiaridades do livro, Basti mostra fotos de um suposto “bunker” de nazistas no meio dos bosques, que foi misteriosamente dinamitado pelo exército argentino décadas após o fim da Segunda Guerra.

Perto de Bariloche, está o “Berghof” – uma residência no sopé da Cordilheira, no município de Villa La Angostura – que tem o mesmo nome da casa que Hitler tinha nos Alpes da Baviera. Ali, segundo Basti, teriam se refugiado o Führer e sua esposa. Contrariando a maioria dos historiadores, o escritor argentino afirma que o casal não se suicidou em Berlim e que teria fugido para a Patagônia em um submarino.

mengele2
Mengele, na extrema esquerda, com outros colegas de métier em uma pausa

livrossBOOM DE LIVROS SOBRE NAZISTAS
Após o final da Segunda Guerra Mundial a Argentina foi um dos refúgios favoritos dos criminosos de guerra nazistas que escapavam da Justiça na Europa. Nos últimos 10 anos, com a detenção de diversos criminosos de guerra nazistas, já octogenários e nonagenários – e a descoberta de novos documentos sobre as atividades dos refugiados do Terceiro Reich no país – a atenção dos argentinos sobre a presença de homens do Führer Adolf Hitler aumentou mais ainda, propiciando vasta produção bibliográfica sobre o assunto.

Desde o ano passado o país vive um novo boom de livros sobre o assunto. Entre as obras, várias relatam a fuga de cientistas nazistas para a Argentina.

Um dos livros está “Mengele – O anjo da morte na América do Sul”, de Jorge Camarassa, um veterano “caçador de nazistas”.

Mengele, conhecido pelo apelido de “Doutor Morte” por suas cruéis experiências com crianças (especialmente gêmeos) e mulheres no campo de concentração de Auschwitz, chegou ao país em 1949.

Camarassa – que seguiu os passos de Mengele pela Argentina, Paraguai e Brasil (onde morreu) – relata no livro que sádico médico passou nos anos 60 pela cidade gaúcha de Cândido Godoy. Ali, sugere Camarassa, o médico nazista teria realizado experiências genéticas que transformaram a cidade no lugar com maior índice de nascimentos de gêmeos em todo o mundo (quatro vezes maior que a média mundial). Os habitantes da cidade negam enfaticamente as suspeitas de Camarassa.

Outro livro, do pesquisador e jornalista Carlos De Nápoli, “Os cientistas nazistas na Argentina”, relata a ida de físicos, químicos e biólogos do Terceiro Reich para o país.

bergius
Bergius, o Nobel que morreu em Buenos Aires

Segundo De Nápoli, a maioria dos cientistas que desembarcaram na Argentina eram de segunda categoria. Mas, havia exceções de destaque, entre eles Friedrich Bergius, Prêmio Nobel da Química de 1931, inventor do petróleo sintetizado a partir do carvão (invento que permitiu prolongar o esforço de guerra alemão por vários anos).

Bergius, que segundo De Nápoli foi um dos autores do Primeiro Plano Qüinquenal do governo Perón, morreu em Buenos Aires em 1949. O Nobel está enterrado no cemitério de La Chacarita.

Outro inventor alemão que refugiou-se na Argentina (mas que aqui passou quase incógnito) foi Reimar Horten, o criador da “asa voadora” alemã, base para posteriores e revolucionários bombardeios americanos, como o Nothrop N-9M.

Maior protagonismo teve o engenheiro Kurt Tank, que projetou o Pulqui, o primeiro avião a jato da América Latina. Desta forma, graças a um de seus cientistas alemães, Perón conseguiu tornar a Argentina o terceiro país no mundo a contar com jatos.

tank
Kurt Tank projetou e construiu o Pulqui, transformando a Argentina no primeiro país da América Latina a ter caças a jato

No entanto, Perón também foi enganado. Esse foi o caso de Hans Richter, amigo de Tank, que convenceu o general a montar para ele um laboratório em Bariloche onde – prometia – realizaria a fusão nuclear.
Depois de meses sem resultados – e de ter gasto, segundo De Napoli, dezenas de milhões de dólares – Ricther comunicou que havia conseguido realizar a fusão a frio. Perón, transbordando de alegria, fez um anúncio oficial.

Os cientistas argentinos duvidavam dessa descoberta do nazista, principalmente porque Richter recusava-se a abrir seu laboratório para estranhos.
A queda de Perón em 1955 também foi a queda de Richter e a descoberta de que as pesquisas do nazista não passavam de uma cara falcatrua.
Mas, o fiasco serviu para estimular a criação de um comitê que tornou o país, nos anos 60, no primeiro da América Latina a controlar a fusão nuclear.

richter
Ronald Richter, o cientista que ludibriou Perón. Na foto, Richter com seu anônimo gato

O affaire Richter rendeu um livro, publicado no ano passado, em forma de romance. É “O homem que enganou Perón”, de Daniel Sorín.

livross2dPRODUÇÃO PRÓPRIA
Os nazistas na Argentina publicaram obras próprias, defendendo o Terceiro Reich e reeditando “Mein Kampf” (Minha Luta). Alguns, como o colaboracionista francês Henri Queyratt, integrou-se totalmente (adotou o nome em espanhol de “Enrique”) – tornou-se um dos principais enólogos do país nos anos 70 – e publicou o best-seller “Os bons vinhos argentinos”.
Outros, como Wilfred Von Oven, antigo assessor de imprensa do Ministro Joseph Goebbels, publicou “Quem era Goebbels?”, uma longa e enfática defesa de seu defunto chefe.

………………………………………………………….
Comentários racistas, chauvinistas, sexistas ou que coloquem a sociedade de um país como superior a de outro país, não serão publicados. Comentários com propaganda - dissimulada ou explícita – de partidos racistas não serão publicados. O mesmo aplica-se para propaganda religiosa que discrimine setores da sociedade.
Tampouco serão publicados ataques pessoais entre leitores nem ocuparemos espaço com observações ortográficas relativas aos comentários dos participantes.
Além disso, não publicaremos palavras ou expressões de baixo calão (a não ser por questões etimológicas, como back ground antropológico).
Todos os comentários devem ter relação com o tema da postagem.
E, acima de tudo, serão cortadas frases de comentaristas que façam apologia do delito.

Comentários (70)| Comente!

  • A + A -
70 Comentários Comente também
  • 02/09/2009 - 12:05
    Enviado por: Santiago

    Caro Ariel,

    Meus parabéns pelo blog e principalmente pelo tema escolhido.

    Gosto muito também da maneira imparcial como escreve, mostrando apenas fatos e sem tomar partidos.

    Um abraço !

    responder este comentário denunciar abuso

  • 02/09/2009 - 12:10
    Enviado por: Clodoaldo

    Como em toda a história da humanidade, muito se diz, e, infelizmente nada se aprende, e hoje isso é fonte de desculpas para novos massacres, fonte de renda para editoras e aproveitadores de todo tipo.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 02/09/2009 - 12:14
    Enviado por: Raphael Larsen

    Independente da “verdade dos fatos” é importante o debate e o acesso a informação. A constituição nacional tem como princípio basilar a liberdade de expressão, a ampla defesa e o contraditório entre outros. Assim, todo indivídou tem o direito constitucional de conhecer fatos e fundamentos, expor seus pensamentos e idéias sem, contudo impor suas verdades aos outros ou sofrer qualquer censura a suas considerações feitas de forma polida e justificadas.
    O Estadão como sempre inova, permitindo ao leitor que analise os vários pontos de vista e forme o próprio juízo de valor.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 02/09/2009 - 12:17
    Enviado por: Demerval Ferreira

    OS CRIMINOSOS DE GUERRA NÃO DEVEM JAMAIS SEREM ESQUECIDOS, E CRIMINOSOS SÃO TAMBÉM AQUELES QUE FAZEM APOLOGIA DAQUELES, QUE DEVEM IGUALMENTE SER RIGOROSAMENTE PUNIDOS DE ACORDO COM A LEI.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 02/09/2009 - 12:39
    Enviado por: Paulo Sérgio

    O brasil por pura incompetência dos politicos da época, deixou de absorver o que tinha de melhor em tecnologia militar e industrial na europa pós II Guerra, principalmente a tecnologia Alemã, o Brasil como país que participou ativamente da Guerra tinha esse total direito e reconhecimento dos paises vencedores: Estados Unidos, Inglaterra, França etc. Mais os nossos idiotas’e incompetentes governantes da época preferiram não participar desse bolo, o resultado dessa falta de visão sentimos até hoje como por exemplo o nosso esperado submarino nuclear que ficou so na maquete ja com mais de 25 anos de atraso.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 02/09/2009 - 12:56
    Enviado por: Luiz Bertotti

    As Serras de Córdoba também são (ou seriam) um reduto de nazistas refugiados. A Argentina, pela amplidão de suas terras cultiváveis e pela pouca “mestiçagem” de sua população, era namorada pelo III Reich, não sei se como possível aliada, futura colônia de luxo, ou ambas. E Perón ajudava muito, retribuindo essas simpatia com mercadorias estratégicas durante a II Guerra e asilo quando o desastre engoliu a nazistada na Europa.
    Pelo lado científico-tecnológico, onde a questão ética é chutada para escanteio, a Argentina poderia ter se beneficiado muito com a migração de cientistas alemães para lá, que ocorreu, certamente, de forma muito mais expontânea do que a dos que foram levados para os Estados Unidos e a União Soviética. Tank e Horten eram feras em engenharia aeronáutica (veja-se o Pulqui II, do Tank). Para sorte dos vizinhos (leia-se Brasil, entre outros), a queda do peronismo interrompeu muitos planos hegemônicos platinoss que esatavam amparados pelo talento técnico alemão.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 02/09/2009 - 13:24
    Enviado por: virsio lima

    Essa história de Hitler ter fugido de submarino me foi contada por um ex-mecânico, sobrevivente do ataque a Berlim e que ajudou os americanos a fazer o carro de Hitler ” pegar “, porque era codificado já àquela época, e ” panzerado “, ou seja, com blindagem de 1 cm no piso. Para quem quiser conferir, o carro acha-se exposto no museu de NY. Segundo ele, Hitler fugiu mesmo de submarino, mas ele achava que para a Espanha de Franco. Por isso, nada deve ser descartado, especialmente porque a pessoa que me passou as informações era pessoa de extremada vivacidade e confiança, já faleceu, várias das histórias que me contou acabaram sendo descobertas e confirmadas pela imprensa anos mais tarde, inlusive os massacres ocorridos na Croácia, que ele presenciou, pois era iuguslavo e foi obrigado a trabalhar de motorista do exército alemão após a invasão. Ele odiava os nazistas. Escrevi suas memórias, que infelizmente foram perdidas. Portanto, amigos, entre o céu e a terra, como diz o famoso filósofo, existem muitos mistérios, ” mais do que pode prever nossa vã filosofia “.

    responder este comentário denunciar abuso

    • 04/10/2011 - 13:37
      Enviado por: keila

      Nossa fiquei muito interessada nesses fatos que contou. É pena que só li hoje 04/10/2011, gostaria de saber mais sobre este assunto e desse ex mecânico e motorista do exército alemão se vc puder me responder agradeço.

      responder este comentário denunciar abuso
  • 02/09/2009 - 13:59
    Enviado por: Douglas

    Muito interessante este post. E fica a dica que o Brasil também foi refúgio de ditadores, como aprendi numa temporada no litoral do Paraná: http://www.canseidesercowboy.com.br/blog/2009/08/16/a-casa-de-stroessner-nao-esta-a-venda/

    responder este comentário denunciar abuso

  • 02/09/2009 - 14:24
    Enviado por: Walter Camargo

    Além da Argentina, o Chile também teve sua quota de fugitivos nazistas. Contam que até hoje, no sul do Chile encontram-se alguns senhores alemães, na faixa dos 80/90 anos, e que costumam fugir de contatos com estranhos…

    responder este comentário denunciar abuso

  • 02/09/2009 - 14:39
    Enviado por: Degrelle

    Palacios:
    Parabéns pelas duas últimas postagens. Tem coisas que até mesmo eu não sabia.
    Desconhecia que havia tanta afinidade entre o Integralismo do Plínio e o general Perón. Pena que não deu certo. Tenho certeza que teria sido o melhor para a unidade e crescimento da nossa America do Sul. De fato Vargas traiu Plínio, com eu disse há muito tempo.
    Em relação ao roteiro de Bariloche, pena que quando fui com meus companheiros de segundo grau não existia, senão pode apostar que o teríamos feito. Mas com certeza o farei.
    Realmente duvido muito que Hitler tenha vivido em Bariloche, mas num hipotético caso de que isso tenha acontecido, e eu houvesse já nascido naquela época, daria a ele de presente um legítimo cachorro dogo argentino, igualzinho ao meu, que vamos dizer a verdade, é muito mais bonito que a Blondie, a pastor alemão mestiça que aparece na foto.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 02/09/2009 - 14:51
    Enviado por: Degrelle

    Por último Palacios, queria lhe pedir que quando amanhã poste algo em relação ao Alejandro Biondini: Kalki, lembre de sua trajetória patriótica nacionalista, sua luta dedicada a Pátria, e que seu partido, que conta com milhares de seguidores, está sendo proibido sem reais motivos, num claro cerceamento das liberdades políticas. Eu tenho ouvido seu programa de radio, e NADA há de ilegal.
    Só aborda assuntos de caráter patriótico como por exemplo Malvinas, numa excelente entrevista de uma hora ao jornalista Nicolas Kasanseu, correspondente nas ilhas na época da guerra.
    Desde já obrigado.
    Degrelle.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 02/09/2009 - 15:07
    Enviado por: Glaucia

    O que vc. acha dessa noticia?

    responder este comentário denunciar abuso

  • 02/09/2009 - 15:26
    Enviado por: Julio Prestes

    Como dito no comentário de Luiz Bertotti, as Serras de Córdoba também receberam muitos nazistas. Na cidade de Villa General Belgrano, onde hoje em dia acontece a Oktoberfest argentina, há uma série de referências aos nazistas do navio Graf Spee que afundou em Montevidéu e foram levados por Perón para lá. Há restaurantes e lojas em alusão a estes “ilustres colonizadores”.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 02/09/2009 - 15:31
    Enviado por: Roberto

    Parabéns pela matéria.
    Realmente há muito de história, talvez até mítico, sobre todas essas pessoas que viveram na Argentina, Brasil, etc e que tinham a ficha suja na Europa.
    Isso não ocorreu somente nesta época e se observarmos ainda ocorre, infelizmente.
    Até que ponto não pode ser verdade ? Se fosse, não me surpreenderia.
    Você me fez lembrar do livro e do filme (muito fraco em relação ao livro) “Os meninos do Brasil”.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 02/09/2009 - 16:48
    Enviado por: Roberto

    Caro Ariel, parabéns pelo ótimo post.

    Desde pequeno ouço histórias sobre uma suposta mudança de Hitler, da Alemanha para a Argentina e que sua morte foi uma fraude, já que foram encontrados apenas restos carbonizados praticamente impossiveis de se identificar. A própria foto da época que mostra Hitler morto é bem duvidosa e não se parece em quase nada com ele.

    Quais as chances de ele realmente ter vivido na Argentina até sua morte? Você acredita que possa ser verdade?

    Abraços.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 02/09/2009 - 16:49
    Enviado por: Roberto

    Caro Ariel, parabéns pelo ótimo post.

    Desde pequeno ouço histórias sobre uma suposta mudança de Hitler, da Alemanha para a Argentina e que sua morte foi uma fraude, já que foram encontrados apenas restos carbonizados praticamente impossiveis de se identificar. A própria foto da época que mostra Hitler morto é bem duvidosa e não se parece em quase nada com ele.

    Quais as chances de ele realmente ter vivido na Argentina até sua morte? Você acredita que possa ser verdade?

    Abraços.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 02/09/2009 - 16:58
    Enviado por: ELOY GIRALDI

    Ariel, parabens pelo Blog, e, por publicar uma matéria apaixonante, e sinistra, que é, a fuga dos nazistas para a América do Sul, ainda totalmente sem explicação plausível, como a vinda de Hitler para Bariloche.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 02/09/2009 - 18:00
    Enviado por: Jaboatão

    Caro Ariel, sei que o assunto aqui é Argentina, mas os nazistas são assunto em qualquer lugar.
    Na região de Monte Verde havia muitos hotéis e pousadas de oficiais da Luftwaffe e da SS.
    Em PE também há uma boa quantidade dessa gente, inclusive com espiões remunerados a serviço da Alemanha.
    É só procurar que acha…

    responder este comentário denunciar abuso

  • 02/09/2009 - 18:57
    Enviado por: Gilson

    Espere um minuto. tentar comparar Stroessner com Hitler é tão ridículo como se tentar comparar Maradona com Pelé.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 02/09/2009 - 19:15
    Enviado por: Marcos L. S.

    Interessante, não a hipótese em si, mas as considerações do que estariam por detrás delas.
    Afinal, após a queda dos nazistas, o ocidente vem se ocupando de demonizar a ideologia, e uma vez que o nazismo, nada mais é, do que a própria essência do mal, é óbvio que seus “estudiosos” não podem admitir que seus idealizadores, sejam mais do que escória.
    Não creio que essa linha de pensamento, leve a uma compreenção completa da ideologia, e frequentemente, as interpretações errôneas, só levam a uma idolatria “torta”, se essa é intenção da postagem, então está perfeita, mas se a idéia é analisar os fatos e eventos e tentar compreende-los a linha de abordagem está fraca.
    Hitler, apesar de o mundo hoje o classificar de demônio, acreditava no que fazia, era um guerreiro, um homem tenaz e inteligente, não fosse assim não figuraria como a figura mais contraditória e relevante do século XX.
    Querer creditar a ele um comportamento doentio, não vai ajudar a derrubar o mito em torno de seu nome, só um estudo sério que se livre dos preconceitos, e admita que o lider alemão acreditava no que fazia e morreu defendendo suas crenças, pode dar a ele sua verdadeira dimensão humana, ou “monstruosa” para sua correta compreensao.
    Querer conjecturar, que Hitler fugiu, se escondeu, foi covarde, alimenta mais a mitologia de nossas próprias crenças ideológicas, do que esclarece os verdadeiros fatos.
    Hitler, não era o covarde, que o ocidente o precisa fazer ser lembrado, se sua ideologia era “errada” segundo os nossos padrões, então afirmem isso, mas não tentem simplesmente estereotipar seu comportamento segundo nossas expectativas, nessas ocasiões, o tiro costuma sempre sair pela culatra ..

    responder este comentário denunciar abuso

    • 02/09/2010 - 10:00
      Enviado por: Fabio de Israel

      Marcos LS,Hitler era um covarde, cheio de Manias
      esquizofrenicas, e completamente louco.Portanto nao venha com explicacoes
      outras que sao ridiculas,pois de inteligencia era zero.E o Povo Alemao mais
      idiotizado ainda.
      Dizer que nao era covarde? Atacar pessoas sem armas o que e?
      Queimar pessoas ? Experimentos Medicos? Torturas?
      Entao me diga,voce é normal para fazer este tipo de comentario?
      Eu tive familiares mortos a tiros na rua pelas costas.E você?
      Nao,porque voce é um nazista declarado.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 24/01/2011 - 21:24
      Enviado por: Rolembegue, de Portugal

      Tentar explicar Hitler é o mesmo que justificar Hitler, e Hitler nao se justifica, portanto nao se pode explicá-lo, aceitá-lo ou compreendê-lo. Apenas podemos condená-lo. Ainda assim numa atitude de tentar entrar nesse mérito, podemos dizer que Hitler era paranoico, uma patologia (doença), cujo sintoma principal é que o enfermo acredita no que pensa e no que diz, ainda que esteja completamente errado. Nao obstante, o principal erro de Hitler foi querer levar as suas fantasias tao a termo, a ponto de matar milhoes de pessoas das formas mais bizonhas e sádicas possiveis, que eram objetos de um obstinado preconceito, porém baseado em uma falsa premissa ou hipotese de uma raça pura. Se houve uma raça pura que é ancestral das impuras, como nasceu a raça impura? Desculpa, mas explicar Hitler, seria justificar sua enfermidade.

      responder este comentário denunciar abuso
  • 02/09/2009 - 19:17
    Enviado por: Eduardo Mendonça

    Ariel Palacios,

    Muito importantes estes relatos da história que vc nos repassa. Saber que estes abjetos viveram aqui do lado o resto de suas vidas, é realmente surpreendente. Por esse seu blog é possível obter mais informações do que em qualquer livro de história que eu já tenha lido. Parabéns !!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 02/09/2009 - 19:24
    Enviado por: Eduardo Mendonça

    Nova Petrópolis, na serra gaúcha também abrigou dezenas desses vermes. Conta-se que faziam churrascos na mata, para poderem cantar seus cânticos e hinos em alemão, de forma despreocupada, sem causar alarde aos “civis” da população dessa cidade. Foi publicado certa vez numa revista.Eu deveria ter guardado esta reportagem.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 02/09/2009 - 20:24
    Enviado por: Dennis

    A “politizada” (como querem alguns) Argentina, por ideologia e por dinheiro, acobertou criminosos nazistas aos montes, todo mundo sabe disso. Por que não acobertaria o próprio Hitler? Minha única dúvida é se Simon Wiesenthal engoliria uma “bola” dessa.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 02/09/2009 - 20:25
    Enviado por: arielpalacios

    Caro Santiago, obrigado pelo comentário!!!

    Caro Clodoaldo, o nazismo e o terror que Hitler, aquele vegetariano austríaco de bigodinho à la Chaplin, vai render muito livro de história e filme.

    Caro Raphael, obrigado pelo comentário. A liberdade de expressão é algo que, por exemplo, Hitler liquidou totalmente. E os aliados de Hitler na Europa idem. Mas, veja só como são as coisas: hoje em dia, os neo-nazistas podem ser dar ao luxo de fazer propaganda (muitas vezes com sutilezas, para driblar a lei), de expor suas ideias delirantes, sem que sejam exterminados nas câmaras de gás como eram todos aqueles que discordavam com o Terceiro Reich.

    Caro Demerval, concordo. Quem faz apologia do crime, deveria ser punido. Este é o caso deste blog, que não permite apologia do crime, tal como coloco sempre no pé de cada postagem.

    Caro Paulo Sérgio, pois é, os EUA absorveu boa parte dos técnicos alemães, con Von Braun.

    Caro Luiz, nas serras de córdoba houve um hotel que albergou nazistas a rodo. Os donos eram amigos do próprio Führer. Esse será um assunto que ainda trataremos!!

    Caro Virsio, obrigado pela história de seu amigo.

    Caro Douglas, em algumas ocasiões o Brasil foi terra de refúgio de algumas escórias…

    Caro Walter, pois é, no sul do Chile estava a Colonia Dignidad, que servia de refúgio a vários nazistas, e inclusive, vários que eram acusados de pedofilia (já instalados no Chile). E com respaldo do general Pinochet, que adorava um uniforme de gala…

    Sr Degrelle, pois é, Perón, no começo, achou que poderia usar os integralistas, que já estavam desarticulados na época. Mas, fico feliz que não deu certo tal sinistra aliança. Considero que a América do Sul já contava com demasiada corja importada (nazistas e colaboracionistas da Alemanha, Croácia, Hungria, Bélgica, França) para ainda por cima, ter que aguentar essa tchurma local.

    Sobre o cachorro para dar a Hitler, concordo. Em vez do Pastor Alemão, nobre raça, valente e fiel, um dogo, raça famosa por sua agressividade, seria mais adequada para dar uma boa mordida nas partes pudendas do Führer, pra ver se ele deixava de encher a paciência com tanta besteira racista e aquelas ideias malucas de Atlântida, terra ôca, superioridade ariana, etc.

    E, Blondie, a pastora do ‘seo’ Adolfo, era pura. Não era mestiça. Mas, na foto parece “mestiça”, porque ali ainda era adolescente.
    Sabe quando o cachorro tem uns 8 meses para um ano e pouco, e que parece mais orelhudo? Pois é. Mas, teria sido bom um pouco de mestiçagem. Coisa que faz falta em muito neo-nazista, assim essa turma deixa de pensar besteira e dedicam-se a trabalhar e fazer algo útil além de esticar o braço, deixar a axila ao descoberto e cantar o Horst Wessel lied e essas cantorias…

    Pena que Hitler, antes de criar o partido nazista, não mudou para o Brasil. Ele deveria ter vindo para cá, instalado uma pousada em Cabo Frio, ter conhecido uma mulata de nome Adalgisa, e deixado de lado tanta besteira. Imagina só. Poderia ter virado Adolfinho, o simpático austríaco que teria uma filharada mestiça mulata (com olhos azuis…hehehehehe), ter caído nas rodas de samba e maxixe, e todo fim de tarde, um schnaps, ou melhor, uma cachacinha. Com certeza Adalgisa teria feito ele esquecer de seus ódios raciais…

    Misturar é bom. É como o tango. Um gênero musical totalmente mestiço! Não é fantástico?

    Sobre Biondini, não sei se sairá amanhã, tal como estava programado, pois apareceu algo urgente para o blog: a morte há poucas horas do coronel Mohammed Ali Seineldín, que além de violar a constituição várias vezes e causar a morte de civis com suas rebeliões “carapintadas”.
    Mas, possivelmente falaremos de Biondini, o ‘pequeño führer’ depois de amanhã. Sobre Biondini, entrarei em mais detalhe no dia, em nada o ajuda o argumento de defender as loucuras do general Leo Galtieri. E, que alguém se defina “nacionalista”, não quer dizer nada. Há pessoas que conheço que se definem como “generosas” e são pão-duras. Ter defendido Galtieri não é exatamente uma ajuda à pátria..
    O partido que Biondini criou, aliás, não existe mais. Foi desativado no início deste ano, pelo próprio.

    Cara Glaucia, não entendi…em relação a qual notícia?

    Caro Julio, vários integrantes do Graf Spee ficaram morando lá em Córdoba. Mas, o assunto do Graf Spee será tema de postagem neste blog em dezembro, quando completam-se 70 anos de seu afundamento.

    Caro Roberto…boa pergunta! Vários nazistas foram encontrados anos e anos depois…em alguns casos, pessoas que acreditava-se que haviam morrido na queda de Berlim! Sabe-se lá! Boa pergunta!
    De todas formas, seria interessante se Hitler tivesse morrido anos depois do fim da guerra, em qualquer parte do planeta, pois seria uma prova de sua covardia pessoal, já que ele havia prometido que morreria lutando nas trincheiras.
    Bom, nas trincheiras é que não morreu. Preferiu a opção do cianureto e o tiro na cuca…

    Caro Roberto 2, obrigado pelo comentário! Pois é: os russo demoraram em oficializar a morte de Hitler. Por isso, nos primeiros anos do pós-guerra havia tanta dúvida sobre o paradeiro de A.H.
    Se, por acaso ele tivesse conseguido dar no pé de Berlim, a Argentina teria sido um lugar adequado para seu refúgio. Sem dúvida. O lugar era adequado. Não sei se ele veio. Mas o lugar era adequado.
    E, vários outros fugiram covardemente: o croata Ante Pavelic, que torturava pessoas com requintes de crueldade, deu no pé para a Argentina, onde foi chefe da guarda de Perón.

    Caro Roberto, sim, essa história faz lembrar de Os Meninos do Brasil, do Ira Levin…

    Caro Eloy, obrigado pelo comentário. A história, sem dúvida, é como um thriller!

    Caro Jaboatão, isso também aconteceu na região de Toledo e Marechal Cândido Rondon, no interior do Paraná! Obrigado pela informação!

    Caro Gilson, acho que ele não havia feito uma comparação. Acho que foi apenas uma menção sobre ditadores ou malucos do gênero, de maior ou menor impacto.

    Caro Marcos, pois é, Hitler possivelmente acreditava no que fazia. Como muitos outros criminosos, como estupradores, assassinos, que acham que podem fazer o que querem. Em maior ou menor escala. Infelizmente, Hitler o fez em grande escala. Mas, ainda bem que morreu. O problema são os doidos que andam soltos por aí que volta e meia querem ressuscitar suas idéias.
    Mas, é interessante. Hoje, esses caras, os neo-nazistas podem falar sem o risco que tinham os opositores de Hitler. Isto é, ninguém hoje é transformado em sabão por ser de “raça” diferente. Ou, por pensar diferente. Na época do Adolfo, não dava para pensar ou ser diferente.
    Ah, mas se os neo-nazistas fossem tratados como os nazistas trataram o resto do mundo…aposto que os neo-nazistas mudavam de idéia logo, logo!

    Caro Eduardo, muito obrigado!!! A História é uma de minhas paixões. Quando era criança queria ser arqueólogo…
    Em Madri vi vários desses malucos cantando na Praça de Oriente nos aniversários da morte do generalíssimo Franco. Com bandeiras imperiais espanholas, bandeiras nazistas, etc.
    E aí havia algo paradoxal: você via aqueles rapazes espanhóis que eram morenos, de cabelo preto, com o cabelo rapado, sobrancelhas imensas, baixinhos, com um physique du rôle que tinham tudo para serem exterminados pelo Hitler, que os teria considerado “raça inferior”!!
    E, por algum mecanismo psicológico bizarro, esses caras – estereótipos do ibérico – se achavam arianos! E defendiam o Hitler & Cia!
    Loucos há em todo os lados do mundo!

    Caro Dennis, concordo: duvido que o Wiesenthal tivesse deixado o Führer escapar. Mas, também é verdade que alguns nazistas que se refugiaram em países com governos simpáticos a eles (como Argentina, Espanha, Síria ou Egito) conseguiram esconder-se bem…

    Abraços a todos, boa noite!!
    Ariel

    PS: Ah, é sempre bom lembrar o que essa turma sinistra fez…
    ausch
    Auschwitz, campo de concentração

    responder este comentário denunciar abuso

  • 02/09/2009 - 20:43
    Enviado por: Wilson

    Ariel,

    Grande reportagem.
    Para mudar completamente o rumo da história, busca o suposto local onde Hitler estaria enterrado. Com este suposto corpo faz-se um exame de DNA, comprovado o exame. Imagine o rumo que a história tomaria.
    Como os aliados permitiram que um submarino atravessasse o Atlântico, com Hitler dentro sem interceptá-lo.
    Extremamente sinistro

    responder este comentário denunciar abuso

  • 02/09/2009 - 20:51
    Enviado por: KERWSON/PARNAMIRIM/RN/BR

    ACHO QUE CADA UM QUE POTENCIALIZA A INFORMAÇAO NAZISTA EM INSISTIR EM DIVULGAR DE ALGUMA FORMA AS CRITICAS A RESPEITO, MESMO QUE SEJAM POSITIVAS OU NEGATIVAS CONTRIBUEM AOS OBJETIVOS ESCUSOS DE HITLER.PORQUE VCS TEEM QUE FALAR TANTO NESTE ABJETO ASSASSINO.TODOS OS DIAS ESTE CRETINO ESTA NA MIRDIA PQ??TODOS DEVEM SER UM POUCO NAZISTA PARA MANTER VIVO ESTA CHAMA DO MAU.É TRISTE E REPUGNANTE VER EM REVISTAS, JORNAIS,FILMES,BLOGS COM DESTAQUE DESTE GENOCIDA…SE LIGA AÍ E PARA COM ISTO…TER CONCIENCIA QUE EXISTIU E NÃO QUERER OUTRA VEZ JAMAIS É MUITO MAIS IMPORTANT…O MUNDO NO ENTANTO, É COVARDE E IRRESPONSAVEL, E ASSISTE NOVOS HITLES SE ARMAREM NUCLEARTMENTE SEM NADA FAZER.ESTÁ AÍ A COREIA DO NORTE, O ARMADINEJADE QUE INCLUSIVE COLOCOU UM TERRORISTA COMO MINISTRO DA DEFESA E O PALHAÇO DO HUGO CHAVES QUE JÁ FALA EM ADQUIRIR A BOMBA DO IRAN….É UMA VERGONHA

    responder este comentário denunciar abuso

    • 24/01/2011 - 21:34
      Enviado por: Rolembegue, de Portugal

      Eu até concordo que Hitler era famigerado demais para ser lembrado. Eu até creio, apesar de nao saber ao certo, que nem é permitido, mesmo na Alemanha ou Austria ter o nome de Hitler em qualquer coisa, como ruas, cidades ou praças. Mas se o mundo esquecer de vez o Holocausto, a miseria que foi a Segunda Grande Guerra, o totalitarismo do inicio do seculo XX e o que representou o Nazismo/Fascismo, podemos correr o risco de reedita-lo no futuro, para desgraça da humanidade. Recordar, penso eu, não tem que significar apoio ou aceitação.

      responder este comentário denunciar abuso
  • 02/09/2009 - 21:21
    Enviado por: claudemir

    Infelismente essa foto acima de Auschwitz, campo de concentração diz tudo o que foi Hitler, e pensar que tem pessoas que acham que Hitler é o carra………..

    responder este comentário denunciar abuso

  • 02/09/2009 - 22:01
    Enviado por: Telmo Ryoiti Kubo

    Holla Ariel. Tudo Bien?
    O texto referente ao livro que conta a suposta, mas que pode ser verdade, vinda de Hitler e de sua mulher para a Argentina é muito bom e esclarecedor. Eu acredito na tese de que ele e seus colaboradores vieram para a America do Sul. Afinal, esse canto do mundo, nos anos 40 e 50, era pouco conhecido dos europeus e americanos e isso era a condição ideal para que os nazistas pudessem se esconder depois da 2ª guerra. Esse texto me fez lembrar de algo parecido. Na cidade de Campo Limpo Paulista, cidade onde estudei, interior de São Paulo, existe a Metalurgica Krupp, fornecedora de componentes para motores, que se instalou lá no final dos anos 50, época em que a indústria automoblistica estava vindo para o Brasil. Um fato que se comenta muito por lá é de que essa fabrica empregou muitos colaboradores do nazismo e de que a escolha da cidade foi devido ao fato de ser relativamente longe da cidade de São Paulo, condição ideal para que esses colaboradores do nazismo se escondessem. Realmente é estranho uma empresa do porte da Krupp escolher uma cidade longe de São Paulo, na época sede de várias fabricas de carros, o que ajuda a sustentar essa tese. Termino dizendo que se essa história for mais longe, muita coisa pode vir a tona.
    Gracias
    Telmo

    responder este comentário denunciar abuso

  • 02/09/2009 - 22:32
    Enviado por: carlos 3m

    essa eh nova para mim. apreciar a beleza da pureza argentina de uma raca de cachorro eh novidade para mim. mas eh coerente com seu dono.

    nada com um bom patrioterismo para acabar com um pais.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 02/09/2009 - 22:46
    Enviado por: carlos 3m

    o motivo de ter dado mais certo na argentina a semente filonazista eh porque a boa fase economica do inicio do sec 20, inflou os egos de muitos o que gerou excesso de autoestima a ponto de achar que os outros sao inferiores. suponho que dai provem a fama do mundialmente famoso ego portenho.

    ha um toque especial adicional moldado pela igreja argentina com claras tendencias de direita extrema e que lavou por muito tempo as mentes de muitos em favor do conceito do lider que entende mais que os outros mortais. alem da simpatia por hitler e mussolini, alavancou o proprio peronismo, que sobrevive ate hoje no imaginario de muitos, e virou uma especie de pmdb, mas no qual existem segmentos de extrema direita vivos ate hoje.

    no brasil e ate certo ponto em chile os focos nazistas foram provenientes de parte das imigracoes alemas aqueles paises, no entanto na argentina, a coisa fluiu mais naturalmente pois mesmo fora da colonia alema as ideias eram simpaticas a muitos.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 03/09/2009 - 00:20
    Enviado por: FABIO BETTINASSI

    Morei na argentina em 1995 e como sou escritor e pesquisador do assunto nazistas na América do Sul, tive a oportunidade de visitar algumas comunidades de nazistas na região de Córdoba. Os lugares são praticamente inacessíveis e alguns não constam nos mapas, só cheguei lá porque na época minha namorada era cordobesa e também pesquisadora. Existe uma vila de nazistas há 300 km de Córdoba (cujo nome não posso revelar) que fica abaixo do nível do sólo em meio a um grande deserto e para entrar lá é preciso se identificar no posto policial que fica na entrada. De fato presenciei coisas muito estranhas e misteriosas, onde tive a nítida impressão que algo além da imaginação é por lá cultuado. Engana-se quem pensa que o nazismo hitlerista acabou, ele está lá, vivo e se preparando para um futuro quarto Reich. É assustador e impactante, assim como toda realidade.

    responder este comentário denunciar abuso

    • 02/09/2010 - 09:47
      Enviado por: Fabio de Israel

      fabio,nao ha nada de novo nisso,a Argentina e um dos paises que ha mais antisemitismo no mundo,isto realmente e Velho.Nao vai sair nenhjum
      4,5 Reich nunca. Só vai crescer o Antisemitismo,so isso. O que nunca parou.

      responder este comentário denunciar abuso
  • 03/09/2009 - 00:24
    Enviado por: carlos 3m

    falando em pureza racial, acabei de ouvir a mestica mercedes sosa cantando. independente das suas preferencias politicas, com as que nao me caem muito bem, seu canto mexe com o ouvinte como poucos interpretes conseguem fazer. eh tem gente que usa criterio de pureza para avaliar pessoas. em que categoria entraria uma mercedes sosa?

    que belo muchacho, http://es.wikipedia.org/wiki/Alejandro_Biondini
    que finesse de hdp.

    ariel, voce menciona que a comunidade judaica na argentina eh composta de 500.000 pessoas, e ate que pode ter sido esse numero em algum momento, mas atualmente nao sei se ultrapassa 200.000. muitos emigraram, muitos se assimilaram e provavelmente mais morreram do que nasceram.

    http://en.wikipedia.org/wiki/History_of_the_Jews_of_Argentina

    responder este comentário denunciar abuso

  • 03/09/2009 - 07:09
    Enviado por: jose antonio teixeira

    heheheheh tem sempre uma maneira nova de ganhar um qualquer . Esse pessoal é muito criativo.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 03/09/2009 - 07:48
    Enviado por: José Benedito Vizioli Libório

    Caro Ariel.
    Como sempre, seu blog está sensacional! Muito oportuna, até por conta dos 70 anos do início da II Guerra Mundial, a lembrança desses “senhores” que encontraram refúgio no nosso continente.
    Aliás, consta que eles tenha colaborado com aparatos de repressão aqui também como se alega que tenham colaborado na Argélia, por exemplo?
    Grande abraço e mais uma vez, parabéns!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 03/09/2009 - 08:34
    Enviado por: Charles Lourenço

    Palacios, parabéns pela reportagem. E parabéns a todos os colegas leitores que apesar tema polêmico não deixaram que o véu de mentiras que mascarou o final caótico dessa fase de nossa história perpertuasse por mais tempo. Existe fatos e relatos da presença de refugiados nazista em toda America do Sul, e todos nós conhecemos istórias ou conhecemos alguem que conhece alguem que já ouviu esse tipo de istória. Agora vem a público a última face desse capitulo de nossa história. Salve A.C. e F.P. …

    responder este comentário denunciar abuso

  • 03/09/2009 - 08:57
    Enviado por: MIKE

    Acho extremamente importante sim relembrar o que ocorreu na maior tragédia da historia da humanidade que foi a 2ª guerra e os atos horriveis cometidos pelos nazistas e seus seguidores.Claro que outros ditadores também cometeram milhoes de assassinatos stalin, pol pot e outros.

    Mas o que falta nessa questao dos nazistas que vc poderia talvez colocar aqui foi o papel da igreja catolica na ajuda aos nazistas isso realmente ocorreu ? e de que forma?

    responder este comentário denunciar abuso

  • 03/09/2009 - 09:07
    Enviado por: MIKE

    ainda é bom recordar que o ministro da agricultura de hitler era argentino daí pode se imaginar como nao seriam abertas portas para os nazistas seu dinheiro e tecnologia neste país.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 03/09/2009 - 09:07
    Enviado por: arielpalacios

    nanking
    Cabeças de civis chineses decapitados pelas tropas imperiais japonesas no massacre de Nanking

    Aos nazistas, neo-nazistas, neo-nazistas light ou diet de plantão, aviso que, tal como coloco sempre no pé de cada postagem, não permitiremos apologia do delito.
    E, tampouco serão permitidas apologias do delito mesmo que estas estejam “embrulhadas” com um texto sutil, de forma a emascarar as reais intenções dos apologistas do crime de plantão.
    Aliás, explico que Segunda Guerra Mundial é um de meus assuntos preferidos de História, portanto, não será fácil me enrolar…
    Aos ditos cujos, nem insistam, pois os comentários serão automáticamente deletados. Se nas primeiras linhas perceber que o tom é esse, nem vou terminar de ler.
    Não percam tempo. Vão passear à beira da praia, relaxem, ouçam um sambinha, deixem de lado – pelo menos temporariamente – as gravações do ‘Horst Wessel Lied’.

    Se houve Gengis Kahn e outros grandes autores de massacres ao longo da História, isso não exclui os crimes de Hitler & Cia. Hitler, ao contrário de ‘seo’ Gengis, tinha uma específica doutrina que determinava que “raça” tinha direito de viver e qual raça não tinha direito. Inclusive, não era nem uma questão de escravizar uma “raça”. Simplesmente, para A.Hitler, os integrantes de diversas etnias não mereciam viver. Isso, obviamente, o transforma em alguém mais perigoso que Gengis.
    Mas, acho que isso é óbvio, não?

    Sobre comentário que indicam que os EUA protagonizaram o maior massacre da Segunda Guerra Mundial, ao explodir as bombas de Hiroshima e Nagasáqui – em cujas explosões morreram em conjunto 110 mil pessoas (além de outras 90 mil feridas) recordo que houve massacre pior, o denominado “Massacre de Nanking”, realizado na China pelas tropas do Império Japonês, nos quais foram mortas 250 mil pessoas. Além de outras 80 mil mulheres estupradas.
    Mas, evidentemente, alguns homens contemporâneos nossos não se importam se mulheres são estupradas, pelo visto, entre outras coisas…eles acham sempre que os mais ‘fortes’ podem mais. Tal como as tropas rebeldes sérvias fizeram na Bósnia nos anos 90.

    Caro Kerwson, obrigado pelo comentário. Mas, considero que contar os horrores da guerra (de qualquer guerra), é crucial para que as pessoas não esqueçam, e aprendam do passado. Esquecer o passado pode ajudar a dormir mais calmamente, para que a gente pense que o mundo é Disneylândia, mas não evita problemas no futuro.

    Caro Claudemir, concordo…volta e meia aparece alguém que acha que um crimonoso como Hitler é “o cara”. Mas, são pessoas geralmente frustradas e ressentidas. Ou possuem alguma disfunção neurológica. Geralmente são pessoas que acham que a lei pode ser violada pelos “mais fortes”.

    Caro Telmo, é verdade, há muita coisa ainda para investigar sobre os nazistas que fugiram – deram no pé – para estas bandas.

    Caro Carlos, tem cada cara, que para defender Hitler, Mussolini e Ante Pavelic é capaz de fazer toda uma apologia da lasanha à bolognesa como “superior” à lasanha ao molho branco. Nos fanatismos racistas, a criatividade é bizarramente infinita…

    Ah, voltando aos nazistas de plantão, não faremos apologia daqueles que negam o Holocausto. Podem dedicar-se a outras atividades, como plantar pés de rabanete ou colecionar selos do Estado Livre de Trieste. Mas, aqui não terão vez.

    Caro Fabio, obrigado pelo comentário.

    Caro Carlos, concordo com você. Mercedes Sosa possui umas canções emocionantes. Em algumas questões políticas concordo com ela, em outras não. Mas, possui uma voz fantástica e sua intepretação é estupenda.
    Pois é, Mercedes possui alto grau de “mestiçagem”, coisa que horroriza a tchurma de fãs do Terceiro Reich, aqueles que apreciam as botas lustradinhas, as calças ajustadas das SS e de todo aquele couro das roupas da Gestapo…Mmmmm…

    Caro José Antônio, pois é, criatividade não lhes falta…

    Caro José Benedito, muito obrigado pelo comentário! E sim, vários dos nazistas que deram no pé para a Argentina colaboraram no aparelho de repressão de vários governos. O croata Ante Pavelic foi um desses.

    Caro Charles, obrigado pelo comentário! Mas, quem são AC e FP?

    Caro Mike, obrigado pelo comentário! Sobre a participação do Vaticano na fuga de nazistas para a América do Sul há vários livros sobre o assunto. Entre eles, um dos que analisa mais especificamente o caso argentino, são os livros de Uki Goñi.

    Abraços a todos, bom dia!
    Ariel

    responder este comentário denunciar abuso

  • 03/09/2009 - 09:41
    Enviado por: Ivan o Terrivel

    Nada a declarar . Os nazistas foram em numero muito maior para os EUA . A lei brasileira impede de se fazer comentarios .

    responder este comentário denunciar abuso

  • 03/09/2009 - 09:45
    Enviado por: arielpalacios

    Caro Ivan, muitos nazistas foram para os EUA. Muitos outros foram para a URSS. E vários permaneceram na Alemanha Oriental. Outros deram no pé para a Espanha.

    Caro “…”, não dava para entender seu comentário…por favor, da próxima vez, mesmo breve, deixe um par de frases mais claras, com pontos, pronomes e concordância verbal.
    E, se a lei do país ou as regras deste blog não permitirem seus comentários, vote em parlamentares de seu apreço para que no futuro mudem a lei.
    Isto é, siga as regras democráticas, coisa que os regimes totalitários de direita, esquerda, etc. nunca fizeram…
    Obrigado!
    Abraços,
    Ariel

    responder este comentário denunciar abuso

  • 03/09/2009 - 10:13
    Enviado por: arielpalacios

    Ah, sim, e não estamos aqui – como já disse meses atrás – para educar neo-nazistas, para que se comportem melhor. Se não tiveram uma educação adequada por parte dos pais, lamento muito, mas não é culpa minha.

    Não adianta tentar colocar comentários racistas com o argumento de “fluidez de ideias”…

    Hehehehe…se existem regras no futebol, por qual motivo não poderiam existir regras na blogosfera?

    Se for o caso, os neo-nazistas de plantão podem procurar blogs nazistas, que existem de sobra na web.

    Ou, melhor: os nazistas não acreditavam na Atlântida e em uma civilização dentro da Terra, pois diziam que a Terra é ôca?
    Pois bem, porque não fundam uma colônia lá na Atlântida?
    E até sugiro uns nomes:

    Nova Adólfia

    Göringlândia do Oeste

    Himmlerópolis

    Gestaporunga do Sul

    Mussolínia

    Mussolínia-Mirim

    Abraços a todos,
    Ariel

    responder este comentário denunciar abuso

  • 03/09/2009 - 12:52
    Enviado por: Elio Ferreira

    Não existe nenhuma dúvida sobre o holocausto, como também se faz necessário repudiar com ênfase a barbárie que nesses anos os judeus praticam contra os palestinos.

    responder este comentário denunciar abuso

    • 02/09/2010 - 10:03
      Enviado por: Fabio de Israel

      Elio Ferreira,va ler um pouco de historia.
      A Jordania matou 1.000.000 de Palestinos.
      So para te elucidar um pouquinho,mas primeiro va ler antes de comparar
      Holocausto e palestinos.

      responder este comentário denunciar abuso
  • 03/09/2009 - 14:24
    Enviado por: Carlos Eduardo Battendieri

    É deplorável vermos que pessoas ainda cultuem a bestialidade dos nazi-fascistas. A brutalidade impetrada em nome da hegemonia racial aniquilou famílias e Estados. Mudou a história da humanidade. É preocupante vermos que ainda hoje existam indivíduos capases de tamanha estupidez. Tenho a mais absoluta certeza que o povo argentino , na sua maioria, não compactua com estes episódios e, principalmente, com a postura de exaltação às aberrações impostas pela cúpula nazi-fascista que refugiou-se lá e, em alguns casos, aqui também.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 03/09/2009 - 16:48
    Enviado por: arielpalacios

    Caro Elio, concordo. Mas, o que tem a ver os judeus assasinados na Europa na Segunda Guerra Mundial e os nazistas que vieram para Argentina com o que o governo israelense faz no Oriente Médio?
    Os judeus argentinos, panamenhos, islandeses ou australianos não tem nada ver com isso…

    Caro Carlos, fique tranquilo, a imensa maioria dos argentinos vê a turma nazista como algo bizarro ou abominável. Ainda bem.

    Abraços,
    Ariel

    responder este comentário denunciar abuso

  • 04/09/2009 - 01:09
    Enviado por: carlos 3m

    ariel, devo manifestar meu parabens, pois poucas vezes vi um jornalista dar nome aos bois em forma tao clara e sem margem para duvidas. hoje me dia no meio jornalistico eh uma raridade. parabens mesmo!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 04/09/2009 - 06:46
    Enviado por: KAMAMA

    obrigado pela oportunidade que me foi concedito, dizer que este homem lutou sem justa causa e sem objectivos fundamentais.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 05/09/2009 - 18:23
    Enviado por: Lizandra T de Assis

    PARABENS! É muito bom saber que podemos contar com blogs que relatam os os fatos; sem tendências ou insinuações. Isso sim é liberdade de expressão e melhor: liberdade de raciocínio. É assim que se uma nação evolui!!! Interessante seria também comentar outro tópico relacionado ao assunto: quem financiou a segunda guerra e como….porque America Latnia? O que foi a operação Odessa e porque a história não é divulgada:…..Abraços e sucesso !

    responder este comentário denunciar abuso

  • 05/09/2009 - 18:35
    Enviado por: arielpalacios

    Caro Carlos, obrigado pelo comentário!

    Caro Kamama, concordo totalmente!

    Cara Lizandra, a história da Odessa é fascinante, não é? Um verdadeiro thriller histórico! O livro de Uki Goñi sobre a Odessa é muito bom! O recomendo. Se não me engano, foi publicado em português, no Brasil.

    Abraços a todos,
    Ariel

    responder este comentário denunciar abuso

  • 09/09/2009 - 00:23
    Enviado por: Fábio

    Nada a duvidar da possibilidade de Hitler ter vivido seus últimos dias em solo argentino. A questão é se personagens como o ditador alemão causam mais admiração ou repulsa.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 20/12/2009 - 14:34
    Enviado por: junior

    A humanidade é sempre messiânica. 99,9% da humanidade pede para ser manipulada. Aí aparecem ‘messias’ de todo tipo. seja na política ou na religião, sempre existe um Karl Marx, Jesus, maomé, Buda, Edir Macedo, um Jânio quadros, um Collor ou um Lulla pra passar a perna nos incautos que cismam seguir cegamente a um líder. A história é a versão dos vencedores. Hitler foi apenas mais um falso messias…
    Nascemos sós e morremos sós. O resto é balela.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 01/09/2010 - 23:22
    Enviado por: Ineomer

    Hitler nao morreu na Argentina. Morreu em Santa Catarina, na cidade de Porto Uniao.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 02/09/2010 - 09:41
    Enviado por: Fabio de Israel

    Ineomer,Como e que e? Onde morreu hitler?

    Hitler se matou na alemanha. Ponto final.

    Sem sonhos e ilusoes e fantasias,pode parar.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 02/09/2010 - 10:09
    Enviado por: Fabio de Israel

    Ariel,pode parar voce tambem,nao e so porque um XXXX escreveu um livro
    que sai todo mundo acreditando.Pera ai.
    Eu tambem posso escrever um livro e sera best Seller e so ser um pouco criativo com um monte de bobagens.Da um tempo.
    Que a Argentina tem um passado e presente de antisemitismo,tudo bem?
    Agora sair por ai dizendo coisas sem provas,parecem fábulas.
    Ao ponto que tem um ai e eu respondi que ja disse que o XXXX morreuem Santa Catarina,voce ve onde vao as coisas?em Porto Uniao…………XXXX.
    Eichman,Borman e Mengele ,claro e ha outros milhares com 90 anos por la,
    e no Chile,em Foz do Iguacu,Nicaragua,Bolivia,etc…Agora, Hitler,este esta
    mortinho em Berlim, ponto final.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 02/09/2010 - 10:15
    Enviado por: Ariel Palacios

    Sr. Fábio,
    Percebeu a frase que acaba de colocar em seu comentário?
    A frase foi “Ariel, pode parar você também”.
    Mas o que está pensando???
    Se está pensando que vai mandar neste blog, está errado. Pode tirar o equino da precipitação pluviométrica.
    O Terceiro Reich já acabou. Mussolini foi pendurado, e Franco já morreu. Ninguém vai dar uma de prepotente aqui tentando dar uma de ‘ditador’ e impor algo neste blog. Ninguém vai dar uma de SA aqui!
    Na postagem cito que um jornalista e escritor de Bariloche escreveu este peculiar livro com esta teoria delirante de que Hitler teria morrido ali.
    Isto é, um livro que vale a pena comentar por essa história sui generis.
    Eu não disse que Hitler morreu em Bariloche, em Kuala Lumpur, no Harlem ou no terreno do fundo de uma lanchonte na estrada entre Haifa e Tel Aviv.
    Eu disse que esse autor escreveu tal livro, com essa bizarra teoria.
    E, até agora tive paciência para editar seus comentários, apagando os palavrões, siglas de palavrões que coloca.
    Os próximos comentários que não seguirem à risca as regras que estão no pé de cada postagem serão eliminados totalmente. Não terei o trabalho de cortar os palavrões e até de corrigir alguns de seus erros ortográficos.
    E Hitler não está “mortinho” em Berlim. Os russos, em 1945, levaram seus ossos para Moscou.
    O sr. acha que se estivesse enterrado em Berlim, os neo-nazistas não estariam fazendo procissões ali?

    Sempre o tratamos com muita consideração. Mas, não estou vendo esse mesmo comportamento de sua parte.
    Lhe aviso que, por causa desse seu tom insolente não será mais bem-vindo neste blog.

    Adeus,
    Ariel

    responder este comentário denunciar abuso

  • 25/12/2010 - 16:29
    Enviado por: Adilson José Gutierrez

    Prezado Ariel,

    Achei este Blog por acaso e o comecei a ler.
    O assunto é muito interessante e possibilita fartas e proveitosas discussões.
    No entanto, vejo que a última mensagem postada foi em 02/09/2010.
    Você parou de acessar e retro-alimentar o Blog?

    Um abraço.

    Adilson

    responder este comentário denunciar abuso

  • 01/05/2011 - 19:05
    Enviado por: allan

    show o resumo que você fez da vida do Hitle.
    parabéns.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 31/05/2011 - 11:59
    Enviado por: MaxDietrich

    Bom dia a todos,

    Muito boa a publicação desse assunto, gostaria de deixar somente um comentário para muitos aqui que postaram comentários também.

    “O mal do nazismo nunca morreu e nunca morrerá, ele apenas muda de mãos e nome: ora dos carrascos, ora das vítimas…”.

    Bem, para bom entendedor poucas palavras bastam.

    Ass: Dietrich.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 25/09/2011 - 15:57
    Enviado por: perminio daniel

    parabéns pela matéria

    responder este comentário denunciar abuso

  • 30/09/2011 - 09:56
    Enviado por: Juliano

    Com novas tecnologias cada vez mais essa teoria de Hitler ter se refugiado na patagônia ganha força, o Canal History Channel tem um documentário recente sobre o tema muito bem fundamentado.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 30/09/2011 - 18:42
    Enviado por: Gus Dreyer

    Alguém tem as coordenadas do Google Earth da casa onde Hitler teria morrido em Bariloche?

    Vi o programa do History sobre essa fuga, mas não acehi no GE.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 16/10/2011 - 03:20
    Enviado por: makailon

    vcs todos são loucos,ainda estão nessa de nazista e neo nazista..aliás vcs vivem de quê,será que sobrevivem de discurso sobre um terrosrista satânico que queria aacabar com a raça judaíca,vcs são loucos em comentar que hitler era o kra era o dominador de tudo na época,parem com isso pow..vamos cair na real..isso tudo ja acabou..se ainda existe nazista no mundo é porque eles não foram mortos como mereciam porque se o brazil entrasse em confronto com a alemanha naquela época vcs podem ter certeza que todos vcs iriam roda no xumbo..e hoje nem estariam aqui comentando da vida de um satânico..que mereceu morrer.

    responder este comentário denunciar abuso

Arquivo

..Revistas satíricas da Argentina

Blogs do Estadão

Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo