Estado.com.br
Quinta-feira, 23 de Outubro de 2014
Advogado de defesa
Seções
Arquivos
Tamanho do Texto

Um mutirão para devedores limparem o nome

Categoria: Assunto do dia

Marcos Burghi

Os consumidores inadimplentes vão poder negociar suas dívidas em um só local e diretamente com as empresas credoras. A partir do próximo dia 22, o Serviço Central de Proteção ao Crédito (SCPC), da Associação Comercial de São Paulo, realiza a campanha “Acertando suas Contas”.

Em estandes montados no Pátio do Colégio (Rua Boa Vista, 2, Sé, no centro da cidade), as pessoas cujas pendências estejam registradas no SCPC poderão discutir com os credores formas de pagamento para limpar o nome do cadastro de inadimplentes.

Maria José de Barros, gerente geral da Unidade de Pessoa Jurídica da ACSP, informa que Casas Bahia, Credicard, Pernambucanas e Vivo já garantiram presença no evento, que ocorre até 27 de novembro. “Esperamos pelo menos oito empresas”, diz.

Ela ressalta que as condições de negociação serão definidas por cada companhia. Segundo a rede Casas Bahia, os descontos podem chegar a 60% do total das dívidas, porém cada caso será analisado individualmente. Credicard, Pernambucanas e Vivo não se manifestaram sobre as propostas que levarão ao evento.

Maria José explica que após o dia 27 de novembro, as possibilidades de negociação direta entre devedores e credores permanecem abertas até 22 de dezembro, mas os interessados deverão consultar o site do Movimento de Apoio ao Consumidor, programa de educação financeira da ACSP (www.apoioaoconsumidor).

A gerente estima que na página eletrônica o número de empresas integrantes da campanha fique entre 70 e 100. “As consultas online poderão ser realizadas a partir de 20 de novembro”, diz. Na internet, os devedores verificam os contatos para marcar a negociação.

O especialista em finanças pessoais Claudio Carvajal Júnior, coordenador da Faculdade Módulo, avalia que renegociações de dívidas para limpar o nome são importantes e a chegada da primeira parcela do 13º salário, que deve ser paga até 30 de novembro, é uma folga no orçamento para a quitação de débitos em atraso.

Carvajal sugere que os consumidores estabeleçam prioridades de pagamento antes de tentar acordos. “Primeiro devem ser quitadas as dívidas com juros maiores. Cartão de crédito e cheque especial são dívidas mais caras”, exemplifica o especialista.

A analista de informática Juliane Ferreira, 22 anos, espera aproveitar a chegada do abono de fim de ano para quitar dívidas contraída no cartão de crédito e no cheque especial. “Meu nome está negativo há um ano. Só agora pude começar a pensar em pagar essa dívida”, diz.

A também analista de informática Raimone Brito, 22 anos, afirma que vai destinar o dinheiro extra para pagar seu cartão de crédito, atrasado há dois meses.

 Mais dívidas

Estudo inédito divulgado pela Serasa Experian, empresa de análise de crédito, mostrou que o brasileiro inadimplente tem, em média, cinco dívidas em atraso e leva cerca de 217 dias, mais de 7 meses, para saldá-las e limpar o nome.

Para Ricardo Loureiro, presidente da Serasa Experian, o nível de débitos verificado diz respeito ao fato de que mais gente tem acesso ao crédito e ao consumo. Muitos não estão preparados para lidar com as ofertas e acabam contraindo mais dívidas que sua capacidade de pagamento permite. “As pessoas ainda precisam aprender”, avalia.

15 Comentários Comente também

Deixe um comentário: