Estado.com.br
Quinta-feira, 27 de Novembro de 2014
Advogado de defesa
Seções
Arquivos
Tamanho do Texto

Escolha o calçado certo e ande bem

Categoria: Assunto do dia

ELENI TRINDADE E SAULO LUZ – JORNAL DA TARDE

Conforto e beleza são as principais qualidades que o consumidor espera de um calçado. Mas com tantos tipos e modelos disponíveis no mercado , é preciso tomar cuidados na hora da compra. Para começar, o ideal é compra calçados somente no fim do dia.

“É o horário mais indicado, pois é quando os pés já estão inchados e suados. Assim, o comprador diminui o risco de adquirir um sapato que, apesar de ter servido no pé na hora da compra, fique apertado mais tarde”, justifica Fabio Ravaglia, ortopedista do Instituto Ortopedia e Saúde (IOS).

Além disso, é importante evitar os sapatos de bicos fino e preferir os que possuem bicos mais largos, arredondados e fabricados com materiais que permitam a transpiração e, ao mesmo tempo, sejam impermeáveis à água. “Quanto mais suor ficar no interior do tênis, mais cheiro vai ter o pé. Além disso, pode provocar frieira e levar a infecções mais graves”, diz Ravaglia.

“Após escolher o modelo que mais lhe agrada, o consumidor deve experimentar os dois pés do sapato e andar com eles pela loja para sentir se ele é confortável e se adapta bem aos pés”, diz Regina Andrade, técnica do Procon-SP.

Segundo Fabio Ravaglia, é bom deixar uma margem de um centímetro na frente do dedo. “O calçado deve ficar bom na hora. Esse negócio de dizer que está apertado mas vai amaciar depois é besteira. Um sapato ruim pode causar joanete, calos e calosidades nos dedos do pé, dores no pé, frieiras, machucados e até feridas”, assinala o ortopedista.

“É preciso se informar sobre a política de troca da empresa, principalmente se o sapato for para presente.

Se o vendedor abrir a possibilidade de trocar, peça que a informação seja registrada por escrito na nota fiscal e observe se os dados do fabricante (CNPJ, endereço e telefone de contato) estão visíveis na embalagem”, completa Regina. “Caso o lojista não forneça caixa ou embalagem, impossibilitando a identificação do fabricante, é ele que se responsabiliza pela troca ou conserto do produto.”

Maria Inês Dolci, coordenadora institucional da Pro Teste, lembra que loja não tem a obrigação de trocar calçados comprado do tamanho errado. “É uma prática que depende da loja e fideliza o cliente”, lembra.

No caso da recepcionista Edna Machado Assis Parada, 56 anos, mesmo com um defeito evidente do produto, houve dificuldades para resolver o problema. “Comprei um bota de couro, experimentei e andei pela loja, mas, ao chegar em casa, notei que o solado estava descolado. Ao reclamar na loja, disseram que não iam trocar o produto. Em vez disso, mandaram colar o solado em um sapateiro, mas o defeito continuou.”

Edna pediu o dinheiro de volta, mas a loja só queria devolver uma parte do valor pago. “Expliquei a eles que iria recorrer ao Procon para resolver a questão e só aí decidiram me ressarcir. Foi quase um mês de transtornos.”

Posts Relacionados

  • No Related Post

Tópicos Relacionados

5 Comentários Comente também
  • 14/08/2009 - 19:45
    Enviado por: jose ferreira dias junior

    SRS. PEÇO ORIENTAÇÃO AOS ADVOGADOS DE DEFESA; SOU MÉDICO E POR OCASIÃO DA FALENCIA DA AVIMED EU E OUTROS COLEGAS DEIXAMOS DE RECEBER NOSSOS PAGAMENTOS POR SERVIÇOS PRESTADOS A ESSA EMPRESA DE SAUDE, PROCURAMOS PELA ITALICA QUE ASSUMIU E TAMBEM FOMOS INFORMADOS QUE NADA TINHAM A VER COM DÉBITOS ANTERIORES ; ANTES DA FALENCIA DA AVIMED EMITIMOS NOTAS REFERENTES AOS NOSSOS VENCIMENTOS JUNTO A AVIMED E TIVEMOS QUE PAGAR IMPOSTO DE RENDA POR ISSO!!! UM DINHEIRO QUE NUNCA VIMOS NEM A COR. A AVIMED POSSUI MAIS DE 1500 PROCESSOS POR FALTA DE PGTOS A PRESTADORES DE SERVIÇOS COMO NÓS, E FUNCIONÁRIOS E NOSSO ADVOGADO ACHA PERDA DE TEMPO E DINHEIRO TENTAR RECECER O QUE ELA NOS DEVE. COMO FICA NOSSA SITUAÇÃO, ALÉM DE NÃO RECEBER AINDA TER QUE PAGAR O IMPOSTO DE RENDA. PODEM NOS ORIENTAR?
    GRATO DR. JOSE FERREIRA DIAS JR. CRM 33176 SP

    RESPOSTA DO BLOG: O seu caso não é um problema de consumo, é uma causa trabalhista ou um problema cível, já que envolve duas empresas, a sua e a Avimed. Entendemos que a Itálica, que comprou e assumiu a carteira do plano anterior, é responsável também pelas dívidas e pagamentos atrasados a fornecedores. O melhor a fazer e contratar um advogado e rapidamente acionar a Itálica para honrar os pagamentos em aberto. Junte um grupo de médicos lesados e contrate um advogado trabalhista para mover uma ação conjunta.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 02/09/2009 - 10:33
    Enviado por: Mariana

    Aproveitando o assunto sapatos, comprei um par de sandálias que calçaram bem, no meu tamanho, andei pela loja etc e não senti nada. Infelizmente, sapato a gente só conhece quando caminha de verdade, na rua. No primeiro dia de uso, os sapatos feriram muito meus calcanhares. Nesse caso, eu posso reclamar na loja? Ou em casos como esse nada mais pode ser feito?
    Att,
    Mariana

    RESPOSTA DO BLOG: A troca do produto, neste caso, seria uma concessão da loja, já que não se trata de um defeito. Foi uma compra errada, por assim dizer. A loja não tem a obrigação da troca no caso.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 08/09/2009 - 07:56
    Enviado por: Fernanda

    Bom Dia! comprei uma sandália dia 04/09/09 sexta-feira, a vendedora me deu o prazo de 7 dias pra trocar, comecei a usar assim q sai da loja, a sandália arrebentou no dia 07/09/09 segunda-feira. Ainda tá no prazo de troca, gostaria de saber se a loja é obrigada a trocar nesse caso? grata desde já pelo esclarecimento

    REPSOSTA DO BLOG: Se o defeito ocorreu por mau uso, não. Se o produto estava com defeito, sim.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 06/10/2009 - 18:38
    Enviado por: antonio j rossi

    Boa Noite, comprei de presente pra minha esposa uma par de botas da leveflex em 14/07/09, porem depois de 2 meses e meio comeou a descolar o solado, a fabrica devera fazer a troca? quanto tempo é a garantia para calçados, visto que nao foi muito utilizado.
    Obrigado…

    RESPOSTA DO BLOG: Até 90 dias após a compra a fábrica tem a obrigação de trocar ou consertar o produto, desde que o defeito não seja de uso.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/01/2010 - 18:10
    Enviado por: Sara

    Comprei uma sandália e após 20 dias ela soltou o salto e descolou o solado levei na loja que ficou com o sapato e informou que iria fazer a troca, porem na loja não tinha o modelo que comprei e eu não gostei de nada e a fabricante falou que não tinha o mesmo modelo para repor. Eu quero o dinheiro de volta mas a loja falou que não devolve o que devo fazer já que não me interessei por nada na loja?

    RESPOSTA DO BLOG: O dinheiro tem de swer devolvido. Reclame no Procon.

    responder este comentário denunciar abuso

Deixe um comentário: