1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Quem Faz

GIOVANA GIRARDI é repórter de ambiente do caderno Metrópole. Escreve sobre o assunto e também sobre ciência há mais de 12 anos. Já trabalhou em revista, internet, jornal, e sempre que pode deixa a redação para ver gente, bicho e se enfiar no meio do mato para fazer matéria.
sábado 23/11/13

Caminho para acordo de 2015, perdas e danos e florestas são conquistas da COP em Varsóvia

Marcada por greve de fome, demissão de ministro e abandono de ONGs, a controversa Conferência do Clima (COP) de Varsóvia chegou ao fim com mais resultados do que se esperava no começo da semana, mas ainda assim com um avanço tímido em relação às demandas colocadas pelas mudanças climáticas. Após 36 horas de trabalho ininterruptas para a maioria dos negociadores, os 195 países-membros da Convenção do Clima concordaram com um caminho de ações para os próximos dois anos, ...

Ler post
sábado 23/11/13

Do acordo, para o trabalho, para a reflexão

São 16h e já está escurecendo em Varsóvia. Alguns delegados se dizem acordados há mais de 48 horas e nada nada nada caminha para um acordo. Para se ter uma noção do "downgrading" das discussões, basta olhar a forma como mudou o título, nos últimos dias, do anexo do documento que discute os caminhos para o acordo de 2015. Começou com "Elementos indicativos para o acordo de 2015". Depois foi para algo mais genérico: "Lista indicativa de áreas para trabalho posterior". O ...

Ler post
sexta-feira 22/11/13

Varsóvia consegue um avanço e aprova regras para Redd+

Apesar do impasse diante dos principais temas que deveriam ser resolvidos na Conferência do Clima, em Varsóvia, houve um avanço significativo em um assunto que toca especialmente o Brasil. Depois de três anos na agenda, as nações aprovaram o estabelecimento de regras para o funcionamento do Redd + (Redução das Emissões por Desmatamento e Degradação Florestal) -- o que, até o momento, é o principal resultado desta conferência. Na prática isso define regras internacionais, sob a Convenção do Clima da ONU, ...

Ler post
sexta-feira 22/11/13

Varsovices

image

Já está escuro e ainda mais frio aqui em Varsóvia, no oficialmente último dia da 19ª Conferência do Clima da ONU, mas tudo ainda está bem longe do fim. Como não tenho nada mais quente para noticiar, seguem algumas impressões e curiosidades desses últimos doze dias.

100 bi? Não, 100 mi
A representante do governo polonês, Beata Jacewska, causou um momento de furor hoje mais cedo, durante coletiva de imprensa, quando informava sobre o status da negociação. Disse que apesar de as negociações estarem travadas em alguns pontos, havia avanços, como o anúncio do compromisso de países como Áustria, Bélgica, Finlândia, França, Alemanha, Noruega, Suécia e Suíça de passar mais de US$ 100 bilhões para o fundo de de adaptação? Cem bi?, se empolgaram os jornalistas. Não eram só cem milhões.

Camiseta e tênis
A delegação australiana foi talvez a menos ambientalmente correta durante a conferência. Logo no primeiro dia diminuiu suas metas de redução das emissões de gases de efeito estufa e de compromissos financeiros e em meio a discussões do novo mecanismo de loss and damage (perdas e danos), causou revolta de todo mundo. Enquanto países que já estão sofrendo com as mudanças climáticas pediam por alguma forma de compensação, delegados australianos, abandonaram a estética diplomática do terno e gravata e apareceram de camiseta, tênis e ficaram o tempo todo beslicando comidinhas.


Chocolate da mudança Uma ONG de jovens inventou uma maneira criativa e infalível de chamar a atenção de imprensa e negociadores. Em vez de panfletos e cartazes pedindo ação, ao longo desta semana, todo dia, na entrada principal, eles entregaram uma barrinha de chocolate certificado como comércio justo para quem entrava. “O chocolate da mudança vai te dar toda a energia que você precisa para lutar pelo nosso futuro durante as negociações climáticas.”Fofo. Não sei quanto aos negociadores, mas esse chocolatinho matou a fome de muito jornalista por aqui.

Pisco rumo a 2014
O governo do Peru, que vai sediar a próxima COP, no ano que vem, fez a alegria de jornalistas, ongueiros e negociadores ao deixar uma barraquinha servindo permanentemente, nos últimos dias, copinhos com pisco sauer, bebida típica do país. 

Turururu, turururu, tururururuuuuu
Um certo parlamentar brasileiro insistiu em não deixar seu celular no silencioso, e o aparelho tocava aquela musiquinha velha sempre no meio das coletivas de imprensa do Brasil e até do Basic. Sem-noção

Ler post
quinta-feira 21/11/13

Sem avanço, ONGs abandonam discussões em Varsóvia

Kumi Naidoo explica suas razões à imprensa antes de ativistas deixarem a negociação

[caption id="attachment_332" align="aligncenter" width="225"] Kumi Naidoo explica suas razões à imprensa antes de ativistas deixarem a negociação[/caption] Em um gesto inédito nas conferências do clima, ativistas das principais ONGs presentes em Varsóvia abandonaram a reunião hoje em protesto contra a falta de avanços na reunião. Vestindo camisetas brancas com os dizeres: "Pollutes talk, we walk", que só rimam em inglês, mas significam algo como "poluidores debatem, nós vamos embora", centenas de pessoas (de ...

Ler post
quarta-feira 20/11/13

Polaridade entre países ricos e pobres se acirra em Varsóvia

A divisão entre países desenvolvidos e em desenvolvimento ficou ainda mais evidente nesta quarta, com a presença dos ministros de Estado. Nos discursos oficiais, todo mundo fala em mais ambição, em ações urgentes, em como as tragédias climáticas trouxeram uma face humana para o problema. Mas, como dizem, o diabo está nos detalhes, e no encaminhamento dos compromissos as discussões travam. "Eu quero saber onde está o dinheiro", disse a ministra indiana de Florestas e Ambiente, Jayanthi Natarajan, durante coletiva dos ...

Ler post
quarta-feira 20/11/13

COP entra na semana decisiva com tudo travado

A fase decisiva da Conferência do Clima da ONU, que ocorre em Varsóvia, começou ontem com os principais temas que têm de ser resolvidos praticamente travados, o que começa a trazer preocupação sobre o sucesso do acordo climático global de 2015. No jargão diplomático essa é uma reunião intermediária, de processos. Portanto, ela não tem um documento final a entregar, mas precisa desenvolver o caminho para que daqui dois anos, em Paris, se feche um acordo de redução das emissões de ...

Ler post
terça-feira 19/11/13

Filipino completa 9º dia de greve de fome

Entidades entregam mais de 600 mil assinaturas em apoio a Yeb Saño

[caption id="attachment_314" align="aligncenter" width="225"] Entidades entregam mais de 600 mil assinaturas em apoio a Yeb Saño[/caption] Enquanto as negociações na COP do Clima, em Varsóvia, avançam a passos lentíssimos -- e com alguns retrocessos, como as reduções de metas de Austrália e Japão --, o diplamata filipino Yeb Saño entrou hoje em seu nono dia de greve de fome. Mantendo-se apenas com água e de vez em quando chá, ele não come nada ...

Ler post
segunda-feira 18/11/13

Líder da Convenção do Clima pede mudança dramática à indústria do carvão

Manifestantes do Greenpeace escalaram o prédio do Ministério da Economia e penduraram uma bandeira polonesa com os dizeres: "Quem governa a Polônia? A indústria do carvão ou o povo?"

[caption id="attachment_305" align="aligncenter" width="225"] Manifestantes do Greenpeace escalaram o prédio do Ministério da Economia e penduraram uma bandeira polonesa com os dizeres: "Quem governa a Polônia? A indústria do carvão ou o povo?"[/caption] A polêmica Cúpula Mundial do Carvão, que teve início hoje em Varsóvia paralelamente à  realização da Conferência do Clima da ONU, recebeu em sua abertura uma chamada de atenção da secretaria executiva da Convenção do Clima, Christiana Figueres. Sua presença no ...

Ler post