1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Feira do Modelódromo fica e abre frente para novas feiras orgânicas em espaços públicos

Tânia Rabello

sexta-feira 29/08/14

Seja pelo fato de ser ano eleitoral ou não, a pressão pela permanência da Feira do Produtor Orgânico do Modelódromo, no Parque do Ibirapuera, na zona sul da capital, acabou surtindo efeito. Os organizadores da feira e os produtores orgânicos – vários deles do extremo sul, no Bairro de Parelheiros, área de mananciais – fizeram [...]

Ciclistas do Bike Anjo visitam a feira de orgânicos do Modelódromo, no Ibirapuera. Cartaz #afeirafica fez parte da mobilização pela sua permanência no local. FOTO: BIKE ANJO

Seja pelo fato de ser ano eleitoral ou não, a pressão pela permanência da Feira do Produtor Orgânico do Modelódromo, no Parque do Ibirapuera, na zona sul da capital, acabou surtindo efeito. Os organizadores da feira e os produtores orgânicos – vários deles do extremo sul, no Bairro de Parelheiros, área de mananciais – fizeram um abaixo-assinado que reuniu quase 5 mil assinaturas; foram à Câmara Municipal oferecer seus produtos  aos vereadores; montaram a feira do lado de fora dos portões – trancados – do Modelódromo e até promoveram um passeio orgânico-ciclístico no dia 16 de agosto, cujo roteiro passava por várias hortas orgânicas instaladas em praças públicas do município e terminava com um café na feira do Ibirapuera.

O passeio ciclístico – idealizado pelo Instituto Kairós e pela Bike Anjo – que inicialmente seria para chamar a atenção para a importância da feira e reivindicar sua continuidade no mesmo local, acabou servindo mesmo foi para comemorar a decisão do prefeito paulistano, Fernando Haddad (PT), que havia garantido, poucos dias antes, em Parelheiros, que a feira ficaria.  A decisão foi consolidada na assinatura do Decreto Municipal 55.434, de 22 de agosto, autorizando “a instalação das feiras orgânicas e feiras de produtos de transição agroecológica em equipamentos esportivos da Secretaria Municipal de Esportes, Lazer e Recreação”.

Segundo declarou o prefeito, durante comemoração dos 100 anos de feiras livres em São Paulo, no dia 25 de agosto, “o decreto anterior (que proibia feiras livres em equipamentos esportivos) tinha um entendimento legal e meramente burocrático de impedir a instalação das feiras livres nos nossos centros esportivos municipais e comunitários, ideia  contraditória com um Centro Esportivo, que é um local onde se pratica esporte em proveito da promoção da saúde, e uma feira livre, sobretudo uma de orgânicos, dialoga com a agenda do esporte imediatamente”.

Comemoração com o prefeito

Amanhã, sábado, dia 30 de agosto, às 10h, durante a realização da Feira do Produtor Orgânico do Modelódromo, o prefeito será recebido com festa pelos agricultores, que há um ano montam suas barracas ali para vender orgânicos para um público adepto da alimentação saudável e que não só contribui para a preservação ambiental, como torna viável a agricultura familiar nas áreas de manancial paulistanas – caso de Parelheiros, bairro limítrofe às Represas Billings e Guarapiranga.

Com a permanência da feira, agricultores que haviam se sentido estimulados a converter sua produção para a agroecologia puderam respirar aliviados. Ernesto Akio Oyama, por exemplo, horticultor em Parelheiros, só tem o Modelódromo para vender sua produção. “Minha certificação orgânica só permite a venda direta ao consumidor”, diz Oyama.

A feira foi instalada há pouco mais de um ano – com anuência da Prefeitura Municipal de São Paulo –, na Rua Curitiba, 292, e, desde então, cerca de 30 barracas de produtores orgânicos são montadas ali, todo os sábados, das 7h às 13h, para vender hortaliças, frutas, legumes, pães, bolos, laticínios, sucos e uma gama de produtos cultivados e processados sem o uso de agrotóxicos, adubos sintéticos ou outros elementos químicos, como corantes artificiais, prejudiciais à saúde. Vários eventos – dos quais o mais famoso é o Chef na Feira – também são promovidos ali, gratuitamente.

Entretanto, no início de maio – em uma linha de pensamento oposta à adotada posteriormente por Haddad -, a Secretaria de Esportes, Lazer e Recreação da Prefeitura, responsável pelo espaço do Modelódromo, proibiu sua realização no local. O motivo alegado para o cancelamento da feira, conforme ofício da Secretaria, era “prejuízo às atividades esportivas do equipamento, função legal que deve ser atendida e respeitada. Lembramos ainda que, obviamente em razão de questões técnicas, a legislação atual só prevê a possibilidade de instalação de feiras orgânicas em ruas ou parques municipais”.

Legislação que acaba de ser modificada, por pressão do movimento orgânico paulistano. Ponto para o meio ambiente.