1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Alerta de desmatamento cai 20% na Amazônia desde agosto

Giovana Girardi

sexta-feira 23/05/14

Os alertas de desmatamento na Amazônia caíram quase 20% no acumulado de agosto do ano passado a abril deste ano, na comparação com o período de agosto de 2012 a abril de 2013. Imagens de satélite indicaram a possibilidade de desmatamento em 1.500,73 km2 no acumulado mais recente, contra 1.872,82 km2 no anterior. Os dados, [...]

Desmatamento em Lábrea, no sul do Amazonas. Crédito: Marizilda Cruppe / Greenpeace

Os alertas de desmatamento na Amazônia caíram quase 20% no acumulado de agosto do ano passado a abril deste ano, na comparação com o período de agosto de 2012 a abril de 2013. Imagens de satélite indicaram a possibilidade de desmatamento em 1.500,73 km2 no acumulado mais recente, contra 1.872,82 km2 no anterior.

Os dados, fornecidos pelo sistema Deter, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), indicam uma tendência em tempo real do que está acontecendo e servem de apoio à fiscalização, mas não medem o desmatamento real. A taxa oficial é conhecida somente com o Prodes, outro sistema do Inpe, que divulga no fim do ano o total de agosto a julho.

O anúncio foi feito pelo Ibama nesta sexta-feira, em Brasília, três meses depois do último balanço. De acordo com o presidente do órgão ambiental de fiscalização, Volney Zanardi, a redução se deve à intensificação das operações de combate ao crime. “Houve um aprimoramento da fiscalização e forte presença em campo de equipes do Ibama e da Força Nacional”, disse, em coletiva à imprensa.

Apesar de não servir como valores oficiais, a tendência dos alertas do Deter costuma dar uma boa ideia do que Prodes vai calcular ao final de julho, quando se encerra o ano de monitoramento do desmatamento. Ao longo do ano passado, o Deter mostrava sinais de alta e no final do ano, quando os números do Prodes foram divulgados, ele realmente mostrou uma alta de 28% na taxa de desmatamento de agosto de 2012 a julho de 2013. A ver se o governo conseguirá retornar a sequência de quedas que vinha apresentando até 2012.