1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Taleban e Otan levam a guerra para o Twitter

Adriana Carranca

14 setembro 2011 | 19:13

No meu post de ontem falei sobre o Twitter de jornalistas afegãos que abasteceram a imprensa mundial com informações em tempo real sobre os ataques simultâneos contra a Embaixada dos EUA e a sede da Otan em Cabul, entre outros alvos na capital. Mas não somente eles. O  Taleban agora também tem twitter, myspace e site – em minha última viagem a Cabul testemunhei muitos turbantes negros completamente à vontade em seus iPhones e Blackberries. É claro que é impossível atestar se os endereços em inglês atribuídos aos insurgentes na web são de fato escritos por milicianos ou comandantes do grupo – é bem provável que não, pois muitos dos Taleban, talvez a maioria, são tribais semi-analfabetos. Mais provável é que tenham o auxílio de gente gabaritada.

O fato é que, ontem, em meio ao ousado ataque dos insurgentes, os militares americanos acabaram legitimando pelo menos uma dessas páginas, no Twitter, ao protagonizar contra seu autor uma verdadeira batalha online.

Um dos post, às 11h41 de hoje, no Twitter da Força Internacional de Segurança (ISAF, na sigla em inglês), fazia uma provocação ao Taleban: “hey, @alemarahweb, o seu patrão fez isso?”, perguntava o militar em inglês, dando o link para um vídeo da ISAF em que mostrava a destruição causada pelo ataque dos insurgentes.

Al Emarah é o nome que o Taleban usa em um site do grupo, no Twitter, no myspace. É o Taleban na era digital. Os comunicados oficiais do grupo, que repercutem na imprensa mundial, costumam ser publicados nessas páginas.

Em outro post, ontem, o militar da ISAF questiona: “por quanto tempo mais os terroristas vão colocar os afegãos em perigo dessa forma?”. E no post seguinte, informa: “A atividade dos insurgentes mataram 11 afegãos, entre eles 3 crianças. Suas ações continuam a prejudicar afegãos civis inocentes”

Quem responde aos posts no Twitter da ISAF é Abdulqahar Balkhi, que se apresenta como uma espécie de porta-voz do Emirado Islâmico do Afeganistão, como é chamado o país sob regime Taleban. No post, em seu twitter, ele diz: “hey, @ISAFmedia, você tem colocado (os afegãos) em perigo nos últimos 10 anos. Destruído vilarejos inteiros e mercado e ainda tem a coragem de falar em prejuízo”.

NYT e o Guardian acompanharam o que mais parecia um bate-boca entre vizinhos – mas foi protagonizado por militares dos EUA e terroristas do Taleban, dois lados de uma guerra que dura há uma década, desde o 11 de Setembro. É meio assustador, não é, não?