Estado.com.br
Segunda-feira, 21 de Abril de 2014
Advogado de defesa
Seções
Arquivos
Tamanho do Texto

Crédito consignado: paraíso só para o banco

Categoria: Coluna Josué Rios

O crédito consignado que os bancos concedem a aposentados, funcionários públicos e outros trabalhadores não é apenas sinônimo de empréstimo mais barato, mas também causa de superendividamento e de algumas dores de cabeça para os que contratam o dinheiro “fácil.”

Um dos riscos que rondam o crédito consignado é a fraude (empréstimo feito por criminosos em nome do trabalhador )– assunto que comentei na coluna em 12 de julho. Mas há outros problemas no empréstimo descontado em folha.

Primeiro: o que acontece com o trabalhador que faz vários empréstimos e compromete mais de 30% do seu salário? A questão já foi parar na Justiça e envolveu o caso de um funcionário público federal que fez alguns empréstimos e contratou mais uma dívida para ser descontada do salário.

Só que, ao tomar o último crédito, concedido pelo Santander, o servidor percebeu que passou a ter três dívidas bancárias, e que seu salário iria sofrer um desconto mensal superior a 30%, que é o limite permitido pela lei nos empréstimos consignados.

O que fazer? O funcionário entrou na Justiça do Distrito Federal contra o Santander e exigiu que o desconto em folha do último empréstimo fosse reduzido de 28% para 15% dos seus vencimentos. E requereu à Justiça que fosse proferida decisão urgente (liminar).

O pedido foi negado pelo juiz de primeira instância, mas foi acatado num segundo julgamento pela Primeira Turma do Tribunal de Justiça do Distrito Federal (segunda instância), que proibiu o Santander de fazer qualquer desconto do salário do trabalhador até que este tivesse margem consignável para tanto. Ou seja: quite as dívidas anteriores ou passe ganhar mais salário mensal (apelação 2006 01 1 023565-4 de maio de 2007).

Importante observar que o Tribunal concedeu ao trabalhador mais do que foi solicitado por este, ao impedir o banco de fazer qualquer desconto no seu salário, enquanto ele pediu somente a redução do desconto mensal.

Segundo o Tribunal, se, por um lado, o trabalhador errou ao pedir mais um empréstimo sabendo que podia ultrapassar o limite de 30%, por outro lado, também houve erro do Santander, que não se informou junto ao patrão do funcionário (o Estado) sobre a existência de empréstimos anteriores. E entre o erro do trabalhador e do banco, deve ser punida a parte mais forte, que explorou a vulnerabilidade do consumidor e impôs a ele o empréstimo superior ao limite legal.

O caso, ainda que sujeito a recursos e polêmicas, pode ser uma luz para trabalhadores que enfrentem o mesmo problema.

Outro transtorno na vida de aposentados e trabalhadores que têm empréstimo consignado são as cobranças indevidas feitas pelos bancos. Por exemplo, a Segunda Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, em maio de 2007, condenou o Banco Rural a devolver em dobro prestações cobradas a mais de uma aposentada, além de obrigar o banco a pagar cerca de R$ 2 mil de danos morais à idosa. Isso porque, mesmo quitada a dívida do empréstimo, o banco, meses depois, voltou a descontar d salário da pensionista.

Melhor sorte não teve um consumidor carioca que fez pagamento do empréstimo de forma avulsa diretamente no banco Itaú porque houve atraso no pagamento de sua pensão e ainda assim o banco cobrou, via desconto, as parcelas já pagas, além de enviar o nome do consumidor para o órgão de proteção ao crédito.

Nesse caso, a Quarta Câmara do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro condenou o Itaú a devolver em dobro a cobrança duplicada das parcelas, além de pagar dano moral de R$ 6 mil ao consumidor (apelação 11.554/08, maio de 2008).

Que as condenações citadas possam motivar a eventuais vítimas do empréstimo a brigar por seus direitos.

Posts Relacionados

  • No Related Post

Tópicos Relacionados

201 Comentários Comente também
  • 11/08/2008 - 12:24
    Enviado por: Alexandre

    Como fica o funcionário que adquiriu o emprétimo más que por uma eventualidade venha á perder o seu emprego? (isso no caso de funcionário privado).

    responder este comentário denunciar abuso

    • 09/05/2011 - 18:00
      Enviado por: priscila

      30% da recisão vai pra liquidar a dívida, caso não quite, o restante das parcelas são debitadas em conta corrente.

      responder este comentário denunciar abuso
    • 23/11/2011 - 15:18
      Enviado por: Rafael

      oi eu fiz um emprestimo consignado, mais eu fui mandando embora da firma aonde eu trabalhava. hoje faz 5 dias que eu fiz este emprestimo e ainda não caiu em minha conta, séra que este emprestimo vai cai, sem eu esta trabalhando, obrigado

      responder este comentário denunciar abuso
  • 11/08/2008 - 14:25
    Enviado por: horacio roberto martinez

    Os bancos se comportan muito peor que os delincuentes comunes…

    Estamos atados de pes e manos, ante a impunidade de eles.

    Nos créditos en folhia, o funcionarios son entrenados de maneira sutil, a colocar seguros,etc. etc. a favor do banco, sem consultar.

    Ate acredito, que deba punirse este tipo de delito… Com carceré…

    Pouco se solucionara.

    Peor ainda somos tratados peor que o gado, por estos sinvergonhas.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 28/09/2008 - 22:34
    Enviado por: Daniel

    Quando um militar reformado cuja aposentadoria bruta no valor de R$ 7.500,00 e que tem consignado em folha 4.000,00 de empréstimos,queria saber se isso é legal, ou se o banco não está agindo pela lei?
    Posso pedir revisão de parcelas?

    responder este comentário denunciar abuso

    • 27/01/2011 - 22:00
      Enviado por: Luiz Pimentel

      Estou na mesma situação como militar; desejo saber o endereço do Advogado que esteja patrocinando Ação neste sentido, de preferência no Rio de Janeiro,pois minha remuneração é de R$6.880,00 e tenho oito consignações no total de R$4.233,00 ou seja: Mais de 60% do que determina a Lei e o Decreto; que é até 30% da remuneração. Quero reduzir esses descontos que afrontam a lei e o decreto.Caberá um Mandado de Segurança no STJ? Ou uma Ação na 1ª Instância?
      Se possível, responda-me pelo e-mail acima.
      Grato pela a atenção, Pimentel

      responder este comentário denunciar abuso
    • 09/05/2011 - 18:02
      Enviado por: priscila

      Se a soma total das parcelas não ultrapassar 30 % da renda bruta está de acordo com a norma do bacen

      responder este comentário denunciar abuso
    • 24/11/2011 - 21:10
      Enviado por: alcindo

      As leis 1046, de 02/jan/1950 e 2853, de 28/ago/1956 respectivamente, ampara os militares das forças armadas.
      A MP-2215-10, de 31/ago/2001, determina que os militares das forças armadas tenham os seus descontos até o limite de 70% de sua remuneração. Todos os Estados, Distrito-Federal, Municípios,funcionários públicos civis federais etc…. acatam a lei 10820, de 2003 – CLT. – até 30% da remuneração.

      responder este comentário denunciar abuso
  • 29/09/2008 - 12:19
    Enviado por: jose antonio voltarelli

    Qual é Lei que determina o limite de descontos de funcionários?

    responder este comentário denunciar abuso

    • 28/01/2011 - 20:40
      Enviado por: Luiz Pimentel

      A Lei é 10.820/03, Artigo 1º parágrafo 1º; e o Decreto é 6.386/08, Artigo 8º
      Espero ter ajudado!

      responder este comentário denunciar abuso
    • 09/05/2011 - 18:05
      Enviado por: priscila

      o banco central, que é um órgão executor, regulamenta que um trabalhador não pode ter mais do que 30% de sua renda bruta comprometida em parcelas.

      responder este comentário denunciar abuso
  • 06/11/2008 - 15:43
    Enviado por: mariano pereira

    caro josé antonio a lei é a de numero 10.820/2003 que dispos sobre a autorização de desconto de prestação em folha de pagamento em relaçaõa aos empregados celetistas e com relaçaõ aos funcionários públicos civis é o Decreto n. 4.961, de 20 de janeiro de 2004, que regulamenta o art. 45 da Lei n. 8.112, de 11 de dezembro de 1990, também permite que eles autorizem consignações em suas folhas de pagamento, para cobertura de certos tipos de empréstimo (a exemplo de financiamentos para aquisição de imóveis residenciais e empréstimo concedido por entidade de previdência privada) – art. 4o., incs. VI e VII.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 08/11/2008 - 09:28
    Enviado por: neusa maria lima

    Pedi um boleto quitação de emprestimo consignado Inss para quitação saldo devedor, com o Banco Daycoval, oAgente deles que atua na cidade de Campinas, disse que não queria me perder um cliente, disse que ele mesmo venderia a Divida Banco Daycoval para BV Financeira.Assim
    sendo o agente passou para eles quitação de um
    empréstimo menor que eu tinha, e disse que:
    Tudo isso começou 07/10/2008, me faria uma antecipação 1000,00 até que todos os fatos fossem realizados, me prometerão efetuar o pagamento do dia 15/10 o que não ocorreu
    achei estranho disseram que fariam no 20/10 e nada ele me informaram que era para eu ficar tranquila os pagamentos são realizados no final do mês dia 3l/10/2008, coclusão os meus cheques voltarão e eles não concluiram o empréstimo lá
    chegando entendi perfeitamento o que eles estão me obrigando a fazer, Um refinanciamento da divida o que não concordo. Não aceitam me dar desconto para quitação.e não conseguem vender a minha divída pois Bco. Daycoval não aeita
    Conclusão Não consolidaram o credito. e estão me obrigando a refinanciar, pois o valor que vou receber e muito menos 800,00. Não sei que providencias tomar. pois já paguei 15X587,91
    21164,00 mes resta 12343,00 o desconto dele é calculado pelo montante da divida e não pelo saldo devedor. mer apresentaram boleto 11543,00 para quitação .

    responder este comentário denunciar abuso

  • 14/11/2008 - 18:56
    Enviado por: Marcia

    tenho conta no itau onde recebo meu salario nos dias 15 e 30 de cada mês, fiz alguns emprestimos que ultrapassaram 30% de comprometimento dos meus vencimentos e agora toda quinzena qdo me é depositado meus vencimentos o banco fica com mais de 90% do que é depositado, conclusão estou tendo que pedir ajuda financeira a familiares pois fico sem condições de pagar minhas despesas(luz, aluguel, telefone, condominio, comida e outros), tentei varias vezs fazer um acordo junto ao banco porém o banco não aceita minha ofertas e está me obrigando a aceitar o proposta deles ou seja devo R$12.000,00 e o itau quer que eu pague 36XR41.049,00= R$38.864,00 sendo que meus vencimentos quinzenas são de R$1.100,00, fico em cada quinzena com apenas R$10,00 como fazer neste caso? em qual lei civil devo me basear, sendo que o depto juridico do itau disse que pode descontar o valor que ele quiser dos meus vencimentos sem ter que seguir nenhuma lei. Grata Marcia

    responder este comentário denunciar abuso

  • 16/11/2008 - 22:45
    Enviado por: christiane ferreira solidade domingos

    Queria saber se tem um limite de desconto com antecipação do saldo devedor,o limite minimo e maximo,meu marido fez um emprestimo,já pagou 22 prestações,agora pediu antecipação do saldo faltam 14,e o banco concedeu só 10% em cima do débito.obrigado.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 25/11/2008 - 16:05
    Enviado por: Jean

    Como fica o funcionário que adquiriu o emprétimo mas que por uma eventualidade venha a sair de seu emprego? (isso no caso de funcionário público estadual-militar)
    Grato

    responder este comentário denunciar abuso

  • 27/11/2008 - 23:11
    Enviado por: juçara biacchi siqueira

    Sou pensionista do IPÊ ,recebo pelo BANRISUL o valor da minha pensão é R$ 1.358,27 contrai empréstimos e a compra de um computador o qual após vários refinanciamentos dos empréstimos o mesmo ficou embutido nestes refinanciamentos, ocasionando assim uma bola de neve. Fiz um seguro de vida e uma capitalização e se eu cancelar os mesmos perco tudo que já foi descontado.O Banco me ofereceu Banricompras e Crédiminuto como alternativa de não refinanciar os empréstimos o que ocasionou para mim mais um endividamento, hoje estou com meu saldo devedor e não sei como proceder. Gostaria de uma orientação. Desde já agradeço por sua resposta.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 14/12/2008 - 15:48
    Enviado por: ana rocha

    Gostaria se possivel que me dessem um luz a respeito da minha pergunta, eu perdi meu pai alguns meses atras e descobrimos que ele tinha alguns emprestimos consignados e descontados em folha. Ele era aposentado da aeronautica. Gostaria de saber se estes emprestimos caducam, ja que muitas financeiras e bancos tem seguros ou os herdeiros destes terao de pagar estes emprestimos. Agradeco desde ja e esperando uma resposta, Obriagada,
    Ana Rocha

    responder este comentário denunciar abuso

  • 12/01/2009 - 19:26
    Enviado por: Tereza

    por favor, sou servidora municipal e tenho comprometida minha renda superior ao permitido por lei consignado, ou seja enquanto foi negocio p/eles permitiram, agora fecham a porta p/que eu possa renegociar, pelo que eu saiba esta lei não está acima da Constituição, que da livre direito ao cidadão de negociar a sua dívida, é incoerente se eu pago 800, 00 não posso renegociar p/ pagar 500,00? pq estou acima do limite? tenho que amargar ficar com menos de 50% do salário por causa da lei? que lei é essa então? ninguem faz empréstimo pq gosta…e sim por necessidade pelo menos foi meu caso…e agora???? tenho que entrar com uma liminar????por favor responda p/meu e.mail agradeço por enquanto….

    responder este comentário denunciar abuso

  • 13/01/2009 - 21:50
    Enviado por: MARCOS ANTONIO

    Gostaria de saber, onde posso levantar os consignados de minha mãe, uma vez que fizemos
    a tempo e nos sites disponiveis, a gente só tem
    o valor de pagamento mensal, porem o prazo do mesmo não, estranho que para obter o financiamento ou emprestimos, podesse fazer até por site, mas para saber sua situação atual e
    valores prazos e saldos, não se encontra, na época que fizemos estavamos em situação de doença e um acidente e estavamos em uma correria, hoje temos duvidas onde foram feitos
    valores e prazos restantes.
    Existe algum local onde se consulta estes, para
    que estas informações estão a sete chaves.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 14/01/2009 - 19:18
    Enviado por: Alessandro Pimenta

    Por gentileza, preciso de um esclarecimento. Eu sou servidor do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, onde o Presidente baixou uma instrução normativa (01/2008), autorizando o servidor que comprovasse outra renda a comprometer 70% de seus vencimentos. Agora, a minha esposa e eu estamos com os salários praticamente comprometidos, sobrando apenas uma migalha, passando sufoco para nos alimentarmos. O que fazer. Eu peço administrativamente ao Presidente do TJ, em razão da mudança de nossa condição financeira a suspensão dos descontos em folha? Preciso de uma orientação, pois quero reduzir os descontos para 30%. Pois, se continuar como está, não vou conseguir nem comer. Muito obrigado. ALESSANDRO PIMENTA

    responder este comentário denunciar abuso

  • 22/01/2009 - 20:02
    Enviado por: viviane

    Olá, eu era bancária há 10 anos quando fiquei muito doente e acabei me afastando de licença e fazendo emprestimos consignados que geraram um desconto de mais de 30% do meu salário. No decorrer desta licença o banco me demitiu alegando justa causa por eu ter este débito em conta maior que 30% do salário, e como bancário não podia. Hoje me encontro desempregada com meu noime sujo pois não tenho dinheiro para pagar o banco onde eu era funcionaria e estou esperando o desfecho de uma ação que dei entrada na justiça do trabalho requerendo minha reintegração. Existe alguma lei que neste caso me ampare, obrigando o banco a limpar o meu nome até esta ação se resolver? Até porque preciso trabalhar e com o nome sujo isso é impossível. Atenciosamente.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 23/01/2009 - 12:06
    Enviado por: sidinei ferreira

    gostaria de saber se todos os funcionario publicos do estado e pensionista RGS SÃO OBRIGADOS A RECEBER EM CONTA CORRENTE ? E NAO POR CONTA SALARIO PORQUE ?

    responder este comentário denunciar abuso

  • 27/01/2009 - 00:11
    Enviado por: patricia

    eu era funcionaria comissionada do estado e fiz um emprestimo descontado em folha de pagamento, mas nao sou mais funcionaria do estado e nao tenho como pagar esta divida ,sou casada com regime parcial de bens , o que vai acontecer com esta divida?

    responder este comentário denunciar abuso

  • 03/02/2009 - 22:51
    Enviado por: rita de cassia

    gostaria de saber qual é o artigo e o paragrafo sobre a lei do inss que fala sobre o praso de entrega do boleto de quitação antecipada dos emprestimos consignados do inss

    responder este comentário denunciar abuso

  • 10/02/2009 - 20:55
    Enviado por: marcelo

    Por Favor. Gostaria de saber se o banco pode deixar minha conta onde e apenas para receber meu pagamento. Negativa, pelo emprestimo que não paguei. sendo assim ainda descontando mais de 30% do meu salario.Fui ao banco e eles me informaram que não posso tirar o debito automatico do banco. E como estou de licença medica, meu salario do mes fica td com o banco. O q eu faço. Obrigado

    responder este comentário denunciar abuso

  • 12/02/2009 - 03:12
    Enviado por: Regina Helena dos Santos Rocha

    Gostaria de saber a Lei que determina que um funcionário público só pode comprometer 30% de salário para pagamento de empréstimo consignado, descontado de sua folha de pagamento. É possível, via judicial, obter liminarmente enquadramento nesse percentual, já que atualmente o comprometimento é de quase 70%? A Ação principal poderá ser uma Revisão de Contrato? Aguardo orientação. Obrigada!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 19/02/2009 - 17:16
    Enviado por: Cleusa Maria

    Boa Tarde,
    Gostaria de saber se posso ir quitando, as últimas parcelas do meu financiamento consignado.
    Sou pensionista do Exército

    responder este comentário denunciar abuso

  • 26/02/2009 - 22:02
    Enviado por: magda

    Gostaria de saber qual a possibilidade de meu pai que foi casado com minha mãe a 30 anos, tem o direito de recber a pensão, sendo que ela faleceu em 2005 e era funcionária do estado, (IPE).

    responder este comentário denunciar abuso

  • 01/03/2009 - 14:03
    Enviado por: marcio de souza e s. castro

    Gsoria de saber o que acontece com os empréstimos descontados em bilhete de pagamente de um militar que ao ser transferido para reserva por reforma tem o seus vencimentos reduzidos.
    Os empréstimos tem que se adequar a nova situação financeira do militar?

    responder este comentário denunciar abuso

  • 02/03/2009 - 10:20
    Enviado por: Ana Cristina N. Costa

    Sou pensionista militar e recebo salário de 2.300,00.Tenho desconto em folha de consignados referente a sete empréstimos no valor total em prestações de 1.534,00, alcançando até 66% de endividamento. O que pode ser feito para diminuir esses descontos até a margem permitida por lei de 20%? Os empréstimos foram feitos em tres Bancos diferentes. Qual o procedimento? Aguardo resposta e agradeço antecipadamente.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 02/03/2009 - 10:25
    Enviado por: ANA CRISTINA COSTA

    Sou pensionista da aeronautica e recebo um salário de 2.300,00.Tenho sete empréstimos em tres diferentes bancos com comprometimento da minha renda em 66%. Gostaria de saber o que posso fazer para diminuir esses descontos já que a lei só permite o desconto em folha até 20% do salário Aguardo resposta e desde já agradeço.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 02/03/2009 - 10:42
    Enviado por: ANA CRISTINA COSTA

    Sou pensionista da aeronautica e recebo um salário de 2.300,00.Tenho sete empréstimos em tres diferentes bancos com comprometimento da minha renda em 66%. Gostaria de saber o que posso fazer para diminuir esses descontos já que a lei só permite o desconto em folha até 20% do salário Aguardo resposta e desde já agradeço.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 02/03/2009 - 10:44
    Enviado por: Ana Cristina Costa

    Sou pensionista da aeronautica e recebo um salário de 2.300,00.Tenho sete empréstimos em tres diferentes bancos com comprometimento da minha renda em 66%. Gostaria de saber o que posso fazer para diminuir esses descontos já que a lei só permite o desconto em folha até 20% do salário Aguardo resposta e desde já agradeço.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 04/03/2009 - 16:11
    Enviado por: Thereza

    Minha empresa tem contrato com a CEF para empréstimo consignado com funcionários, sejam efetivos ou comissionados. Entretanto, alguns funcionários comissionados foram demitidos e não pagaram suas dívidas com a instituição. A CEF alega que a taxa de inandimplência da empresa impede que sejam feitas novas negociações, incluindo a renegociação da nossa dívida visando baixar o valor das prestações. Dessa forma, nós, os efetivos, estamos sendo penalizados por erros de terceiros, já que a CEF deveria ter se precavido dessa possibilidade. Gostaria de saber quais os nossos direitos e se a alegação da CEF é legal.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 10/03/2009 - 18:56
    Enviado por: Danielle Bandeira

    Boa noite !
    Sou funcionária pública municipal e tenho dois empréstimos em folha e vários empréstimos com o banco Itau ,a somatória disso é de 70% do meu salário e andei pesquisando que o salário é um bem impenhorável ,mas de uns tempos para cá venho pedindo a liberação do meu salário já que necessito dele para sobreviver e o banco alegou que só pode me liberar 70% sendo que 30% tem que ficar no banco .Que providências posso tomar de forma a impedir essa situação já que tentei por várias vezes negociar a minha dívida? Por favor me responda via e-mail.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/03/2009 - 06:56
    Enviado por: paulo cesar de oliveira

    Olá, a minha duvida é: fiz impretimo consignável com desconto em torno de 29% do meu salario da época. tres meses depois , a empresa alegando avaliaçoes reduziu meu salário em 200,00 reais, esse valor retirado referia-se a uma lei municipal, que segundo eles, podem ser mudados a maneira deles. até ai tudo bem,mas eu teria direito de pedir ao banco uma adequaçao do valor das prestaçoes, em referencia ao valor que recebo a menos no salario. sou func publico municipal.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 12/03/2009 - 10:34
    Enviado por: Roberto Moya

    Sou aposentado e o INSS vai a partir de agora permitir o comprometimento de até 30% do salario, como possuo um limite de 3.000,00 no cartão crédito aposentado, gostaria de saber se posso ficar com 500,00 de limite e usar o restante de 2.500,00 p/ fazer emprestimo consignado,
    Aguardo com urgencia seus esclarecimentos, obrigado

    responder este comentário denunciar abuso

  • 12/03/2009 - 10:38
    Enviado por: Aline Arse

    Olá desejo fazer um emprestimo com aquele famoso seguro que elimina fiador. Quais os cuidados que devo tomar para não ser roubada?

    responder este comentário denunciar abuso

  • 16/03/2009 - 15:05
    Enviado por: doris rodrigues henriques

    oi. preciso de modelo de petição para baixar os valores dos emprestimos do cliente que equivalem a 70% do salário. Ele fez empretimos consignado em vários bancos. quem tiver um modelo de petição, e puder me ajudar. obrigada.

    responder este comentário denunciar abuso

    • 19/04/2010 - 12:11
      Enviado por: claudio

      Doris se vc conseguiu a petição peço que por favor envie-me, mas meu cliente é militar e a Lei de Remuneração diz que eles podem empenhar até 70%

      grato

      responder este comentário denunciar abuso
  • 03/04/2009 - 16:29
    Enviado por: Margarida

    Boa tarde! sou funcionária da rede municipal concursada, a prefeitura fez um convênio consignado em folha. Tenho restrições no meu nome. Isto impede que tome este emprestimo? O meu salário não está comprometido com nada, recebo integral. O banco disse que não tenho margem. Por favor me oriente.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 20/04/2009 - 18:05
    Enviado por: Vagner

    sou militar e tenho um emprestimo consignado, mas to saindo, o que vai acontecer com esse emprestimo?

    responder este comentário denunciar abuso

  • 24/04/2009 - 19:34
    Enviado por: João Alfredo de Moris Fonseca

    Prezados Senhores:

    Uma ex-servidora fez um emprestimo consignado, conforme informação da Municipalidade, foi demitida e ainda faltam 10 parcelas para terminar o financiamento. Não tendo condições de saldar a dívida, como fica tal situação? A Prefeitura é devedora Solidária?
    Cabe informar que a demissão foi sem justa causa.
    Aguardo resposta.
    Grato.
    João Alfredo.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 12/05/2009 - 12:17
    Enviado por: RICARDO TAVELA

    Boa tarde preciso da seguinte orientação:
    Minha filha estudou em uma escola militar durante 03 anos, ocorre que neste periodo ela contraiu um emprestimo consignado em 48 parcelas,entrei em contato com a financeira , no intuito de saldar o saldo devedor de uma só vez o que me pareceu abusivo uma vez que os juros não foram retirados.O que devo fazer para que minha filha não vá para o SPC?

    responder este comentário denunciar abuso

  • 12/05/2009 - 23:33
    Enviado por: edson

    fiz um emprestimo consignado em um banco quando detinha meu vencimento basico acrescido de uma funçao que na epoca era de 60% do total de minha renda mensal, perdi esta funçao e hoje o que recebo mal da para pagar a parcela da consignaçao, esclareço que pago as parcelas via boleto, pois nao foram mais descontadas no salario apos a perca da funçao comissionada, indago se caso eu nao venha a conseguir continuar pagando as parcelas via boleto o banco poderá me inscrever em orgaos restritivos, mesmo tendo concedido o credito utilizando o total de meu salario na epoca para calcular a margem de 30%
    Edson

    responder este comentário denunciar abuso

  • 14/05/2009 - 07:17
    Enviado por: fernando Antonio Caldas

    Há quatro anos atrás eu era servidor público municipal (cargo comissionado). Fiz um empréstimo consignado em 18 meses. Acontece que a prefeitura que eu trabalhava somente descontou quatro meses deixando de descontar no meu contracheque. A Caixa Econômica me negativou no SERASA. Quem deve pagar a dívida, eu ou a prefeitura já que o salário é impenhorável e aquela instituição no meu entender é o devedor principal? O que devo fazer para retirar o meu nome dquele órgão de proteção ao crédito ou contra a Caixa Econômica?

    responder este comentário denunciar abuso

  • 19/05/2009 - 13:31
    Enviado por: SERGIO EDUARDO MARQUES

    BOA TARDE SOU FUNCIONARIO PUBLICO ESTADUAL DO RIO DE JANEIRO. MEU SALARIO BRUTO E DE R$ 2.400. PAGO TRÊS PENSÃO ALIMENTICIA NO VALOR TOTAL DE R$ 980.00, SENDO QUE ANTES JÁ HAVIA ALGUNS IMPRESTIMO QUE FIZ, DESCONTANDO EM FOLHA, NÃO TENHO CERTEZA DE QUAL O VALOR PERCENTUAL QUE POR LEI PODERIA SER DESCONTADO EM FOLHA. COM OS IMPRESTIMOS QUE JÁ HAVIAM SIDO FEITO MAIS AS PENSÕES QUE ENTRARAM. DE R$ 2.400 ,RESTA PARA MIN TODO MES APENAS R$ 178.00 ISTO ESTA CERTO OU POSSO RECORRER. POIS FIQUEI SABENDO QUE QUEM PPAGA PENSSÃO PODE SER DESCONTADO ATÉ 70 POR CENTO DO SALÁRIO. ESTIVE NA SARE E ME INFORMARAM QUE ESTA CERTO. GOSTARIA DE SABER QUANTO EU DEVERIA ESTAR RECEBENDO E SE OS IMPRESTIMOS TEM QUE SAIR ENTRAR DE POR VEZ DENTRO DA MAGEM. OBRIGADO

    responder este comentário denunciar abuso

  • 20/05/2009 - 21:01
    Enviado por: carla patricia

    sou funcionaria publicae fiz um emprestimo consignado descontado em folha a exato quinze dias,acontece que esse emprestimo já foi averbado,registrado em cartorio e eu ja reconheci firma.Mais o banco e a financeira não dão a menor satisfação sobre quando vou receber esse emprestimo.O QUE DEVO FAZER?

    responder este comentário denunciar abuso

  • 25/05/2009 - 08:04
    Enviado por: Eva Vieira

    há mais de 10 meses terminei de pagar um emprestimo ao banco abesp e eles ainda continuam descontando uma txa no valor de 45 reais, moro no interior e não tenh com ir até aargencia em Salvador. O que devo fazer.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 26/05/2009 - 01:38
    Enviado por: Viviane Santos

    Trabalho em uma prefeitura, sou efetiva. Ano passado por ter passado por dificuldades fiz dois emprestimos. Até aí minha renda não estava sentida porque tinha uma ajuda de custo. Agora que estou sem essa ajuda estou passando dificuldades. O meu salário de 620 reais passou para 280, e com esse dinheiro tenho que me sustentar agora sozinha com minhas duas filhas, 06 e 11 anos. Gostaria de saber como fazer para diminuir o valor do emprestimo? Ou se posso solicitar ao RH que não desconte mais. Ou devo procurar o PROCON e ver se podem diminuir os valores das parcelas, por exemplo, pagar 50 de cada emprestimo, ou até mesmo solicitar 6 meses até que melhore minhas condições já que estou com uma pensão alimentícia a ver das crianças?
    Qual a orientação que vcs poderiam me dar.
    EstrelaCandente@gmail.com

    responder este comentário denunciar abuso

  • 26/05/2009 - 17:18
    Enviado por: AREOVALDO GOUVEA DA CRUZ

    AO SOLICITAR JUNTO AO BANCO MEU SALDEVEDOR, ME INFORMARAM QUE O MESMO SÓ ME DARIAM APÓS UMA SOLICITAÇÃO POR ESCRITO, NO AGUARDO DE 24H.
    ESTÁ CORRETO?

    responder este comentário denunciar abuso

  • 05/06/2009 - 17:21
    Enviado por: VanderleiTadeu Camuzato

    Sou funcionário publico aposentado ganho 2.450,00 e tenho 1.250,00 de desconto em minha folha de pagamento devido emprestimo consignado, gostaria de saber se é possivel e qual a lei que me da amparo legal para que minha folha sofra apenas 30% de desconto. Se possivel gostaria de ser orietado neste sentido.

    Obrigado.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 08/06/2009 - 18:25
    Enviado por: Talita

    Como fica a situação de um aposentado que contratou emprestimo consignado e nunca teve as parcelas descontadas de seu benefício, cabe salientar que no momento da contratação o aposentado já tinha um empréstimo contratado e somando os dois descontos mensais ultrapassaria 20%. Após um ano de vencidas as parcelas o Banco colocou o nome do aposentado no rol dos inadimplentes, SERASA. Teria ele a alguma espécie de indenização? Deveria ele fazer alguma espécie de pagamento antes de ajuizar qualquer ação?
    obs: Não há qualquer registro do empréstimo do Banco que colocou o seu nome no SERASA junto ao INSS.

    Muito Obrigada,
    Talita

    responder este comentário denunciar abuso

  • 10/06/2009 - 00:31
    Enviado por: antonio carlos de souza

    Boa noite Sr. gostaria q vc me orientace sobre minha questao e de milhares de colegas da PMSC, recebo hoje 2.400,00 de salariio e tenho desconto consignavem com tres bancos no valor de 914,00 mensais e sou cardiopata e uso varios medicamentos, pergunto se esse valor nao ultrapassa os 30% do meu salario q poderia ser descontado. Como devo proceder. desde ja agradeço sua colaboração.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 10/06/2009 - 10:46
    Enviado por: Ezio de Azevedo

    Sou funcionario público Estadual 0professor aposentado e quero negociar com os bancos para diminuir o valor das parcelas de empréstimos consignaveis feitos em varios bancos.Pago tb um pensao a ex mulher.O meu total de ganhos é de 1.756,00 reais e o total de descontos é de 1214,00 reais,Restando os míseros 544,00 reais, Sei que isso é superior em muito aos 30% permitido por lei.Tenho amparo legal para renegociação.quais as chances de conseguir entrando na justiça.
    Ezio de Azevedo

    responder este comentário denunciar abuso

  • 19/06/2009 - 21:01
    Enviado por: auriservulo

    gostaria de saber qual é o número da lei que diz que os bancos so podem descontar apenas 30% do salário dos funcionários públicos.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 23/06/2009 - 22:28
    Enviado por: Lidianny

    Contratei um empréstimo com a CEF e meu nome foi negativado pq a CEF alega que o convênio não repassou o dinheiro para ela, ocorre que conforme o contrato, o primeiro débito deveria vir descontado na folha de dezembro/2006 só que só foi descontado na folha de fevereiro/2007 e partir daí começou a ser cobrado normalmente, mas meu nome continua com restrição. Posso entrar com uma ação contra a caixa?

    responder este comentário denunciar abuso

  • 26/06/2009 - 01:21
    Enviado por: Eduardo Gama

    Olá!
    Tenho dívidas no banco que juntas perfazem uma total de doze mil reais. Tenho um contrato pelo estado que é de 1 053 reais.
    tive que negociar a dívida e me cobraram 48 vzs de 780 reais.
    Começei a trabalhar na prefeitura de macaé. com salário de 1.131.
    Mesmo juntando os dois fica pesadíssimo pra mim.
    Existe alguma forma judicial para eu poder pagar de forma mais fácil?
    o banco é o Itaú e é onde os meus salários são OBRIGATORIAMENTE depositados, ou seja , dinheiro entra e é cobrada a dívida .

    responder este comentário denunciar abuso

  • 01/07/2009 - 10:00
    Enviado por: Leonardo

    Era funcionario do estado e tinha um emprestimo consignado, só que sai do estado e estou desempregado como fica minha dívida? Como pagar se no momento nao tenho como? Neste mês o banco onde tenho conta debitou sem minha autorização uma parcela da dívida. O que tenho que fazer?

    responder este comentário denunciar abuso

  • 01/07/2009 - 21:03
    Enviado por: tereza

    sou servidora publica municipal, contrai empréstimo junto ao banco onde recebo meu salário, no momento estou passando por momentos muito difíceis e gande parte do meu salário fica retido no banco gerando com isso outras dívidas por fora para poder sobreviver. Procurei a secretaria de adminitraçaõ para mudar de banco para que possa negociar o meu débito consignado, mas a secretaria me informou que não poderia transferir o pagamento do meu salário para outro banco.

    O que devo fazer? preciso de uma orientação pois não estou conseguindo pagar nem o essencial da minha família.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 02/07/2009 - 10:42
    Enviado por: Sonia Preter

    Sou funcionária pública do município de Saão Vicente, tenho dois emprestimos consignados em dois bancos diferentes, meu salário bruto é de R$2.090,00 e estou recebendo líquido R$306,00, me informaram que isso não é legal. Gostaria que vocês me orientassem como devo agir. Ir ao fórum de causas especiais? visto que não tenho dinheiro para constituir advogado. Como é o nome da causa? É rápido? Obrigada

    responder este comentário denunciar abuso

  • 06/07/2009 - 22:38
    Enviado por: nando correa

    por favor repondam o meu e-mail, eu contrai varios emprestimos e refinanciamentos ,hoje estou passando nescessidades pois estou doente e meu filho tambem nasceu com toxoplasmose tenho que comprar remedios para nos dois e ainda pagar aluguel ,alimentarmos e não esta dando ,estamos nas ruinas pois 80% do meu ganho esta sendo decontado da folha de pagamento ,sem contar taxas de juros e limites ,isso pode ? o que fazer?n~]ao posso trabalhar pois sou funcionario publico e sou proibido de executar outras atividades

    responder este comentário denunciar abuso

  • 19/07/2009 - 09:24
    Enviado por: Ezio de Azevedo

    Caro Dr Marcelo Moreira,Meu caso é semelhante ao exemplo que foi dado por V.SA , no inicio deste artigo.Sou funcionário público Estadual do rio de Janeiro e meu contracheque está comprometido em mais de 50% do total de ganhos ou seja:Entre pensão alimenttícia e descontos no BMG, BV,Banco Cruzeiro do sul,Banco mercantil.Como vê estou inadimplente e desejo negociar com os bancos aumentando ass parcelas e diminuindo o valor das parcelas.Será que consigoOu devo entrar na justiça?Posso contratar seus serviços?Pode me mandar um modelo de petiçao para dar entrada na justiça?

    responder este comentário denunciar abuso

  • 20/07/2009 - 19:26
    Enviado por: renato raúl

    sai do meu emprego na prefeitura de salvador deixando um empréstimo consignado com o banco cruzeiro do sul. sou obrigado a pagar essa dívida?

    responder este comentário denunciar abuso

  • 29/07/2009 - 15:32
    Enviado por: Amauri

    Meu cliente fez um empréstimo consignado no itau e depois de algum tempo perdeu o emprego, funcionário de empresa privada, agora, depois de acumular algumas parcelas atrasadas, ele quer fazer um acordo de pagto parcelado, mas não consegue. O Itau diz que precisa esperar vencer todo o contrato. Ou seja, não é possível, segundo o Itau, negociar as parcelas atrasadas e continuar pagando àquelas mensalidades em outra modalidade, que não a de desconto em folha.
    Como tratar com o Itau essa questão?

    Obrigado
    Amauri

    RESPOSTA DO BLOG: Não há ilegalidade na conduta do banco. Nossa sugestão é tentar uma negociação via Procon, já que diretamente o banco não quis conversa por enquanto. Se o impasse permanecer, avalie a conveniência de processar o banco, embora achemos que essa medida será inócua.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 31/07/2009 - 19:09
    Enviado por: isabel camara

    fiz um emprestimo no banco bmc de 38.000.00 as parcelas estão muito altas eu fico sempre apertada pois pago agua luz telefone com o que sobra e ainda fico devendo, pois eu ganho da minha pensão sou pensionista do exercito o valor receita de 3.308.25 as parcelas do emprestimo é np valor de 1.591.25. gostaria de saber se eu posso entrar na justiça para diminuir estas parcelas, pois ja entrei em contato com o bmc. e eles se recuzam a diminuir as parcelas gostaria de saber qual a lei que pode obrigar esse banco a diminuir as parcelas que no meu caso o desconto é mais de 30%. aguardo a resposta agradecida pela atenção isabel camara

    RESPOSTA DO BLOG: O banco não é obrigado a aceitar a sua proposta de renegociação. E em nossa avaliação não cabe ação judicial para tentar reduzir o valor da parcela.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 02/08/2009 - 14:54
    Enviado por: ivan carlos fernandes

    Olá sou trabalhador do setor privado recebo todo dia 15 e 30 posteriormente, e tenho 2 empréstimos consignados em folha de pagamento que soma 335,00 reais por mês a a minha renda no momento do empréstimo era de 1456,00 , só que a empresa só libera 4 x o que você ganha no caso quase 6000,00 que daria no máximo 225,00 por mês só queo meu dá no caso um é de 36×131,00 e outro é de 36x de 205,00 dando um total de 7850,00 ou seja ultrapassou o limite do que poderia ter pego de empréstimo e o pior que o banco desconta e não tánem ai e também tenho uma renegociação da conta corrente e como estou com o nome restriro não posso abrir conta em outro banco para recebermeu salario em outro banco ou sejasou obrigado a pagar uma divida que no ual é verdadeira ,mas o banco está me obrigando a pagar. me de uma resposta.

    RESPOSTA DO BLOG: Que tipo de resposta que você quer? Você se endividou e tem que pagar, não há o que fazer. Qualquer renegociação não será diferente do que você paga hoje. Não há nenhuma irregularidade nos descontos, em nossa opinião.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 04/08/2009 - 11:52
    Enviado por: Raquel Severo de Almeida

    Olá sou funcionaria do estado e para construir minha casa resolvi solicitar dois emprestimos consignados pré-aprovados em minha conta, logo depois o banco ainda me enviou dois cartoes de credito no valor de R$ 2.500, cada ( visa e master car), e ainda mantinha disponivel o lis de R$ 2.900, fiz uso de tudo disponivel, pensando uma maneira razoável de pagar com a ajuda do meu marido; porem agora o banco se utiliza de todo meu salario e os depositos feitos em minha conta antes mesmo de eu poder verificá-los…
    Como posso impedir que o banco faça isso?

    RESPOSTA DO BLOG: Sem saber como são os contratos de empréstimo não podemos analisar. Procure um advogado.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 09/08/2009 - 14:09
    Enviado por: Luciana Oliveira do Nascimento

    Meu esposo é servidor público municipal, há um ano fez um emprestimo consignado, com a mudança de prefeito, por questões políticas simplismente deixaram de pagar o salário dele e agora o emprestimo está atrasado o que ele deve fazer? Gostaria de saber se o banco pode entrar com uma ação na justiça pegando um bem imóvel como pagamento.

    RESPOSTA DO BLOG: O banco pdoe fazer isso, mas seu marido precisa de um advogado para entrar na Justiça e comprovar que ainda é funcionário da prefeitura e voltar a receber o salário.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 13/08/2009 - 18:28
    Enviado por: eliane

    estava em dívida com um banco, mas ja quitei a 30 dias atras mas ainda consta esta restrição o que devo fazer ?

    RESPOSTA DO BLOG: Fazer uma denúncia no Procon e entrar na Justiça por danos morais.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 15/08/2009 - 23:39
    Enviado por: raphaela

    Boa noite, meu marido pegou vários emprestimos q acabaram ultrapassando 40% do seu salário e estamos passando por uma situação difícil,qual a primeira atitude que ele deve tomar????

    RESPOSTA DO BLOG: Renegociar as dívidas, isso se os bancos quiserem negociar. Senão não há o que fazer. Esse é o risco de pegar vários empréstimos.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 20/08/2009 - 23:34
    Enviado por: Elaine Seabra

    Olá! Vendi minha dívida por empréstimo consignado que eu tinha no banco ABC Brasil para a BV financeira. Quando eu recebi a carta com o valor a ser quitado constava o total de 47 parcelas, ou seja, eu teria sido descontada em 13 parcelas. Na verdade eu já estava na parcela número 15. O banco ABC Brasil me restituiu a parcela número 14 mas disse que eu não tinha direito à parcela número 15. E mais, a BV financeira não fez o desconto ainda do empréstimo que agora passou a ser dela, e o banco ABC Brasil disse que eu não tenho direito a restituição nenhuma. Sendo que beles me disseram isso depois de uns 20 telefonemas. Só me disseram isso no vigésimo telefonema. Até aí, fiquei me humilhando, como se estivesse pedindo um favor num procedimento que julgo como direito meu. Gostaria de saber o que poderia ter levado o banco ABC brasil a ter tido essa atitude ( na minha opinião malévola) e se posso entrar na justiça exigindo inclusive danos morais. Obrigada.

    RESPOSTA DO BLOG: Sem ter acesso ao contrato não temos como responder. O ideal é levar o contrato ao Procon e pedir um parecer a eles. Aparentemente é possível uma ação por danos morais.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 22/08/2009 - 07:02
    Enviado por: henrique fabiano de souza

    sou trabalhador privado e gostaria de saber se ao sair do emprego, a empresa pode quitar meu emprestimo consignado total de uma unica ves isso è lei ou nao ja que as parcelas saso descontadas em minha folha de pagamento. obrigado.

    RESPOSTA DO BLOG: A emrpesa não quita nada, o empréstimo continua sob sua responsabilidade. O que vaio ocorrer é que a empresa onde você trabalhava vai comunicar ao banco que você foi desligado. O banco vai te chamar e informar a nova forma de pagamento, provavelmente boleto bancário ou carnê.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 31/08/2009 - 19:56
    Enviado por: Leidson Alves Dos Santos

    Olha meu salario e de 783,e o banco me forneceu um emprestimo de parcelas de 516 reais,ou seja mais de 50% da minha renda.

    O que devo fazer neste caso,pois nao consigo pagar minhas dividas.

    RESPOSTA DO BLOG: A oferta do banco tem de ser recusada. Procure crédito em outro lugar, de forma que você possa pagar. Lembre-se que o banco não é obrigado a emprestar dinheiro.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 09/09/2009 - 15:30
    Enviado por: Delfo Jorge da Silva ferreira

    Minha irmã é ex.pensionista do IPe RS completou maioridade e perdeu a pensão que tinha direito pelo nosso pai que era da brigada militar, passaram-se mais de cinco anos, teria ela ainda direito de recorrer ou prescreveu o prazo? favor informar para meu e-mail.
    Grato,
    Jorge.


    RESPOSTA DO BLOG:
    Não há mais como recorrer, mesmo porque ela perdeu o direito.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 18/09/2009 - 22:31
    Enviado por: Leidson Alves

    Olha meu salario e de 783, e o unibanco me liberou um emprestimo consignado de 36 parcelas de 516 reais.Mas de 50% da minha renda,agora nao estou dormindo direito,pois estou passando dificuldades.
    O que fazer neste caso,posso entrar com uma açao contra o banco, pois tenho mais de 50 % da minha renda comprometida.Falta 15 parcelas.
    Grato!!

    RESPOSTA DO BLOG: Sempre é possível entrar com ação contra qualquer coisa, ganhar é outra situação. Você errou ao aceitar as condições impostas. Tente renegociar ou contrate um advogado e questione a cobrança na Justiça.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 19/09/2009 - 06:27
    Enviado por: Helena Ferreira Sampaio

    Recebia uma gratificação quando fiz omeu consignado agora não recebo mais gratificação e a minha margem foi calculado salario base mais a gratificação. Agora a minha parcela ultrassa os 30% como devo proceder com o Banco.

    RESPOSTA DO BLOG: Tente renegociar, ou em último caso vá à Justiça, mas em princípio o banco está correto, pois provavelmente fez o cálculo sobre o rendimento total, não importando a ele o que era salário e o que era gratificação. Em nosso entendimento, você cometeu um erro.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 21/09/2009 - 13:39
    Enviado por: skallatty

    minha vó e apozentada e quer fazer um empréstimo mais tem medo de morrer e o banco tomar a casa isso pode acontecer ?

    RESPOSTA DO BLOG: Não é possível isso acontecer.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 29/09/2009 - 15:06
    Enviado por: julio loiola

    A Marinha em seu site libera 70% do salário dos militares para consignação, se a lei diz que só pode ser 30% como proceder? obrigado!

    RESPOSTA DO BLOG: Com certeza a informação do site da Marinha está errada, a não ser que eles tenham outro esquema de empréstimo desconhecido do resto da população. Procure saber mais detalhes na unidade onde serviu e deu baixa ou na representação da Força mais próxima de sua casa.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 01/10/2009 - 17:49
    Enviado por: julio loiola

    sou da ativa e no momento tenho desconto de 60% e a consulta da margem e liberação do emprestimo é on-line. apesar de tudo quero saber se posso entrar com pedido de liminar para reduzir o desconto, pois estou com serios problemas financeiros?

    RESPOSTA DO BLOG: Não sabemos do que se trata, já não lemos o seu contrato e você não deu detalhes de seu problema. Consulte um advogado ou um técnico do Procon. Se realmente houver abuso, é caso de contestar o desconto na JUstiça.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 05/10/2009 - 20:36
    Enviado por: Priscila Marques

    Bem, sou funcionaria da prefeitura do rj. Depois de ganhar uma ação contra o cartao de credito do bco santander, meu cheque especial foi cortado(sem nenhum aviso), como estava usando o limite do cheque especial, no mes que cortaram, o bco segurou 40% do meu pagamento alegando que eu “tenho dividas com eles” (cheque especial e emprestimo). Questionando o gerente geral do Santander, este me respondeu que o Prefeito deu uma liminar que concede retirar 40% do pagamento dos funcionarios da prefeitura.Estou vivendo agora com somente 60% do meu pagto, pois o bco nao quer efetivar o acordo que foi proposto por eles mesmos, alegando que “ganhei uma ação contra eles”. Acho que é uma forma de retaliação pela açcao que entrei Poderia por favor me esclarecer sobre essas questoes? Obrigada

    responder este comentário denunciar abuso

  • 13/10/2009 - 22:02
    Enviado por: Junior Barbosa

    Boa noite,

    Sou funcionário publico, tenho uma renda de dois mil reais por mês que recebo da prefeitura. Fiz sete empréstimos com o banco Itaú e mais cartão de crédito desde 2007, todo o dinheiro que peguei com o banco foram 16 mil durantes esses anos. Todo mês eles descontavam do meu salário, e isso fazia ficar sem dinheiro nenhum no final do mês.

    Entrei em contato com o banco Itaú pessoalmente para renegociar a divida e parcelaram os sete empréstimos (que foi uma burrice minha). Os valores que realmente peguei em cada um foram: limite do cartão 2500 e usei só 1750 do limite do cartão de crédito que não conseguir pagar na época (que depois de 2 anos está assim agora :10000 reais) e as outros empréstimos tudo no valor de 2000, 3000, 5000 2000, 1000 e 1500 QUE CONTINUE PAGANDO ATÉ AGORA, MESMO ELES TIRANDO TUDO DO MEU SALARIO.

    E isso não resolveu nada, pois já paguei até agora 19 mil reais e ainda me informaram que tenho 26 mil para quitar toda minha divida, isso não é justo, pois é um sistema que eles me ajudaram a entrar e que não consigo sair, pois trabalho só para eles como escravos e ninguém me ajudar, não agüento isso, minha vida está um inferno e nem consigo dormir.

    Já fui até o banco pedindo um acordo justo, ofereci um valor de dois mil reais para quitar toda minha dívida e vou fazer um pedido para receber meu salário em outro banco e não pagar mais nada se não aceitarem meu acordo, que, aliás, seria justo, pois somado com os 19 mil já pagos dá 21 mil, sendo que todo o dinheiro que peguei realmente com o pago foram 16 mil.

    Espero que alguém possa me ajudar e me aconselhar em alguma ação mais enérgica e tem como processar o banco, pois estou até doente por toda essa merda que me ajudaram a entrar, me dando dinheiro fácil e facilitando nisso, pois usam da nossa fraqueza para alavancarem como loucos sem nenhuma ética e moral.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 14/10/2009 - 15:55
    Enviado por: Ana Claudia

    Gostaria de saber qual o prazo medio que os bancos tem para dar baixa em uma divida consignada ao inss e liberar a margem no datraprev? Por que meu pai fez um emprestimo no Banco Finasa BMC e quitamos ele no dia 01/10/09 e o mesmo disse que deu baixa no dia 11/10/09 mas leva 30 dias para liberar a margem. Só que ate la vai ser descontado do meu pai novamente o que posso fazer nesse caso acionar o procon? Gostaria que me desse uma posicão.

    Grata

    RESPOSTA DO BLOG: Lamento, não temos essa informação.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 21/10/2009 - 23:59
    Enviado por: maria de lourdesrio de janeiro

    sou aposentada do Estado e pedi emprestimo no Itau.Tinha um cheque especial e utilizei-o integralmente, o que me gerou novo emprestimo no pp banco,só que esses valores hoje ultrapassam o valor da minha aposentadoria.Isto está me tirando o sono e me deixando com pressão alta o que fazer? pose pedir ao Juiz uma liminar para que o banco desconte apenas 30% da minha aposentadoria dos dois emprestimo? O que fazer

    RESPOSTA DO BLOG: O que fazer? Pagar a dívida, já que o banco nada está fazendo de irregular. E não há motivo para haver restrição do valor descontado da aposentadoria, já que não se trata de consignado, pelo que você informou.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 22/10/2009 - 18:35
    Enviado por: kelen

    sou funcionaria clt do gdf tenho uma renda de 850 reais no qual eu pago d e emprestimo cerca de 600 reais no banco ou seja mais de 30% permitido depois de varias tentativas com o banco para q ele diminuisse o valor ate chegar em 30% independente de quanto tempo ficaria nao foram realizadas com sucesso ai arrumei um decore comprovando que eu tinha uma renda de 1;100 mas na verdade nao tinha esta outra renda fiz isso para conseguir um outro emprestimo pois ja nao tinha ms pagamento mesmo e nao vi outra saida conclusao fiz mas um emprestimo ………Posso entrar na justica para abaixar as parcelas ate chegarem a 30 %¨?????? por favor me responda estou sem saida !!!!!!!!!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 28/10/2009 - 15:02
    Enviado por: michel costa

    boa tarde a todos concordo com tudo o que vcs estao falando so descordo de uma coisa por que quando o funcionario pega o dinheiro e resolve todos os seus problemas ele nao que saber se ultrapassou ou nao 30% depois que viu que fez merda que que volta atras ai fica complicado ne gente por que o bancaqueiro pode ser safado mas ninguem obriga ninguem a fazer o credito entedeu entao ta tudo errado o que vc estao falando .

    responder este comentário denunciar abuso

  • 03/11/2009 - 19:15
    Enviado por: Mário

    Quando ultrapassa o limite de 30% os bancos têm culpa sobre isso? Há como recorrer judicialmente para abaixar ou qualquer outra forma? Obrigado

    RESPOSTA DO BLOG: Pode questionar qualquer coisa na Justiça, caso algupem se sinta prejudicado. E não há como um empréstimo ultrapassar 30%, pois existe um contrato que impede isso. Se o valor ultrapassa o percentual, é porque alguém faz mais de um empréstimo consignado. Cada um pode descontar até 30% da renda. Somados, os empréstimos sempre superam o suposto teto. E aí não há o que fazer, ninguém mandou o tomador fazer mais de um empréstimo.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 04/11/2009 - 09:45
    Enviado por: Ana Aparecida Nobrega Gaspar

    Estou com 46% de meu contracheque comprometido, que devo fazer?
    Vencimentos bruto…2.789,71
    descontos……………1.499,17
    liquido………………..1.290,54

    responder este comentário denunciar abuso

  • 04/11/2009 - 15:17
    Enviado por: walleska

    Gostaria de saber a Lei que determina que pecionista pode comprometer 30% de salário para pagamento de empréstimo consignado, descontado de sua folha de pagamento. É possível, via judicial, obter liminarmente enquadramento nesse percentual, já que atualmente o comprometimento é de quase 70%? A Ação principal poderá ser uma Revisão de Contrato? Preciso de um modelo!!!

    Aguardo orientação…

    Obrigada!!!

    RESPOSTA DO BLOG: Não temos essa informação, procure no site do Banco Central. Também não temos como fornecer o modelo.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 09/11/2009 - 18:23
    Enviado por: RITA DE CASSIA PRADO GONXALES

    RECEBO A PENSAO POR MORTE PARA O MEU FILHO IDADE DELE 11 ANOS, RECEBO PELO BANCO ITAU NA MINHA CONTA ,TIVE VARIOS CHEQUES DEVOLVIDOS E GASTEI O MEU LIMITE ,ELES PODEM SACAR O MEU DINHEIRO DA MINHA CONTA?

    RESPOSTA DO BLOG: Não podem.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 13/11/2009 - 08:47
    Enviado por: Fernando Gomes Martins

    Fiz 3 emprestimos no banco e devo + 5 mil de cartões de creditos,devo no total 25 mil para o banco. Mais perdi minha renda extra e no momento não tenho com pagar..queria saber como o banco vai me cobrar..já fui pra o SPC e agora ? posso deixar esta divida lá por algum tempo ?

    RESPOSTA DO BLOG: Mas é claro e óbvio que o banco vai cobrar. E tem que cobrar. Se não pagar, a dívida aumentará e você não terá mais crédito em lugar algum.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 24/11/2009 - 14:23
    Enviado por: Chris

    minha mãe era servidora publica federal, ela tinha um emprestimo q debitava na conta na CEF, agora ela faleceu e eles querem q alguem pague a divida, so que eu não sou beneficiaria de pensão pela idade e ela tb não deixou bens. Estou com medo q eles mexam no seguro de vida q ela fez para mim, não é muito mas é miha salvação no momento. Eles podem??

    RESPOSTA DO BLOG: A dívida não existe mais. Morto não paga dívida. Nenhum parente pode ser responsabilizado por isso.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 26/11/2009 - 10:58
    Enviado por: mary glaucia

    minha vo ficou viuva,como vai dar entrada na pensao ela recebe o salario integrau ou diminui, quero saber tambem como meu avo morreu ela tem direito a pagar os dois emprestimo que ele fez. obrigada ta

    RESPOSTA DO BLOG: Desculpe, a mensagem está muito confusa, não conseguimos compreender.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 30/11/2009 - 22:47
    Enviado por: Silvio

    Estou pagando mais de 30% do meu pagamento em empréstimo consignado, tem como eu recorrer e reduzir as prestações?

    RESPOSTA DO BLOG: Só lendo o contrato. Procure um advogado.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 04/12/2009 - 19:24
    Enviado por: rodrigo loiola

    eu quero quita as parcelas que faltam de um emprestimo consignado que fiz junto ao BV financeira, só que no ste do BV diz que eu posso pedir o boleto pelo telefone ou pelo chat, porem eu o fiz , mas eles me disseram que eu deveria comparecer a matriz para pegar o boleto , mas eu moro em são pedro da aldeia , sou militar e não posso me ausenar daqui durante a semana, fiz um pedido para que enviasse por e-mail ou pelos correios, mas disseram que eu tenho qe comparecer la ( rio de janeiro , capital) gostaria de saber se eles podem exigir isso ou se eu posso entar na justiça e pedir o boleto por e-mail ou correios.
    obrigado pela atenção.
    atenciosamente
    rodrigo loiola

    RESPOSTA DO BLOG: A exigência não é ilegal, mas pode ser questionada na Justiça.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/12/2009 - 00:54
    Enviado por: Alex Moraes

    Olá boa noite, Minha irmã era procuradora bancária de meu pai que é Policial Militar aposentado, o caso é que ela fez vários empréstimos consignados pelo internet bank do itau, agora meu pai nada recebe pois o banco desconta antes dele, como posso reverter este quadro? Ele tem 76 anos, toma remédios
    e não tem como se sustentar.

    RESPOSTA DO BLOG: Contrate um advogado e processe a sua irmã., O banco nada tem a ver com isso.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 08/12/2009 - 12:43
    Enviado por: Maria jaceni soares da silva

    gostaria de saber se ao calcular a margem para empréstimo consiguinado, o gasto com pensão alimentícia entra nesse calcúlo.

    RESPOSTA DO BLOG: Entra.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 10/12/2009 - 23:05
    Enviado por: soni suzuki

    tenho 3 empréstimos com o mesmo banco, e eles não ultrapassavam a margem quando foram feitos, mas devido a estar de licença para trataemntode saúde e agora em seguida de licença gestação, meu salario sofreu uma perda, devido a não receber os abonos dados a quem está em sala de aula, e os empréstimos estão ultrapassando a margem, o banco desconta da folha de pagamento dentro da margem, e depois faz um desconto direto da minha conta corrente, fez desconto até do meu décimo-terceiro o qual não foi consignado. o que posso fazer?

    RESPOSTA DO BLOG: Em nossa opinião, nada. Procure uma segunda opinião com um advogado especializado.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 23/12/2009 - 01:40
    Enviado por: rodrigo

    FIZ UM IMPRESTIMO QUANDO ESTAVA TRABALHANDO.QUANDO FUI DEMITIDO FOI DESCONTADO DA MINHA FOLHA DE PAGAMENTO 30% DO IMPRESTIMO CONSIGNADO NA RECISÃO! ISSO QUER DIZER QUE O RESTANTE QUE FICOU PRA TRAZ NAO PAGO MAIS? POIS NAO ESTOU MAIS NA EMPRESA COMO VAI SER DESCONTADO EM FOLHA? OU AINDA TEM QUE SER PAGO?

    RESPOSTA DO BLOG: Aguarde, porque você receberá em breve a cobrança do que falta. Peça informações no departamento pessoal da empresa e negocie uma forma melhor de pagamento.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 24/12/2009 - 01:44
    Enviado por: Claudio Oliveira

    Essas respostas dadas pelo “BLOG”, são típicas de alguém que trabalha para os Bancos. A lei é muito clara qto a descontos abusivos. O direito a subsistência está instituido na Carta Magna do Brasil. a lei é a de numero 10.820/2003 que dispos sobre a autorização de desconto de prestação em folha de pagamento em relaçaõa aos empregados celetistas e com relaçaõ aos funcionários públicos civis é o Decreto n. 4.961, de 20 de janeiro de 2004, que regulamenta o art. 45 da Lei n. 8.112, de 11 de dezembro de 1990, também permite que eles autorizem consignações em suas folhas de pagamento, para cobertura de certos tipos de empréstimo (a exemplo de financiamentos para aquisição de imóveis residenciais e empréstimo concedido por entidade de previdência privada) – art. 4o., incs. VI e VII.
    ACIONEM UM ADVOGADO SIM, SE POSSÍVEL, UMA AÇÃO CONJUNTA.

    RESPOSTA DO BLOG: Descontos abusivos na opinião de quem? A Justiça é que tem sido muito clara ao decidir a favor dos bancos quando o cliente deixa de pagar o que deve – como tem que ser mesmo. Não pagou, tem de ser processado. O fato é que a farra do consignado tem acabado com as finanças de gente que acha que dinheiro fácil não tem preço. Há cassos aqui mesmo no blog de gente que fez dois ou três empréstimos simultâneos e sequer teve o cuidado de ler os contratos antes de assiná-los. Não merecem condescendência: ou paga ou toma processo. E tem sido cada vez mais difícil provar que os juros ou o desconto são abusivos.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 25/12/2009 - 14:30
    Enviado por: Luiz Fernando Vaz Bonan

    sou agente de segurança penitenciária, pago pensão alimentícia no valor de 786 reais/mensais. recebo líquido 1400 reais/mensais. fiz um crédito pessoal no banco nossa caixa/banco do brasil e estão descontando 404,63 reais de meu salário. tentei fazer acordo para aumentar o número de vezes e diminuir a parcela. o banco não aceitou. qual o valor de comprometimento que pode ser usado de meu salário. eles mesmos informaram que o valor descontado de meu salário está acima do permitido dento do comprometimento de salário. não quero dar “calote” , somente quero dimimuir o valor da parcela. faço tratamento médico de hepatite viral, gastrite crônica e hipertensão arterial. qual seria o valor de comprometimento da parcela?? muito obrigado e feliz natal e bom ano novo!!

    RESPOSTA DO BLOG: O desconto do consignado não está ultrapassando o limite de comprometimento, representa 28,9% do seu salário. Infelizmente não onservamos irregularidades no seu caso. Se ainda assim houver dúvidas, sugerimos que procure um advogado especializado ou o do sindicato de servidores de sua categoria.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 02/01/2010 - 10:30
    Enviado por: Rogério Abreu

    No meu caso o órgão responsável pelo desconto, atrasou por cerca de 01 ( um ) ano para fazer o desconto em folha, mesmo eu tendo valor consignável suficiente ou seja não tinha motivo para o atraso no desconto, quando começou a descontar veio cobrando duas prestações a menos e agora depois de quitado o empréstimo a 04 ( quatro ) meses, voltou a descontar, que deveria ser descontado as duas prestações que faltaram no início, veio descontando 07 ( sete ) prestações, o que deve ser as duas que faltaram e mais os juros devido o orgão ter atrasado a efetuar o desconto no meu contra cheque, juros em torno de R$ 2.500,00. O banco pode fazer esse desconto, no caso os juros, sendo que eu tinha valor consignável para o desconto na época certa e o orgão resposável pelo desconto não o fez?

    RESPOSTA DO BLOG: Texto bastante confuso, pouco entendemos a respeito, mas, em princípio, o banco pode fazer esses descontos, desde que informando o cliente com antecedência. Se isso não ocorreu, faça uma reclamação no Procon.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/01/2010 - 09:15
    Enviado por: Patricia

    Busco uma orientação. Trabalhei no governo, era comissionada, fiz um emprestimo consignado e por motivo de mudança de cidade tive que pedi exoneração do cargo. Sendo assim fiquei pagando as parcelas, pois o bc creditava em minha conta, mas agora nao tenho mais condições de pagar as parcelas, assim, gostaria de saber o q irá acontecer?

    RESPOSTA DO BLOG: O nome ficará sujo e você será processada.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 17/01/2010 - 11:00
    Enviado por: Antônio Marques

    fiz um empréstimo consignado pelo bradesco,em 2006,e em 2007,sai do quartel,impossibilitando o pagamento das parcelas,pois no quartel,recebia 1.200,00 reais,depois fiquei um período desempregado,quando finalmente consegui um emprego, perdi o mesmo,por não conseguir abrir conta no bradesco,pois tinha esse débito,cujo valor informado por eles ultrapassam os 5.000,00 reais,e teria que quitar na hora,para abrir a conta,resumindo perdi minha vaga,pois a empresa que eu iria trabalhar fazia pagamento por aquele banco. Como eu posso reclamar dos meus direitos nesta circustâncias?

    RESPOSTA DO BLOG: A única maneira de resolver é pagar os débitos, renegociando-os.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 20/01/2010 - 17:40
    Enviado por: Eraldo

    Vendi minha divida de aposentado de um banco para outro.Em posse do boleto foi paga a divida no dia 28/10 e o banco só foi liberar a margen dia 17/11 e descontou a parcela que não pertencia mais para eles,desconto indevido.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 01/02/2010 - 09:22
    Enviado por: Leonardo Luiz

    Tenho emprestimos consignados que ultrapassaram o limite de desconto em folha. Preciso de um advogado especialista nesta área. Favor fazer contato sou funcionario publico federal e já estou na reserva. Acho um absurdo esta política dos emprestimos consignados ADVOGADO favor fazer contato comigo. Fico no aguardo. (47)9903-2516 Obrigado!.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 11/02/2010 - 20:06
    Enviado por: adriano

    tenho um emprestimo consignado com banco do brasil sou militar da aeronautica fiz em 48 vezes de 330,00 reais paguei metade desse valor so que to pra sair agora final de fev so que irei receber de 6 a 7 mil reais pelo tempo que fiquei na aeronautica gostaria de saber se o banco pode debita esse valor quando cai o dinheiro da minha baixa ?
    esse dinheiro que estou pra ganhar ou não ou ele vai solicitar uma nova forma de pagamento obrigado vlw pela atenção.

    RESPOSTA DO BLOG: Quando você der baixa na Aeronáutica o banco alterará a forma de cobrança. Deixará de ser consignado e será um empréstimo comum. Nâo mudará nada, nem o valor das prestações, apenas você receberá boletos para pagar.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 19/02/2010 - 00:34
    Enviado por: Diego Camargo

    Sou agente financeiro, acontece que comprei uma divida de um cliente de R$ 10.586,00 e o mesmo receberia de troco R$ 800,00, paguei a divida com recursos proprios e um outro agente pegou a margem ligou para o cliente e disse que estava na conta R$9500,00 e que ele poderia gastar tudo.O cliente gastou tudo não assinou o contrado de R$9500,00 e eu fiquei com uma divida de R$10586,00 como posso proceder neste caso, tenho como reaver este valor uma vez que o cliente gastou?

    RESPOSTA DO BLOG: Contrate um advogado e processe o cliente.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 21/02/2010 - 20:24
    Enviado por: Enedina jose gonçalves

    sou pencionista de exercito fiz emprestimos com varios bancos pago por mes 1.591,07 e meu soldo e 2.508,00 e eles sempre estão me oferecendo refinanciamento.minha idade e 68 anos poisso entrar na justiça? me oriente por favor .muito obrigado.


    RESPOSTA DO BLOG
    : POde você pode, mas não terá o que alegar. Você fez empréstimos e terá que pagá-los.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 22/02/2010 - 15:43
    Enviado por: flávia vidal

    Boa Tarde,

    O marido da minha tia faleceu. Ele possuía um emprestimo consignado em folha de pagamento pela CEF. Não deixou bens. Não terá inventário.
    Agora a CEF quer que a viúva pague as parcelas restantes. Ela deve ou não?
    O falecido deixou somente a pensão, que é alta, em torno de R$8.000,00.
    O gerente está usando a pensão como forma de fazê-la pagar as prestações faltantes.
    Novamente pergunto, a CEF pode usar a pensão para que a viúva pague as parcelas restantes?
    Muito Obrigado.

    RESPOSTA DO BLOG: Não pode. Procure um advogado e processe a Caixa.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 24/02/2010 - 10:15
    Enviado por: elisiomar

    tenho alguns emprestimos na minha folha de pagamento e outros na conta corrente do mesmo banco em que é depositado o meu pagamento, esses emprestimos ja ultrapassam mais de cinquenta por cento dos meus rendimentos, sou funcionario do gdf, governo do distrito federal, gostaria de saber se ha alguma coisa a ser feita, algo legal???

    RESPOSTA DO BLOG: Em nossa opinião não. Se você tem mais de um empréstimo, cada um vai descontar a parte que lhe cabe. Devia ter pensado nisso quando fez os empréstimos.Por via das dúvidas, procure um advogado.

    responder este comentário denunciar abuso

    • 25/08/2010 - 10:32
      Enviado por: RICARDO MONTEIRO DA SILVA

      PORTO ALEGRE, 25/08/2010.

      PASSEI DIFICULDADE FINANCEIRA POR MORTE DE FAMÍLIAR, TINHA CRÉDITO VISA DO FUNCIONÁRIO PÚBLICO, DESCONTO DO MÍNIMO DA FATURA NA CONTA NO SALÁRIO QUE EU RECEBO NO FINAL DO MÊS, SÓ COM DIFICULDADE CITADA, FIQUEI TRES MESES SEM DESCONTO, APÓS O BANCO ME COLOCOU SPC E SERASA, A DÍVIDA ERA DE 350 PASSOU PRA 2500, PASSOU UNS TRES ANOS, O BANCO BANRISUL, AGENCIA QUE EU RECEBO NO FINAL DO MÊS ME FORÇA A NEGOCIAR 2500 TRANCANDO O MEU CARTÃO, JÁ AMEACEI COM COM OS MEIOS DE COMUNICAÇÃO, ELES ME LIBERAM O CARTÃO, SÓ QUE EU QUERO NEGOCIAR, NÃO ESTES ABSURDO NAS CONDIÇÕES DO BANCO, PERGUNTA: ELES TEM ESTE DIREITO DE TRANCAR MINHA CONTA E ME FORÇAR PAGAR ESTA DÍVIDA ABSURDA.

      responder este comentário denunciar abuso
  • 25/02/2010 - 16:21
    Enviado por: Margareth Rodrigues

    RECLAMAÇÃO

    Negativação SPC e SERASA por emprestimo consignado
    Bom dia.
    Sou servidor público do Estado do Rio de Janeiro, e tenho empréstimos consignado junto ao Banco Fibra.
    Ocorre que por motivos de diminuição de minha margem consignável, três empréstimos que eu tinha com o banco, pararam de ser descontados por um período, retornando a ser descontado após, e atualmente, vem sendo descontado normalmente em minha folha de pagamento, já computadas as parcelas que faltam para a conclusão do empréstimo.
    Devido a este periodo que ficou sem o desconto em folha, o banco enviou meu nome para o SPC e SERASA. Sendo, que duas parcelas estão sendo descontadas em meu contracheque.
    Solicitei, cópia dos contratos, e até hoje não me enviaram.
    Enfim a legislação do Governo do Estado do RJ permite a negativação do nome do servidor?

    RESPOSTA DO BLOG: Desconhecemos a legislação específica do Estado do Rio de Janeiro. Procure um advogado.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 26/02/2010 - 16:37
    Enviado por: WILMA LIMA DA ROCHA

    GANHEI UMA AÇÃO DO BANCO ITAÚ QUE VINHA CORRENDO DESDE MARÇO DE 2008.SOU FUNCIONÁRIA PÚBLICA ESTADUAL E ADQUIRI UM EMPRÉSTIMO NO BANCO,MAS COMO ULTRAPASSOU OS 30% DO MEU SALÁRIO E EU FICAVA PRATICAMENTE SEM RECEBER,PEDI UMA RENEGOÇIAÇÃO QUE PUDESSE PAGAR.COMO O BANCO NÃO ACEITOU,ENTREI NA JUSTIÇA E GANHEI EM TODAS AS INSTANCIAS.ELES RECORRERAM ATÉ AO AGRAVO,MAS PERDERAM TODAS.SÓ QUE AGORA,O BANCO NÃO TRANSFERE O DINHEIRO QUE ESTÁ EM PENHORA ON LINE DESDE JULHO DE 2009 E EU GANHEI A AÇÃO DESDE NOVEMBRO DE 2009.O JUIZ JÁ EMITIU OFÍCIO REITERANDO O PEDIDO DE PAGAMENTO ,JÁ ENTREI EM CONTATO COM O BANCO QUE HÁ UMA SEMANA ATRÁS DISSE QUE FARIA UMA TED E ATÉ AGORA NADA.O QUE DEVO FAZER?ENTRO NA JUSTIÇA DE NOVO PARA RECEBER ESSE DINHEIRO?

    RESPOSTA DO BLOG: Volte ao tribunal e peça que haja a execução da sentença, se preciso com a ajuda de um advogado.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 17/03/2010 - 09:09
    Enviado por: joao vito

    bom dia
    e por que , o meu sogro nao tem mais capacidade mental pra cuida de sua aponsentadoria da marinha . o filho dele pegou o cartao dele e ja fez um emprestimo consignado de 25 mil e ta fazendo outro de 47 mil .
    o q o aponsetando ja tem 3 emprestimo .com esse emprestimo de 25 mil ele so vai receber 15 % do beneficio . e quando fizer emprestimo 47 mil ele nao vai receber mais nada em folha …
    o quer eu faço….

    responder este comentário denunciar abuso

  • 21/04/2010 - 22:19
    Enviado por: Jose Angelo Couto

    boa noite…
    me aposentei devido perseguição política, (aposentadoria por tempo de serviço 33anos e 02meses).
    Continuo na Prefeitura pois o Prefeito não me manda embora. Mas como fiquei doente devido tanta pressão política, cada 15 dias, tiro um atestado.
    tenho 02 emprestimos cosignados, e o Prefeito esta zerando meu hollerit, quem paga o emprestimo?
    Se me mandar embora tenho direito a 40% da rescisão de contrato?
    Me ajude ….

    responder este comentário denunciar abuso

    • 22/04/2010 - 18:24
      Enviado por: Marcelo Moreira

      Não temos como responder, esse é um blog de direito do consumidor, não é de assuntos trabalhistas nem se legislação do funcionalismo público. Procure um advogado especializado ou o departamento jurídico do sindicado de categoria.

      responder este comentário denunciar abuso
  • 26/07/2010 - 11:45
    Enviado por: marjori

    em emprestimo consignado, quando o servidor fica sem margem,ele fica negativo. O banco do consignado pode colocar o servidor no spc e serasa?

    responder este comentário denunciar abuso

  • 08/08/2010 - 16:59
    Enviado por: josé adailton

    tenho 30 por cento de consignado na caixa e 30 no banco do brasil…recebo apenas 40 por cento ,posso entrar com mandato de segurança para garantir o sustento de minha familia ?

    responder este comentário denunciar abuso

    • 09/08/2010 - 18:33
      Enviado por: Marcelo Moreira

      Até pode ir à Justiça, mas dificilmente conseguirá diminuir a retenção., mas não custa tentar. Cada banco tem o direito de reter até 30%. Você errou ao fazer mais de um empréstimo consignado.

      responder este comentário denunciar abuso
  • 04/09/2010 - 21:46
    Enviado por: fernanda gomes

    sou funiconária estadual do rio de janeiro e contratei um empréstimo no banco bmg no ano de 2000,sendo que todas as parcelas foram pagas,mesmo eu refinanciando o mesmo.acontece que agora ,quase 7 anos depois,o banco recomeçou a descontar estas prestações do meu contracheque de novo,sob a alegação de que este empréstimo tinha sido parado de descontar por falta de margem e só agora pode voltar.o interessante é que depois de 2003 eu já fiz vários empréstimos,todos com margem e não tive nenhum problema,se realmente este empréstimo fosse feito por mim a margem estaria presa,eu liguei para o banco e eles insistem em me cobrar indevidamente,fui ao SARE no Rio de Janeiro e pedi um histórico de todas as operações no contracheque,e eis que está lá,em preto e branco,que eu já paguei o referido empréstimo.
    agora eu quero saber o que devo fazer,entrar de novo em contato com o banco e solicitar o cancelamento deste empréstimo,a liberação da minha margem(que está negativa por conta desta operação irregular) e a devolução das parcelas indevidamente cobradas ou então ir direto à justiça?sendo assim,que órgão devo procurar(PROCON,Juizado de Pequenas causas,etc).
    aguardo resposta.
    atenciosamente,
    fernanda

    responder este comentário denunciar abuso

    • 06/09/2010 - 16:46
      Enviado por: Marcelo Moreira

      O melhor a fazer é contratar um advogado e questionar o banco na Justiça e processá-lo em seguida por danos morais.

      responder este comentário denunciar abuso
  • 20/09/2010 - 13:44
    Enviado por: Adonay dos Anjos

    Tenho um empréstimo consignado, o qual pago a 30 meses, durante este período o banco não descontou 3 prestações informando que não tinha saldo em minha conta.
    Continuo pagando normalmente porém negativaram meu nome, peste procedimento esta correto? Ter meu nome junto a estidades de proteção ao crédito, e continuar sendo descontado mes a mes?

    responder este comentário denunciar abuso

  • 28/09/2010 - 20:35
    Enviado por: Edson Rodrigues Pereira

    Gostaria de saber como me conduzir com o banco semear que fez um emprestimo com os servidores do meu municipio Pão de Açúcar Alagoa, de 36 meszes e logo depois colocou para o municipio que os funcionarios pargarao 60 meses isso sem comunicar oas servidores e mais levou tidis is dicumentis contrastuais do estado nao deixando condições de os fincionarios analizarem tais documentos como proceder.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 23/11/2010 - 20:34
    Enviado por: claudete leite

    tenho duas dividas com a caixa economica, estou inadimplente com o emprestimo pois a outra e de um apt. gostaria de saber se a caixa colocaria a leilão o apt por causa da inadimplencia com o emprestimo.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 06/12/2010 - 22:12
    Enviado por: ROSANGELA SILVA

    RECEBO PENSÃO PREVIDENCIÁRIA POR MORTE DO PAI DA MINHA FILHA QUE HOJE TEM 11 ANOS .CARTÃO DO BENEFÍCIO E DEMONSTRATIVOS DE
    PAGAMENTOS TODOS SAEM EM MEU NOME POIS SOU A RESPONSÁVEL LEGAL
    GOSTARIA DE SABER SE POSSO FAZER UM EMPRESTIMO CONSIGNADO ?

    responder este comentário denunciar abuso

    • 06/12/2010 - 22:23
      Enviado por: Marcelo Moreira

      Entendemos que sim, mas só a Previdência pode responder com certeza. Procure um posto do INSS para obter a informação.

      responder este comentário denunciar abuso
  • 24/01/2011 - 09:26
    Enviado por: suzy

    Olá, meu pai encontra-se muito doente, e descobrimos que ele tem vários empréstimos consignáveis, no valor de quase 300.000,00, e meus irmãos, inclusive um que trabalha no banco, estão dizendo que, se meu pai vir a falecer, teremos que pagar essa dívida toda, independente do valor da herança, isso é verdade?
    Agradecida.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 08/04/2011 - 19:54
    Enviado por: jose moises dos santos azevedo

    sou aposentado e gastei muito com cirurgias(medicamentos) agora tenho minha margem ultrapassando os 80% de emprestimo entre consignados e cdc, o que devo fazer, sendo que eu tinha alugueis a receber, mas vencerão os contratos.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 19/04/2011 - 14:23
    Enviado por: jose vitorio viola

    ogstaria de saber se o desconto para emprestimo consignado é sobre a rernda bruta ou liquida, pois tenho um junto ao santander, e em ambas as alternativas ultrapassa os 30% conforme determina a lei 10.820/2003. como devo proceder. grato.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 22/04/2011 - 23:13
    Enviado por: GINALDER

    A Força Aérea na Medida Provisória 2215 2001 Lei de Remuneração dos Militares cologou a disposição dos
    bancos 70% dos salários dos militares isso e um absurdo
    e por isso que muitos militares estão com a corda no pesgoso
    Art 14:
    § 3o Na aplicação dos descontos, o militar não pode receber quantia inferior a trinta por cento da sua remuneração ou proventos.
    Esta dizendo que não posso receber menos de 30% da minha remuneração o correto seria dizer que so pode ser descontado
    30% da minha remuneração………….E HOJE EU RECEBO SÓ 30%
    DO MEU SALARIO E DESCONTA 70% DE EMPRESTIMO CONSIGNADO
    E AGORA QUE OLEI A BESTEIRA QUE EU FIZ…….

    responder este comentário denunciar abuso

  • 24/04/2011 - 14:16
    Enviado por: KELLY

    Fiz um empréstimo consignado pela empresa que eu trabalho,depois de quatro dias do dinheiro liberado fui mandado embora!!Isso pode?/Pq me prejudicou muito ,se eu soubesse que ia ser mandado embora não tinha feito o empréstimo.Obrigado.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 30/04/2011 - 21:01
    Enviado por: marjori

    Um banco que deixe de descontar no contracheque de um servidor público,pode coloca-lo no spc e sereasa?

    responder este comentário denunciar abuso

    • 02/05/2011 - 17:26
      Enviado por: Marcelo Moreira

      Pode, pois para ele consta um débito. É preciso acionar o Procon para resolver a questão e depois processar o banco por danos morais.

      responder este comentário denunciar abuso
  • 10/05/2011 - 19:42
    Enviado por: Priscila

    eu peguei um emprestimo consignado no banco itau, depois de 4 meses a empresa me mandou embora. A empresa descontou 30% da minha resição para o emprestimo. Quando eu fiz este emprestimo o fiz com o seguro no qual o seguro cobriria o valor de 1.500. O banco não entrou em contato comigo e mesmo assim ele descontou as parcelas do emprestimo da minha conta do itau sem a minha autorização. Neste caso, qual seria meus direitos. Pois este emprestimo era descontado em meu pagamento. E não fui informado, o que eu teria que fazer. Pelo certo o banco teria que acionar o seguro. Tem como abrir um processo, quais são os meus direitos?

    responder este comentário denunciar abuso

    • 11/05/2011 - 08:20
      Enviado por: Marcelo Moreira

      Procure um advogado para ver se é o caso de acionar a Justiça. Pelo que você contou não vemos irregularidade no procedimento.

      responder este comentário denunciar abuso
  • 23/05/2011 - 14:58
    Enviado por: andre

    ola sou funcionario publico e vou pedir demissao como faço para terminar de pagar um emprestimo em folha que tenho no bb e caixa economica

    responder este comentário denunciar abuso

  • 23/05/2011 - 15:00
    Enviado por: andre

    olha lembrete: sou concursado

    responder este comentário denunciar abuso

  • 31/05/2011 - 07:26
    Enviado por: Marcos Prestes

    Fui funcionario publico municipal exercendo um cargo somente em comissão, fui demitido pelo sussessor da gestão seguinte a minha nomeação, fiz dois emprestimos consignados, um em um banco e o o outro em outro banco, usando o mesmo contra cheque, os dois equivaliam a 60% dos meus vencimentos isso foi no ano de 2003, depois da exoneração não tive como pagar as parcelas. hoje meu nome está NEGATIVADO não consigo fazer nada, o orgão publico poderia facilitar ese emprestimo na época e depois me demitir, qual a melhor forma de se resolver isso por favor me ajudem gostaria de ficar com meu nome limpo

    responder este comentário denunciar abuso

  • 31/05/2011 - 07:35
    Enviado por: Nélson

    Fui funcionario publico municipal exercendo um cargo somente em comissão, fui demitido pelo sussessor da gestão seguinte a minha nomeação, fiz dois emprestimos consignados, um em um banco e o o outro em outro banco, usando o mesmo contra cheque, os dois equivaliam a 60% dos meus vencimentos isso foi no ano de 2003, depois da exoneração não tive como pagar as parcelas. hoje meu nome está NEGATIVADO não consigo fazer nada, o orgão publico poderia facilitar ese emprestimo na época e depois me demitir, qual a melhor forma de se resolver isso por favor me ajudem gostaria de ficar com meu nome limpo
    por favor mantenha contato comigo por esse email: nb19692011@hotmail.com, acho que o orgão não poderia ter feito isso avalisando pra mim e depois me demitir, e o cargo em comissão pode ter emprestimo consiguindo? a lei permite?
    me ajudem a limpar meu nome por favor

    responder este comentário denunciar abuso

    • 31/05/2011 - 08:23
      Enviado por: Marcelo Moreira

      Náo há irregularidades na questão, em nossa opinião. Você deve, e tem de pagar. Não há o que possamos fazer. Procure ajuda de um advogado para tentar renegociar o débito ou de um consultor financeiro.

      responder este comentário denunciar abuso
  • 07/06/2011 - 13:33
    Enviado por: MARCOS QUEIROZ

    Sou funcionário público estadual em São Luís – Maramhão. Meu salário é de R$ 3.000,00. Fiz um empréstimo consignado de R$ 11.000,00 em 60 parcelas de R$ 366,00. Já paguei 36 meses. Eu posso pedir uma revisão jurídica dessa parcela ou do valor dos juros cobrados, já que eu vou pagar quase 100% no final das contas, do empréstimo tirado, devido a juros abusivos? Ajude-me por favor.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/06/2011 - 15:08
    Enviado por: Sandro Dias

    Boa Tarde, sou funcionário Estadual Extra-Quadro (cargo em comissão) e fiz dois emprestimos de desconto em folha. Caso eu seja EXONERADO como fica a cobrança desse desconto em folha, uma vez q nao terei mais CONTRA-CHEQUE ??

    responder este comentário denunciar abuso

  • 08/06/2011 - 20:58
    Enviado por: fabio

    minha mae moreu ms feis dois emprestimo gostaria de sabem se tem augu seguro para reseber o emprestimo e coseguinado

    responder este comentário denunciar abuso

  • 09/06/2011 - 15:06
    Enviado por: debora

    Tenho 90% da minha renda comprometida com emprestimo em um unico banco.Posso solicitar uma forma de refinanciamento que passe a comprometer apenas uma parte da minha renda?Sou func.publica.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 04/07/2011 - 22:46
    Enviado por: Aline

    Sou Servidora publica estadual tennho 2 emprestimos banco BB ñ estou conseguindo pagar pois Fui diagnosticada com Câncer e estou tendo muitos gastos remédios e tratamentos.Procurei o banco para renegociar a Gerente muito mal educada me chamou velha e como já tinha pego a margem de 30% do salario não tem como DIMINUIR as parcelas quero pagar mas R$ 1.080,00 por mês esta muito alto para mim.Como posso RENEGOCIAR este valor das parcelas é descontado direto do meu salario estou precisando comer.Tem como algum me ajudar como posso fazer??? Quero pagar mas gostaria de diminuir o valor das prestações..Grata

    responder este comentário denunciar abuso

    • 04/07/2011 - 22:53
      Enviado por: Marcelo Moreira

      Não há o que fazer neste caso, em nossa opinião. Procure um advogado especializado e veja se ele consegue ver uma saída.

      responder este comentário denunciar abuso
  • 08/08/2011 - 18:48
    Enviado por: graça maria de brito

    fiz um emprestimo na capemi aqual nos obriga apagar seguro o seguro é descontado fielmente do meu contra cheque mas o emprestimo foi retirado por ordem do governo sou do pará e firma para negociar e no Rio conseguir entrar en contatos com eles mais eles querem me dar so duas alternatia pagar de uma vez ou de apanas de 10 parcelas não querem outro acordo e so tirar o meu nome do seguro pois morte não eu pagar toda as parcelas e enquanto isso eles mantem o meu nome no serviço de proteção ao credito sem aceitarem outra negociaçãosendo que seria mais fácil eles transformarem o seguro em pagamento ou medarem uma oportunidade para que eu posa pagar eles poderem receber mais eu estou achando que pra eles é melhor receber o seguro pois não me dão outra oportunidade oque devo fazer procurar o procom ou que eles estão fazendo esta certo quero limpar o meu nome ajavista que este seguro tem quase o meu tempo de servidora pública gostaria de enxugar meu contra cheque

    responder este comentário denunciar abuso

  • 10/08/2011 - 17:17
    Enviado por: Danila

    Tenho um emprestimo junto ao banco BMG com desconto em folha com todos os 30% comprometidos e nao querem renegociar minha divida pois estava sendo decontado direitinho quando meu salario diminuiu entao eu passei a fazer o deposito junto ao banco e aconteceu de eu nao conseguir mais pagar as prestações por dois meses seguidos no terceiro mes recebi menos da metade do meu salario atual e no mesmo dia que recebi foi descontado o valor da prestação de 389,04 endo que recebi 571,89 e acabei ficando sem um centavo pra pagar as contas do mes, nao sei a quem recorrer que lei me ampara e me ajuda se todo mes for assim nao sei o que fazer maissera que alguem aki pode me ajudar pois nao consigo com o salario de 1.212,00 que ganho.
    Grata

    responder este comentário denunciar abuso

    • 10/08/2011 - 20:28
      Enviado por: Marcelo Moreira

      Não podemos ajudar neste caso, aparentemente o banco não está cometendo nehuma irregularidade. Procure a ajuda de um advogado para tentar outra opinião.

      responder este comentário denunciar abuso
  • 14/08/2011 - 20:26
    Enviado por: stanlei klen

    Meu pai fez no total 8 empréstimos consignado no banco bmg ( bradesco)8 contratos.R$ 65.000.00.Os descontos superam os 70% de sua renda bruta, hoje meu pai tem muitas dívidas e mal consegue sustentar a todos.Gostaria de saber se podemos entrar com uma ação no juizado de pequenas causas e pedir a diminuição destes descontos, pois não podemos pagar advogado para entrar com essa ação.Meu pai é Militar da marinha-aposentado,somos de fortaleza-ce.alguém poderia me mostrar uma solução para nosso caso.Desde já Agradeço a todos.

    responder este comentário denunciar abuso

    • 15/08/2011 - 19:52
      Enviado por: Marcelo Moreira

      Cada empréstimo consignado pode descontar até 30% nas parcelas. Se são mais de dois empréstimos consignados, então é óbvio que todo o pagamento vai ser comido. E isso não é ilegal. Achamos que é inútil tentar reduzir as aprcelas na Justiça, ainda mais sem advogado.Procure ajuda na Defensoria Pública.

      responder este comentário denunciar abuso
  • 16/08/2011 - 02:21
    Enviado por: francisca aurineide maia clarido

    nao consigo saber quantas parcels faltam do meu emprestimo e agora aumentaram o valor da prestaçao estou muito preocupada pois ja paguei tantas prestaçoes e ainda nao terminei me ajudem a descobrir o saldo devedor para q eu possa sair dessa

    responder este comentário denunciar abuso

  • 22/08/2011 - 10:13
    Enviado por: Giovana

    Acabei de refinanciar meu empréstimo consignado, ou seja, quitei dois, e prolonguei por mais tempo as parcelas, surpresa fiquei quando analisei o contrato e vi que eles cobraram seguro, fiquei indignada, questionei e não obtive reposta, o Banco cobrou o seguro, onde pagarei juros em cima deste valor, quando eu estava negociando, em nenhum momento, me disse que teria, após a funcionário trouxe o contrato no meu trabalho para eu assinar, e disse que precisa assinar urgente, pois tinha que fechar naquele dia, após fui analisar e constatei o valor do seguro no contrato. Gostaria de saber se posso recorrer, existe lei que impeça este tipo de cobrança? Vejo que o empréstimo consignado é mais do que seguro, pois é descontado diretamente da minha fonte de renda, que é a empresa empregadora.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 29/08/2011 - 15:30
    Enviado por: Luzimar

    Boa tarde, sou pensionista militar, meu salario é de 2 sgt, sendo que minha mãe recebia como 2 tenente, porém fiz um empréstino restando a mergem de 200,00 reais, agora ao ver minha margem ela subiu para 2.040,40…não entendi, a margem sobe qdo colocam atrasados a receber no nosso contra cheque, ou vou passar a receber como 2 tente…rsrs…Grata!

    responder este comentário denunciar abuso

  • 08/09/2011 - 18:41
    Enviado por: Henrique

    Fui soldado do Exercito no ano obrigatório, e o banco colocou limites para todos os soldados , depois que sai no exercito não tive como pagar e agora uma divida de 4 mil esta em mais de 10 mil depois que fiz uma renegociação agora estou trabalhando e recebo 679,00 reais por mês, mais as parcelas do banco é de 48 x 654,72, isso é legal? Ou o banco esta me cobrando juros abusivos.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 19/09/2011 - 18:59
    Enviado por: silvia

    gostaria de saber o que posso fazer,pois ganho 2200,00 e tenho 1560,00 de emprestimo,como posso melhorar para poder sobrar um pouco mais do meu salario.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 29/09/2011 - 16:48
    Enviado por: danielle

    eu era pensionista do ipsemg,quando fiz um empréstimo bancário consignado.perdi a pensão tem 2 anos…e agora o banco está me cobrando a dívida…mas não tenho como pagar…tenho 3 filhas e vivo fazendo bico de qualquer coisa que apareçe…
    o que devo fazer…me ajude…
    o ipsemg tem que se responsabilizar com a dívida?
    obrigado

    responder este comentário denunciar abuso

    • 30/09/2011 - 17:52
      Enviado por: Marcelo Moreira

      Claro que não, a dívida é sua. Terá de pagar de alguma forma. Procure um advogado para ajudá-la a renegociar.

      responder este comentário denunciar abuso
  • 03/10/2011 - 01:45
    Enviado por: Risangela N. Cruz

    Um funcionário público estadual, que tenha contraído vários empréstimos e depois morreu (assassinado), seus parentes são obrigados a pagar esses empréstimos?

    responder este comentário denunciar abuso

  • 07/10/2011 - 20:12
    Enviado por: Mario

    eu aposentei com um salario minimo, mas continuei trabalhando e contribuindo para o inss, apos oito anos contribuindo eu pedi uma aposentadoria melhor e foi concedida, apos um ano o inss entrou com pedido de concelamento da nova aposentadoria e foi cessada, só que eu havia feito um emprestimo consignado e se for voltar aposentadoria anterior, a mesma não cobre o valor da parcela do emprestimo. o que devo fazer?

    responder este comentário denunciar abuso

  • 15/10/2011 - 15:34
    Enviado por: Marcos

    Fiz um emprestimo consignado em folha, como sou contratado posso vir a perder meu emprego dependendo da situação, então o que faço com as prestações que ficarão?

    responder este comentário denunciar abuso

  • 19/10/2011 - 13:08
    Enviado por: Elaine Monteiro da Silva

    GOSTARIA DE SABER SE POSSO QUITAR UM EMPRÉSTIMO CONSIGNADO DEPOIS DE PAGAR 1 ANO E SE SÃO RETIRADOS OS JUROS NO ATO DO PAGAMENTO. DESSE MODO QUEM FAZ UM EMPRÉSTIMO DE 9 MIL REAIS COM PARCELAS DE 270,00 NO PRAZO DE 72 MESES, PAGARÁ QUANTO SE QUISER QUITAR DEPOIS DE UM ANO PAGO?

    responder este comentário denunciar abuso

    • 19/10/2011 - 19:03
      Enviado por: Marcelo Moreira

      Você precisa ler o contrato que assinou e depois verificar os cálculos com gerente do banco para a quitação. Depois faça a conferência com um contador de confiança.

      responder este comentário denunciar abuso
  • 19/10/2011 - 20:01
    Enviado por: cesar

    quando um banco não confia na pessoa que vai fazer um emprestimo.so empresta descontando em folha.me aposentei e perdi vinte por cento do meu vencimento,ai o tribunal de justiça não descontou mas.poque passava dos trinta por cento.por que quanto um banco não confia no criente so confia no orgão pagador.porque o banco não foi encima do orgão pagador,de quebra de contrato.agora eles fala que o orgão não tem nada a ver com isto.por isso o nome dele estar sujo

    responder este comentário denunciar abuso

  • 31/10/2011 - 13:32
    Enviado por: Karla

    Tenho empréstimo consignado. Mas em breve vou sair da empresa, pois fui chamada num concurso público. Já entreguei documentação, e falta somente a nomeação. Quando fiz o empréstimo, no contrato afirmava q se saísse da empresa teria q devolver todo o dinheiro (parcelas restantes) no ato da saída. Nesse caso, eu não posso continuar pagando normalmente as parcelas? Existe alguma lei que me obrigue a pagar todas as parcelas q faltam de uma só vez? Estou preocupada, pois não tenho todo esse dinheiro.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 02/11/2011 - 18:20
    Enviado por: Antonio

    Tenho varios empréstimos consignados, quando eu morrer essa divida fica pra minha esposa ou morre comigo?

    responder este comentário denunciar abuso

  • 05/11/2011 - 12:32
    Enviado por: Tania lopes

    Sou funcionària publica concursada e fiz um empréstimo consignado a mais ou menos 6 meses.No meu contracheque vem descontando todos os meses mas a prefeitura não está repassando ao banco. Venho recebendo cobranças do banco e meu nome vai para o SERASA.Isso está certo? o banco deveria cobrar da prefeitura,não é mesmo? O que devo fazer?

    responder este comentário denunciar abuso

    • 16/11/2011 - 18:18
      Enviado por: Marcelo Moreira

      O banco não sabe o que está acontecendo, por isso ele negativou o seu nome. Procure um advogado, de preferência o de seu sindicato, e questione a prefeitura e o banco na Justiça.

      responder este comentário denunciar abuso
  • 09/11/2011 - 23:23
    Enviado por: maria do carmo e silva

    quero saber como faço para pedir revisão das parcelas , juros abusivos. fiz emprestimos pelo banco rural,

    responder este comentário denunciar abuso

  • 10/11/2011 - 17:47
    Enviado por: ronaldo antonio de paula

    Gostaria de saber:

    Eu sou servidor publico municipal efetivo da Prefeitura de Itabira. Meu cargo efetivo é de fiscal municipal e eu estava assumindo a chefia da Seção CARGO COMISSIONADO com um salário de 3200,00 bruto. Pago 40% de pensão alimenticia para meus dois filhos. Alem de 11% de INSS, 3% de plano de saúde. Fiz um empréstimo pela Cooperativa do Servidor no valor de 606,00 mensais com prazo de 36 meses para pagar e depois fiz outro de 311,00 pela Caixa Economica Federal para pagar em 96 meses. Bom estava pagando tudo em dia e sobrando apenas do bruto do meu salário, sobrava 412,00 mensais. Hoje fomos exonerados do cargo pelo Prefeito e agora meu salário caiu para 1574,00 bruto, com desconto de 40% de pensão e INSS sobram apenas 785,00 liquidos. Agora a Seção de Pessoal evite meu contra-cheque zerado onde devo receber durante 7 meses, segundo a Seção de Pessoal pagamento com o liquido de 0,00. Pergunto com isso não posso pagar minhas dividas e nem se quer comer ou beber. Isso é legal? Como fazer? Já estou recebendo o pagamento zerado. Concordo que a prioridade são as pensões, mas e como pagar as dividadas que somadas chegam a 917,00 mensais e como vou sobreviver?

    responder este comentário denunciar abuso

  • 27/11/2011 - 11:11
    Enviado por: Doralice Augusto Kuhn

    Preciso de uma orientação pois estou tendo problemas com descontos indevidos na minha folha de pagamento sou funcionária pública.
    Ha mais de um anos quitei debitos que tinha com o Bco Rural algo que foi complicado mas consegui.
    Para minha supresa este mês apareceu debitos de um emprestimo que dizem que fiz no mes passado no valor de 700,00 com parcelas de 11,… e alguma coisa em 96 vezes.
    Mas não fiz esse emprestimo em nem um lugar.Já não sei a quem recorrer não posso pagar uma conta que não a fiz. A que orgão superior devo recorrer para ver isso? Pq aqui na minha cidade não adianta recorrer é complicado.
    Moro em Foz do Iguaçu PR.
    Por favor se possivel me oriente estou desesperada e assustada por não tem mais controle no meu sálario.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 29/11/2011 - 23:17
    Enviado por: NELMA LUCIA

    sou aposentada do estado de minas gerais, em março desse ano fiz um emprestimo no banco bmg, quando foi em abril vi que no meu contra-cheque que é demostrativo que o estado eviava que o debito da 1° parcela não tinha cido feito fui então até bmg e perguntei o porque que não sido descontado eles informaram que tava tudo normal e que em maio já iria ser feito o desconto, quando chegou maio não foi feito o desconto então voltei lá para questionar eles me deram a mesma resposta, achei estranho o que eu poderia fazer, quando foi junho não foi feito o desconto, mas recebi uma carta do banco dizendo que seu eu não pagasse meu nome iria para spc e serasa, liguei para numero que estava na carta e o atendente me disse que o estado não estava permitido o desconto que para ter maiores informações eu deveria ir na secretária de educação para saber, então fui até a secretária e lá eles informaram que por causa na mudança da forma do pagamento dos professores e por conta da discursão do governo com sindicato que realmente o governo estava deixando descontar, então liguei outra fez para o bmg e eles me informaram que se eu não fizesse o pagamento que o meu nome seria denunciando, então solicitei o boleto que foi enviando para o email da minha filha e paguei, todo mes estava fazendo o pagamento via boleto e o estado depois da greve dos professor começou a deixar debitar um certo valor,e para mim tava tudo certo, quando fui fazer uma compra à credito em uma loja descobrir que meu nome estava sujo, e que inclusão tinha sido feita em junho quando fui fiz o pagamento, então fui varias vezes no bmg para resolver de forma tranquila, mas nada se resolveu, fui então no procon e ele disseram que iria me ligar para da uma solução ao problema como não tenho telefone fixo dei o celular da minha filha então quando foi segunda dia 14 de novembro ele ligaram falando que não teria como fazer nada pois o governo não estava deixando descontar o valor que estava no contrato e que meu nome iria continua sujo, fui então no procon mas não teve nenhuma solução, então na defensoria publica e eles tantaram hoje dia 29 de novembro contato e até eles foram tratados com total descaso pelo os atendente do banco bmg, então tentei por mais uma vez entrar em contato direto mas sem sucesso o que eu faço to precindo do meu nome mas não consigo resolver.

    responder este comentário denunciar abuso

  • 22/04/2012 - 10:56
    Enviado por: Aline

    Bom dia, estou nedss situacao, meu desconto passa de 30% do meu salario, gostaria de saber mais desse assunto, fiquei interessada

    responder este comentário denunciar abuso

Deixe um comentário:

Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo