Estado.com.br
Quinta-feira, 18 de Dezembro de 2014
Advogado de defesa
Seções
Arquivos
Tamanho do Texto

Categoria: Assunto do dia

Artigo Josué Rios

Perda do cartão. Quem deve pagar a conta?

O cartão de crédito do sr. Furtado, o Consumidor, foi surrupiado no fim de semana, mas somente na segunda-feira (cerca 48 horas após o furto do documento), o consumidor percebeu o sumiço do documento e informou à administradora, que bloqueou o uso do cartão.
Mas o estrago já estava feito: antes do bloqueio, o cartão foi usado pelos ladrões para compras no valor de mais de R$ 2 mil, e a administradora exigiu que a gastança dos larápios fosse paga pelo sr. Furtado. Motivo: segundo a empresa, o consumidor infringiu a cláusula contratual, que o obriga a comunicar a perda ou o furto do cartão de crédito imediatamente ao seu sumiço, e o sr. Furtado demorou dois dias para avisar à administradora do cartão.
Mais: diante da reclamação do sr. Furtado, questionando o pagamento da conta, a funcionária da administradora ainda debochou afirmando que se o consumidor tivesse feito “um simples seguro do cartão” não teria problema em caso de furto.
A boa notícia: em 2006, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) deixou claro que não apenas quem faz seguro do cartão (uma espécie de segunda anuidade que o consumidor é pressionado a assumir) está protegido em caso de perda ou furto.
A decisão da Corte (última instância) ocorreu num caso igual ao do sr. Furtado, quando os ministro da Terceira Turma do STJ isentaram um consumidor paulista de pagar o valor referente a compras feitas por criminosos que se apossaram do seu cartão. Os ministros do STJ afirmaram que a cláusula do contrato de cartão de crédito, que obriga o consumidor a responder por compras feitos por terceiros, não tem nenhuma validade. Eis o que disse o ministro relator: “São nulas as cláusulas contratuais que impõem ao consumidor a responsabilidade absoluta por compras realizadas com cartão de crédito furtado até o momento (data e hora) da comunicação do furto.”
Ou seja: se o consumidor avisa a administradora algumas horas depois do sumiço do cartão, ou avisa no dia seguinte ou dentro do prazo de 72 horas, os tribunais entendem que as compras feitas por terceiros antes do aviso não devem ser pagas pelo titular do cartão. E anote: a decisão do STJ nem mesmo diz qual é o prazo do aviso, dando a entender que não há prazo para a comunicação à empresa. Apenas afirma que não tem validade a cláusula que obriga o consumidor a pagar as compras “até o momento do aviso”(Recurso 348343-SP). De todo modo, é bom avisar o sumiço do cartão o mais rapidamente possível – ou pelo menos não avisar depois de 72 horas. Mas se avisar depois desse prazo, deve brigar para não pagar as compras feitas por terceiros, mas aí com menores chances de êxito no processo.
E se por não pagar compras feitas por estranhos, o titular do cartão tiver seu nome em órgão de proteção ao crédito, tem o direito de ser indenização por dano moral.

Posts Relacionados

  • No Related Post

Tópicos Relacionados

59 Comentários Comente também
  • 11/10/2007 - 00:03
    Enviado por: Anita

    Isso é ótimo, mas ninguém falou de cartão clonado que hoje em dia ocorre muito.

    E aí como fica? Muitas vezes a pessoa só fica sabendo ou quando usa em alguma loja e já não tem limite ou quando a operadora comunica (o que raramente acontece), e quando essa o faz o estrago já é grande, já que a pessoa está de posse do seu proprio cartão.

    E aí qual o respaldo pra quem teve o cartão clonado?

    Advogado de Defesa:
    A clonagem do cartão diz respeito à insegurança do serviço prestado e a responsabilidade é do banco, conforme entendimento já pacificado da
    Justiça, em todas as instâncias, em especial quando a imprensa divulga todos os dias a atuação de falsários cibernéticos, o que prova que existe mesmo problema relativo à segurança do serviço, e não culpa exclusiva do consumidor pela clonagem do cartão. Por
    isso, nesses casos, é sempre devida a reparação do dano pelo banco.

    responder este comentário denunciar abuso

    • 09/08/2011 - 13:05
      Enviado por: Giovanna

      E se o cartão for de débito?
      Meu irmão teve o cartão clonado e usaram em estabelecimentos duvidosos e valores absurdos. Como proceder?

      responder este comentário denunciar abuso
  • 11/10/2007 - 16:45
    Enviado por: Aldemir da Silva Chiaramelli

    Boa pergunta, minha irmã teve seu cartão de débito clonado do Unibanco, como agir para recuperar os valores usados de sua conta corrente? Ela só soube depois ao usar o cartão e seu limite estava estourado.

    Advogado de Defesa:

    Veja comentário acima

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/10/2007 - 18:16
    Enviado por: Carlos

    Em 1995, estive hospitalizado. Quando sai verifiquei que houve débito automatico de R$ 14 mil.
    Relatei à administradora por escrito, inclusive com provas de que não estava nos locais das despesas, e devolveram tudo, inclusive com correção.
    Aborrecimento, quase nenhum, só o susto após uma cirurgia.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 13/10/2007 - 08:57
    Enviado por: wilton

    Ora, se as empresas de cartão ganham + ou – R$ 80,00 de aluguel de leitoras de cartão chupa-cabras, cada transação feita já tiram de 3% a 5% de cartões de crédito e débito respectivamente. O comerciante ganha segurança, o banco ganha movimento, um dos três tem que tem que se virar, não o reles mortais do consumidor.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 13/10/2007 - 09:54
    Enviado por: Roberto

    Caso eu passe por este problema algum dia, informarei à empresa do cartão de crédito que descontarei o valor a ser pago na fatura até que eles comprovem que a assinatura era minha. As lojas têm a obrigação de pedir documento com foto que comprove que o comprador é o proprietário do cartão de crédito.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 13/10/2007 - 18:41
    Enviado por: Vagner Sady

    Corretissimo. Mas o que realmente melhoraria a situação seria um simples pedido de documentos por parte do vendedor para comprovar a identidade ou até mesmo a utilização do cartão exigir senha ou confirmação de algum dado do cliente.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 13/10/2007 - 18:45
    Enviado por: Bison

    Seria interessante também responsabilizar o local onde foi feita a compra, pois deveria ter pedido um documento de identificação e verificado a assinatura do dono do cartão. Ou será que isso não é necessário?
    A administradora não quer prejuízo, o comerciante também não e o titular do cartão muito menos, então, todos tem um pouco de culpa e tomem todos os cuidados possíveis.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 14/10/2007 - 09:42
    Enviado por: Lagreca Neto

    Sem dúvida, avisar, sem demora, a administradora do cartão é providência fundamental. Porém, a prática dos comerciantes, no ponto-de-venda, não é a de conferir a documentação e a assinatura do cliente. A falsa sensação de segurança que os meios eletrônicos de pagamento oferecem é oportunidade para fraudes. Assim, tanto o comerciante como a administradora que o licencia respondem solidariamente nestes casos.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 17/10/2007 - 12:51
    Enviado por: Marcelo Menegatti

    Tive um cartão clonado, porém, mesmo sendo alertado por telegrama pela operadora de uma possível fraude em meu cartão, estou sendo obrigado a pagar por despesas que não realizei. Resultado, movi uma ação contra a operadora, ganhei a causa e, mesmo assim, 9 meses após a sentença, a operadora não cumpriu a ordem judicial. Se os nobres advogados desta coluna puderem me ajudar com alguma dica, agradeço.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 20/10/2007 - 00:21
    Enviado por: Léo

    Olá. Tenho uma pergunta a respeito de um texto do ano passado. É sobre prescrição de dívidas. Vocês escreveram: “De qualquer forma, é bom saber, que mesmo saindo o nome dos órgãos de proteção ao crédito, a dívida vai continuar sendo cobrada.”. Tenho um conhecido com o nome no SPC e no Serasa há quase cinco anos, em razão de alguns cheques emitidos. O último deles, em janeiro de 2003. Ou seja: caduca no começo do ano que vem, e os serviços de proteção ao crédito terão de retirar seu nome. Mas ele ainda pode ser cobrado na justiça. Até quando? Ele pode ter bens seqüestrados para efetuar esse pagamento?

    Obrigado e parabéns pelo trabalho

    Advogado de Defesa:

    A dívida tem de ser cobrada também no prazo de 5 anos, depois disso ela prescreve. Nesse período o devedor pode ter bens penhorados como carro, computador, etc.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 20/10/2007 - 18:05
    Enviado por: Fabio

    A despeito de não ser obrigatória a compra do seguro para o cartão de crédito, o Santander cobra já embutido nas parcelas da anuidade o tal seguro. E este valor já esta incluido no valor mínimo que está sendo cobrado. E se você pede para ser extornado – porque não deseja nenhum seguro – eles enrolam, enrolam, enrolam, e acabam por não estornar valor nenhum. Ou seja, se é surrupiado de qualquer forma.
    Obrigado.

    Advogado de Defesa:

    Você deve mandar sua reclamação, com dados pessoais e o nome da empresa, para a coluna advogado de defesa – e-mail: advogado.jt@grupoestado.com.br

    responder este comentário denunciar abuso

  • 22/10/2007 - 19:38
    Enviado por: Ronaldo M.

    O comércio que aceita a utilização de um cartão (ou cheque) sem o usuário se identificar é, provavelmente, o maior culpado de todo este problema de roubos.
    E esta semana recebi uma ligação oferecendo cartão de crédito e na minha recusa a vendedora me disse que eu deveria tem um cartão, pois como eu ficaria se não tivesse dinheiro na minha conta? Oras, quem não tem dinheiro nem deveria ter cartão, pois acaba comprando sem dinheiro e tem que se virar depois, correndo um alto risco de pagar com atraso com juros extorsivos.
    É por essas e outras que faço questão de não ter cartão de crédito.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 25/10/2007 - 10:15
    Enviado por: andrea

    Meu marido está com o nome na Serasa há cinco anos. São cheques devolvidos e uns estão com advogados. Gostaria de saber se ainda somos obrigados a pagar essas dívidas, já que não conseguimos por estarmos desempregados, e se realmente o nome dele sai do SPC e Serasa depois de 5 anos. Obrigada

    Advogado de Defesa:

    Depois de 5 anos, o nome deve sair da lista de inadimplentes. Quanto ao pagamento da dívida, precisa ver se esses advogados não entraram com ação na Justiça para cobrá-las judicialmente.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 20/11/2007 - 17:27
    Enviado por: daniela santos

    Estou com o nome incluso no SPC e na Serasa há 5 anos. Após a exclusão gostaria de saber se posso financiar uma casa na Caixa Economica Federal.

    Advogado de Defesa:

    Se o nome não consta de nenhum cadastro negativo, os motivos pela negativa de crédito devem ser explicados pelo banco

    responder este comentário denunciar abuso

  • 04/12/2007 - 09:13
    Enviado por: Luciano de Paula Cardoso

    Toda essa pendência pode e deve ser abolida com simples atitudes por parte dos portadores de cartão e dos proprietários de estabelecimentos que açeitam cartões.
    O primeiro passo do portador é assinar o seu cartão. Cartão sem assinar é cartão com alta probabilidade de ser fraudado, tanto pelos portadores quanto por ladrões.
    O segundo passo, e esse deve ser tomado pelos donos de estabelecimentos é a conferência da assinatura no cartão com o Tickt de compra. Essa assinatura deve ser idêntica a do cartão. Se for parecida, peça a identificação e se o dono do cartão se recusar é indìcio de fraude.
    Para se ter uma idéia da amplitude do problema e da simplicidade da solução, basta que os estabelecimentos confiram a assinatura e o portador assine seu cartão de crédito.
    Um estabelecimento que retém um cartão roubado ou clonado recebe da administradora da captação um cheqye no valor de 100 U$$.
    Com práticas simples é possível acabar com as fraudes.
    Dr. Luciano Cardoso
    Advogado OAB – Go

    responder este comentário denunciar abuso

  • 12/12/2007 - 07:17
    Enviado por: Marcos

    Para o caso da notificação ou não dentro de um determinado prazo, existe a questão da assinatura no documento de identificação do crédito. Ou seja, pra que serve a assinatura que fazemos quando do ato do uso do cartã de crédito???? Isso não serve como justificativa para casos legais da cobrança ou não dos valores indevidos no cartão de crédito?????

    responder este comentário denunciar abuso

  • 14/12/2007 - 17:05
    Enviado por: Real Moto

    Olá, sou proprietrio de uma loja de peças para motocicletas, 4 meses atras veio um sujeitos em minha loja, fizeram uma compra de 60 mil reais no cartão de credito, me apresentaram a identidade e acabei efetuando a venda pela visanet. 3 dias depois o dinheiro não estava em minha conta, entrei em contato com a financeira e me informaram que o cartão era clonado e não iriam me pagar o valor, o que eu posso fazer pra receber…afinal de quem é a culpa….

    responder este comentário denunciar abuso

  • 20/12/2007 - 14:50
    Enviado por: Rodrigo Noel

    O estabelecimento é obrigado a pedir documento de identificação quando estiver aceitando cartões de crédito, pois os manuais de orientação das administradoras de cartões de crédito pedem que se solicitem documentos apenas quando o cartão não estiver assinado.

    Se obrigatória a apresentação de documentos, esta é fundamentada em qual lei ?

    No caso de recusa na apresentação do documento pelo cliente, o estabelecimento não poderia sofrer algum tipo de problema ?

    Advogado de Defesa:

    Não existe lei. Isso é uma determinação interna das lojas. Se o cliente recusar a apresentar o documento, a loja pode também recusar a venda

    responder este comentário denunciar abuso

  • 21/02/2008 - 16:26
    Enviado por: adaiane rezende

    qual é a lei ,ou resoluçao para a apresentaçao do rg ,quando um cliente compra em um estabelecimento?

    Advogado de Defesa:

    Não há lei. Isso é procedimento interno do comércio

    responder este comentário denunciar abuso

  • 29/02/2008 - 22:38
    Enviado por: edenilson

    também fomos clonados e gostaria de saber como nós donos da conta não conseguimos retirar nem debitar com cartão acima do limite diário mas os bandidos conseguem até dez vezes esta quantia em um único dia?

    responder este comentário denunciar abuso

  • 01/03/2008 - 21:59
    Enviado por: vucia visitante

    tem alguns estabelicimentos que cobram a mais quando o pagamento é com cartãod e credito isso é legal?

    Advogado de Defesa:

    Não deveriam. Você pode denunciá-los ao Procon

    responder este comentário denunciar abuso

  • 01/03/2008 - 22:03
    Enviado por: vucia

    posso parcelar meu saldo devedor?

    Advogado de Defesa:

    Você deve falar diretamente com a adminsitradora do cartão

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/03/2008 - 13:50
    Enviado por: elení aparecida da silva

    Oi, sou a elení e tive meus documentos subtraídos no mês de dezembro de 2004, incluindo cartões de crédito, imediatamente comuniquei as administradoras de cartões de crédito e o Banco, no entanto apenas uma administradora abonou a compra dos ladrões pois as outras me cobraram e eu tive que pagar, gostaria de saber se ainda posso acioná-los na justiça e pedir uma indenização?

    Advogado de Defesa:

    Pode,sim. Vá ao Juizado Especial Cível

    responder este comentário denunciar abuso

  • 01/04/2008 - 19:06
    Enviado por: Bruno Alves

    Seguinte, tive minha carteira furtada, junto com ela, meus cartões de crédito…isso foi na madrugada do dia 21 de março de 2008.Fiz o BO do ocorrido imediatamente após o furto. Mas demorei para bloquear o cartão, então, liguei para a administradora do cartão e efetuaram compras com o meu cartão.
    O que devo fazer mediante a isso…já que a administradora do cartão, alega que após eu desbloquear o cartão a responsabilidade é minha.
    sendo que não tenho o seguro contra perca e roubo. e quem vai pagar isso? o estabelecimento onde foi efetuado a compra. A administradora do cartão ou Eu?
    Aguardo informações. desde já muito grato.

    Advogado de Defesa:

    Envia sua reclamação para a coluna Advogado de Defesa, do Jornal da Tarde, advogado.jt@grupoestado.com.br, com seus dados pessoais

    responder este comentário denunciar abuso

  • 23/04/2008 - 12:16
    Enviado por: Rita Ribeiro

    Bom dia
    Perdi ou furtaram meu cartao de credito em fevereiro,mas como raramente usava esse cartao e apenas para movimentar a poupança so percebi quando chegou a fatura.Questionei o banco e tive a fatura estornada, mas nesse mes veio a cobrança novamente.Tenho como provar que estava trabalhando no horario das compras, nunca havia usado antes a opçao credito com esse cartao,mesmo assim o banco quer que eu pague.O que posso fazer?A atendente disse que eu nao tinha seguro, dai nao poderia fazer nada.O seguro é obrigatorio?Por favor, me dê uma luz.Pensei em ir ao Procon, isso resolve?

    Advogado de Defesa:

    O cartão é responsabilidade do correntista, mas você pode recorrer ao Juizado Especial Cível

    responder este comentário denunciar abuso

  • 23/04/2008 - 16:25
    Enviado por: Milena Patury

    Tive meu cartão de débito furtado dentro de um supermercado.Ocorre que, acredito que a pessoa que o furtou estava olhando eu digitar a senha no caixa eletronico, por que foi feito uma compra no outro dia, com meu cartão e minha senha.
    pergunta: o estabelecimento é obrigado a pedir documentação com foto mesmo nas compras com o débito?Quem eu posso responsabilizar?

    Grata

    Advogado de Defesa:

    Seria o mais correto ele pedir o documento. Mas você pode contestar a assinatura da autorização. se ela não bater com a sua, você não terá de pagar e poderá, para tanto, recorrer ao Juizado Especial Cível

    responder este comentário denunciar abuso

  • 05/05/2008 - 13:56
    Enviado por: Alessandra Miloni

    Estou com problemas quanto a resolução de furto de cartão de crédito junto ao Santander,acontece que por não usar o cartão, só dei por falta dele uma semana depois do furto, quando recebi um telegrama do banco dizendo que haviam detectado compras estranhas ou indevidas,daí fiz o bloqueio,a atendente disse que como não tinha seguro tinha que pagar a divida que era de R$600,00,entrei em contato com o banco e me pediu para enviar-lhes uma carta na qual contestei as assinaturas dos boletos, e ainda fui a um dos lugares onde o cartão foi usado,um posto de gasolina,e me disseram que não pedem documento de identificação.A causa esta no Procom e o aconteceido foi em 11/2007,e continuo recebendo faturas.Devo continuar pagando o minimo?A causa prescreve? Obrigada.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 06/05/2008 - 10:16
    Enviado por: Fabíola lima

    Fiz um cartão de credito, para ajudar um funcionario que precisava bater meta, o mesmo me disse que se eu não quisesse o cartão, poderia sem desbloquia-lo, quebra-lo que eu não iria estar pagando nadA!.

    tive minha carteira furtada dentro de um onibus, no qual se encontrava entre outros cartões o meu cartão de credito que havia recebido recentemente, sem ter desbloquiado. Logo após o furto, liguei para a central e mandei bloquea-lo não pedindo uma segunda via do cartão.
    Porém recentemente (a uns 3 meses) venho recebendo notificações em minha residência com tarifas que a cada mês vem aumentando ( saldo total disponivel ( -45,65) creio eu que seja de manutenções.
    a pergunta:
    Devo eu pagar por um serviço(manutenções) que não ultilizei, e que mandei cancelar?
    tem alguma lei ?

    desde ja obrigado!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 08/05/2008 - 17:33
    Enviado por: Carlos Salomão

    Prezados Senhores,
    Como o objetivo de orientar a Classe Lojista, solicito esclarecimentos acerca da apresentação do Cartão de Crédito ou Débito, para pagamento de compra à vista ou à prazo: Poderá o Lojista exigir a RG ou outro Doc.de Identificação para a efetiva identificação do(a) portador(a)?

    Att.

    Carlos Salomão
    CDL TEÓFILO OTONI

    responder este comentário denunciar abuso

  • 13/05/2008 - 13:39
    Enviado por: Miracy Ferreira de Almeida

    Trabalho em um estabelecimento esou orientada a pedir documento de identificação quando compra com cartão de credito, isso é correto? Ou o cliente pode alegar constrangimento? Como devo proceder

    responder este comentário denunciar abuso

  • 30/06/2008 - 12:56
    Enviado por: roberta

    meu marido foi sequestrando, e enquanto estava no cativeiro, os bandidos fizeram compras em duas lojas, no valor total de R$ 2.000,00, no débito automático. O bando disse q nao devolve o dinheiro porque a compra foi feita com senha. Como devo proceder contra a a loja que nao pediu identificacao?
    obrigada

    responder este comentário denunciar abuso

  • 29/03/2010 - 17:52
    Enviado por: Sandra

    Fiz uma compra no exterior e a loja colocou os valores das compras todos acima do que foi realmente adquirido, a operadora do cartão diz que tenho que ligar para a loja onde fiz as compras, ou seja, que não é problema dela, inclusive as datas das compras não conferem. O que fazer a respeito disso?

    responder este comentário denunciar abuso

  • 30/03/2010 - 11:12
    Enviado por: Sandra

    Obrigada pela resposta.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 22/07/2010 - 20:21
    Enviado por: Ketili

    E o que acontece ao comerciante que recebe cartão de crédito sem documentação? Tem como puní-lo? bateram minha carteira semana passada e eu bloquiei imediatamente. Mas momentos antes, o ladrão utilizou 200 reais do meu cartão de crédito em uma tal de ISAD COM Serviços. Descobri isso em dois ou tres dias pela minha fatura online. A administradora estornou o valor do meu cartão, mas acontece alguma coisa com a loja nesse caso?

    responder este comentário denunciar abuso

    • 22/07/2010 - 23:42
      Enviado por: Marcelo Moreira

      A loja fica sujeita a um processo por danos morais movido pelo consumidor lesado por ter aceitado a compra sem a documentação.

      responder este comentário denunciar abuso
  • 29/07/2010 - 11:57
    Enviado por: Viviane Oliveira

    Fui em um supermercado em São Paulo (capital), na hora de pagar a compra com o Cartão de debíto a operadora me pediu o Rg. Gostaria de saberse sou obrigada a mostrar o Rg. Também fui informada que a pessoa juridica q possui o cartão empresa deve apresentar o contrato social junto com o rg, já que o cartão não possui o nome do cliente somente o nome da empresa.
    Gostaria de ter mais informações.
    Grata.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 18/09/2010 - 19:10
    Enviado por: Roberto

    Um funcionario poderia ser responsabilizado pela compra que alguem fez com cartão clonado ? Os estabelicimentos comerciais pagam algum tipo de valor a titulo de seguro para estas ocorrências ?

    responder este comentário denunciar abuso

    • 20/09/2010 - 18:41
      Enviado por: Marcelo Moreira

      Em tese pode sim, mas aí a questão foge da defesa do consumidor, é uma questão criminal. Há modalidades de seguro que preveem esse tipo de problema, mas não é obrigatório para lojas e estabelecimentos comerciais.

      responder este comentário denunciar abuso
  • 30/09/2010 - 07:14
    Enviado por: madalena

    UMA LOJA TEM O DIREITO DE RECUSAR UM CARTAO DE DEBITO POR FALTA DE DOCUMENTO DE INDENTIFICAÇAO.

    EU FIZ UMAS COMPRAS E A LOJA EXIGIU O UM DOCUMENTO ISSO , É LEGAL?

    responder este comentário denunciar abuso

  • 05/01/2011 - 00:15
    Enviado por: Meury Almeida

    Eu realizei um saque de R$40,00 num caixa eletrônico do meu banco e logo em seguida, foi efetuado um outro saque no valor de R$800,00, do qual eu desconheço. Não sei se posso afirmar que foi clonagem porque desconheço a forma que utilizam. O fato é que o meu banco não quer ressarcer esse valor alegando que não houve fraude. Como posso provar que não fui eu quem fiz esse saque? Tenho direitos (legais) para ter meu dinheiro de volta? Como devo proceder? No aguardo e grata!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 17/03/2011 - 23:43
    Enviado por: SANDRO RICARDO DA CUNHA MORAES

    Gostaria de saber se é legal o comerciante exigir documento de identificação com pagamento de cartão na função débito onde o cliente tem a senha sigilosa. Sei que que com cartão de crédito é praxe tal medida, mas nos cartões de débito não vejo sentido essa obrigação que parece mais um constrangimento moral ao titular do cartão: é como se houvesse uma insinuação que o verdadeiro proprietário tivesse furtado o cartão de terceiro e o obrigado a repassar a senha, o que não tem sentido nenhum porque o lesado pode pedir o bloqueio logo após tenha ocorrido o furto. Me orientem em qual lei do Banco Central se regula tal situação.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 27/03/2011 - 12:46
    Enviado por: luiz bellei

    gostaria de saber se ha alguma lei que obriga a apresentar documento de identidade no ato da compra, lei federal ou estadual mg

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/06/2011 - 14:44
    Enviado por: Leoni Coelho Vasconcelos

    Meu, irmão fez umas compras no cartão de credito de minha mãe escondido a loja não pediu o RG dele e ainda deixou ele levar a nota para casa para minha mãe acinar só que foi ele mesmo quem acinou, o que devemos fazer? o que vai acontecer com a loja e com o meu irmão?.

    responder este comentário denunciar abuso

    • 07/06/2011 - 18:18
      Enviado por: Marcelo Moreira

      Seu irmão pode ser processado por falsidade ideológica e preso. A loja pode ser processada por fraude e ter de indenizar por danos morais a sua mãe.

      responder este comentário denunciar abuso
  • 31/10/2011 - 20:11
    Enviado por: Erica

    Tive meu cartão roubado no exteior. Porém, só percebí depois que voltei ao Brasil (10 dias depois). Solicitei o bloqueio e estou fazendo as contestações. Mas não fiz o B.O. Posso fazê-lo no Brasil? Não comuniquei a administradora que estaria no exterior, por isso não entendo o porquê do cartão não ter sido bloqueado. Será que terei que pagar por essas compras?

    responder este comentário denunciar abuso

    • 31/10/2011 - 21:01
      Enviado por: Marcelo Moreira

      Faça um boletim de ocorrência aqui e procure um advogado para uma eventual ação judicial, pois a operadora certamente vai questionar.

      responder este comentário denunciar abuso
  • 06/11/2011 - 17:02
    Enviado por: Ivanice Polo D. de Aquino

    perdi meu cartão de crédito Porto seguro e só percebi no dia seguinte, quando liguei para cancelar fui informada que havia o valor de 1150,00 em compras e que eu não tinha seguro, os valores estão debitados no meu cartão o que faço?

    responder este comentário denunciar abuso

  • 19/11/2011 - 21:08
    Enviado por: cleiton

    olá o meu cartão foi furtado e foi usado por terceiros nas 2 funçõe debitos e créditos,tomei um prejuizo de 1437 reais,o banco santander nao quer me ressascir por eu nao ter o seguro do cartão,ja encaminhei o ocorrido ao procon,caso o banco nao atenda o procon eu tenho direito de idenizar o banco? só que o banco tbm cometeu uma falha os cara usaram apenas em 1 estabelecimento,foram 807 reais de meu debito,e mais 630 de meu creditos,o meu creditos o limite é de 570 reais eu tinha feito uma compra no valor de 89 reais então eu fiquei com saldo mais ou menos de 400 e pouco,e como os cara conseguirar usar 630 se o meu limite estava a abaixo de 500..

    responder este comentário denunciar abuso

  • 26/11/2011 - 23:17
    Enviado por: Ivete Fernandes

    emprestei uma conta no Itau para meu irmao, com taloes de cheque assinados, ele sem o meu consentimento fez um emprestimo, mas nao assinei nada, posso colocar o banco na justiça por conseder o credito sem assinatura de documento algum????????????

    responder este comentário denunciar abuso

Deixe um comentário: